Postado por

MÁXIMA – XXVIII

MÁXIMA – XXVIII
Print Friendly

O texto desta Página como os das Páginas anteriores foi feito com informações tiradas de algumas partes dos últimos textos das Paginas Interações. Se nele as informações foram resumidas para uma só frase, foi com o intuito de melhor facilitar a assimilação de seu conteúdo e, com isto, facilitar também uma melhor fixação mental do mesmo, no sentido de despertar (em outro nível de consciência e razão) a percepção para as realidades paralelas – para uma nova visão da Realidade.

Os dimensionais/Projeto Portal estão ligados uns aos outros, mesmo os que já conseguiram potencializar/limpar o seu campo de energia, porque mesmo estes ainda dependem daqueles outros que ainda não alcançaram este intento – assim, é preciso que estes que já se potencializaram, ajudem constantemente aqueles outros, para que não ajam desequilibradamente, em função de sua própria insegurança originada do seu pré-destino, que eles mesmos programaram.

E a única maneira dos dimensionais desvincularem uns dos outros, é saírem do Plano A e entrarem no Plano B, o que não seria interessante para ninguém porque todos teriam prejuízo – já que ficaria “cada um para si mesmo e Deus para todos” – o Plano B é a ultima cartada. – (informações extraídas da transcrição do atividade de campo de São Paulo, em novembro de 2008).

A “Sorte” é para quem faz, é para quem a busca através de freqüências/atitudes positivas. E a “Sorte já foi lançada”!…

Tudo é uma questão de consciência e organização, com o dimensional agindo direcionado para uma nova Visão da Realidade, quando se utiliza dos ensinamentos do Projeto Portal, que derrubam tabus e dogmas e colocam todas as coisas sob uma nova ótica, reordenando-as.

O “ego” é que prende o dimensional à terceira dimensão, porque é emocional e não intuitivo e, portanto está sempre “viciando”/forçando o dimensional a se direcionar para baixo”, limitando-o às suas experiências no plano físico, forçando-o a ser míope, quando utiliza mais constantemente das informações dos seus cinco sentidos, que não lhe permitem “ter uma visão voltada para cima” ou mais ampla e intuitiva – em ressonância com o seu “Eu Superior”.

Vibração é igual a tudo que vibra, é igual a tudo que tem freqüência e tudo que realmente vibra, tem ação e, portanto Vibração não é apenas uma palavra (morta) falada ou escrita.

Vibração em relação ao dimensional é sua Energia da Vontade, portanto é a sua Energia Vibracional presente, atuante e construindo na terceira dimensão.

Polarizar a freqüência emocional é quando o dimensional visualizando a cena ou a situação e/ou o objeto de seu desejo, ele joga a sua intenção (vibra) no sentido de obtê-los e com esta “técnica” é que ele deve sempre proceder, utilizando-se de suas Linhas da Vida.

O dimensional quando gera/cria uma freqüência/energia, ele está gerando/visualizando um pensamento especifico que provoca uma emoção também especifica e assim, desta maneira, é que ele gera esta freqüência.

Gerar positivamente um pensamento é o dimensional criar/visualizar aquilo que ele quer ou que apenas ele pode desejar e que nenhum outro dimensional pode fazer por ele.

O dimensional que já se despertou e que já tem o seu compromisso precisa despertar outros dimensionais, para que estes já também despertos se tornem compromissados, para que seja alcançado pelo menos o numero mínimo de mil quatrocentos e quarenta dimensionais compromissados – dimensionais com a responsabilidade de já estarem paralelamente com uma determinada vibração para repassá-la à humanidade.

A Freqüência/Luz da Divindade que está relacionada aos dimensionais já compromissados, é composta por uma Luz que vem de todas as direções, que circula o dimensional durante cerca de quinze segundos e a sua cor é de acordo com a freqüência de cada um e trabalha no dimensional a sua consciência razão.

A Freqüência da Divindade está ligada aos mundos interiores, aos portais, às visitações dos “Seres” e trabalha de forma decisiva o campo energético do dimensional, atuando tanto em seu corpo físico quanto em seu corpo mental.

O que o dimensional Projeto Portal já está vivenciando/interagindo com outras dimensões e com os “Seres”, a ciência tradicional nem mesmo tateia, portanto ele vivencia momentos únicos, quando são refeitos paradigmas e conceitos ao experenciar fenômenos relativos às realidades paralelas e aos efeitos físicos, tanto provocados pelos “Seres” quanto por ele em ocasiões especiais de ativação – e o que ele “enxerga”, não se compara com o que já presenciou/percebeu nos trabalhos vibratórios que até então realizou.

Em seu trabalho de propagação/divulgação o dimensional deve ter “coração e mente abertos”, se mostrando com a sua percepção e a sua inteligência além do padrão comum.

Se o dimensional desperto propaga/divulga o que não é comum em situações quase sempre difíceis, é porque o “incomum” está dentro dele sem mais com a condição de ser contido – o dimensional já consciente é um ser especial e se está no aqui agora, é para realizar o seu compromisso de despertar outras consciências em relação “aos mundos” além dos cinco sentidos humanos.

O dimensional deve aprender vivenciar a paciência/humildade, para que não fique mais atropelando pela impaciência o companheiro, principalmente o dimensional já compromissado, que alcançou o padrão vibratório para o compromisso, mas que muitas vezes ainda está a desejar em relação ao seu padrão evolutivo.

Tudo para que aconteça no Universo sempre existe um “investimento”, que em função dele existe um retorno e, para o dimensional/Projeto Portal o retorno está relacionado ao padrão evolutivo dos “Seres” – este dimensional que busca “algo superior”, se obtiver sucesso em relação ao seu compromisso, os “Seres” reciprocamente também o terão.

As três “Naves GNA” que agora estão se mostrando cada vez mais próximas dos dimensionais, cada uma delas ativa diferentemente as Freqüências Pensamento/Desejo/Vontade e, portanto esta ativação está relacionada às três Linhas da Vida ABC ou respectivamente os grupos Medicina de Cristo/Lilith/Medusa – cada uma destas três freqüências vibratórias trabalha a consciência-razão do dimensional através das camadas de sua aura, para que as suas habilidades (paranormais) se tornem cada vez mais aguçadas e ele ainda, possa se preparar para ajudar a população para os regastes.

Os “Seres” estão esperando o retorno em relação ao investimento energético-vibratório, que há anos vêm fazendo no dimensional/Projeto Portal, portanto estão esperando que de forma precisa, direta e sem mais protelação divulgue/propague à população a existência de outras realidades e ao conscientizá-la neste sentido, ele vai paralelamente alcançando a condição para a sua Transmutação, na medida em que vai também ampliando o seu padrão evolutivo e vibratório.

Aqueles dimensionais que já tiveram mais contatos com os “Seres” já estão na freqüência/sintonia deles e, portanto para estes dimensionais em relação aos novos contatos, deve ser feito apenas um pequeno ajuste vibratório e nada mais.

Os “Seres” não dão preferência a ninguém, que é uma atitude tipicamente humana – cada um é que deve conquistá-la – os dimensionais são irmãos e um não é (preferencialmente) melhor que o outro.

Os “Seres” mostram Unidade e todos os dimensionais devem se expressar da mesma forma – todos são “Luz” em sua Essência, apenas no momento estão em planos diferentes de existência, estão em freqüências de vibração diferentes.

O dimensional deve menos teorizar e mais vivenciar a Neutralidade em Estado de Graça ou de Coração Puro, portanto ao vivenciar o porquê das coisas em seu cotidiano, ele não deve deixar levar/influenciar tanto mais pelas suas emoções, para que não saia da faixa de tolerância – ele deve positivamente polarizar (harmonizar) as suas emoções.

O dimensional deve sempre procurar o porquê dos acontecimentos em sua volta e constatando-os, deve aprender com eles sem o vicio do julgamento a favor ou contra, para que possa cada vez mais consciente, de forma consistente e imperturbável trilhar o seu caminho evolutivo.

O dimensional que está em Estado de Graça mantém sempre a sua porcentagem de carga elétrica, porque não se deixa desgastar pelos descontroles emocionais.

Aquele que está realmente vibrando em Estado de Neutralidade, ele está em Estado de Graça vibrando em sintonia com a Freqüência do Amor Universal e, portanto está também vivenciando harmonicamente o verdadeiro sentido da Organização/União – os “Seres” precisam da presença constante de “Corações Puros”, para que possam passar muitas outras informações e conhecimentos.

O número 999 que é o inverso do número 666 está associado àqueles indivíduos dimensionais despertos e, portanto já com a freqüência vibracional ativa e direcionada a ponto de promover sem mais perda de tempo a sua Transmutação, ajudar também a promover a Transmutação de outros indivíduos dimensionais e ainda de resgatar multidões em um momento crucial, intermediando os seres humanos com os “Seres”.

Porque os seres humanos se conduzem mais constantemente pela “batuta” da disputa/beligerância e menos pela convivência pacifica, porque na historia da humanidade o homem mais se destrói/divide e menos se soma/ama?

Chegou o momento dos dimensionais despertos acautelarem em relação às mensagens e aos sinais subliminares, que camuflados servem a interesses recônditos e não confessáveis – chegou o momento para que eles mais conscientes, fiquem também mais precavidos em relação à percepção e à persuasão destas mensagens que ficam guardadas em seu subconsciente.

Os dimensionais estão vivenciando um momento, que devem observar bastante o que lhes acontece em seu cotidiano.

Será que para aqueles dimensionais já despertos, mas que não estão ainda suficientemente vigilantes ao que está lhes sucedendo em seu cotidiano através de situações/acontecimentos ou mesmo através de outros indivíduos, emperrando o seu trabalho de propagação para uma Nova Visão da Realidade, não existe junto à sua inércia a “presença do dedo” de um poder danoso e oriundo de uma outra dimensão?

É o tempo de “limpar”/renovar tanto o Inconsciente quanto o Consciente Coletivo.

É o tempo da Unificação – é o tempo da Nova Era, como já disseram os “Seres”.

É o momento da Transmutação.

O Novo Tempo chamado também de Era Dourada por alguns ou por Era de Aquário por alguns outros, independentemente de qualquer nome que queiram dá-lo, é um outro momento para humanidade, para que ela possa se reconstruir como civilização sem mais a opressão e os conflitos/violências do passado.

É o tempo de vivenciar a Nova Realidade com a Visão do Amor Universal e nele agir dentro do Principio de todos por Um e cada um pelo “Todo”.

O dimensional que realmente se despertou, ele já deve saber decodificar/interpretar à luz da ciência os “fenômenos”, que mais constantemente na forma de manifestações já estão fazendo parte de suas experiências como momentos com as realidades paralelas – ele não deve mais se limitar emocionalmente pela admiração excessiva ou pelo culto inconsistente aos “fenômenos”, que cada vez mais fazem parte destas suas experiências de sintonia e de interação.

O dimensional deve perceber e analisar as suas experiências com as realidades paralelas, não só com a “percepção mental” pelo frontal (3ª visão) que é compatível a partir da quarta dimensão, como também deve procurar entendê-las, encaixando-as dentro do possível às leis da terceira dimensão como realidades de existência que se sobrepõem ou que se entrelaçam – ele já deve ter a noção que todas as informações são importantes, porque acabarão por levá-lo compreender que tudo está energeticamente entrelaçado através do Sentido de Unicidade ou de Deus. Inclusive, se perceber atuante em sua condição de cérebro, mente, pensamento e consciência na construção do “ser observador”.

O dimensional desperto já vivenciando nível de maior compreensão por utilizar mais de sua consciência-razão e ao mesmo tempo de sua intuição, ele já deve ter a real noção que os “Seres” não são “ícones sagrados” e que não devem ser “venerados” e também, ele já deve ter entendido que o “Consolador” não é um “guru” e que o Projeto Portal não é uma religião.

Todos em sua realidade/freqüência vibracional têm a mesma importância, apenas cada um está no momento com uma responsabilidade especifica, desempenhando uma tarefa programada e diferentemente umas das outras no Corpo Energético e Físico Projeto Portal.

Para as Leis Universais ninguém é preferencial, que é apenas uma verdade no plano mental-físico – “no mundo dual” das experiências.

É o cérebro como “instrumento físico”, que permite o dimensional desperto “funcionar” como “computador vivo” e alcançar a compreensão que o Universo é perfeição, padronização e simetria – é ele que o permite ainda como um ser físico-vivente de terceira dimensão, chegar à conclusão, que a linguagem da Matemática Universal o ensina antes de tudo, que deve se despertar e extrapolar o mundo dos seus cinco sentidos e sincronizar o seu mundo interior com os mundos interiores de outros indivíduos em sua volta e, que ao expressar “nesta linguagem” ele deve antes aprender a “falar” para si mesmo, quando ao adentrar em seu mundo interior, vai se mostrando pela Neutralidade na Freqüência do Amor Universal.

Tudo o que faz parte da vida do dimensional é antes gerado em sua mente, que no fundo é a “matéria prima” que com ela cria, utilizando-se de seus pensamentos e de suas ações – a sua energia/freqüência mental associada ao seu pensamento é que delineia o seu futuro, é o que idealiza associado à força de sua emoção, que “ganha” vida como pensamento polarizado.

O dimensional desperto já sabe que através da glândula pineal, é que ele pode acessar de forma consciente as realidades paralelas – dependendo do seu ritmo cerebral a imagem holográfica manifesta em regiões diferentes do seu cérebro, que através dele tem apenas que aprender a visualizar a imagem, para que ela se direcione ao seu chacra frontal relacionado à sua glândula pineal e se manifeste em sua tela mental.

O Pensamento é que o “conduz” o dimensional para o que ele quer – quando o seu Pensamento o “conduz” à quinta dimensão, o seu Desejo já foi antes plasmado na quarta dimensão, para que ele concretize o que quer na terceira dimensão com a sua Vontade, que só com ela é que ele realiza no plano físico, inclusive, “cria” as holografias.

Quando acontece a “Alquimia” entre o seu Pensamento e o seu Desejo, que resulta em plasma, significa que formou na tela mental do dimensional a imagem holográfica como uma energia plasmada e que pode ser manifestada na terceira dimensão já na Freqüência de sua Vontade – e os “Seres” dela também utilizam para que se mostrem no plano físico, quando são vistos e fotografados.

A mente do dimensional associada à sua capacidade criadora “mexe” totalmente com a sua freqüência cerebral, quando acontecem as holografias e outros “fenômenos”, que ele antes os desejou, imaginando-os em sua tela mental como acontecimentos já realizados e que se tornam reais por sua Vontade no plano físico – e daí, a menção de que o pensamento pode ser materializado.

O dimensional sabe que a forma-pensamento é uma realidade como pensamento plasmado, que é uma realidade não consciente da quarta dimensão e que as presenças das Energias (“Seres”) Conscientes que com elas já terceira dimensão dialoga, são Consciências distintas e de realidades/freqüências de existência diferentes.

O dimensional desperto sabe que o sonho que traz sensações coerentes à realidade física (que faz parte do mundo holográfico ou do pensamento plasmado – quarta dimensão), ele poderá posteriormente se realizar na terceira dimensão, dependendo de como ele se conduzirá, direcionando em relação ao que sonhou a sua paranormalidade de feitos físicos.

O dimensional que já alcançou mentalmente outros níveis de freqüência e os manipula, ele já sabe que as Leis Universais são bastante claras, quando o sinalizam, que ele deve aprender antes de tudo, fazer a sublimação de seus pensamentos e a polarização de seus sentimentos – que ele deve se tornar o “senhor” de suas próprias leis em relação ao seu mundo interior.

Alguns pesquisadores já concluíram que o cérebro não gera pensamento e não explica a mente, eles já têm a noção que o pensamento ocorre no cérebro, mas não pertence a ele e, da mesma forma, que a fala acontece ao telefone, mas não é o telefone que fala, também não é o cérebro que pensa, o pensamento só acontece através dele – para estes pesquisadores o cérebro está para os órgãos do corpo como um grande computador e como uma entidade extra-corpórea.

