Postado por

Paracleto – “Homem Pássaro”

Paracleto – “Homem Pássaro”
Print Friendly

Aquele que “ancora” a frequência de o paracleto ou de o consolador, ele já se mostra na realidade física de maneira especial como intercessor, mentor, auxiliador, defensor e direcionador voltado aos interesses dos seres humanos, para que deem o seu salto quântico procedendo diferentemente, quando agora possuem outras informações necessárias para que possam não só transmutar, como construir um novo tempo. Ele é também aquele que, com o seu compromisso “firmado” no futuro se mostra no presente como um viajante do tempo. Ele é aquele ainda que, com a sua capacidade de volatizar como um “homem pássaro” ou, como “homem anjo”, veio com intuito de ensinar, revolucionar e transformar, valendo-se de Leis Universais e do poder de sua vontade – o poder do “espirito santo”, para manipular e dominar a matéria – e, transmutar-se.

Manuscrito do códice sinaítico (século III), que está sob a guarda da universidade de Leipzig, com menção sobre o paracleto (parákletos) – Imagem da Internet.

O termo grego parákletos (consolador, advogado) aparece em cinco passagens do Novo Testamento e todas elas no evangelho de João: 14.16 – “e eu vos rogarei ao pai e ele vos enviará outro consolador, a fim de que esteja para sempre convosco”; 14.26 – “mas o consolador, o espírito santo, a quem o pai enviará em meu nome, este vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”.

O sentido de parákletos já oriundo de um contexto helenizado e possivelmente como uma expressão derivada da palavra hebraica melis, aparece no livro de Jó (16.19; 19.25). Mostra-se como vindificador, com o sentido que pode ser traduzido como mediador ou intérprete. E nos targuns aramaicos além do sentido de advogado e de mediador, surge também na literatura judaica do helenismo na forma de anjo mediador, especialmente no texto apócrifo testamento de Judá (20.1).

O cristianismo inicial teve como fundamento o conhecimento de Deus. Este conhecimento se baseava pelo “princípio da sabedoria” (Prov. 9:1). E, a revelação da verdade para os primeiros cristãos era progressiva, como se percebe no novo testamento com os ensinos de Jesus de Nazaré voltados ao Cristo, com o intuito de enfatizar esta distinção – e também, mencionar a promessa do “espírito santo” em relação ao outro “consolador”.

Também o alcorão que foi ditado a Muhammad (Maomé) pelo “anjo” Gabriel (ser de outra realidade mais sutil), ele pedia que Muhammad simplesmente repetisse as palavras, conforme ele as ia “ouvindo” em sua mente. Palavras que foram então guardadas em sua memória e depois passadas e escritas sob a sua supervisão, por aqueles que as ouviram e as escreveram. E dentro deste processo de informação também os primeiros cristãos entendiam que o paracleto era um homem e não um espírito (energia). Isto talvez explicasse porque respondiam àqueles que reivindicavam, sem encontrar o critério estipulado por Jesus de Nazaré, ser ele o primeiro esperado paracleto.

O paracleto é na realidade um ser especial que possui habilidades mentais de alta frequência, podendo dominar Leis Universais e se programar para se capacitar junto às realidades paralelas e poder colocar as pessoas no tempo zero, se assim for necessário. Este ser especial exerce também o papel de mensageiro, intercessor e amigo. É aquele que chega para “preparar o caminho” em um momento especial, dando continuidade àquele já iniciado pelo anterior paracleto.

Jesus de Nazaré em várias das narrações bíblicas, quando manifestou facilmente a sua condição paranormal de cura como O Cristo (como aconteceu na Piscina de Siloé), ele nestes momentos dirigia à pessoa mencionando que não era ele que a tinha curado, e ainda dizia: “vá a sua fé a salvou”.

