Postado por

Analema Solar/“Estrada ECP19” /Realidades Paralelas

Analema Solar/“Estrada ECP19” /Realidades Paralelas
Print Friendly, PDF & Email

Em Dakila seus participantes vivenciam cada vez mais uma ocasião ímpar com experiências, que os qualificam como dimensionais ou, como aqueles que já interagem conscientes com as realidades paralelas, cientes das Ondas Moduladores, do Analema Solar, e da “Estrada ECP19” proporcionando-lhes os “Portais”, que com eles alcançam esses outros mundos e também, outras dimensões.

O Analema Solar é o termo usado em astronomia, para em designar em um gráfico a posição do Sol no firmamento num determinado lugar, com intervalos aproximados de 24 horas ou seus múltiplos, ao longo de um ciclo anual, quando o Sol forma/projeta na Terra uma espécie de um “8” (símbolo do infinito).


Analema é o termo usado em astronomia para designar “o desenho”, que a posição do Sol vai traçando no firmamento, a partir de um determinado lugar. O Analema acima foi “desenhado” a partir de 46 imagens diferentes do Sol, marcada à mesma hora em dias sucessivos, em Atenas, Grécia, no ano de 2003. – Imagens da Internet

Ao se tirar uma foto do Sol, com a câmera parada direcionada para um mesmo ponto todos os dias e em um mesmo horário, observa-se, que no dia seguinte ele faz um movimento; nunca ficando em um mesmo local e em uma mesma hora. Às vezes gerando um Analema mais ou menos verticalizado, com sua parte menor ficando embaixo e às vezes em cima.

Também ele pode se mostrar mais ou menos prolongado ou aberto ou ainda, formando um traçado que depende do hemisfério, de onde ele está sendo visto. Em torno do meio-dia local, a sua forma de “8” é quase vertical em relação ao meridiano. Ou seja, o Analema Solar não tem uma simetria, mas tem sempre o formato do “8”.

O tempo medido cotidianamente ou tido como tempo real, é aquele calculado sobre o meio-dia solar, quando o Sol atinge seu zênite no céu, em um determinado local na Terra. Este tempo é baseado no dia solar (aparente), com duração entre dois retornos sucessivos do Sol no meridiano local.

Mas, no Analema Solar quando se tem em cada dia e em um mesmo horário “um retrato do Sol no céu”, esse seu real movimento que está mais perto da equação do tempo.

Para a ciência oficial as flutuações do Sol gerando a forma de “8”, elas se devem ao fato de que o movimento da Terra em torno dele não é exatamente circular, nem completamente consistente. E que “esse deslocamento aparente do Sol” é causado tanto pelo movimento da Terra em torno dele quanto a inclinação do seu eixo de rotação.

Entretanto, os pesquisadores de Dakila através de vários cálculos matemáticos, perceberam que não possui a possibilidade de o Sol se tornar realmente um “eixo” para formar o Sistema Solar. A Terra e todos os planetas desse Sistema (chamados “ estrelas errantes” pelos mais antigos), não podem estar girando em torno do Sol. Através desses seus cálculos não existe coincidência entre com o que dizem e com o que diz a ciência oficial, principalmente em relação ao eixo da Terra.

Os cálculos matemáticos da Equipe de Dakila demonstram que a Terra não gira ao redor do Sol e sim, ele que “dá um passeio sobre ela”. E essa sua trajetória destrói ainda o conceito de esfericidade no formato da Terra.

O termo “planeta” já vem nele associado o sentido de plano, assim já sinaliza também de imediato, que o “planeta” Terra não pode ter um formato redondo. Em nenhum momento nos pergaminhos mais antigos a Terra é citada como “planeta”, mas como “estrela errante”. Eles mencionam o oposto do que se acredita hoje, do que se aprende.

O Analema Solar não marca só as horas, mas a vibração, os pontos nevrálgicos da Terra, do ser humano, da malha eletromagnética, do Cosmo. E, ele ainda marca a presença de uma “membrana” que ninguém ainda sabe o que é de fato constituída. Ela se mostra como um marcador universal de tudo – de tempo e de espaço na Terra e, sem ela (com ausência do Sol), perder-se-ia a noção de tempo.


Nas cavernas Sterkfontein na África do Sul (1ª imagem) a equipe de Dakila fazendo pesquisas, coletou em suas entradas informações para obtenção de dados sobre o Analema Solar, já tendo a noção de que “o Sol determina “o que” é a Terra, o seu formato e ele que “dá um passeio ao redor dela” (2ª imagem) – Primeira foto da Internet e a segunda foto de Dakila Pesquisas

No Egito, em diversos pontos, existem relógios solares. Os Maias, os Astecas, e os Incas também os construíram. Nas Pirâmides sempre há um túnel que aponta para uma determinada estrela, que também pode determinar as horas durante a noite. Porém, não era nas horas, que esses povos antigos estavam mais interessados e sim, no ciclo do Sol.


Em Machu Picchu espelhos d’agua utilizados pelos incas (1ª imagem) para verem e acompanharem indiretamente o deslocamento do Sol (2ª imagem) e para provavelmente poderem fazer seus cálculos astronômicos – Fotos de Antônio Carlos Tanure

O “giro solar” diminui ou aumenta a atividade elétrica. Ele influencia o que se tem como tempo, quando às vezes se tem também a impressão que o tempo acelera, com o dia não tendo mais as 24 horas, mas 15/16 horas e assim, ao se dispor em fazer algo, não houve mais tempo para o que se quis realizar.


Na Piramides Queops existe um túnel que aponta para uma determinada estrela, que através dela pode-se também determinar as horas durante a noite – Imagens da Internet

O Analema Solar determina o que é o “1º Anel ou “1º Paredão” e, que após ele um outro mundo se mostra além da Terra com sua dimensão física ou como “planeta”. E, por causa desse “Paredão” cometas, meteoros e mesmo alguns meteoritos, entre outros, quando passam perto do Sol (físico) são lançados de volta ou “devolvidos”. Acontecimentos que estão também dentro da dimensão ou realidade física da Terra.

Como além do Sol (físico) visível delimitado pelo “1º Anel” existem outra realidade paralela não visível delimitada por esse “1º Anel ou 1º Paredão”, será que se pode supor, que objetos voadores desconhecidos (Ufos) ao desaparecem para os observadores em um piscar de olhos, foi porque passaram por esse “ Anel/Paredão”, alcançando instantaneamente uma outra realidade/dimensão não visível?


