Postado por

Buscando a “Energia Dourada” em sua Plenitude – três condições para alcançá-la

Buscando a “Energia Dourada” em sua Plenitude – três condições para alcançá-la
Print Friendly

Quando se utiliza de um carro, para que se chegue de maneira mais rápida a um local a muito almejado e ainda distante, deve-se ter em vista três condições: uma estrada bem conservada, um veiculo com boa potencia em seu motor e a presença de um competente motorista. Na frase anterior posta como metáfora, uma estrada desimpedida e satisfatoriamente trafegável é ter conhecimento das Sete Leis Universais e proceder de acordo com elas, para que se possa dominá-las; um veículo funcionando eficientemente é ter a noção dos sete níveis mentais, para que se possa valer principalmente daqueles níveis mais acelerados e próprios para um desejar profundo necessário à manipulação de frequências multivibracionais e ao acesso às realidades paralelas; um motorista hábil é ter o conhecimento dos sete níveis evolutivos, para que se possa respaldado essencialmente nos últimos, se conduzir com equilíbrio e sabedoria. Estas três condições não estão dissociadas, elas efetivamente “se interpenetram” na busca de um objetivo e, só observando-as e agindo de acordo com elas, é que a humanidade pode alcançar o que milhares de anos ela vem almejando sem alcançar. Principalmente os dimensionais despertos e compromissados que para eles o seu momento é o aqui e agora para a Realização, sem mais protelação. E nesta busca à Realização alguns procuram no momento gerar e movimentar a “Energia Dourada” – necessária à Era Dourada.

 

 

___________________________________

 

 

1 – Sete Leis ou Princípios Universais

 

I – O Mentalismo

O Primeiro Princípio Universal – o de Mentalismo expressa a verdade que “o Universo é mental, que ele está dentro da Mente do Todo. Que “O Tudo está no Todo, como também O Todo está em Tudo”.

Aquele que compreende de fato a verdade deste Princípio, já alcançou O Grande Conhecimento.

Portanto, ele já alcançou também a percepção do verdadeiro significado do Amor Universal através da Energia Taquiônica, que é a soma de todas as formas de energia (emocional/sexual) em sintonia com o Cosmo e que com ela Cristo Jesus vibrava com a força de seu poder mental, quando ao mesmo tempo ensinava e vivenciava o “amai o próximo como a si mesmo”.

A criação de imagens mentais na mente finita do homem separa daquela em que o Universo é criação da Infinita Mente Vivente.

O Todo no Principio de Criação, tendo estabelecido os fundamentos materiais do Universo, gradualmente começa a manifestar o processo de Evolução, sucessivamente nos planos material, mental e espiritual.

O Todo é a sua própria Razão, a sua própria Lei, a sua própria Ação, mas todas estas especificações são uma só coisa.

A Física Quântica desmitificou a dicotomia matéria-onda. O Universo é composto de ondas cuja manifestação se dá tanto mais próxima da matéria física, conforme menor é a frequência das oscilações que a caracterizam. Frequências progressivamente maiores levam o fenômeno para os estados mais elevados da existência.

O pensamento como fenômeno ondulatório, ele em sua veiculação de energia ondulatória interfere e sofre interferência de outros fenômenos ondulatórios. O pensamento esparge ondas que se propagam na veiculação da energia empregada e, considerando que mesmo a matéria (física) mais densa é um feixe de forças, tem-se que entre o pensamento e a matéria solida há uma integração essencial suficiente a vincular um ao outro.

Aquele que ao se concentrar é capaz de utilizar da força de sua Vontade e de dominar Leis Universais, ele é capaz também de manipular Frequências Multivibracionais e no mundo da matéria mais densa, materializá-la ou transformá-la, como faz aquele buscador de si mesmo no Projeto Portal, que já materializa o ouro e o cristal, interfere na estrutura dos metais modificando a sua forma e a sua cor, polimeriza o perfume e agora procura também com a Força de sua Vontade gerar energias através das “esferas dourado-reluzentes”.

Entretanto, este buscador antes de tudo de si mesmo para que tenha sucesso e alcance o seu objetivo junto à “Energia Dourada”, ele precisa neste sentido possuir uma percepção mais ampla desta Energia e agir de acordo com ela, para que aconteçam as realizações que almeja. A “Energia Dourada” é uma só, as suas Frequências em patamares vibratórios que são diferentes. Ela é aquela também dourado-prateada dos deuses da natureza e das divindades em uma freqüência vibratória mais sutil que envolve e conduz em outro patamar, onde tudo se soma e constrói dentro da harmonia universal – dentro do Sentido de Unidade.

