Postado por

Campo áurico – instrumento de trabalho do dimensional

Campo áurico – instrumento de trabalho do dimensional
Print Friendly, PDF & Email

O dimensional é um “ser humano especialmente diferente” e, em sua condição de líder veio para modificar e para transformar o mundo buscando o novo. Assim, ele não deve deixar, às vezes até de maneira impulsiva, de não querer ver o que acontece em sua volta, preso a outros interesses que nele são mostrados emocionalmente pela sua maneira ansiosa como fala e como age, fazendo-o que se coloque mais como um espectador dos acontecimentos, do que mesmo como um agente atuante disposto ajudar a modificar o que está em sua volta, afetando não são só ele como toda a coletividade da qual faz parte.

Como um líder transformador ele não pode ficar sem ação, não pode ficar sem agir frente à desarmonia que constata em sua volta. Sem ajudar apontar um novo caminho voltado ao bem coletivo, deixando-se ficar prisioneiro à tanta dissimulação, hipocrisia e egoísmo.

 

 

Deixando-se ficar inerte em relação à negatividade destas frequências vindas de todos os lados, ele acaba sem perceber contaminado e direcionado por elas.

O dimensional pela força mental-vibracional que possui, ele possui também responsabilidade consigo, com a humanidade e com o Universo e, desta maneira, não pode em estado de miopia ficar circunscrito ao seu mundo cultural e emocional. E nesta sua limitação ficar muitas vezes ainda sem perceber direcionando outros, sem enxergar o mais além com uma visão mais ampla em relação ao mutável dos acontecimentos.

Ele deve se extrapolar, procurando ter cada vez mais clareza mental através de novas informações e de novos conhecimentos, para que possa cada vez mais também alcançar conclusões mais abrangentes – mais universais.

O dimensional realmente desperto, ele é menos dependente, menos emocional e menos negativamente condicionado. Procura respostas abalizadas em conhecimentos científicos mais atuais e também respaldadas na Sabedoria de seu Cristo Interior – e, já sabedor que não tem mais direito à ingenuidade ou mesmo à tolice.

Aquele dimensional que é de fato cônscio de sua responsabilidade com o Planeta Terra e com o Universo, ele “vivencia” a Historia da Humanidade. Toma parte dela, porque é também a sua Historia. Nunca será um omisso. Ele agirá, sem se transformar em um Átila, em um Gengis Khan, ou em um Hitler, que foram líderes dimensionais em suas épocas, mas que agindo também como guerreiros carregaram a responsabilidade de terem sido os maiores flageladores da humanidade.

Estes três líderes dimensionais que marcaram tristemente a historia da humanidade e provavelmente muitíssimo outros não tão algozes como eles, se assim procederam, porque não foram capazes de se sutilizarem e de sintonizarem com sua Essência Divina, com a sua “Verdadeira Realidade Vibracional” – e, de não procederem de acordo com Ela.

 

———————————————————

 

O dimensional que já despertou e que já está realizando o seu compromisso, ele está também desenvolvendo a sua habilidade mental relacionada à sua capacidade extra-sensorial, necessária principalmente neste Novo Tempo – à sua interação com as realidades paralelas, que precisa acontecer mais facilmente. E, para isto, ele necessita treinar mentalmente com o recurso dos cristais de apatita em sua glândula pineal. Estes cristais precisam ser mais desenvolvidos e mais ativos, auxiliando-o gerar “a neblina ou a névoa”, que ele fazendo-a movimentar, pode de dentro dela se tornar invisível e até atravessar obstáculos físicos.

Este treinamento ele pode fazê-lo à noite, na escuridão, para inicialmente perceber a “neblina ou névoa” sendo gerada entre as suas mãos como uma névoa azulada e poder até senti-la fisicamente irradiando certo calor, para então fazer o teste da invisibilidade através de uma ordem mental, para que suas mãos quando envolvidas por ela não sejam vistas.