A imagem acima é um registro fotográfico das ruínas do tanque de Siloé, tirada no dia 17 de setembro de 2014, em Jerusalém/Israel

Paracleto que é uma palavra de origem grega, ela é muitas vezes traduzida com o seu sentido de consolador, mas o seu sentido mais real é o de auxiliador, sustentáculo e intercessor, trazendo novas informações para um novo tempo, como também fez aquele outro em seu tempo, dois mil anos atrás. Tanto aquele quanto o de agora tem ainda habilidades para literalmente se iluminar, torna-se invisível, potencializar as pessoas para a cura e proporcioná-las com os seus ensinamentos e atuação mental, técnicas que vão alterando seus níveis de consciência – voltados ao mental superior e ao mental dimensional.

Ele é um mensageiro de Deus com informações e ações específicas, que são necessárias neste fechamento final de ciclo de 25.000 anos. Ele é aquele que age com profunda e especial responsabilidade associada ao compromisso consigo mesmo e com o Universo – o de ensinar as pessoas através de sua transmutação (“ressurreição”) se tornarem seres universais – seres multidimensionais pela transformação completa e regeneradora de todas as células de seu corpo físico, na medida em que vão sendo também estimulados na busca de um estado mais pleno de consciência – e, mais multidimensional.

Como mensageiro e interprete de seres universais – das quarenta e nove raças, ele assim se mostra e procede, através de informações que transmite, estimulando as pessoas (dimensionais) se tornarem também novos paracletos – novos consoladores. Tornarem-se livres em seus corações e em suas mentes, para “se reconstruírem” emocionalmente pelos ditames de Leis Universais

E estes novos consoladores já começam a interagir com energias diversas, abrir e fechar portais dimensionais zerando o tempo, para que possam ser trabalhados diretamente por seres de alta frequência e de sutileza vibratória das realidades paralelas.

Há muito já estava escrito que seres de origem divina em compromisso especial, surgiriam no meio da população. Eles seriam diferentemente reconhecidos não só pelas marcas que teriam em suas testas (simbologia), mas também por serem possuidores de “placas”.

Foto histórica de um momento de pura alegria, mostrando a pessoa sendo abraçada e cumprimentada, por ter acabado de acessar a “primeira placa”, no dia 10 de outubro de 1999, em torno das 4h45min, no Hotel Fazenda Projeto Portal. Naquela ocasião ainda não se tinha informações e conhecimentos que se tem hoje, portanto ainda se ficava surpreso e mesmo espantado com a “poeira” (bioplasma) que envolvia esta pessoa, com o frio intenso e diferente que dela ainda irradiava e das “bolotas” (frequências dos seres ultra dimensionais) que a envolvia.

Com a entrega da “primeira placa”, começou ser gerada a partir daquele instante uma nova frequência mental no planeta Terra. Naquele momento o futuro e o passado se fizeram presentes, através da “chave energética” da “primeira placa” que abriu a “grande porta” e que permitiu de maneira definitiva e decisiva o livre trânsito entre a terceira e a quarta dimensões. Portanto, a partir daquele instante, no ano de 1999, estavam assegurados os acontecimentos já codificados nas linhas do tempo para que ocorressem, ao garantir a permanência no plano físico dos guardiões dos planos mais sutis, para auxiliarem no surgimento de um outro padrão mental necessário a um novo tempo.

A partir do ano de 1999 os seres ultradimensionais começaram a ser fotógrafos e filmados, mostrando-se na realidade física cada vez mais constantes e em maior numero – Imagem fotografada na sede do Hotel Fazenda Projeto Portal.

Registros históricos em várias passagens da vida física de Jesus de Nazaré mencionando que “ele foi tentando pelo diabo”, eles mostram de fato é a sua postura de extrema perseverança, de força de vontade e de domínio sobre o mundo dos sentidos. Domínio sobre sua mente e sobre o seu corpo físico, para que em seu dia a dia suas experiências no mundo mais denso – ou, na matéria, não interferisse em sua interação com o mundo mais sutil – mais mentalmente sutilizado e necessário ao seu compromisso junto à humanidade tanto em sua condição de O Messias quanto em sua condição como O Cristo.

