Da Terra Para o Cosmo

Print Friendly

– buscando a verdade –

 


Autoria: Grupo Portal Pégasus
– Antonio Carlos Tanure
– Eliane do Canto
– Mauro Dias
– Ricardo Bastos V. Cunha
– Ricardo Queiroz Alexandre
– Rosana Batarelli
– Sônia Maria Dias
– Vera Pedrosa
– Virgínia Bernardes

– Apresentação – grupo Portal Pégasus
– Um agradecimento – grupo Portal Pégasus
– Introdução – Colaboração de Celedina Muxfeldt

 

I – ENERGIAS

– Um lampejo sobre a Física Quântica
– Conceito de Energia
– Energia Vibracional/Kundalini
– Energia do Amor Puro
– Energia do Pensamento/Taquiônica

– Energias que podemos manipular
– Cores e freqüências
– Os Chacras
– A Aura

– Bipolaridade/Dualismo
– Dualidade/Dualismo das emoções

– É possível não sentir emoções?

II – TRANSFORMAÇÃO INTERNA

– Cura
– Reflexões sobre cura
– Auto cura
– Auto cura vibracional ou auto ajuda
– Transformações
– Os Sons Sagrados de Cura
– Alquimia
-Uma visão dimensional do processo alquímico
– Emocional/Mental
– Uma explosão de luzes
– O Eu Superior
– Da família terrestre para a família cósmica
– Reconhecendo a família cósmica
– O caminho de volta
– Quem são as pessoas iluminadas?

– O despertar da Consciência Cósmica

III – ORIGEM CÓSMICA

– Teoria da evolução da raça humana
– Gênese dos Dimensionais
– Os Seres
– Quem são eles
– Raças e suas características
– Alfabeto Extraterrestre

IV – O PROJETO PORTAL

– Localização e Objetivos
– As “Placas”
– Arquivos do compromisso cósmico
– A unicidade se mostra aos Dimensionais
– Interação dos Dimensionais com as “Placas”

– Falando de luz
– Expansão da Consciência
– Um caminho alquímico
– Freqüência Cerebral
– Níveis Mentais

V – AS AMAZONAS/SACERDOTISAS

– As Amazonas e os mundos paralelos
– A entonação da voz das Amazonas
– Os Sons Harmônicos no cotidiano das sacerdotisas contemporâneas
– Conquistando a Freqüência da Neutralidade
– O despertar do Sacerdote

VI – OS CICLOS DO SISTEMA SOLAR

– O pulsar da Galáxia
– As freqüências do tempo
– Aceleração planetária
– Mudanças solares
– Mudanças no Planeta
– Sinais no céu
– Aceleração do tempo
– Mudanças dos Sistemas Econômicos e Sociais
– Mudanças nas pessoas
– O novo ritmo de aceleração
– O final do Grande Ciclo

VII – IMPLANTES/(DNA-GNA)

VIII – AS PIRÂMIDES

– As Pirâmides do Mundo
– A Pirâmide do Projeto
– As mulheres e as Pirâmides
– Os cristais de quartzo e s/relação c/as Pirâmides

IX – NOVAS PERSPECTIVAS

– O Poder Oculto
– Preparando-se para a Civilização Dourada

– REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Apresentação
   

        Este livro expressa uma criação coletiva através de “Nove Dimensionais” com textos escritos pela interação entre si. Ele nasce do encontro de pessoas que como “Partes de um Corpo de Energia”, habitam em locais diferentes, se reencontram e, através do armazenamento das Energias Vibracionais ativam a Alquimia do Pensamento. Por outro lado, este grupo é também uma experiência/laboratório de neutralização de “egos” a partir da criação de um “Corpo de Energia”, proporcionando a vivência do desapego, do absoluto respeito à individualidade do outro e da dedicação a uma obra comum, sem julgamentos, competições e vaidades.

        Este é um livro para um Novo Tempo, que vibra em sintonia com uma Nova Consciência.

        Editá-lo foi muito mais que confeccionar/formatar um pequeno corpo de matéria com este nome. Escrevê-lo foi assumir responsabilidade de irradiar Amor Universal, iluminando as próprias Consciências e a dos outros, através de informações decodificadas de experiências conscientes. As experiências vivenciadas no cotidiano se tornam conscientes quando nos decodificamos/descobrimos como partes do Corpo de Deus – do Todo/Uno.

        Quando estamos em comunhão com os Planos Superiores da Luz não existe a ilusão “do meu” ou “do seu”. Os Seres Energéticos ou de Pura Energia formam o Referencial de Luz. Eles irradiam a Luz da Unicidade e não a limitação da individualidade.

        É um livro para aqueles que buscam o conhecimento que está além do que vivenciam pelos cinco sentidos e não conseguem obter informações nem explicações.

        É da natureza do Ser Humano ficar sempre no dilema de discernir sobre o verdadeiro e o falso, o real e o irreal, o concreto e o abstrato, a existência e a inexistência, crer ou não crer. Na maioria das vezes, a pessoa opta somente pelas informações captadas pelos seus sentidos. Com isso, ela exclui todos os dados obtidos fora de seu sistema sensorial, atribuindo-lhes a categoria de falsos.

        É comum muita gente dizer que só acredita no que vê. Entretanto, muita coisa existe sem o homem ter visto. Ninguém viu um átomo até hoje, mas sabemos de sua existência e de algumas particularidades de seu interior, a ponto de podermos interferir no seu íntimo produzindo a fissão nuclear.

        Assim sendo, vamos encontrar pessoas que não aceitam a existência de outras realidades, “ficando na sua”, onde seu domínio e poder podem funcionar satisfatoriamente. É o medo do “novo”, e inclusive de não conseguir assumir o que se descortina em um cenário diferente dos paradigmas já elaborados e no qual já estão condicionadas.

        Por outro lado, existem outras pessoas que, por conhecerem as limitações e as potencialidades humanas, procuram investigar, analisar e compreender outras realidades fascinantes. Elas sentem que para continuar nossa evolução, o grande passo será o estudo de outros mundos dimensionais. Este livro foi feito para essas pessoas. Seu conteúdo visa explorar esse assunto. Ele objetiva ajudar na compreensão de alguns dos fundamentos básicos deste panorama fantástico, que sem dúvida, será importante para o futuro da humanidade.

        Convidamos para uma leitura diferente, que vai além do entendimento racional, além da inteligência. É necessário aguçar a percepção que está adiante dos cinco sentidos anatômicos, para vislumbrar o movimento da energia através das palavras, decodificando além dos fatos.

        Grupo Portal Pégasus.


Um agradecimento
   

        Vivíamos num mundo onde não existíamos de fato. Nossos olhos, nossa voz, nossos gestos somente reproduziam uma realidade construída pela história, pela educação, pela sociedade, pelos governos. Vimos esta realidade reforçada na escola, na família, nos grupos sociais, religiosos, acadêmicos e profissionais.

        Não sabíamos que aquela realidade era apenas ilusão.

        Cada um de nós, na sua experiência particular, foi introduzido na vida real que nos foi apresentada. Cada um por sua vez foi trazido ao nosso verdadeiro mundo, que procuramos descrever neste livro.

        Um a um, passamos a nos perceber como Seres Dimensionais, aprendendo nossa história, descobrindo nossa cultura, conhecendo uma nova linguagem. Neste novo mundo nos foi revelado o verdadeiro sentido e função da família e o alcance dela, ao longo do tempo e do espaço. Na vivência de uma nova família, como verdadeiro corpo de energia, existem todas as diferenças (raças, características físicas, origem geográfica), porém sendo todos irmãos e irmãs, partículas e fragmentos vindos de todos os espaços.

        E, em cada descoberta, a cada passo dado no Caminho da Luz, recebemos o toque sutil de um Ser Especial – seja o toque pelo olhar, pelo sorriso, pelas mãos ou pela palavra repleta e plena do Amor como Energia. Este Ser que nos inseriu numa experiência cósmica com 49 raças espaciais, além de Seres de outras Dimensões – como os Ultra Dimensionais, Energéticos, Elementais e Enteais, nos proporcionando a Energia Crística e outras tantas tecnologias para nos tornar seres mais fortes, mais conscientes de nossa verdade.

        Na nova e verdadeira realidade, o conceito de consciência ganhou um valor maior, agregado à responsabilidade e compromisso, disciplina, liberdade e amor. Ganhamos mais e mais consciência e fomos colocados cada vez mais em contato com a Fonte de Amor, Inteligência e Verdade.

        Do passado, fomos trazidos pela “Sabedoria Maior” até este planeta, após tantas experiências, vida após vida, esta “Sabedoria” nos está devolvendo a memória do que somos e do que precisamos ser. Graças a um “Ser Humano” que nos orienta – que possui em si a vibração ressonante do Divino – podemos construir o futuro que precisamos vivenciar, com plena consciência do que somos. Com ele fazemos esta viagem de volta à “Origem”, que inclui despertar mais e mais Consciências, compartilhando o Caminho da Luz, com cada vez mais pessoas.

        A Urandir Fernandes de Oliveira e a cada um dos nossos Irmãos Cósmicos agradecemos tudo que recebemos neste “novo mundo” que para nós se descortinou.

        Grupo Portal Pegasus

Introdução
   

        ELE é a fonte da Vida, da Verdade e da infinita Sabedoria.

        Estamos despertando, renascendo para a verdadeira realidade, recebendo segredos que sempre nos foram ocultados e limitados. Absorvendo um conhecimento que a humanidade terrestre desconhece totalmente.

        Neste momento, a Luz já brilha em cada ser, espalha-se a sua volta e, por ressonância, uma forte energia propaga-se a todos àqueles que os cercam, que seguem o caminho da Luz e buscam a sabedoria neste Novo Conhecimento que é divulgado sobre o planeta Terra.

        Mente e corações preenchem-se do Amor Universal. A Suprema Energia Crística impregna nossas células, elevando , potencializando e beneficiando-nos física e mentalmente.

        Hoje, sem temores, é quase uma obrigação de todo dimensional, atuar positivamente em todas as áreas. Direcionar a energia para que ela passe a atuar além do campo energético individual, fazendo com que a força do pensamento incida na matéria física da terceira dimensão. Crer é poder. Acreditar no potencial adquirido eleva e potencializa o pensamento, o desejo e a vontade.

        Em épocas distantes, exercíamos facilmente nosso poder mental. Através do pensamento fazíamos fluir a força energética armazenada – Energia Taquiônica – e a utilizávamos positivamente sempre que se fizesse necessário.

        Temos acumuladas em nosso inconsciente, uma gama infinita de informações, sobre cada coisa que vivenciamos desde o momento em que surgimos neste universo, um ferramental que está inerte, sem uso. O ser humano esqueceu sua natureza Divina, a luz de seu intelecto, a sabedoria que é a chave para abrir as portas dos mistérios universais e conscienciais. Buscar e contatar com a Centelha Divina que somos abre a esperança de termos os profundos segredos desvelados.

        Inverteram-se os valores, o amor está sem sustentação, as nações fragmentam-se em guerras e ódios sem fim, matar tornou-se rotina e o planeta – pobre mãe Terra, os homens a contaminaram, a envenenaram, sua destruição é caótica e a poluição assustadora. Mal sabe esse homem terreno, que é ela que nos sustenta! E que repentinamente a própria, fará a faxina necessária – purificação, para voltar ao seu estado de normalidade.

        Em tempos remotíssimos todos os povos eram paranormais, sabiam trabalhar com as Leis Cósmicas. Porém, com o passar dos milênios, o ego começou a sobrepor-se às Leis Divinas. A ganância, a cobiça, a ambição passam a dominar a mente dos homens, dirigindo-os para uma trilha marginal, afastando-os a cada dia, mais e mais, do verdadeiro caminho, potencializando, assim, sua densidade e seus egos, fazendo adormecer sua capacidade mental – sua percepção extra-sensorial.

        Inumeráveis alterações cósmicas e terrenas estão em andamento neste momento. Urgentemente, o ser humano, também, deverá mudar seus padrões vivenciais e seus atos, se quiserem entrar incólume na nova Ordem Universal. Auxiliados por Seres Superiores, descendentes de dimensionais, iniciam o despertar de uma nova consciência e de sua paranormalidade. Para que esta força latente, tão antiga quanto o Universo e que hoje se faz presente em cada um de nós, passe a fluir de forma integral, faz-se necessário, vivenciar e passar a agir dentro da nova Ordem de Valores, que surgem acondicionados na Lei do Amor Universal. E crendo nisto, veremos que o caminho seguido é direcionado pelo amor fraterno e pela doação física e emocional de cada um.

        Aprendendo a interagir com todos e com tudo àquilo que nos cerca, compreendendo o que vemos e sentindo em tudo a energia do Criador – Deus – seguimos o Caminho da Luz. E quando estivermos livres dos tormentos que nos assolam, a ansiedade, as angústias, a agitação e a inquietação a que estamos submetidos, que impedem o contato com o Eu Superior, teremos então, superado o mundo da matéria, transcendendo para o imenso Corpo Energético que nos envolve permanentemente.

        O resultado positivo na missão que nos propomos a realizar, vai depender, também, do conhecimento interior. Este nos trará as revelações necessárias para que não esmoreçamos em nossa caminhada e, junto às experiências vivenciadas nas centenas de trabalhos realizados, nos traz ainda a segurança necessária para realizarmos a propagação.

        Ao recebermos esta bagagem repleta de conhecimento cósmico, sabemos que a responsabilidade e o compromisso que assumimos, é imenso e um tanto espinhoso. Tudo o que é novo gera dúvidas, medo e insegurança.

        E o homem, na corrida em busca da própria sobrevivência, não encontra tempo ou simplesmente não quer assumir mudanças em sua vida, isto envolve novas responsabilidades que virão atrapalhar sua cômoda rotina, e muitas vezes, arraigados aos paradigmas arcaicos, retrógrados, tentam livrar-se do novo – do desconhecido através da crítica maldosa, ridicularizando e deturpando o que ouvem. E numa constante perseguição, atacam com uma veemência irracional estas Novas Verdades, sem antes conhecê-las e questioná-las, sem dar-se a chance de conviver com um mundo harmônico e verdadeiro.

        Experienciar o que surge, o que está sendo renovado será a melhor forma de compreender o que ocorre, de sentir e de ver o que se manifesta no novo.

        O ser dimensional persiste em sua caminhada. Agora sua percepção está clara, tão nítida que percebe a lapidação que está recebendo, a qual o levará a patamares que irão além do conhecimento do mundo científico deste plano. A ciência busca resultados tecnológicos dentro deste pequeno fragmento do cosmos-terra, sem saber que o mais fantástico resultado encontra-se na própria mente do ser humano e nas Leis que regem esse infindável Universo.

        Quando o homem eliminar a cobiça de sua mente, e se permitir impregnar-se do verdadeiro amor, terá em suas mãos a chave que o levará ao âmago deste grandioso e infinito conhecimento. Indivíduos bem preparados, mental, energética e espiritualmente, estarão aptos a alcançar os mais recônditos segredos que aguardam os puros de mente e coração.

        A razão da nossa existência neste plano é de tomarmos conhecimento de quem somos realmente. Como co-criadores divinos, absorvemos nesse tempo, a Energia Suprema que nos vivifica. Usá-la com maestria, nos ajudará a atingir um padrão vibratório que facilitará a expansão da nossa própria luz. Seremos como faróis acessos iluminando a jornada dos que estiverem adormecidos. Seremos os precursores da grande Reforma Mental. Com o passar do tempo, a humanidade terá que reconhecer estas Novas Verdades, até pelos próprios acontecimentos que surgirão. Sentirá, então, quantos benefícios este Novo Conhecimento poderá lhes trazer.

        No momento estamos nos revendo e exigindo de nós próprios um rigoroso exame de consciência para nos aperfeiçoar muito mais e transmutar as negatividades que ainda nos dominam – os egos. E, quando aprendermos trabalhar nosso emocional, saberemos, então, que tudo o que passa por nós tem um motivo superior, uma razão Divina. E que seres muito especiais, tentam de todas as maneiras despertar o conhecimento cósmico que está em nós adormecido.

        Muitas leis, teorias e filosofias, logo mais, desabarão. A ciência terá que reexaminar seus fundamentos, porque foram calcados puramente sobre a matéria física. Algumas atividades humanas foram dirigidas fora dos padrões normais, trazendo conseqüências graves para os indivíduos atuais. Guerras fratricidas ocorrem, mentiras, engodo, tantas armações que envenenam os países, colocando uns contra outros, tornando a vida das pessoas mais complexa e difícil. Esses indivíduos que engendram todas essas maldades contra seus semelhantes – mesmo sendo estes maus, receberão àqueles multiplicado o retorno das suas maquinações.

        Os acontecimentos já estão em andamento, prontos para explodirem, devemos estar alertas e preparados.

        Muitas verdades que nos foram impingidas, na realidade são falsificações que beneficiaram somente àqueles que as articularam, prejudicando a humanidade, mental e emocionalmente, porque “tais verdades” trazem medos e sofrimentos associados a um Deus vingador.

        Tanta rigidez impediu o progresso e freou a evolução individual e planetária. Grupos, sempre impediram e limitaram o verdadeiro conhecimento à população, motivo pelo qual está ela incapacitada de ver e sentir a sua origem Divina.

        Hoje, quando toda matéria está em transformação, o que é do conhecimento de todo mundo científico, mesmo assim, ainda vedam a divulgação das verdades à população, por quê? Que se danem as pessoas!!! Pensarão assim? Diante de acontecimentos irreversíveis e próximos, a humanidade, ainda poderá beneficiar-se desde que as pessoas saibam como potencializar sua energia e elevar suas freqüências mentais, através de alguns exercícios específicos. Aprendendo a dominar seus medos e trabalhar suas emoções, suportarão com mais tranqüilidade as mudanças planetárias. Quanto mais potente estiver a energia de cada um, mais resistente ao que for negativo, ela ficará. Assim como as pedras, a vegetação e a terra mudam sua vibração, o homem também mudará, potencializando-se positiva ou negativamente, conforme sua carga energética e de acordo com seus atos. O futuro homem não viverá apenas pelos seus feitos, mas em sua verdadeira Essência Divina.

        Não há palavras para explicar Deus e os acontecimentos transcendentais, nem como compará-los com as coisas deste plano terreno. Seria inverossímil tudo àquilo que tentássemos dizer. Como também, não há vocabulário terreno que consiga explicar os Seres de Luz e as Dimensões Superiores de Consciência, onde ELES se situam. Embora façamos parte da Mente Criadora Universal, por enquanto, ainda estamos numa escola sem muita evolução e nossa capacidade mental, está restrita e presa à densidade da terceira dimensão, não consegue alcançar, nem entender e muito menos registrar essas energias de níveis espirituais tão sublimes e elevados.

        As limitações as quais fomos submetidos impediram a busca dos princípios verdadeiros e conseqüentemente, a nossa preparação evolutiva ficou à deriva. Para se manterem no poder, muitos desejaram e ainda desejam o aniquilamento da humanidade, através de falsos conhecimentos da verdadeira Vida, separando-nos mentalmente, do verdadeiro e único DEUS.

        Motivo pelo qual existe hoje, uma luta sem tréguas entre o “bem e o mal”. Vencendo, momentaneamente, o último, em virtude de uma vida ilusória e massificadora que impede o ser humano de ter a tranqüilidade e a liberdade de se interiorizar, de encontrar-se a si mesmo, de ver, e de sentir a sua verdadeira Essência Divina. Quando conseguirmos aumentar a vibração do nosso corpo físico a uma potência bastante elevada, acontecerá, então, a fusão da nossa energia com a energia resplandecente de nossa alma.

        Há propósitos desintegradores em alguns grupos de terráqueos, sugadores do trabalho e dos bens alheios. Quanto mais desestruturarem a família, as sociedades, a economia dos países, mais se firmam no comando e no controle do planeta e da humanidade. Há uma série de idéias desencadeando maldades sem fim, tentando intimidar a população, para que medrosa, inerte e enclausurada fique. Esse descomedido desequilíbrio de alguns, pode levar-nos ao caos e, se não emitirmos as vibrações positivas necessárias, chegaremos, talvez, ao extermínio total.

        Alguns se tornam irracionais porque Deus inexiste para eles e, em sua morbidez usam máscaras encobrindo assim, a impiedade de seus atos. Seus sentimentos adormeceram. “É o criado agindo contrariamente às Leis do CRIADOR”.

        São os responsáveis pelos sofrimentos e angústias que envolvem boa parte dos povos da terra, carentes de saúde, de alimentos, de moradias, de empregos e de instrução. A cobiça e a sede de poder, de determinados grupos de indivíduos, chega a ponto de se arvorarem com direitos de reduzir a população terrestre. O massacre arquitetado, não necessariamente, envolverá armas atômicas, mas através dos alimentos, remédios, microondas, armas biológicas, armas químicas e, muitos outros produtos. Estes destroem toda espécie de vida, sem alarde, silenciosamente, preservando os bens materiais.

        O ser humano está sendo um joguete nas mãos de cérebros malévolos, que testam seus poderes, influenciando e levando à humanidade para onde querem. Cercam-na com tanta habilidade não permitindo que os indivíduos sequer, tenham tempo para pensar. Com sua mente atordoada e confusa, o homem não percebe que está sendo enganado e dirigido a comer, a vestir, a tomar e fazer tudo o que aqueles determinam. É a influência do poder, condicionando o cérebro humano, controlando-o, para que o homem não se desvie por outros caminhos que não seja o da programação determinada pelo poder.

        Preenchidos, estamos, com a energia da Verdadeira Luz e do Amor Universal. Temos agora atenuar com a força do pensamento, desejo e vontade, as negatividades que nos cercam e que envolvem o nosso planeta Terra. Eliminar nossos medos, potencializar nossa energia, é necessário, para mantermos nossa vibração em níveis elevados.

        Importante será lembrarmos a cada segundo o que CRISTO disse: “As coisas que eu faço vocês também poderão fazer e muito mais…” Isto exige concentração, convicção e confiança em si mesmo, para que possamos realizar os nossos próprios milagres. O uso da mente com todas as habilidades mentais despertas, será uma constante entre os dimensionais e quanto maior for a concentração mais serão expandidas e aperfeiçoadas às percepções extra sensoriais. O conhecimento chegará com mais facilidade e em conseqüência, mais força obteremos.

        Não podemos continuar a nos enganar e a usar máscaras, tudo está sendo visto e analisado. Cada um terá que evoluir individualmente, sem esquecer, porém, que será grupalmente que faremos a LUZ ressurgir. E para que possamos sobreviver, a harmonia, o equilíbrio, o respeito a tudo e a todos é imprescindível.

        Alguns dos acontecimentos não mais podem ser revertidos, cabe a nós aceitá-los com amor e resignação, porque foram provocados pelo próprio ser humano. Emitir um profundo sentimento de amor e respeito a todas as formas de vida e desejar que a calma, a harmonia e a paz voltem a reinar sobre a mãe – Terra é o mínimo que nos cabe fazer neste momento de transição. A força do Amor restaura a paz se for dirigida com sinceridade.

        O Amor é a mais potente forma de energia existente no universo. O Amor é DEUS em sua mais perfeita e potente manifestação energética, fluindo sobre todo o criado. É o Amor que nos conduzirá a dimensões superiores e será ele a nossa maior proteção durante esta transição planetária. É por Amor que raças de mundos superiores de consciência, atuam, neste difícil transe, pelo qual, passa a Terra. Ajudam-nos a diluir negatividades, a superar a densidade e ultrapassar a nossa própria escuridão mental, socorrem-nos, eliminando as amarras que nos prendem ao plano tridimensional, para que tenhamos a chance de realizar a Transmutação.

        A Energia do Amor é uma “arma positiva” que podemos utilizar para beneficiar a humanidade. Quando usado positivamente, o emitente o receberá multiplicado em seu retorno, potencializando-o, trazendo-lhe mais firmeza, tenacidade e perseverança para o cumprimento da missão.

        Seria proveitoso se as mudanças individuais iniciassem antes dos tumultos. Porque é agora que devemos distribuir amor aos nossos semelhantes e ao nosso planeta, perdoando-nos pelas agressões que fizemos contra os dois. Zelar, cuidar e respeitar a natureza que nos cerca e amar o nosso semelhante, é demonstrar a Deus o nosso amor e respeito por ELE. É chegado o momento de verificarmos se nosso elo com o Criador esta ligado, antes que as angústias tomem conta de nossa mente.

        Cada indivíduo poderá fazer a sua parte para amenizar as situações caóticas do planeta e da humanidade. À medida que ajudamos, estaremos, também, sendo auxiliados, transformando em nós as emoções negativas que esgotam a nossa energia, enfraquecendo-nos. Onde há Amor, há Luz. Nossa preparação é rica em sabedoria e será com ela que deveremos trabalhar.

        Entrar, na “Era Dourada”, vivenciar dois mil anos de paz, será a suprema glória para àqueles que conseguirem passar por esse período de transformações, permanecendo conscientes de que estarão adentrando para um espaço de muita Luz onde começará a viver a “Verdadeira Vida”.

        Todos os seres humanos têm a mesma oportunidade para buscar a Luz e aperfeiçoar-se. Cada ser evolui diferente. Cada qual encontra suas próprias técnicas para ajudá-lo a subir a escada evolutiva. O que importa é o avanço que faremos durante a caminhada que realizamos. E´ preciso vigiar-nos constantemente, para que possamos a cada segundo levar mais Luz a nossa alma e não apagarmos a Luz existente nela. Assim, chegaremos à verdadeira realidade, à dimensão que preparamos de acordo com o grau de consciência conseguido. Cada ser humano renascerá para a vida que criou ao percorrer este plano tridimensional.

        Deve haver, por parte dos dimensionais, uma concentração de esforços, para que possamos ajudar a despertar os que ainda permanecem adormecidos, fazendo-os sentir o quão importante é o processo de purificação e quanto se faz urgente desenvolver os dons que estão latentes no seu interior.

        O despertar lhes dará uma melhor compreensão deste plano terreno, como também, terão uma visão mais voltada para o futuro, para uma nova realidade e o novo espaço, no qual, logo mais faremos parte.

        Há muitos mistérios, ainda, que envolvem o nosso planeta, mas o mistério maior é aquele que diz respeito a nossa própria existência, a razão de estarmos aqui neste plano, concluindo esta tão rápida passagem. Terminamos um ciclo, estamos hoje, dentro de um novo tempo, o qual nos levará às dimensões superiores de consciência, se estivermos preparados.

        Felizes dos que acreditam “NELE”, sem vê-lo. Felizes dos que, hoje, seguem o Caminho da Luz com muito amor em seus corações!

        Celedina Consuela Muxfeld

I – ENERGIAS 

Um Lampejo sobre a Física Quântica

        As primeiras teorias da ciência foram fundamentadas em fatos ou acontecimentos percebidos por um observador sem nenhum planejamento prévio. Os fenômenos da natureza eram presenciados, entretanto, ainda não eram explicados, porque a consciência humana estava em estágio rudimentar. Sabia-se que as pedras rolavam da montanha para o vale, que as águas corriam do alto para o baixo e que o raio incendiava a árvore. Mas ainda não havia uma explicação que demonstrasse o fenômeno físico na sua totalidade.

        A compreensão dos fenômenos físicos só foi possível através do método experimental desenvolvido por Galileu. Ele gostava de simular todos os fenômenos possíveis, demonstrando o fenômeno na sua totalidade. Esse procedimento passou a ser a prova que dava base para as teorias da ciência.

        A partir daí, a ciência passou a usar a matemática como ferramenta na comprovação e quantificação dos fenômenos físicos e químicos. A utilização da matemática foi tão intensa que muitos autores transformaram suas obras de física em verdadeiros compêndios de matemática. Essa atitude contaminou também o ensino da física, de tal maneira que, todo aluno não admitia uma física sem matemática – isto passou a ser um paradigma.

        Na verdade, podemos compreender que o fenômeno científico é assimilado através da conscientização. Podemos estudar física sem nos envolver com a matemática. Mas mesmo assim, os fenômenos físicos eram percebidos ou descobertos por um observador, num lugar e num determinado tempo, sendo o suficiente para explicar os acontecimentos de acordo com os cientistas. Tudo isto era válido para aquele momento e aquele lugar – a Terra. Sabemos que a ciência é dinâmica e que ela cresce movida pela expansão da consciência humana.

        Na mesma medida que a astronomia desenvolveu-se com nova aparelhagem, o homem despertou para os fenômenos do Universo, onde as distâncias são imensas. Nas observações astronômicas a verdade depende da velocidade da luz. Uma estrela visível, pode não existir mais, porque sua imagem levou milhões de anos para chegar a Terra – ela pode ter sido desintegrada neste tempo.

        Foi assim que o cientista Albert Einstein apresentou sua teoria da relatividade. Ele explica que o fenômeno é relativo ao observador, ao espaço e tempo que ele está submetido. Deste modo, duas pessoas em lugares e tempos diferentes terão conclusões diferentes para o mesmo fenômeno. Para cada um haverá uma verdade diferente.

        Ele conta a seguinte estória (parábola científica): Dois homens duelavam, cada um num extremo de uma estação de trem. Um é morto e o outro vai a julgamento. No júri, dois grupos de testemunha contradizem. O primeiro grupo diz que o homem 1 atirou primeiro. O segundo grupo diz que foi o homem 2 que atirou primeiro. O Juiz e os jurados ficaram confusos, pois um dos grupos estava mentindo. Até que um físico interferiu afirmando que, os dois grupos estavam certos e dizendo a verdade. Ele explicou que a observação dos grupos dependia da velocidade do som em relação ao lugar de cada grupo. O primeiro grupo achava que o homem 1 atirou primeiro porque estavam perto dele e escutaram o estampido que estava mais próximo antes do outro estampido. O mesmo aconteceu com o outro grupo. Esta experiência mostra que a verdade é relativa.

        Pelo fato da ciência estar em contínua expansão, ela teria que chegar um dia à fronteira de duas verdades, o limite entre duas dimensões. Na tentativa de explicar o fenômeno do elétron que ora é partícula e ora é onda, a ciência se depara com o dilema entre dois diferentes paradigmas. O primeiro paradigma é o da terceira dimensão – sobre o qual a ciência sempre foi sustentada. O segundo paradigma é desconhecido. A maior parte dos cientistas só conhece a nossa dimensão, por isto ainda não admitem a outra – ainda estão perplexos sem entender o que está acontecendo.

        Esta situação é derivada do nosso conceito de matéria. Sempre estudamos admitindo três estados da matéria, sólido, líquido e gasoso. Na verdade eles são próprios da terceira dimensão, próprios da matéria densa. Quando o elétron escapa da matéria densa, ele emite uma onda que é captada na terceira dimensão – mas ele passou para a quarta dimensão.

        É isto que está intrigando os cientistas que estão excessivamente presos às comprovações matemáticas, bloqueando a intuição que é percebida pela consciência humana em expansão. Para quem está na terceira dimensão, o elétron desapareceu e deixou apenas seu último vestígio que é a sua onda. Essa variação freqüencial do elétron faz com que ele salte de uma dimensão para outra.

        Mas a descoberta mais espetacular está ocorrendo agora. Alguns cientistas progressistas estão desconfiados da interferência do pensamento na realidade. Essa possibilidade vem modificar os procedimentos da ciência. Esse assunto passou a ser estudado pela física quântica – que é a física das possibilidades.

        O desaparecimento do elétron foge das explicações tridimensionais de nossa ciência – daí haver este mistério para os cientistas. Como eles não aceitam os fatos ufológicos que podem ajudar a explicar esta verdade, eles continuam nesta busca.

        A dificuldade de compreender a existência de outras dimensões é mesmo pelo significado do nome. O termo “dimensões” por si mesmo implica em comprimento, largura e altura – as três dimensões cartesianas. Temos que nos desligar do significado literal do termo. Na realidade, dimensão é o estado freqüencial da matéria. Quando ela é submetida a freqüências elevadas, ela muda suas propriedades, ou seja, ela passa para outra dimensão. Este fato pode ser compreendido pelos relatos de pessoas contatadas por naves alienígenas. Muitas delas falam que a luz emitida por essas naves ( Xendra ), provocou a transparência de paredes de casas e chapas metálicas de veículos.

        Isto significa que as paredes e as chapas metálicas começaram a vibrar numa freqüência de transmutação de uma dimensão para outra – deste jeito a luz atravessava essa matéria dando-lhe o aspecto de transparência. É bom ressaltar que as naves alienígenas não são apenas veículos de locomoção, mas também máquinas de transformação dimensional.

        Temos conhecimento que a energia solar produz calor nos corpos sólidos. Mas o calor é o choque das partículas luminosas com a matéria densa da terceira dimensão. As partículas batem na matéria densa e quicam como bolas. O choque é que produz vibração de baixa freqüência na matéria densa, causando calor. Quando a matéria perde sua densidade (outras dimensões) o calor não é produzido. Este calor é importante para os corpos de terceira dimensão. Portanto, o Sol pode ser mais frio para outras dimensões. O calor seria a interação do Sol com a terceira dimensão, o que deve acontecer em menor grau com outras dimensões.

Conceito de Energia

        Existe “Algo Muito Superior” à realidade tridimensional que os indivíduos comuns não estão acostumados a sintonizar/interagir em função de bloqueios emocionais que normalmente os condicionam/limitam.

        A mais recente descoberta pressupõe que partículas fundamentais, forças, e tudo mais que existe no universo, são finos filamentos rígidos como pequeninas cordas que vibram. Massa, energia, carga, etc. são propriedades que surgem conforme o vibrar destas cordas. O universo é puramente/unicamente Energia Vibrátil em vários graus de freqüências e formas de manifestação e, para melhor compreendermos este conceito, vamos primeiramente considerar as diversas fontes de energia que já conhecemos através dos estudos científicos da ciência oficial.

        A palavra energia vem do grego “energeia” que passou para o latim energia, chegando à língua portuguesa também com o mesmo nome. Para a nossa ciência, energia é a capacidade que um sistema físico tem de produzir trabalho. Assim sendo, todo trabalho a ser produzido é realizado por um tipo de energia. Para isto, a ciência humana utiliza energia de uma única origem que é a energia atômica, obtida de duas diferentes fontes.

        Para a ciência oficial a primeira fonte é constituída pelas estrelas e a segunda fonte está adormecida dentro dos diversos corpos materiais Quando o cientista Albert Einstein apresentou a fórmula e = m c² ( energia é igual, a massa de matéria, vezes, a velocidade da luz ao quadrado), ele queria demonstrar a quantidade de energia armazenada na matéria de maneira latente.

        A energia das estrelas é causada pela força de gravidade imensa que existe no interior delas, esmagando os átomos de tal forma que, cada um deles, penetra dentro do outro. Essa intromissão produz um distúrbio atômico no interior de cada átomo, tornando seu sistema desequilibrado, detonando uma fusão atômica em cadeia. Assim, podemos dizer que as estrelas são verdadeiros reatores atômicos naturais, emitindo energia radiante para todo o Cosmo. Esta energia das estrelas já está disponível para a humanidade desde os tempos primitivos, emanada pela nossa estrela que é o Sol.

        A energia do Sol é essencial à nossa vida física. Sua energia é emitida para a Terra e fica acumulada de várias maneiras. Sofre transformações, fazendo crescer as plantas que servem de alimentos para os diversos animais. Assim, dentro de uma cadeia alimentar, e de uma forma indireta, todos os seres vivos se alimentam da energia procedente do Sol.

        Dentro do nosso corpo, a energia é produzida pela queima principalmente dos hidratos de carbono, substâncias contidas nos alimentos vegetais que foram formados pela energia solar num processo de fotossíntese. A queima da lenha foi uma obtenção primitiva de energia, que indiretamente veio do Sol.

        A energia que move os veículos provém do petróleo, que na realidade foi formado pela transformação bioquímica de resíduos orgânicos de animais e plantas fossilizados milhões de anos passados. Esses animais fossilizados, quando eram vivos, foram alimentados por vegetais, que indiretamente foram desenvolvidos pela energia solar.

        A luz que utilizamos é produzida pela corrente elétrica gerada nas turbinas hidrelétricas – e por sua vez, a queda d’ água é resultante da sua elevação como vapor pela ação do Sol. Também a eletricidade obtida das usinas termelétricas provém da queima de um combustível criado indiretamente pela energia solar.

        Mas a segunda fonte, a energia atômica, só veio a ser utilizada depois de um grande avanço tecnológico da ciência terrestre que aconteceu no fim da Segunda Grande Guerra.

        Podemos observar então que estas modalidades de energia terrena, na verdade, têm como fonte, o átomo. A energia passa por várias transformações resultando em diferentes tipos tais como: energia mecânica, química, térmica, eólica, hidráulica, solar, etc.

        Esse conceito de energia, tão utilizado nas escolas, bloqueia nosso raciocínio em admitir outras manifestações de energia mais delicadas/sutis. Por serem assim, são despercebidas, são desprezadas e não são consideradas mesmo como energia.

        Quando falamos de outros tipos de manifestações energéticas para uma pessoa de mente científica, ela não consegue compreender essas designações, pois sua mente está presa apenas àquela definição física que foi tão difundida no ensino escolar.

        O que é conhecido como matéria é uma “manifestação energeticamente empacotada”, para ser experimentada pelos acanhados cinco sentidos do homem e vivenciada por sua consciência limitada pela dualidade tridimensional, emocionalmente circunscrita à matéria.

        Entretanto, aquele que possui uma “Consciência Dimensional”, que já transcende o racional, indo além do lógico e com uma visão/linguagem ao nível de uma percepção também além dos cinco sentidos humanos, é que consegue decodificar informações de outras dimensões/níveis de densidade.

        Na verdade, todos os universos e tudo que neles existe são oriundos de uma única fonte de Energia que é proveniente da Luz/Consciência Divina do Criador Primordial.

        Assim sendo, a nossa ciência terrestre também é parte da Criação Divina. Portanto, apenas fazendo uma fusão entre a ciência do mundo científico-terreno com a Ciência Cósmico/Divina, poderemos compreender/sentir/perceber/interagir com os acontecimentos atuais e futuros porque eles extrapolam os níveis de entendimento dos nossos cinco sentidos.

        A Consciência Divina é Una, porque Deus/Uno está inserido em toda a Manifestação através da Energia do Amor/Puro/Uno, precedendo todas as outras formas de energia. E o universo nada mais é do que luz condensada em diferentes freqüências.

