Postado por

Parceria com as realidades paralelas

Parceria com as realidades paralelas
Print Friendly

Primeira Parte

Neste texto em duas partes estão algumas informações recordadas de seminários passados, mas que no momento são muito necessárias e atuais, quando esclarecem dentro de um sentido maior, o porquê das interações multidimensionais – entre o dimensional e os “Seres”.

O dimensional desperto é aquele, que já consegue interagir consciente com “Seres” das realidades paralelas (outras dimensões) e também de outros mundos físicos espalhados pelo Universo. Ele é ainda aquele, que como “o buscador”/pesquisador procura respostas, que muitas delas só ele pode obtê-las nesta sua condição especial de “o observador”, que utiliza de novos métodos de pesquisas e de análises.

O Local onde situa o Complexo Turístico Ziguratz, em Corguinho – Mato Grosso do Sul, ele está entre as coordenadas 19º latitude sul, o que favorece a visualização de ocorrências, que a ciência atual ainda não consegue explicar com a tecnologia que no momento possui. Além dos “objetos” que deslocam pelo firmamento em diversos momentos, este local favorece também uma maior movimentação de campos eletromagnéticos, possibilitando a interação do dimensional com as realidades paralelas. E em alguns casos é possível manter comunicação com freqüências conscientes de outras dimensões.

Para que aconteça esta comunicação, é necessário que o dimensional esteja com os necessários padrões vibratório e evolutivo.

Se muito é falado sobre as atitudes de grupos de pessoas que são identificadas como aquelas do Poder Oculto – GO, deve-se falar também do lado não tão oculto do proceder individual e humano, mas que não sendo percebido como deveria, permite que o “ego” se imponha fortalecido pelos sentimentos negativos do orgulho e da prepotência, entre outros, impedindo a consciência humana em sua escalada evolutiva alcançar vôos mais amplos relacionados às ciências paralelas, quando as dissocia do Conhecimento Universal.

Aquele que já se vê desperto, ele deve ter a humildade de perceber que está aqui neste momento, para especialmente desmistificar, “traduzir e enfrentar as circunstâncias”, ajudando a tirar não só as máscaras dos demais, mas também a sua máscara, porque neste sentido e com a responsabilidade de seu compromisso não pode mais protelar. Assim, utilizando-se de uma linguagem mais compatível ao energético e ao vibracional (mais quântica), ele precisa também (como partícula ou fragmento), terminar o que “os seus parceiros” de dois mil anos atrás (apóstolos e discípulos) iniciaram.

“Ele deve ser o seu próprio juiz, avaliando a sua maneira de pensar e agir a cada momento, impulsionando-se pela humildade que realmente o permita antes de tudo compreender e reconhecer o seu erro e não proceder através de uma aparente humildade, que apenas “encena” com palavras e gestos não verdadeiros a “condição do coitadinho”. Ele precisa ter esta percepção, para que saiba agir corretamente com o outro, porque cada um é líder com determinada função, que deve ser respeitada. O verdadeiro líder orienta e nunca manda – ele solicita, para que possa somar com o outro e juntos construírem” – o “Consolador”.

O dimensional mais consciente e já possuidor de uma vivência com “o não comum”, ele em relação à palavra realidade já a percebe com o sentido tanto de possuir conhecimentos paralelos, quanto o de vivenciar experiências com as realidades paralelas. Ele é um pesquisador das ciências paralelas voltadas para percepção dos mundos além dos seus sentidos – “do não comum”. Mas, ele também pesquisa pelo entendimento “o comum”, que é “traduzido” pelos seus sentidos e que está ao alcance da ciência tradicional.

Nesta Alquimia que procura amalgamar o entendimento ou o racional compatível à lógica própria para a terceira dimensão, com a percepção mental (do frontal) compatível aos mundos paralelos que transcendem o mundo real, o dimensional deve desenvolver experiências próprias, a fim de produzir provas visíveis e resultados concretos, para comprovar o que diz e gerar novas teorias.

O Projeto Portal está sem preconceito aberto a todos, portanto dele participam indivíduos procedentes de varias religiões, de vários credos e de algumas filosofias com as suas linhas de pensamento. Mas, essencialmente ele é formado por grupos de pesquisadores.

Muito do que é nele falado está associado às passagens bíblicas e, neste caso, o que for mencionado, deve ser expresso de maneira didática como fato histórico, que se for necessário “traduzi-lo”, deve dá-lo sentido mais atual através de “linguagem energético-vibracional”, sem mais o sentido de conteúdo religioso.

O dimensional mais consciente de seu compromisso e já vivenciando experiências com as realidades paralelas, deve ”resgatar” para uma linguagem mais científica e atual as mensagens-informações que a Consciência de Cristo em Jesus (Nona Dimensão) transmitiu em forma de parábolas ou não, mas que foram distorcidas ou mesmo escondidas por interesses não confessáveis. Ele deve resgatá-las para a Linguagem Viva da Matemática Universal sintonizada com a Energia do Amor Universal e que no plano denso e humano “é escrita” via Sublimação com o concurso da Energia Taquiônica.

Deus “só pode ser visto”, quando o indivíduo alcança níveis de consciência que o faz percebê-Lo tanto nas células do seu corpo, como nos corpos celestes espalhados por todo o Universo através de uma mesma Lei (Uno-Codificada). Deus pode ser humanamente percebido como “Unidade” – inserindo-Se em tudo pela manifestação da Energia/Luz do Amor Puro e Universal, que não dissocia, não referencia e não julga.

Na definição dos “Seres” Deus é o Centro do Universo como a sua Luz Central – e, como Célula-Mãe desprendeu incontáveis partículas para todo o Cosmo.

Os Mundos Paralelos estão do “Lado de Lá”, estão do outro lado da “Estrada do Novo Mundo”, como um “Local” específico-vibratório e próprio para que “Se faça” como um “Portal” e que através dele “possa vir” um percentual considerado divino da Energia/Luz da Freqüência da Divindade, que interagirá com o dimensional, para que o ajude ainda mais a se direcionar em sua escalada evolutiva – e a se transmutar. “Na casa de meu Pai, há muitas moradas. Se assim não fora eu vo-lo teria dito, pois vou aparelhar-vos o lugar. E depois de ir, virei outra vez e tomar-vos-ei para mim, para que onde eu esteja, estejais vós também” – Cristo Jesus.

Quando verdadeiramente o indivíduo se interioriza, utilizando-se do processo mental, ele consegue gerar um vazio de todas as suas sensações/emoções, possibilitando-o penetrar de forma mais transparente na “Essência de Deus”.

A consciência “humano-observadora” presente na “Essência” de cada um, busca a sua sintonia com a Consciência Universal.