Para o dimensional desperto cérebro, mente e pensamento estão em níveis de realidades diferentes, mas que se entrelaçam – para ele o “ente” cérebro/físico pertence à terceira dimensão, mente/”plasma” à quarta dimensão e pensamento/consciência à quinta dimensão.

Dependendo do ritmo cerebral do dimensional, a imagem holográfica se manifesta em regiões diferentes do seu cérebro – ele tem apenas que aprender a visualizar a imagem, para que ela se direcione ao seu chacra frontal relacionado à sua glândula pineal e se manifeste em sua tela mental.

A ciência está cada vez mais perto de superar as dificuldades postas desde o início pelo chamado “dualismo cartesiano”, que dividiu a realidade em dois tipos de “coisa” – matéria e mente.

A decifração do enigma da relação cérebro-mente reside no modelo vivenciado pelo ser humano em um mundo de sistemas, onde tudo está ligado a tudo, já que não existem tanto coisas totalmente isoladas (e isso vale para a função cérebro-mente), como também não existem coisas imutáveis (tudo flui, é dinâmico) em sua volta – o Universo um conjunto de todas as coisas, eventos e processos é um sistema de sistemas.

Todo sistema, na ordem da evolução das coisas, tem predecessores nas coisas que lhe são preexistentes e então, os seres vivos são sistemas complexos, compostos por sistemas bioquímicos e possuindo propriedades emergentes em relação ao nível dos quimiossistemas – sistemas que para eles o dimensional os identifica na condição de freqüências multivibracionais.

Em Ontologia quando duas ordens de fenômenos enlaçam sistemas em que duas formas de realidade “se apresentam” tão diferentes (como cérebro algo material e mente algo imaterial), uma outra emerge simbolicamente dentro do conceito de mediação.

O homem já não vive em um universo puramente físico, como vivem os animais e os outros demais seres, porque ele já experiencia em um universo simbólico e nele o papel da mediação se faz através da informação.

O ser humano é um ser racional e busca a racionalidade ou inteligibilidade total do Universo, que ele procura entendê-lo com a “linguagem”/conhecimento dos caracteres com os quais está escrito – com a linguagem matemática-geométrica.

A informação é que “está por trás” da organização da matéria e da energia em sistemas cada vez mais complexos e destes em “reinos” emergentes uns em relação aos outros, do infinitamente pequeno das partículas e dos campos quânticos, passando pelo homem (e, portanto pelo cérebro) até a escala do infinitamente grande das estrelas e das galáxias.

Tudo está ligado, existe uma união profunda entre o ser humano e o Universo, levando em conta o princípio da ordem cósmica, para a assimilação consciente do “observador” com o auxilio do seu cérebro, já com suficiente redundância e plasticidade.

O ser humano pode agora expandir seus horizontes com a ajuda do seu cérebro, porque não há limite para isso – ele deve apenas “colocar” um pensamento em sua mente e em um piscar de olhos “viajar” (subjetivamente) para qualquer parte do Universo, que é uma continuação dele.

Nada no universo pode viajar mais rápido do que a energia do pensamento.

O cérebro humano utilizando da energia mental permite ao homem através de suas conquistas mais recentes, que ele acumule mais rapidamente informações através do computador e ainda viajar pelo espaço.

As emoções resultam dos seus pensamentos e se o individuo nutre seu cérebro com pensamentos positivos, ele aumenta a sua auto-estima e traz a Harmonia para a sua vida – portanto, ele deve direcionar o seu cérebro, para que possa mudar o que pensa e ganhar o controle sobre a sua “consciência emocional”, aprendendo a manipular o seu cérebro, para alterar a sua mente para o equilíbrio/harmonia.

Já chegou o momento, para que especialmente o dimensional desperto utilize mais plenamente de sua mente através de seu cérebro e então, utilizando-se de sua energia mental chegar (conscientemente) mais perto do que sempre procurou – alcançar a condição de manipular as freqüências multivibracionais, como fez Cristo Jesus.

Cristo Jesus tinha plena condição de não só potencializar vários indivíduos ao mesmo tempo para a auto-cura, como também controlar a sua dor física – de não senti-la se quisesse – e aí, se encaixava a sua capacidade de manipular diferentes freqüências multivibracionais “inseridas” em seu corpo físico, constituído por células, tecidos, órgãos e membros.

Aqueles que, foram potencializados por Cristo Jesus com a sua freqüência multivibracional, que tiveram com Ele esta ressonância através de suas informações/ensinamentos , já buscavam um mesmo ideal e já possuíam um mesmo desejo (ou fé), facilitando este “entrelaçamento vibracional” – por exemplo, os apóstolos, os discípulos e todos aqueles que estavam realmente conscientes do significado de Sua presença na terceira dimensão como “Entrega Divina”.

Aqueles outros que compartilharam também momentos com Cristo Jesus, mas que agiam como agentes de deboche e de escárnio e, portanto vibrando nesta freqüência negativo-emocional, com certeza não foram potencializados por Ele, para que se fizesse presente a Sua freqüência multivibracional direcionada por Sua Vontade – estes ainda não estavam com o necessário “estado de fé”, para a maior das curas: a cura da alma, que é só alcançada ao nível da freqüência do desejo na quarta dimensão ou daquela dos “milagres”.

Na crucificação de Jesus o que pode ser realmente considerado “morte”, não se dimensionou pelo flagelo em seu corpo físico, mas se deu em uma dimensão de maior amplitude ou de maior transcendência, que pode ser traduzida pela sua impotência na cruz, ao dizer angustiado em sua condição humana: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” – a escuridão/ignorância humana ou do animal apenas racional estava ali tentando destruir o corpo Daquele que possuía o “Verbo que se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade”, para que a Luz de suas informações não iluminasse a humanidade.

O dimensional desperto deve agora com o seu trabalho de propagação e divulgação, dar continuidade à transmissão de informações que proporcionem outros dimensionais o conhecimento à multidimensionalidade e à manipulação das freqüências multivibracionais, que há dois mil anos atrás mesmo com o auxilio de parábolas foi tentada, mas não foi entendida e ainda foi abortada no sacrifício da cruz – ele vive o momento, que deve cada vez mais passar informações claras e consistentes, para que cumpra em missão “a mensagem” que os “Seres” estão lhe passando com as suas presenças.

O dimensional que realmente já despertou deve ter sempre coerência no que fala e faz, inclusive, em seu trabalho de propagação e divulgação, porque às vezes as informações que ele as obtém na quarta dimensão pela linguagem mental-simbólica, elas não são traduzidas em sua essência como deveriam, quando as passa consciente na terceira dimensão já com a interferência e a limitação de seu “circuito cérebro-mente”.

O dimensional deve ter a noção, que as informações que ele “traz” de outras dimensões, mesmo dizendo “escutá-las” fisicamente ou “vendo-as” consistentes pela linguagem mental-holográfica, elas devem ter coerência umas com as outras, devem ter efeitos positivo-somatórios no plano físico ou real e não contraditórios, para que não configurem como originadas do “ego” emocional, que é orquestrado e limitado pelos cinco sentidos e que tanto manipula quanto é manipulado.

O dimensional desperto deve ampliar conceitos já do conhecimento universal e, portanto as suas informações devem somar com este conhecimento ou mesmo extrapolá-lo e assim, quase sempre tendo o sentido de ampliar o horizonte de entendimento e de percepção necessários a uma Nova Visão de Realidade.

Sobre o equilíbrio emocional muito se fala, mas ao contrario ele quase sempre não está à altura sendo trabalhado – as emoções não estão sendo polarizadas como deveriam, já que muitos estão ainda apenas teoricamente em “Estado de Neutralidade”.

No “jogo da vida” a mente como “instrumento” do ser humano pode ser considerado metaforicamente a bola, que deve ser jogada sempre para frente, buscando-se o gol como a plenitude de consciência e não a travando como situações que mereçam o pênalti – mas, se no mundo real o ser humano ainda disputa/duela no futebol de forma física ou emocional buscando a bola, porque é ainda uma criança a brincar, sem ter a noção que busca exteriormente através dela que simboliza a forma perfeita no plano físico, o que ele deve interiormente buscar.

O dimensional desperto e coerente deve sentir/perceber nele mesmo a verdade do que fala ou do que escreve, mas sem se preocupar mais com aqueles, que estimulados também pela “erva daninha do ego” não mais procuram se despertar – como aqueles outros que em tempos passados também não se prepararam, para que neles a semente da informação germinasse.

O dimensional deve se iluminar cada vez mais pela Luz/informação, porque só com Ela que o leva ao conhecimento em busca da Harmonia-Unicidade, é que alcançará níveis mais amplos de Consciência e se perceberá mais inserido na Luz Central/Deus – já transmutado.

O que é o conceito do feio ou do belo, se não apenas uma sensação em relação ao que se julga “no mundo” dual-emocional do “ego”?

O dimensional/Projeto Portal não precisa mais gerar freqüências emocionais, porque todo o processo de manipulação de suas Linhas da Vida é feito agora apenas com a sua programação mental – portanto, nesta sua atual fase mental-vibratória ele deve proceder sem vacilação, anulando o que não quer e potencializar o que deseja mediante uma reação automática, utilizando-se do seu “mecanismo” cérebro-mente.

Para manipular as suas Linhas da Vida (A, B e C) o dimensional deve “caminhar” dando cada passo “dominando” o seu cérebro-mente e se direcionado à harmonia, porque se ele não possuir o equilíbrio para perceber o que é falso ou o que é verdadeiro no mundo dual de suas experiências, ele pode criar uma falsa realidade – ou pior ainda, vivenciá-la.

A noção/concepção de Metafísica é centrada principalmente em Platão, embora outros filósofos tivessem também cooperado antes e depois dele com conceitos nesta direção.

Para o dimensional desperto em sua condição humana a sua procura é o entendimento em relação à sua própria existência no plano tridimensional, que é o “mundo dual” de suas experiências com as forças/energias do “positivo” e do “negativo” e que atuando intensamente lhe permite em aprendizado individual fazer comparação entre as partes, portanto neste aprendizado é que ele se conduz em relação ao resultado de cada decisão e comportamentos seus – em relação ao que ele vê e cria como “positivo/bom” ou como “negativo/ruim” e, entre estes dois extremos comumente vagueia em sua experiência de vida.

O dimensional desperto só após varias experiências de aprendizado buscando o seu “mundo interior”, é que ele percebe, que para extrapolar o “mundo exterior” em que vivencia (terceira dimensão), ele precisa trilhar sempre “no caminho do meio” eqüidistante de todos os extremos – transitar pela via da Neutralidade com o auxilio da Vibração do Amor Universal, utilizando se sua Energia Taquiônica (Pensamento Sublimado) como freqüência Divina gerada por ele mesmo.

É na Vibração do Amor que o dimensional que já se despertou, amplia a sua compreensão em relação a todas as coisas, respeitando-as pelo o que elas são e, nesta Freqüência Vibratória tudo tem uma função, tanto o que é bom quanto o que é ruim, porque tudo é perfeito em seu Significado Maior.

O dimensional já percebe que em seu mundo de experiências, que nele não existe destino, mas uma pré-programação que com ela está ligado às Leis Universais.

Pela sua própria natureza a física quântica é “expansiva” e conseqüentemente o dimensional na medida em que vai através dela se despertando, ele vai passando por uma transmutação mental em relação à sua vida interna e vai também expandindo a sua consciência, quando mais intuitivo vai captando pensamentos mais profundo-iluminados de acordo com as suas novas concepções em relação ao “mundo externo” em que vivencia, a outros mundos/planos de realidade com os quais agora interage e principalmente em relação ao seu “mundo interno”.

O corpo humano é o “instrumento físico”, para que o indivíduo através dele experiencie consciente na terceira dimensão “o comum” aos cinco sentidos.

Tudo que acontece ao ser humano vindo de seu mundo de experiências acaba por ser revelado em seu corpo físico, que funcionando como caixa de ressonância, faz com que se estabeleça a comunicação entre corpo/consciência e desta comunicação suceda a compreensão “do que acontece” – portanto, ele deve aprender a fazer “a ligação” corpo-consciência.

Já com um padrão evolutivo-vibratório próprio para um outro nível de consciência o dimensional exercita não só o lógico (“o comum”) como também a percepção (“o transcendente”) e, portanto com ele experimenta/realiza tanto em relação ao que se mostra quanto ao que normalmente não se vê.

Em outro padrão mental-vibratório o dimensional interage tanto com a terceira dimensão quanto sintoniza/interage com outras dimensões mais sutis (“superiores”) e, portanto já com uma “visão/linguagem” ao nível de uma percepção também além dos seus cinco sentidos, é que ele pode assimilar mais plenamente as informações de uma interação entre dimensões.

Para que o dimensional se expresse na freqüência mental compatível com outro nível de consciência, ele precisa saber primeiro como a sua mente atua na matéria e também qual a velocidade, a intensidade e o direcionamento da Energia de seu Pensamento, porque apenas conhecendo e sabendo manipular estes três itens, é que ele terá condições de também manipular as Leis Universais e extrapolar consciente a terceira dimensão – mas, para manipulá-los, ele deve antes aprender interagir harmonicamente nos níveis físico, emocional, e mental, para que ficando em equilíbrio energético, a sua energia vibracional ativa/kundalini “suba” pela sua coluna e se irradie de seu frontal na forma de luz, em uma ativação ao nível do seu subconsciente.

Para que o dimensional sintonize/interaja com o que “está”/vibra além da matéria”, é necessário um nível mais amplo de percepção/consciência com o qual pode se vivenciar a verdade de vários planos de existência ou de mundos paralelos, onde Energias (Seres) Conscientes são regidos pelas Leis Universais, como também os seres humanos são por elas regidos – ele já vivencia consciente o Multidimensional, pesquisando/estudando o que no Projeto Portal convencionou-se chamar de “Ufologia Dimensional”.

Aquele que já despertou sabe que a Verdade está alem de todas as verdades que o intelecto pode ter sobre ela, que vai Se mostrando gradativamente – como verdades relativas – dentro de um longo processo de criatividade interior e de descobertas.

Os números combinatórios são aqueles que possuem uma freqüência vibratória e eles sinalizam que o Universo é uma complexa equação matemática – onde tudo se expressa pela simetria e pela perfeição.

Dentro da “Matemática Universal” cada um destes números possui uma vibração própria traduzido por um resultado numérico, causando uma reação na forma de outra vibração com resultado matemático.

O Universo ou “O Manifestado” se expressa pela perfeição, padronização e simetria, portanto o “observador”/consciente deve estar em sintonia com esta perfeição dentro da vibração do Amor, porque sua ausência é uma anomalia – o pensamento e o comportamento negativos e tudo mais que não leva ao harmônico e à exatidão são formas anômalas que não estão dentro da Simetria do Amor.

No Universo não existe anormalidade/desarmonia, tudo está em equilíbrio codificado nas Leis Universais e traduzido pela “Linguagem da Matemática Universal” como o preciso, o lógico e o explicável – como o que “apenas é”.

Metafisicamente pode-se dizer que a Verdade é Uma tanto no mundo mensuravelmente pequeno/nanométrico quanto no mundo mensuravelmente grande/astronômico e, além deles – o ser humano é que quase não a percebe como Una – “escondida” nos processos quânticos de entrelaçamento como múltiplas facetas de uma mesma coisa.

Ser claro sem o subterfúgio e sem o disfarce do “ego”, é se expressar em ressonância com a linguagem “Una” da “Matemática Universal”, é praticar e desenvolver o conhecimento ao ponto que o compreender é imediato, é já alcançar a compreensão automática ao nível da Sabedoria Universal, sem mais a necessidade de comparações originadas do mundo do dual/terceira dimensão, que gera multiplicidade de perguntas e de respostas – neste nível de compreensão a consciência já alcançou a percepção do que é Unicidade e que “Ela é” através da Vibração do Amor Universal.

