Postado por

Falando de Luz

Falando de Luz
Print Friendly, PDF & Email

Luz = Informação + Amor

De Vera Pedrosa (verapedrosa@terra.com.br) – Julho/2006

 

Na fórmula acima, considero Informação o Desdobramento da Verdade, que cada um acessa segundo seu próprio ponto de vista. Assim temos o ponto de vista dos Matemáticos, dos Físicos, dos Filósofos, dos Químicos e assim por diante. Também cada religião e cada arte desdobram a Verdade usando suas próprias formas de abordá-la.

E o que é o Amor? Para mim é uma energia que se manifesta através da prática da Verdade, mas nem sempre através do desdobramento da Verdade. Muitas vezes o homem toma a parte pelo todo e adota o desdobramento da verdade como Verdade, perdendo o contato com o todo. E o Todo é Deus – e Deus é Tudo!

Não me ocupo aqui com o amor/emoção, o amor/sentimento, amor/doação, amor/troca, mas com o amor/energia. O amor/sentimento/emoção/doação tem o sujeito e os objetos definidos. O amor/energia tem fonte e manifestação e se expressa no ambiente da Neutralidade. “Somente através da freqüência da Neutralidade podemos acessar a experiência da Verdade Uma, da Plenitude Divina, a que chamamos Deus”. 

O amor/energia tem sua fonte em cada ser consciente e sua manifestação se dá através da vontade, podendo atuar sobre pessoas, animais, objetos e sobre a natureza. Quanto mais informação/consciência, mais poder de manifestação, cabendo ao ser consciente usar ou não este poder através da prática da verdade.

A manifestação do Amor (prática da verdade) no ambiente da Neutralidade está diretamente ligada ao grau consciencial da pessoa, pois quanto maior o grau de consciência, mais forte a manifestação do amor e a amplitude de seus efeitos. Então a utilização do Amor/energia não está diretamente ligada ao fazer o bem, mas a fazer algo dentro da prática da verdade. Nem sempre aquele que é bom é verdadeiro nas suas ações. Podemos ver esta diferença numa sessão de cura natural. Você pode usar a energia para curar o outro para ser bom (qualidade) ou simplesmente por alguém precisar (verbo). A intenção de ser bom já tira você da freqüência da neutralidade, pois traz em si uma qualidade, uma emoção implícita. Há quem seja bom somente por hábito ou por imitação.

Pode parecer que os termos Amor e Verdade se aplicam a respectivamente à ação do Homem e de Deus, mas não há que haver diferença, pois quanto mais o homem se ilumina mais semelhante a Deus ele está. Tenho um conceito que define bem na terceira dimensão o homem mais ou menos semelhante a Deus. Uso a imagem Luz de Deus e Sombra de Deus. Tudo é Deus e assim todo homem é Deus também. Acontece que alguns são mais a sombra de Deus e outros são mais a Luz de Deus. Esta classificação é dinâmica, pois a cada momento podemos estar mais na sombra ou na luz de Deus. Desta forma fica mais fácil ver Deus também naquelas pessoas que parecem tão afastadas da Humanidade pelas suas práticas desumanas. Elas também são Deus e só precisam se deslocar mais para a Luz e assim ficarem mais visíveis como Deuses.

Quando você fica muito tempo na sombra sua semelhança com Deus fica pouco nítida, mas só um pouco de luz já permite ser revelada a face divina do homem. Talvez alguém questione quanto ao papel do karma. Entendo que a Luz como prática da Verdade, movida por alto grau de consciência e atuando no ambiente da Neutralidade consuma os karmas, pois karmas são bloqueios, obstáculos para a Luz – se a Luz se manifesta, não há padrões kármicos que possam permanecer. Ressalto que tudo é um processo de idas e voltas entre a Luz e a Sombra, e a cada encontro com a Luz há mais informação, mais consciência, mais Amor/Prática da Verdade, menos bloqueios à manifestação da Luz.

Há quem considere a Sombra de Deus como Não-Deus, mas se admito que haja algo além de Deus, mesmo assim este algo é Deus, pois criou Deus e o Não Deus. Logo Tudo é Deus. Deus é a possibilidade do Tudo e do Nada, a consciência absoluta e que precisou criar o Mundo, os Mundos para que pudesse se ver, como um reflexo da Luz de Deus e da Sombra de Deus. “Se o Criador montou o “Grande Palco” da Criação, foi para que as Suas criaturas pudessem finalmente manifestar conscientes e Ele através delas, pudesse ver a Sua obra” (www.pegasus.portal.nom.br) .