“Por possuírem Essência Especial os Seres das quarenta e nove raças preocupam com a evolução e com a vida em todo o Universo – com as suas varias formas de manifestação. E na Terra ao ajudarem o dimensional evoluir e se transmutar pela manipulação da Energia Vibracional/Taquiônica, eles estão paralelamente obtendo respostas, que de certa maneira também os ajudam a evoluir, porque passam também senti-La e resgatá-La ao nível da quarta dimensão” – o “Consolador”.

O termo “Consolador” para o Projeto Portal está associado com “Àquele” que de maneira consistente usa da Energia Vibracional para fazer acontecer no mundo real – se fazer realmente como “Ponte Viva” entre a terceira dimensão e as realidades paralelas sem o sentido inconsistente e emocional de conteúdo religioso. O “Consolador” advoga para aquele que o procura e então, os ensinamentos que ele passa ao dimensional e a maneira que este especialmente os vivenciam, têm a finalidade ultima da Transmutação e não da ascensão/ressurreição. Ele é ainda aquele possuidor da “Energia do Espírito Santo”, que qualquer dimensional/Projeto Portal sabe que esta Energia/Freqüência é a da Vontade, que está associada à Energia da Kundalini/Vibracional ou àquela que faz acontecer na terceira dimensão.

A “Energia do Espírito Santo” com conotação mística e associada ao religioso é entendida como “sopro/brisa invisível” e a sua cor vermelha à ressurreição. Entretanto, o dimensional que já se despertou deve pela “linguagem” energético-vibracional traduzir “o invisível” como a energia do seu frontal/mental que dela comumente já utiliza e “a cor vermelha” com a sua Energia da Kundalini, que aprendeu a transformá-la em Energia Vibracional para se transmutar. Este dimensional agora mais consciente está sendo preparado para que se torne também o “novo consolador” e possa de maneira especial ajudar os seus semelhantes neste tempo de reciclagem – da Transição Planetária.

O que no momento ele também procura em compromisso transmitir na forma de informações/conhecimentos, já “estava escrito”/codificado para que se mostrasse/acontecesse no aqui agora neste seu “Tempo de Transição”/Transmutação. Para ele sintonizado à Freqüência do “Viajante do Tempo” – do “Ser Universal”, existe uma só direção/vontade, oriunda dos Planos Superiores de Vibração mostrada pela sua “Placa”.

Ele quando acessa a sua “Placa”, nele acontecem mudanças que aceleram a sua paranormalidade relacionada à sua habilidade extra-sensorial, para que desperte a sua memória em relação aos acontecimentos que dele participou no período de até 3.000 anos a.C. e intuindo-o em relação àqueles outros que ainda irão lhe acontecer até o ano 2.030 d.C. e que estão associados ao seu compromisso.

Todo acesso à “Placa” que possui “escrita alquímico-viva” não ambígua através de mais de mil e seiscentos códigos/símbolos, deve ser comemorado como uma conquista de toda humanidade. A freqüência vibratória da “Placa” vai gradativamente interagindo com a freqüência do dimensional, aumentando o seu discernimento, para que perceba realidades que eram até então por ele ignoradas.

Aquele que acessa a sua “Placa”, ele é “diferentemente levado” para um estado de consciência mais compatibilizado com a quarta dimensão. No momento em que os códigos estão sendo “escritos”/codificados em sua “Placa”, ele vai também mentalmente sintonizando e interagindo com este processo de codificação.

O dimensional que teve ou terá acesso à sua “Placa” (entre os anos de 2.000 a 2.011), foi escolhido pelos “Seres” desde épocas mais remotas, para que pudesse interagir diretamente com eles e se fizesse como o seu intermediário/parceiro no plano físico.

O dimensional desperto em sua condição humana é “o observador”, é aquele que se percebe ligado quanticamente entrelaçado ao seu Corpo Maior – ao Universo.

Vivenciando dinamicamente o seu compromisso, ele também “se vê inserido” em um momento especial de trocas com os “Seres” – mais constantemente com os Seres intraterrenos e com os Seres das quarenta e nove raças (viajantes espaciais), que no momento “o auxiliam tecnologicamente”.

Estes “Seres” que são ainda da terceira dimensão, mas que já interagem com a quarta dimensão, eles não são mais influenciáveis em relação ao mundo das emoções humanas, não estão mais nesta freqüência vibratório-evolutiva – e, portanto não geram mais os sentimentos antagônicos e próprios das experiências humanas.

Os “Seres” das quarenta e nove raças (e os Seres intraterrenos) mesmo circunscritos em seus planos de existência – limitados por eles, já não estão mais dentro de experiências compatíveis à condição humana, que ainda “incorpora” desgastes físico-emocionais.

Eles possuem “naves” e cada uma delas surgindo (com o seu corpo luminoso) em determinada freqüência e característica, se mostra no mundo real para determinada finalidade, vindo de várias partes do Universo. Ultimamente se mostrou no Hotel Fazenda Projeto Portal (em fevereiro de 2010) a “nave” de Ômega que trabalhou a glândula pineal do dimensional no sentido de uma maior percepção mental – de sua terceira visão. E também apareceu a “nave” de Andrômeda, que após se mostrar, ficou imensa e emitiu flashes, para logo depois ir desaparecendo.

Tanto os Seres das quarenta e nove raças quanto os Seres intraterrenos buscam alcançar de forma definitiva a quinta dimensão (e também o dimensional), passando pela freqüência do (plasma) quarta dimensão, ao se desligarem antes e definitivamente da terceira dimensão. Como parceiros em busca de um mesmo objetivo, auxiliam ainda o dimensional com a “tecnologia energética” do plasma, que “transformada” em flashes/luzes e em algumas substâncias que ele ingere, vêm modificando a nível celular o seu corpo físico, rejuvenescendo-o e favorecendo-o à Transmutação. A intenção deles é também passar ao dimensional as informações através do uso da energia do plasma, que visa não só o seu beneficio, mas futuramente beneficiar toda a humanidade.

A ressurreição é comumente conhecida por muitos como a transformação do corpo físico humano em “corpo de luz”, mas para o dimensional desperto e mais consciente ela acontece pela Transmutação do seu corpo físico através da manipulação de sua energia mental, alterando a sua “onda”/freqüência vibratória. É com a sua Transmutação que ele passa direto para a quarta dimensão, como já fez há milhares de anos atrás – e, portanto o que ele tem agora que fazer com a ajuda dos “Seres”, é o que ele já sabe fazer.

Aquele que já interage consciente com a quarta dimensão passa por um processo de transformação em níveis “interno” e “externo”. Muitas vezes basta que ele tenha apenas uma interação na quarta dimensão, para que o seu corpo fique mais sutilizado e nele aconteça a cura completa de suas desordens físicas – mas, neste seu especial momento vibratório e evolutivo quando interage com outro plano de existência, ele não deve se deixar levar pelo “estado emocional do encantado”, que fanatiza.

