Postado por

Confidências de um dimensional

Confidências de um dimensional
Print Friendly

É importante e verdadeiramente necessário no caminhar evolutivo do dimensional, que ele às vezes se referencie em outro dimensional no momento mais habilitado mentalmente e que até busque com ele auxilio, mas sem ficar em sua dependência até emocional, deixando de criar condições para que possa igualmente se capacitar, ir à frente – e também, evoluir.

Este texto foi baseado em uma entrevista de Alan Fernandes de Oliveira, dada à Mercedes M. Fassini, no dia 06 de julho de 2103.

 ___________________________

 

Para ocupar as atividades que hoje ocupo no Projeto Portal, há muito venho sendo treinado e paralelamente, venho enfrentando cada uma das minhas etapas de vida – etapas de minha adolescência, de minha vida profissional, de minha vida material, etc.

No momento acho que estou na minha melhor condição de desenvolvimento energético e de consciência, a ponto de poder os compartilhar com aqueles que me procuram, para desenvolvê-los e potencializá-los, tanto quando estão presentes mais dimensionais (em frequência coletiva), quanto está presente um só dimensional (em frequência individual).

Com o consentimento dos parceiros e do Consolador iniciei meu compromisso individual de realizar atendimentos, trabalhos e várias atividades com os dimensionais do Projeto Portal. Com eles passo e troco conhecimentos ligados às habilidades (mentais) e aqueles inerentes aos níveis mais amplos de consciência.  O momento é o de buscar maiores níveis de consciência.

Neste meu trabalho procuro sempre me conduzir pela sinceridade, transparência e espontaneidade. Em relação à minha maneira de ser, eu não mudo, conforme posso mudar meus passos. Como pessoa eu sou sempre o mesmo, um “menino alegre”, feliz e sempre contente.

Busco e desenvolvo isto, cada vez mais, com treinamento, com seriedade, com o desenvolvimento da minha consciência e com a manipulação da minha capacidade energética. Eu evoluo conforme aumenta a minha percepção – conforme vou desenvolvendo em relação à minha Essência.

A força motriz que procuro gerar para agregar as pessoas, é a do magnetismo pessoal. Mas, é preciso aprender corretamente desenvolvê-la, sem “me deformar” ou sem “usar máscaras”, valendo-me da hipocrisia – daí que vem esta força gerada não só por mim, mas por todos dimensionais em trabalhos também sérios, para trairmos os nossos semelhantes.

As minhas habilidades mentais são natas, portanto geneticamente as “herdei”. Por exemplo, a minha “terceira visão” começou desde novo, com o meu pai sempre me incentivando utilizá-la no escuro. Ele sempre me incentivou seguir minha intuição e analisar tudo ao mesmo tempo, portanto não apenas o que os meus sentidos proporcionavam. Este procedimento é básico para o desenvolvimento da “terceira visão”- enxergar no escuro, vendo o que as outras pessoas não vêm – “vendo tudo” ao mesmo tempo.

Eu posso estar conversando com alguém em um recinto fechado em determinado local, mas posso ficar também ciente do que está neste momento acontecendo fora de lá… Com os olhos, com os ouvidos e também com a sensibilidade (intuição) em ação isto é possível. Todo este procedimento está baseado na utilização de frequências multivibracionais. 

Eu tenho aprendido sair da zona de conforto, de ir ao encontro de uma situação, que posso não achar interessante ou de me sujeitar a uma situação que a princípio posso ter por ela certo preconceito, mas que é necessário como aprendizado, funcionando como um todo – funcionando como “os dois lado da moeda”, para que eu possa ampliar a minha percepção e para que mais consciente, com mais equilíbrio manipular “os lados opostos desta moeda”.

As pessoas desenvolvem comumente o seu senso de razão e de lógica, mas elas têm receio e até mesmo medo de desenvolver a intuição – a sua habilidade de premonição. Falta atitude para que elas deem um passo à frente, desenvolvendo mais sensibilidade.

Para o Universo todos têm a mesma importância. Portanto, no Projeto Portal eu tenho a mesma importância que qualquer outro dimensional. Todos que estão nele atuantes, eles são importantes pelo o que nele estão realizando. No meu caso estou em um momento que consigo trabalhar e realizar o que eu treinei. 