O mundo do “ego” é aquele da ilusão ou aquele que ignora “o mundo alem dos cinco sentidos”, é aquele de vivenciar ainda na experiência humano-individual “dispersa” nas emoções muitas vezes orquestradas pelos sentimentos do orgulho, da inveja e do desamor, entre outros sentimentos humanos que limitam o individuo em sua busca no sentido transcendente do existir ou de ser – de ser na Unicidade.

Tendo em vista o conceito de filosofia primeira que investiga os primeiros princípios e as principais causas, a inteligência humana investigatória de hoje está procurando desvendar a partícula, que pode ser responsável por dar massa a todas as outras – esta “partícula de Deus” como é chamada, é por ter surgido nos primeiros momentos do Universo, mas mesmo esta teoria cobre apenas o que é chamado de “matéria ordinária” ou a mesma matéria que tanto o Universo quanto os corpos dos seres humanos são feitos – detectada pelos cinco sentidos.

A designação metafisica cujo sentido primitivo parece ser puramente classificador teve posteriormente um significado mais profundo, pois com os estudos que são objetos da filosofia primeira, se constitui um saber que pretende penetrar no que está situado para além ou detrás do ser físico enquanto tal e, quase todos os autores concordaram em que a metafísica é uma ciência primeira e uma filosofia primeira – o que é compatível com o que se busca conhecer atualmente através dos conceitos/teorias e pesquisas da física moderna ou quântica.

A fisica quantica está procurando à sua maneira com a Teoria das SuperCordas/branas, conciliar os conhecimentos da ciencia moderna com conceitos filosóficos-metafísicos, quando enfoca a possibilidade da existencia de realidades ou mundos paralelos, ao situar o “observador” e o “observado” dentro de um mesmo processo quântico de entrelaçamento – “no jogo da Manifestação”.

A metafísica de hoje é a ciencia que continua perceber o ser humano “além de sua exteriorização”, que procura percebê-lo em sua natureza mais intima-sutil – mas, agora também via o seu campo energético-vibratório.

A Metafísica não se interessa tanto como fazer as coisas, mas o porquê delas na “vida/Vida”.

A roda da vida na “Vida” não pára e neste Infinito Vórtice o individuo é chamado a cada momento a se situar, se conhecendo primeiro, para depois interagir e se somar com todos e com tudo neste seu caminhar – portanto, é levado por esta Espiral Divina, que ele está gradativamente compreendendo o que realmente é além do seu corpo físico, está percebendo que é um Corpo Consciente de Energia/Luz.

Pensar metafisicamente, é pensar sem arbitrariedade, sem dogmatismo e também, sem misticismo e sem fanatismo.

Dentro dos conceitos e fundamentos que definem “algo/situação” como metafísicos, a entrega das “Placas físicas” (e plasmadas), é tão transcendente e ao mesmo tempo tão real, que é um momento/situação em que o dimensional/Projeto Portal vivencia o puramente metafísico.

Quando o dimensional/Projeto Portal “exterioriza a sua Placa”, recebendo-a fisicamente no “mundo da matéria”, fotografando-a e filmando-a, ela naquele momento “funciona” em suas mãos como um “Computador Vivo Cósmico-Divino”, escrevendo em sua superfície na forma de símbolos informações tanto de suas outras vidas quanto de seu Compromisso – portanto, quando ele no aqui agora com as suas Energias do Pensamento, Desejo e Vontade e em um estado alterado de consciência, ele acessa o seu passado visando o seu futuro, este “milagre” está além mesmo da linguagem matemática e também, além das informações que neste sentido a física moderna pode fornecer.

No momento da entrega de sua “Placa”, o dimensional/Projeto Portal está “entrelaçado” com o seu corpo denso na realidade do “universo físico” (espaço-tempo) ao seu Corpo de Luz no “Universo Divino e Sutil” – neste instante ele está em um corpo, que ainda utiliza de forma racional da linguagem matemática dos símbolos, mas também “se vê” através de um Corpo que já utiliza de forma Sutil da “Linguagem da Luz” com Símbolos que não só vibram como também “Vivem”, quando literalmente ele está vivenciando o real e o transcendente como uma só Realidade.

É puramente metafísica a manipulação das Linhas da Vida pelo dimensional, quando ele unindo no aqui/agora o seu passado e o seu futuro, é capaz de interagir com o transcendente e obter respostas/resultados reais de outra esfera – do mundo mental além do plano físico ou natural.

O pensamento metafísico sem a Alquimia do Pensamento não é normalmente fácil de assimilação/decodificação, portanto é provavelmente correto afirmar, que as respostas que dele resultam, por estarem não só relacionadas ao conhecimento/razão, mas por estarem também relacionadas ao intuitivo/perceptivo, nem todas as respostas propostas poderão ser aceitas no primeiro momento como realmente verdadeiras.

É correto afirmar que o individuo pode ser um sábio com conhecimentos que “se encaixam” como metafísicos, não obstante não os sustente como conceitos metafísicos, como aquele outro individuo dogmático (falso-metafísico) assim os vê e então, apesar do sábio não proceder/expor suas idéias da maneira do dogmático, ele entende todas as razões que este tenta asseverar com tamanha confiança.

O conteúdo metafísico deve ser aquele que os outros nele acreditem, percebendo-o como verdadeiro, mas se deve observar que os seres humanos geralmente acreditam no que querem acreditar e particularmente, nas crenças que refletem o mérito próprio entre eles e o valor de seus esforços – então, a sabedoria nem sempre os homens a buscam em primeiro lugar, quando procuram antes uma justificativa para aquilo em que crêem, seja o que for.

O individuo não deve ser puramente racional, porque não é proceder sabiamente, mas se ele for apenas razão, não alcançará a necessária sensibilidade e a predisposição mental-vibratória, para que ele possa interagir consciente com outros níveis de percepção além dos seus cinco sentidos.

“Ser sensível” e ao mesmo tempo “ser racional” é a alquimia necessária para que ele se descubra em relação aos mundos em sua volta (aquele que ele vê e aquele que ele normalmente não vê) e principalmente, em relação “ao seu próprio mundo interior”.

A Metafísica apresenta atualmente duas características importantes através daqueles que para ela se dedicam: estudá-la e praticá-la – como faz o “Corpo Vivo” Projeto Portal, quando contribuem com os seus conhecimentos e as suas experiências e tenta transmiti-los de uma forma mais fácil à assimilação da população.

Dentro do possível o dimensional/Projeto Portal deve tocar o coração dos indivíduos e movimentar a sua inteligência, levando-os o conhecimento para uma “outra maneira de pensar e de sentir a vida”, com o desenvolvimento contínuo e gradual de sua consciência – ele deve procurar estimulá-los em relação ao poder do discernimento e da responsabilidade diante da vida, para que cada um buscando a sua transformação individual, que só pode ocorrer de dentro para fora e em benefício do bem coletivo, alcancem uma Nova Visão da Realidade.

De acordo com Tomas de Aquino a Metafísica “é também ciência humana racional e necessária ser estudada, aprendida e ensinada, porque revela ao homem pelas coisas naturais e pelo uso dos princípios invioláveis da razão, a necessidade da existência de um ser infinito em perfeição e criador ou Deus”, que pela física moderna através do mecanismo da manifestação este “Algo Consciente” está associado à Causalidade Descendente e que o indivíduo-dimensional o conhece como Célula Mãe-Pai e mais recentemente como Luz Central/Deus.

Para Tomás de Aquino “só em Deus ser e essência se identificam como existência e a existência é o que resulta do último ato, do ato de ser, porque o ato de ser é aquilo pelo qual algo existe e, neste sentido, sem ato de ser, não há existência, podendo então dizer que a existência é a manifestação aqui e agora do ato de ser realizado na substância” – realmente, pela física moderna e dentro da Causalidade Descendente é a matéria (substancia) que existe como possibilidade dentro da Consciência.

Para o dimensional/Projeto Portal ao expressar sua paranormalidade, deve ter sempre como finalidade primeira a sua alquimia transformadora, que com ela deve buscar a sua transformação interior e alcançar a sua Transmutação – portanto, para ele deve sempre existir um verdadeiro sentido, uma real finalidade de manipulação e de direcionamento das energias, quando utiliza ativamente de sua Energia Vibracional/Kundalini – a Energia da vida.

Para o indivíduo-dimensional desperto a criatividade pode ser considerada como algo novo em um contexto novo ou a descoberta de um novo sentido em um velho contexto.

Na criatividade interior a revelação é o objetivo e nela a capacidade de refletir está associada à sua capacidade de percepção na atitude de experimentar – percepção alcançada com a revelação que é permanente e direcionada de maneira harmônico-iluminada à sua vida.

O dimensional como o “Viajante do Tempo” é um transeunte dos “mundos” da Relatividade Geral, da Mecânica Quântica e das branas – ele é o manipulador de energias muito mais sutis (como a Energia do Pensamento), quando viaja com o seu corpo mental pelo “mundo do não tempo” e quando ainda utiliza da Energia de Sublimação como seu “Veiculo Espiral”, que une de maneira mais direta o “mundo da inteligência humana” com o “mundo da Sabedoria Divina”.

É tão metafísica quanto quântica a noção que todo o Universo vibra, com ondas de freqüência dentro de outras ondas, com ondas de freqüência gerando outras ondas – que tudo está vibrando, em movimento e em sintonia com a “Fonte de Origem”, dentro da Dinâmica e da Harmonia do “Ato Criador”.

A narrativa do Apocalipse caracteriza por imagens constituídas por elementos da natureza, que são apresentadas neste caso em forma de visões à vidência do apóstolo João, que utiliza de imagens do Velho Testamento, cheio de mitos e de lendas apocalípticos judaicos.

Estas imagens puramente simbólicas que sugerem mais do que descrevem, exigem certa criatividade/percepção e mesmo inteligência, para que possam ser “enquadradas” no contexto atual dos acontecimentos, “limpando-as” de simbolismos, que focalizam quase sempre de forma confusa a eterna “luta entre o bem e o mal”.

O Apocalipse com a sua linguagem simbólica aponta para um processo de transformação através do qual o homem tem que passar, para que ele atinja a plenitude de seu Ser, e a plena “união com o Divino”.

Nos períodos cíclicos de 26 mil anos que acompanham na Terra grandes saltos de consciência, os seres que aqui experienciam neste mundo do dual, podem posteriormente continuar com as suas existências e experiências em mundos mais evoluídos, onde não mais existem experiências que gerem conflitos emocionais.

Assim, neste momento da Transição Planetária e apocalíptica, no iniciar de uma Nova Era não só aqui, mas em muitos planetas da Via-Láctea, muitos seres são remanejados daqui, para que se iniciem novos processos evolutivos em outras dimensões e em outros locais no Universo físico – a cada findar de um ciclo existe sempre a possibilidade para os dimensionais uma repatriação à origem em uma transmigração cósmica.

Não só a Terra e também muitos outros planetas se elevam vibratoriamente quando por eles passa o Raio Sincronizador a cada 26 mil anos, porque o movimento do Raio em volta do sol de Alcione atinge todos os demais Sistemas que integram a Via Láctea.

A atual ou 5ª civilização que é também chamada de Civilização Ariana, ela se iniciou em torno de 26 mil anos atrás, já passou por uma grande catástrofe a cerca de 13.000 anos e neste momento a humanidade começa passar novamente por um processo de mudanças, quando a Terra atingirá o chamado Cinturão de Fótons, passando por ele com maior intensidade no dia 22 de dezembro de 2012, já totalmente na vibração da quarta dimensão.

Então a partir do dia 22 dezembro de 2012 terá início, o que é chamado de tempo do não tempo segundo os Maias e segundo a Bíblia o tempo da tribulação, da separação do joio do trigo, das revelações do Apocalipse e do Armagedon – nesta ocasião mais uma vez o Raio Sincronizador atingirá a Terra para que se manifeste a Nova Era.

A transição planetária se dará em um período curto de 20 anos, quando a Terra enfrentará turbulências já previstas, para depois ingressar já em um outro ciclo evolutivo na esperada “Civilização Dourada”, iniciando a sexta civilização, que contemplará parte da humanidade com o seu ingresso a um nível maior vibratório e de consciência compatíveis à 5ª dimensão, a partir de 22 de dezembro de 2032.

Com a elevação destes planetas de diferentes Sistemas para um patamar mais evoluído, todos aqueles seres que não acompanharem essa evolução serão obrigados a migrar, como aconteceu outrora com os “repetentes capelinos” que vieram para a Terra e que pertencem a uma das 49 raças espalhadas por este Universo.

Os dimensionais já conscientemente missionários são “peças” ativas e partícipes no quadro destes acontecimentos futuros e apocalípticos.

Os novos tempos são chegados já com a presença do “Outro” (“Consolador”) que foi chamado e que veio na mansuetude e na pureza de seu coração (“Cordeiro”) ensinar aqueles que o procuram, se conduzirem não só de acordo com as leis dos homens, mas antes de tudo de acordo com as leis mais transcendentes – as Leis Universais.

Chegou o momento deste “Outro” que veio com a pureza de propósitos para ajudar os dimensionais a batalhar com o “instrumento/arma” Linhas da Vida (cavalo branco conquistador de Deus), para que vençam a barreira da dualidade e possam extrapolar o emocional de suas experiências na terceira dimensão e “se coroem” pelo uso da Energia Vibracional Direcionada, em sua “vitória final” de ascensão a um plano mais sutil de vibração e de realidade – quinta dimensão.

Este “Outro” que utiliza de sua Energia da Vontade para adentrar sem mais dificuldade outros planos de realidade, ele é o possuidor da “Energia do Espírito Santo”/Energia da Kundalini, que o permite a manipulação/transformação da matéria no mundo eletromagnético – no mundo também dos trovões e dos raios.

O “Outro” veio orientar o dimensional na faixa de tolerância, como extrapolar o “mundo exterior” em que vivencia (terceira dimensão), exercitando “no caminho do meio” a eqüidistância de todos os extremos e, para isso, ele ensina o dimensional transitar pela “via” da Neutralidade com o auxilio da Vibração do Amor – através da Energia Taquiônica (Pensamento Sublimado) como freqüência Divina gerada por ele mesmo.

Foi dada ao “Consolador” a tarefa de direcionar aqueles que o procuram a evitar o “castigo eterno dos perdidos no lago do fogo eterno e inextinguível” (Matt. 25:41; 18:18 – Marcos 9:43-44 e 46-48), quando os ensina a elevar a Energia da Kundalini do seu chacra básico para o chacra frontal já como Energia Vibracional, que os possibilita libertarem dos seus instintos primitivos e da roda sem fim das reencarnações, através da Freqüência Vibratória da Sublimação que os conduz à Transmutação.

Foi dado ao “Consolador” o “instrumento” (arco) para vencer e ele saiu vencendo, quando começou ensinar a manipulação e a transformação da Energia da Kundalini em Energia Vibracional àqueles que também agora como “consoladores”, a manipulam já com as suas vestes brancas de proteção (sétima camada de sua aura branca), que já exteriorizaram a sua Simbologia (marca na testa) e que já pegaram a sua “Placa” (pedra branca).

A decodificação da linguagem simbólica do Apocalipse vem até os dias de hoje passando por constantes interpretações, em função do que pensam aqueles que em varias épocas as vêm fazendo e, que com elas vêm manipulando interesses ao seu favor – às vezes de forma clara ou de forma velada como faz o GO.

A decodificação do Apocalipse deve se feita pelo dimensional, buscando-a de maneira imparcial com o auxilio de várias fontes de informação, portanto ela deve ser feita de forma mais racional e menos emocional, o mais possível “conciliado” com a ciência, buscando repostas objetivas e não dispersas dentro de conteúdos místico-religiosos.

O dimensional que há muito vinha acompanhando e vivendo a construção física e energética do Projeto Portal, teve a exata noção da grandiosidade do momento, que já era esperado há seis mil anos e que ele viveu no dia 10 de outubro de 1999, em torno das 4h45min, na Fazenda Hotel Projeto Portal, quando foi entregue a “Primeira Placa” que começou alterar a freqüência mental de todos os dimensionais conscientes e inconscientes, portanto, começou a alterar a freqüência mental de um terço da população da Terra.

