Postado por

Era Dourada com a segunda vinda do “Avatar”

Era Dourada com a segunda vinda do “Avatar”
Print Friendly, PDF & Email

A palavra “Avatar” é na verdade um termo hindu, referindo-se à aparição (reencarnação) de uma divindade, que se mostra em corpo físico humano e que busca unificar e conduzir a humanidade.

Alguns dos “Avatares” mais citados são Krishna na Índia (3 mil anos a.C.); Lao Tse na China (1.300 a.C.); ao mesmo tempo, Moisés no Egito e Oriente Médio (1.291 a.C.), Buda na região do Nepal/Himalaia (600 anos a.C.); pouco depois, Confúcio no Nordeste da China (550 anos a.C.); logo em seguida, Sócrates na Grécia (469 a.C.); o próprio Jesus de Nazaré – O Cristo, na Palestina, como o “Propulsor” mais mencionado da agora “Nova Era”; Maomé (570 d.C.). Também Zoroastro ou Zaratrusta em sua época marcou sua presença orientando seus seguidores.


De cima para baixo e da esquerda para a direita Krishna, Lao Tse, Moisés, Buda, Confúcio, Sócrates, Jesus Cristo e Zoroastro foram alguns entre outros “Avatares”, que em suas épocas se mostraram como seres iluminados passando conhecimentos aos seres humanos, para que fossem gradativamente construindo sua história e nela dando seus saltos quânticos – Imagens da Internet.

Na história da humanidade sempre surgiu de tempos em tempos um enviado messiânico, para mudar o mundo. Chamaram-lhes de Messias, Mahdi, o Buda Maitreya e Kalki Avatar, entre outros e, o último deles “pelas profecias” unirá todos os povos, depois de ganhar a última batalha contra o mal da ignorância, para que na Terra seja construída a “Idade de Ouro”, com a humanidade vivendo uma ocasião de prosperidade, justiça e paz.

Segundo os cômputos maias, em 2013 começou “o sexto mundo”. E nestas ocasiões de renovação virá como sempre, um enviado especial para auxiliar a humanidade conduzindo-a fazer, o que deve ser feito.

Ele depois de muita peleja, se imporá e trará abundância para a humanidade e também iluminação mostrando Verdadeiro Sentido do Amor, quando criará as bases para uma sociedade mais fraterna – a ideal da “Era de Ouro”. Esta ocasião será marcada por valores já esquecidos, que serão também revividos como a Boa Nova de Cristo e que budismo os associa aos de Buda Maitreya.

Como já foi mencionado, no hinduísmo o “Avatar” é uma encarnação de um Deva (Deus), trazido do Céu e mostrando-se em corpo humano na Terra. Esta sua “descida” à realidade física é geralmente traduzida do Inglês com o sentido mais de “encarnação”, mas deve ser entendida com mais precisão como presença de uma divindade que fisicamente se manifesta. “E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus – Lucas: 1,31.

Este novo “Avatar” marcará a “Era de Paz. Ele indisporá contra o atual sentimento de antagonismos e de disputas, que não devem mais existir neste “Novo e Dourado Ciclo”, com os seres humanos possuindo comportamentos mais fraternos, conduzindo-se por maior senso de cooperação.


Os hindus e maias não foram os únicos mencionarem o final de um ciclo. Outras crenças também esperam por ele e início de outro conduzido por aquele, que “montado em seu cavalo branco” construirá o mundo ideal. – O “Reino dos Céus” na Terra – Imagem da Internet

Este guerreiro do bem que conduzirá a humanidade para a “Era Dourada”, se mostrará liderando a construção de “novo ciclo de vivência e de experiência” na Terra. Ele “montado em seu cavalo branco”, vindo de realidades mais vibráteis/sutis onde as amarras do tempo não as alcançam, se mostrará à humanidade como destruidor das trevas e restaurador da concórdia, aniquilando a ignorância depois de grandes transformações geofísicas na Terra.

“Porque o Filho do Homem no seu dia será como o relâmpago, que brilha e ilumina o céu de um lado ao outro. Mas primeiro ele terá que padecer muitas coisas e ser rejeitado por esta geração.” – Lucas 17:23-25

Forças de eventos regidos por outras leis além as do mundo físico, com elas o que é chamado de “arrebatamento”, acontecerá com aqueles ainda em corpos físicos (vivos) juntos àqueles já sem eles (mortos). Eles em seus campos de energia passarão por “triagem vibracional”, que com ela “medidos em seus corações e em suas mentes e venceram o mundo”, passarão a ter em definitivo seus corpos físicos transmutados/“glorificados”.

Preparando-se para esta ocasião, os que estão ainda em corpos físicos (vivos), devem tê-los já suficientemente sutilizados, para que tenham mais facilmente condições de revivê-los/ressuscita-los em corpos de luz, já totalmente transmutados. E os que já fizeram sua passagem (mortos) devem já estar na frequência dos ascensionados, para a partir dela possam também alcançar planos de realidades ainda mais vibráteis, de mais luz.

Pelas tradições cristãs o Segundo Advento se dará através de um incidente repentino e inconfundível como um relâmpago, com “ele vindo novamente em glória para julgar os vivos e os mortos, e seu reino não terá fim” Mateus 24:27


A segunda vinda de Cristo se dará através de um incidente repentino e inconfundível como um relâmpago – Imagem da Internet.