Um instante fotográfico e de interação com o Sol como um Olho Cósmico, o que faz pensar sobre os Maias, dando ao Sol uma outra dimensão de realidade além de sua comumente física (além do 1º Anel), tendo-o como um ser vivo e chamando-o de “Kinich-Ahau”. Essa foto em zoom” foi tirada no Recanto de Havalon, focalizando o Sol com uma câmera Pentax sobre a “Montanha do Rankstar” (Montanha São Jerônimo), no dia 07/03/2000, às 06h00min, quando ele aparentemente se diluiu em um dourado intenso e em uma luminosidade diferente como fosse viva, que não machucou os olhos do autor desta foto e que cobriu todo o vale à sua frente. Mais informações na Página Fotos Analisadas, neste Site – Foto de Antônio Carlos Tanure

É o 1º Sol fisicamente visível, que rege o mundo físico e cotidiano humano. Ele tem um “eixo” ou um cruzamento, que atuando como um vórtice de energia determina o “meio” da Terra, ainda dentro do “1º Anel ou do 1º Paredão/Muralha”.


Pela Teoria da Terra convexa nos continentes e plana nas aguas, ela é como um gigantesco asteroide “voando” pelo espaço cercada por uma imensa muralha de gelo por toda sua borda (1ª imagem). Nesse modelo existe também o Continente do Norte Maior localizado em sua “ponta” (2ª imagem), que com ela a Terra continua ainda a ser dividida, entre sua parte Sul e sua parte Norte (contando com o Norte Maior). Entretanto a África do Sul não está próxima da América do Sul como se vê comumente nos mapas, porque a parte sul da África está exatamente a 90º da América do Sul (3ª e 4ª imagens). Mais informações no Google com o vídeo Terra convexa o Documentário – Imagens de Dakila Pesquisas

Os pesquisadores de Dakila usam de recursos tecnológicos atuais, para resgatarem com outras interpretações, informações que já eram a muito verdades conhecidas e contidas em antigas escrituras e muitas delas tidas como “sagradas”, mas não aceitas pela ciência oficial. Hoje esses pesquisadores procuram entende-las, dando-as outras interpretações com dados e cálculos científicos.

Usam de conhecimentos atuais astronômicos, matemáticos, geográficos, entre outros, resgatando muitas dessas informações, que já eram do conhecimento de povos muito antigos, em um outro ciclo civilizatório.

Em Apocalipse 7:1: “Depois disso vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, segurando firmemente os quatro ventos da Terra”.

Dividindo o mundo em 04 cantos, como diz o trecho bíblico acima, a Terra não poderia ser esférica, porque se ela tem “cantos” não poderia ser esférica. Nesses 04 quadrantes de 90º (Norte, Sul, Leste, Oeste), existem outros 04 quadrantes. Através da Rosa dos Ventos sabe-se dos quadrantes da Terra e através dela (com o Analema Solar) sabe-se dos vórtices de energia, que sobre a Terra incidem.


A Rosa dos Ventos representa os quadrantes do Mundo (físico) Terra. Através dela sabe-se dos quadrantes da Terra, que com eles sabe-se dos vórtices de energia (no Analema Solar), que sobre a Terra incidem. A “Rosa dos Ventos” com sua forma de asterisco é também a forma (símbolo) vibracional no traçado da cidade de Zigurats.– Imagem da Internet

Cada quadrante da Rosa dos Ventos corresponde a 90°. Considera-se o Norte à 0°; o Leste à 90°; o Sul à 180°, o Oeste à 270° e novamente o Norte à 360°. É “uma imagem” que representa suas quatro direções fundamentais, que nelas são acrescentadas as intermediárias, podendo todas elas serem localizadas com exatidão. E com essas localizações todos os vórtices sobre a Terra podem ser também (geograficamente) identificados.

Em cada uma posição desses vórtices, o Sol diminui um pouco sua velocidade, como fizesse uma “suposta parada” em uma diminuta fração de segundos e ainda procede, como se estivesse realizando uma “estilingada”.

A Cidade de Zigurats está dentro do Analema Solar em um traçado dentro da Rosa dos Ventos, que a desenha/delineia no sentido dos pontos cardeais e ainda a direciona no sentido do deslocamento magnético celeste para os próximos 5.125 anos. Ela foi projetada para ter uma intensa atuação no futuro, como um campo especial receptor e irradiador de energia.


Com sua forma de um asterisco “delineando” a planta da Cidade Zigurats, o Analema Solar/Rosa dos Ventos centra-se principalmente na Grande Pirâmide que está sendo construída e que na imagem acima localiza-se no centro do asterisco. Para esse ponto focaliza-se o deslocamento magnético celeste para os próximos 5.125 anos – Imagem de Dakila Pesquisas

O traçado da Cidade Zigurats foi feito em função dos vórtices de energia, por esse motivo em alguns pontos dela foram colocados “marcos” de cristais e outras tecnologias, para potencializarem esses vórtices, a partir do momento em que a construção da Grande Pirâmide chegar a 1/3 de sua base, pois mesmo nessa condição ainda inacabada todos os vórtices eletromagnéticos para aquele local direcionados já estarão atuantes, favorecendo os dimensionais especialmente em relação à uma sua maior sobrevida.


“Marcos” de cristais e outras tecnologias que foram colocados na Cidade Zigurats, para potencializarem os vórtices de energia através da Grande Pirâmide, que ali está sendo construída (1ª imagem), para gerarem energia eletromagnética (2ª imagem), a partir do momento que essa imensa construção chegar de 1/3 de sua base – Imagens de Dakila Pesquisas

Todos “os marcos” de cristais que foram colocados na Cidade de Zigurats e que foram direcionados à Grande Pirâmide em função do Analema Solar visam gerar um campo vibratório eletromagnético com atuação em torno de 5.125 anos à frente, com o sentido de beneficiar também a humanidade, em uma programação calculada para que isso acontecesse e tivesse essa duração.

Em seu deslocamento pelo espaço “imaginando a Terra girando”, existem através do Analema Solar um giro do Norte (acima da Linha do Equador) que para ele se tem como referência a Estrela Polar e o giro do Sul (abaixo da Linha do Equador), que para ele se tem como referência o Cruzeiro do Sul. Mas existe também um outro giro em 19º de latitude, que é “uma anomalia” e que é possível registra-la.

Assim, nessa latitude que não está na linha do equador, registra-se na verdade três giros. O giro do Norte, o giro do Sul e um outro giro central, mesmo tendo a Terra só dois polos. E esse giro central está situado bem no ponto onde o “caminho” do Sol se cruza ou, na transição que se juntam no Analema Solar o giro do Norte com o giro do Sul.

E, nesse ponto onde o Sol realiza esse cruzamento sob a influência do campo magnético celestial e não geográfico – “centro energético do mundo Terra”, é onde a Cidade Zigurats está sendo construída e sobre ela incidindo um vórtice de energia intensamente poderoso e, especialmente direcionado à Grande Pirâmide, como a “Estrada”ECP19.