Naquela data o futuro e o passado codificados no presente – naquele momento – se expressaram através da Chave Energética da “Primeira Placa”, que permitiu a abertura da “Grande Porta” e com ela de uma maneira definitiva e decisiva o livre trânsito entre a terceira e à quarta dimensão.

A partir de 1999 estavam assegurados os acontecimentos já codificados nas Linhas do Tempo para que acontecessem e, paralelamente estava assegurada a permanência no plano físico dos Guardiões dos Planos mais Sutis, dos Agentes Condutores das Mudanças a nível individual e planetário no sentido de uma nova freqüência mental/vibratória, possibilitando o surgimento de uma Nova Consciência – para uma Nova Era.

Há muito já estava escrito que seres de origem divina – os dimensionais em missão: especiais e extras – surgiriam no meio da população, que estes seres teriam uma diferença imensa entre aqueles que já estavam aqui (outros dimensionais e planetários) e que seriam reconhecidos não só pelas marcas que teriam em suas testas (Simbologia), mas, principalmente como “possuidores das Placas”.

As “Placas” trazem registradas as experiências do dimensional no plano denso da matéria – terceira dimensão – no período de três mil anos antes de Cristo até dois mil e trinta anos depois de Cristo e nelas está também codificado o seu compromisso na Terra.

A primeira “Placa” foi entregue por um Ser Intraterreno, a segunda e a terceira foram materializadas em uma galeria, a quarta e a quinta foram teletransportadas através da abertura de um grande Portal que se abriu no firmamento e a sexta e a sétima foram conseguidas através do processo mental gerado por dois dimensionais, que permitiu que elas fossem teletransportadas.

Todas as outras 1.440 “Placas” que foram entregues posteriormente, elas possuem em essência o mesmo conteúdo energético-vibratório, mas pela sua codificação vibratório-missionária as “Sete Primeiras Placas” que foram de maneiras diferentes entregues diretamente pelos “Seres” àqueles dimensionais que energeticamente as ancoraram, contêm a responsabilidade de ressonância com os Sete Selos Bíblicos ou com os “Sete Anjos” do Apocalipse.

Como a cada findar de 26 mil anos existe uma transmigração cósmica, o número de seres que foram transferidos para a Terra no inicio do ultimo ciclo, perfaz hoje cerca de um terço da humanidade e representa os chamados seres dimensionais encarnados – eles possuem Simbologia, deveriam ser ajudados pelos “144.000” missionários dimensionais (extras e especiais) que encarnaram na Terra com este compromisso e que já tinham anteriormente alcançado a 4° dimensão.

Os 144.000 dimensionais se prontificaram como voluntários ajudar aqueles outros dimensionais energeticamente “prisioneiros” na terceira dimensão, despertando-os, para que pudessem se libertar e serem repatriados agora para seus locais de origem no Universo – mas, estes milhares de dimensionais já na terceira dimensão terrena ficaram limitados energeticamente à sua densidade e, portanto mesmo possuidores de “Placas” não alcançaram a freqüência mental-vibratória e a consciência necessária para que soubessem o que aqui vieram fazer – que deveriam se despertar e despertar outros dimensionais.

Os dimensionais que já se despertaram e que já são cientes de suas “Placas” físicas ou plasmadas, portanto que já são cientes de sua intermediação entre os seres das 49 raças e 1/3 da população mundial, eles são apenas “1.440” ou 1% dos “144.000” e então, só aquele dimensional dentro deste número ainda mais restrito, que pegando o seu compromisso cósmico de uma maneira física e verbal, é que terá realmente condições de ajudar na hora do resgate, como também de ajudar também de maneira mais consciente na reconstrução do planeta para um Novo Tempo.

O restante 2/3 dos habitantes nativos da Terra chamados também de planetários (66,6%) não terá condições de dar nesta atual Transição Planetária o seu “salto quântico”, por não possuir o necessário padrão evolutivo e vibratório – portanto, ficará para futuros ciclos evolutivos.

Para o Projeto Portal existe um poder oculto-nocivo, dominador em relação à humanidade e opositor na terceira dimensão à Consciência Dimensional que já interage ao nível da Nona Dimensão ou ao Nível da Dimensão Crística – este poder chama Governo Oculto e constitui de “criaturas”, que de humanas talvez elas só conservem aparências físico-humanas, já dominando a tecnologia do rejuvenescimento no sentido de sua imortalidade.

O número 999 (Sabedoria) que é o inverso do número 666 (“ignorância”), ele pelo Entrelaçamento Quântico da Matemática Universal já estava em seu sentido cósmico-divino codificado nas Linhas do Tempo, para que “acontecesse no aqui e agora” com a entrega da “Primeira Placa” no ano de 1999 e, portanto que se associasse no mundo do dual também àqueles indivíduos dimensionais, que a partir daquele instante e, que posteriormente, já possuidores de suas “Placas” e já despertos, conseguissem através de sua Freqüência Vibracional Ativo-direcionada com a ajuda do “Consolador”, a condição de promover a sua Transmutação e também de resgatar multidões em um momento crucial para a humanidade.

O conhecimento mais verdadeiro não é o conhecimento intelectual e nem tampouco é aquele místico-religioso “gerado” dentro de um quadro emocional não consistente, mas aquele que dá sentido à vida humana, que a torna plena de significado, porque permite o encontro do dimensional com sua Essência Eterna – é o conhecimento em oposição a “ignorância” ou aquele conhecimento que “brota do coração” de forma misteriosa e intuitiva.

A “Luz” no que “Simplesmente É” ou no Conhecimento que agora no Projeto Portal menciona como estar na Freqüência da “Linguagem da Matemática Universal”, ela é percebida nos instantes de humildade, quando se vivencia “O Simples” longe da máscara do “ego” – o “Consolador” está sempre sinalizando para os “novos consoladores”, que permaneçam nesta faixa de freqüência mental-vibratória.

Está chegando o tempo do Apocalipse com a finalidade de Renovação – está aproximando o momento do inicio de um outro ciclo, para que uma Nova Consciência perceba o Universo como uma complexa equação matemática, onde tudo se expressa pela simetria e pela perfeição – pelo que deve ser.

Está chegando a ocasião para que o “novo homem” perceba, que no Universo não existe anormalidade/desarmonia, que tudo está em equilíbrio codificado pelas Leis Universais – que tudo deve estar em sintonia com esta perfeição dentro da Vibração do Amor Universal, que é comumente chamada de Deus.

A mente é “filha” da matéria, porque ainda “se ancora” em sua condição de cérebro-mente para “se fazer/codificar” (limitada) por processos físico-químicos no mundo da matéria – ela está ainda associada ao mundo dual de experiências (eletromagnético) gerador de expectativas e, portanto está circunscrita “ao que é controlador”, que busca metas/resultados gerando disputas/conflitos.

A mente um “ente” ainda da quarta dimensão não “incorpora” o mundo “do que É” ou da Consciência, existente a partir da quinta dimensão já na plenitude da Energia (Neutra) Taquiônica – e do Amor Universal.

O dimensional que não se despertou, não percebe que ele “está preso” em um mundo regido por leis de causa-efeito ou de ação-reação que não as criou e que “funcionam” para ele como uma charada não capaz de “decifrá-las” mesmo com a sua sensibilidade, intuição e capacidade criadora – ele é então devorado pela “esfinge” dos seus conflitos em sua vida física, um “monstro” que o induz às sucessivas encarnações.

As leis que regem o dimensional em sua condição humana, não são as da terceira dimensão, mas as da quarta dimensão e, portanto não são as leis que temporariamente o regem no mundo do dual com as suas emoções, que se ele não souber manipulá-las e transformá-las em Energia Vibracional, para depois direcioná-las como Energia (Neutro-Sublimada) Taquiônica em suas Linhas da Vida, elas o “consomem”.

Antes de tudo o dimensional desperto é compromissado com o Eu Superior, portanto consigo mesmo em outro nível de Consciência, depois ele é também compromissado com as Energias Conscientes de outros Planos de Realidade, que o auxiliam no caminho de sua Transmutação e, por fim, o seu compromisso é ainda com os seus companheiros na terceira dimensão, portanto com o “Consolador” que o orienta e com os dimensionais/Projeto Portal que o acompanham nesta sua jornada.

O “Consolador” que na terceira dimensão “faz acontecer” com a Energia de sua Vontade (“Energia do Espírito Santo”), ele veio para ensinar aos dimensionais como devem fazer a transformação da energia sexual e emocional/ Energia da Kundalini em energia vibracional, que direcionada a partir do frontal, a matéria pudesse ser manipulada e transformada, inclusive, a matéria do corpo físico humano, objetivando particularmente a Transmutação.

O dimensional dentro do enfoque energético-vibracional do Mental Superior não deve mais ficar preso ao passado, ele está no aqui agora é para desmistificar/esclarecer, transmitindo novos conhecimentos – é o momento que ele deve trazer à tona as verdades até então ocultas com novas informações e na forma de outros conceitos, extrapolando o preconceito de outros e dele mesmo.

O dimensional que já vivencia realmente o compromisso no seu sentido maior, está sempre convicto como deve proceder em relação ao que ele quer e, portanto não precisa mais ser convencido por ninguém, porque já escuta si mesmo, tendo a certeza do seu direcionamento, em relação ao pensa e age.

Para o dimensional desperto e principalmente para o compromissado não deve mais existir duvidas, que o levam a se perguntar: “quem me garante que tudo que estou vivenciando vai dar certo, quem me garante que em relação ao que se diz no Projeto Portal sobre a energia de transmutação é realmente verdadeiro e será que em relação à Transmutação, eu não estou sonhando com uma situação impossível de acontecer”?

O dimensional deve controlar a sua maneira negativa de pensar e de proceder, quando é subjugado pelo “ego”, que utiliza do medo para provocar em determinadas situações a insegurança e o conflito, que o “puxam para baixo” – nesta freqüência ele é o seu próprio tropeço, quando se julga também ser mais importante que todos os outros, que só existem marginalmente e apenas para servi-lo.

Aquele que é realmente desperto não é inseguro e já tem a noção que todos têm a mesma importância, porque todos são responsavelmente interdependentes.

O compromisso que foi sinalizado há seis mil e quatro anos atrás para que fosse cumprido, só agora ele foi passado para um grupo de mil, quatrocentos e quarenta dimensionais – um pequeno grupo que possui uma gigantesca responsabilidade, quando cada um deles percebe já ser um agente para uma missão com repercussão vibratória eterna e que deve suplantar as limitações da densidade energético-vibratória da terceira dimensão e despertar o máximo de dimensionais inconscientes para a sua verdadeira condição vibratória, conscientizando-os da responsabilidade com eles mesmos e com o Universo.

O dimensional para se conduzir com mais harmonia/equilíbrio em seu mundo exterior-físico, deve antes criar leis próprias compatibilizadas com o seu mundo interior, que nele “fica mais tempo”, só que mais vezes em programação inconsciente – mas, agora ele pode mentalmente se programar, utilizando-se de suas Linhas da Vida.

Principalmente o dimensional mulher possuindo a sensibilidade dos seus trinta e sete canais, pode vivenciar programações mentais conscientes, que possibilitam a sua capacidade de realizar/criar mais que o dimensional homem com os seus dezoito canais – o primeiro pode apenas com a sua presença influenciar aqueles que estão em sua volta, dentro de um raio de setecentos metros, enquanto o segundo os influencia dentro de um raio de apenas setenta metros.

O dimensional deve sempre se antecipar na vida, para que não se auto-censure, observando-se que deveria ter ou não feito isto ou aquilo, mas muitas vezes experiência que é “negativa” para ele, ela acontece com um propósito de transformação “positiva”.

O dimensional que é realmente desperto já consegue tanto direcionar para si mesmo as suas habilidades, quanto direcioná-las à população, principalmente para aquela população constituída por um terço da humanidade (dimensionais ainda não despertos) no sentido de despertá-la e resgatá-la para que possa ainda na terceira dimensão ter interações com as realidades paralelas.

Os dimensionais do Grupo dos Nove associados à Canção Universal pela Freqüência que possuem e pela sua magia da vibração sonora, é que terão mais diretamente a incumbência deste compromisso.

O dimensional deve se despertar, buscando cada vez mais níveis maiores de conhecimento, que ao exercitá-los com sabedoria, possa o seu campo energético tornar mais sutilizado e iluminado, trazendo também reflexos positivos para o seu corpo físico – e, este buscar e agir é o caminho para a sua Transmutação, que para nele caminhar, não existe aquele que é protegido ou que é privilegiado, mas aquele que se protege e se privilegia.

O Poder de Criação acontece através da Energia Taquiônica, que deve já estar armazenada no chacra frontal do dimensional em um percentual maior do que dezenove por cento em relação a tudo aquilo, que de fato pode com ela realizar e esta percentagem é necessária para que ele possa também trabalhar satisfatoriamente a nona fase de suas Linhas da Vida, utilizando-se das Linhas ABC – esta percentagem mínima de energia mental o ajuda automatizar o seu cérebro, anulando “o negativo” e potencializando “o positivo” através da Força de sua Vontade.

Para que o dimensional consiga automatizar o seu cérebro, para potencializar o “positivo” e anular o “negativo”, é necessário que ele aumente a sua freqüência mental, esteja com uma boa carga elétrica fazendo exercícios físicos, ingira alimentos saudáveis e também evite a ingestão de qualquer tipo de droga.

O trabalho com as Linhas da Vida está ajudando o dimensional realizar aquilo que ele sempre esteve buscando no Projeto Portal como Evolução Mental, está capacitando-o a ser o seu próprio deus-criador, quando traça o seu destino frente aos acontecimentos, antecipando-os, no sentido de anular aqueles que poderão ser para ele negativos e realizando aqueles outros que poderão ser positivos.

As Leis Universais transcendem às leis da terceira dimensão, elas são imparciais e não sujeitas ao sabor das alternâncias no mundo do dual – das experiências de terceira dimensão quando tudo o que o individuo pensa e age tem para ele retorno.

O que o dimensional pensa e faz hoje acaba por lhe refletir mais ou menos amanhã, dependendo da energia/freqüência que ele envia do agora para o depois, transformando-a em acontecimentos/situações, que com eles “costura a colcha de retalhos que o envolve” e que ele chama na terceira dimensão de vida.

O mundo do dual com o seu sentido energético-vibratório no “positivo” ou no “negativo” é que caracteriza o plano de realidade em que vivencia o ser humano, que é gerador de energias emocionais e que neste mundo de suas experiências ele se informa e tenta se harmonizar, buscando a sua evolução.

O que ele busca realmente “como evolução” é se capacitar ainda no plano físico, sintonizar com as Leis Universais para que “se envolva” com a neutralidade do Amor Universal – utilizando-se do caminho do estado de graça ou do coração puro, que o leva à Transmutação.

O dimensional em compromisso, já alcançou anteriormente a quarta dimensão, mas como procedeu incorretamente em relação às leis da terceira dimensão, teve que adentrar novamente na densidade do plano físico, para que nele harmonizasse o que desarmonizou.

Quando mais a dedicação do dimensional ao seu desenvolvimento mental, buscando um outro padrão vibratório e evolutivo, maior é a sua possibilidade de gerar freqüência de transmutação e de se direcionar definitivamente para outros Planos mais Sutis de Vibração, finalizando o que ele busca há milhares de anos.

O reencarnar não é “positivo” para o dimensional desperto, porque atesta a sua reprovação, pela sua incapacidade de se transmutar.

Dentro do seu processo da reencarnação o dimensional não desperto está com as suas sucessivas vindas e idas (da terceira dimensão), buscando mesmo intuitivamente adquirir a sua freqüência de transmutação – mas, agora, o dimensional que já se despertou, busca-a diretamente através de suas habilidades mentais e paranormais, quando “ao exercitar fenômenos”, vai ampliando o seu padrão evolutivo. Neste seu despertar ele vai harmonizando consigo mesmo e com o mundo em sua volta através de sua magia do olhar, do sorriso e da vibração sonora.