Neste novo ciclo civilizatorio que já se esboça, começam a surgir informações que de fato esclarecem oriundas de mundos paralelos, como as da aproximação das ondas moduladoras, que com elas vai paralelamente  aproximando o previsto Segundo Advento ou Parúsia (do grego Παρουσία), com presença na realidade física de forças cósmico-divinas.

Portanto, os pesquisadores e possuidores de informações oriundas das realidades paralelas (dimensionais) sabem, que as referências sobre este evento são mais que menção místico-religiosa. Para eles (com outra interpretação), quase certo será um acontecimento real através de “portais”/vórtices energéticos, que comunicam mundos mais sutis/vibráteis ou “celestiais com o mundo humano e denso da terceira dimensão.


O acontecimento da madrugada do dia 17 para 18 de março de 2019, no Recanto de Havalon, Corguinho/MS, pode ser considerado (pelos pesquisadores de Dakila) início da Era Dourada, quando no meio de grande massa de nuvens sincronizada com o “1º Anel”, viam-se silhuetas, luminosidades e raios finos em direção aos presentes. Um “fenômeno” que foi aparentemente natural, mas não se mostrou dentro de leis físicas para a terceira dimensão, irradiando aos participantes “banho de luz” de intensa energia, principalmente àqueles mais compatibilizados à mutação genética ou, aos mais jovens como “geração dourada” que possuindo objetivo definido neste ciclo, proporcionam-lhes prolongamento eterno de suas vidas através de tecnologias como esta irradiação (salto quântico), que lhes foi enviada – Foto de Dakila Pesquisas.

Algumas correntes esotéricas acreditam que o Segundo Advento se configurará por valores mais profundos da alma com seu sentido mais “espiritual”, metaforicamente sobre ele mencionando-se, como o Sol pode romper a escuridão das nuvens, o significado profundo da ”Palavra” pode também brilhar na mente e no coração das pessoas.

Mas, para os pesquisadores e possuidores de informações dos mundos paralelos, a ocasião associada a esta “segunda vinda” já está gradativamente aproximando, mas com outra percepção e explicação, através de “fenômenos” cósmico-divinos que já estão se mostrando.

Entretanto, independente de interpretações diferentes ambos fazem distinção entre o Jesus de Nazaré – o homem possuidor de habilidades mentais paranormais e o Jesus de Nazaré – O Cristo, com sua Verdadeira e Especial Natureza Multidimensional, inerente a sua Natureza de Ser Sutilizado/Divino.


Jesus de Nazaré – O Cristo, possuidor de natureza divino-humana e multidimensional – Imagem da Internet

As fontes de informação que existem sobre o Jesus de Nazaré histórico como Mensageiro de Deus, superam em muito o que se tem para o “Avatar” Buda. O primeiro com inúmeras fontes pode-se ter dele um retrato mais confiável, como as informações do historiador judeu Flávio Josefo, Tacito, o sátiro grego Luciano de Samósata, o filósofo sírio Mara Bar-Serapion, o historicista samaritano Talo e o autor grego de Caria Flegão, entre outros.

Para a doutrina budista a verdade que nela se insere com seu sentido eterno, não depende da historicidade de Gautama – o Buda. Se ela é verdadeira ou fictícia, isto para os budistas faz pouco para desacredita-la. Portanto, é diferente a historicidade de Jesus de Nazaré – O Cristo, que é intrínseca ao cristianismo, à fé cristã. Sem Jesus de Nazaré não há o cristianismo.

E, a fé cristã tem seus pontos centrais assentados na crença da ressurreição/transmutação e no porquê dela. São estes dois pontos centrais impulsionadores àqueles, que se conduzem suas vidas com estes propósitos.

Não há registro histórico confiável para Buda ou para qualquer outro personagem que se tenha ressuscitado, ou aparecendo densificado depois de sua morte. Somente para Jesus de Nazaré esta singular experiência ficou bem estabelecida desde o início do cristianismo, registrada como fato histórico mencionado também pelos seus apóstolos e pelos seus discípulos, que com ele mais de perto conviveram.

Os escritos do Novo Testamento aparecem cerca de 50 ou 51 depois de sua morte, com os primeiros deixando apenas uma pequena lacuna de 17 a 21 anos a partir do momento de sua crucificação. E o último livro Apocalipse está dentro de um período entre 60 e 65 anos

Gautama – o Buda não insistiu que era um ser divino. Preocupou-se em relação à vida e nela com o sentimento de sofrimento dos seres viventes, ensinando os humanos como elimina-lo. Mencionou que era preciso viver uma vida de moderação e autocontrole e assim, alcançar um estado mental de felicidade e emocional de bem-aventurança (nirvana), sem mais a necessidade de renascer em repetidas vidas de sofrimento.

Jesus de Nazaré- O Cristo já se identificou em sua divindade como o “Filho Primogênito do Pai”, com tarefa de salvar os seres humanos, que deveriam tê-lo como exemplo e como único meio de salvação, amando a Deus e seus semelhantes, já arrependidos dos males feitos.


Jesus de Nazaré – O Cristo diferentemente de Gautama – o Buda, se identificava em sua divindade inserido em uma Trindade Divina e, nela como o “Filho Primogênito do Pai” possuía a tarefa de salvar a humanidade – Imagem da Internet

Jesus de Nazaré um monoteísta reivindicou sua especial condição associada a único Deus, mas fazendo parte de uma Trindade Divina, que com ela convenceu muitos por meio de seus “milagres”. Também enfatizou sua autoridade divina através de seus ensinamentos, visivelmente voltados à ressurreição.

