Postado por

Interagindo com o Cosmo e o Multidimensional

Interagindo com o Cosmo e o Multidimensional
Print Friendly, PDF & Email

Cada frequência de luz emite uma onda para o Universo, chamada pelos físicos de radiação cósmica de fundo ou malha magnética – ou ainda, malha magnética em relação ao Cosmo. E, cada ser vivo possui uma frequência de luz emitida também para o Universo chamada frequência de onda.

A manipulação dessa frequência facilita a pessoa (dimensional) direcionar a sua energia vibracional para energização nos seus trabalhos de cura, na programação de seus sonhos, no seu exercício da telepatia e da vidência – e também, na sua programação mental no intuito de manipular todas suas outras formas de habilidades mentais (paranormalidade).

Cada pessoa possui a sua frequência de onda, que não é igual a de uma outra, portanto sua frequência é a sua impressão digital vibracional e somente ela consegue identificá-la. Assim, conhecendo a sua frequência de onda e sabendo manipulá-la, a pessoa poderá fazer o que Jesus de Nazaré fazia ao curar aqueles que o procuravam, utilizando-se do campo ou corpo bioenergético desses, para potencializá-los, ativá-los e eles mesmos pudessem realizar os “milagres” que almejavam (“medicina de Cristo”).

Jesus de Nazaré possuía não só o conhecimento, que o permitia utilizar de sua frequência de onda, mas também de outras informações que o diferenciava dos demais e que o mostrava (até hoje) especialmente presente e atuante no mundo.

Os antigos egípcios (homens) usavam constantemente braceletes e as mulheres tiaras ou gargantilhas), que neles era cunhada sua frequência de onda, porque mesmo naquele tempo essas pessoas já possuíam conhecimento das Leis Universais, associadas à manipulação dessa frequência.


Na antiguidade os homens e as mulheres egípcios usavam braceletes e as mulheres usavam ainda tiaras e gargantilhas, com sua frequência de onda esculpida nesses objetos – Imagens da Internet.

A realidade física – ou, a terceira dimensão é muito densa, interferindo no estado de consciência e no subconsciente do ser humano, tornando sua mente sempre dispersa, propicia às divagações em função da constante desestabilização de seus chacras (vórtices energéticos). Então, para limitar essa dispersão mental e desestabilização energética próprias daquele que vivencia nessa realidade, os antigos egípcios cunhavam sua frequência de onda nesses objetos pessoais, para que vendo-a o seu subconsciente os direcionasse, os religasse à sua verdadeira realidade vibracional e assim, os desbloqueasse (mentalmente).

A frequência de onda de cada um é a forma vibracional e universal de sua identificação. E, através de sua manipulação a pessoa consegue resolver as suas dificuldades na realidade física, desde que já esteja dentro de um necessário estado evolutivo em sintonia com a sua verdadeira realidade vibracional. Portanto, dessa maneira utilizando-se de sua frequência de onda, ela pode resolver as suas dificuldades e duvidas cotidianas. Obter respostas compatíveis ao seu estado evolutivo também constituído pelas informações e pelos conhecimentos que já adquiriu. A sua frequência de onda juntamente com a sua simbologia funcionam, para equilibrarem ao nível de sua consciência os polos positivo e negativo – que estão também associados à toda realidade física em função da Quarta Lei Universal.

A pessoa (dimensional) deve cunhar sua frequência de onda em um objeto, que trará junto a si, para que possa mais facilmente ser vista esculpida em alto ou baixo relevo, porque se for colocada em um objeto de superfície plana, a energia que ela deve irradiar não circulará utilizando-se da Ressonância Schumann presente em toda parte, portanto circulante por todo o planeta como uma energia ativa.

Frequência de onda é uma frequência de luz emitida como uma onda para o Universo, que cada dimensional possui a sua, que através dela é identificado e que nas imagens (iguais) acima a segunda foi trazida pela sua “Placa física” e a terceira por um ser ultradimensional – e, a primeira é uma foto de um dois lados dessa “Placa”.

