Postado por

Trindade, Cabala e Alquimia

Trindade, Cabala e Alquimia
Print Friendly

– Informações dadas como perdidas cujas chaves foram dadas pelo Projeto Portal –

De Otávio Augusto T. dos Reis (otavio.teixeiradosreis@gmail.com) – Setembro/2008

A trindade vem do ternário. Os ternários vêm de um binário mais um terceiro elemento que os neutraliza. Alguns exemplos de binários: 

                    Luz – Sombra 
                    Ectoplasma – Matéria 
                    Pensamento – Vontade 
                    Mental – Físico

Para passarmos dos binários para os ternários, basta adicionarmos o terceiro elemento neutro. Ficaria assim: 

                    Luz – Penumbra – Sombra 
                    Ectoplasma – Plasma – Matéria 
                    Pensamento – Desejo – Vontade 
                    Mental – Energia – Físico

O primeiro passo para sair da bipolaridade é inserir um terceiro elemento que promova a neutralização. O ternário evoca o numero 3 (três). A letra do alfabeto hebraico que corresponde é o GHIMEL () e o símbolo geométrico correspondente é o triângulo. Usarei uns símbolos de positivo, negativo e neutro no sentido ilustrativo, relativo e não absoluto, sabendo que na verdade não existem relações dialéticas entre os elementos. Eles (os elementos) se completam e criam o Uno através de uma relação dialógica. Na verdade cada elemento do ternário neutraliza, complementa e contém os outros dois.

          I – Primeiramente iremos seguir o ternário teosófico. Teremos: 
          Arquétipo – Homem – Natureza

          Podemos ver nele o esquema teológico da trindade divina ou santíssima trindade: 
          Deus em Deus, ou Deus Pai; 
          Deus manifestando-se na Humanidade, ou Deus Filho; 
          Deus manifestando-se na Natureza, ou Deus Espírito Santo.

Essa trindade forma um elemento Uno. Por qualquer um de seus Elementos interligados (Pai Filho ou Espírito Santo) podemos buscar o Uno. Há pessoas que encontram o Uno buscando o Deus Pai por caminhos metafísicos. Há pessoas que encontram o Uno buscando Deus Filho em seus corações formando grupos humanos. Há pessoas que encontram o Uno buscando a contemplação da natureza e a aceitação de suas leis imutáveis. São os que buscam o espírito santo. Podemos então considerar cada elemento como uma totalidade. Então podemos pegar, por exemplo, a Natureza como totalidade dinamizada pelas Leis Universais. No esquema abaixo a Natureza seria o elemento negativo, a Humanidade seria positivo e o Arquétipo seria o neutro.

  II – Continuando, veremos como nos podemos aplicar o ternário ao tempo. O seria seria: Passado – Presente – Futuro. Ao mesmo tempo que podemos dizer que o presente delimita e neutraliza passado e futuro, O presente, enquanto neutro, contem em si os elementos passado (negativo e passivo) e futuro (positivo e ativo).

          III – Aproximando I e II, diremos que o Presente, por analogia, corresponderia ao Arquétipo; o Futuro à Humanidade e o Passado à Natureza. A analise da analogia seria: a Humanidade determina o Futuro, pelo livre arbítrio de sua Vontade coletiva; que a Natureza, regida pelo passado, determina suas manifestações chamadas “Destino”. Seu instrumento é uma Fatalidade inexorável, cristalizada e, portanto, passiva. O arquétipo é andrógino. Esse caráter de harmonia superior reflete a Providência.

          IV – A Providência na vida de um ser humano é representada pela Consciência, que seria o elemento neutro. A Consciência não nos empurra e nem nos bloqueia nos caminhos. Apenas o ilumina. Lembrando que em III a Vontade do homem determina o futuro. Adicionamos aqui então os Kharmas e Dharmas que influenciam essa determinação do Futuro. Considerando que somos dimensionais e não trabalhamos com os conceitos de Kharmas e Dharmas e sim com o de Créditos e Débitos com relação a nossa missão, teremos a nova trindade:

          V – Se a Consciência e Energia fazem parte do mesmo binário posto que desenvolvem relações dialógicas, podemos transformar o triângulo acima num triângulo que tenha como elemento neutro a energia. Considerando que cada elemento é ao mesmo tempo Uno e contém os outros dois, podemos criar o próximo ternário apenas com a energia:

Na apostila de julho de 2003 do Projeto portal, temos a seguinte explicação: “O Pai, Filho e Espírito Santo estão dentro de cada um de nós. O homem precisa organizar e manipular esses três itens. A partir do momento que o homem domina esses três, ele torna-se um deus criador. Por isso Jesus Cristo disse que todos nós podemos fazer o mesmo que ele faz e até muito mais. A pessoa tendo conhecimento desses fatos, ela tem poder, tem controle, tem manipulação.

          Pai é o pensamento, a consciência. Ele age no ectoplasma e está relacionado com a 5a Dimensão e as dimensões acima. É aquele que organiza, planeja, discerne.