O dimensional que já consegue gerar a “frequência da neblina”, ele já consegue também manipular outras Leis próprias às realidades paralelas, por exemplo, se ele deposita uma garrafa vazia dentro desta “neblina” e se for do seu desejo que ela esteja cheia de água, ela instantaneamente se mostrará fisicamente nesta condição. Se ele já possui estas habilidades, é porque já possui também o domínio de Leis Universais para desenvolver esta tecnologia e outras com o concurso de sua energia mental.

O dimensional que já domina a tecnologia mental para a geração da “neblina”, ele adquire ainda a condição para a conversação com os seres ultradimensionais, para a sua interação com os deuses da natureza e ainda para interagir com diversos outros níveis dimensionais.

Quando esta “nevoa” se mostra na realidade física, ela pode interferir no funcionamento de aparelhos eletromagnéticos e gerar um campo de energia em sua volta. E, com a sua presença formas plasmadas podem também se mostrar, como aconteceu na madrugada do dia 23 de março de 2008, às 02h22min, através de uma forma discóide relacionada com a frequência mental dos dimensionais presentes e com uma sensação momentânea de queda de temperatura ambiente.

 

 

Outra tecnologia mental que o dimensional já desperto deve desenvolver, ela é a que o permite ter acesso à sua “Placa Materializada”, para que possa de maneira melhor clareá-lo com informações, que estão nela gravadas como símbolos relacionados à sua memória cósmica e que são necessárias ao cumprimento de seu compromisso.

A “Placa” é “o pedaço” do dimensional em outra realidade e nela consta o que ele “documentou” como o seu compromisso antes de adquirir um corpo humano. E, o seu aqui e agora continua sendo nela “documentado” através de vibrações que ele vai emitindo na forma de seus pensamentos e de suas atitudes.

 

 

Em acesso mental à sua “Placa”, mas ainda na forma de plasmação (não totalmente física) alguns dimensionais podem ”ver” na realidade paralela um local, que percebem mentalmente semelhante a um imenso salão, constituído energeticamente de paredes como irradiassem uma luz de cor neon e onde estariam dependuradas em ganchos muitíssimas “Placas” (e não só a sua) – cada uma com a vibração do dimensional gerando a sua frequência.

A visão mental deste local na realidade paralela pode também se mostrar para outros dimensionais, como uma galeria imensamente comprida e iluminada por uma luz em cor neon, que nela não dá para perceber o seu fim e que em seus dois lados em suas paredes estão encaixadas incontáveis “gavetas” guardando em cada uma delas a “Placa” físico-plasmada do dimensional, que dali irradia a sua frequência como a sua assinatura vibracional de identificação.

Um ser humano é uma vibração, que o identifica energeticamente como a sua frequência, portanto só ele a irradia, permitindo-o realizar o que deseja. Esta sua frequência é também a que o identifica em uma das Três Linhas da Vida, emitida do seu campo bioenergético (aura), que ele como um ser também dimensional a aciona com intenção para que aconteça seu desejo, que pode acontecer ou não, dependendo da intensidade de sua oscilação emocional, refletindo em seu campo mental.

O dimensional de três em três meses muda de vibração, o que o faz mudar também a frequência de seu campo energético. É por isto que dentro deste período de tempo, se ele realiza os seus trabalhos vibracionais corretamente tira proveito deles, mas se não os fizer como devem ser feitos, ele não os aproveitará e ainda precisará esperar outra oportunidade, já que a sua frequência será outra e a dos trabalhos será também outra.

No inicio da historia dos dimensionais já como seres humanos (desenvolvida em parte e paralelamente à historia dos demais seres humanos (planetários), eles foram bem sucedidos, líderes que conduziam os demais. Mas, com o passar do tempo foram incapacitando vibracionalmente, foram desvirtuando de sua verdadeira capacidade para emitir frequências associadas ao sucesso –ao TLDC – ao “toma lá dá cá”, que agora veio para que ele comece novamente se despertar em relação à verdadeira frequência da abundancia. Em seu mais amplo sentido de riqueza, não só relacionado à aquisição de bens materiais.

A humanidade está cada vez mais pobre, em seu verdadeiro sentido de pobreza.