O historiador judeu Flávio Josefo afirmou que Jesus era conhecido pelas maravilhas (“milagres”) que realizava e, tanto pelos seus seguidores, quanto pelos que se opunham a ele e pelas demais pessoas das aldeias circunvizinhas. Isso leva a supor por razões históricas e especialmente devida à extrema precocidade dos relatos, que Jesus de Nazaré era realmente “fonte de milagres”.

“Milagres” que os pesquisadores e possuidores de informações das realidades paralelas (dimensionais) sabem, que Jesus de Nazaré com sua Consciência e Sabedoria Divinas tinha pleno domínio mental do “circuito energético-vibracional” também chamado de “Santíssima Trindade” e ainda conhecido como “Pai/Filho/Espírito Santo”.

Utilizando-se deste circuito energético, ele realizou tarefas voltadas à humanidade através de seu pensamento/desejo/vontade, conduzidos respectivamente pela sua consciência divina/bioplasma/energia crística (kundalini) e respectivamente ainda manipulados aos níveis das frequências da quinta/quarta/terceira dimensões.

Aqueles que já não mais se sujeitam a serem empurrados por crenças com conceitos dogmáticos, se conduzem agora impulsionados com novos conhecimentos, já sabedores que “ter fé”, é ter foco, é se voltar mentalmente para um objetivo, desejando-o profundamente e realiza-lo.  É saber verdadeiramente caminhar com suas próprias pernas.

Para isto eles já sabem, que devem se direcionar mentalmente à frequência da quinta dimensão com a força de seu pensamento, para que possam com ela movidos por desejo profundo na frequência da quarta dimensão ou, já no mundo do bioplasma começarem a plasmar nesta frequência de realidade o que é chamado de “milagre”, para depois já na realidade física (terceira dimensão) possam mostra-lo finalizado, mostra-lo finalmente já materializado pela sua vontade.

Eles entendem a verdade contida em Jesus de Nazaré – O Cristo, ao dizer àquele que o curava, não foi ele que o tinha curado, mas: “tua fé te curou”. De fato, ele apenas potencializava o campo de energia deste doente, para que seus vórtices de energia (chakras) entrassem em funcionamento de maneira harmônica e pudessem energeticamente acelerar, para este enfermo agora ele próprio se potencializando, realizasse seu “milagre”, portanto sua própria cura.

Também, quando ele dizia ao enfermo depois de curado, “vá e não peques mais”, ele mais em sentido energético-vibracional e não em sentido moral de julgamento queria dize-lo, não desalinhe mais seus vórtices (chakras), não saia mais de sua frequência de equilíbrio (Linha B de suas Três Linhas da Vida), para que que não mais adoeça.


Jesus de Nazaré – O Cristo, em seus milagres apenas potencializava o campo de energia do enfermo, para que ele mesmo realizasse seu “milagre” – Imagem da Internet

Como os “relatos milagrosos” referentes a Buda são tardios, muito provavelmente não são históricos mesmo desde os primeiros textos budistas. O Pāli Canon (coleção mais antiga de escrituras sobre a tradição budista) aparece mais de 450 anos depois de sua morte, e este intervalo de tempo permite enfeites imaginados no núcleo histórico da obra.

Diferentemente como dizia o Buda, Jesus de Nazaré deixava transparecer que o problema intrínseco ao ser humano, era mais significativo do que apenas a supressão de desejos e de posses. Para ele o ser humano é intrinsicamente prisioneiro da realidade física.

Prisão pela sua própria estrutura físico-corpórea constituída de átomos com energias/forças opostas nele interiorizadas, impulsionando-o ao antagonismo, “estimulando-o à rejeição instintiva dos caminhos de Deus” ou, da energia que soma, unifica através do Sentimento do Amor. Por isso sua imensa paciência, compreensão e compaixão com o ser humano.

Todos os “Mensageiros Divinos” que vieram à Terra, transmitiram ensinamentos semelhantes com o propósito de melhorar a vida de todos, aconselhando relações humanas mais justas, menos conflitantes.

Mas, entre eles se mostrou (ainda mais se mostrará) o mais iluminado, dotado de sabedoria em sua conduta, conhecedor das leis do universo físico, da multidimensionalidade e como condutor especial dos seres humanos revelou-lhes outras e diferentes verdades com seu sentido de verdade eterna.


Entre os Mensageiros de Deus mostrou-se aquele entre os demais o mais iluminado, o mais divino – Imagem da Internet

Os seres humanos geram em suas mentes e corações energias densas, que não são capazes de dissolvê-las sozinhos, produzindo impasses irremediáveis, que vão contra o plano divino para a Terra, conduzido por Leis Universais.

Assim, tal como os pais zelosos que cuidam de seus filhos, para que cresçam e se conduzam para compromissos formais e não formais na vida, vizinhos e amigos dos seres humanos (dimensionais) em realidades paralelas, por já terem alcançados a síntese entre o real e o ideal e entre o hoje e o amanhã, os acompanham e às vezes esperam “eóns”, para que evoluam e possam por eles mesmos se liberarem e assim se identificarem cosmicamente – se perceberem como seres universais e multidimensionais.