        O Mundo da Energia é ao mesmo tempo mutável e imutável, está em eterno movimento e ao mesmo tempo em eterno repouso, é dinâmico e ao mesmo tempo quieto. Nele, a Lei da Polaridade rege a relação e o movimento entre todas as forças opostas que vibram em todos os níveis, com a finalidade de gerar a criação, de gerar o universo físico. Ela controla a interação entre as duas forças fundamentais do universo, a Força Negativa e a Força Positiva, portanto, através Dela é que todo o universo se expressa pela bipolaridade.

        Com tudo isto que mencionamos acima, podemos decodificar que a Energia é uma só. O que varia é o seu grau de densidade/freqüência de Luz, porque tudo se propaga e nada mais é que a própria “Manifestação da Luz” em outros níveis de densidade/freqüência.

        Para nós, interessa apenas as Energias que interferem nos nossos processos evolutivos.

        Quando falamos em freqüências, podemos entender melhor as formas de manifestações da Energia. A Freqüência Eletromagnética está associada ao elétron como partícula/matéria, portanto é mais típica da densidade e, podemos então entender que nós vibramos no eletromagnetismo porque nossos átomos/elétrons estão em constantes movimentos como partícula/matéria. Portanto, somos densos e eqüidistantes da Freqüência Magnética que está associada ao elétron como onda/plasma, é mais sutil/imanente e vibra em ressonância com a Consciência Primordial.

        A seguir, decodificaremos alguns tipos de Energia que interferem diretamente em nossas vidas e que, podemos aprender manipulá-las, acelerando nosso processo evolutivo.

Energia Vibracional/Kundalini

        A Kundalini é a energia vital que nos move e faz existir. É a energia primeva que todos temos ao encarnar na Terceira Dimensão. A energia sexual tem o poder de fazer ascender a Kundalini através da coluna vertebral, bem como o ato criativo e as energias mobilizadas pelas nossas emoções e sentimentos. Ela pode ser elevada em espiral ao chacra Frontal, sendo assim possível direcioná-la para diversas finalidades.

        É a freqüência eletromagnética das energias vibracionais na Terceira Dimensão. Somos nós, é a nossa energia principal e, sem ela não existiríamos, pois é a energia da Criação.

        A Kundalini, fusão de todas as energias vibracionais, é a mais importante e eficiente, podendo ser direcionada para vários propósitos interessantes para nós, entre eles, auto-cura e também fenômenos, como a abertura de portais físicos.

        Com o desenvolvimento da Kundalini para o Frontal, através do nosso pensamento direcionado criamos nosso campo eletromagnético pessoal e há uma interação deste nosso campo, com o campo eletromagnético da Terra, que é sincronizado periodicamente com a vibração cósmica, se transformando em Energia Taquiônica, que é a soma de todas as outras, método pelo qual Jesus Cristo realizou seus milagres.

        Energias Vibracionais não Ativas: São aquelas nas quais você consegue realizar muitas coisas, mas dentro do seu campo; você não consegue interagir no campo de outras pessoas.

        Energias Vibracionais Ativas: São aquelas que transcendem 17 ciclos/segundo de freqüência cerebral (Rápido, Instantâneo. Cada toque intencional, você muda instantaneamente).
• Energia Vibracional = obtida através dos estímulos emocionais (medo, ódio, amor, felicidade, dor, etc.) e sexuais.
• Kundalini = fusão de todas as energias vibracionais transmutadas (emocionais e sexuais) A kundalini é a individualização da energia cósmica universal em cada Ser Humano. É a energia vital, de criação, particularizada em cada um de nós. No corpo físico ela se encontra em estado de latência no chacra básico
• Energia Taquiônica = a soma de todas as outras mais a sincronicidade cósmica (kundalini armazenada e centralizada no frontal).

        Por isso as etapas do desenvolvimento de energia são as seguintes:
1. Transmutação das Energias Vibracionais
2. Elevação e centralização da kundalini no frontal
3. Conversão da kundalini em Energia Taquiônica através do nosso pensamento direcionado, vibrando na sincronia cósmica.

        Para melhor entendimento da dinâmica desta freqüência energética, podemos dizer que a nossa energia apresenta três polaridades diferentes: positiva, negativa ou neutra.

        A energia de uma pessoa é algo particular, sendo identificado como positiva ou negativa para si mesma e devendo ser novamente identificada em cada pessoa, podendo ser avaliada de modo diferente para cada uma. Assim, você pode ter energia positiva para você mesmo e, negativa para seu irmão, e/ou vice-versa, ou positiva ou negativa para os dois. Se a sua energia é negativa para seu irmão, não significa obrigatoriamente que a dele também seja negativa para você.

        Para se identificar qual o tipo de energia de uma pessoa, faz-se o teste pelo tato. Toque nesta pessoa e perceba que sensação lhe traz. Se for uma sensação gostosa, de atração, se sentir a pele quente, a energia é positiva para você. Se o toque causar certa repulsa de pele, se sentir um formigamento em sua mão ou se sentir a pele fria, a energia é negativa para você. Se você não sentir nada pelo toque ou pelo olhar, significa que a energia é neutra.

        Energias Contrárias — positiva para um e negativa para outro — indicam uma compatibilidade energética. Segue-se a regra dos opostos que se atraem, pois estamos falando de energia. No caso do conhecido “amor à primeira vista”, por exemplo, há que existir esta compatibilidade, senão não haverá atração no primeiro encontro entre as duas pessoas.

        Energias Iguais se repelem então num encontro como este você sentiria uma repulsa pela outra pessoa, certa antipatia, desconfiança ou algo menos agressivo. A atração somente física entre duas pessoas requer energias iguais. Por uma pessoa que você sinta amor ou profundo carinho, supõe-se ter energia compatível com a sua. (energias opostas).

        Para o desenvolvimento de energias vibracionais é importante que a pessoa tenha energia compatível com a sua, pois isto facilita enormemente um processo de energização, a simples transmissão de energia ou mesmo de telepatia.

        Uma energia, no entanto, pode ser alterada. Para tornar a energia de duas pessoas compatíveis, pode-se proceder à inversão energética. Esta compatibilidade pode ser desejada, por exemplo, entre o terapeuta e seu paciente, para facilitar os processos de tratamento, ou entre casais, para resolver divergências sérias.

        Energias vibracionais são aquelas produzidas em ritmos hiper-acelerados, provindas de várias fontes, como estímulos emocionais ou sexuais. Uma pessoa só terá energias vibracionais em seu corpo se tiver uma vida sexual ativa ou se capta-las através de estímulos emocionais.

        As energias vibracionais podem ser positivas e negativas: as negativas seriam o medo, a angústia, a depressão, o pânico, dor, saudade e as positivas seriam o sexo equilibrado, a felicidade, a paixão. Todas essas fontes de energia podem ser convertidas em Energia Vibracional Ativa através do comando mental de cada indivíduo, ou seja, o desejo profundo e o direcionamento certeiro dado pelo pensamento..

        Outras formas de se obter energia vibracional são através de exercícios de atuação mental e ativações. Assim, a pessoa será a sua própria fonte de energia, não precisando captar energia do exterior. Por isso invertemos o movimento de rotação dos chacras, para não absorver energias negativas.

        Energias Vibracionais Ativas: A energia sexual é ativa, pois ela transcende (faz vibrar todas as células e potencializa a energia dessas células de forma que a energia transcende o seu campo e age no físico).

        Todos os chacras produzem energia vibracional, mas somente o básico produz energia vibracional ativa.

        Armazenamento da Energia Sexual: O sexo é o início da vida e a base de toda nossa energia, ou melhor, o processo pelo qual nossas faculdades mentais são ampliadas. Através de sua prática podemos ampliar, acelerar e até mesmo armazenar energias por um tempo de até três meses.

        Durante o ato sexual, nosso metabolismo sofre alterações e passa a funcionar em ritmos acelerados. Todas as nossas células se agitam, podendo transmitir ou receber qualquer tipo de informação. Nosso subconsciente, a mente e a energia ficam ativados com ritmo até 300 vezes mais rápido e intenso que o estado normal, facilitando a realização de nossos desejos.

        Vários grupos esotéricos trabalham a energia sexual, eles puxam a energia através da coluna até o Frontal e a deixam ali. Para eles a regra é não ter orgasmo para não haver desperdício de energia, pois trabalham no astral e extra-físico porque está dentro do seu campo, mas estamos numa terceira dimensão e se trabalharmos só o interno (o seu campo) os resultados se apresentarão limitados. Para fazer com que nossas energias atuem em nível mental, basta conhecer as técnicas capazes de estimular nossas células a emitirem vibrações mais elevadas, em nível de consciente exterior.

        O orgasmo provoca a expansão da energia do Frontal, exteriorizando-a, porque só assim acontecerão realizações no campo físico. Se o indivíduo segurar o orgasmo, a energia vibracional ativa não expandirá e ela não atuará no mundo físico.

        Deve existir sempre afinidade entre o casal, deve existir uma compatibilidade entre os mesmos, com os dois pensando em objetivos finais comuns.

        Aqueles que não possuem atividade sexual devem exercitar a energia vibracional ativa através de suas emoções, ao nível do seu subconsciente. O efeito é cerca de 20% mais lento que a energia sexual, mas consegue-se chegar ao mesmo objetivo.

        Se segurarmos a energia vibracional ativa, não teremos atuação no mundo físico.

        Somente o básico funciona automaticamente para a ativação.
• RETER a energia sexual: Só trabalha no astral, no seu próprio campo – astral ou extra – físico.
• LIBERAR a energia sexual: Realizações no mundo físico – atuação no mundo físico.

        O Chacra Básico gera Energia Vibracional Ativa, o frontal é o depósito dela, e os outros chacras só produzem Energia Vibracional (não ativa).

        

        Armazenamento da Energia Emocional: o método para se obter vibrações energéticas em ritmos acelerados através do sistema emocional é tão simples como o método anterior. Os resultados nestas técnicas básicas são praticamente os mesmos, somente o prazo de armazenamento da energia será menor, de no máximo sete dias.

        Todos nós teremos condições de controlar nossas vontades. Com isso, recordar um fato do passado que tenha causado boas ou más sensações, é muito simples. Em frações de segundos os trazemos à tona, como se fosse um filme em nossa tela mental. Dessa forma podemos fazer unia retrospectiva dos fatos e até mesmo sentir um pouco das emoções de tais acontecimentos. Isto não é difícil, basta concentrar-se.

        Também não é nada difícil criarmos em nossa mente cenas de aventura, apavorantes ou mesmo eróticas. Mais fácil ainda é criar as cenas procurando sentir as emoções e sensações. Para isso, é preciso sentir realmente e desejar profundamente que tais vibrações se transformem em energia para todos os fins e benefícios, que se acumulem no chacra frontal para serem utilizadas onde e quando necessário. Assim nosso subconsciente se encarregará de executar a ordem. Quando isto acontece, nosso sistema nervoso central se altera, provocando oscilações aceleradas em todo nosso organismo. Essas mudanças provocam a liberação de energias que ficam acumuladas, sem uso, em nosso subconsciente.

        Os estímulos emocionais não precisam ser fantasias ou recordações. Podemos utilizar os acontecimentos diários que causam grandes emoções, como dor, paixão, ódio, angústia, alegria e muitos outros na hora que acontecem, e desejarmos que sejam transformados em energia e armazenados em nossas células.

        Assim, de um acontecimento banal, como bater o dedo na porta da cozinha, você pode retirar energia para ser acumulada. As emoções podem ser boas ou ruins, não importa, pois resultarão em energia positiva do mesmo modo. O poder está em nosso querer e lembre-se de que é preciso crer para ver.

Energia do Amor Puro

        O Magnetismo da Energia do Amor Puro/Uno o torna a Energia da Atração

        Através da Energia do Amor os universos são construídos, porque Nela está codificada a Vontade Divina da Manifestação/Criação. Não se trata do amor humano que conhecemos na Terra, porém Manifestação da Consciência Divina que através da sua Vontade faz/cria as diversas formas de manifestações físicas para nelas experienciar.

        A Luz oriunda do Amor Maior, que habitualmente chamamos de Deus, vibra em tudo, vibra por todo o universo, em um constante criar e recriar, harmonicamente irradiada da Sua vontade.

        Quando a energia se expressa como matéria no mundo tridimensional, o mental/pensamento é a “ponte” que a irradia, portanto, a energia como matéria é o “reflexo” de um outro nível dimensional, ela “não é o real”. Real é o princípio mental/pensamento que se manifesta/refletindo no físico. Com base nesta premissa, dizem que “somos o que pensamos”. Podemos ampliar o contexto repetindo a frase de um autor por nós desconhecido: “Toda Criação é antes de tudo, o Pensamento de Deus”.

        Ao trilhar o Caminho da Luz devemos “nos deixar conduzir” pela Energia Neutra do Pensamento e “se imantar” pela Energia Neutra do Amor, que está relacionada com as partículas subatômicas da luz contidas nas auras dos animais, dos vegetais e dos minerais – portanto, é vibrando nesta Freqüência, que somos capazes de interagir com a matéria e nela realizar o que desejamos.

        E, para sintonizar com a Vibração do Amor Universal ou Uno que é Neutra, devemos aprender polarizar a energia das emoções derivadas do instinto primitivo que vibram ao nível dos chacras inferiores e direcioná-la ao chacra frontal, para que possamos com ela nos potencializar mentalmente e já na Freqüência do Pensamento que também é neutra, trilhar sem percalços o Caminho da Luz.

O Amor precisa de articulações livres para circular

        A idéia do amor como energia nos esclarece muitos conceitos e fenômenos que conhecemos através das religiões como milagres, êxtase, estado de graça, etc. É quando entendemos amor não como um sentimento que exclui tantas pessoas, pois só elege poucos, mas como um campo infinito, que inclui tantos quanto se possa imaginar.

        O amor sentimento chega sem aviso, a pessoa não consegue localizar exatamente como ele começou, foge ao seu controle. Mas o amor energia surge intencionalmente, pois é gerado pelo sujeito através de um estado especial de completa neutralidade. Neste caso não é uma energia que se direciona, mas um ambiente energético que se cria, onde muitos “milagres” podem acontecer.

        A condição neutra desta energia/ambiente coloca a pessoa em contato com planos bem superiores ao plano astral e espiritual, onde também testemunhamos fatos surpreendentes e milagrosos. Qual a diferença então, já que também o astral e o espiritual operam esses milagres? A diferença é a interferência da emoção. Quando a emoção interfere ficamos mais vulneráveis. No caso de uma operação de cura, por exemplo, a emoção do Curador pode fazer com que a cura não aconteça e, muitas vezes, faz com que o Curador absorva a energia doente. O amor sentimento, que quer ajudar, pode interferir no próprio ato de ajuda. Por isto é tão difícil cuidar de pessoas com as quais temos laços afetivos. É comum vermos mães que frente ao sofrimento do filho pedem para sentir a dor por ele – e muitas vezes são atendidas.

        No ambiente da neutralidade do amor/energia não há emoção, nem interferência do estado emocional do sujeito. Também não há dúvidas, medos, ansiedade, julgamentos, preconceitos, crenças ou preferências pessoais para interferir. A neutralidade percorre todos os corpos: mental, emocional e físico. A ação da pessoa no ambiente da neutralidade é rápida, firme, objetiva, segura.

        Amor Neutro não tem polaridades (não é A nem B), ele transcende o “gostar”/“não gostar” e, nesta Freqüência Neutra, estamos abertos a todas as freqüências universais.

        O amor precisa de articulações livres para circular! Esta frase traduz os requisitos para que a energia do amor possa ser gerada e propagada. São necessárias articulações livres em todos os sentidos que esta palavra possa assumir. Primeiramente articulações mentais. A mente precisa estar disponível, aberta para novas informações, mesmo as que aparentemente são incompreensíveis. Algumas informações podem ser incompreensíveis para nós em situações normais, mas sob a influência do amor vamos assumir uma postura mental compreensiva, acolhedora. Não existe julgamento nesta freqüência. Também não há conflito entre certo e errado, justo ou injusto, etc. Na freqüência do amor não há polaridades. Ao contrário, a energia do amor harmoniza polaridades, conflitos internos que existam nas pessoas. Assim é importante sermos mentalmente flexíveis e maleáveis o suficiente para facilitar o acesso ao plano do amor.

        É fundamental ressaltar que a mente precisa estar alerta, acelerada. Só assim poderá ser acessado este plano elevado. A mente em estado alfa tende a deixar os processos mentais mais lentos, limitando a percepção. O estado alfa propicia a alteração de consciência, o estado de transe, que pode levar a pessoa inclusive a ações inconscientes.

        Muitas vezes o sistema de crenças da pessoa impede que o amor circule, pois existem crenças que limitam a possibilidade de a pessoa desenvolver o seu potencial de ação sobre a própria vida. São pessoas que não têm condição de assumir o potencial divino de realizar seu próprio milagre. O pensamento delas se encarrega de limitar a ação, de bloquear a energia do amor.

        Também precisamos de articulações emocionais livres para que o amor circule. Sem medo, sem apego, sem sofrimento. No ambiente da neutralidade ficamos sem essas experiências que alimentam e fortalecem o ego. O amor não circula e a pessoa cada vez mais se conecta a experiências de não-amor.

        É importante abrirmos um espaço para falar do sofrimento. Há quem ache que o sofrimento é inevitável, mas inevitável é a dor. A dor é real e tem um tempo definido para acontecer. Já o sofrimento pode ser eternizado se a pessoa assim quiser. Há pessoas que marcam sua vida, seus dias, suas experiências com o sofrimento. O sofrimento passa a ser a sua marca e em tudo e em todos, elas encontram motivos para reforçar esta imagem.

        A dor é inevitável, mas o sofrimento é ilusão, pois é gerado pelo estado de consciência ultrapassando mesmo a morte. Algumas pessoas criam no astral o ambiente de trevas, onde elas se reúnem pela afinidade vibratória. Na verdade é um lugar ilusório, gerado pelas mentes sem luz, comumente denominados por certas religiões como Purgatório e Inferno. As pessoas sofrem neste cenário sem saber que foram elas mesmas que criaram aquele “palco”. Você escolhe se vai ou não sofrer depois que a dor passar. Desta escolha é que após experiências de extrema dor, como a perda de entes queridos, há pessoas que se lançam em campanhas, criam ONGs, lideram movimentos para prevenir e amenizar a dor de outras pessoas.

        Com articulações emocionais livres, no ambiente da neutralidade, a energia do amor traz a harmonia interna, o equilíbrio e a tranqüilidade para que os sentimentos e as emoções sejam experimentados sem identificações. O amor precisa de articulações livres para circular! O Medo, o apego, o ciúme, a raiva impedem a circulação de qualquer energia quando nos identificamos com eles.

        Finalmente, o corpo físico precisa de articulações livres para o amor circular. A flexibilidade mental precisa se refletir num corpo físico sem tensões. A energia do amor penetra e permeia melhor o corpo físico quando este está saudável e sem bloqueios energéticos. A rigidez tanto mental como emocional geram a rigidez/resistência do corpo físico. Para que o campo da neutralidade se desenvolva, é necessário que também não nos identifiquemos com o corpo físico. Também o corpo físico não pode dominar.

        Na energia da neutralidade, no ambiente do amor, nem o corpo físico, nem o emocional nem o corpo mental podem dominar a Essência do Ser. Ainda que, habitando todos eles, o Ser precisa estar livre para acessar a dimensão em que tudo é possível. Livre para atuar, sem se identificar com nenhum dos corpos, o Ser pode comandar o pensamento para as realizações necessárias, seja na sua vida ou de outras pessoas. É certo ou errado atuar na vida de outras pessoas? A própria dúvida elimina na origem a possibilidade de sucesso na realização almejada. Se o outro precisa e você pode fazer, não pode haver dúvida, nem sob o aspecto moral, nem ético. Talvez alguém possa ter a dúvida sobre a má utilização desta energia, deste ambiente de milagres. Porém é impossível a negatividade sobreviver em contato com a energia do amor. No ambiente do amor toda negatividade é neutralizada e só se realiza o que for consoante com o plano superior. No ambiente da neutralidade não há intenção, que direcione, mas ação, que realiza. A intenção já supõe uma qualidade – positiva ou negativa. Há que se fazer o que é preciso – e está feito.

        O amor/ambiente neutraliza também as identificações do Ego. Nesse estado a pessoa se percebe e tem plena consciência de quem é, mas ao mesmo tempo também sente e percebe o outro, ou outros como se fosse cada um deles. É possível então ajudar o outro, pois a pessoa usa a própria vontade para ajudar o outro na própria realização.

        Por tudo que foi exposto, concluímos que no ambiente neutro do amor está a sabedoria maior, a fonte de milagres, o curso normal da vida. Quando bloqueamos o fluxo, vem a frustração, o medo, a culpa, a dúvida, a depressão, o pessimismo. O amor precisa de articulações livres para circular e quando nos entregamos a esta energia a vida flui suavemente no sentido da evolução e da felicidade do Ser.

        Harmonizar-se internamente para alcançar este estado de amor/neutralidade não é simples, mas é algo muito fácil quando se quer de verdade. Também não é fácil manter este estado o tempo todo, mas tanto iniciar como manter é resultado do exercício da vontade. Afastar-se de qualquer identificação parece um preço muito alto a pagar por este estado, mas quando conseguimos entendemos que é um investimento muito pequeno em relação aos benefícios que podemos gerar.

        Querer é o primeiro passo para criar o ambiente do amor. Dado o primeiro passo, é preciso saber esperar que a energia seja gerada e então aplicá-la da forma que o momento pedir – depois é deixar a energia fluir, pois já não estamos no controle e o amor precisa de articulações livres para circular.

Energia do Pensamento/Taquiônica

        Energia derivada do poder mental – força energética que armazenamos em nós – e que, através do direcionamento do nosso pensamento podemos fazê-la fluir além do nosso campo energético, incidindo na matéria.

        Estamos falando de uma forma de energia que todos os seres humanos têm e que pode produzir efeitos e transformações na própria matéria, nos próprios seres humanos e no próprio Cosmo. Essas transformações são notadamente maiores nas pessoas ditas paranormais. O próprio termo paranormal significa algo além do normal. Por isto os fenômenos paranormais são considerados anormais.

        Torna-se necessário aperfeiçoar o conceito ou definição de energia. Para a física, energia é a capacidade de um sistema produzir trabalho. Sugerimos uma nova definição para o termo: “Energia é a capacidade de um sistema produzir trabalho e transformação.” Porém, se para definirmos energia, levarmos em consideração a sua fonte de origem e ampliarmos nossa visão para além da matéria, alcançando patamares cósmicos, veremos que tudo se origina de uma única fonte e, que esta Fonte Única é Consciente e Irradiante, emitindo de si mesma, todas as outras formas de energia..

        Dentro deste novo conceito, poderemos verificar transformações da matéria através da força do pensamento direcionado por uma consciência. Como isto parece absurdo para alguns cientistas, a primeira definição anterior é para eles, suficiente e perfeita. Por esta razão, pessoas ligadas às profissões científicas não consideram o pensamento uma energia. Elas nunca constataram o pensamento produzindo trabalho, e nem tampouco observam a ação da “consciência” que, direciona/comanda o pensamento. Mas o pensamento direcionado pela vontade de uma pessoa pode modificar os objetos, as coisas, a matéria e até os acontecimentos. A Física Quântica tem estudado muito este fenômeno.

        De fato, a energia sempre transformou a matéria. O calor, que é energia, propicia a realização de certas reações químicas transformando substâncias em outras. O calor pode cristalizar e reorganizar átomos e moléculas, modificando suas estruturas e suas características. O diamante e a grafita são isômeros, pois têm a mesma composição atômica, porém estruturas internas diferentes. O diamante foi transformado através do calor e pressão.

        A energia atômica irradia raios alfas, betas e gamas transformando outros átomos em isótopos. Poderíamos citar outros exemplos de transformações, mas não é necessário. De certa forma a transformação é também um trabalho.

        Muitas experiências são realizadas no mundo utilizando a energia do pensamento que tem a velocidade vinte e sete vezes a da luz. Mensagens são enviadas, objetos são deslocados, metais são entortados e matérias são criadas. Trata-se de uma energia capaz de atravessar a própria matéria sem ser barrada e afetando somente o alvo escolhido. Essa energia não é absorvida pelos corpos ao longo do caminho. Por isto ela não se perde – por isto é fantástica e especial – é assim que ela passa quase que despercebida. Como podemos notar, essa energia é gerada pelo ser humano – é por este motivo que devemos estudá-la.

        Como se trata de uma força pouco conhecida, este assunto é ainda experimental e visto por muita gente como ciência suspeita. Chegou o momento de mudança. As nossas crenças devem ser dinâmicas, mudando de acordo com a evolução. Tudo que sabemos são fragmentos da Verdade. Ninguém conhece toda a Verdade. Ela se revela aos poucos. Na proporção que ampliamos nossos conhecimentos, maiores serão as dúvidas e os questionamentos. A evolução é uma escolha que fazemos. A evolução é decorrente da conscientização. Assim não podemos ignorar o poder do pensamento.

        Essa energia sempre esteve presente na história da humanidade. Descoberta e utilizada na Atlântida, seu conhecimento foi herdado pelo sábio Imothep no antigo Egito, e desde então, seu uso ficou recluso às práticas dos ocultistas e Iniciados.

        Imothep foi também o primeiro filósofo da história da humanidade. Dedicou-se a analisar conceitos fundamentais como espaço, tempo, volume, a natureza das doenças, a existência de Deus e a imortalidade. Astrônomo e astrólogo, ele criou o primeiro registro sistemático da abóbada celeste deixando-nos os primeiros mapas das constelações. Demonstrou o seu conhecimento dos equinócios ao usar as mudanças de Era para determinar as etapas da revelação no desenvolvimento espiritual da civilização egípcia. No entanto, foram as suas qualidades como médico que o converteram em um semideus. Imothep também é conhecido pelos nomes Esculápio (gregos) e Hermes Trismegistrus. Imothep misturava a magia com a medicina. Suas fórmulas e remédios estão cheios de rezas e encantamentos, pois ele acreditava que a medicina não curaria sem que recebesse poder através da energia da palavra.

        Seus textos e ensinamentos passaram secretamente de geração em geração durante milênios. Os gregos os chamavam de princípios herméticos. Entre os diversos textos deixados por Imothep, um deles Caibalion fala dos sete princípios fundamentais do Universo. Neste texto afirma que o Universo existe na mente de Deus. Que cada homem é único com seus pensamentos e com capacidade de pensar individualmente e que a realidade é um grande sistema onde todas as coisas têm consciência e estão interligadas.

        Foi Imothep que determinou a localização onde se construiria a pirâmide de Saqqara para as suas misteriosas finalidades. Está situada na área entre 31 e 32 graus de longitude Leste e 29 e 30 graus de latitude Norte. A única área no Egito onde se construiriam pirâmides nos próximos 400 anos. Quatorze quilômetros ao sul do Cairo e ao lado de Memphis, a desaparecida capital do Egito. Saqqara fica sobre um dos nódulos principais da rede eletromagnética do planeta onde se pode melhor utilizar a energia telúrica para fazer vibrar uma grande massa de pedra. Neste ponto a atmosfera está carregada com 500V/-m². Cinco vezes o normal. É um ponto de poder no planeta que aumenta os efeitos da pirâmide que Imothep construiu. Esta localização era fundamental para que a pirâmide operasse como um condensador elétrico que captava, como uma antena, a energia positiva da atmosfera nos cristais de quartzo dos azulejos de granito que a revestiam externamente.

        A planta de todo o complexo parece um processador central de um computador. Saqqara foi a primeira experiência com a formal piramidal para aplicar e aperfeiçoar uma tecnologia quântica cujo objetivo era acelerar o aperfeiçoamento espiritual dos discípulos da Escola de Mistérios do Olho de Hórus. A partir de Saqqara, foram construídas diversas pirâmides no Egito, culminando com a grande pirâmide de Quéops. Estas eram máquinas com o objetivo de produzir colunas estacionárias de energia que permitiam elevar a freqüência de vibração dos iniciados. Isso aumentava a energia vital, o poder mental e despertava novos sentidos tais como a telepatia e a sensibilidade para perceber a aura de outros indivíduos. Permitia que a consciência se posicionasse acima do tempo e percebesse a cadeia de reencarnações já vividas.

        Através da tecnologia utilizada em Saqqara foi possível aumentar a freqüência de vibração dos iniciados, acelerando a sua evolução espiritual. Permitiu aos discípulos de Imothep verificar a existência de outras dimensões, contatarem seres nestas dimensões e receber informações de outras dimensões.

        Saqqara produzia energia taquiônica, a energia de maior freqüência e vibração do Universo. Esta energia é neutra e se compõe de pares de partículas que por terem cargas elétricas contrárias se anulam e se equilibram. Por serem neutras, não sofrem resistência e se movem vinte e sete vezes mais rápidas do que a luz. É a energia do pensamento que vibra na alta freqüência do amor.

        Vibrando nesta freqüência, a mente pode dirigir a energia taquiônica – energia do pensamento, para elevar a energia vital dos doentes realizando curas fantásticas e até salvando-os da morte. Todas as coisas e seres do Universo vibram com freqüências diferentes dependendo do seu nível de evolução. Saqqara gerava um campo eletromagnético elevado e sons que vibravam em diferentes freqüências. Sua forma e arquitetura produziam e captavam energia. Emparelhava as partículas elétricas convertendo-as em uma coluna ondulatória estacionária de energia taquiônica.

        A pirâmide produzia diversas freqüências permitindo que discípulos com diferentes níveis de evolução pudessem entrar em sintonia e vibrar com uma freqüência mais elevada que a que tinha no momento. Isto potencializa seus níveis de energia vital, sua aura ou seu campo eletromagnético pessoal. Simultaneamente recebiam uma preparação intensa que, após os seus vinte e um anos de vida, permitia-lhes elevar sua consciência às dimensões superiores da realidade. Ao manipularem, em seu interior, nível superior de energia vital na freqüência da vibração do amor surge a telepatia e se adquire sensibilidade para perceber a musica das esferas, a dança das partículas subatômicas que formam a aura, o campo eletromagnético que cada ser humano produz em torno do corpo.

        Saqqara acelerava este processo de evolução espiritual, pois permitia que os indivíduos experimentassem temporariamente um aumento gradual na sua freqüência vibratória. Através da meditação e informação para viver em paz e harmonia, respeitando tudo que existe ao compreender que tudo está vivo e inter-relacionado, a freqüência de vibração experimentada se tornava permanente.

        Os discípulos mais evoluídos, que mantinham mais alto nível de vibração, podiam movimentar sua consciência no tempo e no espaço e ver a corrente de reencarnações que lhes permitiu chegar ao seu nível atual. Podia ver e perceber realidades além da terceira dimensão. Ao constatar estas realidades, Imothep pode enunciar no Caibalion que “como é em cima, é em baixo”, que existe uma correspondência entre os diversos planos da realidade. O plano físico, o mais evidente aos nossos limitados sentidos, pode ser analisado para descobrir verdades sobre os outros planos da realidade que não percebemos.

        A energia taquiônica da pirâmide elevava a freqüência de vibração e encurtava a longitude das ondas cerebrais, amplificando o poder mental e o campo eletromagnético, a aura, dos seres humanos. Isso permitiu que os iniciados chegassem a níveis superiores do Universo, podendo comprovar a existência de novas realidades, dados segurança a toda a sociedade.

        Ao sintonizar-se na freqüência de seres mais evoluídos, podiam estabelecer comunicação e receber informações. Saqqara foi o primeiro centro de comunicação com as dimensões superiores. As pirâmides possuem uma tecnologia quântica que começamos a descobrir agora, uma tecnologia herdada pelos Egípcios da desaparecida civilização Atlante. Saqqara é a amostra incompreendida de uma tecnologia com a qual nem sequer sonhamos e que apenas começamos a vislumbrar. Tecnologia controlada pela consciência e dirigida a evolução espiritual de todo o povo.

        Sendo a energia taquiônica a energia do pensamento, ela é capaz de produzir efeitos, alterações e modificações na matéria. Esse assunto era mal conhecido pela ciência do passado, porque não era suficientemente desenvolvida e aparelhada para chegar à conclusão que temos hoje.

        A oração tão praticada por diversas religiões é na verdade a energia taquiônica em ação. O próprio nome já diz: oração – ora da ação. A força do pensamento direcionada pela vontade de quem está orando é a energia capaz de produzir o efeito desejado. A ciência já constatou mudanças nos cristais de água quando a oração tem por objetivo/intenção, afetar a água.

        Na verdade, a força da oração não está mesmo nas palavras e sim no pensamento direcionado. As palavras têm a magia de impressionar quem está orando no sentido de desencadear a fé (que nada mais é do que concentração da mente) e conseqüentemente a energia taquiônica direcionada ao alvo. Na realidade, o efeito é causado pelo pensamento cuja força provém de nossa mente. Também já foi verificado que a força do pensamento, que é uma vibração, é tanto maior quanto maior for nossa emoção. Assim, situações simuladas mentalmente geram maior energia taquiônica.

        Essa energia mental é capaz de produzir variados efeitos, podendo transformar objetos e pessoas. A foto Kirlian é uma das maneiras de constatar os efeitos do pensamento direcionados para certos objetivos. Experiências comprovaram que orações direcionadas para comidas e remédios causaram mudanças em suas auras, alterando suas polaridades.

        No campo da medicina, os médicos estão constatando cada vez mais a importância da oração como ajuda paralela ao tratamento. Também foram verificadas interferências mentais nos encefalogramas causadas pelas mentes das pessoas próximas alterando o resultado desejado. Não foi por acaso que Jesus disse que o “o homem pode pecar pelo pensamento”.

        Todo pensamento quando repetido acaba criando “forma-pensamento” que age como um molde para que no campo da matéria venha acontecer sua realização. Esse assunto é às vezes mal explicado porque caiu no uso popular, servindo a diversos interesses.

        Quando imaginamos uma cena, já estamos criando uma realidade que ainda é invisível para os nossos sentidos comuns. Por isto é dito que quando queremos alcançar um objetivo na vida “o Universo conspira a nosso favor”. Mas normalmente a pessoa não acredita nesta possibilidade porque já está condicionada a um sistema de crenças que bloqueia seu pensamento, impedindo a ação da energia taquiônica.

        É evidente que nosso pensamento não tem esse poder tão instantâneo, e nem poderia ter, pois poderíamos produzir mais destruição do que construção. Essa situação é própria da nossa condição planetária de terceira dimensão. A demora em conseguir esses efeitos desejados é benéfica no sentido de evitar desastres. O nosso pensamento ainda não é treinado suficientemente para alcançar satisfatoriamente este poder.

        A ciência convencional já está se aproximando desta realidade. Muitos fenômenos acontecidos no Universo ficam sem explicação quando utilizamos os padrões científicos conhecidos por nós. A física quântica é o reino das possibilidades. Os cientistas de mente mais aberta estão pesquisando esse novo ramo da física, na tentativa de compreender todos os fenômenos do Universo. Essa procura foi ocasionada pela descoberta da interferência do pensamento na matéria. Os pesquisadores estão procurando entender porque o elétron aparece às vezes como partícula e às vezes como onda. Na verdade, o elétron está apenas mudando de dimensão pela ação taquiônica de uma pessoa. Como nós vivemos apenas em uma realidade, não conseguimos ver o elétron quando passa para outra dimensão. Esta é a causa do espanto dos cientistas que ainda não admitiram a existência de mundos paralelos.

        Pouco a pouco, as pesquisas estão caminhando para admitir a existência de uma substância quântica, capaz de realizar fenômenos antes tidos como milagres. Assim muitos fenômenos místicos terão uma explicação científica, o que coloca a ciência intimamente relacionada com Deus. Para tanto é necessário um padrão mental acelerado e o próprio cotidiano nos impõe esta aceleração

        Pelo que foi demonstrado, as formas-pensamento só podem se materializar se o interessado persistir na mesma idéia. Quando Jesus disse para os apóstolos “Vós sois deuses” – ele queria dizer que o ser humano tem essa possibilidade – só que ela estava adormecida dentro de cada um pela falta de crença em si mesmo. Essa é uma descoberta transformacional que levará o ser humano a uma nova existência.

Energias que podemos manipular

Cores e freqüências

        A energia da freqüência de cor vermelha/Kundalini é trabalhada para a obtenção de fenômenos físicos e para direcionar os desejos da pessoa, concretizando-os na terceira dimensão.

        A freqüência da terceira dimensão está na energia da cor vermelha, de Kundalini. Durante muitos anos, o grupo de estudos do Projeto Portal trabalhou a energia da freqüência vermelha acumulando-a no chacra frontal, para tornar tudo possível na terceira dimensão.

        A partir da manipulação correta da freqüência vermelha, a energia psicocinética, é possível manipular outros níveis de freqüências, porque o objetivo evolutivo é cada vez mais acessar níveis superiores de vibração em tempo hábil.

        Levando em consideração as nossas ondas cerebrais, a freqüência vermelha representa o máximo em termos de elevação mental, porque ela é a fusão/transformação das energias emocionais e sexuais em energia vibracional. Somente após manipular com perfeição a freqüência vermelha, é possível a obtenção e manipulação de freqüências como a da cor prata. A energia vermelha deixa o praticante habilitado para produzir e manipular a freqüência prata.

        A freqüência vermelha/Kundalini é que nos possibilita o contato físico com seres de outras dimensões. Entretanto, a cor prata deve ser produzida sem a ativação da kundalini, porque permite conferir se o praticante está iniciando a manipulação das Leis Universais. Somente a cor prata permite a interação na vibração da quinta dimensão porque ela é que permite a abertura de portais, manifestações extra-físicas, interação com níveis superiores, etc.

        Outras freqüências também são trabalhadas, como a violeta, a dourada, a verde, cada uma em seu patamar de atuação.

        A dourada permite manipular a mediunidade, realizar psicografias, transcominicação, etc.

        Já a freqüência lilás possibilita transmutações, transfigurações, bilocação, fluorescência e comunicação com os seres ascencionados.

        Finalmente a freqüência verde trabalha a saúde física, mental, e espiritual, bloqueando todos os problemas psicossomáticos. Para cada situação é possível gerar uma freqüência que nos facilita a solução de um determinado problema.