 

 

  

Ilustrações de Miguel ,    de Jophiel,     de Uriel

Imagens da Internet

A partir do momento em que cessa o conhecimento (dos sentidos) o ser humano aprende-se, no Absoluto, de que ele é O Conhecimento” – Jophiel 

 

 

As “esferas dourado-reluzentes” quando são vibradas e potencializadas, elas atuam em frequências energeticamente mais densas – funcionam no mundo real como instrumentos físicos atuantes, que podem ajudar na construção de uma Nova Era – de uma “Era Dourada”. Mas, se nelas não vibrar de forma dinâmica a intenção de um todo energético por aqueles que as manipulam, elas gerarão energias em frequências “capengas” ou mesmo estagnadas.

 

 

  

 À esquerda a imagem da Pirâmide “Serpente Emplumada”, em Teotihuacán, México e à direita centenas de esferas douradas em um dos túneis abaixo desta pirâmide, como foram visualizadas mais recentemente através das lentes de um robô. De acordo com os arqueólogos estas esferas contam com pelo menos 1.800 anos, tendo seus núcleos feitos de argila e outros materiais orgânicos ainda não identificados. Elas são recobertas por pirita — um mineral de coloração dourada. Para Jorge Zavala, arqueólogo do Instituto Nacional de Antropologia e História do México é uma “descoberta sem precedentes”, apesar dele não ter absolutamente nenhuma idéia do propósito destas esferas, de sua origem e de sua finalidade. Fonte – Discovery News.

 

 

II – Correspondência

O Segundo Principio Universal – o de Correspondência, ele encerra a verdade “o que está em cima é como o que está embaixo e o que está embaixo é como o que está em cima”.

De acordo com este Princípio existe uma harmonia, uma correlação e uma correspondência entre os diferentes planos da Manifestação, portanto o que está incluído no Universo emana da mesma Fonte. As mesmas leis, princípios e características se aplicam a cada unidade ou combinação de unidades, assim como cada unidade manifesta seus fenômenos no seu próprio plano.

A unicidade do Todo Universal determina que o macrocosmo e o microcosmo estejam sob a regência das mesmas leis, mas destacando que se trata apenas de semelhança e, implicando que, se os fenômenos desdobram-se nos planos existenciais de frequência mais elevada, eles são projetados (em harmônicos mais graves) até mesmo no plano físico, na matéria densa.

A vida antes de emergir em um nível de complexidade da matéria, já existia potencialmente nela. A mente que também emerge com certo nível de complexidade da vida com o auxilio do cérebro, já também existia nela potencialmente. Os movimentos do mundo material são regidos por símbolos matemáticos pertencentes a um mundo (plano arquétipo), que extrapolando a matéria, já existiam a priori.

A roda da vida na Vida não pára. E, neste Infinito Vórtice cada um é chamado a todo instante a se posicionar, para que se conhecendo primeiro, possa depois interagir e se somar com todos e com tudo em seu evoluir. Ele está gradativamente aprendendo perceber “o além” de seu corpo físico, está aprendendo através de frequências energéticas e das realidades paralelas melhor se perceber n’ Todo e “inserido” no Tudo.

O átomo da matéria, a unidade de força, a mente humana e a existência de deidades são graus de uma escala, que fundamentalmente são a mesma coisa. A diferença é apenas uma questão de grau e coeficiente de vibração, como acontece com a “Energia Dourada”, que tanto está presente em planos de existência de mais vibração (mais sutil), quanto no plano mais denso da matéria “impulsionando” no mundo real o campo eletromagnético da “esfera dourado-reluzente”, apesar de não parecer por não aparecer escondida em sua condição física.

 

III – Vibração

O Terceiro Princípio Universal – o de Vibração, ele diz que o Movimento é manifestado em tudo no Universo, que nada está parado, que tudo move, circula e vibra. E que se existem diferenças entre as diferentes manifestações do Poder Universal, elas são devidas inteiramente à variação da escala e do modo das vibrações. Matéria e Energia são apenas modos de movimento vibratório.

No Universo tudo se move em movimento na “Pulsante Vida”. Planetas giram em torno de estrelas formando Sistemas, que se movem também em torno de pontos gravitacionais nas Galáxias e, estas por sua vez movem pelo Universo. Todo o universo vibra, com ondas de frequência dentro de outras ondas, com ondas de frequência gerando outras ondas.

No outro extremo dos fenômenos partículas subatômicas também vibram e giram em torno umas das outras formando átomos, que formam moléculas em estado constante de vibração. Os átomos agitam-se continuadamente ao embalo dos movimentos que compõem sua estrutura subatômica.

A ciência ensina que a Luz, o Calor, o Magnetismo e a Eletricidade são apenas formas de movimento vibratório e que o elo de união entre a forma de energia vibratória conhecida como Matéria de um lado e a Energia ou Força de outro lado, permite que se manifeste um grau de vibração em escala e modo inteiramente particular, como acontece energeticamente com as “esferas dourado-reluzentes”, que inseridas dentro de uma escala maior como “Energia Dourada” irradiam de seu campo eletromagnético uma força com determinado grau de vibração, para realização no plano físico.