No Analema solar com o giro do Norte e o giro do Sul (1ª imagem) forma-se um cruzamento no caminho do Sol gerando um vórtice de energia infinitamente poderoso, funcionando como a “Estrada ECP19” (2ª imagem) e favorecendo a transição e a comunicação entre as realidades paralelas – Imagem de Dakila Pesquisas.

É pelo uso da “Estrada ECP19” que de outro mundo “vêm” imprescindíveis conhecimentos para o dimensional, com o Sol funcionando como um vórtice ou como uma porta de entrada e de saída para essa outra realidade. Esse vórtice com seu ponto principal no cruzamento do Analema Solar, incidirá sobre a Cidade Zigurats e especialmente sobre a Grande Pirâmide, como já foi mencionado.

A influência energético e vibracional originada do Analema Solar com sua inclinação e com seu cruzamento ou interseção incidindo diretamente na base da Grande Pirâmide), proporcionará a partir dali efeitos eletromagnéticos (com efeito total quando essa construção atingir o topo), que se propagarão dentro de um raio de 300 km.

Como se vê, esse intenso vórtice incidente como “estrada ECP19” é importantíssimo para o dimensional em Dakila, porque lhe facilita também às aberturas de “Janelas”. ainda, o Analema Solar está mundos paralelos relacionado ao seu passado e ao seu futuro pela total analogia com os “Anéis ou Paredões”, que envolvem o “mundo energético Terra” (não físico, não geográfico) e por outras situações.

E, o que determina o posicionamento do gigantesco vórtice de energia no Analema Solar é o “giro dos planetas”, que para uma ciência muito mais antiga e a muito esquecida, os hoje chamados planetas eram tidos como “estrelas errantes”. Assim, para ela existem “estrelas errantes” e não existe Sistema Solar, existe “Sistema Terra”.


Analemas Solares de outras “estrelas errantes”, segundo as escritas de uma outra época – Imagem da Internet

A Cidade Zigurats já está se transformando também em um “Portal” para aqueles já na Realidade Paralela 02, possam transitar na realidade física (3ª dimensão) ou, para aqueles (não mais biologicamente vivos) possam transitar na realidade físico-material dos dimensionais (biologicamente vivos).

Assim, está sendo mais fácil através desse vórtice “encontrar” com aqueles que “já se foram”. No início desse “encontro” pode-se ter um pouco de dúvida, até que se aprenda nessa interação definir quem é quem pela sua frequência de voz, sua energia, densidade de luz e seu reflexo, quando então resolvidas essas dúvidas, essa “abertura” acontece como um momento, que eles podem caminhar entre esses mundos (o biológico/vivo e o não biológico/não vivo)


A Grande Pirâmide está sendo construída na Cidade Zigurats e quando ela chegar a 1/3 de sua base, já estará “on line” impulsionada pela energia/vórtice do Analema Solar, que especialmente sobre ela incidirá, gerando a “Estrada ECP19” – Imagem de Dakila Pesquisas

Os dimensionais de Dakila são sábios mercadores e também sábios multiplicadores que proporcionam o brilho d’alma irradiado no seu olhar e traduzido como sabedoria e alegria. Também, a felicidade por estarem em corpos saudáveis, plenos de saúde para vidas longevas.

E ao construírem a Cidade Zigurats vivem uma fase do entendimento, por saberem da necessidade de não só erguerem fisicamente essa cidade, com sua Grande Pirâmide, como ainda construir ao redor dela um cinturão realmente físico, através de uma faixa bem larga de loteamentos para construções rurais.

Esse cinturão antecederá essa “Cidade de Dimensionais” como um anel de proteção. Zigurats está sendo erguida para aqueles “diferentes” que nela morarão ou, para aqueles responsavelmente especiais – dimensionais já despertos e conscientes.

A topografia desse local como tivesse posto ali aleatoriamente pela natureza e, ali criando representações interessantes e exóticas, na verdade está ali com sentido vibratório para gerar frequências eletromagnéticas.


A topografia da Cidade de Zigurats já em construção tem objetivo vibratório de gerar frequências eletromagnéticas, para repercutir pelo menos 5.125 anos no futuro. Com as presenças de grotas, montes e pedras os mistérios da vida serão revelados nesse “parque temático vibratório”, portanto através da própria natureza e também com a cooperação dos dimensionais – Imagem de Dakila Pesquisas

O relevo da Cidade Zigurats será aproveitado ao máximo. Sua topografia supostamente feia, sem encanto e difícil de andar, mas possui magníficas trilhas. Todos esses locais deverão ser enfeitados, arborizados e ajardinados, mas sem mascarar sua verdadeira e original beleza vibratória.

As construções na Cidade de Zigurats cerca de 30% delas terão ligações subterrâneas, que posteriormente serão ligadas à Kasalk/Shamballah e dela às demais cidades dos mundos interiores. Nessas ligações se destacará a ligação da Grande Pirâmide. Do cinturão (de proteção) que contornará a cidade, existirá também uma conexão, que ligará a superfície aos mundos interiores, através de um túnel subterrâneo.

No traçado da cidade de Zigurats em seus quadrantes existirá uma corrente eletromagnética e em cada uma dessas quatro “pontas” como uma “Arca da Aliança”, será colocada uma haste/bastão, que conduzirá energia eletromagnética na frequência 0,3 hertz – a frequência do pensamento.

Essa frequência que está relacionada à Energia Taquiônica e à Frequência de Ressonância Schumann (com seu pulsar vindo do centro dessa galáxia) se complementarão. Essas duas frequências serão transmitidas através de artefatos com tecnologias dos mundos paralelos.


Em seu traçado de asterisco a cidade de Zigurats tem seu ponto central (Grande Pirâmide) no ponto central desse traçado e de seus quadrantes existirá uma corrente eletromagnética. Dessas suas quatro “pontas” será colocada como uma “Arca da Aliança” como uma haste/bastão, que conduzirá a energia eletromagnética na frequência 0,3 hertz, ou na frequência do pensamento. – Imagem de Dakila Pesquisas

Em Zigurats, já existe em sua ponta do quadrante norte a primeira “Arca da Aliança”, que está adaptada à frequência da estrada do Novo Mundo, que nela caminhando o dimensional vai se percebendo (mentalmente) em mundos paralelos.

Mas, somente os dimensionais realmente já despertos e conscientes serão os possuidores dos segredos, da técnica e do conhecimento de como nela transitar e alcançar essas outras realidades paralelas, quando sentirão a importância de já estarem também transitando em seu cotidiano na Linha B de suas Três Linhas da Vida.

Nesse quadrante os dimensionais terão apoio dos mundos paralelos para despertar suas habilidades de maneira muito superior ao que achavam conseguir. Habilidades de percepção/intuição, 3ª visão, premonições, vidência, atuação mental sobre a matéria e viagens às realidades paralelas, inclusive, no passado e no futuro.