“Se eu não fizesse o meu trabalho, estes mundos seriam destruídos. Se originaria um grande caos e todos os seres se extinguiriam. ” Bhagavad Gita, III, 24

Os seres humanos criam problemas suficientes para si mesmos, que não conseguem deles se livrar e, nem seus vizinhos e amigos em mundos paralelos pretendem fazer isto por eles. De maneira mais constante apenas lhes passam sutis e intuitivas orientações, para com elas possam com mais equilíbrio emocional, seguirem evoluindo no mundo físico.

Passam-lhes orientações para que possam ir abrindo brechas no sectarismo e na competição, que estão neles inseridos pela própria natureza de sua condição humana, que os estimula procedimentos com sentimentos de dualidade, de competividade e que deles não conseguem (emocionalmente) se libertar, às vezes se escudando em utopias como sonhos irrealizáveis.

Conhecimentos e poderes que são passados aos seres humanos, mas que os afastam de sua Fonte Original Propulsora, vão moldando para eles poderosa sombra, que vai contribuindo para seus inevitáveis ciclos civilizatórios de reciclagem.

O budismo ao analisar o aparecimento da “Nova Raça” e o hinduísmo ao avaliar o surgimento da “Nova Era”, são duas percepções que se afunilam direcionadas em um mesmo sentido, que se mostra hoje mais definido como um “novo tempo” sem tanto mais de estagnação mental. Aqueles que se acham nele inseridos, mostram-se mentalmente com mais dinamismo, são mais criativos e mais propícios à realização da “Era Dourada”.

As crianças deste “novo tempo” em frequência mental sintonizada à “Energia Dourada”, vieram com a tarefa de ajudar a remover a miséria no mundo em todos os sentidos, agindo com sabedoria, informação, inteligência, companheirismo, honestidade e também, com o sentido de prolongamento eterno de suas vidas.

Estas sementes douradas que agora germinam e crescem em terra fértil”, já têm gravada em seu subconsciente a tarefa, de construir uma nova civilização marcada por sentimentos e procedimentos de nobreza, que mudarão conceitos e valores, desfazendo paradigmas. E nesta ocasião (março de 2019) já são três gerações com genética modificada: os jovens que hoje tem entre 18/20 anos; crianças que estão entre 8/9 anos; os que estão nascendo agora.


As crianças que agora nascem já têm registrado em seu subconsciente, que formarão uma nova civilização, como novos conceitos e valores – Imagem da Internet

Não só o budismo menciona a “Nova Raça” e o hinduísmo a “Nova Era” para os tempos atuais, também a Teosofia cita neste recomeço para a humanidade junto com a vinda do “Avatar”, os surgimentos da “Sexta e Sétima Raças” que florescerão respectivamente no Norte e no Sul do Continente americano.

A “Sexta Raça” caracterizará pelo seu desenvolvimento espiritual, pela aquisição do sexto sentido, clarividência e por suas tendências unitárias. Ela emergirá onde atualmente se acha a América do Norte.

A Sétima Raça caracterizará pela sua completa sutileza mental/”espiritual”, pela aquisição do sétimo sentido/clarividência e pela sua profunda e intuitiva percepção do Pleno Sentido de Unidade. Ela florescerá onde se acha atualmente a América do Sul, centrada principalmente no Brasil.

O hinduísmo acredita na proximidade de Deus  com os humanos. Ou, Deus manifestando si mesmo em forma humana e mesmo em outras formas, para direcionar e proteger a humanidade.

Para esta crença do hinduismo o termo advaita significa a não-dualidade, portanto este termo é simbolicamente usado para indicar a íntima unidade entre o Absoluto (“Ser”) e os seres viventes e, que estes não existem  fora do “Dele”. Portanto, o “Ser” e os seres viventes  não são dois, mas  também não são um. Estão intimamente relacionados, mas sendo eles próprios.

Assim, é mais facil para o hinduismo entender como uma relação advaita o sentimento cristão, quando Jesus de Nazaré disse: “O Pai e Eu somos um” (João 10,30). Nesta sua menção está subtendida a relação advaita entre ele, e o “Pai”, que também se estende aos demais quando menciona: “Como Tu, Pai, estás em mim e Eu estou em Ti, possam também eles estar em nós  – João 17,20.

Para os cristãos Jesus de Nazaré em sua forma humana é possuidor de Consciencia Cristica Divina e, em seu desejo profundo (“fé”)  buscam nele Deus em forma humano- divina. Portanto, para os cristãos existe esta experiência mental (e emocional), compreendendo Jesus de Nazaré ao mesmo tempo humano e divino ou, como Deus que se tornou parte do mundo unindo-se à matéria através de seu corpo fisico.

Hoje o progresso da ciência e da tecnologia trazem novas informações e conhecimentos, consequentemente trazendo também  expansão da consciencia. Neste nivel evolutivo seres humanos especiais, mentalmente criativos e “posicionados em cena”, chamados para ela por eles mesmos, conduzem-se com clareza de sentimentos no intuito de “construirem um novo céu e uma nova terra” -. Apocalipse 21,1-5.