Toda a manifestação do pensamento, emoção, raciocínio, vontade e desejo, entre outras condições ou estados mentais são acompanhados por vibrações, que podem ser direcionadas. O Principio de Vibração pode produzir no Plano Mental o que a ciência produz no Plano Físico. Mas, para alcançar este Poder Mental é preciso buscar antes através de instrução própria, os exercícios e a pratica na Ciência da Transmutação Mental.

 

IV – Polaridade

O Quarto Princípio Universal – o de Polaridade, ele contém a verdade que todas as coisas manifestadas têm dois lados, dois aspectos com dois pólos opostos, com muitos graus de diferença entre os dois extremos. O Espírito e a Matéria são simplesmente dois pólos da mesma coisa, sendo os planos intermediários apenas graus de vibração.

Tudo existe e não existe ao mesmo tempo, todas as verdades são meias-verdades, existe dois lados em tudo, porque todo verso tem o seu reverso. Os opostos podem ser reconciliados e a reconciliação universal dos opostos é efetuada pelo conhecimento do Principio de Polaridade.

O Princípio de Polaridade rege a relação e o movimento entre todas as forças opostas que vibram em todos os níveis, com a finalidade de gerar a criação, de gerar o Universo. Ele controla a interação entre estas duas forças fundamentais (e opostas) do Universo: o mutável e ao mesmo tempo o imutável, o em eterno movimento e ao mesmo tempo o em eterno repouso, o dinâmico e ao mesmo tempo o quieto e ainda, entre muitas outras interações em condições com forças opostas.

A Luz e a Obscuridade são polos da mesma coisa, como também o Positivo e o Negativo, mas com muitos graus entre eles. Ainda, no Plano Mental o Amor e o Ódio são geralmente considerados coisas diametralmente opostas entre si – inteiramente inconciliáveis. Mas, aplicando o Principio de Polaridade e começando em um ponto de uma escala, o que de fato pode ser encontrado é mais amor ou menos ódio conforme sobe a escala e, mais ódio e menos amor conforme a desce. E nesta escala de Amor e de Ódio ao se chegar a um “ponto médio” em que nele o semelhante e o dessemelhante já são insignificantes, torna-se difícil também fazer distinção entre eles quando se conduz na Faixa de Tolerância e se conserva mais constante na Linha B das Três Linhas (básicas) da Vida.

Neste mundo de conflitos para tanto gerar quanto girar com sucesso a “Energia Dourada” na forma de o “Dourado”, aquele que está com estas intenções, precisa estar mentalmente no “ponto médio” ou na Linha B de suas Três Linhas da Vida, sem mais incertezas.

 

V – Ritmo

O Quinto Princípio Universal – o de Ritmo, ele encerra a verdade que em tudo manifesta um movimento proporcional. Um movimento de um lugar para o outro como um fluxo e refluxo, um movimento para diante e para trás como no movimento de um pendulo. Um movimento entre dois polos que se manifestam nos planos físico, mental e espiritual.

O Principio de Ritmo tem relação com o Principio de Polaridade, porque o Principio de Ritmo manifesta entre dois polos. Entretanto, o pendulo do Ritmo não vibra nos polos extremos, porque raramente isto acontece na maioria dos casos. A vibração sempre vai para o lado de um polo e depois para o lado do outro, mas cada evento pode ser considerado único, sempre dentro de um contexto maior que compõe um todo cíclico. Existe sempre uma ação e uma reação, uma marcha e uma retirada, uma alta e uma baixa, manifestadas em todos os fenômenos do Universo.

O Princípio Universal de Ritmo pode ser aplicado para qualquer questão ou fenômeno de qualquer dos diversos planos da vida, portanto pode ser aplicado a todas as fases da atividade humana. Manifestando-se nos estados mentais do ser humano, explica a sucessão de condições, estados, emoções e outras incômodas e embaraçosas mudanças que são nele observadas. O conhecimento deste fato dentro dos dois planos gerais da Consciência – o Inferior e o Superior possibilitam que ele suba ao plano superior e escape da vibração rítmica do pendulo que se manifesta no plano inferior.

Aquele que já atingiu todos os graus do domínio próprio, já realiza mais ou menos inconsciente esta escalada, recusando-se que os seus estados mentais negativos o dominem. Ele já sabe realmente usar de sua Vontade, para atingir um grau de Equilíbrio e Firmeza Mentais, não se deixando mais mover à direita e à esquerda pelo pendulo mental das condições e das emoções, que o jogam para lá e para cá em seu viver cotidiano.