O ciclo da reencarnação iniciou-se desde o momento em que o dimensional se mostrou na terceira dimensão, quando pisou pela primeira vez no mundo físico de suas experiências e neste mundo as informações e os conhecimentos que adquire, elas são concernentes ao mundo do paradoxo, que nele vivencia perdido em si mesmo pela contradição de extremos – pelo o contra-senso de momentos ora bons ora ruins, sem a possibilidade com eles se harmonizar.

No mundo quixotesco em que vivencia, o dimensional está paradoxalmente sempre procurando “correr atrás” do que é bom e desvencilhar do que é ruim “tangido” por informações, que para ele são “positivas ou negativas” e que o levam a ter atitudes que geram energias que são consideradas também como “positivas ou negativas”.

Quando o individuo age no sentido de desarmonizar não só o seu campo energético como também o de um outro individuo, ele está agindo não sintonizado com as Leis Universais, porque procede de maneira “negativa ou ruim” na terceira dimensão, mesmo quando o outro não sentindo incomodado pelo o que ele disse ou fez, o seu feito continua lhe pesando à consciência.

O dimensional ainda em sua condição humana está regido por leis próprias para a terceira dimensão, que o limita nesta sua atual esfera de aprendizado e que ele deve tentar compreendê-las e transcendê-las, para que elas não o aprisione mais.

Os dimensionais/Projeto Portal formam uma família e quando um deles alcança algo em sua “vida dimensional”, por exemplo, tenha um contato para um compromisso, este dimensional não está adquirindo um menor ou um maior status em relação aos outros, mas apenas está adquirindo uma vibração para a oficialização de uma responsabilidade – portanto, qualquer opinião que seja diferente desta é decepcionante, porque mostra quem a fez não está realmente desperto.

Todos os dimensionais com compromisso ou não devem vivenciar o processo de crescimento e de somação no sentido de buscarem tanto um maior padrão vibratório quanto um maior padrão evolutivo.

Com a ajuda de sua memória o dimensional deve continuar construindo a sua própria História que deve ser bem “escrita” em seu Livro da Vida.

Especialmente o dimensional/Projeto Portal não deve esquecer que ele deve sempre se superar, porque tem a sua vida como um ser humano e a “outra” como um dimensional agora compromissado – portanto, no aqui agora ele deve saber que está escrevendo uma Historia Dupla, com a “outra” além dos seus cinco sentidos como um esforço somado em suas Linhas da Vida, ajudando-o clarear e impulsionar bastante a sua caminhada para a sua Transmutação.

O dimensional extra ou especial, possuidor de “Placa”, ele vivencia o seu ultimo ciclo evolutivo – ele chegou à Terra há quatro mil e quatro anos antes de Cristo e tem até o ano de 2018 para conseguir a sua Transmutação.

É tudo ou nada para o dimensional, neste momento em que vivencia também uma aceleração planetária em função da Freqüência de Ressonância Schumann e que está no momento em cinco ciclos por segundo.

Os “Seres” deixam que determinados acontecimentos se mostrem ao dimensional, para que “funcionando como pedras” em seu caminho, ele “aprenda retirá-las”, exercitando-se na difícil arte de “buscar” Sabedoria – de permanecer na faixa de tolerância.

Como já foi anteriormente mencionado, o dimensional em seus momentos de conflito/insegurança pode às vezes fraquejar e perguntar para si mesmo se vale à pena o esforço, que vem fazendo todos estes anos em busca de sua evolução mental e mais recentemente para a realização do seu compromisso – nestes momentos é que ele “pode medir” a atuação de sua Vontade, se ela deve ou não prevalecer no mundo do dual, para que ele alcance ou não a quinta dimensão.

O que o dimensional conhece como sofrimento, é no fundo o seu conflito entre o que ele já se intui como mais verdadeiro e o que vivencia limitado pelos seus cinco sentidos como real na terceira dimensão.

O sofrimento está sinalizando para o dimensional, que não deve mais se deixar aprisionar pelos conflitos gerados no mundo do dual, portanto que deve encontrar os verdadeiros valores inerentes à Vibração (Neutra) do Amor – manipulando corretamente as suas Linhas da Vida.

É com a energia de transmutação que o dimensional faz os seus “milagres”, curando o seu corpo através de leis que ele mesmo cria, quando “burla” no estado de neutralidade, as leis que regem a terceira dimensão.

O dimensional que mais evoluiu, foi aquele que menos reencarnou, porque aprendeu mais rapidamente fazer a sua conexão com o Universo – portanto, quanto mais vidas na Terra ele teve, mais reprova ele também teve vivenciando como ser humano.

O dimensional está vivendo em um mundo com mudanças tão rápidas, portanto com acontecimentos que se mostram de forma tão acelerada, que para ele não é mais permitido “perder tempo”, de se conter por ter medo principalmente em relação ao seu compromisso.

O dimensional como um ser humano é um ser comumente de hábitos sociais vivendo em vários mundos vibratórios, como o cultural, o familiar e o do trabalho, entre outros – mas, o “mundo” que com ele vibra mais intensamente, é com aquele em que está literalmente inserido, é o seu corpo físico, que com os seus vários órgãos/glândulas funcionando/vibrando ao mesmo tempo, ele deve procurar conhece-lo e com ele comunicar, porque precisará direcionar a energia dele para a sua Transmutação.

Em seu cotidiano o dimensional não deve agir por agir ou pior ainda, agir forçado ou contrariado, nestas situações é preferível que ele nada faça, para que não propague ondas negativas, que depois de emitidas elas vão se potencializando a cada instante.

Ele deve sempre lembrar, que estando na terceira dimensão, está ainda à mercê de suas leis, que não são para a sua verdadeira realidade vibratória, que é quarta dimensão, onde tudo é possível, porque é plasmado através de formas pensamentos, que “dão consistência” à realização do que deseja.

Todo o aprendizado para o dimensional é válido, desde que ele sempre permaneça em equilíbrio emocional, conservando-se na faixa de tolerância.

Em um futuro bem próximo todo o aprendizado do dimensional será para ele útil, quando terá que agir frente às situações que fugirão às leis para a terceira dimensão, colocando-o frente ao paradoxal – frente às situações em que os extremos se encontrarão e quando então, poderá lhe acontecer todos “os tipos de fenômenos” mediante a abertura de portais energéticos.

Para o dimensional que está em um processo de cada vez mais se despertar, o aroma ou o perfume aguça os seus sentidos em relação à sua personalidade, fazendo com que o seu cérebro estimule e amplie a sua capacidade de perceber e, neste sentido, a Aura Soma é o perfume, que combinado com determinada porcentagem de algumas outras substancias passadas em seu corpo, estimula o seu olfato, algumas regiões do seu cérebro e também a sua percepção visual no sentido de enxergar o invisível ou aquilo que só a sua visão periférica é capaz de captar, trazendo à sua consciência horas depois pelo “mecanismo” cérebro-mente mensagens/informações, que muitas vezes ele as qualifica como “inspirações”.

O dimensional desperto sabe que já passou pelo “julgamento”, quando os seus Companheiros já transmutados em outras esferas de vibração o qualificaram, “observando-o” em seus padrões vibratório e evolutivo – se ele estava realmente “inserido” à Consciência Crística, passando à população o que Jesus ensinou. Neste trabalho de propagação o dimensional/Projeto Portal é especialmente responsável, porque tem a colaboração direta do “Consolador”, que facilita o seu despertar, para que possa posteriormente despertar outros indivíduos.

O dimensional em sua condição humana é um “Computador Vivo” guardador de sua memória cósmica, é ainda, uma “Máquina Sagrada movida à Energia da Kundalini” já transformada em Energia Vibracional/Taquiônica, que com ela se expressa consciente com a “linguagem do dual” própria de um “sistema binário de comunicação” no plano físico de suas experiências e que através dela a sua inserção definitiva no plano mais sutil da Manifestação se dá pela sua Transcendência em estado de neutralidade – dentro do “Mecanismo” do Amor Universal.

A Freqüência da Alegria Interior não é aquela alegria “trazida” pelos cinco sentidos e que quase sempre gera “distorções emocionais”, ela é aquela que proporciona uma abertura total em relação aos mundos paralelos, porque o dimensional neste momento mentalmente em silencio, se percebe integrado no que É, vibrando em estado de graça ou com o coração puro, irradiando o que é em Essência e não o ilusório trazido pelo “ego”.

O universo é perfeição, padronização e simetria, portanto caso o dimensional execute alguma tarefa sem esta perfeição, mesmo que seja com um disfarçado pensamento de contrariedade ou de raiva, fora da vibração do Amor, ele estará fazendo uma anomalia.

O pensamento desarmônico ou construir algo com medidas inexatas que levem o dimensional ao desequilíbrio final, também é uma forma anômala de proceder.

O dimensional desperto já compreende os objetivos dos “Seres” e que eles vibram dentro Simetria do Amor, portanto para que se mantenha em ressonância vibratória com eles, deve vigiar os seus pensamentos todos os instantes.

O dimensional deve procurar o conhecimento a tal ponto, até compreender que não precisa mais comparar/questionar através dos seus pensamentos, porque tudo para ele “É”, por já ter aprendido a mudar o seu estado de vibração em relação às circunstâncias externas – com este equilíbrio mental ele já se expressa com a Vibração da Energia Taquiônica – irradiando a Energia do Amor Universal, com todos e com tudo integrado.

No Universo não existe a anormalidade, tudo é explicável através das Leis Universais.

Os números combinatórios mostram para o dimensional que o Universo é uma complexa equação matemática, onde tudo é simetria, perfeição e cada vibração é um resultado numérico, causando uma reação como uma outra vibração com resultado também matemático. A ciência oficial ainda não tem a compreensão “do mecanismo” da Matemática Universal.

Os números combinatórios são equações simétricas que mostram uma perfeição ou um aperfeiçoamento em tudo o que o dimensional faça e observa com o coração puro ou em estado de graça e neste momento com a sua consciência de um “observador”, é dado a ele perceber “que tudo que acontece” é codificado na Linguagem da Matemática Universal dentro da Simetria do Amor.

A Linguagem da Matemática Universal através do entrelaçamento quântico mostra a perfeição e a harmonia no Processo da Manifestação e com ela é que os “Seres” estão agora solicitando aos dimensionais despertos se expressem – que neste “nível de mais verdade” façam o seu trabalho de propagação.

O “som da flauta” que os “Seres” estão emitindo ultimamente nos contatos compromisso, ele funciona como uma codificação numérica ou como uma “chave vibratória” direcionada para uma finalidade específica, que é o de permitir o dimensional sintonizar com um nível mais sutil de vibração – de estabelecer o necessário “entrelaçamento vibratório” com outras realidades de existência.

A Matemática Universal diz respeito a toda Manifestação, portanto ela está também presente com a sua linguagem no dia a dia do dimensional, que muitas vezes sem saber está através dela constantemente se expressando em tudo em que vivencia, quando se comunica pela “linguagem” do sim (“positivo”) ou do não (“negativo”) como opções de conduta em sua vida.

A linguagem da Matemática Universal ensina antes de tudo ao dimensional, que ele deve se despertar e extrapolar o mundo dos seus cinco sentidos, sincronizando o seu mundo interior com os mundos interiores de outros indivíduos em sua volta – que ele deve agir de acordo com a verdade transcendente ensinada por Cristo Jesus: “Amai o próximo como a si mesmo”.

O dimensional ao se expressar/”falar” com a Linguagem da Matemática Universal, ele “fala” para si mesmo, quando vai adentrando em seu mundo interior e vai paralelamente em estado de graça “universalizando-se”, ao saber escutar e falar a linguagem de “outros mundos” existentes ao seu derredor – ao se harmonizar com os seus semelhantes.

A Transmutação é o objetivo que deve ser alcançado pelo dimensional, assim ele precisa trabalhar para “buscá-la”, gerando a sua própria energia de transmutação, que depois de alcançada deve ser potencializada no campo das polaridades “do positivo e do negativo” – portanto, o dimensional homem deve se somar energeticamente ao dimensional mulher, para que os seus campos de energia “se fundem” e se expressem como uma única Fonte de Energia.

O dimensional para conseguir a energia de transmutação, ele deve ter a compreensão e o discernimento dos valores da vida – ele deve executar o que aprendeu em sua condição de dimensional desperto – e, a manipulação de suas Linhas da Vida é um destes aprendizados.

Se o dimensional passa ainda por processos doloridos de aprendizado, apesar de saber manipular as suas Linhas da Vida e sintonizar os seus pensamentos de acordo com as Leis Universais, é porque ele ainda está colhendo o que plantou no passado e que colherá ainda pelo o que está plantando agora – as suas atitudes no presente é que refletirão em seu futuro.

O dimensional que não souber manipular as Leis Universais não conseguirá gerar a freqüência de transmutação e então, ele poderá ascender, mas não se transmutar – “existirão aqueles que morrerão para gozar a vida eterna e existirão aqueles que não morrerão, mas alcançarão a vida eterna” – Cristo Jesus.

Se o dimensional quiser a sua Transmutação, que ele aprenda também a conhecer e comandar os órgãos do seu corpo físico, gerando-os vitalidade pela Força de sua Vontade direcionada pelo seu Pensamento.

Os “Seres” através da “tecnologia” do Plasma vão ajudar o dimensional na reconstituição de seu corpo, mas ele deve antes conquistar o estado de graça, que é o estado de vibração relacionado à Energia Taquiônica e que o faz transcender – transmutar com o “coração puro”.

Aquele que transmutar terá o controle das Leis Universais, quando então poderá tomar a forma que quiser, transformando-se em uma forma luminosa, em uma silhueta translúcida e mesmo se mostrando em uma forma humana na terceira dimensão durante o período máximo de sete horas.

Os dimensionais já vêm a milhares de anos, sendo estimulados pelos Mensageiros de Deus para que alcancem os Planos mais Sutis de Vibração – eles sempre estiveram presentes na História da humanidade e o ultimo foi Cristo Jesus, que conseguiu apenas parte do seu intento.

Hoje os dimensionais despertos têm tanto a ajuda do “Consolador” quanto o auxílio dos “Seres”, que são os seus Companheiros e que já transmutados através da quarta dimensão os informam e os direcionam, quando utilizam o recurso do compromisso para despertá-los.

Os Companheiros do dimensional que ele os chama de “Seres”, já vêm algum tempo trabalhando-o com o auxilio de varias freqüências como a da Fusão, do Plasma e da Energia Crística e também com outras interações como com as das “Naves” GNA e Gemus, “Nave Mãe” e o Biosatélite.

A “Nave GNA Oscilante” que ultimamente tem aparecido é outra “tecnologia dos Seres”, que potencializa o dimensional em relação à freqüência vibratória dos seus principais chacras (plexo, umbilical e frontal) e que o possibilita aumentar tanto a sua capacidade mental, quanto estabilizar a sua saúde – mas, para que ele receba diretamente a energia enviada pelos pulsares/flashes desta “Nave”, é necessário que esteja com os seus chacras voltados para ela.

A partir do inicio de 2009, os “Seres” começaram a passar aos dimensionais nos contatos compromissos muitas informações na forma de “fenômenos”, quando como Corpos de Energias Conscientes se mostraram flutuando e voando pelo seu “domínio tecnológico” da gravidade.

Os “Seres” estão permitindo os dimensionais visualizarem suas vindas e voltas através de aberturas e fechamentos de portais e nestes momentos os dimensionais vêem que eles utilizam da “tecnologia de flashes luminosos”, quando através de um primeiro flash eles aparecem iluminados e quando acontece em momentos após um segundo flash, eles desaparecem no meio desta luz instantânea.