Ele deve trilhar com equilíbrio o real “caminho de sua busca”, que ainda utilizando de “tecnologias” fornecidas pelos seus parceiros viajantes espaciais, favorecem o seu corpo físico (sutilizando-o), para que consiga diálogo com a sua Alma Chama, no sentido de se informar e de se esclarecer, ao interagir com esta sua outra freqüência vibratória de existência ou de manifestação ao nível da nona dimensão – ou do crístico.

Em uma linguagem com o sentido energético-vibratório “o sutil” pode ser também interpretado como a condição de plasmado associado à quarta dimensão – e, de certa forma pode ainda ser associado às outras dimensões superiores ou de maiores amplitudes vibratórias – ou de luz.

O ano de 1998 foi o do despertar do dimensional através de sua ativação. Já ativado, o ano de 1999 foi para ele um caminhar sempre para frente, um caminhar que para ele não tinha mais retorno, porque o seu campo energético já tinha sido ativado. E já na linha de frente a partir do ano de 2000 ele se mostrou com o intuito de se despertar e também de despertar os demais para uma nova visão da realidade, que para expressá-la, preenchendo lagunas deixadas pela ciência tradicional, são necessários conhecimentos e linguagem próprio-universais relacionados às freqüências multivibracionais e à vivência multidimensional.

A partir do ano de 2002 os Seres intraterrenos encerraram os seus trabalhos nas galerias do Hotel Fazenda Projeto Portal, nelas ficando apenas alguns deles com a função de orientadores, que auxiliarão o dimensional nestas galerias, em um futuro próximo. Eles possuem algumas “substâncias” ligadas à sua alimentação (néctar, maná e tablete), que estão sendo passadas por merecimento ao dimensional – àquele da linha de frente que ao ingeri-las, está regenerando seu organismo e prolongando a sua vida, para que ele esteja vivo quando chegar o momento de seu processo transmutativo. Se não tivesse acontecido esta ajuda, muitos dimensionais com idade avançada talvez não alcançassem este momento.

O dimensional com a ajuda dos “Seres” está tendo um prolongamento de vida para que possa alcançar a sua Transmutação, que é um processo alquímico, que acontecerá em seu interior e que é a maior riqueza que ele poderá adquirir. Mas, neste processo ele precisa também se ajudar, desintoxicando o seu organismo – levando uma vida saudável em todos os sentidos.

Nos anos de 2008 e 2009 os Seres das quarenta e nove raças ajudaram o dimensional em relação ao seu compromisso, orientaram-no no sentido de tanto construir o Projeto Portal físico, quanto construí-lo no campo das idéias, utilizando-se da Alquimia do Pensamento.

Mais ultimamente (no final do ano de 2009) Energias Conscientes ao nível da freqüência da nona dimensão ou das divindades vêm interagindo com o dimensional e expressando-se suavemente como estivesse cantando, orientam-no para que: “cumpram o compromisso, compreendam todas as coisas e todas as pessoas e propaguem”.

Há muito “já estava escrito” que viria uma “raça” de seres especiais (dimensionais), que nasceriam no meio da população, que teriam uma diferença imensa entre aqueles que já estavam aqui (planetários) e que seriam reconhecidos pelas marcas que teriam em suas testas (símbolo) e em suas mãos (mancha). E especialmente o Brasil foi escolhido para este nascedouro, porque aqui existem muitas cavernas com entradas intraterrenas, o melhor vórtice de energia do planeta ou mesmo do Sistema Solar e uma maior mistura de raças constituindo um povo sensível, receptivo e alegre.

Aquele que continua realmente na linha de frente – que é um “vencedor”, já está na Freqüência da Energia Vibracional Ativa/Energia Taquiônica, ligando-se mais facilmente ao Eu Superior sem tanto mais cultivar pensamentos desarmônicos e utilizar o outro como “intermediário” para a sua busca – já vivenciando a sua convicção com um desejo profundo (fé).

O dimensional que trilha este caminho que é também de transparência, deve exercitar o dialogo construtivo, para obter respostas às suas perguntas que não mais permitem verdades com informações pela metade. Neste seu caminhar dinâmico e sem tanto mais com a dissimulação do “ego”, ele deve conversar consigo, para verdadeiramente se descobrir.

Neste seu “interiorizar” ele já não se deixa levar pelas ilusões geradas no mundo de suas emoções, que distorcem e mascaram a sua vivência com o sagrado, que aqui se relaciona ao vibracional – ao que no mundo real foi codificado e trazido como compromisso pela sua “Placa” através de uma escrita com “símbolos vivos”, que deve ser cumprida.

Ele na medida em que vai vivenciando “o não comum”, deve se acautelar, para não se deixar entorpecer/hipnotizar pelo o que é incoerente e incompatível à Harmonia Universal – ele não deve se deixar prender na mais das eficientes prisões, aquela em que ele é o carcereiro de si mesmo.

Como líder de si mesmo ele deve perceber que precisa ser livre no mundo externo-denso em que experiencia, para que possa se informar e obter conhecimentos, que não mais o permitam barganhar em uma relação superficial de trocas e, já procurando caminhar com as suas próprias pernas buscar o seu verdadeiro Ser, para que Nele “mergulhado” sintonize com a Sabedoria Universal – e possa também, cumprir com coerência o seu compromisso.

O dimensional ao mesmo tempo em que não deve manipular outros indivíduos com procedimentos contrários as Leis Cósmico-Evolutivas – Leis Universais, ele não deve também se deixar influenciar por eles, permanecendo em sua convicção.

Trabalhar com energia vibracional exige muita responsabilidade daquele que a manipula, porque trabalha diretamente com os meridianos de outros indivíduos em uma freqüência eletromagnética, que nela o pensamento do manipulador fica registrado.

“Tudo aquilo que o dimensional faz de coração ou construindo, é positivo, é de vibração superior. E tudo aquilo que ele faz levado pela maldade ou destruindo, é negativo, é de vibração inferior. Dentro desta percepção é que ele vem sendo avaliado pelos “Seres”, desde o momento em que materializou a sua primeira pedra discóide, há uns anos atrás” – o “Consolador”.

Ele deve abandonar o apego, que está baseado no medo e na insegurança do efêmero, que o torna prisioneiro de velhos condicionamentos relacionados ao mundo exterior e que por não conterem novas (e necessárias) informações, não trazem evolução. “O reino de Deus não vem com aparência exterior”…”Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus’’ – Cristo Jesus.

O dimensional deve compatibilizar a sua freqüência mental-vibratória com a freqüência dos “Seres” – com aqueles que apesar de transmutados continuam ligados à energia da terceira dimensão e, mais ainda, com aqueles outros que ainda mais sutilizados em seus corpos de luz não possuem esta ligação. Para isso, ele deve aumentar o seu padrão vibratório e também buscar níveis mais amplos de consciência e razão, principalmente quando pelo seu próprio esforço exercita momentos de “parceria” (sem competição) com outros indivíduos – com os seus “parceiros” humanos no mundo real.