Alguns também já estão tendo o seu momento e alguns outros também o terão. Portanto, existem pessoas no Projeto Portal que já conseguiram isto, que já estão neste mesmo patamar energético e desenvolvem também trabalhos importantes. Eu sou apenas mais um pilar.

Fui me preparando para níveis mais amplos de consciência desde mais jovem e nesta minha preparação eu ia propositalmente mesclando freqüências de brincadeira com as de responsabilidade, porque desta maneira fui treinando para trabalhar as frequências negativas (comuns na terceira dimensão) e poder transformá-las em positivas. É por isto que hoje eu tenho também a capacidade de trabalhar e ajudar pessoas em depressão profunda, de forma rápida e sem medicação alguma, usando tão somente a manipulação de frequências emocionais.

Para me capacitar neste sentido, tive antes que aprender por mim mesmo. Eu tive depressão profunda, mas aprendi sozinho, como sair dela. No fundo, eu pratiquei para aprender qual exatamente a frequência que teria que desenvolver e manipular para sair deste estado emocional de negatividade profunda que estava.

Parte da minha adolescência foi vivida como qualquer adolescente deste planeta. Eu me divertia, tomava minha cerveja, “falava bobagens” como qualquer adolescente. E eu continuo assim, porque isto é vitalidade. Mas, tenho consciência do que eu preciso fazer e do que eu posso fazer. Sei também, exatamente, o que eu não preciso e não posso fazer.

Cada vez mais estamos no Projeto Portal aprendendo que consciência supõe atitude e consequência. Consciência não é moralismo. Não é “ter consciência” que não se deve falar com uma pessoa porque teve uma atitude grosseira com alguém, mas de “ter consciência” que deve conhecê-la e saber o porquê ela fez tal grosseria.       

Todos nós dimensionais estamos também no momento na condição humana, portanto temos “os nossos excessos e também as nossas virtudes”. O que precisamos é nos olharmos e controlarmos nossos excessos. 

O caminho mais rápido para se aprender o que é verdadeiramente o sentido de o Coletivo não é através de teorias, mas pelas praticas, por exemplo, quando se oferece algo alguém o que se gostaria dele receber. Oferecer e receber também de coração gentilezas e não grosserias, que de todos os tipos tão comuns ultimamente. Os seres humanos precisam confiar uns nos outros – serem confiantes e confiáveis. Isto é proceder no Coletivo, é proceder da maneira que está palavra de fato deve significar.

Eu aprendi isto com as lições que a vida me deu e também com algumas informações dos parceiros de outras realidades e, entre elas quando me disserem: “quando alguém do nosso relacionamento está bem, está em condição melhor, é porque estamos também bem”.  

Dentro da noção do Coletivo, o meu objetivo é contribuir para que as pessoas que estão ao meu redor melhorem, da mesma maneira que eu também estou contribuindo para me melhorar. Na medida em que eu vou contribuindo para a minha felicidade pessoal, eu vou cooperando para quem está ao meu lado também a tenha. Esforçando-me, como tivesse também a conquistando para mim.

Fazer para o outro como faria para mim mesmo está em sintonia com a frequência da doação universal, que devemos gerar. Talvez um dia, quem sabe, o universo vai exigir esta postura de todos. Mas aqueles dimensionais que já despertaram, não devem ficar nesta espera e expectativa, mas no agir agora já sabedores que a necessidade desta ação é conseqüência de uma Lei.

Em todas as apostilas do Projeto Portal e em todas as informações passadas pelos parceiros nos contatos, o que é mais focado é a necessidade de união. E estar em união, é estar (vibrar) em frequência coletiva e não individual.

Sempre que nós tivermos compreensão e aceitação mútuas, estaremos na frequência coletiva, estaremos procurando atingir a condição de união, tão solicitada pelos nossos parceiros de outras realidades.  Somente com a união procedendo-nos coletivamente, que vamos conseguir atingir nossos objetivos de transmutação que é da responsabilidade de cada um (individual), mas necessária a todos os dimensionais e ainda à necessidade de atendimento à humanidade, objetivando a geração de alimentos.

A nossa capacidade de interação com os nossos parceiros das 49 raças depende exclusivamente de nossa atividade cerebral. Tudo começa com o nosso desenvolvimento mental, tendo-nos consciência do que precisamos fazer, mas não simplesmente realizar atividades a torto e a direito, sem ter noção do que a gente está fazendo.