Os “Seres” estão agora não só mostrando a “tecnologia” de funcionamento dos portais que manipulam, mas também já começam ensinar o dimensional viajar pelo hiperespaço, que para nele viajar o dimensional deve ser conhecedor da entrada paradoxal, saber se conduzir através do que a física quântica menciona como “buraco de minhoca” – esta entrada/caminho relaciona com a estrutura da Malha Eletromagnética do Universo e os “Seres” estão usando-a comumente como caminho de atalho, quando “cortam” o hiperespaço para aqui chegarem quase que instantaneamente.

A “ferramenta tecnológica” na forma de teletransporte que os “Seres” já começaram proporcionar ao dimensional e que penas agora que a física quântica começa a ter as primeiras noções desta entrada/caminho, não existe no mundo o que pode suplantar este “presente de manipulação”, que o dimensional energeticamente já começou conquistar já em nível físico e, portanto não mais se fazendo apenas como uma realidade ao nível do plano mental.

O dimensional que não conseguir com os seus próprios esforços desenvolver a habilidade inerente ao teletransporte através dos vórtices, os “Seres” lhe darão um aparelho semelhante àquele que os intraterrenos seguram.

Cada dimensional ainda em sua condição humana está associado/codificado a um numero de um a nove, que representa o seu vórtice de energia, portanto aqueles dimensionais que estão em um determinado vórtice/número, possuem a mesma freqüência.

Programações mentais já estão gravadas no inconsciente do dimensional em função dos seus estágios de vidas passadas, mesmo antes deste ultimo ciclo de cinco mil anos e cento e vinte e cinco dias que atualmente ele o vivencia.

Hoje o dimensional está na Freqüência de Lilith, portanto no limite da alquimia de transmutação em um momento em que o dimensional/homem precisa do auxilio do dimensional mulher, para despertar a sua energia de transmutação, que se ele não conseguir despertá-la os dois não transmutarão – neste momento as polaridades que se expressam no mundo físico como “positivo e negativo”, precisam se fundir pela pureza de coração de um “Sacerdote e de uma Sacerdotisa”.

Através de sua capacidade de interagir com o seu corpo físico e de manipulá-lo, é que o dimensional mulher irá ativar o dimensional homem, que em uma “simbiose energética” irá depois potencializá-la em seu campo de energia, para que se manifeste em ambos a Energia de Sublimação, que é muito mais que o seu veiculo energético subindo em espiral.

Para potencializar o seu corpo físico no sentido do seu salto quântico ao nível dos seus prótons e elétrons, utilizando-se do seu comando mental, o dimensional por si só não conseguirá extrapolar a terceira dimensão e transmutar-se – o dimensional precisará se somar com a sua contraparte energética (Alma Gêmea ou similar), porque “inserido” na terceira dimensão terá que obedecer às leis codificadas para este plano de realidade, que vivencia experiências com os opostos.

Agora chegou o momento do dimensional que já se despertou desvincular vibratoriamente da terceira dimensão, compreendendo as leis relacionadas a bi-polaridade, que fazem o mundo do dual funcionar com forças/energias opostas, que ele deve polarizá-las e transformá-las em Energia (Neutra) Taquiônica, que é a soma de todas as energias por ele gerada e que torna o seu “Instrumento Vibratório”, para levá-lo à Transmutação pelo “Caminho” do Amor Universal.

A carga elétrica no corpo do dimensional está relacionada com a sua Energia Taquiônica que ao ser gerada mais por ele, mais se concentra nas células do seu corpo.

A “chave” que abre o “portal paradoxal”, “acionando-o”, para que o dimensional consiga transcender-se, está nele mesmo, quando manipula e direciona a sua energia de transmutação através do seu campo eletromagnético com a força de seu Pensamento Sublimado.

O dimensional desperto que já tem o padrão evolutivo e vibratório para o seu contato compromisso, ele já lida com forças além dos padrões da terceira dimensão, sintonizando-se e interagindo em um campo de manifestações, que pode ser mesmo considerado surrealista – além dos seus cinco sentidos.

A Intenção ou Vontade do dimensional é que manda e, neste caso, é a sua consciência ativa que é direcionada em um estado de coração puro para o que ele almeja, quando concentrando em si mesmo, ele tem o controle e o equilíbrio para sintonizar não só com outros planos de realidade, como também com o seu mundo interior.

O dimensional/Projeto Portal já vivencia interações com as realidades paralelas, tendo a certeza da entrada paradoxal porque a vê acontecer através dos vórtices de energia, que instantaneamente “trazem e levam os Seres” – entretanto, esta “tecnologia de teletransporte” ainda não é “fato” comprovado pela ciência oficial, portanto ele externa as suas informações e os seus conhecimentos neste sentido como pesquisas para-científicas.

Para qualquer dimensional desperto com mais anos de Projeto Portal é uma “brincadeira” a materialização e o teletransporte de sua pedra discóide e mesmo de qualquer outro pequeno objeto que jogados a certa distancia “aparecem” instantes após em suas mãos.

Ele está no momento, preparando-se para interagir com uma freqüência ainda mais sutil de vibração do que a do contato compromisso – está se preparando para o contato superior.

No contato superior os “Seres” aparecem na frente do dimensional como que vindo do “nada”, se mostrando na forma de silhuetas e já iniciando uma conversação com ele que poderá durar mais tempo, porque a presença desta Manifestação Consciente não está mais influenciada pela densidade do planeta – e o dimensional poderá até tocar nesta silhueta, que é formada por um campo de energia diferente, quando ele então, terá a sensação semelhante àquela, quando “penetra” na água com as suas mãos.

O Projeto Portal comparativamente a uma maquina foi sendo “montado” aos poucos com a energia mental dos seus participantes, na medida em que alguns foram “puxando” os trabalhos vibratórios e a primeira “peça vibratória” colocada na estrutura desta máquina foi com o auxilio do dimensional que acessou a primeira “Placa” ainda no ano de 1999, depois outras “peças vibratórias” foram também sendo nela colocadas por outros dimensionais, quando sucessivamente foram “puxando” os trabalhos dos Mundos Interiores, dos contatos com os Extraterrestres, da Fusão, Plasma, Energia Crística, Contato Verbal, Contato Compromisso, Interação com a Luz da Divindade e mais recentemente o Contato Superior.

A “Máquina Viva” Projeto Portal não deve apenas ser movida pela energia mental, ela deve paralelamente ser movida pela “força do coração” de seus participantes, para que não fique como uma maquina física insensível, que apenas faz/acontece, desviando do seu real sentido vibracional – do sentido do Amor.

Foi com o conhecimento da aritmética dos números e do calculo e também com a matemática dos símbolos algébricos ou da lógica simbólica e da física, que o ser humano chegou à ciência da computação e, com ela, ao computador – uma maquina física que a “Maquina Viva e Humana” procura no momento dá-la inteligência, “compelida” pelo seu entrelaçamento com a “Fonte” – Luz Central/Deus – que a criou e que agora ela tenta imitá-La.

O provável computador quântico no mundo da cibernética poderá até se tornar inteligente, “falando com a linguagem matemática” do conhecimento humano, mas com certeza nunca “falará” na Freqüência da Matemática Universal – na Freqüência Viva e Sublimada do Amor Universal.

Foi com a “Linguagem Quântica” que Cristo Jesus Se expressou/vivenciou para transmutar e, agora o “Consolador” orienta o dimensional desperto expressá-la, para que alcance também o mesmo objetivo.

Na antiga Grécia a filosofia nascente foi sendo constituída junto com as cidades gregas – “as polis” – onde o discurso desempenhou um papel fundamental para a construção da democracia incipiente – assim, foi sendo gradativamente gerada uma noção de razão ou logos como “aquilo” que permitiu ao ser humano daquela época ligar diversas frases, para fazer com sentido uma demonstração de conjunto.

A constituição da idéia de razão “foi nascendo” dos termos “lego e logos” – o verbo “lego” significava ler e discursar, enquanto que o substantivo “logos” era o próprio discurso.

A idéia de razão foi se fazendo como a diferença que é específica e característica da condição humana – o único animal que é capaz de enunciar a fala articulada ou o discurso.

Platão percebia que a diversidade e a mutabilidade das coisas não permitiam alcançar uma verdade fixa, necessária e permanente, para ele o conhecimento consistia em elevar o ser humano por meio da dialética, do mundo sensível a uma “intuição intelectual” deste mundo supra-sensível formado de idéias, que nele é que as ciências matemáticas se encontrariam – e por ciências matemáticas Platão concebeu a ciência dos números e do cálculo, que incluía aritmética, logística, geometria plana e estereometria (ciência dos sólidos).

De acordo com Platão as noções matemáticas apesar de não constituíssem idéias puras, as refletiriam – possuiriam seus protótipos no domínio das realidades eternas e ainda para ele os matemáticos serviriam de figuras visíveis e raciocinariam sobre elas, mas não pensariam nelas mesmas e sim nos originais que reproduziriam – seus raciocínios versariam sobre os símbolos em si e não sobre os desenhos que delineariam.

Com o realismo platônico realizou-se através da matemática uma mudança no critério de estabelecer a verdade, com o antigo conhecimento matemático empírico dos egípcios e babilônios sendo “transformado” na ciência matemática grega, dedutiva, sistemática e também baseado tanto em definição quanto em axioma – no que foi aceito como verdadeiro sem a exigência de demonstração, por se deduzir as proposições de uma teoria ou de um sistema lógico ou matemático.

A teoria do vórtice de Descartes foi considerada a primeira tentativa de representar o mundo exterior de uma maneira diferente da visão da filosofia escolástica – aquela que se baseava entre a fé e a razão, quando até então o homem ocupava posição central no universo, que naquela ocasião passou a ser ocupada pela natureza.

A Matemática Universal à qual Descartes se referiu, é a que os pensadores modernos a tem hoje como o “conhecimento completo” e racional de ponta a ponta, que a própria matemática é o exemplo mais perfeito – e esta maneira de pensar inaugurou uma nova maneira de compreender o conhecimento e a ciência, com a razão como o poder de avaliar um dado particular como base em princípios universais, passando a ser hegemônica.

Descartes afirmou (em seu quarto preceito) da necessidade de enumerar ou de contar, buscando o conhecimento total, com o qual se baseia hoje toda ciência moderna, quando fixa os procedimentos que devem ser seguidos para todas as investigações científicas e que constituem a própria mathesis universalis ou o método científico de alcance universal e serve para bem conduzir a própria razão e procurar a verdade nas coisas.

O interesse da ciência atual não concentra mais na criação da natureza, mas em seu funcionamento e desta forma a ciência interessa mais pelos códigos que o homem cria para entendê-la através da física, que é entre as ciências da natureza a única que pode exprimir a linguagem matemática – a física como ciência é capaz de tornar a matemática inteligível, ao justificar os esforços do pensamento para estabelecer uma ordem no mundo.

A matemática atualmente é tanto uma linguagem quanto uma forma de comunicação, desempenhando um papel fundamental no avanço científico.

A matemática é considerada por muitos a linguagem universal da ciência, sendo ela mesma detentora de uma linguagem própria que permite a comunicação entre aqueles que a estudam – a ligação entre a linguagem e a comunicação é evidente, já que esta última é o principal objetivo da primeira.

Comunicar pode ser entendido como “tornar comum” ou “pôr em comum” e ainda “estabelecer comunidade”. Mas, na acepção mais corrente “o comunicar-se” tem o sentido de “transmitir” ou “transferir para o outro” e a sua eficácia é medida pelo grau de aproximação entre a informação que foi enviada e a que foi recebida.

A comunicação entre os seres humanos é uma forma de interação social entre indivíduos e esta interação supõe a transferência de informação entre o emissor e o receptor mediante a mensagem que circula entre eles através de um canal – e desta forma pode-se interpretar interações como ações que os indivíduos exercem uns sobre os outros.

Para muitos a matemática é uma linguagem abstrata de difícil compreensão e que exige bastante concentração, para um campo rico de conhecimento e pródigo em inúmeras facetas, mas o que ela é de fato um meio de comunicação possuidor de um código próprio, tem registros orais e escritos como qualquer linguagem – ela exige competência de seus interlocutores, da mesma forma que a linguagem natural assume registros de diferentes complexidades, dependendo da competência daquele que fala ou escreve.

Para que a matemática “se mostrasse” como uma linguagem universal, o raciocínio matemático como o cálculo prático quantitativo e o pensamento algébrico como a busca de um valor desconhecido “surgiram” na mente humana quase que simultaneamente, tendo a Grécia como seu berço e os egípcios e os babilônios como sua referência prática, com suas medições geométricas, sua contagem e suas trocas de mercadorias.

Para “fazer” matemática é necessário pensar, organizar, classificar e intuir – é também necessário utilizar hipóteses, ensaios, erros e comparações para então, propor uma solução para o problema puramente matemático ou mesmo para aquela dificuldade do cotidiano, que requer o domínio destas mesmas habilidades para a sua resolução.

A matemática é objetivada por meio de sua linguagem, mas quando ela é traduzida para a linguagem natural, passa também a seguir regras gramaticais desta.

A matemática dispõe apenas de suas representações, porque o objeto matemático não é visível, portanto sendo o objeto matemático invisível, ele precisa de uma representação e de uma tradução.

A matemática tem características especiais entre as ciências e para alguns é considerada disciplina autônoma e para outros é linguagem universal para o conhecimento científico – mas, a verdade é que aumenta cada vez mais o impacto de seus métodos gerais na formulação e na obtenção de resultados em quase todas as ciências e também nas tecnologias.

Se os filósofos e os matemáticos sempre caminharam juntos ao longo dos séculos, foi porque a matemática tem sido e continua sendo um instrumento científico indispensável para a expansão do conhecimento do homem e de suas atividades e, se antes a matemática se aplicava mais freqüentemente à física e a engenharia, hoje suas possibilidades se estenderam definitivamente às outras áreas da atividade humana – este fato se deve em grande parte ao conhecimento científico trazido pela matemática com o advento dos computadores, que possibilitaram o desenvolvimento e a aplicação de eficientes métodos de análise e resolução matemática.

Ao nível mais fundamental as leis da física são intrinsecamente probabilísticas.

Existem vários sistemas, que são caracterizados por terem dois estados, em ressonância com as Leis Universais para o mundo fisicamente manifesto – fótons e elétrons comportam-se às vezes como ondas e às vezes como partículas.

O sistema quântico mais simples é binário – em função das relações de incerteza de Heisenberg.

Os átomos são incognoscíveis, não podem ser realmente vistos e descritos, a não ser pela matemática puro-abstrata e muitos vezes investigados apenas com cálculos de computação.

É para a eletrodinâmica quântica que o meio cientifico concentra atualmente a sua atenção.

Pela física quântica os objetos existiriam como experiências do “observador”, portanto, existiriam com a sua contribuição/escolha e não seriam nada mais além de possíveis movimentos de sua consciência, quando escolhidos como momentos para manifestar uma atual e determinada experiência.

O entrelaçamento quântico ou emaranhamento quântico é um “fenômeno” da mecânica quântica, que permite que dois ou mais objetos estejam de alguma forma tão ligados que um objeto não pode ser corretamente descrito sem que a sua contraparte seja mencionada, mesmo que estes objetos possam estar espacialmente separados.

O emaranhamento quântico é a base para as tecnologias que estão surgindo e os diferentes enfoques sobre o que pode acontecer neste processo de entrelaçamento, que dão origem a diferentes interpretações da mecânica quântica.

A teoria que inicialmente foi chamada de «Mecânica Quântica», atualmente se denomina Física Quântica – é um campo fértil para que a inteligência e a intuição humanas se mostrem, utilizando-se dos conceitos da matemática e dos conceitos da lógica “no mundo” da ciência da computação.

O que o meio científico está fazendo atualmente, é tentar descobrir quais são os modelos matemáticos, que podem descrever o porquê do Universo e através dele o porquê da presença do ser humano, que se acha nele tanto consciente quanto “energeticamente” inserido.

Pela sua própria natureza a física quântica é “expansiva”, portanto o dimensional desperto na medida em que vai através dela se despertando, vai também não só acessando novas concepções em relação ao mundo externo em que vivencia, como também vai percebendo outros mundos/planos de realidade, com os quais começa interagir.

