Postado por

Informação e Mente Interdimensional

Informação e Mente Interdimensional
Print Friendly, PDF & Email

De Laura Jane (ljane@hotmail.com) – Janeiro de/2008


A verdade é uma experiência subjetiva e, portanto é entendida por meio da relatividade pessoal.

Cada um de nós recebe as informações de forma diferente, mas cada um ao processar as informações o faz para buscar algo que sente como sendo uma parte importante da sua vida, ou que quer tornar uma parte importante do seu existir.

Sempre houve guardiões das informações; isso cria algo chamado continuidade através de cada civilização neste planeta.

A informação não é do conhecimento de todos, porque nem todos estão prontos para ouvi-la. Se com a maioria dos humanos esse princípio se aplica, também sabemos que se aplica aos dimensionais despertos ou não.

Aos dimensionais despertos faço a pergunta para uma reflexão: devemos ganhar o direito interior de ser capazes de absorver o conhecimento? De receber informações?

Deveríamos então, nós dimensionais despertos, expandir a base relativa de conhecimento da informação dentro de cada uma das nossas vidas?

Creio eu, que algumas pessoas não têm condições de absorver uma determinada informação, porque preferem confiná-la em uma gaveta na própria existência. Tentam torná-la pessoal, sendo informações objetivas ou princípios de bom viver. Quer dogmatizar e generalizar as informações ou torná-la religião.

Muitos ao ouvir informações por parte do Mediador rejeitam a mensagem em sua essência, sem mesmo saber o porquê; enquanto outros absorvem sem ao menos refletir sobre aplicar em seu viver. Ainda há outros que delas faz mau uso.

É preciso ter uma mente interdimensional, para compreender as múltiplas dimensões de vida. Aprendendo sobre objetividade em vez de subjetividade, para alcançar uma mente interdimensional. Para nos ligarmos à Grande Mente, devemos ter uma grande mente.

O desafio é desenvolver a capacidade de abstrair mais do que personalizar. Pois de outro modo, a nossa realidade pessoal só permitirá captar o que é subjetivo e para cada um de nós. Devemos ganhar o direito de aprender e para isso é preciso se ter uma mente universalmente objetiva, que ganha conhecimentos.

Através dos anos de vida, levados pelas circunstancias, fomos cultivando uma atitude subjetiva.

Como reverter esta escassez perceptiva? Como eliminar essa miopia?

Como podemos aprender a pensar dentro de outro paradigma? Como estar em sintonia com os Seres, através das informações comunicadas a nós pelo Mediador?

A solução, a meu ver, passa por não negar a nossa própria estrutura formal de pensamento. Isto é, sem psicotizar-se nem delirar, mas expandindo a capacidade sensoperceptiva a vários pontos de vista.

Torna-se impossível estabelecer “contato” com os Seres se o código não é conhecido. Não passamos de vítimas, quando não estabelecemos o “rapport” necessário para a comunicação.

Muitos de nós dimensionais, tem tido experiência de ordens de realidade alternativa das quais não lembra ou absorve, simplesmente, porque o “neocórtex” não desenvolveu o código de capacidade mental, para tornar compreensível a alternativa. E depois ainda se assustam.

Como é que o dimensional vai equalizar e magnetizar soluções alternativas para as já conhecidas, que evidentemente não vêm resultando em soluções à crescente problemática planetária, se não aceita ser um semi-deus, elevar a sua auto-estima e co-criar aqui na terra realizando a missão? Realizando o compromisso recebido?

O que então seria o ideal?

Educar-se na natureza da realidade, e o segredo é desejar crescer, visando ter uma mente interdimensional, a tal ponto que sua identificação com a Energia Vital seja mais essencial para você que o anedotário de seus dramas vitais mais recentes. As aparentes metas pessoais devem inserir-se em um contexto maior, por exemplo, a sua família e sua nação, a humanidade, o planeta e o universo.