O dimensional deve procurar manter mais constante seus chacras (vórtices energéticos) sempre em equilíbrio. Deve mantê-los sempre estabilizados, porque mesmo se estressar, mas nesse momento ele visualizar sua frequência de onda esculpida em um objeto pessoal, o seu subconsciente “funcionando”, o traz de volta ao equilíbrio emocional. Qualquer estresse ou alteração em seu campo vibracional, o seu subconsciente pode trazê-lo de volta à harmonia através da atuação energética de sua frequência de onda.

Jesus de Nazaré ao curar a pessoa, fazia com que a sua frequência de onda ficasse multivibracional, para então dar uma ordem buscando neste instante a cura almejada. Nessa ocasião ele só se tornava um motivador dessa ação, tornava-se apenas o impulsionador desse “fenômeno”, porque a própria pessoa que se curava, fazendo o seu próprio “milagre”, como ele mesmo mencionou em algumas ocasiões.

A resistência tão comum na busca do Sentido da Verdade distorcido por todos os tipos de crenças e de mitos, ela fortalece a ignorância que com ela é mais fácil a manipulação emocional das pessoas. O planeta Terra com a sua atual civilização transformou-se em uma gigantesca onda de energia negativa. Assim, principalmente o dimensional que vivencia nesse mundo de experiências ao nível do plano tridimensional, mas que já modulou diferentemente a sua frequência de onda, não deve se deixar compatibilizar com essa energia negativa planetária de final de ciclo.

Ele deve ficar vigilante em relação às frustrações, às decepções e às outras situações negativas que pode vivenciá-las, provocando-lhe oscilações emocionais, que o fazem sair da Linha B de suas Três Linhas da Vida e que o faz também sair da sintonia com a sua essência vibratória, quando então todas as camadas de sua aura (corpo ou campo bioenergético) ficam desestabilizadas.

A pessoa é direcionada por Leis Universais, que a conduzem em relação à uma interação vibracional e universal. Mas, essas informações e outras dificilmente chegam ao seu conhecimento, porque algumas religiões (principalmente cristãs) procuraram eliminar ou distorcer os conhecimentos mais verdadeiros e cósmicos, como os que Jesus de Nazaré possuía, os vivenciou e que os passou para seus seguidores mais próximos. Conhecimentos que utilizavam de Leis Universais, relacionadas à alquimia, à “medicina energético-vibracional” e às mudanças interiores em geral da pessoa, no intuito de que ela pudesse manipular conscientemente o seu campo ou corpo bioenergético.

A partir de 18 de maio de 2004, o planeta Terra começou receber vibrações cósmicas, que interferem no organismo humano e que se intensificaram após o ano de 2012. Aquele que estiver vibrando em frequência cerebral abaixo de 23 ciclos/seg.(hertz), poderá ser atingido por essas vibrações e manifestar em seu organismo neoplasmas malignos, ataques cardíacos, desequilíbrios emocionais e até mesmo terem mortes súbitas, entre outras fatalidades que a partir daquela data foram bastante aumentadas.

Como já foi antes mencionado, o ser humano “funciona” como uma antena receptiva de ondas eletromagnéticas e se o seu canal (mental) estiver aberto à essa onda, com ele possuindo frequência cerebral abaixo a 23 ciclos/seg. (hertz), terá com ela uma conexão com resultados e consequências negativos. Agora, se ele estiver em uma frequência cerebral acima de 23 ciclos/seg., ele não absorverá os seus efeitos negativos. Ele não sentirá benefícios, mas também não sofrerá malefícios. Aquele que é mentalmente preguiçoso, depressivo e pessimista, ele é também forte candidato à influência dessa onda. A mulher (mais que o homem) por questão hormonal e emocional é mais sujeita à depressão, que é a frequência da morte.

O ser humano “funciona” como uma antena receptiva e transmissora de ondas eletromagnéticas – Imagem da Internet

Para identificar sua frequência de onda a pessoa (dimensional) precisa pacientemente se exercitar nesse sentido algumas vezes por dia, até conseguir com essa repetição ter em sua tela mental a confirmação mostrada pela sua terceira visão.

