Postado por

Encontro

Encontro
Print Friendly, PDF & Email

Vivenciado por quatro dimensionais

Em Maio/2007 – textos de:
1º – Ricardo Queiroz Alexandre – ricardoqa@yahoo.com
2º – Vera Pedrosa – verapedrosa@terra.com.br
3º – Mauro Dias – maurodias19@yahoo.com.br
4º – Sônia M. Dias – sm.dias@terra.com.br

Relato do primeiro dimensional – Este encontro serviu para que pudéssemos perceber que fazemos parte de algo grandioso/iluminado e que temos realmente a responsabilidade de dar continuidade ao nosso trabalho missionário pela Alquimia do Pensamento, que irá contribuir para a iluminação/crescimento de nossos irmãos dimensionais inconscientes, despertando-os.

Tivemos ainda a nítida impressão de que a Manifestação que conosco interagiu, iniciou-Se no exato momento quando tentávamos decodificar a situação atual do Projeto Portal que em relação à sua parte física apresenta dificuldades e quando também tentávamos decodificar o porquê do “abalo” momentâneo na saúde física do Mediador.

Acreditávamos que o fato ocorrido com o Mediador em relação à sua saúde ainda estava incompreendido até por ele mesmo. Esta situação colaborava por gerar no campo da dualidade sensações de conflito, e, portanto, por gerar “desgastes emocionais” em todos nós. Mas, foi aí que percebemos também que este momento, servia ao propósito tão almejado de direcionar os membros do Projeto Portal para a sua inserção efetiva no contexto missionário – para que eles não ficassem mais esperando por auxílio externo ou de outros.

Nesta ocasião clareou ainda mais para nós, que o Mediador também fazia (e faz) parte do nosso Corpo de Energia e que ele estaria com certeza sendo beneficiado pela Luz/informação gerada pelos pensamentos positivos que o nosso grupo estava lhe enviando.

E, foi neste momento dentro do chalé que começamos a interagir com uma Energia Vermelha que Se densificava ao mesmo tempo em que “bailava” à nossa frente, fazendo com que um sentimento de total Harmonia/Integração Cósmica invadisse todo o nosso Ser e que também envolveu os outros dimensionais presentes – quando então todos nós silenciamos, para vivenciar este instante de Interação Cósmico-Divino.

Portanto, os momentos finais desta Experiência de Luz foram de “extrema calmaria”, que nos mostrou a possibilidade de vivenciarmos/sentirmos a “Neutralidade” e que com Ela não precisamos vivenciar o caos do nosso dia a dia, como aquele que literalmente acontecia ao nosso derredor através de um vendaval que muito destruiu.

Relato do segundo dimensional – Os Seres que estiveram no chalé do dimensional que acessou a “Quinta Placa” marcaram nossa experiência humana com fatos inquestionáveis da nossa existência luminosa. Sabemos que somos luz mesmo estando em nossa condição humana, limitada por experiências do dualismo. Esta constatação é muito forte às vezes; não que eu negue ou rejeite esta condição, mas a consciência da magnitude desta realidade me impressiona. Sei que esta reação é manifestação do ego, cheio de defesas pela memória que traz de experiências remotas.

Comentei com poucas pessoas aquele acontecimento e sempre dizendo que vimos luzes por todo o chalé. Sabemos na verdade que ali havia uma intenção da energia em se comunicar, mas nossa limitação não deixou que entendêssemos tudo. Uma informação está clara: todos os Seres que estiveram lá fazem parte do “Grupo do Livro” e aproveitaram aquela ocasião única para se manifestarem para nós. São consciências luminosas que nos inspiram e nos orientam na Alquimia do Pensamento.

Aqui reproduzo o que escrevi sobre a Alquimia do Pensamento: “A Lei da Correspondência, cujo princípio prega que “o que está em cima é semelhante ao que está embaixo e o que está embaixo é semelhante ao que está em cima” traz para o dimensional a perspectiva de, através da Alquimia do Pensamento, se tornar o reflexo perfeito do seu Eu Superior.” Nossos amigos já iluminados nos ajudam neste aperfeiçoamento, para que lembremos o que somos e para que manifestemos cada vez mais esta realidade, até cumprir o que está estabelecido desde sempre.

O Anjo que guarda, inspira e ilumina o dimensional que acessou a “Quinta Placa” não estava sozinho. Com ele estavam outros Anjos que conosco se sintonizam e buscam uma comunicação cotidiana. Precisamos nos abrir a esta experiência, cuidando para que a nossa energia seja cada vez mais compatível com a Luz.

