Postado por

Exteriorização da Energia Crística

Exteriorização da Energia Crística
Print Friendly, PDF & Email

Dia 14 de junho de 2006 saímos na parte da manhã de Belo Horizonte em dois ônibus com mais ou menos noventa companheiros e depois de vinte e três horas de viagem chegamos também na parte da manhã à Fazenda Boa Sorte, no município de Corguinho, no interior de Estado do Mato Grosso do Sul e nos juntamos aos demais dimensionais de outros Estados, que lá já estavam.

Neste mesmo dia, depois do almoço e já um pouco descansados, começamos os trabalhos necessários para a ocasião – uma preparação mental/vibracional especifica.

Nesta ocasião os três dias que ficamos na fazenda Boa Sorte foram de intensa preparação mental, quando fomos direcionados através de exercícios mental-vibracionais para a nossa sintonia com a Energia Cristica. E, em alguns destes exercícios os dimensionais de polaridade negativa (mulheres) ficaram separados dos dimensionais de polaridade positiva (homens), com os primeiros preparando-se nas Sondas ou no Campinho e os segundos nas Marcas ou nas Crateras, locais já vibratoriamente definidos e conhecidos por todos nós na Fazenda Boa Sorte.

Nos dois primeiros dias tanto as mulheres como os homens – separadamente – foram orientados por monitores, para que se exercitassem mentalmente e formassem um Todo Harmônico, interagindo conscientes com outras freqüências vibratórias além da terceira dimensão.

Dentro deste processo preparatório mental e vibratório os dimensionais de polaridade negativa “foram testados” em sua capacidade de “puxar” a “Nave de GNA” ou a sua Sonda e os dimensionais de polaridade positiva de “puxar” a “Nave de Gemus”. Neste intento coletivo normalmente feito à noite os primeiros alcançaram o seu objetivo, que os segundos infelizmente não o alcançaram, quando mentalmente dispersos e incapazes de se expressarem vibratoriamente como um todo, não “construíram” o Corpo de Energia – ou – uma só vontade e um só desejo.

Entretanto, já no ultimo dia os dimensionais de polaridade positiva (homens) depois de novos exercícios vibratórios em “um reforço mental” e com a ajuda vibratória dos dimensionais de polaridade negativa (mulheres) conseguiram chegar a um nível energético necessário de sintonia com a Freqüência Energética Crística ou de Cristo.

Portanto, cerca de seiscentos dimensionais que estavam presentes naquela ocasião na Fazenda Boa Sorte e agora reunidos em um mesmo local conhecido ali como Campinho, puderam no dia 18 de junho de 2006, em torno das 00h00min participar da “Comunhão” entre os Céus e a Terra, quando como Pontes Vivas interagiram com a Energia Crística, que Se mostrou no plano denso da matéria por alguns instantes.

Foram quatro os momentos em que a Energia Crística com o auxilio da “Nave GNA” – “funcionando” com uma Merkabah Divina – Se exteriorizou na terceira dimensão depois de atravessar as nuvens na forma de flashes luminosos sobre as nossas cabeças. E, o último deles através de flashes duplos na cor vermelho-dourada complementou energeticamente os três flashes anteriores, para que fossemos trabalhados em nosso campo energético e pudéssemos ter uma maior Expansão da Consciência.

Estes quatro Momentos iluminaram externamente tanto no sentido físico/eletromagnético todos aqueles que estavam no Campinho pelos flashes disparados, quanto os iluminaram internamente no sentido Vibratório/Magnético através da Energia Neutra do Amor Puro Uno da Manifestação irradiada desta Freqüência “Viva” de Altíssima vibração, que dentro do nosso conceito do Sagrado é chamada de Divina.

Portanto, a Consciência (Divina) que está identificada na Causalidade Descendente como “Algo” que está além da matéria – além do espaço-tempo – literalmente assim Se mostrou como Manifestação na terceira dimensão.

Depois dos instantes deste “Religar Energético”, que a partir dos nossos nervos ópticos propagou por todo o nosso corpo físico, foi anunciado pelo megafone por um dos monitores que os dimensionais ali presentes fizessem grupos de sete indivíduos e que fossem contatar com os “seres” em outros locais da Fazenda Boa Sorte.