Durante esses exercícios o dimensional com os olhos fechados poderá “ver mentalmente” muitas luzes ou mesmo uma escuridão total. Mas, de repente ele poderá “ver” também formando em sua mente desenhos, ondas, símbolos, várias outras formas e pontos de luz, que vão se acomodando e sendo definidos de maneira mais nítida como projeções, até ele ter certeza o que está “mentalmente vendo” é a sua frequência de onda. Através de seu nervo ótico que essa centelha elétrica é lançada e que pela sua terceira visão é por ele identificada. Quando ele já estiver bastante exercitado nesse sentido, poderá até “enxergar” em sua tela mental essa frequência mesmo com seus olhos abertos, que devem antes ser pressionados por algum instante com os seus dedos.

Quando mais mentalmente acelerado estiver o dimensional mais fácil será essa sua visualização. E quando mais vezes dessa maneira for interagindo, vai também percebendo mais cores, que poderão variar de acordo com o seu estado psicossomático momentâneo, para até mesmo captar as cores de suas camadas internas da aura (campo ou corpo bioenergético).

Seres das realidades paralelas neste final de ciclo (de 25.625 anos) estão cada vez se mostrando presentes na realidade física interagindo com o ser humano, mas essas interações se fazem sobretudo no plano mental através de sua quinta camada da aura – do mental sutil. Interações com informações que ele diz receber por processo intuitivo, que tem o intuito de despertá-lo, para que possa vivenciar um proposito mais consciente, universal e mais verdadeiro.

A visão física da nave e da sonda do GNA foi o resultado de uma longa preparação mental vibracional do dimensional, para que esse tivesse sintonia e interação com os seres das realidades paralelas e com suas tecnologias. O GNA é uma célula transformadora de energia, situada no pescoço da pessoa, no lado direito e mais próximo de sua nuca, que ativada por flashes de luz emitidas de uma nave na estratosfera ou de uma sonda na atmosfera da Terra (tecnologias extraterrestres), potencializam nessa pessoa ao nível celular os seus prótons e os seus elétrons, para que ela se torne programada para uma frequência mental vibracional diferente (mais acelerada) e tenha também um metabolismo mais favorável, que dificulte o seu envelhecimento.

Sobretudo, tenha em função dessa energização celular mais facilidade para sua transmutação, na medida em que seu corpo físico vai se transformando em mais energia, tornando-se mais sutilizado e menos denso (menos matéria).


Fotos da sonda do GNA em instantes diferentes quando emitia seus flashes luminosos.

Quanto mais a pessoa (dimensional) procura informações, adquire conhecimentos e com eles se exercita em maior amplitude mental, mais influência positiva acontece também em relação à vibração dos prótons e dos elétrons contidos em suas células, que vão transformando o seu corpo físico para uma condição mais energética – para uma frequência mais acelerada. O DNA é o código genético da pessoa e o GNA é o complemento desse código. É como se fosse o seu DNA já transmutado, com mais energia pela interação com a nave ou sonda do GNA.

Quando o DNA da pessoa (dimensional) transformar completamente em energia, ele terá doze hélices e não apenas as duas atuais. Esses doze filamentos estão no dimensional associados aos seus seis estágios evolutivos da alma.

As células do corpo humano são compostas por proteínas, que são constituídas por aminoácidos. Dos 64 aminoácidos possíveis de serem produzidos pelas células (através do DNA), apenas 20 são normalmente ativos na produção de proteína. Os demais 44 são tidos até o presente momento sem utilidade (deixados pelos anunnaki como inoperantes).

O dimensional possui 23 pares de cromossomos. A pessoa não paranormal ou planetário não consegue desenvolver além dos 20 pares, que normalmente possui. O dimensional é aquele que tem o sinal na testa (simbologia) e se está no planeta Terra é para que ajudando, também se ajudem (evoluam). Ele já passou por outras esferas, já circulou por outros mundos. Veio para esse planeta com um compromisso específico, mas por causa da densidade da matéria (terceira dimensão) perdeu a consciência de sua verdadeira origem e do porque está nesse planeta. O planetário tem origem adâmica, portanto tem origem apenas terrena e por não desenvolver os seus 20 pares de cromossomos, não possui habilidades mentais (paranormais) como os primeiros.