O dimensional que já procede impulsionado pela sua condição de desperto, ele já passou pelo “filtro de qualidade” – mas, cada um em seu processo evolutivo deve ser respeitado. Este dimensional é ainda aquele que já se expressa com a linguagem energético-vibratória e de acordo com ela, sintonizado com as Leis Universais, busca “o milagre” de sua Transmutação, como foi ensinado há dois mil anos atrás por Cristo Jesus, mas que só agora estes conhecimentos estão sendo resgatados por “Aquele” que com a Energia de sua Vontade – na Freqüência do “Espírito Santo”, faz acontecer na terceira dimensão.

“A única chance que o indivíduo tem para que se realize completamente em sua escalada vibratório-evolutiva, transmutando-se, é quando ele ainda está com o seu corpo físico, porque quando ele o perde (morre), fica apenas esperando o dia do seu julgamento ou mais uma nova oportunidade evolutiva de reencarnar. Sem o seu corpo físico ele não tem como resgatar a sua própria alma” – o “Consolador”.

O que é ainda o futuro para muitos, já é o presente para o dimensional/Projeto Portal, que tem uma grande responsabilidade por já sintonizar com realidades paralelas e interagir fisicamente com “Seres” que se mostram “vindo” destas realidades (outras dimensões) e de outros mundos físicos espalhados por todo o Universo – e, que em parceira com eles o ajudam a construir uma ciência com conhecimentos paralelos ainda não alcançados pela ciência tradicional, mas que futuramente serão compreendidos e aceitos por ela.

Nesta parceria aquele dimensional que possui habilidades mentais associadas ao extra-sensorial – que utiliza de freqüências mais associadas ao sutil e que projeta comando/ordem mental, ele se mostrará mais com conhecimentos não ligados aos seus sentidos, quando interagirá com as dimensões paralelas, com abertura de portais e desenvolverá mais as suas habilidades em relação à sua faculdade poltergeist, precognição, telepatia e clarividência, entre outras faculdades Psi-Gamma que estão também associadas à freqüência da Linha C de suas Linhas da Vida.

E aquele outro que possui habilidades mentais mais relacionadas ao uso direto de sua energia mental – que utiliza de freqüências mais associadas ao denso e que projeta o que deseja em forma de imagens, ele atuará melhor em relação aos efeitos físicos na terceira dimensão como: entortar/quebrar e levitar objetos e ainda interagirá no “circuito” cérebro-mente de outros indivíduos para direcioná-los para o que ele quer, entre outras habilidades associadas à freqüência da Linha B de suas Linhas da Vida.

Em relação ao extra-físico (na freqüência do “astral”) onde se encontram os não transmutados/”espíritos” e acontecem as canalizações mediúnicas, viagens astrais e as incorporações, entre outras situações associadas à freqüência da Linha A de suas Linhas da Vida, o dimensiona/Projeto Portal é aconselhado a não sintonizá-lo, com ele não interagir, porque pode ser conduzido menos por si mesmo e mais por outras consciências nem sempre confiáveis e por situações muitas vezes existentes apenas em sua mente.

Será ótimo para aquele que desenvolver tanto a sua habilidade extra-sensorial quanto a sua habilidade mental, mas uma delas deverá ser para ele a principal – aquela com mais facilidade de ser manipulada e dela ser filtrada o seu melhor, para que ele não prejudique ninguém.

O dimensional que está no Projeto Portal há mais tempo, a sua freqüência mental já está em uma faixa de vibração ativa acima de 30 hertz, que o capacita para o efeito físico, para manipular as energias do encantamento e da atração imediata. E nesta freqüência a sua maneira de perceber o mundo em sua volta, o torna também bastante diferente da maioria dos outros indivíduos, porque já possui informações originadas de observações que agora mais minuciosas e abrangentes “além do comum”, o faz muitas vezes não mais se enquadrar ao mundo real em que vivencia (terceira dimensão).

Ele já é capaz de realizar os seus “milagres”, que na realidade são resultados de efeitos físicos na forma de processos alquímicos, que ocorrem pela fusão de realidades paralelas, quando ao mesmo tempo ele vai mentalmente organizando os prótons e os elétrons espalhados pelo Universo, que são manipulados por ele no sentido de obter os resultados que deseja como acontecem na auto-cura e em suas materializações – e quando também, são realizadas por outras inteligências superiores, que predispõem beneficiá-lo.

Os “Seres” que são Consciências de outros mundos físicos ou de realidades paralelas e visíveis ou não, já estão presentes em todos os instantes na vida do dimensional. Auxiliaram-no em sua escalada evolutiva, quando o favoreceram com várias “tecnologias”. Entre elas a fusão e o “banho de plasma” para aumentar a sua freqüência mental-vibratória e com ela facilitá-lo em sua busca de níveis mais amplos de consciência e razão através de sua Alma Chama e também auxiliá-lo em seu compromisso de propagação e de divulgação codificado em sua “Placa”.

Neste seu despertar os Ultras e os Energéticos em qualquer local e ocasião estão também interagindo mais constantemente com ele, para que possa mais rápido experienciar o multivibracional e vivenciar o multidimensional. Os Energéticos vibram em freqüências acima dos Ultras, que por sua vez vibram em freqüências acima a dos Elementais, que são mais densos e que o auxiliaram no momento em que foi compromissado.

Aquele que já recebeu o plasma individual, ele deve procurar ainda mais “caminhar” na faixa de tolerância – no “caminho do meio”, porque já com o seu campo energético especialmente mais potencializado, o que ele pensar mais cedo ou mais tarde acontecerá. Portanto, nesta sua nova condição vibratória quando funcionou como “portal vivo”, ele tem muito mais responsabilidade consigo mesmo e com a humanidade. Além daqueles outros de dois mil anos atrás, foi apenas ele até este momento, que interagiu com esta Freqüência Plasmada também conhecida como a “Luz de Pentecostes”, através dos Ultras e dos Elementais.


Segunda Parte

O dimensional que pela mente e que pelo coração está em desempenho de seu compromisso, os “Seres” intuem outros indivíduos, para que estejam no momento e no local certos para auxiliá-lo. Este dimensional já vivenciando intensa convicção, deve apenas deixar que a “Energia” o envolva, moldando-o ao seu compromisso – e, ele deve também manter na faixa de tolerância, exercitando a sabedoria da compreensão, não mais estagnado pelo processo corrosivo do julgamento, por já ter aprendido a perceber na trilha da evolução não só as limitações dos outros, como também as suas.

Ele deve “se ver” orando verdadeiramente, que exige dele não passividade, mas a necessidade de ação de suas ondas mentais para gerar uma freqüência mental com um objetivo desejado através de uma reação física com o concurso da Linha B de suas Linhas da Vida.

A “Luz da Sabedoria” que ele como pesquisador deve ostentar, é aquela oriunda de informações que o levam ao conhecimento em busca do equilíbrio – em busca da Harmonia.