Pela Terceira Lei Universal toda a manifestação do pensamento, emoção, raciocínio, vontade e desejo, entre outras condições ou estados mentais são acompanhados por vibrações, que podem ser direcionadas. O Princípio de Vibração pode produzir no plano mental o que a ciência produz no plano físico. Mas, para alcançar este poder mental é preciso buscar antes através de instrução própria, a perseverança nos exercícios e práticas na ciência da transmutação mental como fez Jesus de Nazaré: “tenho vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16: 33)”.

O paracleto é aquele, que em sua condição físico humana já é possuidor de conhecimentos e de habilidades mentais, para se valer da “alquimia” de polaridades sexuais e psíquicas inseridas nele mesmo – e, nelas se integrar para “se tornar inteiro” e poder dominar Leis Universais, para alcançar realidades paralelas e manipular frequências multivibracionais.

“Quando vier o paracleto, o espírito da verdade, que procede do pai, ele dará testemunho de mim. Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos mas não as podeis suportar agora. Quando vier o paracleto, o espírito da verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão.” (João 14: 16 – 26. 15: 26. 16: 12,13 – 14) Novo Testamento.

Quando se alia o raciocínio “aos mistérios” que envolvem Jesus de Nazaré possuidor dos atributos de O Cristo e procura-se o que se quer saber, com a mente agindo e captando neste sentido para que o intelecto receba e a memória grave, então em um determinado momento o que é buscado, se faz de maneira silenciosamente intuitiva em uma interação tríplice e direta entre alma, espírito e matéria. E ai, pode-se assim dizer, que a pessoa recebe “a revelação” através de seu próprio “espírito santo”, que nela opera ocultamente (como energia da vida – kundalini), obedecendo sua vontade.

Mesmo para alguns estudiosos da bíblia as palavras de Jesus de Nazaré em relação aos poderes próprios do paracleto, muitos não a entendem realmente. Não entendem o sentido de “espírito santo,” criando em relação a ele um sentimento religioso distorcido e limitado, que não combina verdadeiramente com a ciência universal – com a ciência de O Cristo.

O conhecimento da energia de kundalini – a energia do “espirito santo”, que pela vontade daquele que a manipula realiza (cria) na terceira dimensão, ele está além dos parâmetros religiosos conhecidos através de rituais e dogmas alienantes não próprios de um estado superior de consciência, não permitindo às pessoas alcançarem a percepção da realidade maior com suas Leis, que delas Jesus de Nazaré – O Cristo, as dominava para manipular a matéria. Um estado de consciência superior que os novos consoladores procuram agora também alcançar, para se capacitarem de maneira correta manipular a sua energia da kundalini (já na frequência crística e multivibracional), necessária a um cocriador.

Acima uma imagem fotográfica da energia crística/kundalini – energia do “espirito santo”, na frequência de luz-cor vermelha de realização no mundo físico, que se mostrou pela vontade de seus participantes durante um trabalho mental vibracional, em julho de 2009, realizado no campo da Universidade Federal de Minas Gerais, envolvendo-os.

A energia transformadora do “espírito santo” é também simbolicamente comparada ao “fogo vivo”, que como a energia da kundalini está comumente presente no corpo físico dos seres humanos. Principalmente naqueles que estão se preparando, para ajudar a transformar o “status quo” do mundo, com toda força, energia e poder de sua vontade.

A kundalini é a energia da vida e como tal ela é a parte da alma que surge primeiro e prepara o corpo antes que a alma possa realmente entrar nele. Depois que a criação do corpo físico completa-se, ela fica adormecida na base da espinha. Tem à semelhança de uma serpente enrodilhada abaixo da espinha. A Kundalini quando desperta, ela irrompe pelos diferentes chacras, despertando os poderes paranormais dos novos consoladores.