Na medida em que o ser humano procura de maneira intensa e, às vezes até mesmo de forma violenta, se tornar mais rico que o outro, paradoxalmente assim procedendo, não percebe que não só ele, mas que todos perdem. Todos ficam cada vez mais pobres perdidos nesta disputa – e ainda, cada vez mais a mercê do Governo Oculto (GO).

A riqueza não é só possuir dinheiro e a aquisição de bens materiais, mas é também a abundancia no ter saúde e no possuir equilíbrio emocional, por exemplo. Aquele realmente rico, ele não é apenas realizado materialmente, mas também nos planos, mental, emocional e espiritual – o TLDC é completo quando ele se mostra (realiza) nestas três frequências.

Se o mundo chegou à atual situação, o dimensional que diz desperto e em compromisso tem a sua parcela de culpa. Como líder condutor e especialmente presente na realidade física, ele poderia ter evitado pelo seu espírito de liderança e pela sua força mental-vibracional, que esta situação chegasse ao ponto em que chegou.

O TLDC nada é mais que “um dínamo” gerador de energia para toda a população, que é acionado pelos dimensionais já possuidores através de seus campos energéticos a sintonia com esta frequência. Por onde deslocam e no que tocam esta energia já em seu campo energético “facilita” a capacidade de tudo transformar.

A vida abundante é de um modo geral para muitos uma vida de alegria e de conquistas. Mas, na verdade a abundância não é apenas aquela que emocionalmente contenta e que acalma o sentimento de posse. É aquela que vibra ainda mais além… É aquela que para ela nada se pede, porque se percebe que tudo já se tem… (Imagem da Internet).

 

 

Os parceiros das realidades paralelas já estão fazendo com os seus parceiros humanos dimensionais este processo de troca – o TLDC, com estes últimos “transferindo” em suas interações de parceria as suas frequências emocionais para o conhecimento dos primeiros, que as trocam pelas suas tecnologias na forma de essências, néctares e outras, que acabarão por proporcioná-los a sua transmutação e, por fim, a condição de seres universais, sem mais a limitação do espaço-tempo.

O dimensional deve procurar entender o que é Energia, Frequência e Vibração de uma maneira mais ampla, mais inteira, visualizando-as em si mesmo como centro gerador e direcionador das mesmas. E com esta visão, se ele estiver bem, vai emitir frequências vibracionais positivas já a partir de seu corpo físico em forma de ondas, mas se estiver mal, seu corpo irá gerar vibrações negativas na forma também de frequências negativas, às vezes caracterizadas até de um estado depressivo.

As frequências momentâneas positivas ou negativas do dimensional podem ser mostradas por fotos digitais através de seres ultradimensionais que nelas aparecem sinalizando estas condições energético-vibracionais.

Se o dimensional está no padrão evolutivo, que o permite sentir de fato que é um manipulador e direcionador de frequências, foi porque se esforçou para alcançar níveis positivos vibracionais necessários para isto, objetivando a sua transmutação. Ele agora já sabe que só irá transmutar, se esforçar buscando constantemente acréscimos energético-vibracionais para o seu campo eletromagnético do corpo (aura), porque através de trabalhos vibracionais ele não tem mais condições de adquiri-los por ressonância de outros dimensionais.

A partir de agora os seus parceiros de outras realidades apenas passarão para ele informações, cabendo-o apenas se conduzir em função delas, inclusive, treinando de forma mais constante as suas habilidades mentais, para que possa ter condições de estar em compatibilidade vibracional com os trabalhos do momento.

O dimensional deve ainda trabalhar para que o seu corpo físico e também o seu corpo vibracional (campo energético), permaneçam em equilíbrio através de esforços físicos, gerando a necessária carga elétrica (micro volts), que dificulta a sua entrada à instabilidade emocional, inclusive, em processo depressivo. Hoje, é comum as pessoas se mostrarem irritadas, desgostosas e reclamando de tudo – com a sua carga elétrica baixa.

Os exercícios físicos devem ser feitos de acordo com a faixa etária do dimensional. O importante é que cada um consiga se desintoxicar, ficando com nível de toxina baixo. E quando fizer os seus exercícios, que ele sue ajudando jogar fisicamente fora toxinas através deste seu suor. Mas, as toxinas não só de origem física, elas são também mentais geradas pela sua instabilidade emocional, quando fica sem saber resolver em seu cotidiano todos os tipos de inquietações que o afligem.