          Filho é o desejo. Está ligado a 4a Dimensão e age no plasma, que transforma, dá forma, impulsiona.

          Espírito Santo é a vontade. Age no físico (3a Dimensão) . Está relacionado diretamente com a atuação na matéria (realização), e a kundalini, corpos e 7 fases de treinamento (7 camadas da aura / 7 estágios evolutivos). O desejo é algo mais sutil que a vontade.”

          VI – O “Consolador” nos disse que a santíssima trindade aos olhos dos seres é o pensamento (pai), desejo (filho) e a vontade (espírito santo), na realidade a vontade não é o espírito santo, mas sim a mãe. Deus é pai e mãe (+ e -), depois filho. Chamamos o principio positivo ou masculino de Iod (10ª letra, valor numérico 10) . Chamamos o principio feminino de He (5ª letra, valor numérico 5). Da fecundação do feminino pelo masculino surge o terceiro elemento, o neutralizador do binário, chamado Vau (6ª letra, valor numérico 6). Então: Pai = Iod, Mãe = He, Filho = Vau.

          O principio ativo expansivo masculino Iod fecunda o passivo atrativo feminino He. Dessa união nasce o principio neutro andrógino Vau, que transmite ao plano inferior tudo o que recebeu do superior. Quando esse esquema se realiza, surge a idéia de família, ou seja, a idéia de um ciclo completado de manifestação. Como já dissemos anteriormente, esse núcleo familiar, embora composto, atua como uma unidade independente. Quando desejamos expressar o fato de que o ciclo Iod He Vau foi concluído, colocamos após as três letras uma quarta, um segundo He, passivo, confirmando o encerramento do ciclo. O quaternário do ciclo elementar ou a família do ternário corresponde ao terceiro grande nome de Deus: Iod-He-Vau-He (). A Cabala atribui a este nome uma força milagrosa. Se a nossa unidade composta representada pelo segundo He exerce alguma influência sobre algum elemento no mundo exterior, ou seja, quando esse ciclo elementar condiciona um novo ciclo, existe uma transmutação do segundo He num Iod do ciclo seguinte.

Todo aquele que realizar esta síntese chamar-se-á Shin (21ª letra, valor numérico 300, ambos dentro da lógica 3), () , e será () . O Shin é o aspecto da Egregora capaz de atrair e manter aqueles que com ela tiverem afinidade (discípulos ou seguidores).

VII – Esquema do primeiro quaternário da esfera transcedental

          AINSOPH (Nirvana) – Iod – He – Vau – He

          O principio Uno inacessível, que corresponde a AINSOPH manifesta-SE pelo elemento masculino Iod, elemento fecundante, expansivo, radiante chamado AMOR UNIVERSAL. Esse elemento Iod (amor Universal) delimita em si o seu aspecto passivo, atrativo – o Principio Feminino – chamado RESTRICTO ou VIDA UNIVERSAL. Então o mais alto Iod (Amor Universal) fecunda o mais alto He (Vida Universal) e nasce então o elemento Vau da primeira família: o LOGOS. As emanações primordiais desse último Elemento constituem o segundo He da primeira família, que forma a passagem ao mundo transcendente “Olam há Aziluth” da Segunda Família. Daí o motivo da vida ser um elemento feminino.

          VIII – Utilizando as informações do “Consolador” referentes à Santíssima Trindade:
8.1 Peguemos então a frase do “Consolador”: “Deus é pai e mãe (+ e -), depois filho” (VI).
8.2 Peguemos também as informações vistas acima (VII).

                    Aproximando VI e VII , temos a idéia de um Deus (Figura 1) pai (Iod), mãe (He) e Uno (Triângulo) ao mesmo tempo que gera um filho (Vau) andrógino ou bipolar (Figura 2) que emanará suas vibrações criando a vida (quaternário do ciclo elementar) (Figura 3), teremos:

A figura 1, representada pelo Iod-He e correspondente ao numero 3, é conhecida como o “Ternário do Grande Arcano Metafisico, ligado à parte mental ou à 5ª dimensão. A Figura 2, representada pelo Vau e correspondente ao numero 2, é conhecida como o Binário da Rota ou Turbilhão, ligada à parte astral ou 4ª dimensão. A figura 3, que corresponde ao numero 4, é o quaternário da rota elementar ou o mistério da realização ou 3ª dimensão, o mistério do ponto de apoio, ligado ao mundo físico e que representa o segundo He. As figuras 1, 2 e 3 correspondentes à nossa aproximação de VI e VII, quando alinhadas, tomam a seguinte forma:

 IX – Percebemos que muitos conhecimentos perdidos da humanidade podem ser redescobertos utilizando-se como chaves as informações fornecidas pelo “Consolador” no Projeto Portal. E essas chaves já nos fornecem o conhecimento pratico, sem que a gente precise passar pelas simbologias e mistérios de antigas escolas.

Translate »