Postado por

Despertando as habilidades mentais

Despertando as habilidades mentais
Print Friendly

– Abrindo os canais de percepção –

Quando os Seres Ultradimensionais alinham-se com a freqüência mental do dimensional, a sua capacidade telepática fica mais presente e mais fácil tanto para desenvolvê-la, quanto também para desenvolver as suas outras habilidades extra-sensoriais, como a telecinesia, clarividência e psicocinesia.

Aquele que exercita realmente uma ou mais de uma de suas habilidades mentais, ele antes já fez por entendê-las e percebê-las, para depois vivenciá-las e manipulá-las. Para exercitar com sucesso uma ou mais destas habilidades que foge às leis da terceira dimensão, ele precisa possuir bastante controle emocional e também possuir uma saúde estável, para que possa desenvolver mais plenamente uma concentração direcionada no sentido de alcançar o objetivo desejado.

Em busca de sua habilidade ele precisa romper com os seus bloqueios de fundo emocional e paralelamente desbloquear o seu campo energético, para o que ele deseja possa surtir efeito no mundo real – e junto, alcançar maiores padrões evolutivo e vibratório.

Preparando-se e, neste sentido, o dimensional deve desenvolver primeiro a sua capacidade telepática, quando deve relaxar os seus ombros, inspirar bem fundo, concentrar através do seu chacra frontal e também do seu chacra cardíaco, tendo a certeza que saberá pelo seu coração e pela sua mente o que está sendo para ele enviado, como também o que ele envia.

Telepatia quer dizer: distancia (tele) e sensação/sentimento (patia). Então, o dimensional quando exercita o aprendizado para captar à distancia, ele deve prestar atenção nas sensações que neste momento vão acontecendo em seu corpo e quando também, deve aprender a sentir bastante confiança para quebrar sensação de racionalidade e intuitivamente ter a certeza, que está adquirindo a capacidade telepática. No momento deste seu aprendizado os Seres Ultradimensionais se mostram nas fotos digitais perto dele.

É bom que o dimensional faça Calistenia quando nos trabalhos desenvolve as suas habilidades. Neste sentido ele deve mentalizar uma bola branca e brilhante no topo de sua cabeça e a levá-la sessenta vezes aos seus pés em movimentos rápidos, para que crie um circuito energético fechado para protegê-lo e para alinhar os seus chacras, colocando-o em estado vibracional ativo acima de 27 ciclos/segundos – tornando-o um gerador de energia.

Exercitar-se para criar a sensação de levitação é um pouco mais difícil que o exercício da telepatia, porque para o primeiro exige do dimensional um treinamento diário no sentido de obter a anulação do seu campo eletromagnético. Este campo pode ser percebido, quando ele colocando uma mão perto da outra, gera campos de energia com a mesma polaridade e que fazem que eles se repilam. Neste caso ao treinar com as suas mãos, ele pode também quando deitado ir aos poucos desenvolvendo o campo energético propicio à sua levitação, criando este campo eletromagnético debaixo de seus pés, afim de que se levite alguns centímetros.

Para este exercício ele pode imaginar que possui uma mola de energia entre suas mãos que vai expandindo e criando um campo magnético, que o ajuda (como exercício mental) despertar esta sua habilidade.

Depois que o dimensional sentir realmente a formação deste campo eletromagnético entre as suas mãos, ele pode utilizá-lo para empurrar pequenos objetos, direcionando esta energia a partir de suas mãos. Para este exercício (e para os demais que testam as suas habilidades mentais), a sua mente deve antes entender, que ele é capaz, que terá sucesso quando manipular a energia/freqüência desejada.

Aprender a empurrar objetos possui uma finalidade maior, porque o capacita também para retirar pedras nos rins e remover tumores. Entretanto, ele deve ter muita cautela com este procedimento que utiliza da energia psicocinética, porque se ela for mal direcionada, em vez de ajudar a curar o seu corpo, pode lesá-lo.