Saber corretamente respirar é ainda muito importante para o dimensional, principalmente aquele que já está em desempenho de seu compromisso. Respirar, segurar o ar e depois soltá-lo, utilizando desta técnica três vezes seguidas e repeti-la algumas vezes durante o dia, ajuda-o reorganizar e manter as suas ondas cerebrais em alto nível vibratório, que já está no mínimo em mais de 27 ciclos/seg. Alimentar de maneira saudável dificultando a presença de toxinas em seu organismo e dormir as horas necessárias para a recuperação de seu desgaste corpóreo, são atitudes que ele deve também levar a sério.

Aquele que está em seu organismo com a carga elétrica em alta, ele tem também mais facilidade de ter também um padrão vibratório mais alto, mais positivo e, com isto, poder com mais facilidade entrar no padrão vibratório dos seres, que não é alimentado por emoções, principalmente por aquelas em frequências negativas.

Nas Linhas da Vida a Linha A é Negativa, a B é Neutra e a C é Positiva. Portanto, a pessoa normalmente irritadiça fica mais constante em frequências compatibilizadas à Linha A, que nela se expressa constantemente insatisfeita e reclamante, como tivesse necessidade de sempre justificar porque não alcança o que deseja e, pior ainda fica se potencializando através das demais pessoas em sua volta, que estão também vibrando nesta Linha. E, se permanecer nela, acaba gerando egrégoras constituídas por estas forças negativas e coletivas do pensamento, precisando depois de firme vontade para se livrar delas.

O dimensional deve se observar com mais constância, porque o mundo está vibrando muito na Linha A. Entretanto, como líder, compromissado e transformador de paradigmas, não deve se portar com passividade em relação ao que ele percebe como incorreto. Ele deve se conduzir pela sua intuição e ser participativo, agindo direcionado neste nível de sua sensibilidade, sem se deixar, entretanto, entrar em sintonia com o que percebe como gerador de frequências negativas (Imagens da Internet).

 

 

O dimensional vibrando nas frequências de inovador e de transformador, ele deve saber o significado da palavra pacífico, diferenciando-a do significado da palavra passivo. Ele frente às suas ações é um agente pacifico, realizando as suas ações na condição de amigo da paz, da mansuetude e da tranquilidade, mas sempre com persistência e com firmeza as efetuando. Agora, se o dimensional está verdadeiramente em compromisso não pode nunca sintonizar com a frequência da passividade, que o identifica como um agente passivo frente às situações. Como aquele que não atua, é inerte, é indiferente e apático frente a elas.

O dimensional que veio para implantar o novo não deve ficar inerte frente ao velho e ao ultrapassado, sem reagir e sem agir. Ele não deve ficar estático quando percebe tudo aquilo que de forma constante, velada e às vezes às claras está satisfazendo interesses menores pessoais ou de grupos e não ao interesse coletivo, voltado ao Sentido de Somação.

O dimensional já desperto e já no desempenho de seu compromisso quase tudo pode e, por isto mesmo, quase tudo podendo, deve se acautelar, para que através de toda esta sua potencia vibratória não gere frequências negativas para si mesmo, transformando-as em veneno para o seu próprio organismo. Apesar de toda a desarmonia que está em sua volta e que com ela não se coaduna, ele deve gerar frequências de bem estar e nelas se envolver e permanecer.

Ele deve ter sempre em foco a ampliação de seu nível de consciência, direcionando-se para a positividade – para as “coisas boas da vida”. Ele vibrando dentro destas frequências positivas não se esmorece, porque já buscou o seu objetivo com outro padrão vibratório como mudança de vida.

A vida das pessoas está de um modo geral sob o efeito de um circuito repetitivo, que “instalado” em seu campo mental as acompanha desde crianças, aprendido no ambiente familiar, nas escolas e em outras situações, que nelas gerou muitas vezes um padrão mental rígido e manipulador e que continua gerá-lo mesmo já adultas e, se elas quiserem mudá-lo, terão que fazer muito esforço – terão que despender muita força de vontade.

