Postado por

Fotografado pela primeira vez um “Guardião dos Portais”

Fotografado pela primeira vez um “Guardião dos Portais”
Print Friendly, PDF & Email

 No dia 31/12/2000, o último dia do 2º milênio, dois companheiros e eu iniciamos uma caminhada, subindo pelo leito do riacho que desemboca em uma pequena lagoa, que fica na região das sondas.

Nesta nossa subida fomos agraciados por uma vegetação exuberante que nos cercava, que era formada por árvores, arbustos, cipós e folhagens de formatos e cores variados.

Orientados pelo leito deste riacho constituído ora por cascalhos, ora por imensos lajeados enfeitados por musgos, fomos penetrando dentro da pequena mata. As árvores que margeavam o riacho, com suas copas amigas, às vezes nos protegiam do calor do sol e às vezes das gotas de chuva que ensaiavam ficar em definitivo, uma singularidade do verão tropical.

Como o leito do riacho é sinuoso, por este motivo perdíamos o nosso senso de direção, principalmente quando este leito desaparecia dentro da vegetação compacta do local. Neste momento, então, coincidentemente, aparecia uma bela e grande borboleta de um azul intenso, que, saindo sem sabermos de onde, voava sobre um determinado ponto da vegetação, alguns metros à nossa frente, como que nos sinalizando o rumo correto da nossa jornada, rumo este logo confirmado por nós.

Observamos mais tarde, que esta linda criatura nos levou com os seus aparecimentos repentinos até o final da nossa jornada, que depois “nos trouxe” de volta de onde a iniciamos e de lá ela voltou de onde veio, desaparecendo dentro da mata.

Então, depois que caminhamos mais ou menos cinqüenta minutos, orientados pelo leito do riacho e às vezes pela sinalização desta inesquecível borboleta, chegamos finalmente a um local que demos o nome de salão, mas, um salão a céu aberto com as suas paredes constituídas por esguias copas de árvores e também por imensas rochas irregulares, verdadeiras muralhas de pedra, que às vezes, inclinadas, formavam grutas.

Neste santuário ao ar livre, em torno das 12h00min, nós três, de mãos dadas, em sintonia com o Criador, vibrando em Seu Amor, nós O agradecemos este nosso momento divino de percepção e de comunhão com outros níveis mais sutis de Sua Criação.

E, foi neste momento de divina sintonia, que nos foi permitido registrar fotograficamente na entrada de uma das grutas deste local, dois Portais Energéticos (Guardiões), que nós conhecemos pelo nome de Ultra.

Translate »