As células do seu organismo são capazes de assimilar as informações que para elas são passadas. Portanto, quando o dimensional começa mais constantemente treinar este exercício, as suas células começam a entender as ordens que ele as envia, em uma interação que no final fica mais automática.

A energia é física e para manipulá-la o dimensional deve possuir técnica e treinamento. Ele pode tudo, mas para isso os “Seres” sempre o recomendam: “desenvolva!…”.

Todos possuem habilidades mentais e extra-sensoriais e podem com elas atuar, desde que treinem bastante para que alcancem um patamar vibratório satisfatório. Quando o dimensional exercita as suas habilidades, não importa a sua idade ou outras formas de limitações – o importante é ele coordenar a sua mente e acreditar em seu potencial

É fundamental também que ele saiba gerenciar os seus sentimentos e as suas emoções, para que não fique em oscilação, que pode atrapalhar muito o desenvolvimento de suas habilidades. Portanto, já bem harmonizado, é que ele deve criar as condições para trilhar o caminho maravilhoso do seu poder criador.

É ainda aconselhável, que ele para desenvolver estas suas habilidades paranormais, deve ativar a carga elétrica do seu corpo, fazendo cotidianamente exercícios físicos, ingerindo frutas cítricas como laranjas e limões e fazendo exercícios associados à Energia Taquiônica. A carga elétrica do seu corpo varia muito, portanto ele deve procurar paralelamente manter o seu padrão energético e o seu equilibro emocional.

Em relação à melhoria de sua carga elétrica ele pode ainda mais fazer o exercício de esfregar as mãos, respirar bem fundo, imaginar uma energia vermelha concentrada em seu chacra frontal e depois gradativamente vê-la em seus chacras laríngeo, cardíaco, plexo, umbilical, hepático (fígado), esplênico (baço), básico, umeral (chacra da paranormalidade situado quatro dedos abaixo do seu pescoço) e no da nuca.

Através de fotos digitais os Seres Ultradimensionais mostram as freqüências relacionadas às habilidades já desenvolvidas pelo dimensional e também sinalizam aquelas outras que ele deve desenvolvê-las.

A ajuda destes Seres é necessária, porque o dimensional tem dificuldade de lidar com as energias associadas às suas habilidades, por causa da interferência de suas emoções que podem levá-lo ao insucesso. Portanto, para aprender a exercitar as suas habilidades, manipulando as energias necessárias para o momento, ele precisa ir com cuidado, porque ele utilizando de sua capacidade telepática, por exemplo, poderá “ver”/perceber nas informações que fisicamente escuta como verdadeiras, inverdades mentais que são elaboradas pelo “ego”.

Nestes trabalhos para o desenvolvimento de suas habilidades, o dimensional não precisa preocupar tanto com os “obsessores”, que não são mais perigosos que muitos seres humanos, que no convívio diário podem lhe fazer de forma físico-direta muito mais mal que estas “criaturas” do “astral”.

Quando ele já está consciente de suas habilidades e fica de frente a um outro individuo, ocorre o acoplamento de suas auras e, independentemente de sua vontade ele poderá captar tanto o que está gravado no campo energético deste outro, quanto pode receber dele os seus pensamentos. Portanto, se ele não se vigiar, não saberá diferenciar se estes pensamentos/sentimentos são seus ou do outro e então, algumas vezes sem motivo aparente ele pode se mostrar com atitudes diferentes de um momento para o outro.

O dimensional para manipular as suas habilidades que envolvem reações em seu campo psíquico, químico e fisiológico ele deve preparar a sua mente, para que através dela equilibre-se em relação às suas emoções. Neste sentido como exercício mental, ele pode visualizar uma plácida paisagem ou um belo e perfumado buquê de rosas, para logo depois visualizar um momento de uma extração dentária com o fórceps extraindo várias raízes dentárias fraturadas ou chupando uma fruta bastante azeda.

Estes exercícios mentais alternados e gerando através de reações psíquicas e químico-fisiológicas sensações opostas, criam imagens que em sua mente, podem prepará-lo para o necessário estado de equilíbrio. Para a mente não existe distinção entre o que foi apenas imaginado e o que é real e assim, com este exercício ele vai aprendendo a não mais ficar à mercê de suas emoções, sejam elas quais forem, principalmente aquelas não desejadas, que podem lhe causar reações físicas também não desejadas.