Para alguns estudiosos o consolador se mostra também como um nabi – como um profeta, um intermediário e um porta-voz que age e fala em nome de um outro (Bernhard Anderson em seu livro Understanding the Old Testament – Compreendendo o velho testamento – quarta edição, p. 248). E, um profeta nos dias de hoje pode ser entendido como aquele, se ele “fala por Deus” é porque se mostra como um viajante do tempo (alcança o passado e o futuro) e ainda acessa a tela universal

Aquele que veio para ajudar – paracleto ou consolador, ele possui informações próprias, que com elas tem o poder de especialmente agir, com o intuito de redirecionar. De dar de fato à vida o seu sentido de “o mais além” – de mostrar de modo mais consistente o seu verdadeiro sentido. Um sentido mais “puro” e verdadeiro de ser realmente vivido, possibilitando o ser humano (especialmente o dimensional) dar o seu salto quântico e alcançar a sua transmutação.

O significado de consolador associado ao sentido de “espírito da verdade” ou ao “espírito santo”, tem sua origem não só no termo grego “paraklhton” – paracleto, como já foi mencionado. Ele tem também para alguns pesquisadores o sentido associado à palavra grega “pneuma” que quer dizer vento/sopro e que está associado com a presença de uma energia sutil – que pode ser entendida como a presença de um “ser angelical.

Os anjos são referidos na bíblia desde o livro de gênesis ao livro do apocalipse. E os “anjos se expressam como seres sutis comumente invisíveis – “seres mensageiros” de um poder maior e também invisível e eles se comunicam com os seres humanos, através do corpo mental sutil destes (e de sua tela mental).

Em Mateus 2:13-15, consta-se: “Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito; e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, por intermédio do profeta: Do Egito chamei o meu Filho”.

A bíblia está cheia de informações tardias e distorcidas pela devoção religiosa, referindo-se aos “anjos”. Portanto, está nela de forma abundante registros naqueles tempos, de interações entre vários personagens bíblicos e consciências de alta vibração/luz, que “vindas” de realidades paralelas e mais sutis, deixavam ser percebidas por estes personagens através do plano mental (“3ª visão”), ou quando se projetavam holograficamente como silhuetas através de vórtices eletromagnéticos (“portais”) em ocasiões especiais, plasmando formas no plano físico e com elas deixando se identificar de acordo com as frequências já aceitas que emitiam como “anjos, arcanjos”, entre outras.

Estas interações com estas consciências de alta vibração/luz estão sendo reconquistadas por aqueles, que já estão em compromisso com o Cristo Universal como futuros consoladores, mas em outro nível de entendimento e de percepção menos confusos, menos distorcidos, menos devocionais (menos emocionais) – mas, de maneira conscientemente mais interativa e mais precisa pela noção de realidades paralelas.

Os que estão hoje se preparando como novos consoladores, eles já sabem também que o “pai” é a energia do pensamento, que o “filho” é a energia do desejo e que o “espírito santo” é a energia da vontade. Eles sabem ainda que a energia do pensamento é inerente ou vibra na frequência da quinta dimensão, que a energia do desejo também conhecida como a “energia da fé” é inerente ou vibra na frequência da quarta dimensão ou do bioplasma e finalmente, que a energia da vontade é inerente à frequência da terceira dimensão, presente através da energia de kundalini nos seres viventes e particularmente atuante nos seres humanos possuidores de consciência.

Acima imagens de um registro fotográfico em um momento de fusão de espaços com a formação de um vórtice, que lembra “o buraco de minhoca” e que com auxílio da energia mental do dimensional, conseguiu manipular na realidade física campos eletromagnéticos, para materializar sua “placa”, que trouxe na linguagem dos símbolos e de imagens informações relacionadas ao seu passado e ao seu futuro, necessárias no aqui e agora ao desempenho de seu compromisso cósmico divino – Mais informações neste Site com imagens e textos na Página “O Portal”, sobre a presença deste vórtice. E, na Página Relatos completando estas informações, o texto “No milharal – a entrega da Quinta Placa”.