Não sei com quais dimensões estávamos interagindo, mas os fenômenos captados pelo sentido da visão mostravam luzes de cores e formas diversas. Linhas prateadas, pequena esferas douradas e esferas brancas. A presença do Ser Energético que estabeleceu conversação com o dimensional que acessou a “Quinta Placa”, se apresentou à minha visão como um corpo de energia sem cor, mas como se fosse uma forma transparente de puro plasma, cujo contorno se movimentava todo o tempo.

Escrever este relato e ler os relatos dos outros colegas presentes no acontecimento é vivenciar tudo de novo, com uma nova visão. Vamo-nos esclarecendo e nos sutilizando nesta troca – assim é, como sempre foi e sempre será.

Relato do terceiro dimensional – Aconteceu na viagem de 5 a 8 de abril de 2007. Era quinta-feira, dia 5, em torno das 21h30min. Os dimensionais do “Grupo do livro” presentes foram convidados a reunir no chalé de um colega dimensional de polaridade negativa, mas, em seguida o dimensional que acessou a “Quinta Placa” e que faz parte deste grupo decidiu transferir a reunião para o chalé dele mesmo.

Depois de todos acomodados, começamos a conversar sobre a continuidade das ações na elaboração do livro e ainda sobre os acontecimentos ocorridos com o Mediador e sua interação energética dentro do grupo.

Neste momento teve início uma tempestade com ventania preocupante. Em poucos minutos apagou-se a luz. Percebi que os colegas lá fora estavam em apuros – mas ao mesmo tempo senti que deveria me desligar do drama externo. Como uma mágica, os ruídos externos foram como que abafados. Assim foi possível concentrar nos nossos objetivos.

Nosso colega dimensional que acessou a “Quinta Placa” foi o primeiro a anunciar a presença de um Ser Energético. Eu não tinha visto nada ainda, mas acreditava nesta realidade porque ele é um dos dimensionais mais experientes do Projeto Portal. Aos pouco ele foi anunciando a presença de um Ultra-dimensional, descrevendo seu aspecto.

O dimensional de polaridade positiva que estava ao meu lado imediatamente confirmou ter também visto, descrevendo o que viu e foi então que eu lhe disse, se era daquela maneira que ele viu, eu também tinha visto. Eram faixas estreitas de luminosidade fosca que riscavam o ambiente de cima para baixo. Neste momento este Ser querendo eliminar minha dúvida apareceu com várias luzes radiais partindo de um ponto que coincidia com os documentos do livro na mão do dimensional de polaridade negativa que os segurava. Também houve lampejos do assoalho para cima. Entretanto, nesta ocasião não lembro muito bem o que disseram os dois dimensionais de polaridade negativa que estavam também perto de mim.

E, quando estas manifestações aconteciam, o colega dimensional que acessou a “Quinta Placa” iniciou a sua conversa com o Ser, dizendo que “conversaria” com Ele em voz alta para que todos pudessem escutar – porque normalmente ele faz estas suas comunicações mentalmente.

Eu também vi por duas vezes em tempos curtos uma luzinha prateada bem luminosa com um núcleo vermelho tal com um rubi. Aquele era um momento de grande satisfação para mim, por compreender que não estávamos sós – que estávamos sendo acompanhados.

Em um dado momento fomos chamados de fora do chalé, nos solicitando que saíssemos, porque o gerador de reserva seria ligado emergencialmente e que poderia haver curto-circuito por causa dos fios que de postes derrubados pela ventania estavam espalhados pelo chão. Ao sair do chalé constatamos realmente os estragos externos causados pela chuva: árvores caídas, chalés parcialmente destelhados, barracas alagadas e poste de luz no chão.

Todo este fenômeno eletromagnético localizado produziu dois ambientes distintos, um fechado em plena harmonia e um outro aberto em vias de transformação como sinalizando uma limpeza energético-vibratória para os trabalhos que se seguiriam posteriormente.

Relato do quarto dimensional – Antes de relatar o que aconteceu devemos ter em mente, que é com o auxílio ainda dos nossos limitados cinco sentidos, que tentamos entender/perceber o Divino/Sagrado, portanto, quando tentamos expressá-Lo, é com um vocabulário não específico à Sua altura. Sabemos que não se explica o Divino, Ele apenas É.

Então, quando tentamos “com muita boa vontade” codificar em uma linguagem o que não está referenciado/limitado ao tridimensional, estamos tentando “explicar” o que é inexplicável e, neste caso, podemos apenas utilizar é da linguagem dos símbolos, que nos ajuda a ter uma melhor compreensão e decodificação do que consideramos “enigma” – ou – do que chamamos transcendental.

Somos parte de um grupo de nove dimensionais e temos como missão escrever um livro, codificando principalmente informações que sinalizam o “Estado de Neutralidade”, que é também a Freqüência dos Seres Angelicais. E, à medida que o livro vai sendo escrito, ele tem também o objetivo de fazer que nos descubramos na busca da evolução/expansão de nossa consciência e, consequentemente, de nossa Transmutação.