O homem vivo é a glória de Deus” quando participa, soma e age ajudando a construir a coletividade sem amarras da ignorancia – por conhecer, por saber. Aquele realmente vivo mostra-se em harmonia e fraternidade, agindo com a verdadeira percepção do Sentido de Unidade. “O Filho do Homem não perguntará sobre a fidelidade ao ritual religioso, mas sobre como as pessoas ajudam os necessitados”- Mateus 25:31-46.


O Segundo Avento será solene e glorioso. Ele virá para colher o que plantou na glória de seu Pai com os santos anjos”, “com todos os seus santos” , “com grande poder e majestade” “em uma chama de fogo”, “no trono da sua majestade” – Imagem da Internet

“Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerras. Olhai, não vos turbeis; porque importa que estas coisas aconteçam, mas não é ainda o fim. Porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá pestilências, e fomes, e terremotos em diversos lugares. E todas estas coisas são o princípio das dores” – Mateus 24:6.

O “velho tempo” já está em seu final, para dar inicio ao “novo tempo” , que nele se mostrarão “os que se escolheram” para a tarefa de dar vida a “Era Dourada”, de construi-la com firmeza e  persistencia, tendo foco no que pensa, para realiza-la como ideal cósmico-divino.

A mentalização é importantemente eficiente quando se pensa de maneira positiva, para que materialize o que se almeja. Aquilo que alguem colhe na vida, é o reflexo  persistente do que ele pensa e age ou, da energia que gera/mentaliza em seu campo e que agindo como um imã,  atrai resultados ao seu favor ou contra.

Aquele que consegue materializar o que pensa, sabe direcionar sua vida, controlando  situações que o levam a viver de maneira mais plena sem perda de energia ou, sem sentimentos de sofrimento pelos objetivos alcançados.

Entretanto, a mentalização quando não corretamente gerada e direcionada magnetiza e fortalece o eu individual – o “ego”, formando quadros mentais, que magneticamente atraem mais realizações de desejos materiais e, se conduzidos de maneira egocêntrica, não permitem a assimilação de sentimentos mais amplos e verdadeiros de realização.

A meditação em seu real processo (mental) de interiorização, não é se deixar conduzir pelo relaxamento físico prazeroso, muitas vezes confuso e até mesmo ocioso. É se deixar conduzir de fato pela oração – ou, pela ação mental vibrátil/celerada de um cocriador momentaneamente em sintonia direta com a Fonte Consciente Universal e Criadora.


Conduzir-se de fato pela oração, é se conduzir pela ação mental vibrátil/celerada de um cocriador – Imagem da Internet

Tanto a mentalização quanto a meditação possuem maneira de se chegar a elas. No primeiro caso o corpo e a mente estão não só despertos, mas também estão acelerados e, no segundo caso apenas o corpo está relaxado, mas não a mente. Nestes dois momentos devem estar sempre presentes os sentimentos e vibrações de alegria, satisfação e realização, entre outros sentimentos positivos.

A vida do ser humano e suas necessidades físicas não se manifestam apenas no plano físico, estão paralelamente em sintonia vibracional (mental-emocional) com outros planos de realidade através de seus outros corpos, para que sua caminhada vá acontecendo de maneira mais completa, mais inteira.

A verdadeira caminhada é aquela que seu condutor a realiza sem medo, movendo-se pelo autoconhecimento, que com ele percebe suas verdadeiras possibilidades, pesa defeitos e qualidades em uma aceitação de si mesmo, livrando-se do que nele não é autentico, do que não é de sua essência.

Aquele que já possui consciência de sua condição de um cocriador, já começa (mentalmente) a projetar seus desejos e a cria-los a partir de si mesmo. Está mais dinamicamente inserido em sua caminhada, buscando-se cada vez mais evoluir. Ele já está realmente caminhando com suas próprias pernas.

Ele já percebe com sua mente e coração, que viver mais próximo à plena harmonia, é na vida se aceitar amorosamente e seus semelhantes. É preservar a autoestima para poder seguir sua caminhada, corrigindo rotas se necessário e se fortalecendo pelo sentimento do Amor, que é receptivo ao perdão.

Ele já tem noção que o Amor sem cobranças é a conexão com a Verdadeira Vida. É o elo constituído de energia divina, unindo um ao outro e unindo todos à Energia Suprema/Deus.


Ao se buscar, se perceber como cocriador através da mentalização tanto o corpo e a mente estão acelerados, enquanto através da meditação o corpo está relaxado, mas não a mente – Imagem da Internet.

“Deus não joga dados, Ele é a Lei e o Legislador do Universo. A religião cósmica é o móvel mais poderoso e mais generoso da pesquisa científica, ela no futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia. O homem erudito é um descobridor de fatos que já existem, mas o homem sábio é um criador de valores que não existem e que ele faz existir. A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Tudo aquilo que o homem ignora, não existe para ele, por isso o universo de cada um se resume ao tamanho de seu saber” – Albert Einstein

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro, então deixo de pensar e mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela. Conhecimento auxilia por fora, mas só o amor socorre por dentro. Triste época, é mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito. Os problemas significativos que enfrentamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando os criámos. A distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão teimosamente persistente. Se os fatos não se encaixam na teoria, modifique os fatos” – Albert Einstein


Albert Einstein (Ulm/Alemanha, 14 de março de 1879 — Princeton/EUA, 18 de abril de 1955) – Físico idealizador da Teoria da Relatividade –  Imagem da Internet

Os pesquisadores de Dakila preparam-se para esse “novo tempo”, inserindo-se pelo coração e mente em um novo ciclo – “Era Dourada”, associado à vinda do “Avatar” por eles já percebido como o momento do “Acordo”, que a partir dele puderam acontecer suas interações com 49 dirigentes das realidades paralelas, recebendo e assimilando de alguns deles informações, conhecimentos e tecnologias.

