Postado por

Intoxicações Físicas

Intoxicações Físicas
Print Friendly

Um número imensurável de reações químicas é realizado pelo nosso corpo a cada segundo, reações estas que para acontecer precisam da presença de enzimas, vitaminas e minerais específicos. As enzimas por sua vez precisam de um meio com PH e temperatura adequados para exercerem a sua função.

PH é a concentração de íons de hidrogênio de um determinado meio, que é considerado ácido quando for menor que 7.0, neutro quando igual a 7.0 e alcalino quando maior que 7.0.

O PH normal do nosso sangue arterial varia de 7.35 a 7.45, portanto alcalino com pequenas variações além da normalidade que alteram de forma significativa toda a função enzimática.

Para manter o PH-sanguíneo dentro da normalidade dispomos de um mecanismo denominado sistema tampão ou reserva alcalina. Este sistema funciona ininterruptamente neutralizando as substâncias ácidas produzidas pelo metabolismo dos alimentos que ingerimos – principalmente os que são ricos em proteínas.

Estes alimentos produzem como produto final de seu metabolismo, ácidos não voláteis que necessitam ser tamponados e depois excretados pelos rins.

É por esse fato que os laboratórios pedem sempre, que fiquemos em jejum antes da coleta de material – se ingerirmos alimentos cozidos ou processados antes de um exame de sangue iniciar-se-á uma resposta imune, que elevará a contagem de glóbulos brancos a um valor parecido ao de uma apendicite aguda, o que não ocorre após a ingestão de alimentos crus.

Desafiamos diariamente nossas reservas e, demanda-se de forma também diária um gasto energético com a imunidade. Esta descoberta foi feita em 1930 pelo Dr. Paul Kouchakoff no Instituto de Química Clínica, em Lausanne na Suíça e denominada leucocitose digestiva.

Nosso organismo também possui um sistema de purificação e eliminação formado por cinco canais básicos (intestino grosso, pele, sistema urinário, sistema linfático e sistema respiratório).

Esses canais são independentes e o equilíbrio entre eles é fundamental para a nossa saúde, eles têm como objetivo manter a higiene interna e lançam ao meio externo todo o produto final e indesejável (tóxico). Observe que todas as substâncias eliminadas são ácidas (suor, urina, fezes e CO2), comprovando a necessidade que o organismo tem de expulsar a acidez para se manter em equilíbrio.

A eliminação deficiente faz com que o sangue circulante fique intoxicado, e este ao banhar áreas frágeis favorecerá a assimilação de material tóxico por células deficientes, facilitando a formação de doenças.

Quando a eliminação está equilibrada e adequada às necessidades da pessoa, o material tóxico acumulado em áreas sensíveis do corpo é eliminado com maior rapidez, promovendo o equilíbrio orgânico e a renovação celular.

Sabemos que os alimentos podem ser classificados, de acordo com o resíduo proveniente do seu metabolismo em formadores de acidez e de alcalinidade. Uma alimentação composta 50% de alimentos acidificantes e 50% de alcalinizantes terá como produto final do metabolismo um resíduo com PH neutro igual a 7.0.

Este PH, embora neutro, está muito abaixo do PH sanguíneo adequado a um perfeito funcionamento enzimático. Assim, para que o resíduo resultante tenha um PH alcalino e próximo do desejável, é necessário aumentar a proporção de alimentos alcalinizantes de 50% para mais ou menos 70% a 80%.

Symone Christina Silva
Iridóloga e Terapeuta Naturista

Translate »