Assim desde o Nada (possibilidade de Deus, Deus em potencial) até o Tudo (consciência absoluta de Deus) encontramos o Divino e a manifestação da Luz.

Tudo no Mundo está sujeito à dinâmica Luz/Sombra. No caso do Homem, quanto maior o grau de consciência (informação/ desdobramento da Verdade) e geração de Amor (prática da verdade), maior o percentual de Luz.

Muita informação sem Amor é como a semente de uma árvore frutífera guardada numa gaveta – plena de vida, cheia de potencial de realização, mas que não serve para ninguém enquanto estiver guardada – fica mais na Sombra que na Luz de Deus. A semente guardada gera apego e o apego gera o medo de perder. Isto gera a necessidade de acumular mais sementes (mais informação). Os que assim agem são insaciáveis na busca do conhecimento. Buscam algo que sabem existir – a Verdade Absoluta, mas só encontram o desdobramento da verdade. Sabem que estão perto de alcançá-la, e eles estão certos, pois se já dominam o desdobramento da Verdade só lhes falta o Amor/Prática da Verdade.

Também pode acontecer a prática da Verdade sem a Informação /Desdobramento da Verdade. Neste caso não há consciência, há gestos que se repetem porque foram aprendidos como gestos de amor, mas que nem sempre são manifestações do Amor – são fórmulas decoradas, ações imitadas. Como gestos vazios não satisfazem seus autores, que os repetem em busca de algo que os preencha, que os recompense, que os faça parecer reais, como o reconhecimento público, a gratidão do semelhante, o prêmio do ano, a medalha de ouro ou o paraíso.

Em relação a isto, vale lembrar a carta de Paulo aos Coríntios, 1 – capítulo 13:

1 – Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
2 – E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
3 – E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada seria.
4 – O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
5 – Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 – Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
7 – Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 – O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá.
9 – Porque em parte conhecemos e em parte profetizamos;
10 – Mas quando vier o que é perfeito, o que é em parte será aniquilado.
11 – Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 – Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 – Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

É preciso ressaltar que o conceito de luz aqui apresentado não é apenas em sentido figurado, mas também a manifestação física da luz, que é possível quando se tem um grau altíssimo de consciência e um máximo de manifestação do amor (prática da verdade). Esta condição tem sobre a matéria um efeito de sutilização, a partir de processos físicos.

A sutilização da matéria permite inclusive a realização de fenômenos como a interação com paredes sólidas, permitindo que a mesma seja atravessada pelo corpo físico do ser consciente. Também pode ser provocada a bilocação, o teletransporte e outros fenômenos que consideramos milagres por não saber explicá-los.

Assim a sutilização da matéria, no ambiente da Neutralidade, atua num processo em que cada vez mais o ser consciente vai acessando dimensões acima da matéria/terceira dimensão. Ele se ilumina – na Consciência e na Verdade, através da Informação e do Amor.

Por outro lado, é possível a “iluminação” através do contato com um ser de Luz. Neste caso todo o processo se dá por choque energético, com efeitos sobre o corpo emocional, o corpo físico, a mente e a consciência. Para os dimensionais do Projeto Portal este contato não traz efeitos negativos, já que temos treinamento específico e preparação energética, através de exercícios de aceleração mental e orientações específicas quanto à alimentação e outras. Há outros centros de estudo ou mesmo centros religiosos que se preocupam com esta preparação para o contato com a luz, mas são experiências raras.

Para pessoas não preparadas energeticamente, sem informação (desdobramento da verdade) e sem treinamento (prática da verdade), um contato com a Luz pode ter efeitos desastrosos sobre sua saúde mental, física e emocional. Daí casos de pessoas contatadas que acabam passando por tratamentos médicos, psicológicos e mesmo psiquiátricos como se fossem doentes, pois a falta de informação sobre os efeitos do contato pode gerar tratamentos inadequados.

Ressalto que tudo que foi apresentado expressa reflexões pessoais, e que por serem reflexões exigem maior aprofundamento para se tornarem conceitos. São idéias para serem trabalhadas, para serem confrontadas com a experiência e a sabedoria de cada um. Sabemos que muitos são os caminhos trilhados em busca da iluminação. Em todos eles encontramos os frustrados por não atingirem seus objetivos e em bem poucos encontramos Seres Iluminados, humanos ou não.

 

Translate »