A partir deste momento estes pesquisadores começaram a vivenciar “novo tempo”, assimilando informações da Boa Nova de Cristo e com elas procedendo.


“A Pedra da entrega” sobre ela foi colocado o “Livro da Aliança” na presença de Divindades. Este local foi definido depois de longa e inicial busca pelos “ultras” e com a sinalização final dos “elementais”. Nesta pedra aconteceu a realização do “Acordo”, no dia 30 de março de 2013, entre 03h00min e 04h30min e, nele através do “Livro da Aliança” foram inseridas verdades originadas da Pura Essência Divina como novos direcionamentos adaptados à realidade humana, que nortearão os seres humanos nos próximos 5.125 anos, trazendo-lhes ainda reflexos para um longo período de 26.800 anos. Mais informações no texto: Entrega do Livro da Aliança, neste Site – Foto de Antônio Carlos Tanure

Os pesquisadores de Dakila terão à sua disposição uma nova tecnologia (quântica), para análise não só de sua saúde, mas também para demais averiguações. Por enquanto continuam utilizando a máquina que fotografa a sua aura externa. Estas analises são importantes, porque “medem” seu padrão evolutivo através de suas Três Linhas ABC da Vida.

A Linha A relacionada à intensidade da energia representa tudo o que não se quer, mas nela mentalmente se posicionando no sentido de se reciclar frente ao não desejado. Neste caso a quantidade de energia armazenada como potência (intensidade) do pensamento que se emite, é que determina o resultado de um fato ou, do que foi programado como “tecnologia mental”. Nesta Linha que se encontra a capacidade em manipular as habilidades mentais e paranormais, o que não é comum.

A Linha B, Linha do Meio ou da Neutralidade está relacionada à velocidade do pensamento ou, ao tempo que se gasta para realizar o que se deseja. Representa a capacidade mental que se possui para manipular as energias de pensamentos negativo e positivo, respectivamente nas Linhas A e C. Esta Linha traz a vibração, que em sua frequência realiza-se os desejos, como tarefas, projetos, etc.

A Linha C relacionada como a mente atua na matéria, representa o positivo, portanto o que satisfatoriamente se deseja no mundo físico.

As Linhas A e C identificam pelo filtro da Linha B os senhores/as de seus próprios destinos.

E, a intensidade da energia, velocidade do pensamento e como a mente atua na matéria no instante do que foi pensado e desejado – Linhas ABC, que determinam o sucesso (ou não) do que foi mentalizado.


Os pesquisadores de Dakila na passagem da “Nave GNA”, precisam agora só pressionar por cinco segundos suas têmporas com os dedos indicador e médio, para potencializarem sua energia/força mental, que com ela através de seus pensamentos a direcionam para o que desejam – Imagem de Dakila Pesquisas

Como já foi mencionado, a intensidade da energia (Linha A) e mais a velocidade do pensamento (Linha B) geram a frequência de cocriadores (semideuses), que muitos em Dakila já a possuem. Mas, o ideal são as Três Linhas vibrando ao mesmo tempo, portanto junto com a Linha C que incorpora os sentimentos positivos de alegria e de felicidade, entre outros.

Com estas três linhas vibracionalmente destacadas, fica ainda mais fácil, se estabilizar emocionalmente na frequência de kundalini em espiral (sublimada), que é a frequência sexual ativa gerada através dos sentimentos de cumplicidade/carinho/amor entre polaridades opostas. Casais em harmonia (marido/mulher), mas também sem necessariamente envolver sexo, como pai/filha, mãe/filho, irmão/irmã, amigo/amiga, etc.

A partir do momento que alguém estiver em sintonia mental com as Três Linhas da Vida destacadamente estabilizadas, ele já emana uma intensa onda que produz e modula fluorescência corpórea.

E, se ele for pesquisador de Dakila já executando de fato suas tarefas e se necessitar de informações especiais, terá sincronicidade com os mundos paralelos para obtê-las em qualquer lugar, às vezes de maneira até mesmo física e não só de forma mental-intuitiva.

O pesquisador de Dakila está agora em um novo ciclo energético-evolutivo, está sendo ajustado pelos mundos paralelos, para que já tendo uniformizadas suas atividades cerebrais, possa auto modular e manipular seu próprio campo energético, inclusive, para que se favoreça em suas habilidades mentais de efeitos físicos (fenômenos).

Ele está também agora, direcionando seus estudos principalmente aos corpos celestes Sol e Lua não só pelo enfoque astronômico, mas também se conduzindo por informações dos mundos paralelos, que procuram comprova-las no Centro Tecnológico Zigurats (CTZ), muitas delas associadas à mudança de ciclo que por ele está passando a humanidade e a Terra.


Observatório do Centro Tecnológico Zigurats (CTZ), em Zigurats – Imagem da Internet

Os pesquisadores de Dakila com conhecimentos da ciência paralela sabem, que a Lua influencia os homens e o Sol as mulheres, daí a Era Dourada representada por elas.