As reações entre as emoções e a mente do individuo quando não são controladas, acabam por tomar as rédeas de sua vida. Assim, ele deve aprender a lidar com estas reações. Ele deve criar condições para que a sua mente sendo “doutrinada”, permita ele alcançar o seu próprio equilíbrio e também aprenda não mais deixar que energias emocionais desarmonizadas de outros, interfiram em seu campo energético, desarmonizando-o. A “chave” é ele se trabalhar, voltando atenção para si mesmo, para que a sua mente comece a fazer “os milagres”, que ele sempre os desejou.

Ele deve ter a sua mente disciplinada para que alcance este seu intento, desenvolvendo o seu poder de concentração, porque quando ele concentra, domina e direciona as energias/freqüências mais rapidamente. Normalmente a sua mente é preguiçosa e para “fazê-la agir” são necessários métodos de disciplina, para que ele possa também alcançar aquele patamar vibratório e evolutivo superior que está sempre procurando.

O dimensional quando estiver bem desenvolvido em sua habilidade telepática, outras janelas relacionadas às demais habilidades poderão lhe abrir, aflorando à sua consciência.

Aquele que tem convicção e que é confiante, ele é também capaz e tem a capacidade de realizar na terceira dimensão muito mais o que ele imagina. Ele já não se deixa mais, se conduzir até mesmo pelo trabalho insistente da mídia, que tenta iludi-lo quando lhe oferece constantemente todo o tipo de panacéia, colocando a sua mente sempre ocupada e ao mesmo tempo letárgica, por não dá-la espaço, para que ele tenha vontade própria.

Ele já acredita em si mesmo, não usa tanto mais o racional e fica mais atento às suas sensações – se liga mais aos sentimentos que são “o seu sentir” com os seus pensamentos.

Os canais de energia no corpo do dimensional são bem sensíveis. Por este motivo é que ele às vezes costuma ficar cansado quando nos trabalhos manipula várias freqüências energéticas – esta situação é normal, é o mesmo o que acontece quando ele pratica atividades físicas, gerando calor e se cansa pela perda desta energia.

Para desenvolver as habilidades que envolvem outros indivíduos, ele deve utilizar do “circuito” que envia ordem mental e projeção de energia.

Alguns indivíduos dizem que os Seres Ultradimensionais que aparecem nas fotos digitais são bolhas de poeira. Esta afirmação não é verdadeira, porque “estas formas esféricas” que normalmente se manifestam nos trabalhos, elas possuem vontade própria, quando se comunicam através de posições, cores e formatos nas fotos, juntos ou não dos dimensionais – situações que são traduzidas como informações que conduzem os trabalhos – e às vezes até deixam as suas vozes gravadas no gravador.

O dimensional nos trabalhos pode paralelamente criar bolas de energia, que o ajudam a se direcionar no sentido de atingir a sua capacidade mental-vibratória plena. Se ele pensa firmemente no que deseja, a sua mente atua na matéria para que este seu desejo concretize no mundo real.

No momento em que ele cria a sua bola de energia, pode receber dela informações, para programar o que deseja. Por exemplo, ele pode programar que deseja sair consciente fora do seu corpo físico. Então, ele direciona esta forma de energia esférica para que ela esteja todas às noites em sua cama, no sentido que aconteça o que ele programou – mas, para isso ele precisa ter bastante disciplina/concentração, para que crie esta condição.

Ele pode também fazer com que esta bola energética por ele criada, o auxilie em uma experiência de programação energética consigo mesmo – que ela o rejuvenesça cotidianamente. Ele deve treinar diariamente buscando as suas habilidades, porque só assim o seu subconsciente vai entender que ele é capaz de exercitá-las.