Essas suas habilidades sendo potencialmente aumentadas, elas se tornarão como “forças mentais”, proporcionando-lhes uma ligação mais intensa também com a natureza, percebendo-a de maneira mais viva, em melhor sintonia com os fundamentos que a regem (fundamentos da natureza).

Aquele dimensional que de fato se despertou, alcançou a consciência que é parte de um compromisso maior, que é cósmico, percebe que nesse seu compromisso inclui sua responsabilidade na construção de Zigurats, com sua importância que transcende sua condição de cidade física.

Esse dimensional travou uma batalha consigo mesmo, questionando-se, para chegar a entender, compreender, questionar e aceitar, o que para ele hoje já não é suposição, mas uma constatação. Nessa transição vivenciou um período de “evolução mental e vibracional gerando-o em seu campo biomagnetico, para aceitar o que estava sendo para ele apresentado tão diferente de seu habitual entendimento.


Pirâmide para o faraó Djoser construída em 2.630 a. C pelo arquiteto e sacerdote Imhotep, ela é tida como pirâmide mais antiga do Egito conhecida também como Pirâmide de Saqqara ou Pirâmide de Degraus, que nela eram também realizados cultos solares. – Imagem da Internet.

A Pirâmide de Saqqara em seu formato quadrangular foi erguida como uma construção solar, simbolizando os raios solares que chegam a Terra e que se expandem nas quatro direções através de suas faces triangulares.

Os textos nas pirâmides egípcias são uns dos mais antigos escritos religiosos do mundo, conforme a arqueologia. Constituem-se por um conjunto de 2.291 parágrafos que descrevem uma antiga religião solar há aproximadamente 4.700 anos (provavelmente a verdadeira data seja muitíssima mais antiga). Alguns termos linguísticos desses textos foram reapresentados de acordo com a percepção atonista (neoegípcio).

Nesses antigos textos tidos como sagrados, estão neles muitas menções postas como exemplos, que estimulam os seres humanos acordarem para sua verdadeira potencialidade como um ser iluminado, despertando habilidades (mentais) e sentimentos superiores. Entre alguns desses exemplos, destaca-se o do faraó Akhenaton, que hoje desperta cada vez mais o interesse de estudiosos, pela sua interação com a energia solar – “Aton”, provavelmente porque ele já estivesse de certa forma ciente do Analema Solar e de seus desdobramentos energéticos.

O faraó Akhenaton não se apresentou como um deus, mas como o supremo sacerdote atonista, quebrando normas, paradigmas e costumes faraônicos. Voltado à ecologia procedeu em respeito ao equilíbrio ecológico ou, à conservação do meio ambiente.

Ele visando os Fundamentos da Natureza, procurou cuidar do “Khat Divino” contido no Todo Material (Corpo Físico de Deus) e, Aton (Sol) era por ele considerado como o mais importante canal de energia divina, que com esses fundamentos mantém a vida na Terra.

Para ele Aton era um Ser de luz, constituído por uma inteligência de Energia Única e Suprema. Um Ser também Dinâmico, Harmônico, Justo, Benéfico, Infinito, Espiritual, Sutil, Poderoso e Gerador de tudo. Essa Energia a tudo interligava, penetrava e conhecia. Influenciava e agia na Terra e nos universos com seus raios cósmicos e partículas provenientes dos seus campos energéticos.

O faraó Akhenaton (“espírito para Aton”) construiu um modelo de “cidade celestial”, visando uma sociedade humana e pacífica nela habitando. Ela foi a primeira cidade planejada da humanidade. Para os atonistas o Sol como um símbolo da “Luz Divina” mais se aproximava da Energia Brilhante de Deus, atingindo indistintamente a todos os homens em todos os lugares, trazendo a vida e a sua manutenção, enquanto a humanidade vai evoluindo mentalmente, para o entendimento profundo da “Intimidade” Divina pelo seu Sentido de Unicidade.

Alguns pesquisadores levantam a hipótese que Akhenaton sofria da Síndrome de Marfan, pelo seu formato visto hoje esculpido em pedra com o alongamento das extremidades de seu corpo, os quadris largos, barriga saliente e lábios grosso, crâneo alongado. Essa escultura é na verdade um estilo da arte amarniana, como um estilo próprio de esculturas nesse período – de um ser iluminado em missão. Pela sua árvore genealógica Akhenaton não apresentava parentes antecessores com a Síndrome de Marfan (exames de DNA em múmias).

Doutor em egiptologia, arqueólogo e historiador James Henry Breasted respeitado por todos os egiptólogos da época, mostrou a sua profunda admiração por Akhenaton quando relatou que ele era “um homem impregnado de divindade” e seu espírito emanava uma aptidão e uma capacidade excepcional para receber as manifestações divinas.

No perceber do dimensional, “esse ser especial” Akhenaton possuía essas qualidades provavelmente pelo seu conhecimento, sua habilidade mental (paranormal) e sua sensibilidade/”espiritualidade”, para sintonizar e interagir com mundos, além do “1º Anel” relacionado ao gigantesco vórtice do Analema Solar.


Por trás da divindade física e solar “Aton”, provavelmente estão outras informações mais verdadeiras relacionadas ao Analema Solar com seu Vórtice e com seus “Anéis” delimitando caminhos às realidades paralelas com seres possuidores de conhecimentos e tecnologias muito mais avançados. Seres literalmente mais iluminados. – Imagem da Internet

Os seres humanos sempre tiveram necessidade de marcar o tempo, baseando-se desde a antiguidade pelo Sol, pela Lua e por outros recursos, como no Relógio do Sol de Acaz, construído com conhecimentos cerca de três mil anos atrás e talvez ainda, de uma época ainda muito mais antiga.

O Relógio do Sol já era mencionado desde a antiguidade, como está biblicamente citado através do rei Ezequias, quando consegue alguns anos a mais de vida na Terra através do “Senhor”, ao fazer o Relógio de Sol de Acaz voltasse à sombra dez graus atrás. O relógio do Rei de Acaz (pai de Ezequias que o sucedeu), era uma espécie de escada, que o Sol nela se mostrava através de seus degraus as horas, por meio de sombras nele projetadas. Esse relógio foi muito usado naquela época.


“Eis que farei retroceder em 10 graus à sombra lançada pelo Sol declinante no Relógio de Acaz”. E assim o “Senhor” fez a sombra do Sol retroceder em dez graus do que já havia declinado. Fez que atrasasse em dez graus à sombra do relógio solar de Acaz (1ª imagem), 12º rei de Judá, tendo iniciado o seu reinado em 735 a.C., como contemporâneo do profeta Isaías. II Reis 20:10-11 – Imagens da Internet.