A energia da Lua e a do Sol são dois extremos, portanto a “luz” dela é diferente da “luz” dele, mas não como a ciência astronômica diz, que ela ilumina refletindo a “luz” dele. Estrelas, Sol, Lua, e “planetas” não são o que normalmente se sabe deles.

O “2º Anel” através da Lua é a entrada e saída desta dimensão e o Sol (Vórtice) é entrada e saída não só dela (3ª dimensão), mas de outras infinitas dimensões.

Outros corpos celestes comandam “2º, 3º e 4º Anéis”, mas através da Lua que acontece o teletransporte ou, que se adquire “o passaporte” para “1º e 2º Anéis”. Por isso, por ela (sua energia/frequência) passam aqueles que já perderam seus corpos físicos (faleceram), para que aconteçam sua “purificação” e sua destinação. Também pela sua energia que se dá a entrada das projeções mentais, astrais e físicas”.


A real energia/luz do Sol e da Lua e de outros corpos celestes é do conhecimento da “ciência paralela”, mas não sendo ainda da ciência oficial, estimula sentimentos de encantamento e de magia, como os na presença de Stonehenge/Amesbury, Inglaterra – Imagens da Internet

A ciência oficial apenas aceita como verdade, o que os cientistas com seu raciocínio logico também a aceitam, induzidos e conduzidos pelos seus sentidos normais, próprios à realidade física com suas leis que as vivenciam em condição humana.

Portanto, eles não aceitam como verdade cientifica a ciência de outras e paralelas realidades com suas leis, que não são mais alcançáveis pelo seu raciocínio logico voltado à realidade física, que nela experienciam limitados pelo auxilio apenas de cinco sentidos, entre outros milhares que possuem.

O que está fora de sua análise cientifica vista/medida/conduzida pelo seu raciocínio, é desqualificado como imaginação, fantasia, ficção cientifica e outras desqualificações, apesar de ultimamente a mecânica quântica vem lançando indagações sem respostas, sobre o que até então era verdadeiramente sólido para a ciência tradicional.

De um outro tempo e de um outro ciclo civilizatório existem inúmeros sítios arqueológicos em ruinas espalhados por toda a Terra. Registros da presença de seres inteligentes de outras realidades, de outros mundos possuindo uma ciência mais avançada que a humana mesmo a de hoje, o que fazia os nativos destes locais naquela ocasião, sem possuírem a correta compreensão de suas presenças, os terem como deuses e o uso de suas tecnologias como manifestações divinas.


Inúmeros sítios arqueológicos em ruinas por toda a Terra registram em outros tempos e em outros ciclos civilizatórios, presenças de seres não humanos possuidores de uma ciência tecnologicamente mais avançada, que com ela foram considerados deuses – Nove primeiras imagens da Internet e as duas últimas de Antônio Carlos Tanure

Uma “ciência paralela” com novo patamar de investigação da realidade multidimensional, além da ciência convencional (chamada também de paraciência), dela têm conhecimento os pesquisadores de Dakila através de informações recebidas de realidades paralelas, que lhes fornece vasto conteúdo investigativo, podendo até ajudar a desvendar, o que é ainda obscuro para ciência oficial.

Muitas Informações da paraciência que eram do conhecimento de antigas civilizações a muito desaparecidas, agora começam a ser resgatadas. Algumas delas através de Dakila Pesquisas serão passadas no formato de quatro documentários: 1) A Terra Convexa (já transmitido), o Sol, a Lua e os Astros; 2) Origem da Humanidade, por que as raças, as cores de pele, etc.; 3). Jesus Cristo; 4) Deus.

Os efeitos das ondas moduladoras já estão se intensificando, que com eles vão se somando as presenças e atuações da Lua e do Sol, ajudando a provocar mudanças já esperadas para a Terra e para a humanidade. Mudanças que sempre estiveram também presentes através de “narrações profetizadas”, em conteúdos quase sempre místico-esotéricos.

Em consequência destas mudanças se encaixam em parte as dos efeitos climáticos, que estão também cada vez mais se intensificando, mas ainda não de forma globalizada. Entretanto, nos locais onde acontecem os estragos, eles são intensos.

Aqueles que estão cientes desta ocasião devem ter cautela, precisam precaver em todos os sentidos. Devem através da alimentação saudável armazenar minerais em seu corpo, para se resguardem de radiações vindas do espaço, que poderão lesar as membranas de suas células.

Devem cuidar de seus corpos físicos também com exercidos, mas cuidar ainda de seus “outros corpos” mental, emocional e “espiritual”, pensando e agindo em sintonia às Leis Universais.

Devem remover mentalmente pensamentos e atitudes incorretos/desarmônicos por serem “poluentes” à sua alma e dispersores de sua energia.

E, em Dakila a ocasião é especial para os grupos Luz, Alquimia Sublimação e Propagação vivenciarem e constatarem o valor de compreender, se conduzir pelo entendimento, respeitar e agradecer. Sentimentos que mentalmente reforçam o proceder sem interferências motivadas por diferenças, preconceitos e disputas.

Com este pensar e agir é o momento de todos arregaçarem as mangas e mostrarem mais participativos consigo mesmos e com os de fora. Todos se mostrarem mais verdadeiramente inteiros.