Ele já possui capacidade de mudar a vibração de tudo através do seu comando mental, porque já tem condições de manipular a sua energia mental. Ele já persiste mais na Linha B (Neutra ou do Meio) de suas Linhas da Vida, permanecendo-se mais constantemente longe dos desequilíbrios emocionais, que podem ser gerados nas Linhas A e C.

Aquele que já se conduz em sua vida com harmonia, porque já é sabedor deste Princípio Universal, ele procura interagir e manipular as Energias para obter o que deseja como faz agora em relação à “Energia Dourada”.

A medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda e o ritmo é a compensação”, que toma uma parte importante na vida do ser humano, através das coisas que ele ganha que sempre são pagas pelas coisas que ele perde – o que de certa forma faz lembrar o motivo de troca “do toma lá da cá”, que já existiu também energeticamente com outro nome em era passada. 

 

 

   

Acima pedras esféricas dourado-reluzentes filmadas por um robô nas câmaras subterrâneas da Pirâmide da “Serpente Emplumada”, em Teotihuacán (México). A cor amarela destas esferas vem da jarosita, que se forma à medida que a pirita se oxida. Portanto, em 300 d.C., quando os teotihuacanos usavam essas bolas de várias dimensões (de 4 a 12 cm de diâmetro) em suas cerimônias ou rituais, elas pareciam belas esferas cintilantes de ouro. Nas câmaras desta pirâmide foram também visualizadas cerâmicas e máscaras cobertas de cristais e ainda, as paredes pareciam estar pulverizadas com pirita, mostrando um lindo brilho dourado a tudo dentro dela. Os arqueólogos acreditam que só aqueles de “alto escalão” (sacerdotes e governantes) desciam ao túnel desta pirâmide para realizar rituais.

 

 

A Lei de compensação dentro do Princípio de Ritmo está sempre em ação, esforçando-se para balançar e contrabalançar – indo e vindo, mas sempre vindo a tempo.

VI – Causalidade

O Sexto Princípio Universal – o de Causa e Efeito, ele encerra a verdade que nada no Universo acontece por Acaso. Toda Causa tem seu Efeito. Todo Efeito tem sua Causa. Todas as coisas acontecem de acordo com esta Lei.

Gerar e fazer movimentar a energia das “esferas dourado-reluzentes” tem sua causa em um campo energético mais amplo, para surtir efeito em um campo energético mais restrito.

O Acaso é apenas um nome dado a uma Lei não reconhecida. Existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa a Lei. Um exame mais aprofundado mostrará que aquilo que é chamado de Acaso, é simplesmente uma maneira de exprimir as causas que não se pode compreender. Sempre existe a causa e o porquê para todos os acontecimentos. Nada acontece sem uma causa ou uma cadeia de causas.

Nenhuma coisa (matéria) pode causar ou criar outra coisa. A Causa e o Efeito são distribuídos simplesmente como eventualidades. Uma eventualidade é aquilo que acontece ou advém como um resultado ou uma consequência de diversos eventos procedentes. Nenhum evento cria outro evento, mas apenas um elo precedente na grande cadeia ordenada de eventos procedentes da Energia Criativa d’O Todo.

O homem pensante de hoje e já desperto ao procurar se harmonizar à Consciência Universal – ao Todo, ele se interioriza curvando-se sobre si mesmo. Ele converge para si, buscando confiança no grande e trabalhoso processo da evolução, porque já sabe que é primordial entender e perceber que existe uma Evolução Dirigida e Consciente dela mesma. Ele já sabe que toda idéia pensada e todo ato feito tem o seu resultado direto ou indireto que se molda à grande cadeia de Causas e Efeitos.

 

VII – Gênero

O Sétimo Princípio Universal – o de Gênero, ele expressa a verdade que há Gênero manifestado em tudo, que o Princípio Masculino e Feminino está sempre presente e em ação em todas as fases dos fenômenos e em todos os planos da vida. Mas, em seu sentido mais amplo o Gênero e o Sexo no uso ordinariamente aceito do termo, não são a mesma coisa.

A palavra Gênero que é derivada do latim genus, nela está inserido o sentido de gerar, produzir e procriar. Mas, ela também tem um significado mais extenso e mais geral do que aquele que se expressa pelo termo sexo, quando se refere às distinções físicas entre ”as coisas viventes” machos e fêmeas. Sexo é simplesmente uma manifestação do Gênero em certo plano do Grande Plano Físico: o plano da vida orgânica. No mundo do átomo o elétron como o polo negativo e gerador funciona como “parte feminina” e o próton como o polo positivo que potencializa funciona como “parte masculina”.

Masculino e Feminino são contextos amplos em que neles vibra mais particularmente um gênero do que o outro, entretanto, eles são unitários nos planos mais elevados de Consciência – nos planos divinos, como já mostraram as divindades em um só corpo na Frequência de Luz/Cor dourado e prateada, quando da “Entrega do Livro da Aliança”.