        A manipulação das diversas freqüências e, portanto, das Leis Universais, nos possibilita o equilíbrio entre os planos mental, astral e espiritual.

        No plano mental temos a mente como fonte de energia psíquica e intelectual, espírito, intelecto, capacidade de compreender e de criar, imaginação, intenção. Já no plano astral temos estado de espírito, disposição, humor, “suposta” influência que um ambiente ou um lugar exerce sobre alguém ou uma coisa exerce sobre outra. Finalmente, no plano espiritual temos coisas não materiais, em oposição ao corpo. Espírito, a parte não material do corpo humano.

        Os Chacras

        Os chacras são centros ou vórtices de energia localizados em pontos estratégicos de nosso corpo bioplasmático (corpo etérico), têm a forma de um pires, são côncavos e com movimento giratório.

        Chamam-se centros de energia aos pontos de captação ou desprendimento de energia.

        Do mesmo modo que no corpo físico há órgãos vitais e órgãos de importância menor, o corpo bioplasmático apresenta chacras maiores e menores. Os chacras maiores são pontos de energia com cerca de 7 a 10 cm de diâmetro. Os chacras menores têm entre 2,5 a 5 cm. Possuem funções importantes e variadas, tais como:
• Absorver, digerir e distribuir energia às diferentes regiões do organismo.
• Controlar o funcionamento adequado de cada órgão e do corpo físico como um todo. Por exemplo, se uma glândula é controlada e energizada por um determinado chacra, ela pode ser estimulada ou inibida pelo controle ou manipulação desse mesmo chacra.
• Desenvolver certas faculdades psíquicas da pessoa, através de sua ativação ou inibição por um chacra específico.

        Chacras principais

        Algumas literaturas citam a existência aproximada de 10 milhões de chacras, como se cada poro de nosso corpo fosse um chacra, mas, para efeitos energéticos, são trabalhados os sete chacras principais e mais conhecidos, assim como sua área do corpo físico correspondente.

        Vejamos a seguir os chacras que trabalhamos também suas correlações e localização:

        Coronário – Vem da palavra coroa, localizado no topo da cabeça, no crânio. Está relacionado ao cérebro e a energia absorvida por esse chacra é expandida para a coluna vertebral atingindo todo o sistema nervoso central e o sistema de comando das atividades cerebrais e nervosas. Responsável pela energia e controle do cérebro e glândula pineal, o chacra coronário não está sendo trabalhado no momento, pois ele fica “neutralizado” automaticamente, quando na pessoa é ativada a sua energia vibracional.

        Quando o coronário é “neutralizado”, a pessoa cria a sua própria energia, não dependendo do Cosmos, atuando de forma mais intensa, mais direta, como no processo da auto cura. Portanto, é pela neutralização do coronário, que se eleva a vibração da energia mental, expandindo o campo áurico pessoa, pois ela tem que ficar com a sua freqüência vibracional bem ativada, para se proteger das transformações do planeta e passar incólume pelo cinturão de fótons.

        Ao se “fechar” o coronário, é para que se faça o desbloqueio mental, podendo então, a pessoa gerar a sua própria energia mental, sem outras interferências.

        Frontal – Está localizado na região frontal (entre os supercílios). É responsável por todas as funções da mente humana, inclusive a clarividência.

        Energiza e controla a glândula pituitária (hipófise), os olhos, ouvidos, nariz e o cérebro. Por tudo isto, ele é importante na vida material.

        Hoje em dia é o chacra mais importante porque ele funciona como um depósito de energia vibracional ativa produzida pelo básico, servindo também para projetar essa energia para o mundo físico e dessa forma atuar conforme a sua programação.

        Laríngeo – Está localizado na laringe (base da garganta), é responsável pela emissão dos sons e comunicação. Energiza e controla as glândulas tireóides e paratireóides, além da garganta, laringe e faringe. Ele trabalha com todo o sistema imunológico do corpo humano. O laríngeo está associado à ansiedade, à compulsão e ao desequilíbrio da função hormonal da tireóide, nas mulheres.

        Cardíaco: Localiza-se na altura do coração, no centro do peito e é responsável pelas funções respiratórias e circulatórias; pulmões e coração. A glândula correspondente é o Timo. Quando em desequilíbrio, pode gerar paixão obsessiva, ódio, mágoa, artérias do coração e pressão alta. Diretamente ele não é trabalhado em energizações e auto-cura, mas é trabalhado quando se trabalha a energia sexual.

        Plexo Solar – Localizado na região central do peito, na área vazia, entre as costelas, na altura do início do estômago (acima do umbigo). Energiza e controla o pâncreas, o fígado, o estômago, o intestino grosso, o apêndice, o diafragma e até certo ponto o intestino delgado, os pulmões e o coração. Controla ainda a temperatura do corpo, as emoções e a parte hormonal. É o centro de distribuição de energia. Divide o corpo em dois, todos os meridianos passam pelo plexo solar. Quem já fez cirurgia no abdome, tem mais tendência a sentir medo, angústia, tristeza, excesso de timidez e como conseqüência doenças como câncer, alergias, etc..

        Umbilical – Situa-se no umbigo. Controla e energiza a parte inferior do intestino grosso, o intestino delgado, as glândulas supra-renais e o apêndice. Afeta a vitalidade geral da pessoa. Acelera qualquer processo que queira, pois acelera todos os meridianos. Sua principal função: é o único chacra que acelera nosso campo vibracional. É o único que trabalha com a coluna, quem tem problema de coluna não adianta energizá-la, deve-se energizar o umbilical (uma mão no umbigo e outra na coluna).

        Devemos acelerar o umbilical para:
• Facilitar os contatos
• Acelerar o processo de auto-cura.
• Acelera o campo vibracional do indivíduo expandindo a sua aura.

        O umbilical é o único que podemos acelerar tanto no sentido horário como no anti-horário, dessas duas formas ele acelera todo o nosso campo vibracional.

        Básico – Localizado na região pubiana, controla e energiza os órgãos sexuais, a bexiga e as pernas. Constitui o centro inferior do corpo ou do centro da criação física. Energia vibracional, paranormalidade (responsável pelos efeitos físicos), dá o ritmo acelerado da nossa mente. A Cor vermelha indica saúde física, quanto mais sua mente estiver acelerada, mais vermelha será a cor deste chacra.

        Sempre que estivermos fazendo algum fenômeno (uso da energia vibracional), todos os chacras estarão vermelhos, pois neste momento estará havendo uma alteração nos circuitos cerebrais.

        Se a pessoa tem um bloqueio no básico devido ao mau uso da energia sexual, isso pode provocar o bloqueio de todos os outros chacras, e como conseqüência pode engordar ou emagrecer em excesso, ficar super irritada, depressiva, com zumbido no ouvido. Além disso, todos os meridianos são bloqueados e a pessoa começa a ter uma decadência em todos os sentidos. Isto porque a energia não fluirá até o chacra Frontal de forma efetiva, pois, ela se perderá, esvaindo-se nos chacras que estão bloqueados.

        Somente o chacra básico produz Energia Vibracional Ativa, que pode ser utilizada para todos os fins como:
• Projetos de vida material como ganhar dinheiro.
• Tirar bloqueios.
• Desenvolver efeitos psicocinéticos ou telecinéticos.
• Despertar lembranças, não só suas, mas também de outras pessoas (As lembranças vêm em forma de intuição, sensação, emoções).
• Provocar mudanças metabólicas: Quando a pessoa ativa a Energia Vibracional, as suas juntas se dilatam, as mãos estalam, assim como pés, pescoço, e essa separação das articulações aparece nas radiografias. A pessoa pode provocar mudanças metabólicas em qualquer parte do seu corpo para curar as células.
• Inversão de polaridade.
• Auto-ajuda.
• Manipular a polaridade positiva quando a pessoa se encontra na 6ª lâmina do estágio evolutivo.

        Chacras das mãos – Localizados na região central das palmas das mãos. Caracterizados por estarem numa região terminal do corpo, denotam ponto de entrada ou escape de energia. São os chacras de ativação mais fácil e seguro, sendo que sua ativação permite o desenvolvimento da capacidade de sentir energias sutis e também de sentir a aura. Manipulação energética.

        Cada um desses chacras principais tem seu correspondente na região dorsal do corpo, exatamente na mesma direção do chacra principal, exceto o coronário. São chamados pelo mesmo nome do chacra, acrescentando-se o termo dorsal, por exemplo, chacra dorsal do plexo solar.

        Qualquer desestabilização nestes chacras provoca um desequilíbrio energético e emocional e pode ainda desestabilizar a aura.

        Os chacras que mais desprendem energia são os que refletem o emocional, ou seja, o plexo solar e o umbilical.

        Os olhos e ouvidos são os centros mais lentos de se curar. O aparelho digestivo está relacionado energeticamente com os chacras do plexo e do umbilical.

        Quando se procede a uma energização, deve-se fazê-lo colocando a mão direita no chacra da frente e a esquerda no dorsal correspondente. Para a energia vibracional agir é necessário ativar os chacras, com qualquer exercício de ativação.

        Porque Devemos Girar os Chacras no Sentido Anti-horário

        O planeta Terra gira no sentido anti-horário em torno do sol e o sistema solar em relação ao sol central também (leva aproximadamente 25.860 anos para dar uma volta completa). Então porque nós vamos vibrar contra a natureza?

        Antes de 1971, pela energia espiritual que prevalecia na Terra, antes da Era de Aquário, se fosse horário ajudava porque era o Ciclo da Noite Cósmica. Em outubro de 1999, começou o Ciclo do Dia Cósmico, mas como em 1971 Ashtar Sheran assumiu a missão de trabalhar e proteger a todos, com isso ocorreu a mudança de horário para anti-horário, pois não estamos mais trabalhando com o plano espiritual (no plano espiritual não conseguiremos transmutar). Os espíritos não conseguem interagir na matéria (derrubar objetos).

        Jesus Cristo foi o maior na paranormalidade, espiritualidade, conhecimento mental e astral, e os mensageiros de Deus realizavam fenômenos (água em vinho, etc.), porque eles trabalharam o mental e não o espiritual. Nós fomos condicionados pelas lideranças mundiais a ter uma informação positiva somente no nível espiritual, porque assim não chegamos a lugar algum, a não ser continuarmos escravos do sistema mundial.

        Nosso trabalho é nos libertar dessa prisão mental e para isso temos que acompanhar a natureza, a sincronicidade cósmica, ou seja, tudo anti-horário, caso contrário vamos morrer e reencarnar sucessivamente…

        Os três Chacras Principais são: CHACRA FRONTAL, CHACRA UMBILICAL, CHACRA BÁSICO.

        Fechar os chacras e inverter os chacras é diferente

        Para fechar você tem que girar o chacra no sentido anti-horário, tocando-o (encostar a mão no corpo) e para inverter não é preciso tocar, basta fazer a técnica cerca de 3 a 4 cm próximo da pele (interage na terceira camada da aura).

        Quando fechamos os chacras não emanamos e nem puxamos energia e quando invertemos os chacras nós emanamos e puxamos energia, mas há uma inversão: se puxamos energia negativa, ela é transformada em positiva; se emanamos negativa, é transformada em positiva e a energia positiva se mantém.

        Se você fecha os chacras você fica restrito ao seu campo, mas trabalha a energia dos outros próximos a você (estabiliza).

        É necessário ativar os chacras para a energia vibracional ativa agir (qualquer exercício de ativação: GNA, glândulas, etc.); somente o básico é automático para a ativação.
• FECHAR os Chacras: Tocar na pele, não emana nem puxa, só trabalha a energia da pessoa (estabiliza), “auto-suficiente” de energia.
• INVERTER os Chacras: Pode fazer próximo da pele, emana e puxa energia, se puxa negativo, transforma em positivo, e só emana em positivo (só no plexo).

        A AURA

        Nosso corpo mediante um movimento celular constante apresenta um tipo de micro-vibração que irradia de uma forma muito sutil um tipo de luminosidade. Essa luminosidade estaria maior ou menor, de acordo com o estado de relaxamento/stress, saúde/doença, variações do humor, estados de alegria/depressão.

        Muitas pessoas na historia da humanidade descreveram a “AURA”, resultando na popularização da auréola dourada ao redor da cabeça dos santos, representando sua pureza, e iluminação interior.

        A Aura é um corpo energético em volta do nosso corpo físico, um corpo bioplasmático ou perispírito. Digamos que seja uma energia, uma luz que envolve nosso corpo. Qualquer alteração nesse campo energético altera nosso metabolismo, somatizando doenças.

        Ela pode mostrar um diagnóstico da pessoa. Alterações ou mudanças de cor podem registrar problemas emocionais, mentais ou físicos. Se a aura tiver oscilações, se estiver interrompida ou despedaçada, quer dizer que a pessoa está perdendo a energia vital. É necessário então estabilizá-la através da energização dos Chakras, restabelecendo seu padrão. Qualquer pessoa pode se estabilizar ou equilibrar outra pessoa.

        Essa luz de nosso corpo pode ser vista a olho nu, através de técnicas, ou através das fotos Kirlian, feitas com máquinas adaptadas para esse fim.

        Camadas da Aura

        Nossa aura tem sete camadas, cada uma ligada a uma glândula e a certas funções do organismo. As funções das camadas podem mudar conforme os ciclos da Terra (Ressonância de Schumann). Normalmente, cada camada varia de um a três centímetros, conforme a evolução. Acima de três cm a pessoa está em um ótimo grau evolutivo.

        As primeiras seis camadas formam a aura interna e a sétima camada é a aura externa. A seguir estão listadas as sete camadas:
1 – Emocional
2 – Astral
3 – Físico
4 – Extra-físico
5 – Campo Magnético
6 – Polaridades
7 – Transmutação

        As camadas da aura combinam muito com a nossa realidade. Nós nos incomodamos muito com as outras pessoas, sempre nos comparando aos demais e, muitas vezes, nos indagamos porque fulano é mais isso ou aquilo e eu não? Não podemos jamais pensar dessa maneira. A humildade e a compreensão no sentido positivo devem prevalecer. Isto está ligado à 1a camada da aura, que é o emocional. Se esta camada não estiver equilibrada, não será feito nenhum trabalho, como a materialização de pedra, cristal, perfume. Nada disso acontece, porque se não houver o equilíbrio emocional, não ocorre o controle da energia (não podemos sair da faixa de tolerância). Principalmente na alquimia e na cura.

        A 1a Camada – O Emocional: Está ligada à tireóide (ansiedade, compulsividade) e ao emocional. É importante o equilíbrio dela para recebermos os benefícios dos Seres. Por exemplo, no caso da pessoa que está doente e que a medicina já não pode solucionar, e a nossa energização não atua mais com intensidade, a única esperança seria a ajuda dos seres, com a tecnologia que eles tem.

        A 2a Camada – O Astral: Está ligada às amígdalas, à projeção astral, aos sentidos e capta a freqüência espiritual. Temos muita ligação astral e espiritual, porque nós fomos condicionados a ter ligação forte com as filosofias, as linhas religiosas. No entanto, elas ajudam por um lado, mas por outro, quando chegamos a um patamar X, não conseguimos dar o passo final. Aquilo que Jesus Cristo falava, “caminhe com suas próprias pernas, tudo que eu faço vocês poderão fazer e até muito mais”. As lideranças religiosas conhecem esses métodos e eles deveriam ensinar às pessoas a forma de como atuar no mental. O espiritual nós já temos, já nascemos com ele, falta o equilíbrio do mental, das duas polaridades

        A 3a Camada – O Físico: Está ligada ao pâncreas, às reações químicas do corpo e capta a ressonância da primeira camada, refletindo assim o emocional no físico.

        A 4a Camada – O Extra-Físico: Está ligada ao apêndice, vibração de contato e projeção extra-física e mental. Ajuda bastante nas habilidades e na manifestação das nossas energias.

        A 5a Camada – Campo Eletromagnético: Está ligada a pituitária e pineal; consciência e razão, fenômenos de interagir na matéria e com outras mentes, energia crística, vibrações alquímicas e transmutativas. As pessoas que gostam de fenômenos paranormais, movimentar, quebrar, etc., tem que trabalhar esta camada para realizá-los. Porém, se tiver bloqueios sexuais e problemas de circulação, não irá conseguir realizar estes fenômenos.

        A 6a Camada – Polaridades: Está ligada a supra-renal, a energia das glândulas e a bipolaridade. O penúltimo estágio evolutivo é o mais complicado, porque as glândulas produzem substâncias de polaridades iguais. Dependendo da criação, do convívio e das amizades, a pessoa pode gostar de pessoas do mesmo sexo. Pode ser também que a pessoa passe por esse estágio sem perceber, sempre gostando da polaridade oposta. É o estágio onde se tem a visão mais aberta, mais aguçada e uma maior compreensão.

        A 7a Camada – Transmutação: Está ligada ao fígado (qualquer alteração no fígado pode refletir nos olhos); a proteção dos seres, estabilização, transmutação e grau evolutivo. O ideal é a pessoa ter a cor prata, que representa proteção, capacidade mental, magnetismo, carisma.

        Aura Externa – 7a Camada

        Através da aura externa, podemos ver a personalidade da pessoa, seu grau evolutivo e qual o seu estágio de vida. Enxerga-se a dois palmos do corpo da pessoa.

        A aura externa se classifica em cinco cores:

        AURA DOURADA – As pessoas que tem essa cor na aura são bastante espiritualizadas, compreensivas, amorosas, sensitivas, são “médiuns”, com desenvolvimento no grupo psigama (telepatia, percepção extrasensorial, sensibilidade no geral). Pessoas que podem transmitir paz, coisas positivas, principalmente na energização. Essa cor pode ficar a vida inteira no corpo da pessoa, só muda conforme a evolução.

        AURA AZUL – É uma cor que estabiliza. Quem tem a aura azul, tem a vida estabilizada por dois anos. Se a pessoa está com problemas emocionais, sexuais ou financeiros, tudo se estabiliza para o positivo. A cor da aura só pode mudar com a evolução. Se você não evoluiu, estacionou, depois de dois anos a aura azul se torna vencida e sua vida começa com altos e baixos (mais para negativo do que para positivo).

        Ela não tem uma vibração planetária para manter a pessoa equilibrada por mais tempo. Por isso, as conseqüências. Primeiro no plano financeiro, depois no sentimental e por último no físico, a saúde. A pessoa faz planos e tudo dá errado. As sensações, as somatizações típicas de quem está com a aura vencida são as seguintes: nos homens: estômago, coluna, cabeça, rins, próstata, vesícula. Nas mulheres: seios, útero, garganta, hormônios.

        AURA LILAS – É a cor que traz bens materiais, dinheiro, desenvolvimento profissional, sucesso em projetos, durante cinco anos. É a única vibração que atrai benefícios materiais: as coisas vêm na mão da pessoa, não precisa que ela corra atrás. Depois de cinco anos, ela muda para Violeta.

        Se uma pessoa estiver com problemas financeiros que não consegue resolver, é só puxar o lilás para sua aura. Ela não vai ficar totalmente lilás, mas com pontos desta cor. Para isso, tem de trabalhar os chakras básico, plexo e frontal com alguma coisa de cor lilás (tecido, luz, pedra, pela cromoterapia) e fazer a programação de como ela gostaria que estivesse a sua vida. Mas tem de pensar já no resultado positivo, não a vida melhorando e sim já melhorada.

        AURA VIOLETA – É a cor da mudança, da transformação, da reciclagem. Favorece mudança de emprego, de residência, de projetos em geral, a pessoa com aura violeta tem a capacidade de mudar qualquer coisa, transformar as coisas à sua volta, positivamente. O que quiser mudar em sua vida, pode planejar que dá certo.

        É a cor da transmutação, facilita a materialização e desmaterialização. O violeta pode ficar a vida inteira em nosso campo.

        AURA VERMELHA – É a cor da energia vibracional/sexual ativa. Energia vital, paranormalidade, alquimia, atuação na matéria, proteção do Cinturão de Fótons.

        AURA PRATA – É a cor da estabilização geral. Todas as qualidades das outras cores, a aura prata favorece. Mas tem de saber usá-la, manipular a energia, direcioná-la, senão, não haverá aproveitamento algum.

        Desde 27 de março de 1971, quando foi implantado o GNA, as pessoas que nasceram dessa época em diante já têm a aura prateada. Quem nasceu antes, vai conseguí-la de acordo com a evolução mental e espiritual.

        Quanto mais espessa for a aura prateada, mais energia, mais controle para quem a possuir. É excelente para contatos.

        Aura Interna

        Visualizamos pontos de oscilações, pontos coloridos. Ela pode mudar de cor, conforme o estado emocional ou energético da pessoa. Com treino, podemos enxergá-la pela terceira visão e verificar se a pessoa tem algum problema físico. Nós enxergamos a um cm da pele do corpo da pessoa (de um a sete cm).

        Essa aura pode mostrar, por exemplo, pontos vermelhos. Isso significa que a pessoa deve ter algum problema de inflamação ou infecção. Pontos verdes, indicam processo de cura.

        Na aura interna, as cores AZUL, ROSA ou DOURADO refletem o estado emocional ou grau de evolução da pessoa.

        A cor da aura pode ser mais clara ou mais escura, dependendo da intensidade de energia de cada um, mas este fato não vai influenciar em nada.

        Como já dissemos, a cor pode ser mudada através de exercícios específicos. Você pode trazer pontos de outra cor na sua aura, se precisar. Por exemplo, pode puxar pontos dourados, se quiser mais espiritualidade ou pontos lilazes, se quiser benefícios materiais.

        Esses pontos permanecerão na aura da pessoa por dois anos e esse tipo de mudança pode ser feito apenas duas vezes, não mais do que isso.

        As Cores da AURA

        As cores estão ligadas ao seu estado atual e podem ser analisadas antes e depois de terapias. Não existem auras boas ou más, e sim auras diferentes.

        Se a energia está escura ou estressada, você pode mudar estes padrões, reprogramando a sua mente para pensamentos mais elevados, e fazer exercícios de relaxamento, a fim de mudar a forma de vida que vem levando.

        Como regra geral, devemos procurar mudar os pensamentos negativos e sermos pessoas que irradiam luz, amor, e harmonia.

        Somos o que pensamos ser, dessa forma pense melhor e se torne uma pessoa melhor…

        Esta resenha das cores da AURA irá ajudá-lo a entender melhor acerca da sua própria. Utilize as seguintes explicações para comparar a sua e explorar-se interiormente. Lembre-se que estes dados são momentâneos, pois a nossa AURA está em constante mutação. Você pode induzir conscientemente as mudanças.

        EXERCÍCIOS PARA VISUALIZAÇÃO DA AURA

        Existem vários métodos para visualização da aura. Falaremos sobre dois deles.
1 . No primeiro método, para se conseguir enxergar a aura é preciso, antes de tudo, aprendemos a desfocar o olhar. Colocamos a pessoa, cuja aura queremos visualizar, em frente a uma parede branca. Olhamos para ela, mas não diretamente, e sim a 10 cm de um dos lados do seu corpo, ou acima de sua cabeça. Olhamos fixamente, sem piscar, por uns 30 segundos. Com treino, veremos o contorno de sua aura na parede. Mesmo depois que a pessoa sair do lugar, a sua aura ainda ficará por um tempo na parede.
2 . Neste método usamos a tática de ofuscar nosso olhar ou desfocar a imagem. A diferença é olharmos para pessoa procurando enxergar dentro dela ou através dela e não simplesmente sua aparência visível. Depois de alguns segundos, você não mais enxergará a pessoa e sim uma mistura de órgãos de seu corpo, como se braços, pernas e órgãos internos formassem uma nova figura.

        Com o tempo, treinamento, a pessoa consegue identificar a aura, suas cores, espessura e alguns pontos de oscilações em volta do corpo da pessoa, sem precisar mais da parede como auxiliar.

        ESTABILIZAÇÃO DA AURA

        A aura pode se desestabilizar em decorrência de dois fatores: uma perturbação emocional muito forte (como choro, excesso de raiva, medo) ou prática de relacionamento sexual por mais de três vezes num só dia. Com a aura desestabilizada, a pessoa fica fragilizada à mercê de disfunções orgânicas ou energias negativas.

        Antes de qualquer processo de energização, a aura deve ser estabilizada. Depois desse procedimento, ela permanecerá estabilizada por 30 a 35 dias.

        A técnica para a estabilização consiste em se tomar um banho frio, em que a água tenha uma temperatura mais baixa que a do corpo da pessoa. Deve-se deixar a água correr pelo corpo, da cabeça aos pés, por um tempo determinado. De acordo com a orientação dos seres, este tempo hoje está em 10 segundos.

        É IMPORTANTE LEMBRAR QUE:
– O tempo de duração do banho pode variar, no máximo, em 10%.
– Não se deve fazer uso de nenhum componente químico (sabonete, xampu), apenas água.
– Esse banho não pode ser tomado junto com o banho higiênico, diário. Deve haver um intervalo de, pelo menos meia hora, antes ou depois.

        A estabilização da aura acontece pelo choque térmico causado pela diferença de temperatura entre o corpo e a água fria.

        Bipolaridade/Dualismo

        No Cosmo, toda Manifestação Se movimenta através de dualismos/opostos que se complementam como o Positivo/Negativo: yin/yang. São duas Forças que oscilam/pulsam/vibram gerando toda movimentação cósmica.

        Nós só aproximamos do que chamamos de “Verdade”, quando ligamos a Ciência ao Divino, percebendo o universo pulsar e vibrar. Desta forma quando falamos de Consciência não estamos nos expressando em uma linguagem esotérica hermético-obscura, como muitos pensam. E, o que os cientistas chamam de Big-Bang é nada mais que a Expansão Vibrátil do Criador Supremo em infinitas Partículas criando tudo que existe.

        Para gerar/experenciar os universos, o Criador Primordial ou a Consciência Divina se fez em infinitas Partículas de Luz/Conscientes/Vibrantes que se expressam carregadas/codificadas magneticamente Polarizadas pela Lei da Polaridade. Estas Partículas Conscientes/Vibrantes se espalharam em densidades diferentes constituindo as diversas dimensões com suas freqüências vibratórias específicas e estão em constante pulsar de expansão/retração; atração/repulsão, formando o que chamamos de Dinâmica Cósmica.

        Esta Pulsação Cósmica que é “comandada” pela expansão evolutiva da Consciência Cósmico-Divina “inserida” nestas Partículas, é a Divindade em movimento manifestando-se e gerando os Universos físicos e também os não físicos. Os Universos nada mais são do que Luz Condensada em diferentes freqüências e todos nós sem exceção, somos Ressonâncias desta Luz/Consciência Divina, pois tudo se origina da Criação Divina.

        “A Lei da Polaridade rege a relação e o movimento entre todas as forças opostas, que vibram em todos os níveis, com a finalidade de gerar toda Criação.

        “Tudo está vibrando, tudo está em movimento, tudo está procurando o caminho de volta, a sua Fonte de Origem”/Criador Primordial.

        Na terceira dimensão, o ser humano, através do seu corpo físico, exercita o seu aprendizado, pela sua interação com uma “energia compactada” chamada de matéria, que compõe todo seu universo físico, constituída a partir de estruturas energéticas (átomos), que se aglutinam ou se repelem conforme a polaridade de suas camadas externas.

        É, portanto, no universo deste campo vibracional denso, em constante transformação, que o homem vivencia, experimenta e incessantemente aprende, despertando-se para outros níveis de consciência.

        O ser humano nesta sua vivência e experimentação na matéria, de acordo com o que foi programado pela Vontade Maior, capacitou-se então, pela sua interação com a mesma, experimentar a emoção, característica tridimensional resultante do aspecto da bipolaridade deste seu universo físico de aprendizado.

        Assim, é vivenciando a dualidade em suas experiências na terceira dimensão, que o ser humano gera as suas emoções, que o conduzem na sua maneira de ser e de agir, incorporando-lhe a ilusão do “ego”.

        Para que o ser humano possa-se desligar do campo vibracional denso da matéria e, portanto, da freqüência (emocional) que ele gera, ele deve aprender a exercitar a “Neutralidade”, transitando pelo chamado Caminho do Meio, porque é exercitando no equilíbrio e na harmonia que ele começará a perceber a transcendência do que é chamado de Paz.

        É certo então, que o ser humano prisioneiro deste campo densamente limitado e em constante mutação e por isto instável, em um determinado momento de auto-iluminação, pela sua necessidade de se libertar deste magnetismo que o desequilibra, começa então com um outro nível de consciência, a sintonizar e a interagir com outros Planos de Realidade.

        Neste momento em que o planeta Terra inicia sua ascensão à quarta dimensão, a humanidade deve também pela Lei Universal de Sintonia, preparar-se para esta dimensão e outras Dimensões mais Sutis, começando por perder a sua característica dual/emocional de identificação tridimensional.

        Tudo é Vibração em Luz. Assim, quanto maior a presença da Luz, maior a percepção da Verdade, maior a presença aglutinadora do Amor Uno e mais consistente é a Harmonia, o instrumento gerador da Paz.

        A Criação, com a Sua Diástole e Sístole Divinas, é Luz em Vibração, onde está sempre codificada a Sua Vontade, num Pulsar Infinito.

        Dualidade/Dualismo das emoções

        O que está embaixo está em ressonância com o que está acima, portanto, o microcosmo é em escala menor o reflexo do macrocosmo. A nossa fisiologia está também dentro deste principio, quando em nosso metabolismo as células do nosso corpo apresentam esta mesma dinâmica, ao fazerem as trocas celulares através de osmose/difusão, que são processos metabólicos que visam o equilíbrio ao nível celular. Também dentro deste principio o nosso cérebro possui dois hemisférios complementares, nosso coração pulsa em sístole e diástole, nossa respiração tem os movimentos de inspiração e expiração.

        Ainda temos também um corpo emocional onde as emoções geradas pelo “ego” vibram dentro do que ele conceitua de “negativo/mal” ao “positivo/bem” e dentro destes limites poderíamos citar como exemplos, infindáveis momentos geradores de emoção.

        Deste modo, o Positivo/Negativo com o sentido dual de certo/errado só existe na 3ª dimensão, onde comparamos tudo e julgamos, dentro das leis específicas da restrita consciência humana, a qual é comandada pela nossa personalidade individual/ego. Então, esta dualidade é pertinente às dimensões mais densas, sendo que a partir da 5ª dimensão, o dualismo, pela Lei da Polaridade, vai se transformando em Unicidade, pois os Seres Energéticos/Angelicais já vibram as polaridades em equilíbrio dentro de si mesmo, através do Amor Puro e Uno.

        Amor Divino é Puro porque não está “contaminado“ pela parcialidade nos conflitos gerados pela individualidade da personalidade/ego. E, Ele é Uno porque une todas as formas de manifestações em Um só Corpo – em Ressonância com o Principio da Unicidade.

        O Amor Puro/Amor Energia, é neutro, sem influência emocional. E, para desenvolvermos em nós o Amor Puro temos que cultivar os sentimentos mais nobres que vibram na Energia Neutra, como a compaixão, humildade, aceitação/perdão e solidariedade, entre outros.

        Somos Partículas Conscientes de Luz vibrando/interagindo num mar de energias plasmadas. E, sem medo de nos expressarmos com cunho religioso e de maneira emocional, afirmamos com certeza “O Quê” liga o universo, fazendo a interação entre as suas Partículas Conscientes, é a Energia Neutra “Do Quê” chamamos de Amor Puro Uno da Manifestação, que é o Ponto de Coesão/Atração “No Quê” codificamos/chamamos de Unicidade.

        A Consciência está em constante experimentação nas diversas dimensões. Vai além da terceira dimensão, experimentando o aparente e também o que não é visto. Somos Luz mesmo quando vivenciamos no plano denso, mesmo quando estamos limitados pelo nosso corpo físico, experimentando o dualismo, que através da personalidade/ ego gera a “energia imantada” de nossas emoções, que às vezes atraem ou às vezes repelem. São as emoções que fazem a dinâmica do nosso cotidiano, nos mostrando, como se estivéssemos em uma balança e na frente de um espelho, que precisamos do nosso semelhante para a nossa oscilante caminhada evolutiva.

        Portanto, o dualismo reflete também em nossos relacionamentos inter-pessoais porque as emoções são duais. Consequentemente, em nossas experiências com o dualismo gerando emoções, não conseguiremos evoluir sozinhos, se não tivermos como contraparte os nossos semelhantes. Nas atitudes dos outros é que vemos as nossas, principalmente aquelas que escondidas em nosso subconsciente não gostamos de ver.

        Como normalmente só notamos o que nos interessa, apenas “acenderemos” a nossa Luz Interior, quando nos reconhecermos limitados em nossa condição humana pelo “jogo da dualidade”. Entretanto, devemos ter a devida cautela, quando estamos aprendendo a sair do jogo Luz/”sombra”, porque na medida em que nos iluminamos, “a sombra” ressonante pode também ficar cada vez mais camuflada/dissimulada em nossos pensamentos e atitudes. Assim, devemos sempre nos observar, não julgando as atitudes dos nossos semelhantes e vigilantes dentro do possível, vivenciarmos uma auto-avaliação sem conflitos/tensões.

        Em relação à dualidade o Dicionário Aurélio apresenta os seguintes sinônimos:
a) – dual é composto de duas partes;
b) – dualidade tem o caráter do que é dual ou duplo;
c) – dualismo refere à coexistência de dois princípios ou posições contrárias, opostas e, como alguns exemplos de dualismo, citamos: positivo/negativo, expansão/retração, tudo/nada, entre vários outros exemplos.

        O dualismo é próprio dos universos que se fazem dentro da bipolaridade, entretanto, quando na terceira dimensão, esta bipolaridade/dualismo toma a conotação das emoções e sentimentos, adquirindo qualidades, é que o denominamos como “dualidade”. Então, dualidade é o dualismo das emoções é o jogo dual emocional ao qual nos aprisionamos pela própria imantação contida neste jogo – sentir/comparar/competir/julgar/culpar.

        O ser humano é um ser para uma consciência dual, que nos limites do seu aprendizado na “arena da dualidade” (terceira dimensão), exercita-se com a energia emocional do dualismo através dos seus cinco sentidos.

        Sabemos que o universo físico movimenta-se por impulsos eletromagnéticos, porque o fisicamente manifesto é energia na forma de partículas ou ondas (plasma), onde energias (Seres) mais sutis conscientes nele às vezes vivenciam através de corpos físicos, que são gerados pela energia da criação ativa/kundalini. Na Terra estes seres conscientes somos nós chamados de humanos, vivenciando/decodificando na dualidade a energia de nossas emoções.

        Somos energias conscientes “inseridas”‘ em corpos físicos e, portanto, contrapondo à densidade da matéria onde estamos no momento, deveríamos em estados alterados de consciência “entrar” com mais constância em sintonia com o “Eu Superior” e não permanecermos em nosso cotidiano no já cansativo diálogo com o “eu menor”/dual, que através de nossa personalidade/ego nos mantêm prisioneiros no mundo tridimensional.

        Somos sempre comandados pelo nosso “ego”, que constrói em nossos afazeres diários a nossa personalidade/caráter, através das nossas satisfações/preocupações. Mas, não deveríamos mais ficar delegando poderes ao “eu menor”, porque já sabemos que Somos Seres Divinos Conscientes “escondidos” em corpos físicos humanos e que ao nível da nossa Consciência Superior é que deveríamos nos conduzir. O “Eu Superior” é o Divino em nós, não podemos mais deixar de sintonizá-Lo.

        Nossas experiências na terceira dimensão estão circunscritas aos limites da dualidade e a maior parte das vezes gerando desarmônicos sentimentos competitivo-antagônicos. E, entre muitíssimos outros referenciais duais que são observados em nossas experiências de dualidade na terceira dimensão temos: bonito/feio, melhor/pior, bom/ruim, forte/fraco, rico/pobre e certo/errado.

        Devemos aprender como ficar eqüidistantes destes referenciais externo-extremos, para que os transcendendo, nos direcionemos para o “equilíbrio do meio”, transitando pela Neutralidade do Caminho do Meio. Não devemos fazer o jogo da dualidade potencializando a energia do dualismo em um vai e vem ou em um sobe e desce sofrido, para que possamos centralizados, nos percebermos como Unidade em sintonia com a nossa Essência Divina. Nosso aprendizado no campo do dualismo emocional vai chegando ao fim para dar lugar ao nosso aprendizado no campo mental/pensamento.

        Só conseguiremos expandir nossa consciência para outras dimensões se sairmos deste jogo emocional através da “Neutralidade”. Agir com a “Energia da Neutralidade” significa “não reagirmos”/não conflitarmos, mas “agirmos” baseados em um estado de consciência que está além do mundo tridimensional, onde nosso ego/personalidade ilusoriamente está competindo no mundo da forma. Estar “Neutro” ou vibrar em um “Estado de Neutralidade” não é ser alienado como muitos pensam. Pelo contrário, a alienação é quando não “dando ouvidos” ao nosso Eu Interno, ficamos a mercê do ego/personalidade.

        Muitas vezes, o ego/personalidade se acovarda por detrás do medo, não apresentando uma ação apropriada em determinados momentos e, por esta falta de atitude, desarmoniza-se, não conseguindo manter uma vibração estável, pois disto advêm outros sentimentos igualmente desarmônicos, entre eles a raiva e a culpa.

        A Neutralidade seria o mais completo / perfeito estado de equilíbrio que o Ser Humano pode atingir. Não é uma condição de total ausência das emoções porque estas são necessárias para impulsionar a nossa evolução. A ausência de emoção confunde-se muito com a apatia/omissão e esta postura não condiz com o que é esperado dos indivíduos que almejam transcender esta realidade.

        Quando ouvimos a nossa Consciência Divina, sintonizamos para além da terceira dimensão em um estado de consciência alterado. Quando ficamos fisicamente em sentido de alerta e com as nossas ondas cerebrais aceleradas, podemos em um processo intuitivo, sintonizarmos com o nosso “Eu Superior”, recebendo informações/orientações diretas Dele sem necessidade de mentores intermediários.

        Por causa da dualidade que caracteriza as nossas experiências na terceira dimensão, às vezes no caminho da nossa iluminação deparamos com momentos gerados pela “escuridão”, que tentam bloquear a Luz que nos guia para o nosso despertar. Nestas situações devemos aprender a não sintonizarmos e a não interagirmos com este tipo de freqüência, vibrando harmonicamente com as verdades que já alcançamos provenientes do nosso novo estado de consciência.