Especialmente devem voltar mais atenção à “Perola do Universo” –  à Cidade Zigurats, que precisa ter suas estradas melhor preparadas, possuir suficientemente agua e energia elétrica, para que tenham mínimas condições de viver os que nela já residem e receber melhor aqueles que a visitam.


Zigurats precisa que tenha suficientemente agua e energia elétrica, dando condições mínimas àqueles que lá já fixaram residência e receber melhor aqueles que a visitam – Imagem da Internet

A tecnologia do magnetóide entre outras já passadas pelos mundos paralelos aos pesquisadores de Dakila, deve ser utilizada com responsabilidade ao objetivo almejado. A sua frequência fica em seu plasma sanguíneo, ajudando-os no desenvolvimento de suas habilidades extra-sensoriais, portanto com possibilidade de irem potencializando as mais de quatro mil habilidades mentais que possuem.

Esta tecnologia ingerida por eles e assim inserida em seu campo energético, transforma-se em “ferramenta”, que neles fisicamente interiorizada os potencializa. Portanto, é muito importante que estejam em estado mental de neutralidade, gerando equilíbrio emocional ou, conduzindo-se por sentimentos de tranquilidade e de harmonia, não geradores de conflitos.

Salientando-se, precisam ainda ficar mais zelosos com seus corpos, ingerindo o menos possível toxinas, para que possuindo mais carga elétrica, se tornem literalmente mais iluminados.

Este deve ser o foco, para que entrem na tecnologia mental da Boa Nova de Cristo, que com ela a matéria vai se transformando em energia, como Jesus de Nazaré – O Cristo deu o exemplo, ao alcançar a vida eterna através da ressurreição – ou, o reviver de seu corpo.


Jesus de Nazaré – O Cristo deu o exemplo como alcançar a vida eterna, ao reviver seu corpo – Imagem da Internet

A energia do magnetóide estimula o pesquisador de Dakila à fusão com o Plano A, que serve para lhe trazer através do entendimento a abundância e a prosperidade. “Dinheiro traz dinheiro, inteligência traz facilidade” e sabedoria traz iluminação. “Daí, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” – Mateus 22:21.

Aquele que está em sintonia à frequência mental do Plano A, “tem tudo”, porque com ela traz uma gama de outras frequências, principalmente à Energia Feminina que é a frequência da “Era Dourada”.

Com este Plano a solução está ao alcance de cada um através do entendimento mais correto, mais universal, diferente daquele por interesse pessoal. Com este discernimento voltado ao Plano A ele já sabe, que “a solução está em suas mãos”, podendo alcançar a condição (frequência) de contribuinte ou, outra mais além de investidor e outra indo ainda mais distante de multiplicador.

Inicia-se para os pesquisadores de Dakila um novo ciclo com novas maneiras de interagir com as realidades paralelas, independente se nestas interações as conversações se deem às vezes de forma direta-verbal ou de forma mais constante mental-intuitiva.

E, paralelamente com este ciclo que para eles inicia, vivenciarão a experiência mental da “comunhão dos santos” ou, aquela quando só um olhar no olhar do outro, os dois sabem o que tem de ser ou, o que um precisa do outro, para o que ainda vai ser.

É a ocasião da sincronicidade da atividade cerebral, da conexão direta entre aqueles que já atingiram certa frequência mental para assim agirem e poderem fazer a leitura (mental) do campo um do outro. Principalmente é o momento, daqueles que já podem melhor se mostrar como fagulhas/faíscas divinas da Criação – como “pedacinhos” da Frequência Criadora.

A Energia Suprema é Todos e Tudo. Está nos seres vivente e inanimados, no contexto geral está como A Manifestação, regendo Leis Universais.

Em corpo físico Jesus de Nazaré – O Cristo, foi a partícula de vibração mais intensa enviada à Terra para conviver entre os seres humanos e lhes passar sua tecnologia mental, ensinando-a como a Boa Nova.


Jesus de Nazaré – O Cristo, veio à Terra para passar sua tecnologia mental aos seres humanos. Ensinando-os a sua Boa Nova, que com ela podem reviver (ressuscitar) seus corpos físicos, já transmutados literalmente iluminados – Imagem da Internet

O momento é ir em frente sem medo. Se ele existe é pela falta de conhecimento ou do não seu entendimento. E se ainda existe medo, o objetivo que se almejou ainda não foi entendido. Coragem, quando começa uma coisa, é fácil termina-la, o difícil é começa-la. Portanto, nada é difícil depois que ela já começou a ser feita. Quando não se alcança com as mãos, vai-se com os pés, o importante é termina-la, realiza-la, com cada um em sua frequência. Cada um com sua habilidade mental removendo aborrecimentos/empecilhos em busca do sucesso” – Sinalização das realidades paralelas.

Fontes de consulta:
mankindgreatshift.blogspot.com/p/o-segundo-avatar.html
Segunda vinda de Cristo – Wikipédia, a enciclopédia livre.
https://www.jmnoticia.com.br/…/o-surgimento-do-anticristo-sera-visto-pela-igreja-ante…
https://verdademundial.com.br › História
www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article…
https://www.personare.com.br/existe-diferenca-entre-meditar-e-mentalizar-2-m3187
https://institutomindfulness.com.br/as-diferencas-entre-meditar-e-mentalizar/
www.citador.pt/frases/citacoes/a/albert-einstein
Apostila de Dakila Pesquisas de março de 2019

Translate »