Também o Relógio da Lua no Livro de Josué II, 10;13-14 conta a história da cidade de Gibeon, um acontecimento também relacionado à Lua. “E a noite já estava se aproximando e aquele terreno era desconhecido de Josué e dos Israelitas. Então Josué clamou por Deus e, o “Senhor” mandou que o sol parasse, assim como também a Lua, no vale de Aijalom (Vale das gazelas”).

No Relógio de Deus o “Senhor” também marca o seu tempo. Assim, existe o tempo do homem e o tempo de Deus e, esse último tempo (ainda no futuro) sendo cumprido à risca, os seres humanos não podem entende-lo.

Na Plenitude do tempo de Deus subtende-se, que esse seu tempo pode ser cumprido a qualquer momento, sendo requerido da humanidade. Como aconteceu com Jesus de Nazaré – O Cristo.

Ele ao ser martirizado na cruz cumpriu esse tempo, que no Relógio de Deus já estava programado para ele, como mesmo disse: “O Filho do homem será entregue às mãos dos homens, e tirar-lhe-ão a vida; e depois de morto, ressurgirá ao terceiro dia. Mas eles não compreendiam estas palavras, e temiam interrogá-lo” – Marcos 9:30-32.

“Nele, estava a vida e a vida era a luz dos homens; e a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo, estava no mundo, e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade João” 1: 4, 5, 9,10,14.

O dimensional desperto e realmente consciente em desempenho de fato do seu compromisso está inerido no tempo de Deus – ou, ao que do futuro já estava programado para ele (além do 1º Anel do Analema Solar).

Felizmente, depois de uma longa, tenebrosa e literal escuridão mental que por ela passou a humanidade, ressurge uma nova era mais consciente dos mundos paralelos, que ao se interagir com eles, se tem também um outro significado para o que sempre foi chamado de tempo.

Ressurge o Ciclo da Energia Dourada, que já existiu milhares de anos atrás e que agora novamente se mostra influenciando especialmente as mulheres, pela energia que irradiam de seu campo (com seus 37 canais mentais) e que potencializada pelo Vórtice do Analema Solar, capacita-lhes à realização e à criação em todos os sentidos.

Assim, principalmente às mulheres dimensionais e também alguns homens dimensionais especialmente estimulados, sentem-se no fundo de suas almas/essências, que podem ser diferentemente uteis não só a si mesmos, mas também ao mundo – à humanidade.

Eles se sentem mais conscientes, mais confiantes e não mais condicionados ao medo e ao conformismo e à inercia frente ao intransponível – ao fatalismo da morte que “consome” depois de um tempo medido de vida (biológica)

Os dimensionais já despertos possuidores de conhecimentos dos mundos paralelos, sabem que o Analema Solar rege o mundo (físico) Terra, influenciando-o em sua energia/vibração. Mas, sabem também, que através dele podem extrapolar esse mundo tido como real, ao alcançarem a frequência mental “para atravessarem seus Anéis”.

A foto abaixo tirada no Recanto de Havalon, em fevereiro de 2001, registra um momento singular de interação mental do dimensional com o Vórtice” originado do Sol (físico), que estava naquele momento por cima da Montanha dos Arquivos, onde são dadas as voltas para aceleração mental dos dimensionais. No momento desse instantâneo fotográfico o Sol “aparentemente” girava de maneira vertiginosa, fato que possivelmente foi registrado nesta foto, quando foi revelada a fotografia.

Pela decomposição da luz solar como acontece no arco-íris ou em um prisma a faixa mais visível da luz é a cor vermelha. Ela se mostra mais larga, mais presente (junto à cor amarela) como a “mais compatibilizada” à terceira dimensão.  Entretanto, na foto acima aconteceu o inverso, porque foram as faixas de cores azul e verde que ficaram mais visíveis – mais destacadas, como se o “clique” mental do dimensional registrando este instante de interação, tivesse acontecido de “lá para cá” (vindo além do “1º Anel”).

E como continuasse a confirmar esse diferente e momentâneo comportamento “do Sol girando velozmente”, na foto a cor vermelha e a amarela “mais inseridas no lado de cá” (no mundo físico) estão entrelaçadas, como “tivessem sido torcidas e giradas uma sobre a outra, formando uma só cor amarronzada.


Além do “1º Anel” do Analema Solar limitando a realidade de um Sol físico dentro de um mundo também (físico) visível com leis próprias, existem outras realidades ou outros mundos com suas leis, que não se encaixam àquelas com visão física, mas que podem ser alcançadas e mostradas através da visão mental (3ª visão) do dimensional, quando o Sol para ele se comporta diferentemente (dentro de uma outra realidade). Mais informações no texto: Por trás dos milagres, nesse Site – Foto de Antônio Carlos Tanure

O Sol sempre foi adorado como Divindade em um tempo passado, sendo misticamente cultuado por povos antigos, que provavelmente assim procedendo como reminiscência de culturas ainda muito mais antigas de uma era em outro ciclo civilizatório, que nele o Sol era apenas fonte de conhecimentos de uma ciência avançada, que se perdeu.

Um túnel foi descoberto em 1972 em Teotihuacan, sob o Templo de Quetzalcoatl ou da Serpente Emplumada, uma das divindades mais importantes dessa cultura. Essa descoberta poderia ajudar a entender mais a cultura Teotihuacán, mas por falta de pesquisas arqueológicas corretas naquela ocasião grande parte das informações se perdeu, não se sabendo o que de fato havia naquele túnel.

Ali, escavações conduziram à descoberta de uma grande caverna sob a estrutura da Pirâmide do Sol e, a partir dela quatro portas levavam às outras salas. A cidade de Teotihuacan/México remonta ao século IV a. C., mas o seu apogeu foi em 250-650 d. C., com a construção da Pirâmide do Sol, implantada no seu centro cerimonial, se estendendo ao longo de seu eixo norte-sul. E segundo a cosmografia asteca foi dali, que originaram o Sol e a Lua.

Há muito o que precisa ser descoberto através de pesquisas e estudos naquele local. Cerca de 90% dessa cidade está ainda encoberta/soterrada, apesar das escavações quase diárias que estão ali sendo feitas. A crença popular menciona, que a Pirâmide da Lua suga a energia das pessoas e a do Sol as revigora.

Os dimensionais a tempo já vinham sendo orientados em Dakila, para que se inteirassem do “Segredo do Sol” e também se inteirasse do “Segredo da Lua”. Na terceira dimensão o Sol rege suas vidas (físicas) e a Lua os influencia em relação ao mundo invisível, ou aquele que normalmente não enxergam. Um é oposto ao outro, tendo o Sol sua influência durante o dia e a Lua durante a noite.


Vista aérea destacando-se no primeiro plano a Pirâmide do Sol e no fundo a Pirâmide da Lua que ajuda a compor o lado norte da cidade de Teotihuacan, em seu eixo principal como a Avenida dos Mortos (1ª imagem). Escultura simbolizando Quetzalcoatl ou Serpente Emplumada (2ª imagem) – Imagens da Internet.