        Sabemos que pela nossa experiência enxergamos somente aquilo que se passa diante das lentes de nossos olhos. No entanto, existe muito mais do que “essa realidade” em nossa frente, porém condicionamos nosso cérebro a somente ver aquilo que ele aprendeu a ver. No entanto, a Física Quântica comprova que existem diferentes situações para um mesmo corpo e que esse corpo sólido pode estar em pelo menos dois lugares ao mesmo tempo, mas que, ao fazermos nossa escolha, ficamos com uma única opção. Um mesmo corpo pode estar em dois ou mais lugares ao mesmo tempo.

        Para podemos perceber e vivenciar essa experiência que ocorre quase a todo instante, temos que manter nosso campo emocional na Neutralidade. Somente assim, sem a manifestação do ego e suas conseqüentes emoções, tanto positivas como negativas, conseguiremos interagir com a realidade tridimensional e com os mundos paralelos que se entrelaçam. Temos que trazer à tona a criança que há dentro de nós, que não julga e não tem nenhum conceito pré-concebido.

        Agora, chegou o momento de nos sublimarmos através do direcionamento da nossa Energia (Neutra) do Pensamento, que polarizando a energia de nossas emoções, trabalhando-as, nos possibilita sintonizarmos na Freqüência Energética da Harmonia, que tudo equilibra.

        Estar na Freqüência da Luz e irradiá-La deve ser o nosso objetivo porque nos dá condições vibratórias de estar mais ausente das experiências humanas com as energias conflitantes e de dualidade e, portanto, de estar mais presente na “Neutralidade” dentro da faixa de tolerância. Contudo, ao vibrarmos irradiando do nosso campo energético/aura a Luz na Freqüência da Cor Branca ou Prata, já temos a responsabilidade de não estar mais sujeitos às oscilações emocionais, que poderiam nos sintonizar com o Plano Astral – com os Seres deste Plano, tirando-nos as possibilidades de trabalhar nosso campo Mental Dimensional. Deveremos virar uma página em nossa história evolutiva, alcançando um outro nível mental-vibratório, que já dispensa a interação energético-vibratória com o “Astral” – freqüência vibratória ainda irradiadora da energia de dualidade, que vivifica também as religiões, dando-as positivamente sentido quando pregam a concórdia, contudo, pelo seu aspecto mais humano e menos divino elas sempre trouxeram e ainda trazem até hoje negativamente a discórdia à uma grande parte da humanidade.

        “Só existe uma religião a do Amor, só existe uma linguagem a do coração, Deus não está em nenhuma religião, mas na mente e no coração de cada um” – Sathya Sai Baba

        É possível não sentir emoções?

        O corpo emocional é inerente à condição humana. Para se elevar além da limitada condição humana, o indivíduo precisa reduzir ou neutralizar os efeitos das emoções sobre a sua vida. O processo para que se consiga tal neutralidade passa pela constatação e pela vivência, pela experimentação das nossas emoções e sentimentos, isto é, de nada adianta intelectualizar nossas emoções; elas existem para serem vivenciadas e evoluídas.

        Nesse processo o corpo físico tem papel importantíssimo, pois ele é o veículo de manifestação da nossa divindade interna – a nossa Divina Presença, o EU SOU. Dizendo de outra maneira, para que haja evolução no universo manifestado, na matéria, temos um corpo físico que na medida em que se torna permeável às energias emanadas pelos núcleos imateriais (regente monádico, mônada e alma), evolui consciencialmente. Na Terra e na terceira dimensão essa evolução se dá através da vivência da dualidade.

        Há quem fuja das emoções, tentando controla-las. Porém o controle das emoções implica em sofrimento, pois a pessoa sente algo e precisa agir em desacordo com o que sente. Toda vez que isso acontece o corpo físico registra essa contradição sob a forma de um transtorno qualquer que pode ir de uma simples sensação de desconforto corporal até a manifestação de uma doença letal. Assim, o que chamamos de doença, seria o desvio do caminho de unificação com a nossa essência. Mas, ao mesmo tempo, a doença é uma fala da alma, um chamado para o retorno à saúde física, emocional, mental e espiritual.

        O único caminho para acabar com o sofrimento é a consciência. Consciência é um processo gradativo e que se auto-alimenta. Quanto mais consciência você tem, mais ganha. Quanto mais consciência você ganha, menos sofrimento você tem. Por outro lado, quanto mais entregue às emoções, vividas de forma inconsciente, sem o trabalho de reconhecimento interno, mais preso se está na densidade da matéria.

        O aumento de consciência é gerado com a compreensão da natureza do Universo e da natureza do Homem. Não necessariamente o estudo, mas a compreensão. O estudo implica em processos lógicos e cartesianos; a compreensão vai além do entendimento intelectual, como se envolvesse novos sentidos, novas formas de apreensão da informação.

        Quando você entende os ciclos da vida, as reações naturais aos fatos, às respostas, às interferências, às agressões, você sabe que existe uma natureza do Universo, do Planeta e uma natureza do Homem. Quando você conhece a natureza do Planeta você aprende a conviver com ela, a prever suas reações e a entender os seus ciclos, seus ritmos. Você sabe a hora de se expor e a hora de se recolher. O mesmo acontece em relação à natureza humana.

        É preciso conhecer a natureza humana. Para isto, o primeiro passo é se conhecer. É preciso entender porque você reage desta ou daquela forma a uma ou outra situação. Observar/vivenciar que cada situação, cada pessoa pode causar em você diferentes reações, emoções, sentimentos. Também é preciso descobrir com que você se identifica. Na identificação com algo está o distanciamento de sua essência. Tudo além de EU SOU EU é identificação com algo. Mesmo que sejam coisas positivas, como: eu sou calmo, eu sou bom, eu sou uma ótima pessoa.

        Identificar-se com algo é esquecer-se de quem você é realmente. É ter necessidade de “querer ser alguma coisa”, menos ser você mesmo. Então há quem se identifique com uma qualidade, uma profissão, um papel na sociedade. É querer marcar a própria existência com algo que mostre uma diferença entre si e as demais pessoas.

        Para se conhecer um bom começo é se observar. Experimentar participar da vida como um observador de si mesmo: ao mesmo tempo ser o ator e a platéia. Dessa forma você descobre em que momento a emoção entrou na cena. Da próxima vez, numa situação semelhante você poderá mudar o roteiro, a fala, a cena. Você poderá agir sem a interferência da emoção. Você passa a entender sua natureza. Você ganha CONSCIÊNCIA.

        Agir sem a interferência da emoção não significa não sentir a emoção. Significa reconhecer o sentimento que provocou aquela emoção, constata-lo, experimentar/vivenciar o que ele causa em você e assim, sentir em maior ou menor intensidade e agir com consciência. É poder dizer ao outro: “O que você fez me deixou com muita raiva, mas não vou deixar que esta raiva interfira na minha decisão.” Ou: “Gosto muito de você, mas isto não impede que veja suas falhas…”. Ou nem falar, mas ter consciência de que a emoção não interferiu na sua ação.

        Agir com consciência faz a diferença entre ser uma pessoa ou um autômato. Entre ser responsável pelos próprios atos ou procurar sempre um culpado pelo que acontece na sua vida. O ganho de consciência gradativamente vai diminuindo a intensidade das emoções. Você consegue se manter numa “faixa de tolerância”, e as emoções não abalam mais o seu corpo físico e muito menos o seu corpo mental. O trabalho interno de vivência/reconhecimento das emoções vai mudando o nosso patamar consciencial a cada nova experiência, gerando autonomia e diminuição da separação da nossa essência divina.

        Aprendemos muitas coisas por pura imitação ou condicionamento, mas ganhar consciência é reconhecer quando a ação não é espontânea, mas automática. Muitas vezes reconhecer e voltar atrás, refazer a cena de outra forma faz toda a diferença. Assim você cresce em consciência e leva à reflexão às demais pessoas envolvidas no processo. Isso se dá por ressonância, pois de fato, não existe separação entre nós, já que Somos Todos Um.

        Conhecer-se também é o primeiro passo para se aceitar e se amar. Não há amor verdadeiro que não envolva primeiro quem o canaliza. Se é preciso amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a você mesmo, então é preciso antes de tudo aprender a se amar. E só depois você aprenderá a amar ao próximo como se fosse Deus.

        O segundo passo é conhecer, entender o outro, ainda que não concorde com ele. Você não concorda, mas entende. Uma forma de entender o outro é se colocar no lugar dele. Quando você se coloca no lugar do outro você consegue ver a vida segundo a perspectiva dele e então entende porque ele age, pensa ou sente daquela forma que lhe é peculiar.

        Quando você se observa, descobre que dependendo da situação quem comanda você é o corpo físico, ou o corpo emocional ou o corpo mental. Ou a consciência. A consciência não é o corpo mental, pois o mental é influenciado por crenças, preconceitos, idéias pré-concebidas, fórmulas aprendidas e diferentes conceitos e “verdades” que vêm de fora para dentro. A consciência vem de dentro para fora, é reflexo da sua Essência. É algo que você sabe, independente do que ensinaram.

        Quando você identifica quem comanda, você está tomando consciência dos seus atos. Mesmo errando, você tem consciência do erro. Por exemplo, é saber que está comendo aquilo que o corpo físico pediu e não o que é bom para a sua saúde. É saber que foi movido pela emoção ao realizar aquela compra além das condições financeiras. É notar quando não se sente bem vestindo algo que dizem estar na moda. A partir destas descobertas você vai passar a agir da forma que o seu EU decidir e não de acordo com a imposição do físico, do emocional ou do mental.

        A cada vez que procedemos assim, estamos enviando de volta ao cosmo, de forma evoluída, o impulso original de aprendizado que nos foi mandado pelo nosso regente monádico. Se ao contrário, vivemos de forma inconsciente, automática, repetindo sempre os mesmos padrões de conduta, sem buscarmos a compreensão do porque de sua repetição em nossa vida, estaremos congestionando nossos quatro corpos e provocando transtornos e doenças.

        Pessoas ainda muito movidas pelas emoções supõem que quem as tem em menor intensidade é uma pessoa fria, sem sentimentos, sem compaixão. Porém o ganho de consciência coloca a pessoa na freqüência da neutralidade, onde ela passa a entender tão bem o que se passa com o outro que é como se ela mesma estivesse vivendo a história dele. Tudo fica muito claro. Tudo fica mais previsível, simples.

        Ainda que possa parecer estranho ou mesmo paradoxal, quanto menor a influência das emoções, maior a capacidade de amar. O amor que vem da consciência, da freqüência da neutralidade, é puro, pois não é abalado por nenhum fato, nenhum acontecimento, nenhuma diferença de opinião – ele é incondicional. Se for incondicional, ele envolve toda a humanidade e todo o reino animal, vegetal e mineral. Todo o Planeta e todo o Universo. Assim somos amados pela divindade – incondicionalmente. Aprender a manifestar isso é a razão maior de nossa existência.

        Acima foi colocado que consciência gera mais consciência. Da mesma forma, amor gera mais amor. A energia do amor tem a capacidade de mudar o campo em torno de quem a emana. Dessa forma, quando você gera amor você diminui a intensidade das suas emoções e também daqueles que estão à sua volta. Mas lembre-se. Estamos falando do amor-energia e não do amor-emoção.

        As emoções fazem parte da natureza humana, assim como o vento, a neve, a chuva, o maremoto fazem parte da natureza do nosso Planeta. Assim como o homem precisa se precaver dos arroubos da natureza do Planeta, também precisa se proteger dos arroubos das emoções humanas.

        A redução gradativa e consciente da intensidade das emoções traz benefícios para a saúde física e mental, além de reduzir danos ao ambiente familiar, social e planetário. Emoções exacerbadas, positivas ou negativas, podem levar uma pessoa a doenças e mesmo à morte. O noticiário traz vários exemplos de torcedores fanáticos que enfartam uns na derrota e outros na vitória do seu time.

        O ganho de consciência traz a constatação de que cada um de nós é uma partícula deste universo infinito. Ao mesmo tempo, traz a certeza da importância e influência desta pequena partícula na harmonia do universo. Ganhar consciência, reduzir a intensidade e a influência das emoções não é tarefa fácil, mas pode ser prazerosa e sempre será compensadora.

        Trabalhar a desidentificação com o ego, ou seja, com a nossa personalidade e buscar o caminho da manifestação da nossa essência divina, é o caminho da verdadeira “cura”. Não vamos nos curar a não ser que trabalhemos a expansão de nossa consciência. O caminho para isso passa pela lida consciente com as emoções que experimentamos. O processo é vivencial, não intelectual. Quando nos dermos conta de amar incondicionalmente a nós mesmos, ao outro e a tudo que nos cerca, estaremos manifestando integralmente o Deus que há em cada um de nós, estaremos conscientemente a serviço Dele.

Índice      Início deste capítulo

 



II – TRANSFORMAÇÃO INTERNA

        Cura

        A visão que temos sobre a cura é em análise, pouco profunda, pois a maioria entre nós não sabe da existência dos nossos diversos corpos sutis. Fomos habituados a perceber apenas o veículo físico, porque é o único corpo visível para quem não tem uma paranormalidade desenvolvida.

        É por isto que ao procurarmos a cura para nossos males, na maioria das vezes, nos atemos apenas a este corpo físico, procurando medicamentos farmacológicos que apagam os sintomas. Desta forma sabotamos as patologias que surgem com a finalidade de sinalizar nossos desequilíbrios, principalmente o energético. E se não cuidamos do desequilíbrio energético estamos implementando somente uma cura superficial.

        Para que a cura aconteça de forma efetiva, sua atuação deverá se dar nos diversos níveis em que cada corpo se localiza. Sem isto, a pessoa passa pelo sofrimento físico/emocional, sem nada aprender com a experiência vivida. Para fazer sua transformação interna, ela precisa curar também seu corpo “mental”, alcançando a vibração do Corpo Mental Sutil. Isto evita que a doença reincida ou volte com outras características, às vezes até mais graves.

        Somente uma auto-avaliação profunda pode efetuar as modificações internas que promovam uma cura mais completa. Se provocarmos uma mudança em nossa freqüência vibratória, poderemos transcender o corpo físico, transformando-o/transmutando-o em vez de “perdê-lo”. Para conseguirmos este intento, faz-se necessário fazermos uma reflexão sobre o verdadeiro sentido da cura.

        Reflexões sobre a “Cura”

        A cura é a recondução do ser humano à sua origem interna, isto é, a consciente unificação de sua vontade pessoal à vontade divina que nele se manifesta como o EU SUPERIOR. Realiza-se pela sintonia com a realidade espiritual e se inicia quando temos vontade de saber qual a nossa verdadeira meta existencial. Este processo se intensifica quando entramos em contato com nosso ser interno de forma consciente e declarada e decretamos: “quero ser aquilo para o que fui criado. Farei o que for necessário para isto”. Esta disponibilidade altera o curso de nossa existência e nos reconecta de forma inequívoca à nossa origem cósmica. Ao nos entregarmos assim ao nosso ser interno, começamos o caminho de volta para “casa” e nesse movimento geramos harmonia em todos os níveis energéticos. Quando essa harmonia chega ao nível físico, as doenças vão sendo eliminadas, pois seu único sentido é o de denunciar os nossos desvios dos caminhos evolutivos traçados para nós.

        Se a nossa preocupação for somente a de solucionar os incômodos físicos, emocionais e mentais, ficamos atados à nossa personalidade/ego e assim, podemos impedir que a cura verdadeira ocorra. O ego/personalidade é a parte “fabricada” de nós mesmos, que funciona de acordo com as leis do mundo tridimensional, acreditando apenas na culpa, na dor, na mágoa e no medo. A ilusão de sermos separados da nossa fonte criadora fez surgir o ego, e com ele, surgiram também o pecado, a crença na separação entre os seres humanos, a crença de que somos um corpo individual e o conseqüente medo de morrer. O ego é a parte da mente que acredita que está separada de Deus, e usa de muitos artifícios para nos manter presos na culpa e no medo, como forma de proteger-se e tornar-se especial. O ego é uma ilusão, uma teimosa ilusão que podemos insistir em manter tornando-a o centro de nossas vidas ou desfazê-la, despertando nosso Ser Interno, ressonância do nosso Eu Superior.

        A compreensão e a decorrente certeza de que somos seres espirituais, de origem cósmico/divina, e que por ora vivemos experiências nos níveis físico, emocional e mental através de nossos corpos tridimensionais, nos faz reorientar a real dimensão de nossa personalidade/ego.

        Nesse momento do caminho evolutivo, a Cura Cósmica se torna nosso objetivo, isto é, devemos utilizar nosso ego como “prestador de serviços” do nosso Eu Superior e não o centro de nossa vida como estamos acostumados. Para que a cura cósmica se dê é necessário que desenvolvamos a humildade para reconhecer que estamos diante de algo onipresente, onisciente e onipotente. Isso exige humildade, vista aqui como um estado interno de imparcialidade, de não expectativa, a que podemos chamar de neutralidade. É a entrega que fazemos de tudo que temos e somos ao nosso ser interno, para que a sua luz, seu poder e amor se manifestem em nossas vidas.

        Para realizarmos essa entrega devemos calar, observar e mudar.

        Calar significa não criar expectativas. Reconhecer que nosso Eu Superior, sendo a manifestação do Divino em nós, sabe de todas as nossas necessidades, antes mesmo de nossa manifestação no plano físico. Se nos oferecemos, nos entregamos, é o que basta.

        Observar significa estarmos neutros ao vivermos o cotidiano. Não nos identificar com as ocorrências da vida. Não julgar ou criticar, mas perceber quais são as demandas que a vida está a nos fazer no dia a dia.

        Mudar a partir da observação dessas demandas. Se, por exemplo, experimentamos uma doença no corpo físico é porque de alguma forma estamos nos desviando do nosso caminho interno. A necessidade de mudanças internas e externas está sendo apontada por nossos núcleos superiores através dessa enfermidade.

        Para que essas mudanças sejam concretas e efetivas, é necessário que desenvolvamos o silêncio e a fé. Uma nova atitude que abre uma outra dimensão de possibilidades. Saber que, em essência somos saudáveis e perfeitos, nos coloca prontos e disponíveis para que a verdadeira condição humana se torne realidade.

        A nova atitude do ser humano é o que mais conta na verdadeira cura, a Cura cósmica. Tudo o mais vem do imponderável, do que ultrapassa o nosso entendimento. Este é o seu real valor, pois a cura vem do mais profundo existente em nós, onde desde sempre, perfeição e saúde são a realidade. Na Cura cósmica silêncio e fé são os instrumentos de quem se abre para a Cura, de quem a deseja, a quer e parte para a ação/mudança para obtê-la.

        Impessoalidade/neutralidade/pureza são os instrumentos do curador.

        Diferentemente da medicina tradicional que geralmente trabalha na supressão dos sintomas, da dor, e das variadas manifestações que afetam os veículos tridimensionais, o curador inteirado da sua realidade cósmica, atua como intermediário/veículo da Cura cósmica. Seu trabalho como mediador só pode ser iniciado quando ele próprio já tiver se entregado à sua divindade interna. Somente quando a busca da união interna com a fonte tiver sido iniciada o curador pode ser o veículo dessa missão. A partir deste ponto, ele se verá unificado com aquele que o procura para ser curado.

        Todo aquele que se propuser a ser unido à Fonte, ou seja, um ego disponível e a serviço do Eu Superior, pode se transformar num curador. Existe muita diferença entre um curandeiro e um curador. O curandeiro é alguém que a partir de certo controle sobre energias mais sutis, sejam de origem astral ou mental, pode vir a remover influências nefastas ou malignas. Porém, essa remoção pode não ser a cura do mal e sim sua supressão por determinadas técnicas e energias controláveis. O curandeiro, diferentemente do curador, trata por aplicação de leis supra-físicas e não pela energia cósmica da Cura. O curandeiro toma a si o “poder de curar”; o curador nos mostra o caminho da auto-cura. O curador nos reconecta à nossa capacidade de fazer ”milagres”.

        Milagre é mudança de percepção, uma nova forma de perceber/pensar que pode nos levar a mudar nossa forma de agir. Milagres são naturais e acontecem a todo o momento, desde que não estejamos conectados com o nosso ego. Milagres fazem parte da vida. Milagres não são realizados por “alguém” que está “lá em cima” velando por nós, ao contrário, eles são obra de cada um de nós, Filhos de Deus.

        O curador tem o “Espírito Santo” desperto e ativo dentro de si. O Espírito Santo/Eu Superior é o veículo dos milagres. Através Dele, Deus se manifesta em nossas vidas para que seja possível acordar do nosso sonho hipnótico, para nos curarmos do senso de separação. Ele traz todas as respostas e é a única possibilidade que temos para escapar das artimanhas do ego, pois ele conhece tanto um lado como o outro. O Espírito Santo/Eu Superior vê os nossos sonhos, reinterpretando-os para nos levar de volta à Verdade, lembrando-nos sempre da nossa verdadeira Identidade.

        Em nossas mentes só existem dois sentimentos que podem ser chamados de fundamentais: o amor e o medo. Todas as emoções e pensamentos são de alguma forma, filhos ou do amor ou do medo, que são respostas do Eu Superior ou do ego, respectivamente. Todo o tempo, a cada instante, seja consciente ou não, estamos escolhendo entre um e o outro e, assim, criando, segundo a escolha realizada, o mundo que percebemos. Quando escolhemos, a mente trabalha no processo de ensino e aprendizado da extensão do amor ou da projeção do medo. Escolher o amor significa estendê-lo a si mesmo, aos outros e a tudo no Universo. Toda a percepção que a mente tem do mundo muda respondendo a este processo de extensão, isto é chamado de milagre. A extensão do amor é da nossa natureza essencial, e só isto é real, verdadeiro e eterno. Aqui o sentimento é de paz profunda e integração com tudo e todos.

        Já o medo é a escolha em ouvir o ego, parte de nossa mente que é construída e não natural que sobrevive alimentando-se de ilusões. O ego projeta para fora. Assim, as emoções como a mágoa, a culpa, raiva, conflitos, os desesperos enfim, dependem aparentemente de algo exterior à mente para existirem. O ego não é real, pois morre com o abandono do medo. A escolha do medo leva ao sentimento de perceber-se separado.

        O perdão nos libera dos bloqueios que nos impedem vivenciar Quem Realmente Somos. O perdão é uma forma de estender o amor e é o grande instrumento de ensino do Eu Superior na inversão do pensamento insano para o pensamento são, da ilusão de separação para a união, da doença para a Cura.

        Concluímos que se a cura é o retorno do ser humano à sua Origem, obviamente necessitamos de uma grande mudança tanto externa, quanto interna.

        A mudança interna é mais difícil, pois é a mudança de nossos paradigmas e dogmas impostos que aprisionam nossa mente. Quando a pessoa insiste em não aceitar estas mudanças, ela sofre no corpo físico as conseqüências do desequilíbrio energético originado em bloqueios gerados pelos deturpados paradigmas e dogmas, que irão levá-la à repetição de seus pensamentos ininterruptos/rotineiros e distorcidos, culminando em atitudes desestabilizadoras/desequilibrantes/doentias.

        A transformação se dá, sobretudo, ao nível físico/emocional como a regeneração celular, mudanças de humor, domínio do emocional e dos pensamentos.

        A transmutação já é uma ocorrência ao nível energético e é uma conseqüência das mudanças físico/emocionais, ou seja, das transformações.

        Portanto, uma coisa leva à outra visto que, a “saúde física” surge da harmonia energética gerando potência na carga elétrica de nossas células e este estado físico, por sua vez, nos condiciona ao bom funcionamento mental e do direcionamento dos nossos pensamentos.

        Sutilizando o corpo físico, adquirindo cada vez mais um nível superior de Consciência/Manifestação Divina, estaremos emanando átomos mais sutis que vibram numa freqüência também mais sutil.

        Para preservar e sutilizar nosso corpo físico, devemos mudar nossa freqüência energética porque ele é energia condensada. Qualquer problema ao nível físico ou emocional, vai atingir a harmonia dos nossos centros de energia (chacras), bloqueando a correta circulação da energia vibracional, impedindo então que a Kundalini flua pela coluna vertebral até o chacra Frontal, porque os bloqueios emocionais/mentais retêm a energia, consumindo-a.

        Auto-cura

        Deveríamos falar apenas em auto-cura porque esta é a verdadeira cura, já que os profissionais da área terapêutica, utilizando de suas energias direcionadas, são apenas colaboradores/harmonizadores/intermediários que facilitam o processo em questão. A auto-cura acontece do interno para o externo, ou seja, de dentro para fora e depende exclusivamente do pensamento, do desejo e da vontade da pessoa que está sendo o objeto/sujeito da cura.

        O processo de auto-cura, inicia-se com o auto-conhecimento porque primeiramente devemos saber o que precisamos modificar/transformar em nós mesmos. Assim, através do pensar, querer e desejar profundos, direcionamos nosso pensamento com intenção de cura.

        Devemos vibrar conscientemente e com a intenção de que nosso subconsciente cumpra a nossa vontade de nos curarmos.

        Pessoas que têm energia de cura devem se trabalhar primeiro, passando pelo processo de auto-cura. Devem aprender a aplicar em si mesmos, a tríade: Pensamento-Desejo-Vontade, e se transformarem/harmonizarem para depois ajudar aos outros.

        O processo seguinte consiste na emissão de vibrações energéticas originadas do nosso interior. Por meio deste tipo de energização, podemos eliminar várias doenças, até mesmo as mais graves. Trata-se de um poderoso processo de cura desconhecido até hoje. Não é necessário buscar outras fontes de energia, a não ser em nossa vida diária e em sentimentos comuns. Aqueles que sempre fazem parte de nossa vida, mesmo quando não estamos pensando nas energias que produzem.

        Auto cura vibracional ou auto-ajuda

        Todo Dimensional, possui energia curativa em forma latente, tendo condições de expandir seu campo eletromagnético desenvolvendo sua freqüência vibracional a fim de emitir energia de alta freqüência que, bem direcionada, atua nos órgãos alterados com rapidez e eficiência, dependendo do estado energético da cada paciente. O efeito pode ser até dez vezes mais rápido que as curas tradicionais.

        Pela energia vibracional ativa através de um “toque intencional” atingimos a 3a camada da aura (a camada física) mudando rapidamente o padrão vibracional (podemos estabilizar a pessoa a partir daquele ponto e o desejo dela promove a cura), assim não é necessário ficar energizando a pessoa por 10, 20, 30 minutos como ocorre nas energias não ativas das terapias alternativas.

        Em uma energização normal utiliza-se energia de freqüência vibratória, de no máximo 14 Hz e, o paciente fica dependendo do curador e da energia externa utilizada.

        Entretanto, o trabalho com energia vibracional é feito através de uma ativação/aceleração. Acelerando ou ativando o paciente, podemos fazer com que a própria pessoa se cure, programando o seu subconsciente. Por isso se chama auto-ajuda ou auto-cura.

        Transformações

        A Consciência Divina é o princípio de Tudo e, como já vimos anteriormente, Ela Se manifesta em diversos níveis. Porém, aqui, no plano denso da matéria, esta Manifestação está circunscrita ao nosso corpo físico, principalmente através do bom funcionamento das nossas funções cerebrais e nossas glândulas. Já é cientificamente comprovado que o cérebro possui áreas ligadas às emoções, vistas através de exames de tomografias computadorizadas. Este corpo denso é que limita a expansão da consciência humana pelos bloqueios psicológicos/emocionais/mentais, que são gerados pelo exercício da dualidade potencializada pelos nossos instintos primitivos negativos e a nossa personalidade/ego exacerbados.

        Para nos libertarmos e podermos novamente expandir nossa consciência a níveis mais sutis de vibração, devemos então, primeiramente trabalhar a dinâmica da dualidade exercida por ações comandadas pela nossa personalidade/ego. Esta dinâmica emocional conflitante/desarmônica é que nos desestabiliza a circulação de energia no corpo físico, produzindo as doenças.

        Então, somos a Consciência Divina manifestada na 3ª dimensão – somos a ressonância Dela – vibrando na faixa de freqüência do dualismo emocional, portanto transcender essa dualidade é a finalidade principal para formarmos nosso Corpo Mental Sutil, para com ele vibrarmos como verdadeiros dimensionais, e ainda em corpo físico e por meio do Pensamento, transpor outras dimensões cósmico/divinas.

        Estamos gradativamente, interagindo em uma dimensão mais sutil, apesar de estarmos com o mesmo corpo físico. Esta interação não deve ser fundamentada em medos, julgamentos e culpas, mas sim na Neutralidade conseguida em nossas ações isentas do poder do ego/personalidade.

        É a consciência que devemos transformar através da modificação dos nossos pensamentos e nossas atitudes/nossa vibração. E à medida que isto acontece, o corpo físico vai sofrendo modificações sutis para ficar compatível com a nova vibração que adquirimos gradativamente, tornando nossos átomos mais cristalinos/genuínos/divinos. Podemos ajudar esta transformação física, com uma alimentação mais pura/saudável e um bom condicionamento muscular através de exercícios físicos. E como numa roda viva, transformando/sutilizando o corpo físico, vamos adquirindo mais transparência mental e conseqüentemente um nível superior de Consciência/Manifestação Divina.

        Considerando que tudo é “Energia”, existem diferentes graus de Freqüências Energéticas/Manifestações da Consciência Divina, pois tudo se propaga em ressonância de vibração, desde a Energia Criadora/Freqüência Máxima que chamamos de Deus/Pai, descendendo até nossa consciência humana individual/”ego” a qual está fundamentada na desconexão/separação/desintegração do Corpo de Energia, ressonante do Todo/Uno.

        Imaginemos uma “escada de energia” com diferentes freqüências vibratórias formando inúmeros degraus vibracionais/evolutivos. Conforme a nossa vibração consciencial, estaremos no degrau correspondente a esta vibração, fazendo a dinâmica do subir/descer de acordo com a postura que adotamos mediante as circunstâncias que nos apresentam durante nossa existência. À medida que alteramos nossa freqüência vibracional, vamos mudando nossa posição nesta escada evolutiva que é altamente dinâmica, levando-nos às proximidades da Consciência Cósmico/Divina através da “Manifestação de nossa Neutralidade”, ou mantendo-nos nas proximidades da consciência dual/emocional através da “manifestação de nossa personalidade/ego”.

        Outra dimensão significa outra faixa de freqüência vibratória da Consciência. Quando dizemos que vamos para 5ª dimensão, estamos querendo dizer que devemos mudar a freqüência vibratória de nossa consciência para alcançarmos/vibrarmos esta dimensão.

        Estamos no caminho de volta à nossa Origem percorrendo um grande Ciclo Cósmico e tudo isto tem uma relação direta com a necessidade da nossa transformação imediata, não só ao nível de consciência, como também ao nível físico. E neste contexto, o nosso emocional tem uma grande influência como já vimos anteriormente.

        Quando não estamos “bem”, quando estamos vibrando “diferentemente”, estamos energeticamente em desequilíbrio, não estamos em sincronia com o Cosmos e nem com os nossos chacras.

        Entretanto é o pensamento, através do poder da mente, que nos ajuda em nossas transformações. O poder da mente é capaz de modificar até a estrutura molecular do cristal de gelo e muito mais ainda, modificar nosso próprio corpo físico.

        Os Sons Sagrados de Cura

        O som é elemento formador de realidades. É também, uma possibilidade alquímica no sentido de que pode transformar uma realidade em outra. Como vimos anteriormente, a interação da matéria com qualidades diferentes de som produz diferentes conformações moleculares. E, segundo experiências do Dr. Masaru Emoto, a água submetida á sonoridades harmônicas configura-se como uma linda mandala. O contrário também acontece: o som desarmonioso produz figuras disformes. Quer dizer, o som como qualquer energia, é neutro, e por isso, nós podemos qualificá-lo positiva ou negativamente. A escolha é nossa e vai depender de nosso nível consciencial.

        Na prática isso quer dizer que podemos alterar, organizar, limpar, purificar, harmonizar, elevar vibrações, enfim, realizar transformações nos níveis sutis e da matéria utilizando o som como ferramenta de trabalho energético/vibracional. Nossa voz vista como instrumento tanto do ponto de vista sonoro como do de ferramenta, pode nos servir nesse caminho de transformação.

        Na figura abaixo, temos o esquema de nossos sete chacras principais e suas freqüências vibracionais: cores/som. Este sistema de ordenação das notas corresponde à escala musical mais conhecida no ocidente – DO RE MI FA SOL LA SI, o que facilita o seu uso como instrumento de estabilização dos chacra. A seqüência das cores (do vermelho ao violeta) corresponde ao arco-íris, o que torna próximo e corriqueiro o seu emprego como mentalização.


1º chacra: vermelho – DO – C –Básico/Raiz
2º chacra: Laranja – RE – D- Umbilical/Esplênico
3º chacra: Amarelo – MI – E – Plexo Solar
4º chacra: Verde – FA – F – Cardíaco/Coração
5º chacra: Azul – Sol – G – Laríngeo/garganta
6º chacra: Violeta/Índigo – LA – A – Frontal – (Terceiro Olho)
7º chacra: Branco/violeta – SI – B – Coronário/Coroa

        A partir destas referências podemos equilibrar nossos centros de energia entoando os fonemas determinados para cada um. Por exemplo, para o 1º chacra entoaremos o fonema Ã, na altura de Dó e visualizando/mentalizando a cor vermelha. Na tabela que se segue temos a relação dos sete fonemas:

        Cada fonema tem uma qualidade intrínseca e trabalha determinadas questões. O fonema Ã, por exemplo, expande a energia e aumenta a base de sustentação. No 1º centro vai expandir a energia de sobrevivência e nossa ancoragem no planeta. O fonema U aprofunda e refina as energias criativas que são mobilizadas no 2º centro. O fonema Ô congrega, traz o movimento de acolhida à nossa identidade. O A dessa vez vai expandir e dar respaldo às energias do amor incondicional geradas no cardíaco. O fonema AI entoado sobre o laríngeo vai ampliar, sustentar e refinar nossas capacidades criativas, de comunicação e expressão, além de elevar o padrão de nossa sexualidade. O EI entoado sobre o frontal, expande e faz vibrar a glândula pineal, despertando ou desenvolvendo a paranormalidade. O fonema imprime uma vibração sutil e muito acelerada às nossas ondas cerebrais rompendo barreiras etéricas.

        Na seqüência desses exercícios, se entoarmos IEAÔU estaremos cantando um dos nomes de Deus, o que elevará instantaneamente o patamar vibratório de nossos corpos físico, etérico, emocional e mental.

        Existem outros sistemas tanto de fonemas, como de freqüências de som e luz. As variações são decorrentes das diversidades inerentes às várias tradições que empregam as vibrações como fator de equilíbrio. Cada sistema vai atuar de maneira a organizar, restaurar e equilibrar as energias dos vórtices de força de nossos corpos.

        Antes de entoarmos o som dos fonemas, devemos inspirar e expirar profundamente, usando toda a nossa capacidade pulmonar, o que significa que a nossa respiração deve ser diafragmática. Isto é, ao inalarmos o ar nosso abdômen deve se distender, e ao expirarmos, ele deve se contrair. Há que se dizer que pouco adianta um exercício realizado de forma mecânica, sem a concentração e principalmente sem o direcionamento claro da energia. Ao entoarmos cada fonema a intenção é fundamental. A qualificação da energia, que é neutra, porém inteligente, compete a nós. Para que ela realmente seja efetiva e, de fato, transmute o padrão energético, o pensamento, o desejo e a vontade devem ser a base dessa ação.

        É importante salientar que ao cantarmos normalmente, os harmônicos estão presentes na voz de forma implícita. Mas, quando ao entoarmos os fonemas, explicitamos os sons harmônicos, essa experiência decuplica de intensidade e poder. Nesse momento deixamos de entoar e passamos a hipertonar. Como já dissemos, os harmônicos fazem a ponte entre os sons da terceira dimensão (som físico) e os “sons inaudíveis” de dimensões superiores. São como a luz, abridores de portais dimensionais.

        A vivência da hipertonação é altamente benéfica. Estudos recentes de neurologistas, etnomusicólogos e psicólogos, constatam que hipertonar faz mudar os padrões de aceleração das ondas cerebrais gerando a formação de novas sinapses. Partes pouco usadas ou mesmo inativas do cérebro foram ativadas em várias das experiências do Dr. Alfredo Tomatis, neurologista especialista em hipertons.

        A ciência começa a constatar o que as antigas tradições já sabiam e empregavam há milênios. É chegada a hora de trazer novamente à luz esses saberes. O despertamento de nossa memória cósmica está em ato. Reorientar nossas práticas e sutiliza-las é o movimento do presente.

        Vivamos pois esse momento cósmico com a alegria de quem reencontra tesouros. Eles estão aí. Prontos para serem redescobertos pelos que estiverem dispostos ao despertamento que o momento planetário demanda.

        Alquimia

        “Ora, lege, lege, relege, labora et invenier” (ore, lê, lê, relê, trabalhe e encontrarás). Esta era uma das primeiras grandes lições que o mestre alquimista ensinava a seus discípulos.

        A Alquimia é uma arte, a arte da transmutação, em que, seguindo etapa por etapa, mutação por mutação, transforma-se um elemento em outro de maior valor. Sabemos que na natureza tudo se transforma, mas a Alquimia se caracteriza por acelerar o processo de mudança, interferindo no ritmo da natureza. Há um poder superior na prática da Alquimia e por isso mesmo o homem, ao longo dos tempos, busca o domínio desta arte.

        Para se obter o poder superior por trás da Alquimia é preciso que as Leis Universais sejam seguidas, o que exige uma interação profunda do alquimista com o processo alquímico, de forma que cada etapa se constitua numa mudança harmoniosa. Há um limite que não pode ser ultrapassado nesta relação, pois o alquimista precisa se entregar ao domínio da Alquimia, ao mesmo tempo em que aprende a dominá-la. Então esta arte se desdobra em ciência, filosofia e culto sagrado.

        Uma visão dimensional do processo alquímico

        A alquimia do pensamento se dá naturalmente ao nível da energia neutra do pensamento. É neste campo da neutralidade que se estabelece o laboratório do Dimensional. É nesta freqüência que conseguimos manipular os elementos e energias que precisam ser transmutados.