Já com poucos dimensionais no local, permanecíamos perto de alguns deles e conversando especificamente com um, quando percebemos ao seu lado um “individuo” que naquele instante julgávamos ser um nosso companheiro do Rio Janeiro, pelas informações físicas que guardávamos dele. Entretanto, como ausente de raciocínio não percebíamos naquele momento, que esta “presença” não poderia ser deste nosso companheiro, porque este “ser” “tinha características físicas” que apenas se aproximavam com as dele, com olhos claros, maior altura talvez um pouco mais que um metro e noventa, cor grafite e o queixo notadamente anguloso, características físicas estas que aquele nosso companheiro não as possuía. Mas, o que realmente ficou na nossa memória, foi a energia irradiada do olhar deste “ser”. Foi um olhar sem emoção, como atravessasse o nosso corpo físico. Um “olhar telepático” que nos decodificava/analisava em silêncio.

Esta “presença” não foi percebida/”vista” pelos dimensionais que estavam em nossa volta, apenas foi “vista” por um outro dimensional que estava a uma certa distância e que estando na mesma freqüência mental que a nossa, a “viu” indo em nossa direção.

Em relação às nossas experiências com outras dimensões e às suas manifestações, procuramos decodificá-las dentro do possível, de acordo com as informações que elas nos passam no momento em que acontecem. Portanto, as informações que nos foram passadas nesta experiência agora mencionada, o quê aprendemos com elas, já o informamos neste site dentro do texto “Momentos de Realidade” e o transcrevamos abaixo.

Quando o individuo como observador “alcança” no plano mental a “visão holográfica”, interagindo neste nível de freqüência com uma manifestação de contato, que com ela às vezes pode se comunicar conscientemente e vice-versa, ele está “administrando” ao mesmo tempo informações inerentes a dois planos de vibração ou de realidade.

O dimensional neste instante decodifica em dois níveis de consciência as informações da terceira dimensão em derredor e as informações vindas através da quarta dimensão desta manifestação de contato e, apesar destas freqüências na forma de informações/imagens se sobreporem, ele as identifica independentemente uma da outra em relação às suas fontes de origem ou aos seus planos vibratórios. Portanto, neste momento de interação apesar dele estar sintonizado em um outro momento de realidade com as suas próprias informações, ele sem emoção as decodifica mesmo assim – sem raciocinar – como “normal-comuns”.

Tanto as informações provenientes do mundo físico são identificáveis pelos seus cinco sentidos e continuam presentes, quanto as informações originadas da quarta dimensão através da sua visão pela percepção do frontal. O quê ele vê nesta sua momentânea “sintonia mental” com a outra dimensão, é tão real dentro da noção que ele tem de “realidade”, que ele julga estar enxergando-o realmente com os seus olhos físicos e muitas vezes as informações que ele as decodifica – em relação o quê só ele “vê” em sua tela mental – ele as traz para a terceira dimensão na forma de imagens fotografadas/filmadas, que também só ele consegue fazê-las.

Apenas quando ele deixa de ser o “Portal Vivo”, desfazendo a “Ponte” alimentada pela sua freqüência mental que gera o campo vibratório necessário entre a terceira dimensão e este outro plano mais sutil de vibração, é que ele “fecha” a sua terceira visão ou a sua visão pela percepção do frontal e se “desperta e volta” plenamente direcionado, para o que ele conhece/codifica como o mundo denso da matéria.

Outro tipo de experiência que já passamos e que muitos outros companheiros por ela também já passaram em um estado alterado de consciência, acontece em volta da Cratera da Paranormalidade ou Dimensional. Em determinados momentos quando passamos por este local de cerrado com cerca de quatrocentos metros de diâmetros, as imagens deste local da Fazenda Boa Sorte que conhecemos muito bem, são como se em um passe de mágica “substituídas” na nossa tela mental por outras e, portanto, nos fazendo sentir como estivéssemos em um outro local. Neste lugar onde existe um vórtice de energia e onde no plano mental acontece este tipo de experiência, o dimensional se perde neste pequeno espaço, não achando o caminho de volta. À medida que ele procura a saída, caminhando por este local, que ele não mais o identifica, a paisagem em sua volta nesta sua experiência momentânea de “mundo paralelo” fica estranhamente diferente, daquela que já lhe é bastante familiar. Nestas experiências como observador consciente – com sua percepção ascendente indo além das informações de espaço-tempo – ele transcende/extrapola o tridimensional, onde também se exercita. E, nestes momentos apenas sua consciência está sempre presente tanto em relação ao aspecto material quanto ao mental quando observados/sinalizados, porque somente ela permanece em relação a todas as coisas.

