Postado por

Corpo de Energia

Corpo de Energia
Print Friendly

De Vera Pedrosa (verapedrosa@terra.com.br) – Outubro/2006


Pertencer a grupos é da natureza do ser humano. Nos grupos desenvolvemos nossa socialização, adquirimos conhecimentos, nos divertimos, trabalhamos e é em grupo que temos nossos maiores desafios evolutivos.

Há grupos que são transitórios, têm uma função específica e são extintos após a realização da mesma. Outros são mais duradouros, ou por que representam instituições duradouras, como famílias, religiões, associações, etc. ou por que são movidos por profundos laços emocionais, seja a amizade, a caridade, a fraternidade, etc. São inerentes ao grupo conceitos como membros, funções, dinâmica prevista ou pré-estabelecida, normas de comportamento aprovadas pelo grupo, etc.

Pertencer a um grupo é um ato voluntário, pois o indivíduo pode se afastar caso discorde de seus membros, das funções, das normas ou de outros aspectos que caracterizem aquele determinado grupo.

Explorando um pouco o conceito de ato voluntário citado acima e lembrando a questão do grupo como oportunidade de evolução, chegamos ao conceito do “chamado” – termo muito usado nos grupos religiosos, místicos, esotéricos. O “chamado” é um desígnio divino, cósmico, superior, dependendo da crença do indivíduo. Aceitar o chamado não implica em anular a vontade, mas em colocar a própria vontade a serviço de uma vontade superior.

Quando vários indivíduos entram num grupo atendendo a um “chamado” eles formam um corpo de energia, pois os membros do grupo, suas funções, sua dinâmica e suas normas são definidos a priori pela Inteligência Superior e se manifestam na dimensão física através da vontade, do pensamento, das palavras e do comportamento daqueles indivíduos.

Estar no corpo de energia é pensar, sentir e agir em uníssono com todas as demais partes. Como num corpo físico, cada parte tem sua individualidade na forma, na função e na expressão na matéria, mas sua conexão com as outras partes é tão perfeita que o que acontece com cada uma repercute nas demais.

Assim como o corpo físico se forma a partir de uma informação enviada pelo DNA das células, o corpo de energia se forma, se desenvolve e funciona conforme uma programação emanada da Esfera Maior. Atender a esta programação não é um ato voluntário, mas uma constatação de que independente da vontade você já faz parte daquele corpo.

Nesse momento escrevo um texto atendendo a uma necessidade gerada num corpo de energia. Então não me sinto criando um texto, mas expressando algo já “escrito” em minha energia. Assim não me preocupo se os conceitos estão certos ou errados, se atendo a uma ou outra linha de pensamento, simplesmente estou escrevendo o que já está pronto. Minha função é somente manifestar esta verdade.

Os dimensionais/Projeto Portal atendem ao “chamado” e se integram fisicamente a este corpo de energia. Se conseguirmos fazer uma imagem deste corpo de energia veremos uma forma dinâmica, com uma movimentação constante, de pessoas entrando e saindo do núcleo energético central, mas interligadas por ondas de pensamentos e sentimentos que mantêm conectados mesmo aqueles que se afastam fisicamente e mesmo aqueles que ainda nem tomaram conhecimento do “chamado”. Como disse, a programação já existe, falta que a vontade individual se alinhe à Vontade Superior.

Dentro de um corpo maior podemos ter pequenos órgãos, grupos de células, conexões e outros agrupamentos com objetivos e funções específicas. São pequenos corpos de energia do corpo maior. E partes desses organismos menores podem participar de outros organismos, onde estarão desempenhando funções diversas. Esta dinâmica, própria de um corpo de energia, enriquece a experiência de cada um e a troca de informações decorrente contribui para o crescimento pessoal de todos os participantes do corpo maior.

Então constatamos uma diferença fundamental entre grupos e corpos de energia: o grupo se esgota em si mesmo. As informações adquiridas num grupo não passam necessariamente para outros grupos pertencentes à mesma organização. No corpo de energia as informações relevantes são assimiladas e arquivadas nos corpos energéticos de cada indivíduo e, por ressonância, são passadas para os demais com quem tem contato.

No corpo de energia as formas de contato podem ser contatos físicos a curta ou longa distância como em todos os grupos (reuniões, encontros, telefonemas, e-mails), contatos astrais como em muitos grupos (sonhos, pensamentos, sentimentos) ou contatos energéticos, que acontecem em dimensões mais sutis. Em função desses contatos mais sutis é que constatamos saber de informações que jamais nos foram passadas conscientemente. Nós as acessamos do próprio corpo de energia.

Nos grupos é necessário um tempo para que as pessoas se conheçam e consigam produzir algo com eficácia. No corpo de energia o fator mais importante para que os objetivos sejam atingidos não é o tempo ou o conhecimento mútuo. O fator mais importante é a entrega. Quando cada um entrega sua vontade à Vontade Superior a produção se inicia. Cada um passa a formar uma Unidade com os demais, sem individualidades, sem diferenças, sem identificações.

Exemplificando uma tarefa que pode ser executada num corpo de energia está a criação coletiva de um livro. Poucas tarefas coletivas são mais enriquecedoras que esta no caminho da luz. Escrever um livro dentro de uma programação cósmica significa acessar, através da Energia Neutra do Pensamento, informações já arquivadas no corpo de energia.

Na freqüência da neutralidade/amor, a interação com a energia da Luz nos leva a descobrir que a informação está disponível para todos, mas cada um tem o seu papel, seu tema e sua tarefa específica. Estes temas, tarefas, papéis são oriundos da história individual, das experiências e memórias que cada um traz para o corpo maior.

Ainda com o exemplo da criação de um livro, vale ressaltar como se dá o processo individual de trabalho. Na freqüência da neutralidade não há dúvida nem quanto á capacidade de realizar a tarefa nem quanto à melhor forma de fazê-lo: simplesmente se faz. Na Energia Neutra do Pensamento não somos afetados pelo medo, orgulho, inveja ou qualquer emoção que possa interferir num processo de criação.

Quando usamos a Energia Neutra do Pensamento agimos como essência, e não como indivíduo. O indivíduo é limitado, mas a essência é eterna, ilimitada, existe desde sempre e sempre existirá. A essência se alimenta de informações diretamente do Eu Superior e essas informações não são influenciadas por julgamentos, preferências ou ideologias.

Para entrar na Freqüência da Neutralidade – dimensão do Amor – é preciso total entrega da mente ao Eu Superior – por um ato de vontade e com a única intenção de registrar as informações a serem compartilhadas com os demais. A meta deve estar bem definida, a mente alerta e pronta para o processo de criação.

O processo de criação no corpo de energia nos ensina a neutralizar a influência do Ego, a melhorar a sintonia com as Esferas Superiores e a desenvolver o desapego, pois descobrimos que nada é nosso e que tudo que criamos é fruto da Manifestação e, a partir da criação, tudo é incorporado a este corpo e aos demais corpos interligados pela Luz.

Finalmente é preciso ressaltar que não há privilégio, superioridade ou excelência em se pertencer a um corpo de energia com a função de escrever um livro. Esta é só mais uma função, dentre as inúmeras programadas para os dimensionais no Caminho da luz. O exemplo aqui apresentado vem da experiência específica vivenciada por quem escreve.

Em qualquer atividade desenvolvida num corpo de energia o processo é semelhante: cada parte/indivíduo tem uma função específica, programada pela Mente Superior e todas as partes juntas abrem mão de suas individualidades e se sintonizam para realização do Objetivo da Luz.

Translate »