O Sol com sua luz no amanhecer e no poente tem uma frequência/comprimento de onda maior, causando vasodilatação no cérebro, que promove uma “química diferente”, ajudando os seres humanos a eliminarem estados depressivos.

Ele está ligado às realizações físicas através do Pensamento/Desejo/Vontade e às emoções mais fortes. A sua luz favorece a mulher, que tem seu ciclo menstrual (hormonal) totalmente estabilizado dentro de um processo físico-biológico.

A Lua com a sua energia de um “corpo celeste” influencia também os ciclos hormonais dos seres vivos e favorece especialmente o homem com sua luz refletida. Ele em sua andropausa se equilibra através dela. Como “frequência luminosa” a Lua quanto mais próxima da Terra (Lua Cheia), mais aumenta sua percepção extra-sensorial (com o pico máximo às 23 horas).

Também ela expande sua consciência, capacidade de conhecimento em outro nível de percepção/intuição e principalmente sua 3ª visão, proporcionando-lhe mais facilmente sua comunicação com a Realidade Paralela 02 – ou, aquela que de mais imediato “se entrelaça” à realidade física, mas que comumente não é fisicamente vista.

Uma outra e recente descoberta como uma das mais importantes da arqueologia, aconteceu por acidente também em Teotihuacan, no ano de 2003, no local onde “os homens se tornam deuses”.

Essa descoberta foi um túnel construído pelos teotihuacans cerca de 2.000 anos atrás e de sua entrada principal até o seu final o comprimento é de 103 metros. Ele começa a uma profundidade de 14 metros e termina a 18 metros e quando foi aberto continha mais de 100 mil objetos. Foi anteriormente fechado pelos próprios teotihuacans e hoje depois de descoberto foi novamente fechado ao público pelas autoridades.


No final de um túnel descoberto por acaso em Teotihuacan/México haviam milhares objeto e entre eles três esculturas, representando mulheres e uma de um homem. Nessa cultura elas desempenhavam um papel muito mais importante que o deles, não apenas na estrutura do poder e talvez da religião. As primeiras divindades femininas eram e associadas à fertilidade e à terra, enquanto a masculina era voltada ao culto da guerra – Imagens da Internet.

A era que atualmente vivencia a humanidade, está compatibilizada à energia feminina, principalmente com aquelas mulheres que possuem atividade cerebral acima de 30 hertz, portanto possuidoras de grande capacidade de potencialização de sua energia vibracional – ou, de sua energia da kundalini (energia sublimada) a tal ponto, que elas se tornarão semideusas ou, cocriadoras com poder além desse mundo físico e podendo exercita-lo em sua vida física, para tê-la mais longeva.

São essas mulheres especiais que devem acordar grupos de pessoas e até nações. Esse novo tempo é delas. A Era Dourada é delas, porque é a vibração do Sol que as influencia, mas não o Sol como fisicamente é entendido e estudado pela ciência tradicional.

São elas principalmente que começam agora, a resgatar o sentido energético vibracional e não só puramente físico do Sol, que a ciência oficial tem dele, mas que era outro em eras mais remotas. Em outro ciclo civilizatório se tinha dele (e também da Lua), conhecimentos de uma outra ciência, que extrapolam forças físicas eletromagnéticas conhecidas.


São as mulheres mentalmente especiais de hoje (amazonas guerreiras de um outro tempo no passado), que principalmente construirão a Era Dourada, porque esse novo tempo é delas, com a vibração do Sol que as influencia – Imagem da Internet

Na Vibração do Sol – do Analema Solar com seu Vórtice, é a ocasião também de interações mais constantes do dimensional com a Realidade Paralela 02, em um espectro de luz que os olhos humanos não alcançam, porque não conseguem enxerga-lo. E nessa realidade que estão aqueles não mais vivos (biologicamente).

“O invisível é aquilo que os olhos humanos não conseguem fisicamente enxergar – o que está “além” dessa sua capacidade normal, mas instrumento/aparelho com pulso magnético consegue identificar essa frequência de realidade e onde nela estão seres da Realidade Paralela 02 (falecidos) sinalizando a sua frequência, que está na mesma frequência do pensamento dos seres humanos (vivos), que é também a frequência da Energia Taquiônica.


Câmera fotográfica com a função “night shot” tem o objetivo de captar o que os olhos humanos comumente não alcançam, não enxergam. Ela registra o que se encontra em ambientes totalmente escuros, utilizando do espectro do infravermelho e também de um percentual do ultravioleta – Imagem da Internet

Se está acontecendo essa maior facilidade de interação/comunicação com a Realidade Paralela 02, porque no momento abriram à realidade física possibilidades como “anomalias positivas”, permitindo nesse sentido que os dimensionais despertos avancem em seu salto quântico. Proporcionando-lhes com esse seu avanço novas experiências e com elas novas informações, novos conhecimentos.

A interação com a Realidade Paralela 02 independe do horário ou, se durante o dia ou à noite. Local também não importa, mas quanto maior for o vórtice de energia incidindo no local dessa interação, ela terá maior duração e também maior possibilidade de informações mais nítidas desse mundo. Mas, essa interação na maioria das vezes acontece quando o dimensional está em “estado de graça” ou em equilíbrio emocional.

Como se vê, os dimensionais despertos vivenciam um momento ímpar em Dakila com a atuação das Ondas Moduladoras, com elas somam-se o Analema Solar e a “Estrada ECP19”, que lhes proporcionam, de acordo com o nível mental-evolutivo de cada um, sintonia e interação com outras realidades em várias frequências e vibrações.


O dimensional que despertou seu objetivo é transmutar/sutilizar seu corpo físico e, já na Freqüência de Eu do Futuro vibrar com seu Corpo de Luz – Vídeo: Mantra Eu Sou Luz, You Tube

Existe aquele dimensional que já está tendo mais facilidade de interação mental com o seu Corpo de Luz (“Viajante do Futuro”) e, com ele já está estabelecendo certo dialogo ao nível do pensamento, quando então vai adquirindo informações e direcionamentos. É uma interação consciente e também muito prazerosa.

Interação através da presença de “uma outra voz”, dando-lhe a sensação como vinda de dentro dele. Percebendo-a como sua própria voz, porém sem emoção, “mais séria e ao mesmo tempo suave”, que complementa o seu raciocínio ou, simplesmente lhe informa sobre alguma dúvida.

Assim, esse dimensional já desperto e verdadeiramente consciente vivencia momentos muito especiais com toda essa “abertura”, possibilitando-lhe caminhar com suas próprias pernas, desempenhando o compromisso que do seu futuro firmou-se.

