Postado por

Contato-Compromisso

Contato-Compromisso
Print Friendly, PDF & Email

De Ismael Trindade (trin999@yahoo.com.br) – Outubro/2007


Este contato foi o que “puxou” os contatos, para que os Seres começassem passar para o Dimensional/Projeto Portal as informações para o desempenho do seu Compromisso e ele aconteceu na Base dos Homens (Conchas) através dos Seres da Quinta Dimensão, “Lots e Ya”, que executam missões em várias partes do Universo.

Na noite de terça feira do dia 31 de julho de 2007, por volta das 23h00min, eu estava com alguns companheiros na cantina da sede da Fazenda, quando chegou o Dimensional que acessou a primeira “Placa” avisando-me que eu iria fazer um contato e que alguém iria me levar de carro ao local do sublime evento. E, até aquele instante, eu imaginava que este meu contato seria apenas verbal, como os que já tinham acontecido anteriormente com alguns colegas sem a informação do Compromisso.

Posteriormente, já dentro do carro, paramos primeiro na casa do Mediador para eu receber dele instruções e foi ali, então, que fiquei sabendo que tinha sido o escolhido para abrir o trabalho “Contato-Compromisso”.

Com o impacto desta informação, fiquei emocionalmente abalado por sentir o peso da minha responsabilidade. Então, fui aconselhado pelo Mediador a ficar sete minutos no Campinho para ser harmonizado pelos Seres – o que de fato aconteceu após aquele trabalho.

Portanto, já calmo, voltei à casa do Mediador. De lá e já de posse também das instruções, fui levado de carro até à Base dos Homens por dois colegas. Um deles foi o Dimensional que acessou a primeira “Placa”, que solidariamente me emprestou o seu aparelho de rádio, para que eu pudesse me comunicar a partir da Base/Conchas, se necessário fosse.

A Base dos Homens, que é formada por três Conchas juntas, estava bem clara devido ao luar, que iluminou aquele local, deixando-o completamente visível, de modo que eu via tudo perfeitamente. E aquele momento me contagiou, fazendo com que o sentisse mágico e divino, pois fui envolvido por um Sentimento de Paz e de Amor que me fez sentir ao mesmo tempo mais consciente, mais confiante e mais seguro, vibrando num profundo “Estado de Neutralidade”.

Começo agora a narração propriamente dita do meu contato, quando marquei em meu relógio o seu início aos 00h40min do dia 1º de agosto de 2007, oferecendo para Deus aquele trabalho, agradecendo o Cristo e também a todos os Seres que direta ou indiretamente participaram daquele momento impar, ajudando-me naquela manifestação até então inédita – mágica e divina.

Portanto, estava pedindo aos Seres para que me equilibrassem e para que me harmonizassem, quando “apareceu” de repente um Ser, materializando-se à minha frente, a uns cinco metros de distância, dentro do meu campo de visão, que estava sem qualquer obstrução física. E, a seguir, ele começou a me falar, mas não entendia o que me dizia, parecendo que se expressava em outra língua, emitindo um som/”sotaque” parecido ao ruummm …. ruummm.

Este Ser que se apresentou possuía um corpo semelhante a um corpo humano forte e aparentemente “vestido” com uma roupa clara ou branca, mas com o quadrante superior direito do seu corpo escuro. Apesar de não entendê-lo naquele momento, mesmo assim lhe agradeci pela sua presença. E, após agradecê-lo, ele se deslocou dois metros à frente e à esquerda, estacionando-se por detrás de uma pequena moita, ficando ali invisível/”transparente”, já que não o via, só ouvia, apesar da vegetação ser baixa e devassável. Neste local ele permaneceu durante o período inicial do contato – período que eu não o entendi muito bem.