Ética com amplitude do cosmos e humanidade fraterna e responsável é a chave para o encontro com Seres das dimensionalidades existentes.

Criemos a realidade de acordo com a percepção da consciência.

A verdade de cada um é só relativa à forma como cada um entende. Assim, vibremos e atrairemos para cada um de nós o que reflete o arquétipo de nossa verdade.

Em outras palavras, o universo ordena-se segundo as nossas imagens da realidade.

Atrair para si a expressão da própria imagem. Eis o caminho que leva ao entendimento interdimensional.

Em todos os aspectos da sua realidade, manifeste o que você é em consciência.

Aspecto físico, amoroso, intelectual, financeiro etc. Alguns só verão os fenômenos. Outros vão experimentá-los. Outros se comprometerão. Qual seria o verdadeiro caminho? Sinto que não é um caminho no sentido literal. É a expansão da sua consciência que permite estabelecer uma conexão a conectá-lo com outras realidades.

Não se pode chegar ou vivenciar outra realidade sem haver serenidade e preparo para tal.

O que somos em nível de consciência, criará os elementos que vão permitir a cada um avançar em outras realidades. É muito simples, mas é preciso saber que isto afeta não só a nossa vida pessoal, mas o ordinário e o extraordinário. Ou seja, o futuro.

Ninguém pode mudar a experiência do outro. Ou melhor, somente a própria pessoa pode mudar suas experiências. Pode encher-se de conhecimento e obter as recompensas do que vivenciou. Uma consciência expandida diferencia-se de uma realidade limitada. Se faz ilimitada. Eu não posso fazer isso por outra pessoa. Não posso fazer com que o outro tenha uma mente interdimensional. Posso informar a outra pessoa, mas somente a pessoa individualmente pode conectar-se consigo mesmo e ser objetivo.

As palavras não determinam o que acontecerá.

São apenas palavras.

O que podemos experimentar vai além das palavras.

Reflita.

A nossa aprendizagem deve centrar-se no pensamento focalizado superior. O pensamento é uma língua que transcende dimensões. Transcende tempo, energia, matéria e espaço.

Quando aprendemos a pensar temos uma mente interdimensional.

Reflita por um momento.

O pensamento não é a palavra. A palavra vem depois do pensamento. São as expressões secundárias. Então, portanto o desafio é aprender como pensar.

Pensamentos é a linguagem da mente. Objetivos.

Sabemos que na realidade não se pode pensar egoisticamente?

Só podemos sentir egoisticamente.

Sabemos que não se pode pensar destrutivamente?

Só se pode sentir destrutivamente.

O pensamento é objetivo. As emoções é que o tornam subjetivo.

Uma mente aberta e ampla nada tem a ver com superstições, medos, dogmas, relíquias ou o lugar onde se vive.

É simplesmente a capacidade de interagir livremente com outras pessoas, com a vida, e se conseguir abrir-se ficará surpreso com a quantidade de seres que vivem dentro do nosso próprio universo.

Uma mente ampla deve abrir as suas portas e ver o que é onipresente, onisciente e onipotente na totalidade. Com isso se torna interdimensional.

A maior tarefa tem a ver com esclarecer e limpar as suas atitudes. A maioria deseja persistir, presa aos conceitos de morte e de auto-imagem limitada. Presa pela estúpida ignorância e pelas falsas idéias. Desejando apegar-se a pequenos ritos e rituais sectários, que lhe dão um senso de auto-importância.

Mente interdimensional é a habilidade de aprender, a habilidade de adquirir conhecimentos. Poucos querem efetuar as mudanças necessárias para que se faça uma diferença significativa. Devemos assumir uma nova postura. Inspire-se e inspiremos a outros. Tenhamos esperança, para sermos capazes de deixar para trás a superstição e o dogma rígido e para darmos o passo interdimensional rumo a novas experiências de colaboração solidária e pacífica.

Translate »