Ao caminhar para a quarta dimensão ele vai passando pelo processo de como integrar os opostos permanecendo na faixa de tolerância – buscando em sua Linha B (Neutra) de suas Linhas da Vida o harmônico, sem medo da negatividade porque ela que o impulsiona à “positividade” – ajudá-o a realizar pelo discernimento as mudanças desejáveis em sua vida.

A intenção do “Poder Oculto” e manipulador é conservar o indivíduo mais intelectualizado (robotizado) e menos sensibilizado para perceber o mais transcendente, limitando-o no mundo de seus sentidos, e muitas vezes gerando-lhe também o sentimento de insegurança, dependência e medo, que o impedem de sintonizar à Consciência Universal – e de se encontrar.

Mesmo como “ator” no mundo do dual em que experiencia, o dimensional deve ser um referencial de equilíbrio e uma fonte de informações pelo seu alinhamento com o “deus” que existe dentro dele e que o possibilita trazer ao mundo exterior em que experiencia os seus conhecimentos relativos às suas habilidades de um semi-deus. Ele deve levar conhecimento à ignorância, desenvolvendo uma linguagem própria para este Novo tempo de Transparência, quando ele já começa a perceber que “o virtual”/quarta dimensão entrelaçado com o real/terceira dimensão está susceptível de se mostrar, à medida que “o mental” vai paralelamente “sendo recriado” – pelo conhecimento e pela prática do Mental Superior.

Informar-se e se conhecer, ajuda-o a “se revelar”. Auxilia-o em relação ao que precisa ser lembrado – a recordar o que no fundo já sabe.

Quando o dimensional mais constantemente vivencia momentos de intensas emoções, ele não está conseguindo se resguardar dentro da faixa de tolerância, que nela é mais fácil exercer o equilíbrio para somar, construir e transcender, sem a “negatividade” do egoísmo competitivo e também sem a “positividade” do orgulho excessivo.

Entretanto, em sua condição humana o dimensional não pode negar as suas emoções, sejam elas quais forem, porque se assim proceder, perderá a sua conexão com os seus sentimentos e então, menos consciente agirá mais robotizado (mais instintivamente). Por isso, é que ele depois de polarizar “positivamente” a energia de suas emoções “negativas”, ele deve direcionar a energia resultante, inclusive, para os seus chacras para que através deles se conecte multidimensionalmente e “se ligue” intuitivamente ao seu Eu Superior.

O dimensional mais consciente deve aprender o exercício da concentração. E ao aprender a se concentrar, ele deve utilizar da radiação eletromagnética de seu pensamento “visualizando” um objetivo, que nele provoque uma freqüência emocional polarizada de acordo com o que ele deseja momentaneamente. Em outras palavras polarizar uma freqüência emocional é ele trazê-la para si – é ele visualizar mentalmente o que deseja e ao mesmo tempo jogar no que foi visualizado a sua intenção.

A sua verdadeira tarefa em sua condição humana na terceira dimensão é equilibrar energeticamente “o negativo/ruim/mal” com “o positivo/bom/bem” (neutralizando-os) e, talvez esteja ai também, o sentido da metáfora mencionada por Cristo Jesus, quando quis se fazer entender, que não se deve ignorar “o negativo” associado ao “positivo” e que não deve também reforçá-lo com o revide, ao dizer: “Se alguém lhe bater na face direita, oferece-lhe a outra” .

Para o dimensional desperto que já se prepara para se tornar um “Ser Universal”, sentir a energia “positiva” ou a energia “negativa” deve ser apenas uma experiência momentânea de sua consciência humana em “circunstância mental” geradora da energia emocional e própria para a freqüência de existência da terceira dimensão terrena – no mundo do dual, portanto ele que deseja se tornar um viajante de outra realidade e não mais prisioneiro no espaço-tempo, deve aprender a não se extrapolar a faixa de tolerância. Ele deve conservar na freqüência da neutralidade no aqui agora, manipulando a Linha B de suas Linhas da Vida os momentos de dualidade que vivencia, para que possa sair da insegurança do inconstante fomentadora de seus conflitos e de seus medos.

No “mundo moderno” (e atual) em que vivencia, o indivíduo precisa o mais rápido neutralizar o seu estresse gerado pela incapacidade de se equilibrar quando interage com os opostos – quando em seu cotidiano ora busca e se realiza em momentos para ele “positivos” e ora se perde naqueles outros “negativos”, que o faz sofrer.

A dor existe como um fato real no plano físico, mas o sofrimento como conseqüência só será uma realidade, se a sua mente aceitá-lo no plano mental.

Ele precisa entender a polaridade da dualidade, para que não torne vitima dela, mas que a neutralize pelo seu poder criador, manipulando as suas Linhas da Vida, quando vai equilibrando com tudo aquilo com que experiencia, para que alcance a freqüência da quarta dimensão que não é emocional e onde o tempo linear se desfaz e se faz dobrando como se fosse um círculo, “colocando” o futuro e o passado no presente – no aqui agora.

Apenas quando ele toma consciência de sua própria “negatividade”, trazendo-a a tona, é que ele se permite reconhecê-la e neutralizá-la com pensamento e ação “positivos” – quando relaciona com outros indivíduos e procura se expressar e agir com os mesmos na neutralidade do estado de graça.

Sobre a polaridade da dualidade a Bíblia menciona os “escolhidos”, dando-a sentido como a separação do joio do trigo – uma separação associada ao desenvolvimento mental e “espiritual” não alcançado por alguns, enquanto outros o alcançam em sua experiência de vida, quando se conduzem pelo coração puro, direcionando-se às dimensões superiores.

É o momento de neutralizar na Linha B de suas Linhas da Vida as polaridades percebidas como “o negativo e o positivo”, principalmente depois que a “Nave Mãe” potencializou estas duas freqüências nos dimensionais, que podem então em determinados momentos, manifestar mais insistentemente uma delas e às vezes até mesmo sem perceber.

A intuição é o primeiro pensamento, se expressando como sentimento sutil e informando sem dúvidas e de forma instantânea como a mente deve funcionar.

A emoção é o segundo pensamento, criando dúvida/confusão – é “cria” da dualidade. E o “ego” está sempre dela utilizando, pronto para o conflito. O “ego” é “negativamente” mestre na arte de não mudar e de criar bloqueios, que levam às doenças.

O dimensional deve aprender a se sintonizar à Freqüência da Harmonia, que é mais transparente e também mais presente na natureza. Ele deve aprender “escutá-la” com a ajuda dos Seres Elementais em seus “casulos” plasmados luminosos e multicoloridos, para que possa identificar-se com a “vibração-sonora” que dela irradia e que o ajuda “exorcizar” os seus males. Ele precisa aprender a absorver as energias que estão ao seu derredor, que são universais e que também o auxiliam no sentido do equilíbrio, a expandir a sua consciência e a “se curar”.