Ele vive momentos muito próprios quando através do seu Eu Superior se torna capaz de alcançar sua realidade no futuro através de seu Corpo de Luz e de lá trazer informações, que mentalmente percebidas reais, mais consistentes e vivas e que vibrando clareiam/informam por elas mesmas, não ficando mais limitadas por informações suas e de outros oriundas apenas de uma visão física e, que contidas e resumidas pela forma, nada acrescentam além do que delas é apenas visto e sentido.

Ele já vivencia e sente a nítida percepção, que o verdadeiro sentido dos mantras está além de seus desenhos/formas, também do que está em relação a eles tanto escrito como textos sagrados, quanto lido como orações. Todos esses aspectos estão apenas como frequências inseridas dentro de uma realidade ainda física conduzidas pela vontade, desejo e pensamento daqueles que delas utilizam.

Ele já percebe e sabe que a “linguagem dos símbolos” é verdadeiramente viva expressando vibrações, que cada vez mais aceleradas vão cada vez mais também se iluminando e, essa complexidade vibratória vai dessa maneira cada vez mais ainda lhe informando, em “linguagem de luz” que literalmente clareia, mas não alcançável pelo intelecto, apenas percebida/lida por sentimentos/vibrações mais profundos da alma, do coração.

Quando se diz, que os “Anjos” cantando em harmonia ajudam na Criação e, felizes vão contemplando a Manifestação juntos com os “Arcanjos” (também com a hierarquia composta de Serafins, Querubins, Tronos, Dominações, Potestades), pode-se em outras palavras, se expressar que Seres/Consciências de Pura e Viva Luz em sua Complexidade Vibratória e Divina auxiliam a Energia Suprema (Deus) na criação de mundos e de universos.

Com um mesmo objetivo voltado ao seu Eu Superior os dimensionais para se mostrarem já despertos e de fato conscientes, devem possuir a noção que desde de agora em sua vivência física, o caminho que devem trilhar em suas Três Linhas da Vida ABC, é a Linha do Meio. É a Linha B/ da Sublimação ou da Neutralidade/Harmonia como o seu Único Caminho, que nele vai se mostrando sua Verdadeira Essência ou seu Corpo de Luz, pensando e agindo em maior sintonia com seu verdadeiro futuro.


Grafico sintetizando os “Caminhos” das Tres Linhas da Vida – Portal Pegasus

Os dimensionais com sua responsabilidade de já estarem de fato despertos devem proceder com sabedoria e firmeza e ao mesmo tempo com a segurança, com a certeza do que já sabem, mas sem arrogância e sim, com a mansuetude espelhando-se em Jesus de Nazaré – O Cristo.

Também, se realmente conscientes não devem ficar mais em constância dependência dos mundos paralelos, mesmo porque já receberam deles para seu compromisso: informações, tecnologias, orientação sobre alimentação, elevação vibracional, entre outras informações.

Agora devem se conduzir por si mesmos já possuidores de elevação vibracional, já possuidores de outro padrão mental-evolutivo que busca a transmutação. Assim, também em outra frequência emocional devem se deixar guiar pela Linha B de suas Três Linhas da Vida, procurando não reencarnarem mais.

Essa nova era que para eles se abre, é de fato o ressurgimento de um outro tempo, que já existiu no passado e que agora se mostra como a Boa Nova de Cisto, resgatando informações e conhecimentos a muito esquecidos.

Muitos desses conhecimentos e também tecnologias que ressurgirão e que serão manipuladas, estão ainda escondidas, estão enterradas debaixo uma boa parte da selva amazônica brasileira. E outras estão por enquanto guardadas em realidades paralelas – nos mundos interiores

A Amazônia sempre esteve presente no imaginário ocidental, que os povos nativos que ali habitam, formam sociedades extremamente simples, pequenas tribos que mal sobrevivem com o que a Natureza lhes oferece. Têm conhecimento complexo sobre o mundo natural, mas lhes faltam os atributos da civilização. Mas, o que pensam muitas pessoas sobre uma Amazônia com sua Natureza de forma mais pura e como lar de povos aborígines, essa aparência pode ser enganosa.

Escondidos sob as copas das árvores da floresta amazônica brasileira estão resquícios de uma complexa sociedade pré-colombiana, com rede de cidades, aldeias e estradas ancestrais que já sustentou uma imensa população. E mesmo esses ancestrais dos povos indígenas que ali agora estão, provavelmente são originados de uma outra civilização de uma era ainda mais remota.

Os dimensionais já despertos, já informados sabem que naquela região que foi “o início de tudo” através de uma raça de seres (Muril) muitíssimo evoluída que chegou à Terra em um passado muitíssimo remoto. Possuíam conhecimentos/procedimentos tecnológicos muito avançados, que posteriormente foram confundidos com divindades, com deuses.

Muitas dessas tecnologias como artefatos estão ali soterrados, esperando determinados dimensionais possuidores de frequência mental compatível, para acioná-los com a energia irradiada de seu campo.


As pesquisas e escavações arqueológicas revelaram que partes da Amazônia eram densamente habitada antes da exploração e colonização europeias. Arqueólogos concentram suas pesquisas na região que o explorador britânico Percy Harrison Fawcett esteve em 1925, que desapareceu em busca de cidades perdidas (1ª imagem) e que hoje é ocupada pela aldeia da tribo cuicuro, localizada na cabeceira do rio Xingu no Estado do Mato Grosso (2ª imagem) – Imagem da Internet

Gaspar de Carvajal, um missionário espanhol em 25 de junho de 1542, escreveu as crônicas da primeira expedição espanhola naquela região amazônica, quando observou cidades fortificadas, estradas largas com boa manutenção e muitas pessoas. Áreas enormes daquela região da floresta continham povoados com seus jardins, campos cultivados e pomares que caíram em desuso quando as epidemias trazidas pelos exploradores e colonizadores europeus dizimaram as populações nativas.

A rica biodiversidade da região reflete essa intervenção humana que houve em eras passadas, quando os ancestrais dos cuicuro possuíam uma variedade de técnicas avançadas de uso do solo e de seu enriquecimento, que eram observados durante longos ciclos de rotatividade de culturas. A floresta Amazônia parece não ser tão nativa em sua grande parte, porque foi originalmente plantada e assim, inicialmente conduzida com esse objetivo

A maior parte dessa região do Xingu não foi estudada E a datação por rádio carbono dos sítios já escavados sugere que os ancestrais dos xinguanos chegaram à região, vindos do Oeste e, começaram a modificar as florestas e a zona úmida a seu critério cerca de 1.500 anos atrás ou, mesmo muito antes disso.


Kuhikugu, conhecida pelos arqueólogos como sítio X11, é a maior cidade pré-colombiana já descoberta na região do Xingu, na Amazônia. Abrigava provavelmente mais de mil pessoas e servia como o eixo central de uma rede de aldeias menores – Imagem da Internet

O dimensional desperto e também toda a humanidade vivem um momento muito delicado de transição, que por ela estão passando. Especialmente o dimensional que já interage consciente com outras realidades, aprendendo a transitar entre realidades paralelas, agora que lhe foi dada essa oportunidade.