Quanto a mim que já estava dentro da Concha, que dá frente para a estrada e que faz parte das três Conchas que constituem a Base dos Homens, percebia que o Ser continuava “transparente”/invisível detrás da pequena moita, talvez para me proteger da sua forte energia/vibração. E, foi dali que iniciou o meu diálogo com o Ser que durou um bom tempo, apesar de não entendê-lo em algumas palavras que pronunciava – o que me fazia pedi-lo, que as repetisse até entendê-las, como mostra o diálogo abaixo.

Pergunta: é o Tot? 
Resposta: não.

Pergunta: é Extra ou Intra? 
Resposta: Extra.

Pergunta: devo chamá-lo de você ou de senhor? 
Resposta: ele não respondeu.

Diante do seu silêncio, passei a chamá-lo de irmão, já que no Universo todos nós “Somos Um” – todos nós viemos da mesma Fonte.

Pergunta: de onde você é? 
Resposta: ruummm … ruummm.

Neste momento ele repetiu duas ou três vezes o que queria me comunicar, entretanto não o entendia, apesar de que às vezes eu percebia que ele tentava redirecionar a minha freqüência (corrigir a minha sintonia).

Pergunta: você veio para conversarmos ou para me passar alguma informação específica? 
Resposta: seu Compromisso.

Pergunta: passar informações sobre o meu Compromisso? 
Resposta: sim.

Pergunta: eu estou com o meu gravador, após me informar sobre o meu Compromisso posso fazer uma entrevista com você? 
Resposta: ele não respondeu.

Nesta ocasião permaneci calado, pensando no que deveria lhe perguntar, porque parece que durante o contato deu um “branco” em minha mente, talvez devido ao entrelaçamento do meu campo energético com o campo de energia do Ser – gerando o “Estado de Neutralidade”. Neste momento, apenas por curiosidade, fiz “um teste” com o Ser, fazendo-lhe a seguinte pergunta:

Pergunta: você sabe o meu nome? 
Resposta: sim.

Pergunta: então o diga. 
Resposta: “Ismaeli”.

Agradeci pela sua consideração de ter pronunciado o meu nome (com sotaque) e ainda lhe fiz outra pergunta.

Pergunta: poderia chegar mais perto? 
Resposta: ele não respondeu.

De repente eu ouvi uma voz aguda, como se fosse a voz de uma criança e parecia que ela aproximava de mim, deslocando-se rapidamente em minha direção e à minha frente. E, pensando que fosse o som emitido por um Laqüim, fiz a pergunta seguinte.

Pergunta: é o Laqüim? 
Resposta: não.

Depois desta sua resposta negativa o “Ser” não falou mais nada, o que me deixou curioso, o que me fez perguntá-lo de novo.

Pergunta: existem mais “Seres” por aqui, por exemplo, os Intras? 
Resposta: não.

Mas, neste momento como já estava mais tranqüilo e, portanto em uma interação mais harmônica com o ambiente, eu percebi que havia mais “alguém” ali com o “Ser” e assim, insisti fazendo-lhe outra pergunta, para esclarecer esta minha percepção.

Pergunta: vocês são dois, certo? 
Resposta: sim.

Pergunta: um casal? 
Resposta: sim.

Neste momento escutei os dois Seres conversando, mas logo silenciaram. Quanto a mim, continuava a prestar bastante atenção na moita onde estavam, mas não os via, não via nem mesmo um vulto, embora a presença da vegetação no local fosse bastante rala e estava ainda iluminada pelo luar. Parecia que eles estavam sentados naquele local, porque as suas vozes pareciam sair próximo do chão. Entretanto, após um determinado período de silêncio, um dos Seres de repente apareceu na estrada, a alguns metros da entrada da Base dos Homens, e começou “caminhar” lentamente, “vestido” todo de branco, da cabeça aos pés, em direção à Base/Pirâmide das Mulheres. Parecia ter a altura de 2,00m a 2,10m e caminhou em torno de oito a dez metros, sumindo de repente sem que, naquele momento e em todo o percurso de sua caminhada houvesse qualquer obstrução que pudesse ter me impedido de vê-lo perfeitamente. Após este seu sumiço de repente, eu o ouvi em seguida, no mesmo local onde anteriormente ele estava conversando com o outro Ser – mas, logo silenciaram talvez por uns dois ou três minutos. Neste momento eu pensei que algo estava errado, o que me levou a fazer a pergunta seguinte.