O ideal seria que todos os seres humanos possuíssem a frequência cerebral no mínimo de 40 ciclos/seg. (hertz), que equivaleria aproximadamente aos já 23 pares de cromossomos desenvolvidos. Nessa frequência cerebral apenas os dimensionais (1/3 da população) são capazes de alcançarem essa frequência cerebral e, com isso, são capazes de desenvolver habilidades mentais (paranormalidade), o que não acontece com os planetários (2/3 da população), por não alcançarem essa frequência cerebral são incapazes de desenvolvê-las.

A criança e o adolescente dimensionais (“índigo, cristal”) por já possuírem mais pares de cromossomos desenvolvidos, conseguem em um estado mental especial mais acelerado e mais vibracional desenvolvido, atuarem na matéria movendo, quebrando objetos e também manifestando outras habilidades mentais associadas à sua paranormalidade.

Quando os dimensionais interferem na matéria quebrando e entortando objetos, esses feitos acontecem, porque eles já conseguem desprender da matéria energia com o desenvolvimento e com a ativação de seu GNA.

Mas, a finalidade primeira do GNA é acelerar o processo de evolução da pessoa (dimensional) para despertar a sua consciência e lhe dar condição para sua transmutação. Aquele que já está com o seu GNA alterado, ele não só têm suas habilidades mentais desenvolvidas (paranormalidade), como também já possui condições de interferir nas energias (frequências energéticas) e propaga-las também aos animais e às plantas.

O dimensional para ver na realidade física a sonda ou a nave do GNA, deve estar em estado mental concentrado e acelerado – Imagem da Internet

É possível ver a sonda ou a nave que “joga o flash” de luz necessária ao implante no dimensional de sua célula do GNA – e, filmá-la ou fotografá-la.

O dimensional para ver essa sonda ou nave que faz o implante de seus genes, deve em estado mental mais acelerado desejar que isso aconteça (“chamá-la” mentalmente), quando então ela se mostra para ele através de flashes seguidos de luz prateada fisicamente visível, como se alguém com sua máquina fotográfica emitisse flashes tirando seguidamente fotos suas. Essa sonda pode também jogar flashes na cor dourada e vermelha e ainda, na cor violeta sinalizando nesse caso um convite ao dimensional, para que tenha interação direta com os seres das realidades paralelas.

As pessoas (dimensionais) nascidas depois de 27 de março de 1971 já nascem com o GNA implantado e já ativado – com o seu DNA já modificado e seus cromossomos em processo de multiplicação. Possuem também aura externa prateada e ainda energias (frequências) para que manifestem sua paranormalidade, que por enquanto não sabem como corretamente desenvolvê-la e controlá-la como habilidade mental. Essas pessoas por possuírem muito mais energia em seu campo ou corpo bioenergético do que os planetários, elas estão preparadas para interações de 3º, 4º e 5º graus com as realidades paralelas.

Aqueles dimensionais nascidos antes de 27 de março de 1971, eles podem desenvolver as mesmas aptidões paranormais daqueles que nasceram depois dessa data, precisam apenas exercitarem e desenvolverem nesse sentido, ativando (esfregando) sua célula transformadora de energia localizada no lado direito de seu pescoço, no instante em que o flash luminoso é projetado pela nave ou pela sonda do GNA. Esses dimensionais de mais idade devem principalmente se exercitarem com essa ativação luminosa, para desenvolverem sua paranormalidade e, sobretudo poderem se transmutar.

As pessoas (dimensionais) que nasceram antes de 1971, a célula de GNA foi nelas implantada de quatro maneiras diferentes. Aquelas que possuem descendência direta, a nave ou sonda do GNA nelas jogou a energia luminosa e ativou em seu pescoço essa sua célula de pura energia; descendência indireta os pais dessas pessoas foram tocados por esse flash de luz, portanto já ativados os seus filhos nasceram também indiretamente ativados; as pessoas com origem indireta são aquelas que a sua ativação foi feita de forma extrafísica, quando estavam dormindo e suas essências vibratórias foram delas nesse momento retiradas, para que nelas fossem implantadas essa célula de energia; as pessoas que possuem origem direta, elas em sua infância ou adolescência foram ativadas fisicamente por essa energia luminosa, mas não lembram desse fato apagado de sua memória, quando foram como dimensionais convidadas e levadas (não por abdução) através de um facho de luz violeta e já dentro de uma nave foram ativadas.