O ideal é o dimensional inicialmente treinar de forma mais constante a sua habilidade telepática, porque com ela vai quebrando os bloqueios que por ventura ainda possam existir em seu subconsciente. Com a telepatia ele começa a se comunicar mais com os outros, mesmo que esta sua comunicação seja mentalmente silenciosa. Ele deve exercitá-la no início como uma brincadeira, para que sem notar vá abrindo os seus canais e refinando a sua sensibilidade.

Ele não deve apenas possuir conceitos, não deve apenas teorizar, mas também deve agir, tornando-se capaz de desenvolver as suas habilidades paranormais, para que torne o senhor do seu próprio destino. Ele pode tudo, “criando” a vida que deseja.

Em relação ao exercício para o desenvolvimento da psicocinesia o dimensional deve aproximar uma mão da outra, gerando um forte calor/energia entre elas. Ele deve imaginar que entre elas existe um maçarico acesso, para que esta sensação de intenso calor a sua consciência dela se inteire, sabendo que existe naquele momento e ali muita energia concentrada, que está sendo percebida, que deve ser controlada e que depois deve ser direcionada. Esta energia ele pode também enviar para sanar algum desequilíbrio em seu corpo, por exemplo, se livrar de uma dor de cabeça – e, ao enviá-la até à sua cabeça, ele já está desenvolvendo uma forma de energia psicocinética.

Quando o dimensional trabalha com a quarta ou com a quinta dimensões, ele deve estar em uma freqüência mental bem acelerada, porque estas dimensões também vibram de forma bastante acelerada em relação à terceira dimensão. Se ele não estiver em uma freqüência mental-vibratória compatível, não consegue “vê-las”/percebe-las – não consegue captá-las.

O segredo para que ele interaja com dimensões mais elevadas, é “vibrar”’ de acordo com elas. E se para sintonizar e interagir com os “Seres” ele deve estar em uma freqüência alta, o seu primeiro passo neste sentido é aumentar a sua carga elétrica, para que como conseqüência aumente a freqüência de seu corpo e possa suportar a presença energética deles.

Quando o dimensional vivencia momentaneamente algum distúrbio emocional que o desequilibra, ele tem condição de sair desta freqüência que o desarmoniza – entretanto, a depressão é a mais difícil das freqüências negativas, para que ele se liberte dela.

Vibrar em uma alta freqüência não permite o individuo ficar submisso aos sentimentos e orientações de outros, porque ele se torna dono de seu próprio espaço, de sua crença e de sua realidade, sabendo levar a sua vida da melhor maneira possível.

Expressar pensamento positivo não é repetir frases prontas e simpáticas. Pensamento positivo é interagir e vibrar em uma freqüência traduzida por pensar e agir positivos. É senti-la no corpo. É entrar na vibração de situações boas, sentido-as em sua vida, incorporando-as como a sua realidade.

O dimensional quando treina positivamente este “estado de ser”, ele é capaz de sentir o outro como se fosse ele mesmo através do seu campo energético e, portanto percebe como ele vive, quais são os seus desejos e suas expectativas – uma percepção que ele alcança de forma bem rápida sem racionalizar, através da trans-identificação.

Como na trans-identificação ele é capaz de sentir e captar a freqüência do outro, é de certa maneira até bom para ele, porque entrando na verdade do outro, pode conhecê-lo e respeitá-lo ainda mais. Entretanto, para que ele alcance esta sensibilidade, deve treinar bastante para que a sua mente comece agir rapidamente sem a presença da racionalidade.

Ele deve dentro do possível estimular mais o funcionamento do seu cérebro, para que a sua freqüência cerebral aumente e paralelamente, possa criar experiências pessoais e se capacitar para as suas habilidades, rompendo os seus bloqueios e abrindo os seus canais de percepção.

Quando o dimensional no plano físico começa manipular freqüências multivibracionais, ele já está conseguindo manipular as Leis Universais – ele já está começando ser “o senhor das energias” e então, não haverá limites para ele, podendo com o seu poder criador não só se curar, como também curar os outros – e principalmente, transmutar-se.

De Charles Ferreira de Souza  – em Janeiro de 2010

Translate »