 

2 – Sete níveis mentais

A mente é uma faculdade sensorial da inteligência. Sua função é captar informações pelos sentidos normais humanos, que são armazenadas nos neurônios. O ser humano através de sua vontade tem também a condição através de sua mente de entrar em sintonia com qualquer outro centro cerebral e ainda através dela levar à sua consciência informações que vão sendo armazenadas em seus neurônios. Conhecer os níveis mentais é importante nas manipulações energéticas, principalmente quando se conhece os três últimos níveis e sabe utilizá-los, para que se possa, inclusive, interagir através deles na realidade física com as varias faixas vibratórias da “Energia Dourada”.

 

I – Delta

O nível delta é o da inconsciência. Nele somente o subconsciente está agindo. É semelhante a estar em estado de coma ou, ao nível no qual o ser humano se encontra no “mundo espiritual”. Em delta, a sua frequência de rotação cerebral permanece na faixa de 0,1 a 1 ciclo por segundo.

 

II – Teta

Atingir o nível teta já exige do ser humano um relaxamento profundo. É quando ele dorme profundamente e sonha. Nesta frequência, através da sugestão hipnótica, pode nele realizar cirurgias sem anestesia, sem ele sentir dor. Em teta, a sua rotação cerebral atinge de 2 a 4 ciclos por segundo.

 

III – Alfa

O nível alfa é o nível no qual o ser humano relaxa, faz projeções e pode dele usufruir tanto consciente quanto inconsciente. Ele neste nível mental pode também alcançar um relaxamento maior e criar, pensar, desejar e programar sonhos. É um estado de sono não profundo, no qual ele ainda não está de fato sonhando. Neste nível a sua frequência de rotação do cérebro varia de 5 a 8 ciclos por segundo.

O ser humano pode treinar sua mente e atuar em qualquer uma dessas frequências anteriores com a mesma facilidade com que atua comumente pelos seus sentidos – pelas suas sensações biológicas. Tudo é apenas questão de treinamento e dedicação, que exige concentração em estado de relaxamento profundo para se atingir resultados satisfatórios, em curto ou em longo prazo. Mas, nestes primeiros níveis mentais o cérebro funcionando em frequências muito lentas e em baixas vibrações, não mais interessa ao dimensional desperto, que precisa ter sua mente constantemente em níveis mais acelerados, para ficar compatível com as mudanças planetárias e ter uma nova visão e ação voltadas às realidades paralelas.

 

IV – Beta

O nível da frequência beta ou o do estado de vigília está associado aos cinco sentidos físicos: tato, paladar, olfato, visão e audição. Nele o ser humano realiza as ações comuns de sua vida como falar e pensar. Enfim, neste nível de frequência mental ele passa o seu dia. Estar em beta é estar no ponto intermediário entre os planos astral e mental. Neste nível, a sua frequência cerebral varia de 9 a 14 ciclos por segundo.

 

V – Mental superior

Neste nível de frequência mental já está presente o desejar profundo, significando que o ser humano já começa desejar alguma coisa sem duvidar de sua realização, de trazer esta coisa para perto de si e, até mesmo, já imaginando dentro dela e usando-a conforme o seu interesse. Ele já começa ver materialmente o objetivo ou a circunstância almejada fazendo parte de sua vida, como algo já conquistado e definitivo. Portanto, este desejar profundo o ser humano deve fazê-lo em estado de total consciência e sem relaxamento, com a sua mente já em estado de concentração alterada. Acima de 17 ciclos por segundo os resultados só são positivos. A energia cósmica neste nível de frequência mental só pode ser usada positivamente ou não ser utilizada mostrando-se neutra, mas nunca ser usada de forma negativa. Neste nível mental a aura humana está também ampliada e a rotação cerebral variando de 15 a 20 ciclos por segundo.

 

VI – Mental físico

No nível do mental físico o ser humano realiza fenômenos físicos como entortar metais, levitar objetos, influenciar seus semelhantes, transmitir mensagens telepáticas com grande eficiência e ainda causar sensações em outros ou mudar seus sentimentos e os seus pensamentos de forma benéfica. O seu cérebro apresenta uma rotação de 21 a 26 ciclos por segundo.

 

VII – Mental dimensional

O nível do mental dimensional é aquele que o ser humano já interage consciente com dimensões diferentes e não fica mais apenas na realidade física que vive como espaço e tempo. Neste nível ele pode realizar transmutações, materializações ou desmaterializações de objetos e até mesmo de seu corpo. É um nível ainda bem pouco explorado. Nele o ser humano pode também realizar viagens por outras dimensões através de seu corpo físico. Neste nível de frequência mental o seu cérebro está com rotação de 27 a 32 ciclos por segundo. Estes três últimos níveis mentais são ideais para que possa no mundo real gerar e fazer girar frequências associadas à “Energia Dourada”.