Algumas pessoas de origem direta tiveram contatos frequentes com seres das realidades paralelas entre zero e dois anos. E, outras pessoas também com origem direta tiveram essas suas interações entre quinze e dezessete anos, mas apenas se lembram desse fato como “algo confuso”, não inteiramente recordado.

O dimensional ao ser levado entrar nas naves através de um facho luminoso, ele é convidado, portanto não é abduzido (forçado) – Imagem da Internet

Aquelas pessoas (dimensionais) com GNA duplo, são aquelas que nasceram com duas dessas células de energia, com frequências diferentes e, nesse caso, devem ainda na barriga da mãe ser trabalhadas, para que essas frequências sendo harmonizadas, elas não nasçam com alguma anomalia genética e possam em sua vida colher resultados positivos e desenvolver capacidade mental e inteligência além da média.

Como já foi antes mencionado existem desde do ano de 1971 naves do GNA na estratosfera terrestre. São 49 naves que emitem vários flashes luminosos para ativar o campo vibratório das pessoas (dimensionais). Essas naves estão na linha do equador e mais precisamente em cima do território brasileiro.

E, em 27 de março de 2004 mais um satélite (sonda do GNA) entrou em orbita ativado pelas realidades paralelas, podendo ser visto com facilidade e, inclusive, por alguns momentos durante à luz do dia. Ele ativa e projeta o GNA das pessoas que nasceram depois do ano de 1971 e que possuem dois pares de GNA (positivo e negativo). Mas, essa sonda veio para trabalhar especificamente o GNA dos dimensionais, que fizeram e que ainda farão o seu “banho de plasma”.

Ela emite uma frequência de onda na forma de uma luz, que somente os dimensionais que receberam esse plasma poderão com ela sintonizar e interagir. E o benefício em cada emissão desses flashes de luz é potencializar todas as camadas de sua aura, ampliar seu nível de consciência e razão (padrão evolutivo), ativar sua memória cósmica e centralizar sua energia taquionica, preparando-os para mundo, preparando-os para que vivenciem em harmonia e possam melhor propagar e despertar as pessoas para o Novo Tempo – para a pacifica Era do Povo Dourado

Foto de um instante que acontecia o “banho de plasma” em um grupo de dimensionais.

A realidade tridimensional com a sua densidade bloqueia nos dimensionais os conhecimentos já adquiridos em outras realidades de existência e bloqueia também o exercício de suas habilidades mentais (paranormalidade), então é difícil para eles se expressarem como poderiam através da vidência, premonição, telepatia e clarividência, entre outras habilidades que estão associadas à sua região livre do cérebro – associada ao grupo psi-gama. Eles se intuem, que vieram ao planeta Terra para fazerem algo especial, mas ainda não despertos de fato não sabem o que é, por isso não têm a noção mais clara de como se proceder.

Os seres das realidades paralelas mais constantes interagindo com os dimensionais são os seres ultradimensionais, que são vistos por aqueles que já alcançaram a condição mental e vibracional para isso. Esses seres são também conhecidos como “orbs” e ainda como energias pensantes e inteligentes. Eles sentem, agem e interagem com as pessoas por vontade própria e estão em um plano intermediário, interagindo entre as realidades paralelas (da 3ª à 7ª), com condições de se mostrarem ao mesmo tempo em dois planos de existência.

Esses seres em relação à densidade da realidade física são constituídos praticamente por energia com grande campo vibracional. Portanto, são de alta vibração e de uma intensa luz (“pequeninos sóis”), vibrando além da matéria, que a dominando podem projetar imagens holográficas, inclusive silhueta humana para que com ela a sua interação (contato) com as pessoas aconteça de forma mais harmônica. Em seu centro possuem um núcleo, de onde emitem luzes diferentes, conforme a vibração das pessoas que com eles interagem. Flutuam e estão por toda a parte, mostram-se mais facilmente quando a vibração do ambiente está alegre e é vezes comunicam verbalmente com a voz aparentemente com um som metálico.



Fotos de seres ultradimensionais mostrando que flutuam, estão em toda a parte, interagem mais facilmente com as pessoas conforme a vibração (mental) mais acelerada dessas e também com a vibração de um ambiente mais alegre.