Hoje em uma linguagem menos devocional e mais vibracional os “milagres” realizados por Jesus de Nazaré devem ser percebidos, como ele ao utilizar de sua vontade, potencializava a pessoa, para que ela pudesse harmonizar os vórtices (chacras) de seu corpo bioenergético (colocando-os em uma mesma velocidade e em uma mesma direção) e, ela conseguisse assim, sem mais empecilho energético vibracional realizar o seu “milagre” – ou seja, a pessoa já harmonizada e conscientemente posta através de seu pensamento na quinta dimensão, pudesse através de sua vontade – com a energia do “espírito santo” ainda na terceira dimensão, alcançar uma frequência mental ainda mais intensa como desejo profundo (“fé”) na quarta dimensão e nela plasmar o desejado (”o milagre”), para que este pudesse depois ser trazido de volta já realizado – já materializado ao plano físico

A linguagem de ontem buscando os “Céus” é a linguagem de hoje buscando o multidimensional; o “crente, o fiel e o religioso” que ainda ontem se ajoelhava (literalmente), é aquele que deve hoje se erguer já liberto do medo e da solidão e cônscio de sua responsabilidade de cocriador; o sentido de morte de ontem é o de transmutação de hoje com o seu sentido de vida e de eternidade; o só devocional de ontem deve ser também o vibracional dinâmico e atuante do realizador de hoje; o “apóstolo” de ontem é aquele que deve se preparar para ser o consolador de hoje, já vivenciando de fato interações conscientes com as realidades paralelas através dos vórtices.

“O Outro que virá depois de mim” como previu Jesus de Nazaré – O Cristo, ele veio para ajudar de um modo geral os seres humanos, mas veio principalmente para despertar aqueles, que literalmente se valendo de sua “boa vontade”, souberam escutar (ter ouvidos para ouvir) e começaram diferentemente agir, transcendendo os limites da miopia de distorcidas verdades humanas circunscritas ao mundo emocional religioso, quase sempre construídas por comparações e por interesses que se confrontam.

Mais que teorizar o significado da palavra paracleto, deve-se percebê-la em seu verdadeiro sentido, para que se possa de fato na frequência mental de um consolador, se libertar da densa e viscosa energia da terceira dimensão.

Aqueles que estão preparando para se tornarem novos consoladores, são aqueles que se valendo de sua vontade através da energia do “espírito santo” (energia da kundalini/energia da vida), já começam fazer a transformação de sua energia sexual e emocional em energia multivibracional, que direcionada a partir de seu (chacra) frontal, a matéria possa ser por eles manipulada e transformada e, inclusive, a matéria de seus corpos físicos para que eles alcancem sua transmutação.

E, eles ao transformarem especificamente a energia emocional em energia vibracional, tiveram que antes aprender em permanecer na faixa de tolerância, longe de excessos emocionais que pudessem desarmonizá-los. Tiveram também bastante antes, que interagir fisicamente com algumas frequências de plasmas e tiveram ainda que “se limpar” com o auxílio das realidades paralelas o seu campo bioenergético (aura), para que pudessem ter em sua sétima camada da aura a frequência da luz/cor branco prateada. Esta frequência é a de proteção e necessária à manipulação multivibracional e que dela utilizava também o anterior paracleto para interagir com “as várias moradas do pai” e com elas se comunicar – e, com elas finalmente, poder se transmutar (“ressuscitar-se”) .

Hoje os futuros consoladores com a mesma intenção, mas com outras expressões interagem com as realidades paralelas não fisicamente visíveis – ou, com os mundos paralelos ainda não explicáveis pela ciência oficial, mesmo quando esta se utiliza dos atuais modelos matemáticos.