O ouro foi utilizado de três maneiras diferentes na historia da humanidade. Em seu inicio foi utilizado (de acordo com alguns estudiosos) pelos alienígenas Anunnaki, que o transformavam no “Mfkzt” também conhecido como “pó branco/pão da vida”, para que provavelmente estendesse as suas expectativas de vida. Tempos depois foi utilizado por antigas civilizações humanas, que sem mais o conhecimento e a tecnologia destes alienígenas o fizeram como “algo sagrado”, inserindo-o às suas cerimônias e aos seus rituais religiosos. Hoje, ele é tido pelas nações apenas como reserva monetária.

O ouro um metal de estrutura atômica formando uma rede cristalina, ele é comumente denso, de cor brilhante amarelado, muito maleável e dúctil  em sua forma atômica trivalente. Ele é ainda relativamente inerte (“neutro”), não reagindo com a maioria dos produtos químicos. Portanto, para o dimensional desperto o ouro sendo um metal inerte, mas possuindo boa condutividade elétrica, ele é apenas uma excelente “ferramenta” relacionada aos campos eletromagnéticos – é um “facilitador” nos trabalhos vibracionais associados às frequências mentais, além de poder ser misturado ao ouro alquímico (materializado).

 

 

  

   

Acima imagens de alguns objetos de ouro encontrados recentemente em uma escavação de um cemitério milenar na região central do Panamá comandada pela arqueóloga Julia Mayo. Como uma das descobertas mais ricas das Américas nas últimas décadas, os objetos retidos deste sítio arqueológico podem trazer novas informações de  uma cultura pouco conhecida. Fonte: os chefes dourados do Panamá – National Geographic Brasil

 

 

Observação – diferenças entre “estar no astral” e “estar no mental”

 

Na faixa do astral o ser humano age mentalmente dentro no máximo de seu campo energético, que tem aproximadamente 7 metros de circunferência em torno do seu corpo físico e mesmo assim em frequências muito lentas ou de baixas vibrações, com a sua frequência cerebral atuando dentro de uma faixa de rotação cerebral de 0,1 a 8 ciclos por segundo. Em seu cotidiano ele á está inserido bastante no astral, enquanto dorme ou pensa sonhando com os seus objetivos. Esta faixa de frequência mental atua em seu consciente interior, que é desenvolvido por ele automaticamente

A atuação do cérebro nos três primeiros níveis mentais que está relacionada ao plano astral as coisas acontecem natural e automaticamente. Nesta faixa de atuação mental ocorre a imaginação no sentido da realização, mas não com bastante intensidade ou rapidez. Ocorre autocura, por exemplo, mas com lentidão. Ainda, no astral como as frequências cerebrais diminuem, as energias que neste nível mental o ser humano gera também reduzem, tornando a sua mente e o seu corpo vulneráveis as energias negativas oriundas dos outros ou do meio – o que não ocorre no nível mental. Além disso, ficar na faixa vibratória do astral não favorece o desenvolvimento de sua paranormalidade e de sua evolução mental, pois sua mente precisa estar constantemente em níveis acelerados para tal.

Nos três últimos níveis mentais principalmente, o ser humano alcança com a sua habilidade extrassensorial distancias além de seu campo energético ou mais de 7 metros, portanto alcança distancia maiores desta para emitir energia, realizar de efeitos físicos e atuar na matéria ou na mente de outros. Ainda são poucos aqueles capazes de deixar a sua mente em estado de concentração alterada e realizar fenômenos físicos. Jesus Cristo atingiu 100% desta capacidade mental. Ele deixou como legado o exemplo do uso de níveis mentais para realizar efeitos físicos e provocar a autocura rapidamente, utilizando a sua mente em concentração alterada e funcionando em ritmo acelerado, para obter resultados instantâneos. “Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas.” (João, 14: 11 a 13).

Os níveis acima de beta são caracterizados pelas altas frequências cerebrais, necessárias a elevação de vibrações e são nesses níveis que o dimensional e pesquisador do Projeto Portal trabalha no seu desenvolvimento mental, consciencial e se habilita para gerar e fazer girar na realidade física a “Energia Dourada”.

Os estímulos emocionais e sexuais, quando utilizados de forma apropriada, facilitam muito na ampliação do campo energético humano. Mas a aceleração das frequências cerebrais não pode ser feita aleatoriamente, deve ser da forma adequada para cada um, com orientações e técnicas corretas. O ser humano pode subir a aceleração de suas frequências cerebrais, mas dentro de uma escala evolutiva e dentro de determinadas regras, com exercícios apropriados para que ele não se prejudique e não prejudique ninguém.

