Postado por

Nosso contato com Kina e Eno

Nosso contato com Kina e Eno
Print Friendly

– Seres de Sírius –

De Árjuna e Vera Panzera (arjunapan@yahoo.com.br) – Novembro/2008

Foram trinta as pessoas selecionadas, para que tivessem na noite de 11/10/08 contato com os Seres.

Então, após a fala do “Consolador” no refeitório, por volta da 01h30min e, portanto já na madrugada do dia seguinte estes trinta dimensionais foram para o “Platozinho dos Intras”. E lá chegando, foram orientados por dois companheiros que comandavam os trabalhos daquela noite, para que caminhassem deste local até as “Marcas” através da trilha que sinalizava a “Estrada Dimensional”. Todos estes locais estão dentro do Hotel Fazenda Projeto Portal e são bastante conhecidos dos dimensionais.

Assim, todos foram informados por estes dois companheiros que deveriam andar pela trilha e que somente parassem, se ouvissem “alguém” pedindo para fazê-lo. A caminhada iniciou-se por apenas um dimensional que ouviu no caminho apenas pedras caindo. Depois foram feitas diversas tentativas com mais dois dimensionais que andavam pela trilha separadamente e, a seguir, procedendo desta mesma maneira grupos de três dimensionais.

Logo após estas primeiras tentativas que não aconteceram contato, ficou estabelecido que os dimensionais presentes se organizassem agora em grupos de sete pessoas sendo quatro mulheres e três homens que alternadamente deveriam caminhar pela trilha sempre de mãos dadas. Tanto este penúltimo grupo com sete indivíduos quanto o último grupo formado por casais, que dele participei com a minha esposa e mais três casais, foram os que tiveram contato.

Depois destas informações iniciais, farei o meu relato, mas não sei se conseguirei ser fiel quanto à ordem dos acontecimentos e ao conteúdo das comunicações, que tanto eu e minha esposa quanto os outros três casais tivemos juntamente neste nosso contato.

A noite era de Lua quase cheia e ela estava à uma hora para se esconder no horizonte. A nossa caminhada iniciou-se por volta das 02h55min e depois de percorrermos uns cinqüenta metros começaram a cair pedras, mas continuamos caminhando.

Passados alguns minutos após este momento ouvimos uma voz grave caracteristicamente masculina e então, nós paramos. A seguir dissemos para que se manifestassem, já que “estávamos prontos”.

Vimos logo após esta nossa observação, que formou uma névoa no mato ao derredor e dela a voz masculina novamente se manifestou. Entretanto, dissemos que continuávamos não entendendo o que ela nos dizia e assim, por certo tempo esta voz repetia e repetia o que queria nos dizer.

Então, passamos a ouvir uma voz agora caracteristicamente feminina e que no inicio também não entendíamos o que nos dizia. Mas, logo começamos entender o que ela nos solicitava, quando nos pediu que sentássemos no chão e que continuássemos de mãos dadas. Esta voz era extremamente suave.

Com todos os quatro casais já sentados no chão, alguém deste grupo perguntou de onde os Seres eram.

– A voz feminina: de Sírius.

– Minha esposa: que bom, eu também sou de Sirius, estou emocionada por ver o meu povo aqui. Sinto saudades!

– A voz feminina: nós também temos saudades!

– Alguém do grupo perguntou: qual o seu nome?

– A voz feminina: Kina (custamos um pouco entender este seu nome)

Neste momento a voz masculina também disse o seu nome, mas não o entendemos, portanto pedimos para Kina, que nos falasse o nome dele.

– Kina: Eno (também custamos um pouco entendê-lo)

Em outros momentos Eno tentou se manifestar, mas não conseguimos entender nada o que dizia, porque sua voz era muito grave.

Neste momento o grupo pediu para vê-los.

– Kina: ficaremos pesados…. Estão vendo?

– O grupo: não!

– Kina: não estão vendo?

– O grupo continuou: não!

Ouvimos um som como uma espécie de assobio soprado. Este som se repetiu mais duas vezes durante o contato. Alguns participantes também viram luzinhas no mato onde eles estavam.

– Kina: estão nos vendo?

– O grupo ainda continuou: não!

– Kina: acendam a lanterna.

Uma lanterna foi acesa e direcionada para eles. Alguns conseguiram enxergá-los, mas eu não consegui vê-los. Após o contato alguns disseram que eram como se fossem de vidro.

Nesta ocasião perguntamos a que distância eles estavam de nós.

– Kina: três metros.

O grupo também perguntou qual era a altura deles.

– Kina: dois metros e pouco.

Neste instante fui eu que lhes pedi, para que acendessem neles a “luz do frontal”, para que os víssemos.

Então surgiu um flash belíssimo na cor prata que inundou de luz o ambiente. Era completamente diferente do flash de uma máquina fotográfica, muito intenso e mais demorado. Nossa reação foi de grande euforia e agradecemos.