Ele quando perceber que seus padrões de experiência estão ficando repetitivos, ele deve ficar atento, porque estão mostrando-o que deve “se curar” – que deve modificar a sua maneira de pensar e o seu modo de agir.

Ele deve escolher viver o agora “já curado” neste tempo de magia, quando aqueles que estão despertos unirão e cooperarão para desfazer do antigo e construir o novo – o Novo Tempo. Ele deve começar a desmanchar dentro de sua mente o ultrapassado, para que o esperado e o novo vão se mostrando como conseqüência.

Esta união pede antes que a mente e o coração de cada dimensional se unam e, para isso, ele deve aprender a olhar para dentro de si, para perceber que existe apenas uma verdadeira crença – a crença em si mesmo. A crença de um semi-deus que busca o equilíbrio com a sua consciência humana e que lhe dá sentido ao procurar interagir em harmonia com o Universo. Não ter liberdade para buscar este equilíbrio, é ir contra as Leis Universais. Quando o dimensional estiver realmente consciente de sua verdadeira realidade e agir de acordo com ela, ele poderá criar tudo o que quiser – e, confirmar o que Cristo Jesus disse: “Vós sois deuses, podeis fazer o que faço e muito mais”.

Equilibrar a mente com o coração também impulsiona o dimensional no sentido de sua busca em relação à sua memória cósmica e à sua percepção do multidimensional.

Aquele que alcança com a sua Freqüência da Vontade sucesso neste Tempo de Transição é aquele que antes se prepara para “neutralizar” os excessos do “ego” e também se prepara com a ajuda dos “Seres”, que utilizam da “tecnologia do plasma” para que nele aconteça uma mudança vibratória ao nível celular. Se ele passar da terceira dimensão para a quarta dimensão, utilizando-se da matriz energética de seu corpo físico, transmutando-se, será um novo “Avatar”. Conservará a sua memória, quando vier do mundo do plasma-“virtual” ou da quarta dimensão para o mundo denso-real ou da terceira dimensão, que se entrelaçam.

A Nova Era que se inicia, é da transparência e da ausência de medo, sem mais as presenças de dogmas e do inconcluso que “institucionalizados” por religiões, seitas e muitas linhas de pensamento mistificam, sem nada mostrar e clarear. Chegou o momento de expor a ignorância para que se mostre o conhecimento consistente e coerente mesmo o das ciências paralelas (ainda desconhecido da maioria), para que prevaleça e amplie tanto o horizonte humano do entendimento quanto o da percepção.

Entretanto, pode ser inicialmente difícil para o dimensional mudar a sua freqüência mental, reprogramando o que ele já construiu em sua mente, quando deixou de “treinar” a sua intuição, para que pudesse primeiro sentir/intuir e depois agir no sentido de fazer o melhor, “escutando” a si mesmo – mas, ele deve ser persistente.

Aquele que conduzido por rituais “se tornou apenas religioso” e se deixou que outros pensassem para ele, é quase certo que ele se estagnou em seu processo evolutivo. A sua “voz interior” emudeceu-se, deixando de dialogar com o Eu Superior em uma “conversa”, que ele deveria intuitivamente escutar e confiar, até alcançar os padrões evolutivo e vibratório, para que esta conversa pudesse já se fazer fisicamente através de sua Alma Chama.

Existem algumas leis/forças que modelam/determinam cada acontecimento no dia a dia do dimensional, que está quase sempre em relação a elas inconsciente e, como estivesse meio entorpecido, fica com o seu campo energético bloqueado. Sobreviver com coerência na terceira dimensão – no mundo do dual, é uma tarefa quase impossível, se o dimensional não se esforçar de forma sobre-humana, buscando o auto-conhecimento, para que se organize e se equilibre, minorando confrontos/disputas.

As energias da terceira dimensão são tão densas, que exigem muita coragem daquele, que em compromisso chega neste plano de existência. Mas, na medida em que o dimensional vai aprendendo a “tomar posse” de si mesmo – e, paralelamente vai se integrando com o Universo, ele vai também preparando para o seu “regresso” – vai preparando para interagir inicialmente com a realidade da quarta dimensão, para depois alcançar a freqüência da quinta dimensão. A partir da sexta dimensão as polaridades já se integram e os corpos de luz já se mostram.

A Terra já começou a compatibilizar com a freqüência da quarta dimensão, que nela tudo se mostra de forma mais translúcida, dinâmica, vibrátil (acelerada) e automática – e, esta freqüência está cada vez mais nítida na consciência humana.

Todos já estão de maneira mais incisiva sendo testados em sua habilidade ou inabilidade de lidar uns com os outros, quando são medidos neste sentido em relação à sua compatibilidade ou à sua incompatibilidade de expressarem na Freqüência do Amor Universal – e com ela de sintonizarem à freqüência da quarta dimensão. Portanto, o dimensional deve ter cuidado com os seus pensamentos – com o que pensa, para que possa com equilíbrio, se conduzir e exercer o seu poder criador.

Neste tempo de transição planetária e também individual o dimensional irá assumir a necessária posição em relação ao seu poder criador e se mostrará porque veio. Ele “se verá” em sua escolha relacionada ao seu compromisso – quando se observando, irá se revelando e se conhecendo pelas suas ações. Ele necessariamente buscando “Ser” e não “estar” apenas buscando conhecimentos trazidos pelo intelecto, é que ele conseguirá abrir a porta que até então estava para ele fechada e “entrará” no mundo das freqüências multivibracionais, manipulando-as, para se transmutar.

Aquele que está despertando passa por inúmeras situações, para aprender a se tornar sábio – para perceber pelo sentido de Unicidade, o que ele realmente “É”.

O dimensional está no mundo real não só para se despertar, como também para despertar outros indivíduos – para que todos já despertos criem neste planeta uma civilização que valorize a vida em todos os sentidos. E se antes ele experienciará o caos, é para que nesta situação ao ajudar os outros, possa também de forma mais intensa descobrir as suas habilidades e evoluir. Ele mais que apenas fisicamente viver, está aqui para exercer sem medo o seu poder criador e então, já ancorado em si mesmo, realizar o compromisso codificado em sua “Placa”.

Ele sabe que deve agora criar sem julgamento, já ciente da sabedoria do desapego e da não imposição como sentimentos necessários ao equilíbrio. Ele já sabe também que deve trazer para o mundo exterior, o que o seu mundo interior já conhece, apesar de não possuir todas as respostas. Ele já entende que deve cada vez mais se expressar com a sua verdade interior e, intuindo-se, que não deve mais permitir que o medo conduza a sua vida, para que não se perca em confusão mental, que distancia de si mesmo.

O dimensional desperto já percebe ainda, a auto-evidencia da “Verdade” mesmo quando é buscada através de experiências em realidades diferentes. Portanto, ele sabe que ela é relativa e não absoluta, por se fazer por acréscimos ou modificações de outras verdades – mas, está sempre direcionada no sentido da Universalidade, quando é buscada e percebida em estado de graça.