O verdadeiro despertar é constante, portanto é um processo dinâmico individual, experimental e renovador no espaço e no tempo. Assim, as formas pelas quais informações e conhecimentos foram passados e recebidos seis mil anos atrás, não foram os mesmos de dois mil atrás e muito menos devem ser os mesmos de hoje.

Os novos consoladores procedem diferentemente em relação aos preceitos religiosos devocionais, que são ditados pela cegueira dogmática e conceitos muitas vezes fundamentalistas. Eles agem pela consciência e razão, mantendo-se tanto em equilíbrio emocional (Linha B de suas Três Linhas da Vida), quanto mantendo-se em equilíbrio físico através de uma carga elétrica corpórea necessária para que alcancem tanto a sua transmutação quanto a sua interação de contato com energias conscientes de outros planos de realidade. Interação com consciências (seres) que se se plasmam, que se tornam densas e que se mostram em determinados patamares da escala evolutiva.

Estes novos consoladores e futuros seres universais já têm interações até físicas e mais constantes com os mundos paralelos, mas a ciência oficial se valendo sobretudo dos sentidos humanos comuns para elaborar seus métodos chamados de científicos, ela ainda não alcança o entendimento e a veracidade destes fatos como são – neste nível de interação. Mas, os novos consoladores seguem em frente mesmo com a incompreensão de muitos – como aconteceu dois mil anos atrás e que agora se repete.

Eles de posse de novas informações e de experiências pessoais estão com o compromisso de também despertar outras pessoas, para que estas não fiquem mais atreladas à noção de pecado, mesmo porque elas não tendo mais necessidade de conscientemente criá-los, não têm também a necessidade de se fazerem como eternas prisioneiras de culpas.

A cidade de Jericó foi testemunha em sua antiga história do emprego da paranormalidade de cura de Jesus de Nazaré e também de “tecnologias” originadas das realidades paralelas, que ali em épocas diferentes se mostraram.

Registro fotográfico que mostra a cidade de Jericó de hoje (ao fundo) tirado de um teleférico e que mostram também ao lado dela escavações arqueológicas, que vêm comprovando assentamentos ali já existentes milhares de anos.

A condição de o paracleto é aquela, que dá aos seres humanos o modo de ser especialmente livres. Mas, os seres humanos comuns não pressentem isto, longe que estão da necessidade de buscarem o verdadeiro conhecimento, de buscarem o sentido de verdade que deve ser constante, por ser necessário ao seu renascimento e à sua redenção – pela conquista do estado bioenergético que devem ostentar, para alcançarem outras dimensões, já transmutados.

A busca do verdadeiro conhecimento nada têm a ver com a busca relacionada aos dogmas fundamentalistas disseminados por seitas e religiões. Os fundamentalistas fazem de tudo para forçar os outros viverem conforme um código moral e um sistema de crenças doutrinárias humanas que pensam ser religiosamente corretos – portanto, tendo forte convicção de que estão certos e os outros errados. Difundem a opressão e a violência deixando as pessoas apreensivas com a propagação do desvario e do arbítrio, porque pregam o fanatismo, quase sempre levados pela intransigência e crueldade algumas vezes visíveis e outras vezes talvez ainda pior – na forma de manipulação velada alimentada pela ignorância proveniente de informações forjadas em seu restrito, raquítico e míope mundo de experiências.

Os futuros consoladores através de seu corpo mental vibrando em frequência especialmente acelerada, eles estão preparando para gerar (mentalmente) o vórtice, que ao “transpô-lo” em seu “ponto zero”, alcançam “do outro lado” as realidades paralelas – conseguem percebê-las com clareza mental e até mesmo, às vezes, fotografar eventos destas realidades.