A seguir o grupo pediu se poderia ser ativado para melhorar a interação dos participantes.

– Kina: não precisa!

– Kina: faremos sonoplastia.

Logo após iniciou-se o barulho característico de mato como se estivesse sendo quebrando e nesse momento vi um vulto escuro no fundo claro da noite. Outros já viram os dois caminhando em nossa direção.

– Kina: desfaçam as mãos dadas e fechem as mãos. Relaxem.

Nesta ocasião, quando perguntamos para eles se poderiam passar o nosso compromisso, quem nos respondeu foi Kina.

– Kina: sim! Organização!

– Indagamos: esta organização é em relação ao Projeto Portal?

– Kina: sim! Organização de tudo no Projeto Portal.

Continuando a nos informar, perguntando para eles se teríamos outro compromisso.

– Kina: sim! Propagação dos seus objetivos em todos os meios de comunicação.

– Clareando-nos neste sentido, continuamos a perguntar: TV, jornal, rádio?

– Kina: sim!

– Nos informando ainda mais: Internet?

– Kina: sim! Propagação em todos os meios.

Fiz então uma pergunta particular, mas muito importante tanto para mim quanto para minha esposa, tendo em vista a seriedade de nossa atuação junto ao Projeto Portal.

Para aqueles que estão lendo este relato e, neste sentido, possam entender o nosso posicionamento, eu e minha esposa nascemos na cidade de São Lourenço no Sul de Minas e nossos pais pertenciam à instituição mental-espiritualista “Eubiose” fundada em 1921 nesta cidade que sempre falou em mundos interiores e dos Seres Extraterrestres, além de um conhecimento profundo sobre a nossa origem na Terra e o nosso futuro. Em diversos momentos de nossa participação no Projeto Portal sempre nós dois falamos para o “Consolador” sobre as “coincidências” existentes entre o que se pratica no Projeto Portal e o que o professor Henrique José de Souza, fundador da Eubiose, já nos mundos interiores (1883–1963), escreveu em suas “Revelações”. Nossa preocupação foi sempre de unir o conhecimento eubiótico com a prática desenvolvida no Projeto Portal.

Assim, eu perguntei aos Seres – e, a Eubiose?

– Kina: estamos juntos!

– A seguir alguém do grupo perguntou quando teriam o próximo contato.

– Kina: fevereiro de 2009.

– Um dos casais imediatamente ponderou: não poderemos vir nesta data.

– Kina: sinalizaremos do céu para vocês!

– Kina: dois minutos!

– Alguém perguntou: faltam dois minutos para acabar o contato?

– Kina: sim!

– Então, alguém do grupo ainda perguntou: quantos contatos nós teremos?

– Kina: setenta e sete contatos.

– Neste momento um dos participantes falou: estou muito feliz em estar aqui com vocês!

– Kina: nós também!

– Kina: quarenta segundos!

– Minha esposa: At Niat Niatat (pela Eubiose, significa “Um por todos e todos por um” – na linguagem dos Mundos Interiores).

– Kina: At Niat Niatat (“Um por todos e Todos por um”)

– Kina: Vibração!

Todos responderam “vibração” e agradeceram muito a oportunidade do contato.

Então nós nos abraçamos e já regressando, continuamos a caminhar até o fim da trilha. Nesse trajeto as pedras continuaram caindo como se os dois “Seres” continuassem a nos acompanhar, o que nos fez continuarmos com os nossos agradecimentos.

Quando chegamos à região das “Marcas” onde fomos recebidos pelos dois companheiros que estavam comandando os trabalhos daquela noite, fomos informados, que fossemos para a Sede da Fazenda Hotel Projeto Portal, para que relatássemos o que nos tinha acontecido, para aqueles que ainda estavam ali nos esperando naquela hora da madrugada.

Este nosso contato durou cerca de vinte minutos. E, após o contato os dimensionais que aguardavam na fila esperando a sua vez de contatar, eles viram uma luz cruzando o céu, o que foi interpretado como “ninguém mais fará contato hoje”.

Nosso sentimento e nossa avaliação ( meu e de minha esposa):

Não sentimos medo em momento algum. Minha esposa sentiu uma pequena emoção quando a Kina disse que era de Sirius e quando lhe respondeu que também estava sentindo saudades. Minha emoção parece que foi anulada e em alguns momentos senti que estava “travado”, não conseguindo perguntar mais nada do que havia planejado.

O fato de termos interagido com Seres de outras dimensões, passou a ser para nós uma realidade vivenciada e agradecemos a disponibilidade e a paciência deles em nos ajudar, quando responderam todas as questões levantadas por nós e quando mostraram que estão solidários conosco em nosso trabalho em prol da evolução de nossos semelhantes.

Translate »