Neste circuito aprisionador as pessoas geram justificativas e limitações que mentalmente as aprisionam e não as deixam ir alem, de crescer – conservando-as em seu padrão negativo de não se transformar.

O maior inimigo do dimensional é ele mesmo, que se não se observar pode gerar todos os tipos de dificuldades para si. Frequências que o emperram na vida como formas energéticas de ondas, que acabam tornando de maneira negativa uma consequência. E esta consequência quando gerada acaba gerando outras consequências.

O que o dimensional “planta” no aqui e no agora, ele “colherá” após 180 dias, que é o período que a energia de maneira cíclica age, materializando-a em sua vida. Portanto, ninguém promoveu energeticamente frequências negativas ou positivas na vida dele, foi ele mesmo que as promoveu na forma de pensamentos e atitudes. Ele deve cada vez “clarear-se”, informa-se, adquirindo novos conhecimentos – aumentando o seu padrão evolutivo.

Todo novo conhecimento é positivo para o dimensional, na medida em que vai somando-se aos outros já adquiridos por ele. A linguagem própria do dimensional no Projeto Portal, a que ali é expressa, ela tem a finalidade de aumentar o seu nível de consciência, tendo em vista as experiências que só ali são também vivenciadas. Mas, as demais escolas de pensamento são também importantes – todas se voltam à uma mesma direção. Elas buscam Deus, que é mencionado por cada uma pela sua visão, com necessidades mentais, emocionais e espirituais próprias.

Aquele que cada vez mais procura “clarear-se”, adquirindo mais informações e com elas mais conhecimentos e, vai os empregando com sabedoria, ele vai também dentro do sentido mais amplo do “toma lá dá cá”, recolhendo reações positivas em sua vida – vivenciando dentro da consequência das consequências o positivo. Ele vai deixando de se aprisionar pela Linha A (negativa) – de suas Linhas da Vida, atraindo para si novas experiências e novas situações benfazejas em um estado de calma e de satisfação semelhante aquele que gera o neuro-hormônio endorfina, ao estimular o organismo humano.

A pessoa não deve esquecer se foi ela mesma que se colocou negativamente na Linha A, só ela que pode se direcionar positivamente às Linhas B ou C – caminhos de escolhas e de condutas em sua vida.

O “milagre” como mudança de vida das pessoas em relação às suas conquistas materiais e ultimamente muito explorado em determinados cultos evangélicos como a “teologia da prosperidade”, na verdade nada mais é, que o rearranjo em suas vidas de seus padrões energéticos ao manipularem suas energias, mas que ali é explorado com sentido religioso.

A pessoa ao rearranjar os seus padrões energéticos, ela está de fato é arrumando a sua frequência vibracional para que gere energias positivas, livrando-se mentalmente da condição de estar vitima e de estar infeliz, quando então sobra tempo para que ela se rearranje, colocando neste seu espaço mental energias positivas através do que pensa e age.

Especialmente o dimensional que está ainda em corpo humano, mas que já se despertou para sua verdadeira realidade vibracional, já sabendo que tem compromisso consigo e com o Universo, ele só terá sucesso neste sentido, se rearranjar os seus padrões energéticos para despertar a sua capacidade de exercitar suas habilidades mentais, que o permitem manipular energias em suas varias frequências vibratórias. Ele deve aprender senti-las para que possa depois acelerar o seu chacra frontal e desenvolver a clarividência, que o permite extrapolar-se e “ver” além da realidade física.

Apenas quando ele entender de fato a necessidade de manipular frequências através de seu campo energético do corpo (aura) e com elas saber despertar as suas habilidades mentais, é que tudo para ele irá também realmente mudar, sabendo de fato o que ele vive na realidade física é uma ilusão, é uma mentira em relação à sua verdadeira realidade vibracional. As informações que em seu cotidiano os seus sentidos lhe fornecem como experiências de vida (“e de morte”), elas não são verdadeiras em relação ao potencial de realização que possui e que continua em outras dimensões. Ele já tem certeza de que o sentido de sua vida humana, não é o sentido de sua verdadeira realidade dimensional.