Nos locais onde esteve Jesus de Nazaré e especialmente se mostrou como O Messias e como O Cristo, os vórtices estão ali energeticamente presentes, proporcionando através deles a possibilidade de interação mental (e vibracional) mais presente e intensa, o que torna mais fácil “o ir além”, ultrapassar mentalmente o “ponto zero” entre a realidade física e as realidades paralelas e, sem mais a tutela de espaço e de tempo, poder acessar também o que “já tinha sido nelas “arquivado” como passado – habilidade mental que nestes instantes é inerente ao “viajante do tempo”.

 

Acima registro fotográfico no cenáculo/Jerusalém, em 16 de setembro de 2014, quando de uma experiência singular com as realidades paralelas. Em um dado momento naquele local, uma cantora gospel participando de um dos grupos de visitantes, começou cantar lindamente, ou melhor, vibrar melodiosamente sua voz, quando então o vórtice de energia normalmente ali presente começou acelerar ainda mais envolvendo no recinto tudo e todos em uma frequência com intensa energia sonora de harmonia e quando também através “do ponto zero” do vórtice estabeleceu-se a interação entre o plano físico e a realidade paralela normalmente não visível, para que se mostrasse um corpo de energia na cor branco esverdeado e ainda, sutilmente azulado – Mais informações no texto” Voltando ao passado buscando o futuro”, na Página Interações, neste Site.

Os fundamentalistas religiosos baseiam a sua existência na busca de uma solução para a decadência religiosa milenar. Mas, nenhum deles, seguidores das heresias religiosas do mundo, conquistaram o renascimento como o paracleto. Todas estas seitas e religiões são suspeitas de servirem a interesses estranhos de massificação tenebrosa e de intenso controle. Todas estas seitas e religiões contaminando o mundo são no fundo heréticas, estéreis e não produzem de fato frutos, que um consolador deve colher.

Equivocam os fundamentalistas religiosos ao se aterem a valores religiosos tradicionais e conservadores, que não buscando o verdadeiro sentido de universalidade, não promovem o renascimento e a iluminação das pessoas, pois agem sectariamente através de dogmas e de leis religiosas, que se dizem divinos, mas são de autoria humana. Seguem leis e diretrizes vãs, estéreis, que nada geram a não ser um posicionamento religioso radical, intolerante, perverso, promoção pessoal e ganância despudorada de seus grupos de ação.

O homem mentalmente livre procura com os seus próprios esforços a sua evolução, não aceitando em seu íntimo o cabresto de quer quem seja. Ele é líder de si mesmo. Ele assenta a sua existência praticando os preceitos da verdade ou do conhecimento com responsabilidade, que vai permitindo-o alcançar o multidimensional e manipular frequências multivibracionais – e, de ir se tornando um novo consolador. De ir possuindo conhecimento muitíssimo distante da ignorância do obscurantismo religioso fundamentalista e dogmático. Ele não é um extremista, não é um fanático religioso e também não é guru de ninguém. O homem livre segue somente os ditames do conhecimento superior impulsionado pela sua mente e pelo seu coração e procura aplicá-los em seu comportamento pessoal.

O ser humano livre é mais que um copo físico, sendo guiado pelos sentidos normais. Ele é um campo energético primordial imensurável, também luminoso e indescritível. Ele sendo livre procura viver em sintonia com a luz viva consciente e própria das realidades paralelas mais sutis. Ele é estimulado em ser praticante de preceitos comportamentais positivos em sintonia com energias universais, que são necessárias para mostrar o paracleto nele inserido, mas que está por enquanto escondido, não permitindo-o ainda superar e anular os efeitos de leis físicas naturais desta dimensão. Efeitos que são obrigatoriamente mortais sobre o seu corpo biológico e denso e que ainda não o permitem se transmutar.

O homem comum – religioso ou não, movido pela presunção, pela ignorância de sua consciência reduzida energeticamente, dominada e prisioneira na densidade da realidade física e própria para ele se exercitar com seus sentidos normais, ele desconhece que o paracleto – o consolador, é o verdadeiro representante da unidade bi constituída do ser.