        Através da observação das Leis Universais o Dimensional desenvolve sua consciência, tornando-se uno com o universo. E enquanto assiste à transformação da energia kundalini em energia sexual/emocional e depois em energia vibracional ele testemunha sua própria transformação interna e externa. No passado era a transformação do enxofre em ouro, hoje a transmutação da kundalini em energia vibracional e a transmutação do homem em anjo – o milagre é o mesmo.

        Cada lei universal trás uma regra para nortear o processo e é preciso seguir cada uma, interpretando, interagindo e aplicando-a eticamente.

        A Primeira Lei: Lei do Mentalismo

        Sabendo que tudo que existe no Universo é uma criação mental o Alquimista usa esta lei para suas conquistas e durante todo o processo alquímico tem consciência de que faz parte de um Universo Mental, onde a energia e a matéria estão sujeitas à ação do pensamento.

        Com a consciência da Força do Pensamento procuramos manter-nos sempre positivos, pois sabemos que qualquer negatividade poderá se materializar a partir da força do pensamento.

        A Segunda Lei: Lei da Correspondência

        Sabemos que o Universo é Uno, mas reconhece identifica a diversidade de planos/dimensões em que esse Universo se manifesta. A Unidade inerente ao Universo é garantida pela correspondência entre as leis e os fenômenos desses diferentes planos.

        A Lei da Correspondência, cujo princípio prega que “o que está em cima é semelhante ao que está embaixo e o que está embaixo é semelhante ao que está em cima” traz para o Dimensional a perspectiva de, através da Alquimia do Pensamento, se tornar o reflexo perfeito do seu Eu Superior. Cada Eu Superior traz em si o modelo para cada um que dele é originado e reproduzir esse modelo é o compromisso de cada Dimensional. Por isso ela sabe que pode usar seu livre arbítrio, mas abre mão do mesmo em função do seu compromisso cósmico. Assim sua vontade precisa reproduzir a vontade do seu Eu Superior.

        A Terceira Lei: Lei da Vibração

        Tudo vibra no Universo, nada está parado e tudo tem em si um movimento contínuo. Quanto mais sutil a manifestação, mais intensa e rápida a vibração; quanto mais densa e grosseira a manifestação, mais lenta será sua vibração. Tanto a vibração extremamente acelerada quanto aquela extremamente lenta causam a impressão de que o objeto de observação está parado. Por isso não se vê o movimento de uma hélice rodando acelerada e nem de uma pedra estacionada.

        Sabemos que quanto mais elevada a vibração, mais influência se pode ter sobre a matéria – terceira dimensão, e por isto procura manter acelerada sua freqüência vibracional.

        A Quarta Lei: Lei da Polaridade

        Tudo tem pólos opostos, cada coisa pode ser vista de duas formas diferentes e opostas. E todos os opostos podem ser harmonizados através da Alquimia do Pensamento. Tudo pode mudar se mudarmos a perspectiva do olhar, de cada pólo que se olhe se apresenta uma qualidade diferente da mesma coisa.

        Assim tudo tem seu positivo e negativo, sua luz e sua sombra. Cabe-nos procurar em cada coisa o seu oposto, de forma a não se perder em julgamentos gratuitos e ilusões trazidas pela mente condicionada pela cultura, pela ciência, pela religião ou pela sociedade.

        Através da identificação dos pólos é possível manter o equilíbrio entre emoções opostas, pessoas em conflito e opiniões radicais. Através da Alquimia do Pensamento podemos aprender a se colocar no lugar das pessoas que são diferentes dele e assim conhecê-las melhor, conseguindo harmonizar a rejeição eventualmente sentida.

        O conhecimento da Lei da Polaridade nos indica a existência de vários graus entre os opostos e a possibilidade de nos situarmos nos graus intermediários para nos manter na Faixa de Tolerância, onde não somos afetados por emoções radicais.

        A Alquimia do Pensamento nos permite a transmutação de um polo naquele que lhe é contrário; da sombra em luz, do negativo em positivo, do mal em bem. Pela Alquimia do Pensamento transformamos o Ego novamente em Essência Luminosa. Dominando esta fase da Alquimia do Pensamento, estamos em condições de ajudar outras pessoas a mudarem sua própria polaridade.

        A Quinta Lei: Lei do Ritmo

        O ir e vir do Universo se origina na própria vontade do criador quando liberou suas partículas para que um dia retornassem para Ele. Nesse ir e vir está toda a possibilidade de criação e de destruição, de ir e voltar, de subir e descer, de ação e de reação. Devemos ter consciência desse ritmo em todas as coisas da sua existência, de forma que não seja levado pelos acontecimentos à revelia de sua vontade. Precisamos observar os movimentos do ritmo da vida e saber aproveitá-los a nosso favor, cuidando para não sermos destruído por eles.

        Em todo ritmo há um ponto, ou melhor, uma faixa de neutralidade, onde se pode estar seguro para observar o próprio movimento da vida e mesmo controlá-lo. Através da Alquimia do Pensamento podemos alcançar este ponto de equilíbrio e usar a Lei do Ritmo em benefício próprio e de outras pessoas.

        A Sexta Lei: a Lei de Causa e Efeito

        Esta lei demonstra que nada acontece sem uma causa que lhe dê origem e, por outro lado, que toda ação se torna um causa, que vai gerar um efeito posterior. Assim nenhum acontecimento pode ser considerado casual.

        Também é preciso ressaltar que os planos superiores geram causas que têm efeitos sobre os planos inferiores, esta é a lei. Precisamos entender esta lei e aplicá-la, para gerar os fatos de nossas vidas.

        Já conhecendo a Lei da Vibração e sabendo as vantagens das vibrações mentais superiores, ele procura elevar-se mentalmente para ter os efeitos positivos que deseja para si e demais pessoas de queira ajudar. Por outro lado, com o conhecimento da Alquimia do Pensamento evita os efeitos negativos que possam ser gerados por causas de vibração inferior.

        A Sétima Lei: Lei do Gênero

        Tudo tem o seu princípio feminino e masculino e isto se manifesta em todos os planos, como as demais leis. A lei do gênero atua no plano físico e também nos planos superiores.

        Sabemos da importância dos dois gêneros em toda a manifestação. Ele reconhece em si os dois gêneros e procura ativá-los e harmonizá-los, de forma a desenvolver em si partes iguais de energia feminina e masculina. Esta transformação vai gerar um novo ser, com características andróginas e condições especiais de exercer sobre o mundo seu poder alquímico.

        Assim a Alquimia do Pensamento é um processo de transmutação mental que se dá através de diferentes etapas, com diferentes graus de vibração e ritmos, harmonizando pólos e gêneros e observando causas e efeitos. Todo processo alquímico é um processo de transmutação e sempre busca alcançar a Unicidade, o Uno, a Coisa Única.

        A Alquimia do Pensamento é a arte ou ciência de transmutar qualquer pensamento, energia ou matéria. Como o Universo é mental, o Dimensional pode atuar sobre o Universo, transmutando o negativo em positivo, melhorando condições humanas e do ambiente natural. Ele percorre o Caminho da Luz e passa a perceber o mundo de uma nova maneira, entendendo cada fato sob uma nova perspectiva. Este processo permite tanto a conquista do ouro físico como a conquista do ouro interno, que se expressa pela projeção da própria luz.

        No passado muitos procuravam a Pedra Filosofal, que daria ao alquimista poderes sobre a matéria. Na verdade esta pedra filosofal não se constituía necessariamente de um objeto, mas sim energia que podemos produzir, armazenar no chakra frontal e controlar seu uso em função das necessidades.

        Todo o processo alquímico vivido gera um nível de consciência diferente das demais pessoas. Essa auto-transformação pode ser considerada o verdadeiro “elixir da vida eterna”, pois os efeitos deste processo são observados também sobre o corpo físico, que perde densidade durante o processo.

        A Alquimia do Pensamento é um processo alquímico de transmutação mental que obedece às mesmas fases da Alquimia seguidas pelos alquimistas em todos os tempos: NIGREDO (Preto), ALBEDO (Branco Prata), CITRINITAS (Amarelo), RUBEDO (Vermelho).

        Na primeira fase o Dimensional sofre por se achar perdido, sem perspectivas, como se caminhasse no escuro. Nesta fase faz contato como seu lado sombrio e precisa enfrentar suas emoções negativas: raiva, inveja, medo e superar a competição. Nessa etapa ele precisa descer aos estágios baixos de sua vida interior e ir fundo na identificação de suas fraquezas e suas limitações. Durante este período ele culpa tudo e todos pelos seus fracassos e por não ter desenvolvido suas habilidades nem ter tido seus contatos com a luz. Fazer contato com a própria sombra é o início da descoberta da própria luz. Seu despertar está começando.

        A característica da segunda fase é o clareamento da consciência, quando o Dimensional assume suas limitações e procura entendê-las, mas no processo de analisá-las vai descobrindo que elas podem ser neutralizadas pelo pensamento. Ainda é uma fase de conflitos, altos e baixos, experimentação dos opostos. Sua perspectiva ainda é muito individual, egóica, ele interpreta os fatos a partir de uma visão estritamente pessoal. A necessidade de assumir seu compromisso cósmico e de entender que cada um tem sua própria tarefa cósmica são pressões neste período. Muitos se acham inferiorizados por não terem recebido as missões de seus colegas que consideram mais interessantes, ou mais fáceis, ou mais importantes, etc.

        Durante a terceira fase há um amadurecimento na forma de o Dimensional ver o mundo; sua perspectiva se abre e ele se descobre fazendo parte de um corpo de energia, passando a ter mais compreensão e compaixão pelos demais. Suas tendências à competição são substituídas pela colaboração e ele começa a experimentar a energia do amor. Começa sua entrada no Caminho da Luz, onde sua consciência o ensina a perceber o mundo além dos cinco sentidos.

        A quarta fase do processo alquímico é de neutralização dos conflitos internos, de harmonização dos opostos, de integração das energias femininas e masculinas através de uma síntese interna. Ele descobre o seu ouro, sua pedra filosofal. Seu contato com a Luz/informação levam-no ao aperfeiçoamento do corpo físico, do equilíbrio do corpo emocional e da elevação do corpo mental.

        Emocional/Mental

        No grande Ciclo Cósmico, tudo é energia e neste contexto dinâmico, iniciamos nossa trajetória cósmica como Partículas Fragmentadas da Consciência Divina até chegarmos à consciência humana. Porém neste percurso, viemos diminuindo cada vez mais a ressonância da Luz Divinal dentro de nós. Atingimos freqüências menos sutis, densificando nossos Corpos de Luz até chegarmos à 3ªdimensão, onde através da energia Criativa/Kundalini, formamos um corpo físico, comandado por uma consciência ressonante a qual denominamos “ego”/personalidade, e que vibra ao nível dos cinco sentidos anatômicos.

        Somos um Corpo Espiritual (somos Luz) que se expressa aqui no Plano Físico para vivenciar o dualismo emocional. Entretanto, teremos que vencer o dualismo emocional, para evoluirmos completamente nosso corpo emocional, e só então conseguiremos partir para a evolução do corpo mental. São as emoções que fazem a dinâmica do nosso cotidiano, ora positivas, ora negativas como se estivéssemos em uma balança, nos tornando mais densos ou não, dependendo de como estamos vibrando.

        As emoções vibram energeticamente e as mais baixas (medo, preocupação, raiva etc.), vão subindo o padrão vibratório até as vibrações mais altas, dentre as quais, o Amor é a de maior vibração. Também emitem sons (para nós, imperceptíveis) e cores (para nós ainda invisíveis). Conforme a emoção que a pessoa está vibrando no momento, ela emana determinada cor ao seu redor/aura. Como esse campo é eletromagnético, nas nossas interações, nos nossos relacionamentos, há uma troca dessas energias, uma miscigenação energética no campo das pessoas que estão interagindo e deixando o campo em volta delas, repleto dessa energia. Por exemplo: numa festa de aniversário, a energia vibracional que prevalece no ambiente é completamente diferente da energia de onde está acontecendo um velório.

        Quando vibramos em emoções negativas, alimentamos as formas-pensamento negativas e o oposto também. Obviamente devemos cuidar de como vibramos para não interagirmos com freqüências que não desejamos.

        Estamos num emaranhado de emoções, portanto somos emocionalmente “ricos”.

        Muitas pessoas são possuidoras de uma carga imensa de energia emocional, mas sequer sabem que podem e devem utilizá-la em benefício próprio ou para ajudar aos outros.

        Não importa qual energia contamos, se positiva ou negativa, porque não existe energia boa ou ruim, o importante é o direcionamento que damos a ela com o nosso pensamento.

        Chamamos de Energia Vibracional/Criativa/Kundalini, não só a energia obtida através do ato sexual, como também a energia obtida da vibração das emoções. As emoções nos fazem vibrar e a nossa densidade depende do grau dessa vibração. Quanto mais vibramos na dualidade, mais distantes estamos de vibrar em outras freqüências/dimensões menos densas.

        Devemos através da mente, aprender direcionar para o Frontal, a energia da Kundalini para que possa a partir deste chakra, sentir o verdadeiro êxtase, que está além do prazer físico de um ato sexual e faz a alma vibrar em uma interação profunda ao nível dos sete corpos levando-nos a um contentamento indescritível e a uma Alegria Interior imensurável. Existem diversas técnicas para despertar esta energia radiante e divina da vida, entretanto, o indivíduo só deve liberá-la corretamente, direcionando-a para sua Transmutação.

        O despertar da energia da Kundalini ou da energia na freqüência da cor vermelha promove uma série de habilidades que estão latentes.

        Quando despertamos a Kundalini, expandimos mais o nosso campo áurico e afloramos as habilidades/potencialidades mentais. Um grande líder com certeza terá a sua energia de Kundalini bem despertada.

        Devemos ser bem cautelosos com as nossas emoções porque a Kundalini potencializa tanto o lado positivo como o lado negativo. A Kundalini também nos coloca frente a frente com as nossas fraquezas e Karmas para que possamos transcender estas questões e atingir outro grau evolutivo.

        Nosso compromisso maior aqui neste planeta é elevar nosso Corpo Físico/Emocional ao Corpo Mental Dimensional que é sutil, e ao qual estamos estreitamente ligados, pois não devemos esquecer que somos primeiramente um Corpo Espiritual, portanto devemos voltar a Ser Luz. E, como dizem: “Não somos um corpo que possui uma alma, somos uma alma que possui um corpo físico”.

        Vivemos nos Planos Físico/Astral, com nosso Corpo Físico/Emocional, e precisamos formar nosso Corpo Mental Sutil para com ele podermos avançar na escala evolutiva e galgarmos dimensões mais elevadas.

        Quando trabalhamos com a energia mental, nosso fluxo energético passa a ser ascendente ao elevarmos nossa energia Kundalini ao chakra Frontal/Mental tornando-a ativa como Energia Vibracional e atuando não só no nosso campo energético, como também ao nosso redor.

        Precisamos levar nossa Energia Vibracional para o chakra Frontal, pois quando atuamos no Plano Mental, geramos nosso próprio campo de energia, ficando livres de interferências energéticas indesejadas.

        Levar a energia para o Frontal é Criar.

        Nosso futuro é feito de “possibilidades”, e estas, nós podemos Criar com o pensamento bem direcionado.

        É através do pensamento que vamos nos modificar, porque o pensamento precede a ação. Devemos assumir o controle do pensar.

        Somos “Parceiros de Deus”, quando ele nos fez à sua imagem e semelhança nos agraciando com poderes de Co-criação. Essa parceria nos proporciona a dinâmica do viver cotidianamente através de nossas escolhas e de nossas atitudes.

        Quando brigamos, choramos, sofremos etc., estamos “jogando fora” a energia através de atos, gestos e palavras.

        Quando já estamos realmente conscientes da nossa “realidade”, não nos deixamos influenciar pela desarmonia dos outros ou por pensamentos negativos, porque sabendo o que queremos, já não recuamos diante dos problemas, por mais difíceis que pareçam ser. Sabemos que ao nos harmonizar através da freqüência mental/vibracional, aceleramos a freqüência mental ao mesmo tempo em que fisicamente relaxamos conservando o equilíbrio emocional.

        Geralmente em situações de conflito, medo ou culpa, criamos o hábito de reagirmos em emocional exacerbado, nos desestabilizando e saindo da faixa de tolerância.

        Evolução é autocontrole. Devemos ter “ação consciente” em vez de “reação”. Durante uma reação, há consumo de energia e desestabilizamos nosso campo energético.

        Além disto, a reação é atitude de um “ego competidor” ao passo que a ação consciente provém do ”Eu Interno”, também chamado de “Cristo Interno” ou nossa “Chama Interna”, que se refere ao Eu Superior.

        Nestes momentos, devemos reconhecer o sentimento experimentado e nos conscientizamos da emoção que ele nos provoca. Logo em seguida damos uma ordem para o nosso subconsciente no sentido de transformar essa emoção em energia vibracional (pela ação da Kundalini que sobe em espiral pela nossa coluna vertebral) que deverá ser armazenada em nosso chacra Frontal para ser utilizada em trabalhos evolutivos.

        Devemos ter força mental suficiente para mudar nosso padrão vibratório, através da criação de um novo pensamento, pois isso nos leva à ampliação da consciência.

        Qualquer problema, seja ao nível físico, emocional ou mental, vai atingir nossos centros de energia (chakras), bloqueando a correta circulação de energia, impedindo-nos de elevar a energia Kundalini pela coluna vertebral de maneira efetiva.

        Portanto, se somos humanos à mercê de nosso emocional ainda descontrolado e, além disto, não damos conta de viver o “Caminho do Meio/Neutralidade”, então pelo menos vamos aprender a direcionar bem esta energia emanada de nossas emoções e também do ato sexual. Com certeza, estaremos mais fortalecidos energeticamente e capazes de treinar o autodomínio.

        Vamos tentar nos harmonizar, ficando na neutralidade dos fatos, permanecendo dentro de uma faixa de tolerância. Como fazer isso? Dando menos importância aos fatos que valorizam nosso “ego”/personalidade, porque este é o gerador das emoções. Podemos até vivenciar a emoção, sem necessariamente sofrer por ela. Trata-se de um exercício contínuo e muitas pessoas já têm conseguido isso com bastante freqüência. Não basta acelerar o ritmo das ondas cerebrais, temos que trabalhar também a freqüência vibratória emocional para que situações de descontrole externo não interfiram no nosso alinhamento energético interno. Isso se faz usando o pensamento para mudar as circunstâncias através da tríade: Pensamento-Desejo-Ação. Só conseguimos isto com treinamento.

        O fato mais importante nisto tudo é que devemos lembrar de três coisas importantes:
1º “Sou responsável por minha vida, e só eu posso mudá-la”.
2º “Só eu posso criar, mudar ou transformar meus pensamentos”.
3º “Só através de atitudes conscientes, poderemos fazer ascender nossa Chama Interna para conseguirmos a fusão com a energia Cósmica Crística que descende do Cosmo”.

        Às vezes nos encontramos tão desequilibrados emocionalmente, que ficamos estáticos e nem sequer conseguimos pensar em tentar fazer algo para sairmos de determinada situação. É nesse momento que validamos nossa força do pensamento. Não a força cega de um pensamento qualquer, mas um pensar fundamentado no sentimento interno de esperança de podermos voltar ao nosso “Significado Cósmico”.

        Entretanto, não devemos ficar contra gerar a energia emocional que vivifica o “astral”, mesmo porque não adianta, já que nós somos ainda seres humanos e emocionalmente viventes na terceira dimensão terrena. O que devemos fazer é aprender “administrar” satisfatoriamente a energia de nossas emoções, para que possamos ter uma vida tranqüila e com sucesso. Devemos nos conservar na faixa de tolerância e vivendo dentro do possível no Estado de Neutralidade/Harmonia, para que sem mais os percalços de nossos desequilíbrios energético-emocionais já transformados em energia vibracional, possamos alcançar a nossa Transmutação.

        Somos ressonância da Luz Divina, e nosso Deus Interno sabe o que fazer ao nos aproximar de pessoas ou situações que vão nos ajudar. Isso porque somos Dimensionais e por mais que a nossa freqüência vibratória emocional diminua, temos a interna certeza de Sermos realmente diferentes do que aparentamos ser. Estamos sempre precisando uns dos outros porque “Somos Um Todo” e devemos ver os nossos semelhantes como parte integrante de nossa existência. Na separatividade, densificamos cada vez mais e adoecemos nosso corpo físico.

        E se faz necessária a aproximação e a interação das pessoas para que a humanidade se unifique e volte a ter Mente, Vontade e Espírito coletivos, vivenciando a Unicidade. Agindo desta forma, estaremos formando um Corpo de Energia e este, quanto mais harmônico for – saindo do dualismo emocional que inibe a expansão de nossa consciência para níveis mais sutis – mais interação terá com outros planos de realidade, ao alcançar nossa verdadeira Essência.

        Uma Explosão de Luzes

        Tudo começa com o Verbo e a Vontade divina explodiu em infinitas centelhas de Consciências iluminadas – puras luzes de Deus. E essas “Frações” divinas reproduziam todas as qualidades e poderes divinos, trazendo em si as potencialidades da essência feminina e masculina. E ainda cumprindo a Vontade divina, o impulso cósmico, cada uma das frações também se desdobrou e se ramificou por todos os Universos e se fracionaram e se dividiram, até gerarem essências masculinas separadas das essências femininas. E também cada uma dessas se dividiu como numa dança mágica em que todos se expandem ao máximo e depois se reúnem, refazendo o caminho que leva à origem. Neste retorno vão encontrando seus pares, da forma como foi previamente definido pela vontade maior.

        E assim nos perdemos e assim nos reencontramos e, independente dos laços sangüíneos, nos unimos a pessoas de forma irresistível, como se obedecêssemos a um plano superior. E assim é. Quantos há que não se reconhecem na família em que nasceram e mais tarde encontram pessoas que “adotam” com suas famílias, como se fossem pais, irmãos, tios, etc. São amigos, amores, colegas de trabalho, parentes preferidos. Às vezes são personalidades locais, nacionais, mundiais que atraem nosso

        carinho, como se pudessem ser nossos filhos, pais, mães, irmãos – como se pudessem ser da nossa família. E tantas famílias há que ao longo do tempo e das gerações vão incorporando pessoas que se agregam e passam a ser considerados “da família”, e muitas vezes o são mesmo.

        O Eu Superior

        Então, na medida em que evoluímos, os membros das mesmas famílias cósmicas vão se encontrando, fazendo juntos o caminho de volta, em direção às suas essências originais, às frações cada vez maiores de sua origem divina, reencontrando essas unidades bipolares de consciência (Eus Superiores). Cada Eu Superior traz as potencialidades feminina e masculina – yin e yang – negativa e positiva da energia. Cada polaridade se desprende, se desdobra em múltiplas faíscas de consciência, que vão se localizar em diferentes pontos do Cosmo, seus Pontos de Origem para o início da caminhada evolutiva. Não importa para onde foram seus desdobramentos – o Eu Superior jamais perde a ligação com suas partículas e fragmentos, ele tem o registro de todas as suas existências, de todos os pensamentos e de todas as ações de cada um deles.

        Somos puros quando nos desprendemos do Eu Superior, pura essência luminosa. A partir do momento em que nos individualizamos na matéria, vamos perdendo a memória e a pureza da experiência divina, e isto também faz parte do Plano. Nosso desafio é nos purificarmos para que ressurja a essência original. Para isto é preciso uma conexão cada vez mais perfeita com as emissões enviadas pelo Eu Superior.

        São muitos os obstáculos para nos sintonizarmos com o Eu Superior. Temos sete camadas da aura que precisam estar harmonizadas, alinhadas com esta luz. Vencer, superar cada um desses obstáculos é tarefa de vidas e vidas, trabalho árduo diário de aprender e evoluir a partir de cada experiência que a matéria nos proporciona. A evolução mental pode ser resumida como este processo de diariamente se iluminar interagindo com a matéria. Transformar a matéria em luz, sutilizar cada porção bruta que carregamos ao longo de tantas existências.

        Enquanto não nos sintonizarmos com o Eu Superior é como se viajássemos sozinhos, sem ter com quem conversar, sem ter quem orientar ou aconselhar na viagem ao desconhecido. Após nos conectarmos, ganhamos um mapa, um guia e os recursos necessários para esta viagem cósmica em direção à família original. Mais que isso, não estamos mais sozinhos.

        A cada dia encontramos mais e mais companheiros de viagem que nos atraem e são atraídos para nossa companhia. Se antes estávamos num vôo cego, sem saber para onde o destino nos levava, repentinamente intuímos, descobrimos, temos certeza do destino e confiamos numa chegada segura. O contato com o Eu Superior nos devolve a verdadeira identidade, a exata freqüência que caracteriza nossa individualidade, nossa marca no Universo.

        Da Família Terrestre para a Família Cósmica

        Dentre os conceitos fundamentais do processo de Evolução Mental está o de Família Cósmica. A visão de pertencer a uma família que se distribui por todos os Universos dá uma nova dimensão ao indivíduo, trazendo para ele uma consciência de eternidade.

        Os familiares consangüíneos você identifica pelos traços fisionômicos, origem cultural, raça, nomes e sobrenomes. Eles se parecem com você, pertencem à sua Árvore Genealógica – real ou imaginária. Nos laços de sangue, a história é recente e facilmente resgatada. Numa única reunião familiar você remonta a estrutura remota acessível, que pode corresponder a 100, 200, 300 anos atrás.

        Mas como resgatar uma memória de estrutura familiar que volte no tempo 1000, 10000, 1 milhão de anos? E que família é esta que após tanto tempo ainda pode ser identificada? Estamos falando de um conceito evolutivo, que implica em aceitar o parentesco de pessoas por laços energéticos, cósmicos, eternos, que não se desatam nem por disputas, nem por distâncias, nem por esquecimentos ou decepções. Uma união assim tão forte, acima do bem e do mal, do tempo e do espaço, só pode ter uma origem mágica, cósmica, quase mística.

        Reconhecendo a Família Cósmica

        A cada estágio evolutivo encontramos mais integrantes de nossa Família Cósmica, simplesmente porque os atraímos e os reconhecemos. E como se dá esse reconhecimento, se não há sinais externos que os identifiquem conosco? Na verdade tudo acontece por sinais internos. Internamente, intuitivamente sentimos que estamos na presença de um igual, mesmo que externamente ele seja muito diferente.

        E não importam fatores como sexo, idade, nacionalidade, condição sócio-econômica, etc. Simplesmente sentimos, intuitivamente sabemos.

        Hoje, com o avanço tecnológico, é possível mapear nossas famílias através das fotos da aura. Um bom analista pode identificar traços energéticos que indiquem o grau de parentesco cósmico entre as pessoas cujas auras sejam registradas.

        Os laços cósmicos de parentesco não são como os consangüíneos, onde nos sabemos pais, filhos, avôs, netos, primos e tios. Os parentescos cósmicos falam em Partículas, Fragmentos, Almas Gêmeas e de outros pedacinhos iluminados nascidos da mesma essência ou do mesmo Eu Superior.

        Caso não tenhamos acesso à tecnologia específica que possa ajudar na identificação desses parentes cósmicos, uma boa opção é passar a ouvir melhor, prestar mais atenção, priorizar mais as pessoas que entram na nossa vida no cotidiano. São comerciantes, motoristas, empresários, alunos, colegas do filho, da mulher ou do marido. São os estressados e estressantes vendedores, os atendentes de SAC, os agentes de tele-marketing e os bancários, policiais, padres e pastores. Devemos ouvir com toda a calma, olhando nos olhos, os idosos e as crianças muito pequenas, os pedintes e também os adultos que falam alto demais e os adolescentes que não querem nos ouvir.

        Enquanto observamos com a mente, devemos procurar sentir com o coração. Dessa forma vamos refinando a intuição. Ao longo de um tempo nos especializamos não só em saber quem tem energia compatível com a nossa, mas começamos a fazer combinações de algumas pessoas com outras das quais guardamos na memória as impressões energéticas que nos causaram.

        Esta identidade energética é a freqüência vibracional de cada um. Cada um tem a sua individualidade e ao mesmo tempo sua identidade com um grupo de consciências que trazem desde sempre uma mesma marca sutil e que quando conseguimos encontrá-las formamos com elas uma luz única, que nos ilumina, aquece, conforta e ensina o caminho de volta para a Plenitude Divina.

        Quando nos reunimos, estamos exercitando uns com os outros o aprendizado da convivência. Apesar de nossas individualidades, com personalidades diferentes que caracterizam o grau de evolução de cada um e, portanto, com as limitações que daí advém, possamos assim mesmo no convívio destes momentos, no Amor de Cristo, viver a Harmonia de uma verdadeira família.

        Como nada e ninguém são isolados no universo, porque tudo e todos são extensões da mesma Vontade Divina, o nosso crescimento mental/espiritual não pode ser conseguido isoladamente. Nós só nos iluminamos quando nos descobrirmos em sintonia com os nossos semelhantes, pela comunhão de nossas experiências, aprendizes que somos uns dos outros e filhos da mesma Vontade Divina.

        Entretanto, para que esta página de nossa história esteja realmente virada e possamos concluir na terceira dimensão a nossa “busca”, devemos também nos trabalhar no sentido de cada vez mais nos harmonizarmos. Devemos ter a mesma noção, que tanto uma família seja ela cósmica ou terrestre, só será considerada como tal se seus membros forem harmonicamente participativos, quando ele e os outros dimensionais apenas serão realmente um Corpo de Energia se comportarem uns com os outros com mais equilíbrio emocional.

        No nível de consciência desarmônico existem apenas indivíduos circunstancialmente reunidos e não uma família porque nesta freqüência não pode existir a Harmonia formadora de um Corpo de Energia.

        Nesta dimensão energeticamente densa que o Poder Divino nos concedeu como atual moradia para a nossa vivência e a nossa experiência, compatíveis com os nossos estágios de consciência no que conhecemos e percebemos como verdade, nós só voltaremos mais rapidamente à Luz, se pelos ensinamentos de Cristo, vivermos verdadeiramente como irmãos.

        O Caminho de Volta

        … e a Fonte de toda a luz se multiplicou em infinitas Unidades luminosas. E cada Unidade, à semelhança da Fonte, trazia em si as qualidades M e F, polaridades positiva e negativa, masculina e feminina de uma mesma energia. E assim como a fonte se multiplicou, cada Unidade se dividiu em inúmeras essências/frações de luz, espalhando os Fs e os Ms pelo Universo infinito.

        E cada fração/essência da Unidade, tanto F como M também se desdobrou em partículas e em fragmentos irmãos, já que oriundos da mesma essência.

        E todos foram se distanciando tanto da Fonte como da Unidade e da Essência. Obedecendo ao movimento e ao ritmo da dança cósmica foram se espalhando pelos mundos, como se cada mundo fosse um palco preparado para receber todos esses pedacinhos de luz, eternas consciências, que um dia aprenderão o caminho de volta à Essência e da Essência para a Unidade e da Unidade/Eu Superior para a Fonte Maior.

        A consciência de pertencer a uma família maior, que se distribui por todos os Universos e todas as Dimensões é um sinal de que estamos fazendo o caminho de volta. De volta para o Pai.

        Quando é despertada a consciência cósmica, camadas e camadas de embrutecimento foram retiradas, deixando aflorar a essência luminosa. Esta luz vai se manifestar através de pensamentos, idéias, ações, palavras iluminadas. São comportamentos que deixam claro uma atitude que inclui todos os seres numa mesma condição de irmãos. Irmãos de luz, não importando se são iguais ou diferentes de nós.

        Encontramos os irmãos da mesma polaridade, respectivamente feminina ou masculina, que se revelam fragmentos e partículas da mesma essência, oriunda do mesmo Eu Superior. Nesse retorno eles são descobertos, identificados, confirmados como feitos da mesma essência, ainda que de formas e substâncias diferentes.

        Também nos encontram aqueles de polaridades opostas e que se confirmam partes da mesma Unidade, seu Eu Superior, e que se revelam Almas Afins, Almas Gêmeas da Essência Irmã, Almas Gêmeas, Almas Cármicas. Algum dia no futuro eles se revelarão Almas Gêmeas Matriz, com profunda sintonia e semelhança no grau de iluminação (ou intensidade da luz). Enquanto isto não acontece, vamos experienciando entre nós as vivências boas ou ruins, as alegrias, as tarefas e os desafios e provas que constroem o caminho da iluminação.

        Às vezes nos deparamos com energias tão compatíveis conosco e de polaridade oposta que com elas nos identificamos, mas nem por isso são da mesma essência de origem. São tão amigos, sua presença nos faz tão bem e, não importa o grau de relacionamento, sabemos que vamos amá-los como irmãos especiais – são Almas Companheiras, que nos ajudam na missão e também na nossa rotina de vida, profissional ou pessoal.

        Almas Gêmeas não necessariamente precisam “se casar e viverem felizes para sempre”. Na verdade o encontro das Almas Gêmeas marca o alcance de um grau de consciência tal que eles podem simplesmente compartilhar um trabalho, um projeto de vida, uma missão, de forma que um contribua para o sucesso, a evolução e a iluminação do outro.

        Também com origem no mesmo Eu Superior temos as Almas Afins, quase Almas Gêmeas, faltando apenas o nivelamento do grau de consciência – questão de tempo. Num futuro próximo se identificarão um ao outro como uma Alma Gêmea. Mas enquanto não se nivelam, somente um deles, o de mais alto grau de consciência, percebe o outro desta forma.

        Acontece que o Eu Superior se desdobra em várias essências de cada polaridade e então vamos encontrar as Almas Gêmeas da Essência Irmã, de polaridades diferentes, com a mesma energia do Eu Superior, mas originadas de essências diferentes. Também se tornarão Almas Gêmeas um dia – a Unidade só se realiza quando reúne todas as suas partes na plenitude da luz.

        Nesta jornada, de volta à casa onde tudo começou, obrigatoriamente encontramos as Almas Cármicas. São pedacinhos da mesma Unidade, ainda que com polaridades opostas à nossa. Em algum momento nos encontramos e as experiências foram emocionalmente fortes, gerando conflitos, atrações e rejeições. Chegará a época de se harmonizarem e neutralizarem os choques emocionais do passado, tornando-se também Almas Gêmeas, viajando juntos para a Unidade de Luz.

        Finalmente temos as Almas Companheiras. Como o próprio nome diz, têm energia muito compatível com a nossa, são de polaridade oposta, porém são de outro Eu Superior. São grandes parceiros para compartilhar qualquer experiência conosco, seja de trabalho, missão, família ou casamento. São como presentes de luz na sua vida e a cada encontro realmente iluminam sua existência com uma amizade sincera, ajuda desinteressada, apoio amoroso.

        São tantas as possibilidades de encontros iluminados que a Natureza e o Universo nos reservam que precisamos ficar atentos a cada nova experiência, a cada nova pessoa que se insira no nosso campo vital. Cada um deles, seja parte de um relacionamento próximo seja parte de uma simples troca comercial, companheiro de transporte coletivo, professor ou aluno, profissional de saúde, qualquer um pode ser a parte que falta para você conhecer e caminharem juntos pra a luz.

        Por tudo isso é necessário procurar em cada pessoa do nosso mundo o papel que ela tem no nosso crescimento pessoal, na nossa aprendizagem em geral, na nossa superação profissional, na nossa cura, na nossa elevação espiritual e na evolução mental. Cada um traz uma senha, um sinal, um segredo na sua energia que precisa ser descoberto, decifrado, entendido e abençoado por nós.

        Quem são as pessoas iluminadas?

        Cabe esclarecer esta questão de fazer parte de uma mesma fração de luz. Quem são os iluminados? Todas as pessoas vieram da luz, mas será que todas voltarão para ela?

        É comum as pessoas discriminarem e considerarem destituídas de luz aqueles que pautam suas vidas com práticas criminosas, cenas de violência e formas variadas de degradação moral. Será que os criminosos também têm origem divina, essência luminosa? Realmente é muito difícil vermos pessoas assim e vislumbrarmos luz, verdade e amor nelas. Porém elas estão no mesmo caminho evolutivo que todas as outras, com menor ou maior consciência. Elas estão em etapas diferentes da caminhada, mas caminhando. É este o destino de todos: voltar para a luz, expressar plenamente sua essência luminosa.

        Quando ouvimos falar da Síndrome de Estocolmo, aquela em que as vítimas de seqüestro criam uma simpatia pelo seqüestrador, chegando às vezes a defendê-los, pensamos que no meio das trevas do sofrimento por que passam, elas conseguem enxergar a possibilidade de luz do outro.

        Mas tanto a dificuldade de expressar a luz quanto a dificuldade de vislumbrar a luz do outro fazem parte do processo evolutivo. Felizmente a cada dia são oferecidas oportunidades para este treinamento e assim vamos nos aperfeiçoando. Os primeiros passos são os mais difíceis, mas quando nos determinamos a fazer a caminhada, cada dia fica mais fácil descobrir as soluções para tantos desafios.

        As facilidades que vamos encontrando ao longo do caminho evolutivo são geradas pela inspiração enviada pelo Eu Superior e pelos encontros com nossos familiares cósmicos, que intuitivamente nos ajudam com informações, recursos, companhia, conselhos, muitas vezes sem saber que fazem parte do mesmo pedacinho iluminado de onde viemos.

        O Despertar da Consciência Cósmica

        De acordo com a Bíblia, em Gênesis Capítulo 1, Versículo 26, disse Deus:

        “Agora vamos fazer os seres humanos, que serão como nós, que se parecerão conosco. Eles terão poder sobre os peixes, sobre as aves, sobre os animais domésticos e selvagens e sobre os animais que se arrastam pelo chão“.

        Analisando este Versículo com um olhar crítico, e não religioso, somos levados a pensar que Deus possa ser um homem de barbas brancas e longas. Afinal de contas, quantos milhares de anos já se passaram desde que Ele nos criou? O mesmo Versículo utiliza o plural, como se mais de um Deus participasse da criação dos seres humanos: “Vamos fazer os seres humanos que serão como nós”.

        Para que possamos chegar próximos a entender o que é Deus e suas criações, primeiramente devemos fazer um esforço para termos uma mínima idéia do que é o Universo que pensamos conhecer. Este é um caminho em busca do despertar da consciência cósmica.