Dentro do enfoque da consequência das consequências, quem trabalhou (treinou) para manipular frequências energéticas, ele é hoje um paranormal que está desenvolvendo as suas habilidades mentais, mas aquele outro que não fez por onde, não está conseguindo perceber estas vibrações e muito menos manipulá-las. É uma questão de técnica e de esforço de cada um, sabendo trabalhar e buscar objetivos associados à sua condição de ser um dimensional. Chegar à sua meta dentro da paranormalidade que estabeleceu para si, exercitando a sua vontade. No fundo, a sua vida como ser humano é um investimento.

O campo áurico do ser humano dimensional com as suas sete principais camadas constitui a ponte, que liga a sua condição física de estar humano com a mais sutil (vibrátil) de ser dimensional e que paralelamente “entrelaça” a frequência da terceira com as frequências de outras dimensões. E cada camada possui ligação com determinada glândula do corpo humano e também possui uma especificidade que extrapola o limite corpóreo-humano.

Abaixo as sete camadas da aura, que os estudos contemporâneos mostram a formação da aura em sucessivas camadas de energias que se relacionam com os setes centros psíquicos do ser humano, conhecidos como “chacras”. Cada camada da aura revela a natureza energética do homem e possui funções específicas de interatividade entre meio ambiente, emoções e sua evolução espiritual.

 

 

1º – Emocional – ligada à tireóide e ao emocional
Seu equilíbrio é importante para receber benefícios dos Seres;

 

2ª – Astral – ligada à amídala e à projeção astral e os sentidos
Capta a frequência espiritual;

 

3º – Físico – ligada ao pâncreas e às reações químicas do corpo
Capta a ressonância da primeira camada refletindo assim no físico.

 

4º – Extra-físico – ligada ao apêndice
Indica a vibração de contato e projeção extra-física e mental;

 

5º – Campo Magnético – ligada à glândula pituitária e pineal, consciência e razão
Indica interação fenômenos de interagir na matéria e com outras mentes, energia crística, vibrações alquímicas e transmutativas;

 

6º – Polaridade – ligada à glândula supra-renal
Indica a energia das glândulas e a bipolaridade;

 

7º – Transmutação – ligada ao fígado
Indica a proteção dos seres, estabilização, transmutação e grau evolutivo;

 

Quando a pessoa faz atividades físicas e gera carga elétrica, ela ativa o seu chacra sexual, que eleva em espiral a sua Energia da Kundalini, fazendo-a mais vibrante e mais acelerada, tornando-a uma pessoa mais ativa e mais agitada. O contrario acontece com a pessoa, se nela esta energia estiver elevando-se de maneira mais lenta. Ela se mostrará também mais lenta e mais metódica para resolver o que tem que resolver.

O dimensional ativando a sua Energia da Kundalini, ele é tanto mais perceptivo quanto mais disposto a elevar o seu nível de consciência, que mais rapidamente se amplia, quando então ele se soma mais facilmente na vida com os outros e com tudo mais, criando frequências positivas direcionadas ao Universo.

O dimensional só transmutará com os seus próprios esforços. Apenas em determinados casos, mediante circunstâncias especiais que poderá ser ajudado por seus parceiros de outras realidades. Ele deve acumular créditos (energéticos), para que já acumulados em seu campo áurico, possam ser utilizados quando necessário.

Ele ao querer ir para frente o faz buscar cada vez mais a sabedoria através de novas informações e de novas praticas, para com elas possa se conduzir. É como subir uma escada com cada degrau constituído por novos esforços na busca também de novos conhecimentos, que cada vez mais completos e cada vez mais esclarecedores o induzem às atitudes cada vez mais harmônicas em relação a si, ao outro, ao Planeta Terra e ao Universo.

A primeira camada da aura é emocional, em função das emoções (positivas ou negativas) que a pessoa as gerou e gera em sua vida.

A segunda camada da aura é do astral, é da imaginação ainda gerada pela emoção. É uma camada “perigosa”, porque é com ela, que a pessoa acredita ser realidade, o que é fruto apenas de sua imaginação – o que construiu para si através de suas emoções.