 

3 – Sete níveis evolutivos

Para gerar e movimentar mentalmente a energia das “esferas dourado-reluzentes”, aqueles que estão com esta responsabilidade, eles precisam em níveis evolutivos próprios proceder em busca da harmonia voltada à “Somação” com o seu Sentido de Unicidade e não apenas para tê-las só fisicamente.

 

 

Imagem da Internet

Para alcançar objetivos com a “Energia Dourada” em qualquer uma de suas frequências, deve-se percebê-la em sua Plenitude. Deve-se percebê-la antes de tudo na Frequência do Amor Universal, que vibra com o Sentimento de Harmonia e de União.

 

Se o ser humano apesar de que cada vez mais apregoe o amor e afirme abominar o desamor, mas mesmo assim não consegue viver em harmonia com o mundo em sua volta, é porque persiste com procedimentos que deles não consegue se libertar para alcançar etapas evolutivas mais avançadas e que para nelas se situar é necessário o pensar e o agir pelos ditames da Harmonia. Para melhor compreendê-las como “experimentos mentais cotidianos”, podem ser divididas em sete níveis evolutivos.

 

I – No nível evolutivo um o ser humano em seu dia a dia está sempre preparado para revidar, quando se julga prejudicado por qualquer motivo. Neste nível ele quase não raciocina, agindo mais mecanicamente com procedimentos mais instintivos. Ele revida sem pensar, agindo sob a influência de escassos conhecimentos que norteiam confusamente a sua vida.

 

II – No nível evolutivo dois o ser humano já raciocina um pouco mais, analisa superficialmente a situação que nela se acha envolvido e que se for desagradável, antes verificará se está a altura do “adversário”, para então só assim revidar. Se julgar mais fraco o seu revide não será imediato, mas através de varias formas posteriores associadas à dissimulação, à hipocrisia e à traição. A diferença de atitude de este ser humano em relação àquele de nível um, ele apenas analisa um pouco mais as coisas e os fatos que o cercam em sua vida – às situações que o envolvem e que o perturbem em seu cotidiano.

 

III – No nível evolutivo três o ser humano já gosta de analisar as situações em sua volta e em função delas discutir pormenores e criticar tudo, mas sem apresentar soluções ou alternativas, porque ainda pensa e age sob a influência de vícios mentais dos níveis um e dois. Ele evita se aborrecer com as ações de outros que as julga indesejáveis, preferindo que outros as deem solução. Quase sempre ele se julga um erudito, “funcionando” como um teórico que muito fala e pouco age, portanto na pratica não apresenta nenhuma solução para os problemas, é quando “se mostra desnudo” em sua mediocridade, julgando-se estar cheio de erudição e ser “dono da verdade”, ficando também a reclamar de tudo.

 

IV – No nível evolutivo quatro está aquele ser humano, que já consegue se distanciar da “tirania” dos afazeres cotidianos voltados apenas à materialidade, portanto não mais se deixa se escravizar conduzido por eles. Ele já tem certeza que não só existem os níveis evolutivos e de aprendizado que por eles já passou, mas que existem também outros mais elevados, que por eles ainda deve passar relacionados aos outros planos de existência de mais vibração (mais sutis). Por isto, se sente fortemente impelido para verdadeiramente se enriquecer através de mais informações, de adquirir mais conhecimentos vivenciando-os e não mais os possuindo apenas teoricamente. E se vale deles para agir com a erudição própria de um sábio ainda curioso das coisas, mas já de um erudito em seu verdadeiro sentido. Ele já compreende a natureza humana, e em função dela já faz avaliações sensatas e lógicas, não só em relação aos seus procedimentos como os de seus semelhantes. Ele já tem a consistente noção da trilha que por ela deve-se transitar e que nela deve-se transitar na frequência da neutralidade ou da harmonia em estado de graça, cultivando a mente e o coração limpos.

 

V – No nível evolutivo 5 o ser humano já se despiu de sua maneira egoística de ser no mundo real, que paulatinamente foi sendo construída com as informações trazidas pelos seus sentidos. Ele já começa perceber com uma visão mais ampla e de maneira mais clara o Sentido de Unidade e, desta maneira, já começa perceber também os seus semelhantes não mais isoladamente, mas como um todo – como humanidade, constituindo uma “civilização que ainda preparando-se para chegar à “adolescência”, age como uma criança insegura tentando se conhecer e se encontrar. Com esta percepção neste nível evolutivo ele possui a sincera vontade de ajudar todos e de auxiliar em tudo na busca do equilíbrio coletivo. Neste nível ele também possui uma especial e intensa interação mental com a “Mãe Natureza”. Ele já começa ainda de maneira consistente “se extrapolar”, tendo uma visão mais transcendente, mais cósmica.