        Conforme a “ciência oficial atual”, a Terra faz parte de um Sistema Solar que possui apenas nove planetas, com 57 satélites, no total de 68 corpos celestes, apesar dos Sumérios alegarem que existiam 12 planetas em nosso Sistema Solar… A “grosso modo”, em relação a outros astros do Sistema Solar, a Terra possui um volume 49 vezes maior que o da Lua, e 1.300.000 vezes menor que o do Sol. É preciso que tenhamos noção de sua pouca importância diante do restante do Universo.

        Nosso Sistema Solar faz parte de uma pequena Galáxia conhecida por Via Láctea, um aglomerado de aproximadamente 100 bilhões de estrelas, com pelo menos 100 milhões de planetas, e conforme os astrônomos, no mínimo 100 mil com vida inteligente e mil com civilizações mais evoluídas que a nossa.

        As últimas observações do telescópio Hubble elevaram o número de Galáxias conhecidas para 50 milhões. Em 1991, em Greenwich, na Inglaterra, o observatório localizou um Quasar (possível ninho de Galáxias) com a luminosidade correspondente a um quatrilhão de sóis.

        É no mínimo estranho que após esta monumental obra inteligente, Deus tenha colocado em um planeta que representa um ínfimo grão de areia, sua grande criação, o homem, feito conforme as suas imagens e semelhanças. Não nos esqueçamos que a Bíblia sempre registra em Gênesis Deus falando como se fosse mais de um!

        Nosso grande irmão e amigo Jesus Cristo há aproximadamente 2000 anos passou em forma de parábolas, vários conhecimentos intelectuais e morais, devido ao seu grande estágio evolutivo. Quando em missão entre nós, confiada pelo Criador, afirmou:

        “Na casa de meu Pai há muitas moradas, e eu vou preparar um lugar para vocês. Se não fosse assim, eu já lhes teria dito.” João 14:2.

        Se tomarmos como verdadeira a hipótese de que a Bíblia é a palavra de Deus, qual é a imagem correta do nosso Criador?

        Talvez o segredo para entender Deus não esteja no exterior, mas sim no nosso interior. Neste momento torna-se importante duas perguntas: o que nós somos e quem somos nós? As duas perguntas parecem ter o mesmo significado, mas não tem.

        O homem age, pensa e sente de uma determinada forma, e para saber a razão disto, precisa conhecer-se energeticamente, saber que tipo de influência exerce no meio e como é influenciado, não só pela própria energia, como pela dos outros, e também pela energia de tudo que se encontra à sua volta – o Universo.

        Para mantermos este nível energético equilibrado, é necessário que, em primeiro lugar, procuremos nos conhecer e nos avaliar. Conhecer as falhas e aprender como lidar com elas da melhor maneira, evita a ruptura abrupta deste equilíbrio, centralizando emoções e desta forma mantendo-se em harmonia consigo mesmo, com as pessoas e o meio ambiente em volta. Agindo assim, estaremos sempre possibilitando uma renovação através de trocas energéticas.

        Vivemos em tempos conturbados, onde não temos tempo sequer para nossos familiares. Passamos a maior parte do tempo trabalhando para pagar contas. O estresse é diário. Sem falar nos momentos em que ficamos interagindo com problemas que não são nossos. Diante deste cenário caótico, dedicamos pouco tempo para nossa evolução interior, despertando nossa verdadeira essência, nossa verdadeira consciência cósmica.

        Quando o homem compreender melhor a si mesmo, compreenderá não só a si, mas principalmente quem realmente foi Jesus Cristo, compreenderá o Todo, o Universo, e também a Deus.

        Contudo, é tarefa para cada leitor buscar o (re)encontro consigo mesmo. Auxiliando nesta tarefa, faremos uma breve viagem até a Gallerie dell´Accademia, em Veneza, Itália, para assim, analisarmos uma das mais famosas pinturas de Leonardo Da Vinci, chamada de “Homem Vitruviano”.

        Criado em 1490, no século XV, Leonardo Da Vinci pintou o “Homem Vitruviano” baseado em uma famosa passagem do arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio (aproximadamente 70 a.C .).

        Tal pintura é considerada um símbolo da simetria básica do corpo humano, e por extensão, um dos símbolos da simetria do Universo como um todo.

        Neste momento, torna-se importante citar um dos sete princípios de Hermes Trimegistro: “O que está acima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está acima”. Sendo assim, a simetria e perfeição não são somente humanas, mas Cósmicas. Há uma equiparação entre o “céu” e a “terra”.

        Examinando a pintura, podemos perceber que, de acordo com a combinação das posições dos braços e pernas, realmente se acredita em quatro posições diferentes. As posições com os braços em cruz e os pés são inscritas juntas no quadrado. Por outro lado, a posição superior dos braços e das pernas é inscrita no círculo. Isto ilustra o princípio de que na mudança entre as duas posições, o centro aparente da figura parece se mover, mas de fato o umbigo da figura, que é o verdadeiro centro de gravidade, permanece imóvel.

        Importante ressaltar neste momento que se analisarmos o lado energético do corpo humano, no umbigo há um chakra chamado de umbilical, o qual, além de outras tarefas, possui a tarefa controlar nossa vitalidade. É o chakra que é trabalhado para acelerar e expandir todo nosso campo vibracional. Ao se acelerar o chakra umbilical, é acelerado todos os meridianos, os estímulos e as freqüências cerebrais, nos protegendo contra energias negativas, acelerando inclusive o processo de auto-imunização.

        Homem Vitruviano

        Retornando ao Homem Vitruviano, podemos ainda verificar que:
a) Um palmo é a largura de quatro dedos;
b) Um pé é a largura de quatro palmos;
c) Um antebraço é a largura de seis palmos;
d) A altura de um homem é quatro antebraços (24 palmos);
e) Um passo é quatro antebraços;
f) A altura da orelha é um terço da longitude da face;
g) A distância entre o nascimento do cabelo e o queixo é um décimo da altura de um homem;
h) A distância do topo da cabeça para o fundo do queixo é um oitavo da altura de um homem;
i) A distância do nascimento do cabelo para o topo do peito é um sétimo da altura de um homem;
j) A distância do topo da cabeça para os mamilos é um quarto da altura de um homem;
k) A largura máxima dos ombros é um quarto da altura de um homem;
l) A distância do cotovelo para o fim da mão é um quinto da altura de um homem;
m) A distância do cotovelo para a axila é um oitavo da altura de um homem;
n) A longitude da mão é um décimo da altura de um homem;
o) A distância do fundo do queixo para o nariz é um terço da longitude da face;
p) A distância do nascimento do cabelo para as sobrancelhas é um terço da longitude da face;
q) A longitude dos braços estendidos de um homem é igual à altura dele.

        O ser humano é perfeito, e para tanto, nossa função no Cosmos é muito mais profunda e bela do que muitos imaginam. Cada milímetro do nosso corpo foi infinitamente bem elaborado. Não estamos neste plano por acaso. Temos muitas responsabilidades, e uma delas é conhecer a nós mesmos, ou seja, descobrir nosso Deus interior, nosso verdadeiro Eu.

        Um dia o Universo foi criado. Neste momento não importa sua crença, ou seja, se o Universo foi criado através do Big Bang ou através de um passe de mágica. O fato é que o Universo foi criado e, de alguma forma, interagimos com ele.

        Mas qual será a dimensão desta criação? Mal conseguimos observar a décima parte do Universo quando olhamos para o céu, como podemos então concluir que somos quem somos? Neste momento, podemos ter uma ligeira visão e compreensão das criações de Deus. Mas será que temos consciência de tudo isto?

        Saber reconhecer que não vivemos apenas em uma casa, a qual na maioria das vezes tem cercas e muros altos, já é um grande passo. Fomos “doutrinados” a defender a propridade privada com unhas e dentes. Mas será realmente que tudo que pensamos ser nosso nos pertence? Ou melhor, o que é realmente nosso?

        Sentimentos ilusórios são incutidos diariamente em nossas mentes. Na maioria das vezes não reclamamos, pelo simples fato de que é muito mais fácil “aceitá-los”, do que questioná-los a assumirmos as nossas verdadeiras responsabilidades, ou seja, a nossa verdadeira essência. Muitas vezes nem nos damos conta disso.

        O ser humano é muito mais perfeito do que imagina ser. Este é um dos motivos de nos sentirmos muitas vezes tão perdidos, sem respostas para perguntas tão simples…

        Apesar de parecer difícil o despertar da consciência cósmica, talvez seja ainda mais complicado rejeitar e conseguir entender a realidade que nos é exposta diariamente na mídia. Somos inundados por conhecimentos frios, sem sentido, vagos e confusos. Enquanto muitos perdem tempo propagando o falso, ilusório e complexo, cada um tem a possibilidade de acessar, sem custo algum, seu Deus interior.

        Entretanto, talvez o despertar seja dolorido para muitos. Saber que somos responsáveis por todos os nossos atos (ação e reação), representa muito mais do que podemos imaginar. O processo de despertar a consciência cósmica significa perceber que Deus está em tudo, e que tudo está em Deus; é acordar para uma nova realidade; é saber e agir como co-criador.

        Por fim, para reflexão, mais uma parábola de Jesus Cristo:

        “Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim; crede ao menos por causa das minhas obras. Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas; porque eu vou para o Pai; e tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.” João, Capítulo 14, Versículos 11 a 13.


III – ORIGEM CÓSMICA

        Teoria da evolução da raça humana

        De que maneira evoluiu a raça humana? Qual sua verdadeira origem? Será que a teoria darwiniana sobre a transformação de símios em humanos está correta? São muitas as dúvidas a serem respondidas sobre a real origem dos seres humanos.

        Observando as exposições em museus de História Natural muitos acreditam que essa questão foi respondida decisivamente. A representação que temos acesso, de que o homem é descendente dos macacos, é uma mera interpretação dos fósseis encontrados – a interpretação de um grupo de cientistas. Há outras interpretações para os fatos e fósseis encontrados, mas nenhuma delas é encontrada em um único museu de qualquer parte do globo terrestre. Porque?

        Hoje, museus de todo o mundo expõem modelos de outro esqueleto aclamado como sendo o elo perdido: Lucy, a famosa australopithecine descoberta por Donald Johannsen.

        Segundo Johannsen, Lucy era muito parecida com o homem, porém o famoso antropólogo e co-autor do livro “Forbidden Archaeology “ (Arqueologia Proibida), Michael Cremo, diz que esteve em um congresso de antropólogos, no qual muitos diziam que ela mal se distinguia de um macaco.

        Os jornais sempre relatam novas descobertas que nos apontavam à direção da origem do Homem. Uma descoberta conclusiva ainda não foi encontrada. O que acontecerá ao modelo evolutivo se o elo perdido não existir? Sem ele, há pouco apoio para a ligação do homem com o macaco.

        Com isso, voltamos à velha pergunta: Quem somos? De onde viemos?

        Para respondê-la precisamos nos reportar a fósseis descobertos há muitos anos. O australopithecus, que teria vivido no sul da África num período que oscilaria entre três milhões a um milhão de anos. O homo habilis, que também viveu no continente africano há dois milhões de anos, aproximadamente. Mas o mistério continua.

        As Pedras de Ica, encontradas no Peru, atraem nossa atenção nesta busca pela origem humana. São pedras com desenhos esculpidos, estudadas pelo pesquisador Dr. Javier Cabrera Darquea em seu museu particular na Vila de Ica, ao norte de Nazca, no Peru. A essas pedras ele atribuiu o nome de gliptolíticos.

        Em 1969, no deserto de Ocucaje, em Ica, Peru, o Dr. Javier descobriu e coletou mais de 11 mil pedras gravadas com conhecimentos de medicina, zoologia, biologia, astronomia, etc., que foram talhadas por uma civilização que viveu há 13.000.000 (treze milhões de anos), ou seja, antes da Idade da Pedra…

        Um dos desenhos era o de Ágnato, um peixe sem maxilares que viveu em nosso planeta em plena era paleozóica ou primária, há mais de 300 milhões de anos. Essa pedra é uma das cem que existem na “biblioteca” lítica sobre o ciclo biológico desse animal. Como pode ter sido gravado todo o ciclo biológico desse ser, sem o homem conhecê-lo e sem dispor de conhecimento científico?

        Outro exemplo encontrado na Pedra de Ica foi o Mapa do Céu, uma imagem auto-explicativa das estrelas no céu. De onde veio todo esse conhecimento astronômico? Continuamos percorrendo os exemplos gravados na Pedra de Ica. Desta vez a imagem de um Planeta estranho, uma enigmática gravura que, segundo o Dr. Cabrera, corresponde aos continentes de um planeta que não é a Terra, e do qual os homens da era gliptolítica tiveram conhecimento. Estima-se que existam mais 40.000 ou 50.000 pedras em Ica, as quais constituem uma vasta “livraria” de um passado ainda a ser desvendado.

        De acordo com os estudos do Dr. Javier, a Terra tinha três luas girando ao seu redor, sendo duas delas menores do que o nosso satélite natural. Como já observamos, estes seres tinham um grande conhecimento tecnológico em aeronáutica, física, astronomia e sabiam que a Terra era cercada por um cinturão eletromagnético, hoje conhecido por nós conforme registrou Van Allen sobre a malha magnética envolvendo a Terra.

        Nas Pedras de Ica existem inscrições onde aparecem pirâmides erguidas na zona do Equador. Elas serviriam para captar e distribuir a energia elétrica pela Terra. Eles utilizavam esta energia também para influenciar eventos astronômicos. Isso fez com que o planeta aumentasse o seu magnetismo, atraindo duas dessas luas. Foi quando elas despencaram literalmente na Terra, causando o maior cataclismo já vivenciado pelo nosso planeta. Numa das pedras vêem-se naves “suspensas” por uma força eletromagnética, onde o campo elétrico é balanceado pela nave e pela planície.

        Estes seres então, teriam partido para um planeta da constelação de Plêiades, deixando aqui alguns representantes de seu povo, os quais sobreviveram à catástrofe, porém devido à destruição, tiveram que recomeçar do zero.

        De acordo com alguns contatados, entre eles o mais famoso, Edward “Billy” Meier, estes seres retornaram à Terra para observar evolução de seus descendentes. Meier afirma que manteve contato com esses seres de Plêiades, e que eles disseram que já viveram na Terra há milhares de anos. Não sabemos se Meier teve conhecimento das Pedras de Ica, mas Meier começou a ter seus “contatos” em 1975, enquanto que as pesquisas do Dr. Javier Cabrera começaram em 1966. Todo esse enigma é tão incrível que o Dr. Javier muitas vezes não é levado a sério.

        Outro pesquisador que também acredita na possibilidade de sermos descendentes dos extraterrestres vindos de Plêiades é o escritor suíço Erick Von Daniken. Ele escreveu vários livros relacionados com extraterrestres que teriam visitado a Terra há milhares de anos, quando foram considerados deuses. Para ele, e de acordo com as suas pesquisas relatadas no livro “Carruagens dos Deuses”, os povos pré-incaicos da América do Sul possuíam lendas religiosas relatando a história de como os deuses da Constelação de Plêiades vieram à Terra.

        Daniken também declara, assim como o Dr. Javier, que esses povos já sabiam que nesta constelação havia vida inteligente. Aceitar tais idéias é ir contra os livros de ciências, é acreditar que uma civilização muito mais avançada do que a nossa já habitou este planeta, conviveu com dinossauros, viajou pelo espaço, conheceu outros planetas e deixou aqui a sua semente…

        Na localidade de Klerksdorp, África do Sul, centenas de esferas metálicas datadas de supostamente 2,8 milhões de anos foram encontradas por mineiros. A controvérsia envolve finos encaixes circundando algumas esferas. Técnicos de laboratório não puderam explicar sua formação por processos naturais existentes.

        Em 1966, um mineiro foi protagonista de um espetacular descobrimento. Quando examinava uma pedra, esta escorregou por entre seus dedos, caindo no chão. Partiu-se em duas metades, e de seu interior, surgiu uma figura em pedra, com notável semelhança com um feto humano. Após ser submetida a diversos cientistas, chegou-se a mesma conclusão: tratava-se realmente de um feto humano, porém, petrificado. Em outras palavras, trata-se de um feto cuja idade pode oscilar em torno de dois milhões de anos. Como isto é possível?

        A ilha de Páscoa, ponto no meio do Oceano Pacífico situado entre a América do Sul e a Polinésia Francesa, possui um fantástico segredo: cerca de 300 descomunais esculturas de pedra – os Moai.

        As figuras têm de seis a 20 metros de altura, chegando a pesar 400 toneladas, construídas por um material que não existe na ilha e que pode ser encontrado a mais de quatro mil km de distância do continente! Elas foram descobertas quando marinheiros holandeses, no domingo de Páscoa do ano de 1722, se depararam com uma ilha não assinalada no mapa. A ilhota é de formação vulcânica, tendo um relevo moderado, superfície de 118 km², com altitudes que variam de 200 a 500 metros do nível do mar, e faz parte da Província de Val Paraíso, no Chile. Pela sua localização, foi batizada de “te pita, te henua” – umbigo do mundo!.

        Existem três tipos de estátuas espalhadas pela área costeira da ilha, representando figuras humanas – algumas de corpo inteiro, outras com os corpos cobertos de símbolos (hieroglíficos), mais algumas portando um estranho chapéu. Segundo os especialistas, elas têm características semelhantes às das estátuas da arte pré-incaica. Mas qual a utilidade destas esculturas?

        A explicação viria dos chapéus que foram construídos nas cabeças de algumas estátuas. Feitos de material vulcânico poroso, eles tinham a capacidade de absorver as descargas elétricas, impedindo que a ilha – onde existiam habitações e lavouras de subsistência – fosse afetada.

        Levando-se em consideração os dados analisados, os cientistas concluíram que os nativos da ilha dominavam o conhecimento prático da “Lei de Gauss” – que determina o comportamento da distribuição de cargas elétricas espaciais sobre uma superfície dielétrica. Essa descoberta foi uma surpresa para os estudiosos dos povos antigos, que supunham que os “Moai” tinham apenas funções religiosas ou estéticas.

        De onde teria vindo o conhecimento da “Lei de Gauss”? Como o material utilizado na sua construção foi levado até a ilha? Como as pedras foram cortadas, moldadas, transportadas e erguidas sem a ajuda de equipamentos sofisticados?

        Na verdade, se nos reportarmos aos outros grandes enigmas da humanidade, podemos perceber como fator comum e lógico a todos eles a presença de civilizações extraterrestres no planeta Terra…

        Gênese dos Dimensionais

        A “História dos Dimensionais” no planeta Terra se entremeia com a “História do Homem”, isto porque seres extraterrestres possuidores de nível consciencial mais avançado – os Dimensionais – quando chegaram ao planeta Terra, valeram-se do corpo humano (Homo sapiens) para viver/experienciar o dualismo tridimensional com a finalidade de cumprir um compromisso cósmico.

        Geneticamente falando, os seres humanos têm características de várias raças, provenientes de raças extraterrestres.

        Neste contexto, a história bíblica, bem como a história genética, arqueológica e antropológica do Homem, tornam-se convenientes para ilustrar, entre outros motivos, o porquê da nossa tão grande dificuldade em despertar a Consciência Dimensional que ficou adormecida/encoberta pela densidade da terceira dimensão durante tantos milênios. Por este motivo, é relevante conhecermos um pouco sobre a história humana, para melhor entendermos a história dos Dimensionais propriamente dita.

        Na forma de uma história, narraremos estas outras histórias entrelaçadas.

        Para facilitar a compreensão, dividiremos a história em partes:

        – a colonização do planeta Terra

        – o surgimento dos humanos

        – a vinda dos Dimensionais para a Terra

        A colonização do planeta Terra

        No início, aproximadamente há 4,5 bilhões de anos, quando da formação da Terra, seu ambiente era inóspito, formado basicamente por gases e metais. O planeta possuía apenas algumas bactérias. Com impactos de cometas e meteoros, o ambiente começou a se transformar, até que ocorreu o choque de um cometa com uma das estrelas de Sírios, e deste choque desprenderam-se vários fragmentos lançados ao cosmos. Dois deles caíram na Terra, causando a primeira inclinação de seu eixo. Antes disso, o eixo terrestre era reto e, por isso, não havia praticamente registro de vida. Assim surgiram áreas mais habitáveis. Um primata começou a se desenvolver.

        A Terra possuía temperaturas muito elevadas, tudo era muito quente. O planeta já sofrera vários e diferentes ciclos de vida, porém em um passado muito distante o clima tornou-se muito úmido e quente. O céu encontrava-se coberto por nuvens muito espessas e a vegetação encobria a vista, sendo difícil visualizar as estrelas. Boa parte das águas como as conhecemos hoje estavam suspensas em forma de nuvens carregadas e o planeta possuía uma temperatura com poucas variações.

        Nesta época já existiam seres nos pequenos mares, lagos, na terra e no céu. Os mamíferos com aspectos de primatas eram os mais inteligentes.

        Os primeiros pesquisadores

        Há 450 milhões de anos o planeta Terra possuía uma vegetação muito densa e habitada por centenas de animais, entre eles, alguns primatas. É importante salientar que o Sistema Sírius é composto por duas estrelas, que giram uma ao redor da outra. Há milhares de anos, um cometa se chocou com uma das estrelas de Sírius e, dois fragmentos caíram na Terra, enriquecendo o planeta com cobalto e em minérios, além da flora e fauna.

        Muito longe daqui, seres extraterrestres cientistas, habitantes de uma parte da Constelação de Orion, evoluídos tecnologicamente, observavam a Terra com bastante interesse em vir aqui para explorá-la. Em seu planeta de origem havia escassez de matéria-prima, principalmente o elemento 27 (cobalto), de vital importância para aquela civilização.

        Para isto, era necessária a autorização do Conselho Interestelar, responsável por mundos como a Terra, ou seja, planetas de 3ª dimensão (este Conselho não faz parte da Hierarquia Divina, nem dos dimensionais, só dos mundos de freqüências tridimensionais). A idéia de explorar o planeta foi aprovada pelo Conselho, liberando-os para que viessem e permanecessem aqui, por tempo determinado. Naquela época o Conselho Interestelar ainda não tinha informações precisas sobre a Terra e sua flora, fauna e minérios.

        Os orianos vieram para pesquisar os minerais, vegetais e os animais. Levaram muitas amostras e, com base em estudos deste material recolhido, determinaram a vinda de novos animais para a Terra. Entre os animais que trouxeram estão os dinossauros, pois necessitaram de grandes animais para limpar a densa vegetação terrena que dificultava a realização de suas pesquisas. Foram eles também que, na época destas pesquisas, encontraram aqui um tipo de primata que chamou a atenção dos orianos por ser totalmente diferente dos demais animais encontrados na Terra, principalmente por ser um pouco mais inteligente do que os demais.

        Eram seres primitivos “simiescos” que não tinham inteligência nem coordenação motora necessárias para uma rápida evolução.

        Como precisavam de mão de obra braçal, estes seres resolveram então, fazer experiências, alterando o DNA desta espécie de primatas, obtendo mudanças na sua estrutura corpórea (caixa craniana, membros e coluna), tornando-os um pouco mais harmônicos e menos rudes. Foram feitas duas alterações genéticas neste primata.

        O Conselho, após um período de exploração dos orianos, também autorizou a vinda de mais outras quatro raças para pesquisar a Terra por um período de dois mil anos.

        No período em que estes seres permaneceriam na Terra seriam observados em tudo o que realizariam, tendo como missão cuidar da exploração e das pessoas que estavam sob as ordens dos líderes de cada uma destas raças, para que não cometessem nenhum abuso na flora, fauna e vida do planeta.

        Completados os dois mil anos, deveriam retornar aos seus planetas de origem levando todos os seus descendentes que na Terra nasceriam.

        As cinco primeiras raças

        As cinco primeiras raças que vieram para a Terra – com autorização do Conselho Interestelar – eram seres humanóides originados de Orion, Plêiades, Antares, Pégasus e Sírius.

        Os primeiros a chegarem a Terra novamente foram os seres de Orion, os quais já tinham trazido animais e feito algumas pesquisas na primeira vez que aqui estiveram. Eles voltaram a observar o primata que tiveram seu DNA alterado na primeira vinda e decidiram melhorar o que já haviam feito. Eles não tinham interesse em habitar a Terra, apenas em estudar a genética. As outras quatro raças de seres, que também tiveram sua vinda autorizada, desembarcaram e, resolveram explorar o planeta de acordo com o relatório acordado com o Conselho Interestelar.

        Assim, os seres de Plêiades trouxeram pessoas especializadas para habitar e explorar a região que hoje é a América do Norte. Já os de Antares optaram pela região da atual Europa, enquanto que os de Sírius escolheram as regiões que hoje são a América Latina e o Egito. Finalmente, os de Pégasus decidiram não levar nenhum de seus habitantes, porém como seu planeta abrigava outras raças, trariam para a Terra estas pessoas que socorreram para os auxiliarem nas pesquisas e em função do grande número populacional de seu planeta.

        Estas raças, ao desembarcarem no planeta, trouxeram um número bem menor de seres, em média 50 tripulantes por nave (eram 300 naves para cada raça), já visando a sua reprodução. Assim foi acontecendo a multiplicação/miscigenação e os novos seres que nasciam, tinham consciência e sabiam de onde eram.

        Os líderes continuaram trazendo mais seres até completar o limite permitido pelo Conselho e, com isso, aumentaram ainda mais o número de habitantes na Terra, bem como os pontos de exploração do planeta.

        Diante da falta de mão-de-obra para exploração terrena, os seres decidiram que seu pessoal deveria se reproduzir mais ainda. Enquanto aumentava a população de seres na Terra, também aumentou a população de animais, o que estava atrapalhando suas pesquisas. Os orianos decidiram então eliminar animais machos de grande porte para reduzir a reprodução deles e, transportar pequenos animais para outras regiões do planeta.

        Naquela época vivia-se muito, em torno de 8 mil anos, pois era prática corrente a manipulação da energia vibracional. Com o passar dos tempos, as raças começaram a se relacionar entre si, criando vários parentescos e se miscigenando, inclusive com o primata que já estava em um processo evolutivo bem adiantado, porém, ainda um pouco distante da raça humana atual. Dessa miscigenação, surgiram características distintas, como pés chatos, testa saliente, pernas arqueadas, entre outras.

        Retorno aos planetas de origem

        Passaram-se os anos e, com isso chegou a hora destes seres retornarem a seus planetas de origem. Como havia ocorrido um grande aumento populacional, os líderes decidiram levar apenas os seres que vieram com eles e seus parentes mais próximos, ou seja, os descendentes da segunda geração em diante permaneceriam na Terra, com os seres retornando em um período de dois mil anos. A tecnologia deles era avançada, mas ainda não dominavam viagens interdimensionais, por isso levariam para ir e voltar cerca de dois mil anos. Porém tinham uma vantagem, naquela época o envelhecimento ainda era lento.

        Quando as naves maiores voltaram aos seus planetas de origem, ficaram então em débito com os que permaneceram na Terra, pela promessa de buscar seus descendentes assim que fosse possível.

        O tempo foi passando, e os descendentes dos orianos originaram a raça asiática. Eles eram os que tinham mais poder tecnológico e conquistaram muitas terras. Já os descendentes de Antares, miscigenados com os orianos, originaram a raça vermelha (indígena). Os descendentes de Sírius originaram a raça caucasiana, os descendentes de Plêiades deram origem à raça amarela de olhos amendoados e os de Pégasus a raça negra.

        Perda dos referenciais e o resgate

        Os seres colonizadores que exploraram nosso planeta, eram seres importantes em seu planeta, eram extraterrestres “planetários” com uma tecnologia muito avançada que tinham contato direto com Seres Divinos (9a dimensão) e com Energias Cósmicas. Eram de raça pura (sem miscigenação), também puros de coração e de alma. Os descendentes que ficaram não tinham ninguém para orientá-los, não tinham o mesmo aprendizado, disciplina e padrão de consciência de seus líderes.

        A população continuou aumentando e estes descendentes de seres extraterrestres começaram a conquistar territórios. No decorrer do tempo, pelas próprias características da Terra, foi lentamente aflorando o gosto pelo poder e ambição, iniciando-se várias disputas entre eles e as outras raças. Ocorreu uma mudança geral, sentimentos que eram puros acabaram se desarmonizando por causa do gosto pelo poder e devido à ambição da exploração mineral, vegetal, animal, etc. Os mais velhos, que tinham consciência de que seus povos viriam buscá-los, morreram nas batalhas realizadas. Sobreviveram apenas os mais novos. Ao invés de evoluírem, acabaram involuindo. Tornaram-se pessoas “negativas” e tudo o que havia sido ensinado pelos líderes se perdeu nestes anos.

        Assim, extinguiu todo o conhecimento e eles acabaram esquecendo da promessa do seu resgate e da sua origem. Na Terra, as guerras continuaram. Desta disputa surgiram os governantes que passaram a atuar de forma desumana.

        Conforme o compromisso assumido com seus descendentes, passado este período, os seres autorizados pelo Conselho retornaram a Terra para buscá-los. Mas ao chegarem aqui, perceberam que os resultados não correspondiam ao esperado, com a população tomada por sentimentos desarmônicos, gerados no ódio, ciúmes, ambição, entre outros. Diante disso, não poderiam retornar aos planetas de origem para não contaminar a consciência dos demais.

        Mesmo assim, tentaram desembarcar, porém foram confundidos com deuses pelo fato da população estar totalmente esquecida de sua origem. Os líderes aproveitaram este fato e decidiram implantar a noção de transcendência cósmica, de ligação com o superior, de religiosidade, para que todos ficassem harmônicos e para que as lutas cessassem entre eles.

        Decidiram fazer construções específicas (dentre estas construções estão as pirâmides) para que as freqüências cósmicas pudessem ressonar em suas células com o objetivo de trabalhar a consciência e evolução de seus descendentes.

        Para fazer estas construções necessitaram traçar a malha magnética da Terra, no que foram auxiliados pelos seres de Gemus, especialistas neste trabalho. Cada líder ficou responsável pela área no planeta onde seus descendentes se estabeleceram. Eles contaram ainda com a ajuda de outras raças que vieram em auxílio para que seus descendentes voltassem ao equilíbrio e evolução.

        Os especialistas de Chavi alertaram para o fato de que as ondas sonoras universais se propagam melhor através de construções escalonadas. Esta é a melhor forma para a condução das ondas sonoras e sua sincronização dos indivíduos com as freqüências universais. Eles contaram ainda com a ajuda das mulheres de Ophiúcus e, como elas também já haviam estado na Terra, logo no início, concordaram em ajudar. Com suas habilidades mentais produziriam para o planeta uma vibração mais pura através da manipulação das freqüências tetraédricas da água.

        Assim começou o trabalho dos líderes para mudar a consciência de seus descendentes. Construíram pirâmides e templos em todo o Planeta. Nestes locais, denominados de sagrados, escolheram entre seus descendentes aqueles que estavam menos corrompidos pelo ódio e o ego e começaram a ensinar.

        Ocorreu que estes “deuses” também tiveram filhos com as mulheres descendentes da Terra para que essa nova geração nascesse com uma melhora na consciência e evolução. Estes filhos foram treinados para ajudar os outros que aqui estavam. Com isso, o sofrimento e as guerras foram amenizados.

        Como o tempo de permanência na Terra mais uma vez estava finalizando, decidiram deixar seus descendentes novamente aqui, porém também deixaram os filhos que tiveram, para que estes dessem maior assistência aos demais, como nova tentativa de conscientizá-los da necessidade de mudanças para que no futuro pudessem resgatá-los, quando tivessem pureza na alma e no coração.

        Isto significou uma depuração na freqüência de vibração do planeta. Uma tentativa de recuperar a freqüência dos que iriam nascer.

        Com o avanço de suas tecnologias, poderiam fazer a viagem em menor tempo. Voltaram a Terra após mais um período e mais uma vez viram que a tentativa não dera certo novamente.

        Os seres extraterrestres ancestrais/colonizadores, continuaram auxiliando seus descendentes por muitos anos, mas esta ação não resolveu totalmente o problema. Após muito tempo tentando conscientizar seus descendentes, somente alguns mostraram alguma mudança, mas mesmo assim eles não conseguiram alcançar seus objetivos. Resolveram então aqui deixá-los, mais uma vez, tentando conscientizá-los da necessidade de mudanças, para que, num futuro, pudessem resgatá-los quando tivessem uma pureza na alma e no coração.

        Retornaram aos planetas de origem levando apenas seus filhos, mas prometeram voltar para ajudar.

        Outras raças

        A Terra começou a ser visitada também, por outros tipos de seres. Vieram de outras galáxias, de outras formas físicas não muito agradáveis, como os Greys, outros de forma humanóide e até seres de outras dimensões.

        De alguma maneira a Terra chamava a atenção de outras raças pela sua riqueza e diversidade. E assim, ela foi saqueada e explorada por seres não evoluídos, mas também por outros evoluídos que não tinham, porém, o grau de compreensão dos líderes que colonizaram o planeta.

        Os piratas do espaço ou a raça dos gigantes

        Há um planeta onde a cada 1.800 anos sua órbita se cruza com o Sistema Solar. A cada período deste, uma vez passa distante, e na outra, muito próximo da Terra como um cometa visível a olho nu mesmo durante o dia, uma espécie de segundo Sol. Estes seres se aproveitaram do fato dos descendentes não terem defesa para saqueá-los. Esses “piratas do espaço” depois de explorarem e retirarem tudo que quiseram, também se relacionaram com as mulheres da Terra, gerando descendentes que foram deixados aqui. Eles deram origem à raça dos gigantes. Apesar dos filhos terrenos, estes seres foram embora, voltaram para seu planeta.

        Essa situação se tornou cada vez pior, não só pelas “visitas”, mas também pelas pessoas que já estavam aqui. A guerra pelo poder, ambição e a autodestruição acabaram ocorrendo…

        E milênios se passaram…

        Como prometido, as raças pertencentes ao Conselho Interestelar, de tempos em tempos retornavam a Terra, ajudando seus habitantes principalmente nos períodos de transformações. E assim a Terra foi passando por diferentes civilizações.

        Há 52 mil anos, surgiu uma civilização denominada Lemúria.

        A civilização seguinte, Atlântida surgida há 26 mil anos, possuía grande desenvolvimento tecnológico e científico. Algumas experiências foram bem sucedidas como os golfinhos; outras nem tanto; como as Sereias, pois o som emitido por elas causava a morte de quem ouvisse, inclusive delas próprias.

        A chegada dos Dimensionais na Terra

        Há cerca de 13 mil anos, sete casais de extraterrestres voluntariamente se prontificaram a permanecer na Terra para servirem de ancoragem da luz dimensional. Estes sete casais de sacerdotisas e sacerdotes eram de Plêiades, Sírius, Vênus, Antares, Pégasus, Ophiúchus e uma sétima raça ainda não revelada.

        Eles vieram para construir novas pirâmides que possibilitassem a interação positiva do raio sincronizador, que ocorre a cada 5.125 anos, proveniente do centro de nossa galáxia (Via Láctea ), para permitir o salto na consciência evolutiva planetária. Muitos outros planetas também se elevam quando passa o raio sincronizador, pois não é somente para a Terra, atinge todos os demais sistemas que integram a Via Láctea.

        Essas pirâmides também indicariam posições para as futuras raças que viessem para a Terra. Todas as outras construções posteriormente se baseariam a partir desta primeira pirâmide traçada dentro da malha magnética vigente na civilização de Atlântida, de acordo com a inclinação do eixo terrestre na época.

        Estes sete casais eram considerados “deuses” pelos habitantes da Terra devido aos seus poderes paranormais. A única maneira de terem filhos com os mesmos poderes e consciência ocorreria se não houvesse miscigenação com os habitantes da Terra. Um filho destes Seres com um planetário geraria os chamados “semideuses”. Mas assim aconteceu, tanto do lado masculino como do lado feminino, entre os deuses e deusas. Começou desta maneira uma degeneração do conhecimento destas famílias que se diziam “nobres e de sangue real azul”.

        Naquela época, os “Deuses” costumavam fazer muitas comparações no que se refere às diferentes freqüências energéticas como, por exemplo, que o carvão era muito parecido com a freqüência do diamante. Eles também diziam que a as mulheres terrestres que comiam maçã ficavam com a freqüência semelhante à das deusas, vindo daí a analogia e o mito da maçã ser o fruto proibido, quando na realidade a proibição era a prática do sexo com as terrestres.

        Este conhecimento, sendo utilizado de maneira errada, levou a nossa atual civilização (Atlântida) à destruição.

        Porém registrou algo positivo, a chegada das Sacerdotisas. Estas Deusas se casaram com os sete primeiros Sacerdotes, geraram filhos que possuíam uma possibilidade genética de absorverem maior conhecimento, possibilitando a encarnação dos assim chamados Dimensionais. Os que iniciaram a civilização egípcia tinham a linhagem pura e herdada dos sete casais de sacerdotes.

        Nas Linhas do Tempo

        Durante milênios, dentro do que chamamos espaço/tempo, os seres extraterrestres fizeram a história da colonização da Terra. Encontraram aqui, a “semente” perfeita – as emoções – para exercitar a dualidade.

        E neste ir e vir com várias tentativas de resgate, alguns destes seres planetários, até conseguiram evoluir/transmutar para a 4ª dimensão, enquanto que outros, cada vez mais vibrando na 3ª dimensão não conseguiram vibrar no “ponto neutro” – na freqüência da Neutralidade, tornando-se prisioneiros da freqüência emocional.

        Muitos Dimensionais que hoje estão cumprindo um compromisso na Terra vibraram naquela época como “planetários”, mas conseguiram a transmutação. Eles podem, através das Linhas do Tempo, acessar aquela vivência/experiência no “agora”, trazendo para este momento os seus conhecimentos e assim novamente alcançarem a mesma freqüência e transmutarem.

        Os Deuses Tornam-se Humanos – A Última Chance

        Na reprodução na 4ª dimensão, na hora da fecundação, não há tanta energia devido à redução das emoções, por isso já não estão nascendo seres tão desenvolvidos quanto antes, está ocorrendo uma queda consciencial.

        Na Terra temos 100% de emoções, enquanto que na 4ª dimensão só há 20% delas, que são constituídas pelo amor-energia universal e o campo emocional já trabalhado. As emoções ajudam a desenvolver o mental, porque os estímulos emocionais ativam partes diferentes do cérebro. Além disso, o planeta Terra possui minérios e proteínas que favorecem ao desenvolvimento mental. Os estímulos sexuais e emocionais podem desenvolver toda a capacidade mental através da energia vibracional. Com isso, é possível se obter sabedoria e a evolução do corpo emocional.