Em qualquer trabalho desenvolvido no Projeto Portal, é necessário que o dimensional entenda para que e por que está sendo realizado e não simplesmente fazê-lo para encher tempo. Precisa que ele questione, fique atento e faça observações desenvolvendo a sua capacidade de percepção mental. Por exemplo, quando os parceiros pedem para que ele vá a um determinado local onde os trabalhos estão sendo realizado e lá se faça uma “leitura” de 17 minutos, ele deve perguntar por quê?

Ele deve sempre procurar saber “o que está por trás do fato”, ou seja, o porquê da solicitação pedida, como é feita este processo da “leitura” e que frequência (mental) é necessária gerar neste momento – finalmente, buscar saber o que os parceiros realmente querem com isto.

Como estamos interagindo com outras dimensões, estamos também interagindo com os nossos parceiros, que são seres mais evoluídos. Portanto, precisamos desenvolver a nossa capacidade de percepção com “uma visão de cima para baixo”, que só com ela saberíamos que eles poderiam simplesmente nos olhar e instantaneamente passar as informações necessárias para um determinado momento. Mas, se eles não procedem desta maneira, é porque precisamos realizar algo, para que eles saibam exatamente o que nos pode acontecer e como neste sentido iremos proceder. Mesmo os parceiros com tecnologias desenvolvidas como as que eles possuem, dependem da nossa movimentação para gerar resultados.

Para o sucesso das atividades desenvolvidas no Projeto Portal é necessária a união de todos, com cada dimensional antes entenda que cada grupo de trabalho tem suas próprias informações, como também que cada dimensional tem a sua. E só quando todos se organizarem buscando a união – construírem o Coletivo, é que conseguirão realizar a propagação de forma adequada e uniforme, somando-se todas as informações.

Devemos começar procurando a união conversando com quem menos temos afinidade, para que possamos no final conversar e interagir com todos e, com isto, as informações possam também ficar lineares – as mesmas para todos os dimensionais do Projeto Portal.   Quando todos tiverem na mesma linha de raciocínio (não em mesmo nível energético, pois já o temos), nós vamos acelerar em muito a propagação, que é um compromisso de todos os dimensionais.

Eu já propago através de trinta pessoas, que ao meu lado estão empenhadas na mesma causa – são jovens, idosos, crianças, mulheres e homens. Todos nós estamos empenhados em passar as informações de nossos parceiros. De propagá-las primeiramente às pessoas do nosso relacionamento – mais próximas em “nosso pequeno mundo”. Depois iremos propagá-las com alcance maior, em bairros, cidades, Estados, etc.. A força de todos nós é aquela resultante do trabalho individual – daquele trabalho incessante “de uma formiguinha”. 

Não precisamos passar informações já sabidas dentro do Projeto Portal, temos que passá-las para fora – para a humanidade de forma coerente, racional e organizada.

Para que sejamos os mensageiros dos seres – dos nossos parceiros das 49 raças, devemos ter procedimentos corretos em todos os níveis – portanto, já nos observando já a partir do nosso próprio corpo físico. Se estivermos com nível de toxinas extremamente elevado ou extremamente baixo, não conseguimos gerar frequências necessárias, porque elas ficarão extremamente quebradas ou oscilantes. Temos observar com muita atenção os alimentos que ingerimos – temos que nos pautar neste sentido com equilíbrio.

Em nenhum momento os parceiros dizem que devemos cortar radicalmente algo em nossas vidas (não só alimentos), apenas que devemos nos manter em equilíbrio dentro de qualquer situação, nos posicionando na linha B das nossas Linhas da Vida. Se mantivermos equilíbrio alimentar durante toda a semana, poderemos de vez enquanto sair um pouquinho dele.

Se estivermos sempre convictos do que precisamos fazer, do que estamos querendo realizar, as tecnologias plasmadas dos parceiros vão estar também presentes para nos auxiliar e conseguir o que estamos querendo gerar como frequência desejada. Para que “funcionemos como uma antena”, devemos primeiro equilibrar em nosso corpo a toxina, para depois podermos utilizar da nossa energia (frequência)  taquiônica,

Em meu desenvolvimento energético foi onde mais eu me encontrei desenvolvendo as minhas habilidades, que agora também mais as utilizo – são nelas que está “a minha base” e, dela que compartilho informações, me fazendo bastante satisfeito. Mas, não é só este tipo de compartilhamento que faço, mas também outros mais comuns do dia a dia, quando compartilho o meu o carro, ou quando tocado pelo coração, compartilho amizade e sinceridade.