Agora, começando realmente o nosso relato, devemos dizer que no dia 05 de abril de 2007, na Fazenda Boa Sorte/MS-BR, nós reunimos no chalé do dimensional que acessou a “Quinta Placa” para fazer avaliações sobre os textos que já tínhamos escrito do livro. E, naquele momento éramos apenas cinco dos nove integrantes deste grupo intitulado “O Grupo do Livro”.

Conversávamos sobre o rumo dos últimos acontecimentos que envolviam de um modo geral os dimensionais do Projeto Portal, quando começou uma ventania que trouxe uma forte chuva. Então, fechamos a porta para que nos protegêssemos, não nos perturbássemos e pudéssemos interagir melhor em relação aos assuntos, que teríamos que enfocar naquele momento.

Assim que a porta foi fechada, esquecemos facilmente da chuva, porque fomos aos poucos concentrando e interagindo em relação à situação que estávamos vivenciando como grupo e, inclusive, vivenciando em relação àquela que o Mediador no momento passava com a sua inusitada enfermidade, que lhe trouxe debilidade física e que realmente nem ele mesmo compreendia/decodificava, apesar de tentar justificá-la. E, neste momento tivemos o desejo que ele estivesse mentalmente ali conosco participando destas nossas interações, visto que ele era o foco de nossa momentânea preocupação, por ser um Referencial no Projeto Portal para todos nós dimensionais.

Estávamos neste nível de interação quando algum tempo depois a luz se apagou, mas, como já estávamos todos acomodados/sentados, continuamos a reunião. Portanto, prosseguíamos com a nossa “conversação”/interação, quando no centro da roda formada pelo grupo, exteriorizou-se um campo de energia na forma de um cone de luz tênue, que alguns visualizaram, que logo desapareceu e que depois soubemos que ele era “o caminho” de um portal energético, que se abriu.

Também visualizamos vários “flashes luminosos” na cor laranja/dourada que refletiam em nós e entre nós e, embora não escutássemos nenhum barulho de trovão naquela ocasião, a princípio imaginávamos que estes “flashes” fossem relâmpagos.

Após algum tempo estes “flashes” começaram também se mostrar em locais como em cima do beliche e na parede que estava atrás dele, que são locais onde não havia a mínima possibilidade de mostrarem reflexos luminosos de origem externa. O relampejar é instantâneo, ou seja, ele termina instantaneamente e ainda, para que a luminosidade do relâmpago se mostrasse/refletisse no interior do chalé, precisava que ela penetrasse por uma fresta e no banheiro havia apenas uma pequena janela, que não poderia ser a fonte desta luminosidade, já que ela manifestava-se circunscrita no espaço já mencionado e onde como reflexo ela não poderia acontecer. Neste ponto do chalé a luminosidade se manifestava de forma ondulatório-persistente, “sem a pressa de desaparecer” como acontece com a luminosidade de um relâmpago.

Em um dado momento o companheiro dimensional que acessou a “Quinta Placa” que estava conosco e que já tem por hábito conversar mentalmente com o Ser de Pura Luz/Ser Energético que o “acompanha” há algum tempo, iniciou uma conversação verbal com Ele, para que todos os quatro dimensionais escutassem o que dizia e, foi nesta ocasião que este dimensional ainda pediu ao Ser, que Ele Se mostrasse fisicamente para que todos pudessem também vê-Lo.

Quando este dimensional acabou de fazer esta solicitação todos os presentes puderam então visualizá-Lo e, foi também quando sentimos particularmente uma forte atração ou um magnetismo vibratório que irradiava deste Ser Angelical, que até então em Manifestações anteriores não tínhamos visualizado detalhes e percebido a intensa vibração, que estávamos respectivamente vendo e sentindo naquele momento. E, em estado de graça apenas acompanhávamos os movimentos deste Ser, que parecia dançar, flutuando por todo ambiente e se identificando como uma Energia Consciente/Inteligente, porque entrou em sintonia/iteração vibratória com o dimensional que acessou a “Quinta Placa”, ao responder com sinais luminosos os movimentos que este dimensional fazia com a sua mão direita, como ele nos disse naquela ocasião.

Portanto, percebemos presenças de Seres Sutis que Se fizeram ali presentes naquele momento, “comungando”/interagindo conosco e, sobretudo, como já foi narrado, vimos com bastante nitidez o Ser de Pura Energia como uma “Bola Prateado-Intensa” e que no tamanho de uma bola de ping-pong Se movimentou pelo recinto. E, em dado momento este Ser parou a alguns centímetros do chão, ao lado do dimensional que acessou a “Quinta Placa” e a Sua imantação era tão forte que todos ficamos em profundo silêncio, apenas vivenciando aquele Momento Sagrado do “encontro de um Anjo” com cinco dimensionais ainda em sua condição de seres humanos. Não sabemos por quanto tempo ficamos assim – sem palavras.