Pergunta: algum problema, irmão? 
Resposta: – ele não respondeu.

Após esperar um pouco, contemplando a Lua e o luar, repeti a pergunta, mas o silencio continuou como resposta. Neste momento achei até que eles tivessem ido embora, mas, de repente, voltaram a conversar – e o diálogo entre os dois era baixo e dele ainda eu nada entendia. Então, em dado momento o Ser me pediu para que ficasse de costas – posição que logo fiquei e ao mesmo tempo em que lhe fazia a pergunta seguinte.

Pergunta: fecho as mãos? 
Resposta: sim e ponha a testa na parede (da Concha)

Neste momento, espontaneamente, cerrei os dentes e lhes disse que estava pronto. Então, eles apareceram à minha esquerda conversando, mas eu continuava a não entender uma palavra sequer do que falavam. A voz que para mim parecia vir do Ser feminino era suave e me encantava. Em seguida senti que folhas de um galho de árvore eram passadas em minhas costas – da cintura até o calcanhar. Após este procedimento ouvi de um dos Seres, que neste momento já estava detrás da Base/dos Homens, me dizer para ficar de frente (que virasse) e ir para a estrada. Para confirmar o que naquele momento me foi dito, fiz a pergunta a seguir.

Pergunta: para a estrada? 
Resposta: sim.

Então, caminhei lentamente, olhando para a direita, para observar onde estavam, mas não os via. Apenas quando parei a uns três metros antes de chegar à estrada, para que pudesse ficar mais perto deles, é que pude vê-los por detrás de uma árvore próxima à Base/Conchas. Fiquei parado observando e também esperando deles orientação sobre o meu Compromisso. Passado algum tempo escutei um deles dizer: “vou passar o seu Compromisso”. Então, no sentido de pedir a confirmação do que eu tinha acabado de escutar do Ser que sempre me falava, lhe fiz a pergunta seguinte.

Pergunta: vai passar o meu Compromisso? 
Resposta: sim.

Pergunta: eu posso gravar, para não esquecer? 
Resposta: sim.

Eu pedi para que ele esperasse um pouco porque iria ligar o gravador. E, quando o gravador já estava pronto para gravar e já posicionado fiz para o Ser a pergunta seguinte.

Pergunta: está bem aqui? 
Resposta: sim.

Pergunta: posso chegar mais perto? 
Resposta: não, você não está preparado para isso.

Observei que os Seres estavam a uma distância de uns três metros da Base dos homens e a uns seis metros de mim, atrás de uma pequena árvore, mostrando a metade superior dos seus corpos inclinados para a esquerda e sempre o de branco à frente. Após ele me dizer que eu não estava preparado para ficar mais perto, começou a me informar sobre o meu compromisso, que são duas tarefas difíceis de executá-las, mas não impossível de realizá-las, já que terei muita ajuda no plano físico e no plano extrafísico diretamente deles. As tarefas que me passaram são dezenove programas de TV, para informar o povo sobre o destino do nosso planeta e a construção de objetos voadores destinados em um futuro próximo ao resgate da população – na evacuação planetária. Após receber deles o meu Compromisso fiz as perguntas seguintes.

Pergunta: eu terei ajuda? 
Resposta: você pode pedir ajuda, você terá ajuda.

Pergunta: portanto, vocês irão me ajudar neste meu Compromisso? 
Resposta: estaremos sempre à sua frente.

Pergunta: os programas serão através da TV do Projeto Portal ou através de algum canal aberto, particular? 
Resposta: TV particular.