Como dimensional o compartilhamento de informações e a manipulação de energias através de minhas habilidades mentais, foi que marcou a minha evolução como dimensional e me fez ascender na escala evolutiva, que conhecemos no Projeto Portal.

Agora, como ser humano – como homem, o que mais me marcou no plano físico, foi à primeira viagem que fiz à França, quando enfrentei uma situação completamente em desequilíbrio, um cenário irreal no qual as pessoas estavam à mercê de fofocas absurdas. Eu fui para ver o que estava acontecendo, mas ali estava completamente cego – desinformado. Portanto, naquele momento eu fiquei titubeando.

Mas a seguir, fui paralelamente percebendo que aquele momento e situação eram parte de aprendizado para o meu compromisso e para minha realização (resgatados depois pelo meu pai). Naquela ocasião na França, eu saí completamente da minha zona de conforto. Passei por situações muito constrangedoras, que às vezes me tiravam do sério. Mas, quanto mais constrangedoras estas situações se apresentavam, mais me trabalhava e entrava no estado de neutralidade.

A partir daí passei ter organização mental e entender o que eu não queria mais. O que eu não poderia mais fazer e então, passei a entender como realizar mais, como me desenvolver mais na terceira dimensão como homem e como empresário. Enfim, adaptei-me ao sistema criado pelo GO (Governo Oculto), me beneficiando dele. Se hoje eu falo que consigo me dar bem com o sistema criado pelo GO, é porque consigo transformar o dinheiro do sistema vigente em dinheiro dimensional. Estou no patamar onde sempre tive a vontade de chegar, ou seja, o de criar uma sustentação monetária e financeira fora do Projeto Portal, mas aplicando-a nele.

Hoje, posso contribuir financeiramente para o Projeto Portal, sem depender financeiramente dele.

Neste meu tempo de Projeto Portal quando interagia antes com os Ultras, eu podia ser visto às vezes parecendo “poroso”, como tivesse sido desintegrada parte da minha matéria corporal, mas hoje minha comunicação tanto com eles, quanto com os demais parceiros ao me passarem as “leituras”, se dá através de comunicação direta – através de frequências. Quando estou num determinado local e preciso receber informações, eu sinto o plexo pulsar absurdamente, como tivesse um coração no meu plexo.

Quando este sentimento começa, sei que virão informações. Então, eu relaxo, acelero minhas ondas cerebrais e a partir deste momento as frequências entram no meu campo energético, na forma de intuição. Neste instante eu poderia “estar em perigo” – me confundir, se eu não soubesse diferenciar esta freqüência intuitiva de “leitura” (com  o pulsar dos Ultras em meu plexo) das outras intuições. Portanto, devemos conhecer bem o nosso corpo, identificando o que acontece com ele, antes de nossos parceiros se comunicarem conosco.

Por fim, quero dizer que existem várias pedras no Projeto Portal com atuações significativas, como a “pedra fatiada”, a “fundida”, a “mágica” e “da Aliança”, entre outras.  E não só elas como também muitíssimas outras pedras trabalhadas em pontos energéticos do mundo, trazem com elas uma “memória” de acontecimentos já registrados no planeta Terra. Todas as rochas que contêm minério vibrado, ou seja, rochas que estão em pontos energéticos e em bases ativas em templos, funcionam neste nível de freqüência como “artefatos tecnológicos”.

Por isso, nós temos nossos pontos de trabalho marcados por estas pedras no Hotel Fazenda Projeto Portal. Por exemplo, meu ponto de trabalho é a pedra fatiada, ali me proporciono independentemente de ter um trabalho direcionado, momentos para pensar na minha vida, refletir e ter objetividade. Portanto, eu sei que posso parar junto à pedra fatiada e “me extrapolar”, porque a sua essência, o seu material e a sua vibração me potencializam.

Estas pedras não são somente pedras, mas também são pontos energéticos do planeta, servindo como grandes propagadores. Funcionam também como grandes artefatos taquiônicos que potencializam nosso pensamento, desejo e vontade, possibilitando-nos a nossa  interação à partir da terceira dimensão com as demais dimensões.

Translate »