Mas, para ele caminhar nessa nova e mais recente trilha com as informações e conhecimentos já adquiridos e em busca de outros, ele deve antes aprender trilhar corretamente os caminhos em sua vida na realidade física, já se sabendo de antemão, que o segredo da vida está ao seu alcance.

Aquele suficiente evoluído – iluminado, não precisa mais reencarnar, porque já aprendeu o suficiente, passando pelas provas pelas quais se submeteu, quando então ele já sabe que não há mais a necessidade de voltar à uma nova vida física, não precisa mais se submeter aos conflitos emocionais de um mundo conduzido por energias de dualidade, em uma realidade de 3ª dimensão. Ele já possui a noção que a reencarnação é sinal de reprovação.

A humanidade vivenciou o fim de um ciclo e agora vivencia o início de um outro. Nesse início do terceiro milênio, esse novo ciclo renasce para remover medo, ignorância e injustiça, restabelecendo novos pensamentos, novas atitudes. “Eu sou tanto a morte que não poupa a ninguém, como o Renascimento que dissolve a morte”. (Baghavad Gita, X, 34).

No início desse ciclo os dimensionais em Dakila começam a vivenciar um novo aprendizado comunicando-se com os mundos paralelos. E quando mais nessas suas interações vão “entendendo” os mundos paralelos sem fantasias e sem fantasmas, mais vão acabando sua insegurança e o medo do desconhecido, evitando desequilíbrio mental e emocional.

Aqueles que estão na Realidade 02 nunca mudam por mais reencarnações que já tiveram, são seu brilho do olhar (da alma) e as características de sua assinatura. Esses são seus moldes relacionados à sua essência, que continua sempre com a mesma vibração (do mesmo jeito) nesse plano intermediário.

Jesus de Nazaré – O Cristo com sua ressurreição exemplificou a presença da Realidade Paralela 02, pois seu corpo ressurgiu através da ampliação da sua atividade cerebral; quando acelerou a sua capacidade vibratória transformando-se em luz, sendo visto como uma silhueta luminosa. O anjo disse às mulheres: “Não tenhais medo; pois eu sei que buscai a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como tinha dito. Vinde e vede o lugar onde o Senhor jazia” – Mateus 28:5,6

Jesus de Nazaré – O Cristo deu à humanidade dois exemplos, morrer e ressuscitar (transformar o corpo em luz), um caminho que por ele passará a maior parte da humanidade (morrer para alcançar a vida eterna). Mas, existirão também aqueles que não precisarão morrer (transmutarão), sem se deixar de alcançarem a vida eterna.


Jesus de Nazaré – O Cristo deu à humanidade dois exemplos, morrer e ressuscitar (transformar o corpo em luz) – Imagem da Internet

No dia 11 de novembro de 2018 as Ondas Moduladoras mais atuantes potencializaram no dimensional o lado direito de seu cérebro, aumentando sua instituição, sua capacidade cognitiva e extra-sensorial e, além disso, ajudaram a neutralizar seus pensamentos negativos, convertendo-os em vibrações positivas, para que desse seu salto quântico.

Assim, os seus instintos primitivos gerados cotidianamente, foram de maneira automática a partir deste dia sendo convertidos em frequências mentais positivas, especialmente àquele que por ventura estivesse deprimido, com pensamentos gerando energeticamente baixas frequências. De agora em diante, tudo será diferente para ele, suas emoções serão convertidas em frequências mentais positivas.

Ele irá aos poucos diferentemente procedendo, irá gradativamente “apagando” de seu “mecanismo cérebro-mente” as informações negativas que trouxe de seu passado. No ser humano as emoções fazem parte de sua consciência. Elas geram nele consequências de desejos conquistados ou frustrados, originando respectivamente suas emoções positivas ou negativas.

Essa ocasião é especialmente propicia ao dimensional desperto e consciente, porque é a “hora da reversão”, que com ela caminhará. Também assim caminhará a humanidade através do conhecimento da Ciência Lilarial, quando o mundo Terra terá informações e orientações associados aos “novos padrões e novos valores”, proporcionando a sacudida mental, intelectual da humanidade.

Como consequência é o momento para todos os seres humanos construírem um novo tempo informando-se e propagando-o. Mas para isso é necessário que antes estejam em sintonia mental à frequência da harmonia, conseguindo conviver uns com os outros, sem se os aborrecerem ou sem se sentirem aborrecidos. Principalmente, o dimensional em constante aceleração mental deve também procurar conviver mais consigo mesmo, conseguindo “se aguentar”

Em seu compromisso que cada dimensional dê um passo de cada vez. O que ele não pode é se estagnar, mas ter objetivo, ter foco buscando a verdadeira prosperidade.


E disse Jesus de Nazaré – O Cristo: “…porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível” (Mateus 17:20) – Imagem da Internet.

Nessa ocasião de reversão, de mudança surgem “os diferentes” – os dimensionais despertos, que se voltam suas mentes e corações na construção de um outro plano de vida, com novos conceitos, procedimentos que acrescentam, revolucionam.

Esses “diferentes” reagem e agem com sua consciência psíquica. Reforçam-se mentalmente, para que possam também nesse momento especial, sintonizar e interagir com os mundos interiores (subterrâneos) elaborados por seres divinos luminosos (“Devas”).

Na sua escalada evolutiva eles estão subindo degraus “mais elevados”, conduzidos pela sua consciência espiritual. Começam a se sentirem mais realizados, mais em plenitude por conquistarem o equilíbrio entre a sua consciência físico-psíquica e a espiritual, exercendo domínio sobre seu emocional instintivo.

Eles já são capazes de se deixarem envolver mais pelos sentimentos de amor e de harmonia próprios dos mundos interiores – de Kasalk/Shamballah, que agora começam planta-los como “sementes” no mundo exterior, na medida que vão construindo fisicamente a Cidade Zigurats, com o objetivo para ela já traçado no futuro, no tempo de Deus.

Fontes de consultas:

Apostila de Dakila Pesquisas, de dezembro de 2018
Relógio de Acáz
https://portaldoastronomo.org/…/astronomos-detetam-os-mais-remotos-sinais-de-hidro…
https://static.eventials.com/…/palestrapublicainiciacaoeosmundossubterraneosii.pdf
https://pt-br.facebook.com/permalink.php?story_fbid…id…substory_index=0
https://g1.globo.com/…/o-misterioso-tunel-descoberto-por-acidente-sob-piramides-no-
As cidades perdidas da Amazônia
https://www2.uol.com.br/sciam/reportagens/as_cidades_perdidas_da_amazonia.htm

Translate »