Esses seres conscientes que anteriormente já se transmutaram, estão também em processo evolutivo, aprendendo com os seres humanos sentirem a sutileza das emoções, interagirem com essas “frequências energéticas” que ainda desconheciam, para então passarem para um plano ainda mais acelerado (vibrátil) do que estão. Atuam no campo eletromagnético das pessoas e apresentam de maneiras diferentes em cada dimensão.

Entre 3ª e 4ª dimensões apresentam-se com a forma de bolhas de luz coloridas e transparentes, portanto se mostram redondos porque essa forma é mais perfeita para a terceira dimensão; entre 4ª e 5ª dimensão têm a forma achatada como fossem dois pratos opostos colados um no outro, com o seu interior espiralado para facilitar, que a energia circundante incida em seu interior e também molda a forma de algumas galáxias (em ressonância à Segunda Lei Universal); entre 5ª e 6ª dimensões possuem a forma de losango; entre 6ª e 7ª se mostram elipsoidais.

A forma quadrada caracteriza fases intermediarias da passagem desses seres entre uma dimensão à outra e pode durar de um a sete minutos. Deve-se salientar, que esses seres estão vibrando em faixas de frequência entre as dimensões e não nelas inseridos.


Fotos de seres ultradimensionais mostrando-os com formas diferentes, conforme a frequência que emitem em relação às dimensões, que com elas estão no momento em sintonia.

Para que aconteça a interação do seres ultradimensionais (“ultras”) com a pessoa não depende da vibração desse último e também de sua sintonia, de seu nível de energia e de sua harmonização. Mas, para que ela (dimensional) consiga interação (contato) com esses seres, precisa possuir um padrão mental vibracional compatível, quando então eles através de uma luz eletromagnética que emitem, podem ser vistos não tão tridimensionalmente densos, mas em corpos plasmados em um plano de existência mais acelerado próximo à realidade física (4ª dimensão).

A pessoa (dimensional) utilizando-se de seu ectoplasma e de seu campo eletromagnético, pode por um instante senti-los fisicamente. A vibração eletromagnética é a que mais aproxima da vibração deles. Esses seres das realidades paralelas aparecem ou desaparecer instantaneamente, quando acontece um flash no ambiente acompanhado de um estalo, gerando calor e uma sensação de vácuo, provocados pela sua passagem da terceira para quarta dimensão e vice-versa.

E, para enxergá-los mais comumente no plano da realidade em que estão, a pessoa deve antes aprender interagir com outras dimensões ativando sua terceira visão (mental), que é alcançada com o seu equilíbrio emocional, exercícios e treinamentos nesse sentido. Nesse desenvolvimento de sua terceira visão a pessoa deve com calma ver antes a primeira camada de sua aura com o seu contorno de uns dez centímetros em torno de seu corpo físico normalmente na cor prata ou neon, mas às vezes pode também ver as cores de sua aura interna. Com esses treinamento ela começa visualizar também o corpo e o núcleo desses seres e em outra etapa em frequência mentalmente ainda mais acelerada enxergá-los projetados na frequência dos seres energéticos.

A comunicação com esses seres não se dá através da canalização, ela acontece de maneira muito peculiar. Eles às vezes conversam com a pessoa verbalmente, mas de maneira mais constante nesses contatos pelo processo mental, quando a pessoa no primeiro momento sente-se como estivesse interiormente conversando consigo. Mas, com o tempo ela começa perceber a diferença quando está pensando e quando são esses seres que estão com ela mentalmente comunicando. Muitas vezes quando a pessoa (dimensional) “sente-se inspirada” com o “recebimento” de certas informações, são eles que nesse aparente processo intuitivo, provocam esse “contato mental”.

Eles mostram-se na realidade física através de cores e de formas características. Na cor vermelha são vigilantes e observadores; na cor laranja estão com o intuito de comunicação (de contato); na cor verde estão predispostos ajudar a curar; na cor azul estão na frequência para estabilização de energias; ao se mostrarem como pequeninas bolas com dois pontos escuros estão alertando para algo e com três ou mais pontos estão sinalizando algo no carma das pessoas; na cor de uma pequena bola branca estão na frequência dos seres energéticos (“angelicais”) e trabalham o campo vibracional das pessoas; na forma de pequenas bolas vermelhas (vigilantes) captam a energia mental das pessoas (o que pensam), que podem repassar para seres de outras realidades.