Após este momento de total Harmonia alguns dimensionais começaram a relatar flashes luminoso-contínuos, que não conseguíamos visualizá-los porque proviam de um ponto acima de nossa cabeça e que rente à parede e junto à cabeceira do beliche desciam em nossa direção, focalizando e iluminando a pasta com esboço do livro que estava em nosso colo.

Em relação a esta ultima manifestação achávamos no início que esta luminosidade de forma circular, que se mostrou sobre a capa de plástico da pasta onde estavam os textos já digitados do livro, fosse algum reflexo de uma fonte luminosa externa. E, foi só quando afastamos a capa plástica para visualizarmos o conteúdo da pasta, que vimos que “está luz era especial”, porque a luminosidade não só continuava como ela penetrava por dentro das páginas já digitadas dos textos elaborados por meio da Alquimia do Pensamento – portanto, esta luminosidade não era de fonte externa e simbolicamente estava ali como indicar e aprovar o “caminho” que tínhamos escolhido, no sentido de passarmos Luz/informação a outros indivíduos – principalmente aos dimensionais inconscientes, para que em um outro nível de consciência-razão se despertassem.

Naquela ocasião éramos dois dimensionais de polaridade positiva e dois dimensionais de polaridade negativa e mais um dimensional que exercia a função de “ponto neutro” entre duas freqüências – a Angelical e a humana – e, portanto, através dele “funcionando como ponte” ou “portal vivo”, houve uma interação das Energias Angelicais Descendentes (do “Céu”) com a Energia Ascendente Vibracional ativa (da Terra) “inserida” nos dimensionais presentes ainda com os seus corpos físicos humanos.

Passado algum tempo que não sabemos medi-lo, fomos chamados do lado de fora para que reuníssemos com os outros dimensionais que estavam presentes na Fazenda Boa Sorte e fossemos todos para o restaurante, porque o gerador de reserva seria ligado e descargas elétricas poderiam nos atingir, já que alguns postes foram derrubados pela ventania e, portanto, os seus fios ainda estavam no chão.

Fizemos o que nos foi solicitado e ao sairmos do chalé, demoramos um pouco para entender o que havia acontecido lá fora. Os companheiros dimensionais narravam o acontecimento que vivenciaram em relação a um intenso vendaval. Constatamos surpresos os estragos externos causados pela chuva: árvores e postes da rede elétrica caídos no chão com os seus fios arrebentados, chalés com telhas quebradas e barracas alagadas ou postas no chão, entre outros estragos.

É importante mencionar que realmente nos desligamos do que estava acontecendo lá fora, porque dentro do chalé apenas vivenciávamos e comentávamos as Manifestações. Em relação a Elas “estávamos em encantamento divino”, portanto, não sintonizados na freqüência da terceira dimensão.

E, em relação a estes momentos devemos ainda levar em conta, o que escreveu o dimensional que acessou a “Quinta Placa” e que está em seu texto com o titulo “A Manifestação”.  “Ainda é bom mencionar que apesar de todos os cinco dimensionais terem visto fisicamente a Manifestação, cada um A viu/percebeu/decodificou de acordo com o seu grau de Luz/informação ou de sua consciência/razão”.

Concluindo, percebemos que neste encontro – para nós, Sagrado – interpuseram duas freqüências/forças, que no plano físico se mostraram pelo “mecanismo do dualismo” ou pela condição de estarem energeticamente em oposição, quando através do campo eletromagnético gerado, proporcionou para nós cinco dentro do chalé que vivenciávamos momentos de completa Harmonia, enquanto lá fora os outros nossos companheiros dimensionais vivenciavam literalmente uma destruição – mas, estas forças para o Plano Mais Sutil estavam em ressonância, se complementavam.

Portanto, nesta Manifestação Divina que fomos testemunha, que Se fez através da exteriorização de Corpos de Energia Conscientes de Altíssima Sutileza Vibratória e que Se valeu do intenso campo eletromagnético de um vendaval para se mostrar fisicamente no mundo da matéria, estava “embutido” todo um simbolismo que sinaliza o início da renovação/reconstrução que passa o Projeto Portal e que vai levar aos seus participantes a necessidade de vivenciar um Novo Tempo com mais Luz/informação ou com mais consciência-razão, para que possam paralelamente ter a independência e a responsabilidade de cumprir o seu compromisso missionário.

 

Translate »