Pergunta: posso negociar a realização do meu compromisso, já que estou ainda começando? 
Resposta: não, o Mediador vai ajudar.

Pergunta: tem mais alguma coisa que queira me dizer? 
Resposta: para a Base.

Portanto, já voltando para Base dos homens, perguntei se eles iriam também me ajudar em minha saúde e a resposta que obtive foi positiva. Em seguida lhe fiz mais perguntas.

Pergunta: gostaria de saber de onde vocês são. 
Resposta: Sírius.

Pergunta: Sírius é o Regente do nosso planeta, não é? Eu lhe fiz esta pergunta, encaixando a resposta dele, no sentido de confirmar o que ele disse, para ficar bem claro o que tinha escutado. 
Resposta: sim.

Na realidade Sírius rege o Sistema Solar, mas como a Terra faz parte dele a reposta não deixa de estar correta. Em seguida o Ser me pediu que eu virasse novamente de costas, quando então foi feito o segundo procedimento com o galho de arvore ou a segunda ativação como ele próprio me disse e quando também os dois chegaram pelo meu lado esquerdo muito perto de mim – uns vinte a cinqüenta centímetros. Desta segunda vez em que foi passado um galho com folhas em minhas costas, este procedimento foi feito agora no sentido do pescoço aos pés. E, durante este momento dialogavam, mas não os entendia. Muito importante notar que o Ser feminino continuou à minha esquerda, pelo lado externo da Concha onde eu estava, “cantando”/vibrando um mantra encantador que me magnetizou, enquanto o Ser masculino, por sua vez, vibrou um som semelhante a um forte soco na parede da Concha à minha esquerda, à minha frente e à altura da minha cabeça. Depois que eu virei de frente, eles se mostraram à minha esquerda, próximo à Base/Conchas e foi então que perguntei para eles quando seria o próximo contato. Um deles me respondeu que seria após cumprir a primeira parte do meu Compromisso e depois os dois continuaram conversando por alguns segundos, mas eu continuava sem entendê-los. Finalmente, aquele que sempre conversava comigo, me pediu para que eu saísse da Base dos homens e que me direcionasse para a estrada. Então, me desloquei para ela e parei um pouco antes, no mesmo local onde anteriormente tinha parado para receber o Compromisso. Ali eu perguntei se podia fazer mais uma pergunta e ele, demonstrando muita paciência e tolerância, respondeu que sim.

Pergunta: quando eu devo sair do litoral? 
Resposta: nós avisaremos.

Em seguida ele me perguntou se eu estava vendo-os nitidamente, eu respondi que não. Então, tentaram se mostrar/projetar de uma maneira menos nebulosa/plasmada. Neste momento eles estavam detrás da Concha à esquerda da que eu estava. E, o que se “vestia” de branco inclinava para esquerda, enquanto o que estava à sua direita tinha as suas mãos e naturalmente a sua cabeça acima da Base dos homens. Realmente, eu via um vulto escuro à direita do Ser de branco, como que pegando a parte superior da Concha, indicando que era mais alto que a Base e que o Ser de branco. Nesta ocasião fiz nova pergunta.

Pergunta: vocês estão de branco, não é? 
Resposta: sim. Ela está de branco, eu estou de cinza.

Pergunta: ela é mais baixa que você? 
Resposta: sim.

Perguntei os nomes deles. Depois de repetirem algumas vezes, eu finalmente consegui entender os nomes “Lots e Ya”, que são Seres executores de trabalhos missionários em várias partes do Universo. Depois de dizer os seus nomes, me pediram para eu ir embora – que voltasse para a sede da Fazenda. Agradeci a visita deles e ainda perguntei se iriam me ajudar em meu Compromisso. O Ser que sempre conversava comigo me respondeu afirmativamente e acrescentou que eles estariam ao meu lado a todo o momento.