        Diante disso, seres de 4a dimensão desceriam à 3ª dimensão, cada um com o compromisso de recuperar seus débitos e elevar a sua vibração e do planeta para voltarem à 4ª dimensão, sem perder as emoções (há que se ter o domínio sobre elas) e quando lá tocarem o Frontal de um dimensional passariam esta energia a eles, para que possam evoluir também.

        Estes dimensionais em débito encarnariam na Terra, novamente como humanos, contribuindo para a evolução consciencial e mental dos seres que aqui estavam, resgatando dessa maneira na população o amor-cósmico e sua ligação com a Energia Divina.

        E assim, milhares de seres dimensionais encarnaram sabendo que a densidade deste planeta os colocaria em um “adormecimento” de suas lembranças cósmicas, sendo este um dos “desafios” a serem vencidos. Além disso, teriam que recordar novamente quem eram, de onde vieram e o que se propuseram fazer aqui.

        Todos estamos conectados, por isso o trabalho deveria ser realizado em conjunto e não individualmente. Voltaram para resgatar o que fizeram, alguns pela dor, outros pelo amor, pois todos estão “ligados” e se um falhar, todos falham, porque constituem uma família cósmica (partículas e fragmentos).

        O 1o Grupo de Dimensionais

        Na primeira etapa, em 13.000 a.C. foi enviado para o planeta o primeiro grupo de dimensionais (666 mil), e estes seres recém chegados, ao se encarnarem aqui, perderam totalmente a consciência do seu compromisso e se misturaram com os outros, esquecendo-se completamente do que vieram fazer aqui.

        O 2o Grupo de Dimensionais

        Os seres que monitoravam suas ações decidiram mandar um segundo grupo, para que pudessem cooperar com o primeiro grupo em sua missão. Desta forma, o segundo grupo (666 mil) também veio em 6.000 a.C. Chegando aqui, com o propósito de, não só ajudar os terráqueos, como também despertar os primeiros dimensionais que vieram anteriormente, e dessa vez, foram acompanhados mais de perto, pelo Conselho.

        Não adiantou, porque só passaram a lembrar a partir da época de seus nascimentos na Terra, não sabendo quem eram e vivendo normalmente como qualquer ser humano. Assim, o Conselho teria que fazer alguma coisa para que os dimensionais pudessem resgatar sua memória mais tarde.

        O 3o Grupo de Dimensionais e os Arquivos Cósmicos

        Decidiram que um 3º grupo viria (666 mil), em 27 de fevereiro de 4004 a.C., época de transição de ciclos e, por isso não despertaram. Esse grupo, além da monitoração e orientações semelhantes ao do 2º grupo, trouxe uma novidade. Cada um desses seres ao descer à Terra receberia uma placa, denominada de arquivo cósmico, onde estariam gravados dados de sua história, desde o seu ponto de origem no universo até o seu compromisso na Terra. Esses arquivos só poderiam ser entregues cada um ao seu dono, que ao tocá-lo, teria um choque de consciência, despertando dessa maneira as lembranças que dariam um novo sentido à sua vida na Terra.

        O 4o Grupo de Dimensionais

        Para auxiliar e dar apoio a esse 3º grupo, foi escalado um 4º grupo, com uma alteração vibracional em seu campo energético facilitando o despertar. Esse grupo de 144 mil seres foi subdividido em dois, e chegou no dia 22 do nono mês de 4004 a.C., sete meses depois do 3º grupo.

        Os chamados 144.000 da Bíblia – 100 mil sacerdotisas e 44 mil sacerdotes – se encarnaram com o intuito de auxiliar os extraterrestres tidos como dimensionais na Terra. São os integrantes das 13a tribo de Israel. Possuem uma maior capacidade mental e extra-sensorial que facilita o despertar dos outros grupos. São pessoas que têm facilidade de comunicação e persuasão, de proferir palestras, orientar as pessoas, têm liderança no geral. Possuem uma capacidade extra-sensorial bastante desenvolvida. Mas nem todas estão no trabalho de conscientização das pessoas, ou porque elas próprias estão inconscientes, ou porque não querem encarar a realidade e assumir suas missões.

        Dentro dos 144 mil, existem nove paranormais de alta capacidade mental, que possuem vibração necessária para despertarem os 144 mil. Sabendo que perderiam a memória, estes dimensionais desceram antes holograficamente e colocaram o que é a matéria destes arquivos (as “placas”) em três locais distintos do planeta, para que tivessem acesso a elas no momento certo.

        Quando o último dimensional colocou ali a sua “placa”, havia uma tempestade, mas, como eram seres holográficos, eles não foram afetados por esta mudança climática (época de transição de ciclos).

        A escolha de um destes locais está relacionada com a queda de pedaços da estrela Siriús há 450 milhões de anos, resultado do choque de um meteoro que bateu nesta estrela, que é composta por cobalto. Deste choque, dois pedaços vieram a se chocar com a Terra, um deles caiu na região de Mato Grosso do Sul, e com este impacto formou-se a Cordilheira dos Andes. Este pedaço se aprofundou mais ou menos 350 metros no fundo da terra, fervendo mesmo debaixo d’água, pois naquela época, esta região era mar e houve uma erupção.

        Neste processo de erupção, bolhas de ar no subsolo se formaram e não explodiram, formando galerias, por isso o solo desta região parece vulcânico, e rico em cobalto (as galerias desta região, assim como da Cordilheira dos Andes, foram formadas por imensas bolhas de ar que não explodiram). O outro pedaço da estrela de Sírius caiu na Alemanha.

        Com as suas naves já materializadas, pousaram no “Morro dos Arquivos” no Mato Grosso do Sul , utilizaram uma das 15 entradas, colocando as placas num salão, encaixadas uma atrás da outra. Saíram e fecharam as entradas, e neste momento de Luz, os seres cósmicos vieram em forma de nuvem e “fizeram” uma reunião com aqueles dimensionais que naquele momento tinham aceitado vir a Terra.

        Os seres dimensionais nesta missão vieram em pares, com as suas respectivas almas gêmeas, com a sua outra polaridade. Depois desta reunião no “Morro dos Arquivos”, alguns dimensionais seguiram caminhos diferentes, separando-se um do outro, com o compromisso de se reencontrarem posteriormente. Outros permaneceram juntos.

        Os dimensionais encarnados na Terra têm características de várias raças no corpo humano, porque apesar de serem dimensionais no seu corpo etérico, fisicamente têm traços das populações que já se encontravam aqui.

        Os Mensageiros de Deus

        Entretanto, esta tentativa como todas as outras anteriores também fracassou, e o Conselho Cósmico, vendo que a liderança dos seres não conseguia despertá-los (os nove líderes), começou a enviar os seus mensageiros, que foram conhecidos como Mensageiros de Deus.

        Muitos desses mensageiros não tiveram êxito em suas missões e outros conseguiram alguns resultados. Utilizando-se dos seus ensinamentos, tentaram reviver nas demais pessoas a consciência cósmica que possuíam, com o objetivo de amenizar as guerras, os sofrimentos e outras maldades (a religião foi instituída por alguns destes seres para passarem o conhecimento para as pessoas, porém alguns destes seres ainda vibrando no negativo a deturparam para manter a população terrena sob controle).

        Tivemos também os profetas, os sábios, os monges, avatares e na atualidade os paranormais nas escalas extra-sensoriais.

        Alguns líderes dos outros planetas desistiram de resgatar seus descendentes, não querendo mais voltar, porque consideram que não há mais como resgatar a consciência humana, devido à manutenção da negatividade entre os humanos. Todos os esforços para que estes seres despertassem seus descendentes dimensionais e cumprissem seu compromisso falharam. Os Seres Divinos decidiram então intervir.

        A chegada dos Ultradimensionais

        Este Conselho, então, interveio no livre arbítrio da humanidade, convocando alguns voluntários extra-dimensionais para tentar ajudar a expansão de consciência das civilizações que se desvirtuaram do Caminho da Luz.

        Foi uma “convocação” dos Seres da Hierarquia Divina aos seres das Hierarquias dos planos dimensionais (da 4ª à 9ª dimensão) para ajudar os seres planetários da 3ª dimensão, e 49 raças se uniram para realização deste compromisso. Todas as 49 raças fazem parte das 12 tribos.

        Acima hierarquicamente, está o Conselho Divino ou Cósmico (seres angelicais, superiores aos dimensionais), logo abaixo o Conselho Dimensional e mais abaixo o Conselho Interestelar (mundos de 3ª dimensão).

        As raças “humanóides” existentes no sistema solar são 127, mas só 49 delas é que estão unidas neste propósito, nesta missão. Apenas estas 49 raças é que apostam na “tecnologia tocada”, que é a própria pessoa, com o poder da sua mente e do toque, conseguir se regenerar e se desenvolver. Em troca desta ajuda, os dimensionais passariam a ser 100% energia, tornando-se também seres angelicais e estariam assim ajudando a procriação dos seres de quarta dimensão.

        OS SERES

        Quem são eles?

        Eles vêm dos pontos mais distintos do Cosmos, atuando para reforçar nosso crescimento e nossa evolução. Os humanos estão sendo acompanhados por esses Seres, que costumam trabalhar as energias e os corpos físico e áurico das pessoas. Muitas vezes estabelecem contato telepático, orientando e dando informações que colaboram para a evolução de cada pessoa. Outras vezes emitem sinais, que também é uma forma de comunicação, e em outras falam fisicamente conosco.

        Os seres podem se apresentar em três níveis de densidade:

        -Energéticos – 100% energia
-Dimensionais – 80% energia e 20% matéria
-Planetários – 10% energia e 90% matéria

        SERES ENERGÉTICOS – São 100% energia. São bolas de energia brilhantes, luzes, que podem se transformar numa imagem holográfica, como se fosse uma lua cheia. Essas luzes às vezes circulam em volta do nosso corpo e, quando nos tocam, a cura é instantânea. Aparecem facilmente em fotos e filmagens. Podem ter o tamanho de uma bolinha de gude a até 20 metros de diâmetro. São também chamados de seres angelicais, anjos. Quando há a presença deles, é indicativo de que a vibração está boa.

        Estes Seres de Pura Energia podem acompanhar as pessoas, deixando no ar um cheiro semelhante ao do ozônio ou de perfume. As “Bolas de Luz” que procedem desta maneira e que são vistas em momentos especiais, constituem energias pensantes, que estão sempre com os dimensionais. Contatos nesta freqüência vibratória se dão ao nível telepático ou intuitivo.

        São seres imperceptíveis a olho nu devido sua rapidez de locomoção. São raras as pessoas que desenvolvem a capacidade de perceber a manifestação vibratória do energético. Costumam “colar” no campo áurico e físico das pessoas, trabalhando a consciência e a razão e quando se movimentam parecem um foguete, tamanha é a sua velocidade. Eles não emitem flashes de luzes como os ultradimensionais.

        Os entiais são os guardiões da natureza. Se você mexe numa caverna, degrada a natureza, eles vêem em forma de luz ou de “fantasma”, tentando assustar a pessoa para que esta não faça nada de prejudicial. Geralmente se materializam em algo de que você mais tem medo, como por exemplo: cobra ou morcego, ou tomam formas que intimidam as pessoas, como o Boitatá, Caipora, Saci Pererê. Protegem a entrada de seres estranhos nas cavernas ou em outro local onde não é permitido o acesso ao ser humano. São também bolas de luzes grandes, porém mais densas que os ultras e não tão brilhantes como os energéticos.

        Os Elementais: São seres representantes das plantas, da terra, do ar, do fogo e das águas. Variam de forma e tamanho e podem se apresentar de várias formas. Porém muitas vezes se apresentam como bolas de energia densas, semelhantes aos enteais, porém menores.

        Os Ultradimensionais – São Seres que estão num plano intermediário (entre as dimensões) da 4º à 5º Dimensão, podendo ser considerado um pequeno sol, pois tem um grande campo vibracional e energético. São captados por câmeras com infravermelho e por fotos. São energias pensantes, inteligentes, sentem, agem e interagem conosco. Também podem tomar a forma humana em holografias.

        São 100 % energia, e o que os diferencia dos outros seres energéticos, é a energia, a vibração.

        Possuem diferentes tamanhos e são como bolas de sabão transparentes e coloridas. Em seu centro possuem um núcleo, de onde emitem luzes de diferentes cores, conforme a vibração ou a mensagem que querem passar. Atuam no nosso campo eletromagnético e costumam levar informações para os seres extraterrestres. Eles flutuam no ar e estão em toda a parte e gostam de se mostrar quando a vibração está positiva e alegre. Podem falar fisicamente conosco e sua voz é metálica.

        O “Ultra” é um “ser” que não depende em nada da vibração do ser humano. A sua presença não depende da sintonia, do nível de energia e da harmonização do individuo.

        É um ser de alta vibração, de uma luz intensa e não é físico como muitos esperam ou pensam. Ele vibra além da matéria, a domina e pode também projetar uma imagem holográfica, uma energia ou uma bola de luz.

        Se apresentam na terceira dimensão com uma forma circular (bola), por esta ser a forma mais perfeita energeticamente para a terceira dimensão. Na quarta dimensão ele já se mostra como um corpo achatado/espiralado, como se fosse dois pratos opostos colados um no outro, porque a forma discóide é a mais adequada para esta dimensão. A sua forma achatada com o seu interior espiralado, é a mais perfeita para que a energia incida em seu interior e também porque ela “molda” a forma em espiral da galáxia.

        O “Ultra” pode desaparecer ou aparecer instantaneamente e quando acontece um “flash” de luz acompanhado de um estalo, significa que neste momento, com a sua presença, está tendo uma interação com a quarta dimensão. Na sua presença o indivíduo poderá também sentir calor e sensação de vácuo. Como o “Ultra” está em um estágio energético mais perfeito de evolução, ele poderá também tomar a forma de uma silhueta humana, quando o dimensional estiver “conversando” com ele, para que a sua interação aconteça de uma forma mais harmônica.

        Portanto, quando o individuo estiver com uma determinada “intimidade vibracional” com o “Ultra”, ele poderá enxergar a sua luz e em função desta sintonia/interação, ele poderá plasmar uma silhueta humana, apresentando-se constantemente desta maneira.

        O indivíduo quando estiver “frente a frente” com este “ser”, verá que ele não é físico como os seres humanos, que não é tridimensionalmente denso, porque ele vibra em um plano muito mais sutil do que o da terceira dimensão. Ele é quase um corpo de luz, mas, por um processo ectoplasma/eletromagnético, o indivíduo por um momento poderá tocá-lo e desenvolver pelo tato a sua percepção de um campo eletromagnético. A pessoa também perceberá o campo energético gerado pelo “Ultra”, já que esta vibração eletromagnética é a que mais aproxima da vibração dele.

        O “Ultra” tem um envolvimento especial com o indivíduo já desperto, porque precisa do potencial gerado pela sua estrutura energética/biológica. Para um contato deste nível é necessário que o indivíduo esteja com os seus chacras equilibrados, com a sua freqüência mental acima de vinte e três ciclos por segundo, com o contorno externo de sua aura toda prata e com o seu campo eletromagnético em sintonia com o Cosmos.

        A comunicação com eles é muito peculiar (em estado não físico), conversam com você, em português verbalizando ou através de “ligação direta”, que não é canalização, você fala automaticamente as coisas como se você mesmo soubesse, é muito sutil, mas com o tempo a pessoa percebe a diferença.

        É bom começar com os elementais e entiais, por terem freqüência vibracional mais próxima da nossa, é mais fácil sintonizar nestes seres, depois é só ir “apurando a sintonia” que um dia você começa a vê-los. A principal dificuldade é vencer a programação subliminar que sofremos desde criança, onde todo o extra-físico não existe ou é nossa imaginação.

        Eles aumentam e diminuem de tamanho, também trocam de cor, dependendo da vibração da pessoa ou do ambiente. Eles só acendem suas luzes com algum objetivo, porque são seres inteligentes e se comunicam conosco. Na verdade, eles podem inclusive ficar ao lado da pessoa ou permanecer no ambiente neutro, sem manifestar qualquer cor, apenas a sua energia é percebida. E quando isso ocorre, eles não saem nas fotos das câmeras digitais. Se a pessoa estiver desequilibrada não poderá sequer sentir a presença deles. Harmonia, amor e paz são fundamentais. Exercícios físicos ajudam bastante também. E treinar para ver a aura no espelho é fundamental, porque assim treinamos nossa terceira visão.

        Nem todas as bolinhas de luz que aparecem em fotos são ultras. Eles estão presentes em nosso dia-a-dia. São eles que nos “inspiram” certas informações ou dicas. Você deve acreditar sempre na sua intuição, porque o extra-físico não está tão distante assim. Na verdade está bem pertinho de nós.

        A diferença entre um Ultra e um Energético é fácil:

        Um Ultra se parece com uma bolinha de sabão em diversos tamanhos. É colorido, porém transparente.

        Já o Energético é um ponto de luz, uma bolinha de luz que também pode ter vários tamanhos, mas a luz normalmente é branca, embora eles também possam ser coloridos. Vibratòriamente, um Energético equivale a 7 Ultras.

        Presença de Seres de várias dimensões na Fazenda Boa Sorte/Projeto Portal.

        SERES DIMENSIONAIS – São seres com 80% de energia e 20% de matéria. Podem entrar em contato conosco através da telepatia, ou se apresentam fisicamente passando-nos informações, orientando, preparando, etc.

        São chamados também de extradimensionais, interagem em todas as subdimensões dentro de sua própria dimensão. Já tiveram um corpo físico, que o transmutaram, adquirindo um corpo plasmado. Eles pertencem às subdivisões superiores à terceira dimensão e podem ou não possuir uma tecnologia superior.

        Entre os dimensionais estão os do Comando da Confederação Intergaláctica como Ashtar Sheran e Atarian.

        SERES PLANETÁRIOS – Formados por 90% de matéria e 10% de energia. Fazem parte da 3a Dimensão, de planetas tridimensionais.

        Podem ter forma física semelhante à nossa ou não. Podem ser tocados fisicamente.

        Além dessa especificação por energia, por densidade de matéria, também podemos diferenciá-los pela forma ou pelo local em que realizam a sua missão:
-Extraterrestres
-Intra-terrenos
-Intra-marinhos

        SERES EXTRATERRESTRES – Aqueles que vivem em outros planetas, outras dimensões e trabalham a parte espacial. Preparam mundos paralelos ao nosso, os planetas, levando matéria-prima daqui (terra, plantas, animais, etc.) para que as pessoas mais tarde, quando forem habitar esses Planetas (dependendo das mudanças daqui), possam ter uma melhor adaptação. Em resumo, eles trabalham a parte da superfície e a parte espacial da Terra.

        SERES INTRATERRENOS – São seres extraterrestres, que vivem no interior dos planetas. Esses Seres têm uma tecnologia superior à de muitas outras raças.

        A sua missão é trabalhar as construções no interior da Terra (eles têm uma tecnologia para habitar a parte oca dos planetas), adaptando galerias para receber e proteger parte da humanidade contra os cataclismos vindouros. Esses seres trabalham com muita tecnologia, as partes intra-terrenas de todos os planetas.

        São seres provindos de um planeta que não existe mais (de uma constelação vizinha a Pegasus, que em parâmetros cósmicos é considerado perto). O Planeta de origem deles explodiu e eles foram “abrigados” no sistema de Pegasus. Como este sistema é gigantesco, não foi difícil sobreviver. Depois de abrigados, eles começaram a ajudar os de maior necessidade. Nós os consideramos de Pegasus para facilitar o nosso entendimento, tendo em vista que eles não eram de lá, mas eram de um sistema próximo. Então para nossa orientação, todos desse sistema, são por nós classificados, como sendo de Pegasus.

        São seres de terceira dimensão que interagem na quarta dimensão. São seres físicos como nós, por isto eles iniciam os trabalhos e ativações energéticas nas pessoas antes dos extraterrestres, porque conseguimos “suportar” a vibração dos intras mais facilmente, pois estes são mais densos que os extras, logo mais fáceis de interagir na terceira dimensão.

        Eles têm uma base no interior de Marte para futuramente ser habitado, uma base no interior da lua e várias bases no subsolo da Terra.

        A freqüência vibracional destes “seres” é tão intensa que normalmente ela mexe com o emocional da pessoa, e se muitas vezes ela foge, não é por medo, mas porque não consegue sintonizar e interagir com a freqüência deles. Entretanto, o indivíduo ao encontrar um “ser”, poderá ver que tem semelhança com ele através da sua forma humanóide e também poderá perceber a sua bondade, porque naquele momento, ele quer apenas ajudar e não provocar medo.

        Metade desses seres já voltou para seus planetas de origem, porque já terminaram seus trabalhos, ficando apenas os orientadores. Os orientadores fazem parte da civilização dos maias. São eles: Betamix, Tots e Laqüim.

        Os Betamix diferem de nós pelo tamanho, medem de 4 a 6 metros de altura (explica a Era dos gigantes na mitologia grega – os Ciclopes), também tem pêlos na face e não tem orelhas.

        Os Tots tem em média 2,20m, são mais sérios. Os seus braços e pés são grandes, desproporcionais em relação ao seu tamanho.

        Os Laqüins são bem diferentes de nós, pois tem o corpo peludo (ralo). O rosto é como se fosse máscara de pêlos, deixando só os olhos e a boca descobertos, até por proteção à pele deles, pelo ambiente em que vivem. Vão de 20 cm à 1.50m de altura e muitas pessoas confundem-nos com os gnomos, fadas madrinhas, guardiães da natureza. Eles são muito brincalhões. Geralmente são eles que pilotam as sondas. Sua sociedade é formada por um conselho, que é trocado periodicamente.

        Os contatos com os intra-terrenos normalmente ocorrem no escuro ou à noite, porque o sol é muito mais sutil no planeta de onde eles se originam, por isso é que não suportam ficar muito tempo na superfície da Terra (foto fobia). Eles têm muita sensibilidade à luz solar, pelos raios ultravioletas, pois sua estrutura física não é como a nossa, que é adaptada para viver na atmosfera terrestre, e sim para viver no subsolo. Por isso eles têm tantos pêlos. Eles também se manifestam durante o dia, mas usam uma espécie de proteção, são óculos que protegem os olhos dos raios solares, e um aparelho especial que retorna o raio ultravioleta. Porém na refração os raios voltam em dobro, podendo queimar a retina no contatado e para não nos prejudicar, eles preferem dias nublados e durante a noite. Para os seres os raios solares terrestres são 800 vezes mais fortes do que no planeta deles.

        No momento em que aparecem fisicamente, estão envolvidos por um campo ampliado e ativado de energia estática, por isto que eles são vistos à noite iluminados e não são molestados por animais selvagens. Eles usam uma espécie de película colada ao corpo de tom violeta (dando a impressão de estarem usando uma “capa de chuva”).

        Os “intras” são seres físicos que interagem na quarta dimensão, são semelhantes aos seres humanos, mas, suas orelhas, seus olhos e suas pupilas são diferentes e alguns gostam de brincar e outros não.

        O som que o individuo ouve no mato provocado pelos intras, é como estivessem pisando forte, com um pisado que ecoa de dentro (da terra) para fora e o outro ruído que eles provocam, é como se estivessem quebrando os arbustos, provocado pela energia eletrostática sobre a vegetação que abre, quando eles passam.

        Os “seres” ainda projetam no meio circundante um terceiro “barulho”, que é um recurso para medir o nível vibracional indivíduo/meio ambiente naquele momento, com uma sonoplastia criada por eles, em um “teste/preparação”. Portanto, em relação ao “barulho dos seres” não existe nada acontecendo fisicamente em função dele, é apenas um artifício que eles utilizam para também expandir a aura do dimensional.

        Existem famílias no México que tem essa característica de pêlos no corpo, pode ser que eles tenham herdado a genética dessa raça.

        Estes seres “aparecem” com o propósito de despertar o indivíduo e quando eles “falam”, é para orientá-lo. São seres amorosos, carinhosos que podem auxiliar o indivíduo a interagir com o seu Eu.

        Para que se tenha um contato mais profundo com estes seres, o indivíduo tem que ter uma compatibilidade vibracional com eles, pois eles vibram em uma freqüência muito além da nossa.

        Os intras têm como missão principal, além de nos “iniciar” energeticamente através dos vários trabalhos, a construção e manutenção da base extraterrestre localizada no Projeto Portal e em outros locais do planeta. E também são os guardiões dos nossos Arquivos.

        SERES INTRA-MARINHOS – São os que trabalham a parte aquática. Assim como os intra-terrenos constroem cidades subterrâneas para serem habitadas pelos seres humanos que não estiverem preparados para as mudanças da Terra, os intra-marinhos, os reptilianos, fazem construções sob o mar, pois conseguem ficar sem respirar oxigênio por oito horas embaixo d ‘água.

        Os Reptilianos são de Pegasus e de 4ª dimensão. São positivos, se juntaram as raças que fazem parte das 49, para um bem comum.

        Têm uma forma humanóide, a pele é mais grossa do que a nossa, pois são preparados para trabalhos aquáticos. Às vezes manifestam-se holograficamente.

        Estes seres têm mais ou menos 2,20m de altura e são de compleição robusta e não tem cabelos. Na transição, as bases subaquáticas serão pontos de recolhimento para alguns seres humanos. Estes seres, em um trabalho conjunto com os intra-terrenos, prestarão socorro aos seres humanos quando eles passarem pela transição planetária.

        O trabalho deles não é só nos mares, nos oceanos, fazem também pesquisas em rios e lagos.

        Existem muitas curiosidades a respeito dos seres, algumas interessantes de se observar:

        – Linguagem – Usam uma linguagem cósmica, universal: eles falam na língua deles e cada um entende na sua, como se fosse uma tradução simultânea. Assim também, se falarmos, entenderão.

        – Alimentação – Não têm necessidade de muito alimento, portanto não comem tanto quanto nós, controlam o metabolismo através da mente. Retiram do alimento só o que precisam. Por exemplo: se em um quilo de alimento houver 100 gramas de proteínas, é só o que vão comer e o que vai sustentá-los suficientemente. Ingerem mais líquidos e a água que eles bebem é mais leve, mais pura do que a nossa, não tem a mesma densidade.

        Seres Planetários e Seres Dimensionais dormem e se alimentam, os Seres energéticos não.

        – Aparência física – Quarenta e nove raças têm a mesma aparência que a nossa, com algumas diferenças. São raças humanóides.

        As carcterísticas de cada raça dependem da dimensão onde estão situadas, da densidade, das condições climáticas e físicas do planeta de origem.

        Os olhos são em geral amendoados (meio ovais). A forma do planeta deles guarda similaridade com os seus olhos. Exemplo: os nossos olhos são redondos e meio chatos nas pontas, o Planeta Terra também é. Os seres de Orion têm os olhos ovais, o Planeta deles também é oval, ou seja, os olhos acompanham a pressão atmosférica e forma dos seus Planetas. Quanto mais denso, mais discóides serão os olhos.

        Têm boca pequena, porque como já dissemos, comem pouco e não necessitam de muita mastigação.

        As cabeças podem ser pontudas, ovais. Os de cabeça arredondada são cientistas. Os de queixo triangular são seres de contato, de orientação e pesquisa, visando o bem.

        Há seres que tem o coração maior do que o nosso, outros não têm, sendo este órgão substituído por outro.

        – Sentimentos – São seres mais espiritualizados do que nós, dotados de um amor fraterno universal muito grande, uma consciência cósmica. Por isso estão se fazendo presente, visando o bem estar da Humanidade, a sua evolução. Eles nos consideram como seus filhos e se sentem responsáveis por nós. Quanto mais sutil a dimensão, menor é a emoção. A exceção é dos Greys, que não têm emoções.

        Os outros têm, mas eles conseguem administrar, controlar suas emoções, não vivem sob o sentimento o tempo todo, como nós. Nós precisamos encontrar o ponto de equilíbrio.

        Como a Terra é um Planeta denso, nós sentimos a emoção mais aflorada na pele, por isso o ódio, a paixão, o ciúme, o amor, etc., oscilam muito no ser humano que não sabe dosar seus sentimentos.

        Mas eles são muito evoluídos emocionalmente, conseguem dominar suas emoções e nos ensinam isso: o amor universal, a fraternidade, a harmonia geral pelo controle das oscilações emocionais. Assim, nos ensinam várias técnicas de transmutação e de cura através dos estímulos emocionais, pois sabem que o sistema nervoso central é que provoca ou cura nossas doenças, daí a auto-ajuda. Por isso o controle é importante.

        – Famílias – Eles têm família como nós. Mas seguem determinadas leis, regras de reprodução, a qual varia de um a cinco anos, o relacionamento sexual, mais ou menos a cada três meses.

        Os Greys

        Sem dúvida, são os seres que mais despertam a curiosidade das pessoas. São seres cientistas, que vivem do lado “negativo” de Órion. Negativo porque não têm emoção, são cientistas, e tudo o que visam é a pesquisa, a evolução tecnológica, o conhecimento deles.

        Abduziam os seres humanos antes da década de 40, principalmente durante a 1ª e 2ª guerras mundiais, com o objetivo de fazer experiências genéticas com a anuência de determinados governos.

        Foram os responsáveis pelos implantes, mutilações e pesquisas que ocorreram no passado. Fizeram experiências biológicas, biogenéticas, faziam clones. Usaram seres humanos e animais como cobaias, porque eles queriam pesquisar os sentimentos, as emoções. Não conhecem a dor, o ciúme, o carinho, o amor, a tristeza, não têm estímulos emocionais no cérebro. Na realidade, não têm má intenção para conosco, apenas querem pesquisar, descobrir de onde vem a emoção, o que é a dor, pois são coisas que eles não têm.

        Os greys são seres com 1,50 m de altura mais ou menos e são classificados em A, B e C. Os greys Tipo A são os mais temidos, pois com a sua atitude científica não respeitam a integridade física/emocional do ser humano, são os seres que fizeram as abduções, antes da década de 40.

        Eles se achavam feios e queriam se parecer conosco, por isso pegavam nossas células para tentar ter um metabolismo semelhante ao nosso.

        Há muitos anos atrás, os Greys já haviam interferido em nosso metabolismo, quando aqui vivia um primata. Eles alteraram o DNA desse primata, que teve uma certa evolução e misturou-se a diferentes raças de extraterrestres, originando as nossas raças. Esses extraterrestres que vieram para cá foram autorizados pela Lei Universal, na Confederação Intergaláctica e com eles vieram também os Greys.

        Mas desde a década de 40, o Comandante Ashtar Sheran, responsável pelo nosso Planeta, não permitiu mais essas experiências. Ele não permitiu que mais greys viessem para cá, nem que aqueles que estavam aqui saíssem. Existem cerca de novecentos Greys na área 51, hangar 18, hangar 25, em construções subterrâneas. Em 2014 os greys serão liberados para ir embora da Terra e voltar ao seu planeta de origem.

        São seres evoluídos na parte tecnológica, intelectual, mas não na espiritual, não têm amor, fraternidade. Serão orientados emocionalmente, o comandante Ashtar Sheran trabalhará a parte emotiva deles, para que não prejudiquem mais ninguém. Então, poderão ser liberados, pois terão uma nova concepção, uma nova consciência de relacionamento entre seres.

        Não devemos nos esquecer de que os seres estão se apresentando em nosso Planeta para nos ajudar. É um trabalho de fraternidade universal, isto faz parte da missão deles, que também evoluirão.

        Nós não somos os únicos que devemos ascender, o Universo deve estar em harmonia, todos estão no mesmo caminho, o plano espiritual está na mesma evolução, cada um no seu grau.

        Algumas raças e suas características

        Andrômeda: Realizam efeitos psicosinéticos, bons de coração.

        Antares: Energização. Juntos com os seres da Constelação de Capela, programam a regeneração celular e a auto-cura (programam a cura da humanidade). Tiveram influência na civilização egípcia.

        Aquárius: Muito calmos, e compreensivos.

        Arcturos: Facilidade com artes, música (sua energia funciona como terapia tanto emocional, mental, como espiritual para a humanidade), bons para captar pensamentos.

        Baporu: Luz grande perto de Sírius. Futuramente será identificada pela NASA como L5937.17

        Capela: Energização. Tem compatibilidade com o planeta “Chupão”, por isso ajudarão na vibração das pessoas para se livrarem do “chupão”.

        Capricórnio: Bons para a parte extra-física (mentalização, projeção mental), programam a regeneração celular, a auto-cura (programam a cura da humanidade). Ativam o lado direito do cérebro que normalmente não é muito usado (despertam faculdades mentais; evolução interior do ser humano). Ativam energias adormecidas contidas em algumas células cerebrais que não estão em atividade. Muito evoluídos espiritualmente. Trabalham a cura, principalmente as pessoas que estão em estado de coma. São seres de 3a dimensão, físicos como nós. Tem entre 2,5 à 3 metros de altura. Muito amorosos. Possuem 4 dedos.

        Cef: Civilização responsável pela alimentação dos planetas visitados. Trouxeram para a Terra a abelha, o arroz, o milho, etc. (temos a mesma alimentação em quase todos os planetas).

        Chavi: Civilização responsável pelas ondas sonoras universais, principalmente através de construções escalonadas. Obs.: A forma escalonada da Pirâmide de kukulkan em Chichén-Itzá conduz as ondas sonoras por um sistema de ressonância.

        Conet: Responsáveis pela topografia geral dos mundos físicos, inclusive têm como obrigação deixar inscrições com mensagens sobre a vida, tecnologia e etc, gravado em pedras ou em artefatos em vários pontos do mundo. Construíram muralhas, templos e etc. Deixaram mapas com coordenadas de pontos possam ser vistos do céu; Pirâmides, Margens de Rios.

        Etéria: Missão de criar organizações para resgatar aqueles que tiverem chance de serem conscientizados. Orientar dando condições para que as raças inferiores consigam evoluir, atingir a transmutação e brilhar no Caminho da Luz. (Planeta de origem de Ashtar Sheran).

        Ganímedes: Seres determinados, alcançam objetivos quando querem.

        Gêmus: Faz a união de planetas de 3ª dimensão com outros universos. Ponto de retorno após a evolução das raças. Traçaram a malha magnética da Terra, identificando os portais, ou seja, os pontos ou vórtices de energia para voltar para casa ou visitar outros mundos. São seres de 3a dimensão que interagem na 4a (como Vênus), possuem uma tecnologia espantosa, já estão quase transmutando, já não morrem mais de doenças, não envelhecem, a única diferença física deles em relação a nós, é a pupila dos olhos na vertical, porque já dominam a energia vibracional; e as unhas esbranquiçadas. Sua freqüência mental é de 27 à 42 ciclos/segundos. Estes seres; tem ligação com a Lemúria. A intenção deles é estar no nosso meio para que possamos usufruir dos seus benefícios. A nave de Gêmus irá surgir cada vez mais baixa, desde abril de 2005 estão presentes na Terra. Eles podem se apresentar no nosso meio; nas nossas reuniões, na fazenda, seminários e atividades de campo.

        A estrela Sírius é a estrela mais brilhante no céu, a nave de gêmus emite um brilho duas vezes maior que Sírius (em comparação). Ela aparece no céu, se movimenta rapidamente e vai aumentando o seu volume de luz, ficando imensa, depois vai diminuindo, diminuindo e some. Ela altera o nosso DNA, a nossa genética trabalhando com freqüências de luz, independente de a pessoa estar vendo-a ou não, mas trabalha somente os dimensionais, os planetários não terão esse benefício. Podemos vê-la em qualquer parte do planeta à luz do dia também. Ela fica a uma distância de pelo menos 20 mil metros de altura.

        A nave de Gêmus veio para nos ajudar a interagir com os universos paralelos. Ela joga para cada pessoa a holografia de várias situações de nossa vida em uma árvore, onde os elementais ajudam também. Os seres interagem na nossa memória cósmica e vêem aquilo que mais tememos e projeta para nós, para nos trabalhar. Também podemos ver imagens do passado/presente/futuro, tudo que quisermos ver, ou estivermos compatíveis para ver.

        Humos: Personalidade muito autoritária; muito inteligentes.

        Kakim: Estão sempre presentes nas expedições realizadas pelo homem em busca do seu passado.

        Kimias: Responsável pelo semear de vidas. Missão de promover e garantir nos recém nascidos iluminados ou durante a gestação, a ativação e direcionamento das habilidades extra-sensoriais.

        Kitãs: Civilização responsável por veículos voadores. Baseados em suas aeronaves, muitos índios desenharam nas cavernas e até fizeram artefatos com a forma desses objetos. Esse sistema será conhecido no futuro como MS-BRG15385/9.

        Manú: Estão sempre presentes nas expedições realizadas pelo homem em busca do seu passado.

        Nitaa: Passar a mensagem sobre acontecimentos futuros geográficos, naturais, hecatombes.

        Órfus: Bom para ativar implantes, cura, desenvolver GNA e reciclar a energia. Tem de 2,5 m a 3 m de altura.

        Órion: Cientistas, inteligentes. Programação de contato – preparam o campo vibracional das pessoas para um contato futuro. Ótimos para cura, telepatia, responsáveis pela ativação dos contatos extra-físicos, pelas experiências de saída do corpo (sonhos) e pela ativação de implantes: GNA, implantes físicos, energéticos e extra-físicos. Possuem 6 dedos. Tem 1,5 m.

        Otuno: Missão de estudar e controlar os infinitos feixes de luz emitidos por qualquer astro para o benefício de civilizações.

        Pégasus: São a 2a inteligência do Universo. Trabalham a cura, são ótimos telepatas e fazem previsões sobre o planeta. Ótimos na tecnologia de aparelhos para doenças, até mesmo para meios de locomoção para ajudar a humanidade. Peritos em informar, projetar e fazer contatos e implantes extra-físicos.

        Foram umas das 5 primeiras raças a chegar na Terra. Deu origem a raça negra. Ajudam os mundos em dificuldades, mas escolhem as raças que serão ajudadas.

        Em Pégasus, onde existe uma tecnologia bastante avançada, vivencia-se de um modo muito aberto, são muito tímidos e amorosos. Por serem uma raça muito pacífica (são pacificadores) foram explorados por outras raças mais belicosas (escravizados, e o mesmo por ressonância ocorreu na Terra). Tem de 2,5 m a 3 m de altura.

