Postado por

Eu que fala de si mesmo

Eu que fala de si mesmo
Print Friendly

Ensaio N° 2

De T. Ferreira (rotif2008@gmail.com) – Agosto de 2008

Os meus Paradigmas são “meus”, enquanto mergulhado nas torrentes de pensamentos e de interesses variados, dividido, pulverizado, PÓ DE MIM MESMO, fracionado que fui, em um passado remoto, num conjunto de fatos e informações cujo registro nem sequer fazem parte de meu “consciente”.

Por essa razão, assumindo que SOMENTE EU, que tenho a pretensão de entender minha estrutura, meus Paradigmas, me pergunto, da mesma forma, como é que posso “sentir-me autorizado” a dar qualquer palpite, qualquer indicação que seja, sobre como outra pessoa deve pautar sua vida!

Sou consciente de que, assim como ESTOU, pulverizado, PÓ DE MIM MESMO, minha “acuidade” de consciência mal me permite manter-me em “meu rumo”, para “aquilo” que penso ser o objetivo de minha vida.

Desta mesma forma, “imperfeito” como me encontro, como é que posso julgar comportamentos alheios? Como posso achar que “fulano deve se comportar “assim ou assado”? Como posso achar que “eu estou OK e fulano não”? Não existe sentido algum em pensar dessa forma, pois a RESPONSABILIDADE pela produção dos pensamentos, palavras e atos do meu visinho só pode ser dele!

Assumindo a identidade multi-dimensional

Em contrapartida, a RESPONSABILIDADE da produção de meus pensamentos, das minhas palavras e dos meus atos, também é TOTALMENTE MINHA. Eu, e SOMENTE EU, é que TENHO QUE ASSUMIR O DOMÍNIO DE MINHA VIDA!

O interesse é meu! Tenho meus objetivos, e as decisões que tomo em minha vida pessoal deve me conduzir a alcançá-los! Eles têm a ver com minha BUSCA, como DIMENSIONAL que sou, tem a ver com MEUS COMPROMISSOS!

Ao pensarmos, alimentando a nossa “produção de pensamentos” de nível de freqüência mais baixa, – principalmente quando nos irritamos, quando perdemos a calma, a paciência, quando “perdemos as estribeiras”, – estamos correndo o risco de “escorregar” de nossa FAIXA DE TOLERANCIA, de provocar uma transição de nossa LINHA DE VIDA para a de LETRA “D”.

Ao nos tornarmos conscientes de que cabe a nós, SOMENTE, decidir de que maneira queremos nos conduzir, avançar no caminho, DIMENSIONAIS QUE SOMOS, em busca do DESPERTAR, em busca de integração com nossa TOTALIDADE, podemos alcançar aquele DISCERNIMENTO que já nos permite conduzir o processo.

Quando passo a conduzir a minha própria produção de pensamentos, já consciente do espectro das freqüências coloridas, que são a EXPRESSÃO DAQUILO QUE SOU – ou como sou percebido por quem tem olhos para ver – POSSO, então, começar a me juntar com as “minhas partículas”, respeitando a condição de DIMENSIONAIS que elas são, companheiras de caminhada, e dizer para elas que VOCÊS E EU SOMOS UM!!!

Com estas condições nos tornamos dignos de poder iniciar, com segurança, o Grande Trabalho de nossos Compromissos sintonizados com o Grande Plano dos Seres Extra-Dimensionais. Estaremos prontos para um contato direto com eles. Passaremos a fazer parte de um grupo com responsabilidades imensas.

Aproxima-se o Grande Dia em que todos, com a inestimável ajuda do nosso amigo “Orientador”, estaremos iniciando a execução da grande tarefa de que fomos incumbidos, no sentido da facilitação para o Grande Retorno.

Falar mais, daqui em diante, ficará por conta dos amados Seres, que nos tem dedicado atenção especial, e um Amor imenso, ainda pouco compreendido por nós.

Translate »