Em sua tarefa de pesquisador ele busca atualmente se ver em determinado desempenho relacionado ao Apocalipse. Não buscando o que está nele escrito de forma inteligível em linguagem metafórica, mas procurando as verdades que estão nele contidas e escondidas nas entrelinhas. Grande parte do Apocalipse foi claramente ditada por Cristo Jesus aos apóstolos, mas o que ele falou foi escondido, distorcido ou retirado posteriormente por interesses escusos, para que a humanidade não tivesse o conhecimento cósmico, que dentro da Matemática Universal pode descrever acontecimentos cíclicos – portanto, já acontecidos no passado e que refletirão no futuro da humanidade.

Nesta Transição Planetária haverá uma reciclagem e não “o fim do mundo”. Acontecerá o fim de um ciclo e inicio de outro com mudanças nos sistemas político-social e econômico-financeiro mundiais, reforçadas por acontecimentos paralelos e cataclísmicos na forma de abalos sísmicos na Terra pelo realinhamento das galáxias, proporcionando uma aproximação do Sistema Solar com a Galáxia Central.

No apocalipse está o futuro que já era do conhecimento tanto daqueles apóstolos/discípulos (dimensionais) de dois mil anos atrás quanto dos atuais dimensionais (apóstolos/discípulos) de hoje, que não têm que adivinhar nada lendo o Apocalipse, mas apenas intuírem, interpretando dele o que já sabem através das Linhas do Tempo.

O que realmente informa Apocalipse já despido de sua confusa leitura relaciona-se mais de perto ao dimensional e não à humanidade de um modo geral (aos planetários). Portanto, o que o dimensional no momento já vivencia ou que está sendo preparado para vivenciá-lo, é uma repetição de muitas situações que já ocorreram com ele no passado, tanto narradas no Velho como no Novo Testamento. Ele está sendo preparado com a ajuda dos “Seres” para que faça a sua alquimia interior – para a sua Transmutação, ao mesmo tempo em que vai realizando o seu compromisso de propagação, que completa o compromisso daqueles outros “seus parceiros” de dois mil anos atrás. Mas, para que ele “se ache” neste processo além do espaço-tempo (do tempo linear), ele deve “se interiorizar”, para “se ver” pela sua memória cósmica.

Muitas passagens narradas na Bíblia estão agora ocorrendo com alguns deles. Por exemplo, no Velho Testamento quando em Êxodo é mencionado aquele momento da presença do Maná, o dimensional também o vivencia agora (sem emigração), quando recebe também o Maná dos “Seres” por enquanto na forma de Néctar, para tê-lo depois na forma de Tablete. Para aquele que já o recebeu, três situações “não comuns” foram para ele marcantes, quando o Néctar como uma substancia meio pastosa se mostrou com uma luminosidade esverdeada opaco-plasmada, quando se apresentou com sabores diferentes para aqueles que o ingeriram e quando não se esgotou dentro do recipiente (caneco), refazendo-se apesar de ter sido depositado através de uma colher na mão de centenas de participantes – e ainda sobrou no fundo do recipiente, fazendo com que este acontecimento assemelhasse àquele da multiplicação dos pães e dos peixes.

O dimensional desperto vivencia momentos e situações associados ao seu passado e que estão codificados como informações no Apocalipse, que ele deve agora interpretar e atualizar. E como continuação deste trabalho ele deve deixar no “Livro do Mundo” informações precisas dos momentos e de situações, que vivenciará neste final de tempos (a partir do ano de 2014) para as gerações futuras de dimensionais, que aqui viverão nos próximos cinco mil cento e vinte cinco anos. O dimensional de hoje após estes milhares de anos e já como “Ser Universal”, estará aqui no futuro trabalhando com estes dimensionais, como ele hoje trabalha com os “Seres”. Em sua condição futura de “Ser Universal”, não estará mais sujeito aos desgastes próprios de uma existência no espaço-tempo – estará com um corpo sutilizado/plasmado não mais denso e não perderá a sua memória, porque já terá transmutado.

Mas, para este seu intento ele não pode perder a ajuda dos “seus parceiros” de outras realidades e de outros mundos, que com eles deve continuar interagindo para continuar recebendo informações e “tecnologias” e, portanto não deve se exceder emocionalmente tanto para “o positivo” quanto para “o negativo”, ficando mais que dezenove minutos fora da faixa de tolerância, que o leva ao quarto caminho – que o coloca à margem de suas Linhas da Vida.

“Mostramos que o caminho é outro, que não precisamos realizar cerimônias ou endeusar seres de mundos superiores ao nosso e com tecnologias avançadas. Estamos reescrevendo a história da humanidade que, com certeza, derruba versões que hoje são consideradas verdades imutáveis. No que se refere à ufologia, mostramos com simplicidade que podemos provocar contatos e fenômenos ufológicos, o que nos torna diferentes da ufologia casuística, que estuda casos passados, sem conseguir provocar qualquer contato ou fenômeno ufológico. Estamos abrindo caminho para uma nova era, uma nova maneira de pensar e de agir que rejeita qualquer forma de controle, seja pelo medo, pela imposição, pelo dogma ou pela guerra” – o “Consolador”.

Este “Momento” que o dimensional desperto ajuda construí-lo é o “Momento da Humanidade”, que foi “costurado” nas Linhas do Tempo para que acontecesse no aqui agora – como uma Grandiosidade Ímpar nesta ocasião da Transição Planetária que não pode ser apenas observada pelo foco do fenomênico no mundo real.

O dimensional/Projeto Portal já é um atuante parceiro na construção deste “Momento”, quando tanto se antecipa já vivenciando experiências com as realidades paralelas e com Cazalk nos Mundos Interiores, quanto também no mundo real constrói a Cidade do Complexo Turístico Ziguratz dentro de informações (tecnológicas) fornecidas pelos “Seres”, para que se torne um pólo indutor de novos conhecimentos e procedimentos necessários à consolidação deste Novo Tempo – proporcionando à humanidade orientada pelas Leis Universais uma maior integração com o Universo e uma maior sintonia/interação com as realidades paralelas.

Ninguém é particularmente dono deste “Momento”. Ele é de todos aqueles que constroem esta Nova Visão da Realidade, portanto sem a condição de um ser menos ou mais importante que o outro, mesmo que alguns possam se mostrar nesta condição aos olhos daqueles menos avisados. Todos têm a mesma importância na dinâmica deste “Momento”. As diferenças que aparentemente possam existir, se relacionam à responsabilidade que cada um em sua habilidade extra-sensorial ou mental exerce para cumprir o seu compromisso.

Os “Seres” parceiros do dimensional desperto nesta empreitada para construir esta Nova Era têm muita clareza neste sentido, quando deixam transparecer que aquele “aparentemente o mais importante” ou que tem mais benefícios com eles, na verdade ele possui é mais responsabilidade em função do que propôs em compromisso realizar – e que está realizando-o. E aquele que já percebe nesta sua responsabilidade, já compreende também que o seu trabalho é de parceria, sem mais deixar que o “ego” o leve à competição, iludindo-o que é o melhor – que a sua liderança e o seu compromisso são mais importantes que os dos demais.