No início da humanidade (antes dessa civilização) os primeiros seres humanos viviam em sintonia com essas energias sutis, que são mencionadas por algumas religiões como anjos mensageiros, gênios e djinn e que naquele tempo eram mais fisicamente presentes e que foram “expulsas por Deus” desse planeta para as realidades paralelas (para além do espaço-tempo), por não reverenciarem os homens que estavam surgindo possuidores de emoção, de alma e de espirito e não apenas de espirito como no caso deles.

Para alguns estudiosos e pesquisadores de escritas religiosas mais antigas e tidas por muitos como “sagradas”, esses seres são por interesse festivos, mas são ainda dissimulados, manipuladores, vingativos, tomam a forma que querem, só agem em benefício de alguém mediante interesse de troca (dão se recebem) e em algumas de suas interações com as pessoas podem se comunicar verbalmente – Mais informações no texto “Djinn ou gênios – os que foram expulsos” e no texto “Djinn ou gênios – os que retornam ao mundo real”, na Página Interações, neste Site.



Para alguns estudiosos e pesquisadores anjos mensageiros, gênios e djinn são a mesma coisa e são também por interesse festivos, mas são ainda dissimulados, manipuladores, vingativos, tomam a forma que querem e só agem em benefício de alguém mediante interesse de troca (dão se recebem) – Imagens da Internet.

Os seres humanos (dimensionais) para interagirem conscientes com os planos mais acelerados de existência e mais sutis, devem também utilizar de sua aura ou de seu corpo bioenergético. Devem valer desse seu corpo também mais sutil e mais vibrátil, que se mostra em várias cores e formas.

Se o campo ou corpo bioenergético (aura) da pessoa for de cor prata em cima dos vórtices (chacras), sinaliza energias bloqueadas relacionadas à sua vida sexual, emocional e financeira; cor vermelha em cima dos vórtices energéticos (chacras) mostra além da presença de inflamações em seu corpo físico, mostra um bloqueio intenso, muita timidez, inclusive, para se expressar em público; cor vermelha ao nível de sua cabeça, envolvendo-a, mostra a sua kundalini já desenvolvida; cor azul com ou sem lilás em qualquer posição de seu campo sinaliza oscilações negativas em sua vida financeira.

Cor lilás em qualquer posição de seu campo sinaliza situação positiva em relação à sua vida financeira; cor rosa em qualquer ponto de seu campo sinaliza mudanças sentimentais e emocionais; cor laranja com dourado espalhado pelo seu campo sinaliza possuidora de mediunidade; laranja com dourado ao nível de sua cabeça sinaliza-a em preparação para interagir consciente com seres das realidades paralelas; laranja sem dourado espalhado pelo seu campo sinaliza-a em relação à sua mediunidade e também mostra que está sendo preparada para contato com seres de outras realidades de existência.

Fotos de um dimensional mostrando momentos diferentes de sua aura (externa), que compõe o seu campo bioenergético – ou, o seu veículo sutil de cor/luz que lhe permite interagir com os planos de existência também mais sutis.

No campo (corpo) bioenergético da pessoa (aura) formas que são nele mostradas, também caracterizam situações físicas, emocionais e mentais, em momentos diferentes vivenciados por ela.

Formas de machas que se mostram em seu campo ou corpo bioenergético sinalizam que ela possui energia extrafísica e habilidades de “abrir portais”; forma de um tubo disposto acima de sua cabeça sinaliza a sua condição de já está preparada para ter consciente interação (contato) com as realidades paralelas; contorno com qualquer cor envolvendo totalmente o seu corpo físico, sinaliza energia de muita paranormalidade; halo incompleto de cores ao nível de sua cabeça sinaliza problemas em seus órgãos internos – halo à esquerda de sua cabeça mostra problemas em seu aparelho digestivo (estomago e fígado e halo à direita esses problemas estão localizados em seus rins, coluna e articulações; um vazio (buraco) profundo ao nível da parte superior de seu corpo físico sinaliza presença de energias obsessoras negativamente interferentes; machas como fossem queimaduras em seu corpo físico sinalizam implantes, energias psicoativas desenvolvidas e poltergeist.