Para manipular corretamente a energia a pessoa deve primeiro “ter os seus pés no chão”, sem se deixar levar pelo astral – pela “maionesse”. As realidades paralelas apesar de não serem vistas dentro dos limites da visão física, elas realmente existem em outros níveis de frequências, quando são percebidas e às vezes até fotografadas com o recurso da “visão mental”.

O sistema arcaico de crenças com uma lógica pseudo-científica ou aparentemente vibracional, despida de racionalidade e de lógica e apenas alimentado por emoções, ele que é o fomentador da segunda camada da aura.

Na terceira camada da aura – a física, que a presença de crédito ou a ausência dele (débito) se “instala”. Eles ficam nesta camada automaticamente transferidos e registrados, influenciando a pessoa na realidade física, respectivamente de maneira positiva ou negativa.

Com a ajuda de sua carga elétrica corpóre, a pessoa consegue quando bem direcionada, que a sua Energia da Kundalini suba em espiral e chegue ao seu vórtice (chacra) frontal, para que não estagne e não gere em seu corpo efeitos contrários ao buscado. E, nesta ocasião que se percebe, como é importante o nível de consciência já alcançado por ela. Se satisfatório pode ser medido também pelo seu bem estar na vida – pelo acumulo de créditos positivos em relação ao que pensou e agiu com os outros.

A quarta camada da aura é a do extra-físico e com ela que a pessoa começa se mostrar com habilidades diferentes do convencional, por exemplo, sair consciente fora de seu corpo. Às vezes ainda, quando aparentemente dormindo quer acordar, abrir os olhos e mexer o corpo não consegue. Esta situação chamada de “catalepsia projetiva ou astral”, ela é conhecida pela medicina como a paralisia do sono. Neste momento a pessoa está vibrando na quinta camada de seu campo áurico e já interagindo com as dimensões paralelas, mas ainda em condições de equilíbrio e de desequilíbrio.

Nestas ocasiões é que a pessoa nota a importância da Energia da Kundalini, que em espiral está nela subindo corretamente e também percebe da necessidade da energia de seu campo áurico estar em equilíbrio, traduzido como estar de bem consigo e com o mundo. Assim, ela pode mentalmente bem direcionada e sob controle (com tranquilidade), se lembrar das experiências que a partir deste momento poderão acontecer no extra-físico.

É utilizando de sua quinta camada do extra-físico, que a pessoa consegue perceber o mundo energético, através de sonoplastias e outros efeitos paranormais. Através deste campo áurico que acontece também a frequência do efeito poltergeist. Um efeito que se mostra como uma vibração muito intensa, interferindo em aparelhos eletromagnéticos, podendo apagá-los ou ativá-los – e, pode também, ser visto como um processo de supersinergia pela capacidade de determinadas pessoas nesta frequência atuarem sobre a matéria.

Experiências com a paranormalidade são diversificadas, porque dependem das habilidades mentais de cada um, da frequência vibratória que gera a partir de seu campo áurico através de suas frequências de onda, que são também resultantes de informações colhidas ao longo de sua vida, algumas delas estimulando e outras bloqueando em seu campo mental habilidades paranormais.

É a mente da pessoa que a capacita gerar frequências e realizar no mundo físico – materializar na realidade física por sua Vontade e Desejo.

A quinta camada da aura está na pessoa ligada ao seu campo magnético, à sua glândula pituitária e à sua glândula pineal, influenciando a sua consciência e razão.

O dimensional em seu dia a dia e já em compromisso, ele deve se expressar através desta camada de seu campo áurico sem mais medo, com mais equilíbrio emocional investindo em si mesmo com força de um líder, redirecionando-se com persistência e realizando-se na vida – e, na vida de outras pessoas.

A pessoa vencendo o maior medo (quase sempre não percebido), que é de si mesma pela necessidade de se transformar, ela não tem mais dificuldade de refazer o que já foi feito, agora impulsionada por acréscimos de novas informações e de novos conhecimentos, que vai experimentando-os e que eles vão redirecionando-a através de novos pensamentos e de novas ações.