Pergunta: como faço para pedir ajuda de vocês numa situação difícil? 
Resposta: peça através do Mediador.

Neste momento ainda fiz algumas perguntas.

Pergunta: vocês vieram de “Nave”? Está aqui perto? 
Resposta: não, teletransporte.

Pergunta: direto de Sírius? 
Resposta: sim. Fiquei admirado e exclamei: Puxa!

Pergunta: quanto tempo no nosso horário? 
Resposta: um décimo de segundo. Exclamei de novo: Fantástico!

Agradeci novamente e lhes disse até breve. Neste instante um deles me disse que estaria à minha frente. Perguntei se eu podia esperar ali a vinda do carro que viria me buscar, ele respondeu que não e que eu fosse a pé. Saí em direção à Base das Mulheres, mas ele me disse que não era por aquele lado, o que me fez perguntar se era do lado que eu tinha vindo e a sua resposta foi afirmativa. Olhei o relógio e ele marcava 01h30min. Logo, o contato durou cinqüenta minutos. E, para a minha surpresa, um dos Seres durante a minha volta continuava à minha frente a uns vinte metros de distância e durante dez minutos ficou assim, como que me guiando. Ele estava literalmente me levando para casa, estando à minha frente, como pouco antes tinha me prometido. Era o Ser de branco que muitas vezes aparecia e desaparecia que me acompanhou até próximo à ponte. Portanto, este “ir à minha frente” fisicamente aconteceu.

Por ultimo quero fazer neste relato duas observações, que as acho muito importantes e esclarecedoras.

A primeira observação foi quando voltando à Base dos Homens dias após o meu contato, para vivenciar aquele sublime momento de experiências com os Irmãos de Dimensões Superiores, que vieram impelidos pela sua dedicação, pelo seu Amor e quase se anulando ao nível da freqüência da terceira dimensão, eu pude ver in loco algo bem diferente do que – “aparentemente” – eu tinha visto dias antes durante a minha interação com eles. De fato, naquela ocasião os Seres para mim tinham ficado detrás de uma pequena vegetação – de uma moita – que me pareceu ter no máximo um metro de altura e que não me impediu também naquele momento, de ver um dos Seres caminhar pela estrada – vendo-o totalmente da cabeça aos pés. No entanto, ao vistoriar este mesmo local neste meu retorno, eu tive uma surpresa, porque à minha frente entre a Concha em que eu estive e a estrada, estava vendo agora uma vegetação de uns dois metros de altura, numa extensão de uns quatro metros, que não me deixaria ver o Ser totalmente como de fato eu o vi, se tudo estivesse ocorrido apenas na terceira dimensão. Assim, conclui que naquele local e naquele divino momento de interação, tudo “acontecia” em uma Energia/Freqüência Dimensional ou em um Mundo Paralelo à terceira dimensão. Não sei explicar direito o que aconteceu, mas é isso que entendi e percebi. O Mediador pode dar uma explicação melhor do que aconteceu. Acredito que é por esse motivo que tudo fica “Neutro” – que me fez sentir em completa “Neutralidade” ao contatar em um “ambiente” suprafísico com os Seres de Freqüências Superiores.

Outro fato interessante que deve ser observado, porque para mim ele tem um profundo significado, foi do Ser aparecer desaparecer na estrada já no final do contato. Portanto, este fato é o motivo da minha segunda observação, quando o decodifiquei em seu simbolismo – ou seja – mesmo os que os Seres não se mostrem fisicamente, eles “estarão sempre à minha frente”, mesmo invisíveis eles estarão ao meu lado a todo o momento! E, Eles não estarão apenas à minha frente, mas também estarão à frente de todos os companheiros que já exercem o seu Compromisso, orientando-nos neste sentido, porque já iniciamos uma nova etapa do nosso Trabalho de Compromisso, que deve ser exercitada com muita humildade, muita união e acima de tudo com muito Amor.

Translate »