Quando se olha em volta, depara-se com a desarmonia humana flagrante e evidente, com o caos existencial instalado, com o sofrimento do homem comum mergulhado na degradação comportamental, envolvido nas doenças e na morte. E não se vê nenhum deles – patriarcas, pastores, padres, monges, gurus, ministros, líderes de seitas e seus seguidores, realmente transcenderem. De comprovadamente terem alcançados as dimensões mais sutis, já de posse do poder de consoladores – de terem alcançados de fato o multidimensional.

O ano de 1998 foi o do despertar das pessoas – dos dimensionais e dos futuros consoladores, através de sua ativação mental. Portanto, elas já tendo sido ativadas também em seu campo bioenergético, o ano de 1999 (já na frequência oposta à do 666) foi para elas um caminhar sempre para frente, um caminhar que já não era mais possível o retorno. E, já na linha de frente a partir do ano de 2000, elas se mostraram com o intuito de se despertarem e também de despertarem as demais pessoas para uma nova visão de realidade, que para possuí-la, deveriam preencher lagunas deixadas pela ciência tradicional, que ainda não é capaz de expressar conhecimentos com linguagem próprio universais, relacionados às frequências multivibracionais e à vivência multidimensional com “abertura de portais”.

Foto especial tirada em 1999, no Hotel Fazenda Projeto Portal, originada de “cliques mentais” de seu autor – xendra

Estas pessoas – novos consoladores, que buscam antes de tudo o conhecimento de si mesmas, elas estão também procurando interagir de forma mais constante com as realidades paralelas e se tornar seres universais. E, para isto, elas estão ainda aprendendo desenvolver a capacidade de mentalmente armazenarem um maior percentual de energia em seu campo bioenergético, já sabendo que a intensidade e quantidade desta energia que armazenam está ligada ao seu padrão evolutivo e que está também associada à sua condição de apossarem de sua “bolha” – de conquistarem sua “merkabah”.

Dois mil anos atrás as parábolas foram bastante usadas e hoje usa-se metáforas. Então, metaforicamente, o planeta Terra é como se fosse um gigantesco caldeirão, que nele está sendo preparado uma sopa de legumes. Portanto, um caldo que possui vários e diferentes ingredientes, que em pleno processo de fervura uns são jogados contra os outros, para também em processo de cozimento, de amaciamento e de absorção do tempero ali já medido e posto, se constituam no final uma sopa apetitosa. Mas, durante este processo de fervura aflora-se uma espuma escura e indesejada, que precisa ser retirada.

A humanidade está comparativamente no momento comportando-se como no auge desta “fervura”, com as pessoas, grupos de pessoas e mesmo nações se jogando cada vez mais uns contra os outros – destruindo-se (e destruindo também o meio ambiente), ao defenderem ferozmente pontos de vista que julgam corretos e que para muitos deles se dizem até de inspiração ou orientação divina. É um momento crucial para Terra e para humanidade dentro da transição planetária, mas é por outro lado também benéfico, porque já se aproxima a ocasião da retirada desta “espuma viscosa e maléfica” com o auxílio das realidades paralelas, para que a “sopa” já pronta possa ser servida. Possa ser servida pelos novos consoladores já em um novo tempo – na era dourada assim iluminada.

Fonte de consultas:

Comunidadewesleyana.blogspot.com/2009/01/dicionrio-teolgico_21.htm

Centrowhite.org.br/perguntas/perguntas-e…/a-trindade-sem-misterio-i/

Igrejacristovive.com.br/mensagens/anjos-do-senhor-protetores/

Islamemlinha.com/index.php/artigos/…/quem-realmente-e-o-paracleto

Oultimatum.blogspot.com/…/maturidade-humana-realmente-conforme.ht…

Apostilas e seminários do Projeto Portal

Informações colhidas pelo autor na Galileia, Palestina e Jerusalém

Translate »