A “Consciência Dimensional” por vivenciar o multidimensional além do “laboratório das experiências espaço-tempo”, ela extrapola a terceira dimensão onde também experencia – ela que interage com a quarta dimensão e com outras dimensões transcendendo o racional e com uma “visão/linguagem” ao nível de uma percepção também além dos cinco sentidos humanos, é que pode assimilar mais plenamente as informações de uma interação entre dimensões.

O mundo da “Consciência Dimensional” extrapola o mundo das partículas fundamentais e o “universo matemático conhecido”. É o “mundo mental” em que a Energia (direcionada) do Pensamento não pode ser descrita pelos atuais modelos matemáticos.

O dimensional que despertou tem ampliada a sua compreensão em relação a todas as coisas, respeitando-as pelo o que elas são e nesta freqüência mental-vibratória ele percebe que tudo tem uma função, tanto o que é bom quanto o que é ruim, porque tudo é perfeito em seu Significado Maior.

O dimensional já começa ter uma maior clareza do significado vibracional de Sublimação e de Unicidade, quando começa também a perceber a sua necessidade de se extrapolar de seu limitado “sistema binário de comunicação” do sim e do não ou do que é meu ou do que não é meu, quando programado pelo “ego” se assemelha em linguagem/procedimento a um simples computador.

É a Intenção ou a Vontade do dimensional o seu verdadeiro leme, que o direciona com a sua Consciência Ativa no “estado de coração puro”, adentrar em seu mundo interior e “se encontrar”.

O dimensional desperto por já ter aprendido mudar a sua freqüência vibracional em relação às circunstancias externas, ele já pode direcionar as forças/energias opostas que por ventura venha gerar na terceira dimensão, para que sejam polarizadas e transformadas em Energia Taquiônica – Energia Neutra que está relacionada com a carga elétrica do seu corpo físico e que é o resultado da soma de todas as energias que ele gera – provenientes das energias emocional e sexual.

A Energia Taquiônica através do pensar humano é em Sua essência Luz/Energia Puríssimo-Consciente e está de acordo com a teoria da relatividade no “mundo do manifesto” relacionada (“conceitualmente entrelaçada”) com a partícula hipotética táquion, que viajaria a uma velocidade superior à da luz e teria energia imaginária.

A ciência moderna mesmo se limitando “ao mundo da matéria”, procurou dar uma resposta ao “entrelaçamento” por meio da teoria fractal do matemático Benoit Mandelbrot, que usando de programas de computador, ele formulou a tese de que a natureza tem um repertorio reduzido de formas, que se repetem indefinidamente nos três reinos: mineral, vegetal e animal.

O dimensional que já se despertou, ele já sabe que realmente a Verdade é Uma tanto no mundo mensuravelmente pequeno/nanométrico quanto no mundo mensuravelmente grande/astronômico (e, se mostra também além deles), enquanto aquele dimensional ainda não desperto é que muitas vezes não A percebe como Una – “escondida” nos processos quânticos de entrelaçamento como múltiplas facetas de uma mesma coisa.

O dimensional já sabe que as Leis Universais são bastantes claras, quando o sinalizam, que deve aprender a fazer a sublimação de seus pensamentos e a polarização de seus sentimentos – que ele deve se tornar o “senhor” de suas próprias leis em relação ao seu mundo interior.

O dimensional desperto integrando-se à Harmonia Universal, com a sua transformação de homem animal racional humano em Ser Humanizado Cósmico e, portanto já se transformando de um ser planetário terrestre em um Ser Universal (Semi-deus) com um Padrão Mental mais desenvolvido, ele já começa a vivenciar a “Noção de Amplitude” através da Consciência (Percepção) Universal.

Em um outro padrão vibratório e evolutivo o dimensional já começa perceber o verdadeiro sentido do que é “Estado de Neutralidade” e que é nele que consegue vibrar na Freqüência da Energia Taquiônica ou do Amor Universal – Freqüência que “se expande” para além de sua condição humana, por vivenciar e vibrar um “Outro Amor” mais abrangente e “mais pleno”, além daquele vivenciado como pai, mãe, marido, esposa, irmão (a) e amigo (a), etc.

Como no mundo físico de suas experiências tudo se entrelaça pelas Leis de Causa-Efeito, o dimensional já começa entender mesmo no plano atual de sua existência, que a sua “linguagem” deve ser outra, que deve começar a falar com “Linguagem da Matemática Universal” com a sua Simetria do Amor e, portanto que não deve mais buscar “a linguagem” das comparações e dos questionamentos que conflitam e que separam.

O dimensional já começa perceber o sentido de Unicidade – que Nela tudo “É” – assim, pode também ter uma maior compreensão do que Cristo Jesus quis dizer, ao indagar, “quem é minha mãe e quem são meus irmãos” e ao estender depois a mão para os discípulos, acrescentou: “aí está minha mãe e meus irmãos, pois todo aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos Céus, é que é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

Realmente Cristo Jesus foi o maior “cientista” em relação à física quântica, não por criar para ela fórmulas ou equações matemáticas – Ele não a teorizou, mas com os seus conhecimentos, ensinamentos e “milagres”, foi alem, Ele a vivenciou para se transmutar.

O dimensional desperto com o seu comando mental manifesta os seus pensamentos no mundo físico e com eles a sua Vontade “se faz” no sentido de alcançar e de transformar, para melhorar a sua vida – então, a sua realidade física é o resultado dos padrões de seus pensamentos, que ao serem mudados positivamente, a sua vida também muda de forma positiva.

Tudo o que faz parte da vida do dimensional é antes gerado em sua mente, que no fundo é a “matéria prima” que com ela cria, utilizando-se de seus pensamentos e de suas ações, portanto, ele tem que aprender a discernir o que é positivo e o que é negativo em seus pensamentos, para que potencialize somente aqueles que harmonizem a sua vida, direcionando-os às atitudes positivas em relação a si mesmo e aos outros – estar neste equilíbrio, é “o fundamento” das Linhas da Vida, que nelas ele deve procurar “se convergir” para a Linha B – para a Linha do Meio.

Além das programações das Linhas da Vida que o dimensional desperto já pode fazer conscientemente, existem programações mentais inconscientes que nele geram reações automáticas.

A partir do momento que o dimensional desenvolve a sua compreensão em relação às programações inconscientes para sua vida, poderá então controlá-las e, tanto superar aquelas freqüências relacionadas a todos os tipos de medo, quanto potencializar aquelas que são positivas para ele.

Compreender estas programações deve ser para ele, entender e agir em relação ao funcionamento do seu corpo, porque é nele que elas se acabam revelando – assim, a compreensão em busca do equilíbrio ela se faz também entre a comunicação do dimensional com o seu corpo ou de sua consciência com o seu corpo físico.

A freqüência mental associada ao pensamento do dimensional é que delineia o seu futuro – o que ele idealiza associado à força de sua emoção, é que “ganha” vida como pensamento polarizado. Pensamento, Desejo e Vontade são as três Freqüências que o fazem mudar o seu padrão vibracional, que o fazem mudar a sua freqüência/energia em relação à sua vida.

São muitos os segredos ligados às freqüências emocionais, que têm muita importância na vida de cada dimensional e que agora os “Seres” estão autorizando que ele os saiba e neste sentido o “Consolador” irá de agora em diante trabalhar de forma direcionada cada dimensional até 23/03/11.

O dimensional deve realmente se despertar, para que caminhe com as suas próprias pernas, pensando e fazendo para os seus semelhantes, o que ele pensa e age para si mesmo – com autocrítica e discernimento – em outras palavras, ele deve sempre proceder já em um outro nível de consciência-razão, para que em Estado de Sublimação possa perceber verdadeiramente o Sentido da Unicidade.

Aquele que realmente se despertou, ele se percebe na Unicidade, vivenciando-se de acordo com as Leis Universais – pensando e agindo de acordo com elas, quando deseja e faz aos outros, como para si mesmo.

Os “Seres” alertam o dimensional, para que alcance o verdadeiro sentido de consciência-razão e possa paralelamente perceber a Unicidade dentro da Simetria do Amor Universal e então, possa ainda perceber que tudo o que se manifesta, já estava antes codificado/inserido na Luz Central, que Nela tudo está unificado – como a física moderna através do entrelaçamento quântico deixa também transparecer.

A separação apenas existe na mente (“dual”) daquele dimensional ainda sem o necessário padrão evolutivo, que não se percebe em sua Verdadeira Realidade Vibratória – em sua Consciência Multidimensional.

O maior tropeço para o dimensional é aquele gerado por ele mesmo, quando se deixa em sua individualidade agir de forma negativa, se conduzindo pelo “ego”.

O dimensional para que alcance os segredos futuros, que os “Seres” pretendem transmiti-los, é preciso antes que ele se harmonize com os outros dimensionais, exercitando-se em um nível mais amplo de consciência sintonizado com a Consciência Universal, para que possa então, não só o Projeto Portal energético se mostrar, mas também o Projeto Portal físico ser alcançado.

Ele deve procurar se extrapolar e agir de acordo, mesmo quando age em busca do “sucesso interno” que constrói o Projeto Portal físico, porque só após alcançá-lo, aprendendo pela convivência perceber “o real sentido de abundancia”, é que ele poderá almejar aquele “outro sucesso externo”, que alcançará junto à população com o seu trabalho de divulgação e de propagação.

O dimensional deve aprender a trabalhar compatibilizado com a freqüência da abundancia/prosperidade, que sem ela a humanidade vem se consumindo pela miséria e pela fome.

A miséria não está associada apenas à situação daquele que tem fome, ela tem também um sentido mais amplo associado ao proceder egóico de cada um, inserida no proceder individualista, que não percebe o sentido de prosperidade existente pelo agir positivo e coletivo, buscando um mesmo objetivo – a abundancia está codificada/vibra “no ame o próximo como a si mesmo”.

Na sua primeira fase de interação com as Energias Conscientes ao nível do Contato Compromisso, o dimensional ainda tinha um comportamento “mesclado” de desconfiança, quando a sua racionalidade se misturava à sua percepção momentânea de um plano de realidade mais sutil – ele não tinha certeza se realmente “estava vendo ou não” o que estava sendo manifestado para ele naquele momento e quando então, a manifestação ainda acontecia para ele com a ajuda da sonoplastia e com o “som da flauta” como ajustamento de freqüência.

Em relação ao compromisso que já foi passado ao dimensional, ele teve na realidade um treinamento para que ele “fosse medido” em relação à sua iniciativa e, portanto à medida que procedia, foi sendo também analisado em função de seus pensamentos e de suas ações.

O dimensional/Projeto Portal passou por uma “graduação” vibratória, que o capacita agora sintonizar e interagir com realidades paralelas de freqüências diferentes e ainda mais sutis através do Contato Superior, que no fundo não passa também de um treinamento dos “Seres” (Energias Conscientes), que utilizam deste “método de ensino”, para que o dimensional gradativamente vá se despertando – vá se percebendo pelo Sentido de Unicidade e tenha a percepção de sua Verdadeira Realidade Energético-Vibratória.

O dimensional deve ter agora um outro comportamento em sua vida, para “se ajustar” à necessidade desta outra freqüência vibratória – ele deve ter um outro padrão vibratório e principalmente ampliar o seu padrão evolutivo, para que possa, inclusive, alcançar a freqüência para o Contato Superior.

Os “Seres” têm a noção/codificação da freqüência mental-vibratória de cada dimensional e, por isto, podem priorizar o que é mais importante para cada um – mas, eles priorizam antes de tudo, o que é mais importante para todos.

Em relação à avaliação que eles já possuem do conjunto dos dimensionais, o padrão vibratório não deixa a desejar, mas em relação ao padrão evolutivo que nele “encaixa” consciência-razão, todos têm ainda muito que alcançar, para que possam realmente trabalhar em equipe – para que um trabalhando em beneficio do outro, “construa” o que é verdadeiramente o beneficio de todos.

O momento em que o dimensional vivencia, ele deve comparativamente já se ver como “um diamante lapidado” – já transformado em “um brilhante”, para que o seu brilho/luz realmente o sinalize como o intermediário dos “Seres” na Terra – se assemelhe a eles.

O dimensional já consciente de sua liderança deve conviver pacientemente com o outro, “vendo-o” como ele é. E dentro do possível e quando necessário ajudá-lo a se redirecionar.

O líder não é aquele que impõe, mas que interage positivamente com aqueles que com eles convive, sabendo resolver a cada tempo os problemas que vão surgindo – agindo de maneira tranqüila, sem a necessidade de ser ríspido, quando aparece alguma situação que ele deve chamar a atenção de alguém, que deve ser repreendido com educação.

Como todos os dimensionais despertos são também lideres, sempre eles passam por situações que um deve teve ter com o outro muito discernimento no sentido da flexibilidade, cedendo (aparentemente) em relação alguma questão – eles devem ter uma visão antecipada do momento em que vivem, para que não lhes aconteçam conflitos de idéias e de ações.

Os lideres devem prever possíveis atritos, para que os anulem antes que aconteçam.

O dimensional em seu meio já está exercitando a sua capacidade de liderança, para que possa depois exercitá-la junto à população.

Os grandes líderes que agiram destrutivamente em relação à humanidade, eles foram quase sempre compelidos por uma força/idéia negativa “oriunda do outro lado” dissociada das Leis Universais, geralmente eles foram (e são) dimensionais que não despertaram em relação à sua responsabilidade vibracional e consciencial – portanto, a sua imensa capacidade de criação e de atuação foi desviada de seu Verdadeiro Sentido.

O dimensional desperto que já desenvolveu algumas de suas habilidades mentais e que já foi várias vezes ativado com intensidade, ele pode também atrair para si no plano físico a mais perigosa de todas as atrações – o próprio ser humano que agindo de maneira menor como animal apenas racional, articula-se no sentido de sempre aproveitar (como “besta humana”) das situações para o seu próprio beneficio.

O dimensional deve aprender a identificar este indivíduo ausente de sensibilidade, que está sempre vibrando no negativo – por outro lado, o dimensional deve também saber identificar aquele que irradia compatibilidade e que é capaz de se somar, não só com ele como também com os demais.

Os dimensionais em sua condição humana já se conheceram em suas vidas passadas através de suas Almas, portanto já conviveram anteriormente uns com os outros.

Vieram para o planeta Terra aqueles que buscaram aprendizado – aqueles que vieram aprender neste “Laboratório ou Escola Especial” no Universo, quando aqui então “passam de ano” ou “ficam como repetentes” eternamente.

Os dimensionais que agora estão cada vez mais se despertando, eles estão sendo compelidos a se descobrirem “auxiliados” por suas dúvidas e por seus questionamentos, que originados através do que não é só falado ou escrito no Projeto Portal, os levam ter um outro conhecimento do Universo e, portanto deles mesmos.

Os dimensionais há muito já vinham sendo atraídos para a Terra, para “conhecerem/vivenciarem” uma experiência nova, que é a emoção e que só é experimentada ao nível da terceira dimensão (terrena) e, foi então, que eles há milhares de anos já como seres humanos conscientes e emocionais “se inseriram” no ciclo de vida/morte e vice-versa – mas, eles estão realmente mortos para a sua Verdadeira Realidade Vibracional.

Os dimensionais não estão sabendo voltar para o “Estado de Neutralidade”, que é alcançado pela “Linguagem Simétrica” do Amor Universal, que transcende o tridimensional, o dual e o emocional. Eles não estão sabendo polarizar as suas emoções.

Os dimensionais vieram experienciar no plano físico e terreno a emoção, que para vivenciá-la foi necessário que se incorporassem fisicamente como seres humanos, para que a decodificassem/“traduzissem” através dos seus cinco sentidos – em outros planetas de terceira dimensão existem seres humanóides que não são propriamente seres emocionais e, portanto não possuindo os mesmos sentimentos de um ser humano, não estão presos à matéria, que já a manipulam.