E, para finalizar este Décimo Quinto Relato, enriquecendo-o com mais informações sobre as nossas experiências e de outros companheiros com a Energia Crística ou de Cristo, mencionaremos mais três momentos no mês de julho de 2006 em que esta Energia Vivo-Divina de Altíssima Vibração, por Sua Vontade e utilizando-Se eletromagneticamente da energia vibracional/kundalini dos dimensionais, exteriorizou-Se através de luzes/flashes/plasma para muitos deles no Chacra Vibracional da Fazenda Boa Sorte.

O primeiro destes três momentos desta Interação Divina aconteceu para setenta e sete indivíduos/dimensionais em trabalhos vibracionais – alguns sendo feitos nas Marcas e outros no Platô – no dia 16 de julho, em torno das 05h00min. Nesta “Comunhão” entre Freqüências Energéticas ou entre Planos de Vibração diferentes, dois pontos luminosos distantes no horizonte aproximaram ao mesmo tempo em que ascendiam e estacionaram no firmamento um distante do outro, para que pudessem logo após, exteriorizar e delimitar um imenso Corpo Plasmado – “Nave Mãe” – com cerca de um mil e duzentos metros de diâmetro, que se deslocou por cima das cabeças destes dimensionais mais ou menos a novecentos metros de altura. E, no dia 1º de agosto de 2006, em torno das 05h25min novamente aconteceu o aparecimento desta imensa “Nave”, que foi desta vez presenciada apenas por alguns poucos dimensionais no Campinho. Esta Manifestação foi precedida por várias “Naves de Gemus”, com duas delas se destacando e, como da primeira vez, dois pontos luminosos agiram como para formar o campo energético deste Grande Corpo Plasmado, com a presença de uma “Luz” bastante intensa e sem flashes delimitando a parte anterior desta Manifestação e uma outra que constantemente piscava sinalizando a sua parte posterior. A “Nave Mãe” que desta vez estava mais alta no firmamento, em um dado instante desapareceu e este desaparecimento foi “confirmado” pela presença final de uma grande “Nave de Gemus”, que irradiando uma intensa luminosidade, deslocou-se pelo céu, até desaparecer no horizonte.

O segundo momento de Manifestação da Energia Cristica aconteceu nas Marcas no dia 23 de julho em torno das 01h00min através de cinco flashes emanados de “sondas” da “Nave GNA”, que foram direcionados para mais ou menos cento e cinqüenta dimensionais.

O terceiro e último momento em que a Energia Crística se exteriorizou através de um processo eletromagnético “fornecido” pela energia vibracional/kundalini dos indivíduos/dimensionais, foi no dia 30 de julho em torno das 06h00min perto da Cratera Dimensional ou da Paranormalidade e foi vista a distancia por cerca de trezentos dimensionais, que colocados no Platô viram pela abertura de um Portal a presença desta Energia através de flashes multicoloridos, que às vezes pareciam sair de entre as pedras, algumas vezes de arbustos e outras vezes da copa de uma árvore. Nesta ocasião além da presença dos Seres Energéticos se mostrou também um ser intraterreno em seu contorno luminoso pela primeira vez para muitas pessoas à luz do dia.

Estes Corpos de Luz – “Naves Merkabah” – são Energias Sagradas geradas e comandadas por uma Inteligência Superior e Divina para identificar em qualquer plano ou dimensão aquelas entidades dotadas de consciência, que já estão prontas para a sua Transmutação.

Estas “Carruagens de Fogo” iluminadas pela Energia de Cristo quando interage com a Energia Vibracional ativa/kundalini dos indivíduos/dimensionais, permitem a expansão de sua consciência, restaurando a sua memória cósmica e, por conectá-los com a Mente Divina, possibilitam que sintonizem através da Luz do seu Cristo Interior, com as infinitas possibilidades do seu Ser.

Translate »