Os “Seres” já distantes das incoerências humanas, mas sabendo que elas fazem parte do aprendizado do dimensional no mundo real e do dual, muitas vezes lhe dão corda para que ele aprenda no final não mais se iludir e, se vendo limitado pelo “ego” – como “prisioneiro” de si mesmo, desperte-se para a necessidade de sabiamente se somar com os outros, para que possa mais facilmente em parceria realizar o seu compromisso, que é apenas parte de um Compromisso Maior.

Finalmente com a presença da Freqüência de Lilith consolidou-se dentro deste Compromisso Maior a “Grande Aliança”, quando em 27 de março de 2010, ela foi vista por mais dimensionais presentes primeiramente no “Local das Sondas” e posteriormente nas “Terras de Asthar”, locais situados no Hotel Fazenda Projeto Portal.

Antes ela já tinha se mostrado para cinco dimensionais em Minas de Camaquã/RS, em um momento de “encantamento divino” descrito assim por um dos presentes:“Minas do Camaquã, 30 de novembro de 2008, dia este que jamais será esquecido. Diria, assim: ”Fez-se à Luz”. Luz que nos abriu novas e amplas portas, que nos preencheu do Amor Universal, que passou a iluminar Novos Caminhos. … “Ela” chegou tão suave e silenciosamente, como uma pluma no ar, soprada pela brisa da noite. Minha mente por um instante não conseguiu captar e acreditar o que os meus olhos estavam vendo. … Ficamos por alguns segundos perplexos, extasiados, fascinados, olhando “Aquele Ser”, “Aquela figura” que se apresentava corporificada para nós tão material, de forma tão física como qualquer ser humano. … Sua roupa era muito branca. Vestia-se de uma maneira semelhante à indumentária das mulheres indianas. … Caminhava lentamente e notava-se muita leveza em seu andar, talvez, para que pudéssemos ver todos os detalhes, observá-la melhor. Sua cabeça estava levemente inclinada, sempre nos olhando… Eu senti naquela leve inclinação de cabeça, uma transmissão de carinho, de compreensão, de paz e muito amor. … O objetivo de sua vinda não deve ter sido somente para que a víssemos. Uma energia muito potente “Ela” nos passou e isso me deu a certeza de que somos Fortes e de que temos o Poder que necessitamos para mudar positivamente o pequeno Universo que nos cerca – o Planeta Terra e sua Humanidade” . – Mais informações no texto (com imagens) “O marco que me faz iniciar uma nova etapa na minha caminhada evolutiva”, na Página Mais Textos, neste Site.

Lilith que possui a sua contraparte em Emanuel é uma Consciência dos Planos Divinos, que Se humaniza para se mostrar, projetando-se holograficamente na forma feminina – como a “Senhora da Concepção” ou Aquela que deu origem à humanidade e, por isto, que culturas muito mais antigas e que atualmente são consideradas pagãs a reverenciavam como Deusa da Fertilidade. Mais recentemente a transformaram religiosamente em “Nossa Senhora da Conceição” e a partir dela foram dando nomes diferentes “como outras nossas senhoras”, muitas vezes associando os seus nomes aos locais em que a Freqüência de Lilith holograficamente foi se mostrando.

Nesta “Grande Aliança” que está sendo consolidada entre a terceira dimensão e as realidades paralelas, a “Estrada do Novo Mundo está também sendo aberta” juntamente com a “Tela Universal”, que “erguida” permitirá o dimensional interagir ainda no plano físico com Consciências na Freqüência das Divindades.

Neste “Momento Mágico” o dimensional desperto já começa ainda exercitar a sua habilidade mental direcionando Luz-cor a partir do seu corpo (ionizando principalmente a terceira camada de sua aura) e, quando então começa também, a andar com as suas próprias pernas através de uma carga elétrica corpórea maior, ostentando a freqüência vibratória compatível com “o tempo” da Terra que já passou para três segundos e que praticamente já o permite em seu dia a dia andar com os “Seres” – o que aumenta ainda mais a sua responsabilidade de manter parceria com eles e de realizar o seu compromisso.

O Símbolo mostrado à esquerda que foi tele-transportado através das Linhas do Tempo e que foi vivamente marcado na “Quinta Placa” como Representativo da Alquimia do Pensamento, ligou “àqueles” de dois mil anos atrás com “estes” transformadores do emocional de hoje, que manipulam as Linhas A, B e C de suas Linhas da Vida.

A Consciência utiliza da Alquimia do Pensamento para “viajar” pelo tempo – pelo tempo linear buscando “A Verdade”, quando está constantemente “reconstruindo a realidade” no aqui agora através das informações aprendidas no passado e daquelas que buscam o futuro.

Como “instrumento do observador” é a Alquimia do Pensamento, que torna possível ao dimensional desperto utilizar de conhecimentos paralelos associados às realidades paralelas e desenvolver no mundo real experiências próprias, a fim de produzir provas visíveis e resultados concretos – e, comprovar o que diz e gerar novas teorias.

Este outro Símbolo à esquerda que foi também tele-transportado através das Linhas do Tempo e que no mundo real marcou no passado o local onde estavam “aqueles” (apóstolos/discípulos) identificados como lutadores perseverantes e agentes com ideais transformadores, é o mesmo que, sinaliza também por ressonância “estes” de hoje.

“Estes” que se mostram ainda como manipuladores de Energias Paralelas – os Viajantes do Tempo, que agora propagam à humanidade uma Nova Visão da Realidade através de sua “facilidade mental” como buscadores da “Luz da Verdade”, que para ela só caminham aqueles que alcançando sucessivos níveis de consciência e razão, vão abrindo os “Portais de Luz/informação” também necessários à sintonia com as realidades paralelas mais sutis – com aquelas de vibrações cada vez mais intensas ou de Luz que se direcionam à Freqüência das Divindades.

Ver mais sobre estes dois Símbolos, outros Símbolos e mais textos na Página “O Portal”, neste Site.

A linguagem energético-vibracional que “estes” de hoje utilizam para informar/propagar, não é a mesma das parábolas que “aqueles” utilizavam no passado de dois mil anos atrás e com certeza não será também a mesma “daqueles outros” de cinco mil cento e vinte e cinco anos à frente, já possuidores no futuro de conhecimentos mais avançados tecnologicamente. Mas, “o sentido de verdade” contido nestas informações foi, é e será sempre o mesmo, apesar de ser expresso diferentemente em três momentos no tempo linear. “A Verdade” é Essencialmente Eterna.

Lagoa Santa/MG-BR, 17 de abril de 2010.

 ___________________________

 Texto de Antônio Carlos Tanure

Translate »