É premente a necessidade de evolução dos seres humanos, principalmente nessa ocasião de final de ciclo e início de outro, em que os seres humanos sem mais protelação devem entrar em outro processo civilizatório, já livre do controle atual econômico-financeiro de poucos sobre muitos. Devem também possuir interações conscientes com as realidades paralelas, adquirindo uma percepção mais nítida e verdadeira de sua inserção com o cosmo, com o multidimensional e com o divino, sem mais deixar se desviar por interferências costumasses alicerçadas por milhares de anos de ignorância, alimentadas principalmente por conceitos e crenças religiosos.

Eles devem realmente se despertar, voltar para si mesmos, voltar para sua verdadeira realidade multidimensional, sem mais se deixar condicionar e ser manipulado por aqueles que olhando seus interesses, se valem das limitações físicas e dos conflitos emocionais humanos, explorando-os.

Jesus de Nazaré como “Jesus, O Cristo” manipulava a Energia Crística (Multivibracional) de realização no mundo físico, inclusive para fazer “milagres” de cura das pessoas e, ao despertar nessas interesse de ajuda física e em muitas outras o de curiosidade, dele se aproximando, podia nessas ocasiões se mostrar também como “Messias, O Enviado”, quando as ensinava através de parábolas, utilizando-se de exemplos do cotidiano.

Ele ensinava com sabedoria da humildade necessária a um verdadeiro mestre. Ensinava com a certeza do que falava dentro do Sentido da Verdade, sem manipulação em proveito próprio, sem fazer julgamento com uma compreensão especial “por ir além”, ao “ver” também conflitos da alma humana projetados e mostrados no campo (corpo) bioenergético das pessoas.

Jesus de Nazaré quando ensinava era mais junto à natureza e sintonizado de fato às realidades de existência mais sutis, sem se impor e sem amedrontar, evitando gerar conceitos e crenças religiosas estéreis e, com sua condição mental e vibracional especial gerava Energia Crística (Multivibracional), manipulava Leis Universais e dominava a matéria e curava as pessoas – ainda, através da energia taquionica ou da energia de seu pensamento vibrava em sintonia à Frequência do Amor Universal – imagem da Internet.

Existe a diferença entre se deixar levar pela religião e se deixar conduzir pela religiosidade.

Muitas religiões principalmente hoje com variadas maneiras de se conduzir e de se expressar, utilizando-se do recurso da mídia, mostram-se com objetivos inconfessáveis o verdadeiro sentido de manipulação das pessoas, com seus religiosos identificados mais com o estado mental próprio à terceira camada física da aura e dos sentidos buscando mais constante o enriquecimento (teologia da prosperidade) no mundo físico ou do concreto.

Aquela pessoa que se conduz verdadeiramente por um estado de religiosidade (“espiritualidade”), já não possui esses vícios mentais e humanos, porque ela mais se conduz por um estado profundo d’alma, de interiorização que é só dela, sem necessidade de se deixar conduzir motivada e deslumbrada por encenações e rituais. Ela em silencio se deixa impulsionar mentalmente pela sutileza de sua quinta camada da aura (campo ou corpo bioenergético), frequência que não está mais em sintonia com valores do mundo físico e que é uma “ponte” entre a realidade física e as realidades paralelas mais aceleradas ou de luz – mundos mais sutis de existência e não fisicamente visíveis.

Essa diferença conduzindo-se pela sua “espiritualidade”, Jesus de Nazaré a mostrou e a vivenciou dois mil atrás realmente sintonizado com o divino, ao gerar Energia Crística (Multivibracional), ao manipular Leis Universais, ao dominar a matéria e curar as pessoas – e, através da energia taquionica ou da energia de seu pensamento vibrar em sintonia à Frequência do Amor Universal.

Fontes de consulta: Atividades de campo, seminários e apostilas do Projeto Portal

Trackbacks/Pingbacks

  1. Interagindo com o Cosmo e o Multidimensional - por Antônio Carlos Tanure - Lótus Azul - […] http://pegasus.portal.nom.br/interagindo-com-o-cosmo-e-o-multidimensional/ […]
Translate »