Os seres intraterrenos que têm uma alimentação própria, mantém em seu organismo a sua ótima carga elétrica – eles estão ainda ligados à terceira dimensão, vibrando em uma freqüência entre a terceira e a quarta dimensão.

Os seres intraterrenos junto com os seres intramarinhos e os de Gemus não morrem mais – eles não possuem corpo denso como o corpo humano do dimensional, que no caminho de sua Transmutação depende da ajuda deles, que por sua vez dependem dos Seres de Freqüências ainda mais Sutis.

Os seres intraterrenos e os seres de Gemus, que possuem a sua densidade corpórea próxima a do ser humano, depende do dimensional para transformar seu corpo em luz, portanto existe um “entrelaçamento de interesses” em vários níveis de freqüência, quando todos buscam a mesma coisa – quando “se somam” e vibram em sintonia com a Harmonia Universal.

O dimensional por possuir Simbologia, ele tem a condição de auto-reação, de fazer uma auto-reprogramação e aquele que já se despertou e manipula as suas Linhas da Vida, sabe que para ele não existe “destino”, mas um “instrumento de reprogramação” em sua vida – portanto, procedendo em relação à sua Essência Divina e obedecendo as Leis Universais, ele pode utilizar de uma “ferramenta mental-vibratória” ou a Linha B de suas Linhas da Vida, que lhe proporciona a condição de um deus-criador e, com ela pode exercer, inclusive, o poder de auto-regeneração, que os seres planetários não o possuem.

O dimensional já compromissado deve ser auto-curador, ele deve antes “se curar” em todos os sentidos e assim, “curar” primeiramente a sua Alma, para que depois “cure” aqueles que dele precisam de ajuda.

O dimensional que já se despertou e passou pela experiência vibratória com a Freqüência da Divindade Ativa, com o Plasma, com a Energia Crística, com as Fusões 1, 2, e 3 e já foi trabalhado tanto pelos Ultras quanto pelos “Seres”, chegou o momento dele agora direcionado pelo “Consolador” fazer uso de todos os conhecimentos adquiridos nestas suas experiências, não só em beneficio de si mesmo como também em beneficio de outros.

O dimensional desperto para que se ajude (“se cure”), ele precisa antes conhecer a sua própria Freqüência/Energia. E a sua Freqüência de Onda que neste sentido o ajuda a se direcionar – ele quando faz em seu dia a dia a auto-análise, ele está paralelamente fazendo o conhecimento desta sua Freqüência, desta sua Energia.

O dimensional ao acordar com certa disposição, ele está com a sua mente ativa e em freqüência positiva e, se ele acorda com mais disposição ainda, ele já alcançou a condição de uma freqüência altamente positiva, que lhe permite fazer o que deseja não só para si como também para os outros – ele está vivenciando momentos de intensa positividade próprios do seu poder criador.

Quando a Energia/Freqüência do dimensional não estiver como ele deseja, ele deve mudá-la, pensando positivo através de uma programação também positiva, porque é o seu pensamento que gera esta programação e, portanto é ele também que comanda esta sua mudança interior – a cada segundo o dimensional como um deus-criador pode fazer uma programação, de acordo com o Pulsar relacionado à Freqüência de Ressonância Schumann.

No “mundo do dual” o dimensional está sempre cercado do bom ou do positivo e do ruim ou do negativo e, portanto, em sua volta estão sempre presentes estas duas polaridades – então, ele deve identificar aquela energia que com ela tem afinidade, porque esta identificação/percepção que o possibilita ter discernimento do porque sente bem ou mal em relação a determinados indivíduos/situações, ela está quase sempre associada às suas vidas passadas, aos acontecimentos passados que ele os traz para a atualidade como freqüências positivas ou negativas.

Para resolver o negativo ou o que não foi ainda solucionado em suas vidas passadas, o melhor que o dimensional deve fazer para que entre em estado de graça, é ele abrir o seu coração para aquele que a sua presença o incomoda ou para aquele outro que na presença dele se sente incomodado sem motivo aparente – mas, às vezes o outro não quer o dialogo, porque ainda não alcançou o necessário nível de consciência-razão, então cabe o dimensional (mais consciente) não criticá-lo, mas aos poucos através do dialogo criar uma situação de harmonia entre ambos.

O dimensional/Projeto Portal com as informações dos “Seres” e com a orientação do “Consolador” está no momento “entrando fundo” na Freqüência da Transmutação, mas para realmente alcançá-la, ele deve fazer a sua parte, cuidando do seu corpo físico, praticando dentro do possível exercício físico e observando bastante o tipo de alimentação que está ingerindo – que deve ser a mais saudável possível, porque ele sendo preparado para receber de forma mais constante não só “o alimento dos Seres” como também outras de suas tecnologias.

A responsabilidade de um dimensional desperto é com o Universo, principalmente os 144.000 dimensionais (especiais e extras) têm uma responsabilidade imensurável com a Luz Central neste momento de Transição da Terra – de divulgar, propagar e de despertar.

O dimensional desperto que faz parte do Grupo dos 144.000, não pode mais perder tempo, ele deve se expressar com o que já sabe, mas muito masis informações ainda estão “escondidas”/arquivadas em sua Memória Cósmica que deve despertá-la, porque tem a responsabilidade de divulgar e de propagar para um maior número de dimensionais, despertando-o para a sua Verdadeira Realidade Multidimensional – e, só assim então, realizando este que é antes de tudo o seu verdadeiro compromisso, que ele poderá já transmutado, sair da prisão deste plano denso de vibração, que nele se aprisionou.

Aquele que ainda vacila em suas convicções, quando não se posiciona firmemente, mesmo ao que já viu e sabe em relação às realidades paralelas e mais sutis, ele é quase sempre inseguro não só em relação a si mesmo, como também é desconfiado em relação aos outros – ele normalmente não possui o suficiente equilíbrio emocional e, nesta situação não pode continuar, principalmente neste momento que a freqüência da Terra é outra, com “o seu tempo” em 4 segundos, quando tudo pode se intensificar para ele de forma positiva ou negativa.

Os “Seres” estão direcionando/despertando o dimensional/Projeto Portal para que desenvolva as suas habilidades mentais e paranormais e agora é o momento de ele executá-las com toda a sua força e o seu poder criadores

O dimensional/Projeto Portal depois que passar por determinadas fases deste seu treinamento mental-vibratório, ele verá que o “mundo físico” que para ele comumente se mostra, não terá mais sentido – tudo lhe parecerá sem graça, já que a sua atenção será direcionada para “uma outra realidade”, quando então vivenciará “um outro campo de experiência” em um outro nível de atividade cerebral.

Estar em outro nível de atividade cerebral é que possibilita o dimensional desperto realizar entre vários “fenômenos”, o de emanar sua energia do pensamento para o mundo físico, no sentido (paranormal) de entortar talheres, estourar prato, levitar e materializar – “tudo isto” acontece, porque ele já aprendeu a se sentir como se fosse um objeto ou já vivenciar antecipadamente uma situação, quando a imagem do que desejou, ela foi antes produzida/vivificada em sua tela mental – em seu frontal.

O Pensamento é que “conduz” o dimensional para o que ele quer, portanto quando o seu Pensamento manifesta-se na quinta dimensão, o seu Desejo já foi antes plasmado na quarta dimensão, para que ele como um “deus-criador” concretize na terceira dimensão com a sua Vontade, que só com ela é que ele realiza no plano físico – inclusive, “cria” as holografias.

Dependendo do ritmo cerebral do dimensional, a imagem holográfica se manifesta em regiões diferentes do seu cérebro, portanto não tem como se estabelecer um mesmo padrão para todos – ele tem apenas que aprender a visualizar a imagem, para que ela se direcione ao seu chacra frontal (relacionado à sua glândula pineal) e se manifeste em sua tela mental.

A imagem holográfica origina-se em um ponto no cérebro do dimensional, que tudo pode realizar a partir deste seu “ponto zero”.

A tela mental associada à capacidade criadora do dimensional “mexe” totalmente com a sua freqüência cerebral, então se algo está ruim para ele, é só mudar o seu padrão mental, para que esta sua vibração/freqüência indesejada se inverta – mas, o difícil é ele manter depois o seu padrão mental altamente positivo, porque situações que normalmente as vive em seu dia a dia, acabam por fazê-lo esquecer de se manter dentro de um comando mental ativo direcionado para objetivos mais transcendentes, “iluminados” pela consciência-razão.

Quando o dimensional materializa as pedras discóides “vindo do nada”, ele está neste instante utilizando de sua energia mental na Freqüência do Pensamento e também, ele está usando-a, quando ele às vezes joga algum pequeno objeto a certa distancia e ele volta para as suas mãos – mas, para que aconteçam estes “fenômenos”, ele antes os desejou, imaginando-os em sua tela mental como acontecimentos já realizados, que se tornam reais por sua Vontade no plano físico e daí, a menção de que o pensamento pode ser materializado.

Quando acontece ao dimensional esta “Alquimia” entre o seu Pensamento e o seu Desejo, que resulta em plasma, significa que formou em sua mente a imagem holográfica e esta holografia é uma energia plasmada, que ele pode manifestá-la na 3ª dimensão já na Freqüência de sua Vontade e que os “Seres” dela também utilizam para se mostrarem no plano físico – e, portanto dela utilizam para serem vistos e fotografados.

Se no Contato Superior não tem sonoplastia, é porque ao nível da tela mental-holográfica do dimensional, ela já não mais precisa se manifestar no mundo físico, que é também chamado de “mundo real” e o mesmo também acontece quando o dimensional sonha e tem a sensação de que ele foi real.

Quando o sonho traz ao dimensional sensações coerentes à realidade física, ele faz parte do mundo holográfico ou do pensamento plasmado e poderá ser posteriormente realizado na 3ª dimensão, dependendo de como o dimensional se conduzirá, direcionando em relação ao que sonhou a sua paranormalidade de feitos físicos.

Em sua “viagem” de teletransporte no mês de setembro de 2009, orientada por um ser intraterreno e acontecida na Fazenda Hotel Projeto Portal, “luzes” começaram a entrar no corpo do “Consolador” e ele como que “se incendiasse” com o “fogo que não queima”, começou a se transformar em plasma através dos seus chacras – do básico ao laríngeo – para então instantes depois de forma ascendente desaparecer já totalmente transformado em uma “bola de luz”, na frente de dois dimensionais que o acompanhavam.

O que o “Consolador” sentiu em seu momento de teletransporte, conforme narrou posteriormente, foi como se deslocasse e caísse muito rapidamente em um imenso tobogã, para logo se perceber já dentro da “Nave”, assim se pode deduzir que ele sendo “Aquele que faz acontecer” na terceira dimensão, a sua ida à “Nave” aconteceu por processo energético-vibratório ainda no plano físico, quando ele desapareceu na frente dos dois dimensionais, para aparecer horas depois em outro local bem distante – mas, a sua visualização dos “Seres” e a sua conversação com eles dentro da “Nave” já em uma outra freqüência de realidade ou de existência, elas se deram por processo mental-holográfico.

O dimensional/Projeto Portal poderá ir também à “Nave”, para que através dela conheça outros Sistemas Solares e outros espaços alem daqueles que a ciência conhece, mas ele deve realmente se preparar com interesse e dedicação, porque para que faça esta “viagem” de teletransporte, é necessário que ele tenha um padrão vibracional ativo, boa carga elétrica, equilíbrio emocional e muita compreensão/consciência de si mesmo, para que mais verdadeiramente perceba o porquê de sua inserção no Universo.

É o momento derradeiro do dimensional “ir a campo” com as suas habilidades mentais e paranormais já acordadas, para facilitá-lo em seu trabalho de divulgação e de propagação, porque chegou o momento dele despertar aqueles já preparados para isto – é a ocasião dele “jogar a sua semente em terras férteis”.

Ele não deve mais ficar restrito aos seminários, aos atividades de campo e às viagens à Fazenda Hotel Projeto Portal, o seu “foco” agora deve ser o de despertar/atrair os dimensionais ainda não despertos e, em relação à população de um modo geral (planetários) deve apenas passar informações necessárias, mas sem a necessidade de atraí-la.

Novas formas de Energias Conscientes já estão também aproximando da terceira dimensão e, portanto já começaram a ser visualizadas, para “se somarem” ao dimensional desperto e com ele fazerem um trabalho “corpo-a-corpo” – são Seres Ultradimensionais diferentes, que constituem “uma nova raça” oriunda de outros planos/dimensões de existência.

Até então os Seres Ultradimensionais conhecidos eram os transparentes na forma redonda (entre a terceira e a quarta dimensão), os na forma esférica (entre a quarta e a quinta dimensão), os na forma de losango (entre a quinta e a sexta dimensão) e os Seres Energéticos. – (Leia também o Vigésimo Terceiro Relato neste Site).

O dimensional/Projeto Portal vivencia no momento o que dois mil anos atrás Cristo Jesus já mencionava: “Não se turbe o vosso coração. Crede em Deus. Crede também em mim. Na casa de meu Pai, há muitas moradas. Se assim não fora eu vo-lo teria dito, pois vou aparelhar-vos o lugar…” – Cap. III João Cap.14.

Este dimensional já tem a suficiente certeza do que diz ou do que escreve, porque o percebe/”vê” – ele está conseguindo se tornar “Ponte Harmônica” com as realidades paralelas e mais sutis, porque está também conhecendo as Leis Universais e agindo de acordo com elas.

Para o dimensional desperto “expressar consciência” é ”comporta-se” diferentemente dos outros seres vivos, utilizando-se do “mecanismo” cérebro-mente que o disponibiliza para mudanças interno-cognitivas, permitindo-o níveis mais altos (amplos e sutis) de integração. É também quando ele buscando evoluir, busca paralelamente organizar e polarizar a sensação de agrado ou de rejeição nos seus centros emocionais (chacras), que são responsáveis pela concentração dos seus sentimentos em sua mente e que uma vez polarizados podem produzir satisfações ou insatisfações.

É importante que o dimensional compreenda (tenha consciência) como estes sentimentos são formados, para que ele possa identificar aqueles de características negativas e anulá-los, porque produzem apatia, consomem a sua energia vital e o subjugam de várias maneiras, colocando-o em uma situação de baixa freqüência mental-vibratória.

O corpo do dimensional que é um “computador vivo” alimentado com uma grande quantidade de informações processada pelos seus órgãos sensoriais, apenas uma parte ínfima delas é que chegam à sua consciência, ficando apenas nela as informações que lhe servem mais no momento – portanto, a “realidade” do que está acontecendo a todo o momento em seu cérebro, não está na mesma dinâmica sendo processada/codificada conscientemente por ele.

Para o dimensional o sentido da palavra consciência está ainda associado com a sua necessidade de se despertar – de despertar a sua memória cósmica através de informações e de conhecimentos trazidos pela sua “Placa”.

O dimensional desperto já sabe que de forma consciente, ele deve aprender a desenvolver a capacidade de se identificar com cada órgão do seu corpo que possui uma freqüência própria e com ela deve conscientemente interagir/“conversar” e também, com cada uma das células do seu corpo – assim, com a sua mente ativa, com o seu corpo relaxado e agindo com tranqüilidade ao nível de seus pensamentos, ele pode entrar em perfeita sincronia com cada célula do seu corpo e fazer nele o seu próprio “milagre”, curando-o quando for preciso através da Energia/Força de sua Vontade.

O dimensional que já interage consciente com o multidimensional – com as realidades paralelas – ele vai alem do mundo das partículas fundamentais e do universo matemático conhecido e também extrapola o mundo mental em que a Energia (direcionada) do Pensamento não pode ser descrita pelos atuais modelos matemáticos.

Ser consciente para o dimensional desperto está associado com o seu padrão evolutivo, que não é mais aquele que se mostra apenas com informações e conhecimentos dentro de limites cérebro-mente da ciência oficial – é despertar (conscientemente) para o “Eterno”, buscando-se o “Significado de Deus” e, nesta busca procurando se encontrar.

 

___________________________

Compilação de Antônio Carlos Tanure

Translate »