Quando a pessoa se expressa através de sua sexta camada da aura – da polaridade, ela está em um processo de vida que se mostra através com muita sensibilidade. Sensivelmente de mudanças e de interação com energias que a conduzem vibrar tanto em sintonia à frequência masculina quanto à frequência feminina. Se for homem ele não se coaduna com a sua frequência que é a masculina e se for mulher ela não harmoniza com a frequência que é feminina. Estas pessoas ficam em desarmonia em relação às suas matrizes energético-vibracionais (respectivamente positiva e negativa).

Permanecer na camada da polaridade do campo áurico gera uma situação complicada – de estar na vibração da sexta lamina principalmente na adolescência, quando pode ser irreversível para estas pessoas, incapacitando-as se compatibilizarem com as suas matrizes energético-vibracionais e não alcançarem a frequência da sétima e ultima camada de seu campo áurico – vibracionalmente estarão “nadando contra a correnteza”.

Entretanto, “estar na sexta lamina” ou estar sob a influência da bipolaridade, não se dá apenas pelo aspecto da sexualidade de cada um. Ela acontece também por outro aspecto e, este caso talvez, é o mais difícil de vencê-lo, porque quase sempre ele passa despercebido, quando a pessoa “se joga na vida”, ora pensando e agindo de forma negativa e ora de maneira positiva com outras pessoas e com tudo mais em sua volta.

Se ela age desta maneira sob a influência desta sua camada da aura, foi porque já desenvolveu a capacidade mental de transformar ao nível de sua consciência como uma justificativa interna ações egoísticas e até cruéis ou, agir com bondade e com benevolência. Estar nesta condição nos casos mais graves é literalmente vivenciar o caso do transtorno bipolar de humor, antigamente conhecido como transtorno maníaco-depressivo. Ele é caracterizado por alterações de humor, que se manifestam como episódios depressivos alternando-se com episódios de mania – período de euforia, atividade cognitiva e física intensa e falta de autocontrole e bom senso (Imagem da Internet).

 

 

A sétima camada da aura é a da transmutação. Também é a camada em que a pessoa estando nela, foi porque já fez a sua “peneirada” final. Já conseguiu o equilíbrio em relação a tudo que fez tanto como frequências positivas quanto como frequências negativas, quando ainda se deixava levar pelos seus pensamentos e pelas suas ações, ainda gerando a consequência das consequências. Mas, no final a sua “ultima consequência” foi a sua estabilização vibracional e “se estacionar” na frequência de sua ultima camada da aura.

Ninguém alcança o patamar de evolução e de vibração para se transmutar, se ainda tiver débitos com o outro. O perdão de coração é necessário para resolver e equilibrar entre as partes conflitantes os seus sentimentos.

Na sétima camada da aura evidencia tudo que a pessoa aprendeu positivamente e que a direciona sem percalços em seu processo evolutivo. Nesta frequência através de seu campo mental, ela já começou o seu processo de transformação buscando a sua transmutação. Ela já “se passou pela peneira fina”, eliminando tudo aquilo que experienciou como frequências negativas, alcançando com a expansão desta sua camada da aura a condição de ter ressonância mais constante com as realidades paralelas e com elas também ter mais facilmente interações com seres que vibram em frequências ainda mais elevadas .

Qualquer um – dimensional ou planetário – mas, principalmente o primeiro tem o dever de no aqui e no agora mudar a sua vida. Basta ele ter vontade de se redirecionar e buscar o caminho do meio – conduzir-se pela Linha B de suas Linhas da Vida, desenvolvendo a compreensão e tolerância para a solução de conflitos – os seus com outras pessoas e destas com ele.

O dimensional tendo em vista a consequência das consequências, ele deve agir para mudar de fase, para mudar de foco no intuito de que as energias positivas comecem a envolvê-lo e possa utilizá-la em beneficio de seu compromisso – com as portas em relação a este seu objetivo abrindo-se mais facilmente para ele. E, ele possa então transmutar, alcançando finalmente o verdadeiro motivo e o objetivo de sua presença na realidade física.

Translate »