 

VI – No nível evolutivo 6 o ser humano alcança o nível mais elevado, talvez aquele que ele possa alcançá-lo totalmente em seu caminhar evolutivo no planeta Terra. Ele já sublimado e percebendo-se sintonizado à Frequência do Amor Universal sem mais a ótica de seus sentidos, não se deixa mais desequilibrar emocionalmente, permanecendo mais constante centrado na Linha B (Neutra) de suas Três Linhas Básicas da Vida. Através de sua frequência mental com firme determinação, não deixa mais que fique sob o julgo do Sexto Princípio Universal – o de Causa e Efeito. Como já descobriu galgar “o real começo”, se volta “à real busca” e se direciona de forma mais lúcida para o Sentido de Verdade – e, aproxima-se mais do Sentido de Deus.

 

VII – No nível evolutivo 7 o ser humano já transcendeu a noção do bem e do mal – do certo e do errado, sem mais a necessidade de se julgar e de julgar os outros. Neste nível ele já é um “Vencedor”, mas antes teve que “vencer a si mesmo”, na medida em que procurou realmente se conhecer e se descobrir em seu Cristo Interno. Ele apesar de ainda “carregar” um corpo físico no mundo real, também já se conduz facilmente com o seu corpo mental e “explora” outras realidades, quando alcança o multidimensional. Ainda, dominando Leis Universais e manipulando frequências multivibracionais, ele muitas vezes já se mostra em sua condição de um semi-deus. Neste nível evolutivo ele apenas circunstancialmente está “no lado de cá”.

 

Sete principais centros ou vórtices energéticos (chacras)

 

Os sete vórtices (chacras) do campo eletromagnético humano estão (em sua classificação ascendente) respectivamente associados aos sete níveis evolutivos. 

 

 

Sete centros ou vórtices energéticos principais (chacras) compõem o corpo energético ou o campo eletromagnético (aura) humana, que com eles “em linguagem de luz-cor” o ser humano se percebe e se expressa para o mundo exterior, na medida em que na frequência de cada um deles pensa e age

 

O primeiro vórtice (chacra) na frequência da luz/cor vermelha (ainda densa – kundalini) está através do campo eletromagnético do ser humano relacionado à sua vida biológica, à sua sobrevivência física. O segundo vórtice na frequência da luz/cor abobora está associado à sua condição de possuidor de sexualidade, de sua capacidade de reproduzir e neste patamar vibratório ele ainda se deixa conduzir mais de perto pelos seus instintos primitivos. O terceiro centro ou vórtice energético na frequência da luz/cor dourado-ouro (amarelo mais denso) está associado àquele que já se expressa mais pela racionalidade, valendo-se dela, para utilizar de sua capacidade intelectual para exercer o poder, influenciar e governar, mas está ainda direcionado pelos seus sentidos, deixando-se conduzir pela instabilidade emocional. Aquele que ainda procede de acordo com este vórtice energético (o que é o mais comum), ele deve se trabalhar muito para se harmonizar com esta Nova Era – com a Era Dourada.

 

O quarto vórtice (chacra) na frequência da luz/cor verde claro identifica o ser humano que já tem mais consciência do que é na Plenitude a Vida, a percepção do Amor Universal que já o vivencia de certa forma mesclado com “o amor” em suas relações humanas. O quinto vórtice ou centro energético na frequência da luz/cor azul claro já o mostra ainda mais intuitivo, portanto em ligação mais intensa consigo mesmo buscando o seu Cristo Interno e também, em ligação mais límpida através de sua natureza humana com a “Natureza Mãe Terra”, facilitando-o em suas interações com as realidades ou planos de existência mais sutis ou de mais vibração.

 

O sexto vórtice energético (chacra) está diretamente em ligação vibracional com o sétimo vórtice energético, com os seus núcleos de luz/cor na frequência da sutileza dourada quase prateada (branco-prateada) e, neste padrão vibratório de Cristo Cósmico e de Amor Universal, que o dimensional e pesquisador do Projeto Portal realiza a Medicina de Cristo (“milagres e curas”), caminha energeticamente protegido dentro de uma de suas três Linhas da Vida (ou das três vias trazidas pela sua “Placa”) e consegue se transmutar. Destes dois vórtices (núcleos energéticos) é espargida a luz/cor lilás, mas que agora este dimensional a esparge na luz/cor vermelha porque se preparou conscientemente durante anos para assim irradiá-la em frequência mentalmente trabalhada como energia vibracional – em frequência já sutilizada, que está relacionada à Energia Crística e que faz acontecer na terceira dimensão. Com o direcionamento destes dois vórtices energéticos (chacras) no campo eletromagnético humano mais rapidamente a Energia Dourada pode ser gerada.

 

Translate »