        OBS: Os seres intraterrenos, são provindos de um planeta que não existe mais (de uma constelação vizinha a Pégasus, que em parâmetros cósmicos é, considerado, perto), o Planeta de origem deles explodiu e eles foram “abrigados” no sistema de Pégasus. Como este sistema é gigantesco, não foi difícil sobreviver. Depois de abrigados, eles começaram a ajudar os de maior necessidade. Nós consideramos estes intraterrenos de Pégasus para facilitar o nosso entendimento, tendo em vista que aqueles que não eram de Pégasus eram do mesmo sistema, ou seja, próximo a Pégasus, então para nossa orientação, todos desse sistema, também são por nós classificados, como sendo de Pégasus.

        Piasis: Civilização com profundo conhecimento sobre as águas. Trabalham em parceria com os reptilianos de Pégasus na construção de bases subaquáticas da Terra e de outros planetas. Seu trabalho inicial foi na Amazônia.

        Plêiades: Criatividade para Tecnologia. Mensagens telepáticas, dar origem de uma nova raça, estabilizam as pessoas. Eles já conseguem entrar na freqüência mental dos seres humanos (Conseguem influenciar mentalmente). Possuem 3 dedos.

        Siriús: Os seres de Siriús passaram para os maias, incas e egípcios métodos de adiantar a cabeça das crianças ficando com o formato de “ovo'”, com isso ficava mais espaço para que a pituitária e a pineal se desenvolvesse, tendo boa capacidade extra-sensorial (mediunidade, intuição, 3a visão).

        Sistema Solar: São seres de espírito novo, seu ponto de origem é a Terra.

        Tailo: Responsável pelas comunicações, códigos e senhas de todos os Universos pertencentes a ela.

        Taus: Disseminadores, treinadores, professores daqueles que controlam o átomo (energia atômica, nuclear, etc).

        Tilo: Futuramente será descoberto pela NASA como Nebulosa MC 14-172730.

        Tinus: Civilização responsável pela inseminação através da projeção do gameta masculino por um feixe de luz, utilizando processos técnico-químicos totalmente protegidos. A micro ovulação acontece somente em casais com missão específica (que tenham alguma deficiência física, tanto do homem como da mulher), para que a criança tenha habilidades especiais. Obs.: Foi por esse processo que Sara e outras mulheres que constam na bíblia passaram.

        Tnobi: Civilização responsável pela magia do homem: controle e evolução mental, desenvolvimento das faculdades extra-sensoriais.

        Tótimus: Responsáveis pelos corpos celestes siderais (cometa, meteoros, bolas de plasma, etc) e até mesmo; fenômenos atmosféricos (fazem a proteção contra nossas experiências nucleares).

        Utir: Raça criadora dos homens e outras tipologias. “Façamos o homem à nossa imagem, como nossa semelhança. “Gênesis 1,26”.

        Vênus: Seres de 4a dimensão. Ajudam a desenvolver as habilidades paranormais de efeitos físicos e interação na 4a dimensão.

        Também do grupo das 49 raças: Águia; Aldebaram; Altair; Cão Maior; Fênix; Fit; Leão; Lira; Nebal; Om; Omega; Perseu; Slon; Unicórnio.

         O Alfabeto Extraterrestre

        Os seres extraterrestres passaram aos dimensionais/Projeto Portal um alfabeto, já que muitas coisas deixadas por eles estão escritas (codificadas) desta forma.

        Escrita: O cérebro tem duas metades, que são virtualmente imagens de espelho uma da outra, mas com funções diferentes.

        O lado esquerdo do cérebro controla a função da fala, da lógica e da razão – é a parte científica de cada ser humano. E, já o lado direito do seu cérebro reconhece formas, padrões e sons – é a “parte artística” de cada ser humano, que aparece em momentos de sua sensibilidade/inspiração.

        Os pensamentos são eventos eletromagnéticos de curtíssima duração que acontecem no sistema neurológico humano.

        Toda imagem afeta o cérebro, produzindo mudanças no sistema nervoso e em sua química, influenciando o individuo na maneira em que se expressa as suas emoções. E, nele as emoções ainda afetam diretamente o seu sistema muscular, hormonal e também o seu estado físico, as suas decisões, as suas ações, os seus pensamentos e o seu comportamento.

        A linguagem que se utiliza de imagens metafóricas para guiar uma corrente de pensamento é chamada ideográfica. São ilustrações muito simples e abstratas que permitem transmitir instantaneamente muitas coisas de uma vez, sendo captadas pelo lado direito do cérebro, transmitindo um significado comum junto com todas as idéias conectadas a ele. Portanto, transmitindo de maneira idealizada tudo que significa o objeto, como se a sua imagem simbólica ensinasse o que ele representa, para que ele serve, quem o fez e como se deve dele utilizar. E, essa forma de comunicação por imagens e não por palavras é a base da telepatia (faculdade do lado direito do cérebro).

        A palavra que é uma coleção de letras e sílabas captada pelo lado esquerdo do cérebro e baseada na linguagem humana ao invés de desenhos de objetos, expressa um só conceito congelado – para uma forma “mais estreita” de consciência.

        A escritura de sílabas que se supõe tenha sido um dos avanços mais importantes da história do homem apareceu quando ele abandonou um sistema baseado no lado direito do seu cérebro, na verdade representou a perda de sua comunicação através das imagens, em um acontecimento que atrasou o seu desenvolvimento da consciência – ao lhe criar uma verdadeira Torre de Babel.

        Entretanto, é a maneira de expressão/comunicação baseada no lado direito do cérebro, combinada com a maneira atual racional, baseada no lado esquerdo do cérebro, que levará o homem a um novo lugar: o uso simultâneo dos seus dois hemisférios cerebrais, acelerando o desenvolvimento de sua consciência – e, esse foi o caso dos Maias. Esta nova linguagem conduzirá o homem a um estado simultâneo de razão e de intuição (solar e lunar; masculino e feminino).

        Uma civilização que se comunica dessa maneira consegue mais facilmente alcançar níveis de freqüências mentais aceleradas, produzindo uma visão mais integrada da Realidade (de todas as realidades).

        Abaixo o Alfabeto Extraterrestre com os seus 27 símbolos (número da energia direta de Transmutação e da Alquimia), que têm um significado muito maior e muito mais importante do que apenas substituir letras por símbolos. Também abaixo a numeração em irdin de zero a nove.

        A linguagem do Alfabeto Extraterrestre abaixo onde os seus 27 símbolos (número da energia direta de Transmutação e da Alquimia) têm um significado muito maior e muito mais importante do que apenas substituir letras por símbolos. Também abaixo a numeração em irdin de zero a nove.

        Cada letra do alfabeto extraterrestre caracteriza um morro ou montanha, modelado pelos Seres e espalhado por vários locais do planeta. Este local é o sinalizador dos Seres para quando de sua volta à Terra. E, cada uma destas letras ou símbolos possui uma gama de informações, que foram aos poucos sendo passados por eles aos dimensionais:
• Letra A: caracteriza um platô no México;
• Letra D: é o Símbolo da Cura, da Energia Vibracional de Sintonia Cósmica, da Energia Universal, da Sintonia Direta com o Cosmo;
• Letra E: está em um ponto em Rondônia (2º local das placas);
• Letra F: caracteriza um morro em Mato Grosso;
• Letra I: significa Filho;
• Letra J: está em um ponto das montanhas que cercam Belo Horizonte e Mato Grosso.
• Letra P: significa Luz;
• Letra R: está também em um ponto em Rondônia (2º local das placas). O dimensional que está com ela relacionado é de alguma maneira descendente dos Atlantes, tendo um trabalho especial e específico ligado a ele em momento certo;
• Letra U: caracteriza um morro no Egito;
• Letra Y: está ainda em um ponto em Rondônia (2º local das placas);
• Letras RR: são de dimensionais que possuem missão dupla, possuem uma codificação vibracional diferente. Também são de alguma maneira, descendentes dos Atlantes, e terão um trabalho especial e específico ligado a eles no momento certo.

        A abertura dos portais está também em ressonância com determinados símbolos, que têm a vibração exata para isto, como a letra “R” – com o seu formato de espiral.

        OBS: A cidade de Atlântida estava também projetada como uma sucessão de anéis circulares de terra e água, comunicadas por pontes, para depois desembocar no Oceano Atlântico. Em seu anel central encontrava-se uma grande Pirâmide. Cada anel com 30 km de diâmetro. Era conhecida como a Cidade Circular de Posseidon.

        O trabalho com as Letras do Alfabeto foi um trabalho iniciado em 1999, mas, devido ao grande número de outros trabalhos que tiveram que ser feitos antes, porque mudaram a sua forma vibratória de realizá-los por orientação dos Seres, o trabalho com as letras foi concluído só algum tempo depois.

        E, toda uma decodificação anterior foi necessária para que o dimensional/Projeto Portal pudesse acessar a sua memória cósmica, facilitasse “a sua fusão de consciência” e pudesse “se descobrir com mais detalhes” em relação ao seu EU.

        Neste trabalho o dimensional Projeto Portal teve que procurar a(s) sua(s) letra(s) e esta procura foi precedida por um número fornecido pelo Mediador, que indicou o local da(s) mesma(s) no “Morro dos Arquivos” na Fazenda Boa Sorte, município de Corguinho/MS-BR. Portanto, esta sinalização numérica tratou de identificar em vários pontos daquele morro, onde as letras do alfabeto extraterrestre do dimensional estavam gravadas em baixo relevo.

        Naquela ocasião o dimensional que recebeu um número Par, ele teve que procurar a(s) sua(s) marca(s) na região entre o Platô e as Marcas e aquele outro dimensional que recebeu o número Impar, ele teve que procurá-la(s) entre as Marcas e as Crateras.

        O dimensional neste trabalho quando encontrou alguma de suas marcas – que também compõem o alfabeto extraterrestre – ele teve que se posicionar em cima dela, quando pôde através de flashes do seu passado sentir uma forte emoção associada à sua missão – como se naquele momento estivesse fazendo “uma regressão consciente”. Este seu intenso sentimento motivado por esta sua “regressão” foi devido à sua grande emoção de ter voltado ao lugar onde tudo começou para ele há 6.004 anos e, também, pela sua proximidade com a sua placa – além de outras situações em que ele as decodificou quando este trabalho posteriormente teve continuidade.

        E, aquele dimensional que não sentiu nada na presença de sua letra/símbolo, ele teve que dar sete voltas em torno dela, na tentativa de despertar a sua intuição/percepção.

        As letras que marcam estes locais ainda identificam vibracionalmente as quarenta e nove raças.

        Os dimensionais que possuem a(s) mesma(s) letra(s)/marca(s), tiveram juntos uma determinada missão há muito tempo, mas cada um desempenhará atualmente a sua missão de acordo com as codificações de sua placa.


IV – PROJETO PORTAL

        Localização e Objetivos

        A sede principal do Projeto Portal está situada na Fazenda Boa Sorte, no município de Corguinho, MS-BR. Considerado como um centro energético planetário e, por sua ressonância vibratória, permite que Seres de Luz dos três níveis universais (planetário, dimensional e energético) trabalhem junto ao ser humano. É uma dobra do espaço e, nesta condição de portal, facilitará as viagens para outras dimensões. Esse Portal tem a mesma capacidade do Portal do Triângulo da Bermudas, podendo receber Seres/“naves” de até 8ª. dimensão.

        Boa Sorte não é somente um lugar de turismo. Acontecimentos maiores nele se processam, sobretudo, ocorrências ufológicas e parapsicológicas. Por ser um local altamente vibratório e envolvente, predispõe a quem visita o local ao reencontro consigo mesmo e com o Eu Superior. Tudo convida a evoluir, pois as energias que fluem dos vórtices energéticos aceleram nossos processos evolutivos facilitando-nos o exercício do auto-conhecimento. Portanto, é um local onde as pessoas têm a chance de aprender a se interiorizar e a vivenciar a tolerância umas com as outras.

        Panorama da Fazenda Boa Sorte com vista do Morro São Jerônimo, mais conhecido como “Morro do Ashtar”.

        O Projeto Portal trabalha a ampliação da consciência das pessoas. Desenvolve pesquisas, não só ufológicas, mas também no campo científico e paracientífico. Não apenas presenciar fenômenos sobre extraterrestres, mas está também envolvido com o estudo científico dos fatos, suas evidências e com as provas concretas dos mesmos. É fazer com que as pessoas céticas e que a própria ciência venha a comprovar a realidade e a veracidade dos acontecimentos ufológicos. A autenticidade e credibilidade deste trabalho repercutem em todo o Brasil e em vários países do exterior.

        A intenção maior é o despertar, informar e conscientizar para que as pessoas desenvolvam o seu potencial de uma maneira racional, inteligente evitando ilusões e fantasias.

        Este é um trabalho de conhecimento de si e do seu propósito de vida, a relevância do seu papel dentro do Cosmos e, conseqüentemente no Planeta Terra.

        As atividades têm por objetivo orientá-lo para sua evolução mental e espiritual, desenvolver sua mente, sua energia vibracional, para que, com pleno domínio de suas potencialidades mentais, alcançando um nível de equilíbrio, você possa auxiliar a si e aos outros. Visam também estimular o despertar da consciência de cada um para o reconhecimento, o relembrar da sua missão e a importância dela.

        O homem tem se preocupado com o desenvolvimento material, científico e tecnológico, esquecendo-se de desenvolver sua própria capacidade mental. Se a mente é responsável pelo arquivamento dos dados de nossa vida e pela capacidade de pensar e induzir o nosso corpo a agir, então temos de admitir que ela é capaz de determinar nosso bem ou mal-estar, tanto mental como físico.

        É um trabalho voltado a energias, vibrações e ao controle do poder mental, coisas que acontecem diariamente em nossa vida e que muitas vezes não nos atendemos a elas.

        O Projeto Portal é também um programa de implantação de comunidades no Brasil e no mundo onde serão utilizados processos de auto-imunização, novas tecnologias e fontes alternativas de energia.

        As “Placas”

        Arquivos do Compromisso Cósmico

        As “placas” ou arquivos akhásicos são registros que os próprios dimensionais fizeram antes de encarnar na Terra (3º e 4º grupos). Por possuírem informações do passado, presente e futuro, as placas revelarão os segredos do Universo, da vida e do mundo, nos indicando opções de caminho e missão. E, nelas estão registradas/codificadas as ações dos dimensionais, desde os seus pontos de origem até a última encarnação na Terra, assim como tudo o que fariam aqui, seu compromisso cósmico assumido até o ano de 2030, incluindo sua assinatura na atual vida.

        Quando o dimensional acessa o seu Arquivo Cósmico através de sua “Placa”, não é um momento só do seu interesse, mas, também de uma grande parte da humanidade, porque com a “Entrega das Placas” começa vibrar uma Nova Freqüência Mental, que se propaga por todo o planeta, ajudando no surgimento de uma Nova Consciência. E, o dimensional depois que acessa a sua “Placa”, ele amplia também a sua percepção/intuição tanto em relação à necessidade de realização do seu compromisso missionário quanto aos acontecimentos do seu cotidiano.

        Quando esse arquivo foi implantado em 4004 a.C., chovia muito na Terra, uma verdadeira tempestade, enquanto os seres dimensionais escutavam uma palestra com o orientador geral da missão na Terra, também conhecido como comandante Ashtar Sheran.

        Neste dia o grupo se separou e a memória foi apagada após sete horas. Muitos sentem tristeza quando chove, ou quando o tempo fica fechado. Está relacionado ao dia em que os arquivos foram implantados. Algumas pessoas sentem melancolia, outras sentem medo e outras ainda sentem-se felizes, sentem-se bem, o que está ligado à separação, ou não, das almas gêmeas. Em Gênesis existe uma parábola que diz: “E Deus entregou a Adão o Livro da Vida, escrita em pedra, Adão passou tal livro de geração em geração”. Em Apocalipse (cap. 22 versículo IV) outra parábola:

        “E o livro da Vida será desenterrado e entregue aos escolhidos”. “E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome.”

        As informações contidas há milênios em um pedaço de barro com outro material desconhecido por nós, o qual chamamos de placa ou arquivo, irá mudar para sempre a vida daquele que novamente tocá-la.

        Segundo as profecias, “No novo milênio iniciamos o acerto final…” A interferência fotônica provocará mudanças, radiação em nossos prótons e elétrons, alterando nosso DNA. Tal mudança já começou, e virá para garantir a proteção da maioria.

        Esses registros foram guardados em três pontos da Terra, sendo um deles no Mato Grosso do Sul/Brasil, em cavernas vulcânicas com suas entradas que ficaram parcialmente fechadas até o ano 2000. Os seres de luz sugeriram o prazo (até março de 1999) para que as pessoas relacionadas a esses arquivos conseguissem encontrar as outras duas cavernas, abri-las e acessar os seus arquivos. Como isso não ocorreu e o prazo expirou-se, os arquivos só poderão ser acessados de acordo com as orientações e indicações dos Seres.

        Os arquivos são individuais e cada um será entregue ao seu dono que, ao tocá-lo, terá um choque de consciência, despertando suas lembranças cósmicas. A pessoa muda interiormente porque consegue ter um reconhecimento interior. Vê suas faculdades mentais virem à tona de uma maneira lenta, porque o choque vibratório é muito intenso. As faculdades mentais serão ativadas de acordo com o percentual de missão que a pessoa se propuser a realizar no momento que acessar sua placa.

        Depois de retiradas de dentro das cavernas, as placas deterioram-se no prazo de sete horas (com exceção das placas dos representantes de raça), por isso deve-se gravá-las em filmagem ou fotografias no momento do acesso. As placas serão autorizadas não mais pela evolução, mas pelos débitos e créditos da simbologia cósmica da pessoa. Ao receber a placa, a pessoa pode optar por assumir 100% da missão cósmica e, por isso, retirá-la da caverna, fotografá-la, filmá-la, trazê-la para que outras pessoas também a vejam e ficar com ela por sete horas antes de se desintegrar.

        Se não optar por 100% da missão, terá três oportunidades para entrar em contato com ela. Representantes de raça têm 62 chances de pegar a placa, que não se desintegrará até 2014.

        As placas podem chegar aos dimensionais de várias formas:

        A primeira “Placa” foi entregue por um Ser Intraterreno, a segunda e a terceira foram materializadas em uma galeria, a quarta e a quinta foram teletransportadas através da abertura de um grande Portal que se abriu no firmamento e a sexta e a sétima foram conseguidas através do processo mental gerado por dois dimensionais, que permitiu que elas fossem teletransportadas. Os “Seres” ainda entregaram dentro de uma caverna mais seis “Placas” – da oitava à décima terceira – mas, já com o auxilio da energia vibracional do Mediador através do seu chacra umbilical. Da décima quarta até setuagésima sétima “Placa”, a entrega foi por um processo de materialização dentro de uma galeria, através da freqüência vibracional da ”Placa” do dimensional responsável pelos trabalhos de conhecer e trabalhar áreas intraterrenas para futuro uso pela população.

        Outras mil quatrocentas e quarenta “Placas” foram acessadas por um processo de plasmação também nas galerias com o auxilio da energia vibracional de dois dimensionais de polaridades diferentes que iniciaram estes trabalhos vibratórios. Todas as “Placas” possuem em sua essência o mesmo conteúdo energético-vibratório. Mas, pela sua codificação hierárquico-missionária as “Sete Primeiras Placas” que foram de maneiras diferentes entregues diretamente pelos “Seres” àqueles dimensionais que as acessaram, contêm a responsabilidade de ressonância com os Sete Selos Bíblicos ou com os Sete Anjos do Apocalipse. A “Primeira Placa é a Chave”, porque abriu para a terceira dimensão a “Porta” para que as outras “Placas” fossem materialmente acessadas, a Segunda está associada ao Sistema do Dourado e a Terceira está associada ao GNA. A “Quarta Placa” está associada aos portadores da aura prateada (jovens), a Quinta está associada aos Portais/Energia de Sublimação (Guardiã), a Sexta está associada à Energia Crística e a representação das doze tribos e a Sétima está associada à união das igrejas, religiões, filosofias e seitas. As setenta e sete “Placas” que foram materializadas nas galerias estão associadas aos Mundos Interiores e as “Placas” plasmadas restantes estão associadas às missões dos dimensionais com os extraterrestres. As “Placas” foram colocadas em um lugar seguro em alguns pontos do planeta, para que os dimensionais já em corpo humano tivessem acesso a elas entre os anos 2.000 a 2.012. Os dimensionais as receberam na Fazenda Boa Sorte – Corguinho/MS-BR e quando no acesso às “Placas Plasmadas” os seus símbolos luminosos foram “vistos” como que flutuando na abóbada da galeria, eles já estavam na terceira dimensão.

        Mais de 1500 placas já foram acessadas!

        A Unicidade Se Mostra aos Dimensionais

        Na noite do dia sete de setembro de 2006, no Chacra Vibracional da Fazenda Boa Sorte em Corguinho/MS-BR, os dimensionais/Projeto Portal puderam, através da vivência de um companheiro dimensional, ter ainda mais a certeza de sua Origem Cósmica e Divina. Foi quando este dimensional narrou sobre as presenças e os procedimentos das “Placas” (arquivos akháshicos) que estão depositadas em uma das cavernas daquele local.

        Pela primeira vez os pudemos vislumbrar pelas informações deste dimensional a presença de suas “Placas” e a sua interação com elas e, portanto, a responsabilidade do seu compromisso cósmico assumido há mais de quatro mil anos, quando retornaram à Terra para despertar seus irmãos dimensionais e limpar seus débitos, a maioria deles adquirida quando os vivenciaram em outras épocas no planeta.

        Naquela noite – com esta narração – cada um de nós vislumbrou a importância deste seu momento evolutivo. Pudemos perceber de maneira mais iluminada o Sentido de Unicidade no “Mecanismo Divino das Placas”, que com a sua Luz interage na terceira dimensão com os corpos físicos de todos eles, formando ao nível das Freqüências Multivibracionais um só Corpo de Energia/Luz.

        A partir daquele momento ainda mais ciente de sua interação Energética/Divina com a sua “Placa”, o dimensional/projeto Portal percebeu de maneira mais incisiva, que não deve mais se expressar tanto com o seu corpo físico no emocional, ”ego”, mas, de maneira mais constante deve vibrar/irradiar com ele a Luz Divina, que está também em ressonância tanto no seu corpo físico quanto nos dos seus semelhantes, “construindo” ainda no plano denso o Todo/Uno.

        Os 1440 dimensionais começaram acessar as suas “Placas” ou Arquivos Akhásicos no ano de 1999, quando começou também a ser alterada a freqüência mental/vibracional de todos os demais dimensionais. As primeiras 72 “Placas” foram acessadas fisicamente e as 1.368 restantes foram acessadas holograficamente dentro de uma caverna na Fazenda Projeto Portal a partir do ano de 2002. E, todos aqueles que as receberam, já sabem agora que os seus Compromissos Cósmicos estão interligados – que um depende do outro para executar a missão que aceitaram realizar no Planeta Terra.

        A “Placa” que cada Dimensional deixou depositada em um das cavernas na Fazenda Projeto Portal é o seu “Livro da Vida”, que tem registrado tudo o que ele fez desde que começou existir como um Ser Cósmico, até chegar às suas experiências terrenas. A “Placa” é semelhante a um bloco de argila branca, retangular, com aproximadamente 20 cm x l5 cm. Neste bloco os símbolos aparecem iluminados e em relevo. Eles acendem e apagam conforme os pensamentos, as palavras e as atitudes do dimensional.

        Na “Placa” existem conjuntos de símbolos que formam “caminhos”, que podem ser escolhidos pelo dimensional para vivenciar suas experiências terrenas. Em geral, existem “três caminhos” que podem ser escolhidos. Quando o dimensional toma uma determinada atitude/caminho, para cumprir a sua missão, um conjunto de símbolos específicos que estão ressonância com esta sua atitude, vibram e se iluminam.

        Ações ou pensamentos de um dimensional/Projeto Portal provocam alteração em todas as demais “Placas”, porque todas elas estão interligadas, formando um Único Corpo Energético. Portanto, como se fossem um “Imenso Dominó”, elas comportam energeticamente em sintonia com o Principio Cósmico-Divino da Unicidade – com o “Somos Todos Um”.

        Quando os dimensionais tem um contato, por exemplo, é como se todos os demais o tivessem também e todas as “Placas” ressonam, mostrando assim a imensa importância do trabalho missionário dos dimensionais no Processo do Despertar de seus irmãos. Todos formam um Conjunto, porque estão todos interligados e interdependentes a Serviço da Luz.

        Quando os dimensionais chegaram ao Planeta Terra, já cientes de que perderiam a memória devido à densidade da terceira dimensão, escreveram em suas “Placas” todas as mensagens/informações referentes ao momento atual da Transição Planetária e o quê eles vieram fazer aqui. E, independentemente de ter acessado ou não a sua “Placa”, estas informações estão escritas e são passíveis de serem acessadas por quaisquer dimensionais na “Biblioteca das Placas” na quarta dimensão.

        Na Fazenda Projeto Portal as “Placas” – referencialmente à terceira dimensão – estão dentro de uma caverna, numa “imensa sala” na quarta dimensão aos cuidados dos Tots – seres intraterrenos humanóides sintonizados com a Freqüência da Luz Divina. As “Placas” estão armazenadas dentro de escaninhos ou arquivos nesta imensa sala que parece uma grande biblioteca e estão dispostas lado a lado, guardadas como se fossem livros.

        Quando ocorrem viagens à Fazenda Projeto Portal, as “Placas” dos dimensionais que para lá vão, são antes teletransportadas para o centro desta grande sala, formando um grande círculo e vibrando conjuntamente. Neste momento os Tots que cuidam/guardam as “Placas”, vibram também em volta delas. E, desta forma é que os dimensionais/Projeto Portal despertos e conectados com o Eu Superior, recebem o seu “chamado intuitivo” para comparecer àquele local.

        Portanto, é desta maneira que os dimensiomais “são convidados” para fazer a sua viagem. Se eles confiarem em sua intuição eles ouvirão este chamado e estarão na Fazenda em uma seleção já feita anteriormente pelos Seres. E, os dimensionais são convidados de acordo com uma prioridade estabelecida na rede de símbolos, que nas suas “Placas” são acionadas. Se algum dimensional for chamado e não comparece, outra “Placa” substituirá aquela previamente escolhida, com os Seres modificando a programação e adaptando os trabalhos para o grupo presente.

        A “Placa” contem informações do presente, do passado e do futuro do dimensional. Nela está gravada a sua missão e os bloqueios que possam existir de suas vidas anteriores, refletindo em sua vida atual. Porém, nem sempre tais informações estão disponíveis para leitura, porque, afinal, “nem uma folha sequer cai da árvore sem a permissão de Deus”. Somente quando o dimensional estiver preparado para ouvir a informação de uma determinada questão, é que ele poderá ter a resposta/decodificação do quê procura.

        O equilíbrio emocional do dimensional é fator primordial para que a “Placa” seja aberta. É fundamental que ele esteja na faixa de tolerância, portanto, não permitindo que as suas experiências de dualidade na terceira dimensão interfiram em sua freqüência menta/vibracional. Também deve estar em Harmonia, para que sintonize com o Eu Superior e possa “ver” os códigos em sua “Placa” ou ouvir de outro dimensional a decodificação dos mesmos como mensagens/informações, que ele mesmo deixou escrito na “Placa”, há 6.000 anos.

        O símbolo da “Placa” que codifica equilíbrio emocional é um traço horizontal de luz. Como refletem na “Placa” os pensamentos e ações do dimensional, ele pode interferir nela para ajustar o seu equilíbrio emocional – extremamente necessário no mundo dual em que vive.

        Os dimensionais devem mentalmente comandar por intermédio do seu pensamento, com o seu desejo profundo e com a sua vontade a alteração da linha na sua “Placa”, que codifica o emocional, transformando-a para um traço horizontal em relevo luminoso na cor dourada néon. Agindo desta maneira, os dimensionais conseguem manipular a sua “Placa” de acordo com a sua vontade e com o seu desejo, comprovando que são deuses criadores – responsáveis pelo seu próprio destino. E, os dimensionais podem “moldar” a sua “Placa” todos os dias dentro do “caminho” que escolheram.

        Aquele dimensional que temporariamente deixou o Projeto Portal, é sabido que ele retornará, porque a sua “Placa” continua ativa. E, quando chegar o momento escolhido pelos Seres, a “Placa” deste dimensional vibrará e ele receberá o chamado para a sua volta – cada um no seu tempo de acordo com o “caminho” que ele anteriormente escolheu.

        Os dimensionais poderão não ter respostas à leitura de suas “Placas” quando solicitadas. Neste caso eles poderão por si mesmos avaliar e refletir quais foram os motivos desta impossibilidade. Os dimensionais devem em primeiro lugar estar realmente vibrando em um estado de “Neutralidade”, com o emocional verdadeiramente equilibrado. Quando vibram na “Neutralidade” sua consciência se abre para um nível maior de percepção das Verdades referentes à Manifestação Cósmico-Divinas e para os Seres Ultradimensionais deles se aproximarem, facilitando o seu dia-a-dia e, inclusive, estimulando a sua conexão com a sua “Placa”.

        A pedra discóide tem a função de facilitar a ligação com os Seres. É uma “antena energética” e, portanto, facilita a leitura da “Placa”.

        Os dimensionais, às vezes, desejam fazer pedido para a leitura de suas “Placas”, tendo em mente a saúde ou a condição financeira ou ainda o estado emocional. Porém, se alguma outra informação for prioritária para seu desenvolvimento mental/”espiritual”, a “Placa” é aberta para esta informação mais necessária. E, os Seres mostram a informação, conforme a capacidade que cada dimensional tem de absorvê-la.

        Quando os dimensionais recebem alguma mensagem através de suas “Placas”, eles têm que com ela aprender a se iluminar, utilizando-a em suas práticas diárias. Portanto, de nada adianta tomar conhecimento desta mensagem/informação, se eles nada fizerem para se modificar/melhorar.

        Enquanto os dimensionais não procederem “positivamente” em ressonância com as informações reveladas, de nada também lhes servirão novos pedidos de leitura, mesmo porque novas informações não lhes serão exteriorizadas. Eles não passarão para a etapa seguinte – eles ficarão estagnados.

        O processo de leitura das “Placas” é uma concessão dos Seres aos dimensionais para auxiliar na iluminação de sua consciência, portanto, influenciando-os em seus pensamentos e em suas atitudes. Começando por eles mesmos, os dimensionais podem realmente – e depois junto com os outros dimensionais despertos – mudar o destino de toda a humanidade, quando vibrando na “Neutralidade”, manipulam Freqüências Multivibracionais conforme os ensinamentos de Jesus – o Cristo.

        Interação dos Dimensionais com as “Placas”

        A “Placa” muda o campo vibratório do dimensional, mas, se ele não se desenvolver mentalmente e não se evoluir, mesmo que o seu padrão vibratório aumente, ele não terá sintonia necessária para que se recorde de suas lembranças de vidas passadas. E, como a decodificação de suas lembranças está estreitamente associada à sua intuição, se ele tiver qualquer tipo de bloqueio/limitação mental elas não aflorarão. Por isto, que a interação vibracional entre o dimensional e a sua “Placa” se deu mais foi ao nível da realização de seu compromisso missionário.

        O dimensional está aprendendo a se ligar de maneira efetiva com a “Consciência Divina”, quando interage com Ela através da Ressonância Criativa. Ele já percebe que Nela – “Um Ser Quântico” – existe criatividade e com Ela que a sua consciência – do indivíduo/observador – deve estar também em ressonância criativa. Ele já vivencia pelas suas experiências com a Manifestação, que o “Corpo Divino” também “Vive” alem do espaço-tempo.

        Se os Portais/Vórtices de Energia estão cada vez mais se abrindo, dando passagem às Manifestações Cósmicas, é porque este dimensional está cada vez mais se capacitando como um co-criador a interagir com a Malha Cósmica/Linhas do Tempo através da sua própria malha eletromagnética/kundalini, que também está lhe proporcionando um profundo estado de intuição e de percepção de outros Planos de Realidade através de sua “visão” pelo frontal – de sua terceira visão.

        E, neste sentido todos aqueles que estavam (e, estão) acompanhando a construção físico-energética do Projeto Portal tiveram a exata noção desta verdade, quando viveram a grandiosidade de um momento no dia 10 de outubro de 1999, em torno das 4h45min, na Fazenda Boa Sorte, Corguinho/MS-BR, que já era esperado há mais de cinco mil anos com a entrega da “Primeira Placa” e que começou a alterar a freqüência mental de todos os dimensionais conscientes e inconscientes e, portanto, começou a alterar a freqüência mental de um terço da população da Terra.

        Quando o indivíduo como um ser humano acessa a sua “Placa”, lhe acontece a “reviravolta do espelho” e ele começa então, a perceber o verdadeiro lado de sua realidade. Portanto, com um nível já alterado de consciência e se sentindo interiormente tocado, ele “incorpora” a sua consciência dimensional – própria daquele indivíduo que já interage consciente com a quarta dimensão.

        A partir da entrega da “Primeira Placa” está assegurada a permanência no plano físico dos Guardiões dos Planos mais Sutis e Agentes Condutores das Mudanças em nível individual e planetário, que começam a irradiar uma Nova Freqüência Vibratória que propaga por todo o planeta e que possibilita o surgimento do individuo com uma nova consciência que já interage com a quarta dimensão.

        A “Placa” depois de acessada, a sua vibração vai gradativamente interagindo com a freqüência vibracional do dimensional, aumentando também o seu discernimento e a sua visão para uma realidade até então não percebida e, inclusive, despertando-o ainda para a sua responsabilidade missionária. O dimensional começa a vibrar em uma outra freqüência mental e com a expansão de sua aura, ele começa também a se expressar em um outro nível de consciência, sentindo–se interiormente tocado.

        Principalmente o dimensional que já acessou a sua “Placa” deve ter a noção que o “Caminho da Luz” é “construído/imantado” pela Energia Neutra do Amor Puro Uno da Manifestação, que ele deve aprender vibrá-Lo com a sua Energia Neutra do Pensamento, na medida em que vai desenvolvendo as suas habilidades paranormais em sintonia com as Leis Universais, para que ele possa se transmutar auxiliado pelos Seres de Pura Energia e alcançar o Plano de Vibração Deles – o Plano de Pura Luz.

        Quando os Portais ou os Vórtices de Energia se abrem para a “entrega da Placa”, tanto faz se ela se manifesta “vindo de baixo” dentro de uma galeria como na exteriorização da “Segunda Placa” ou se ela manifesta vindo de cima no céu como na exteriorização da “Quinta Placa”, porque todas elas se originam de uma mesma Fonte Divina, apesar de serem direcionadas à terceira dimensão para missões especificas – o que está em baixo está em ressonância energético-vibratória com o que está em cima e vice-versa.

        Falando de Luz

        Luz=Informação+Amor

        Na fórmula acima, Informação é o Desdobramento da Verdade, que cada um acessa segundo seu próprio ponto de vista. Dessa maneira temos o ponto de vista dos Matemáticos, dos Físicos, dos Filósofos, dos Químicos e assim por diante. Também cada religião e cada arte desdobram a Verdade usando suas próprias formas de abordá-la.

        E o que é o Amor? É uma energia que se manifesta através da prática da Verdade, mas nem sempre através do desdobramento da Verdade. Muitas vezes o homem toma a parte pelo todo e adota o desdobramento da verdade como Verdade, perdendo o contato com o todo. E o Todo é Deus – e Deus é Tudo!

        Não está referido aqui o amor/emoção, o amor/sentimento, amor/doação, amor/troca, mas o amor/energia. O amor/sentimento/emoção/doação tem o sujeito e os objetos definidos. O amor/energia tem fonte e manifestação e se expressa no ambiente da Neutralidade. “Somente através da freqüência da Neutralidade podemos acessar a experiência da Verdade Uma, da Plenitude Divina, a que chamamos Deus“. (www.pegasus.portal.nom.br – Mais Textos III – A Sabedoria das Amazonas).

        O amor/energia tem sua fonte em cada ser consciente e sua manifestação se dá através da vontade, podendo atuar sobre pessoas, animais, objetos e sobre a natureza. Quanto mais informação/consciência, mais poder de manifestação, cabendo ao ser consciente usar ou não este poder através da prática da verdade.

        A manifestação do Amor (prática da verdade) no ambiente da Neutralidade está diretamente ligada ao grau consciencial da pessoa, pois quanto maior o grau de consciência, mais forte a manifestação do amor e a amplitude de seus efeitos. Então a utilização do Amor/Energia não está diretamente ligada ao fazer o bem, mas a fazer algo dentro da prática da verdade. Nem sempre aquele que é bom é verdadeiro nas suas ações. Podemos ver esta diferença numa sessão de cura natural. Você pode usar a energia para curar o outro para ser bom (qualidade) ou simplesmente por alguém precisar (verbo). A intenção de ser bom já tira você da freqüência da neutralidade, pois traz em si uma qualidade, uma emoção implícita. Há quem seja bom somente por hábito ou por imitação.

        Pode parecer que os termos Amor e Verdade se aplicam a respectivamente à ação do Homem e de Deus, mas não há que haver diferença, pois quanto mais o homem se ilumina mais semelhante a Deus ele está. Há um conceito que define bem na terceira dimensão o homem mais ou menos semelhante a Deus. Utiliza a imagem Luz de Deus e Sombra de Deus. Tudo é Deus e assim todo homem é Deus também. Acontece que alguns são mais a Sombra de Deus e outros são mais a Luz de Deus. Esta classificação é dinâmica, pois a cada momento podemos estar mais na sombra ou na luz de Deus. Desta forma fica mais fácil ver Deus também naquelas pessoas que parecem tão afastadas da Humanidade pelas suas práticas desumanas. Elas também são Deus e só precisam se deslocar mais para a Luz e assim ficarem mais visíveis como Deuses.

        Quando você fica muito tempo na sombra sua semelhança com Deus fica pouco nítida, mas só um pouco de luz já permite ser revelada a face divina do homem. Talvez alguém questione quanto ao papel do karma. A Luz como prática da Verdade, movida por alto grau de consciência e atuando no ambiente da Neutralidade consome os karmas, pois karmas são bloqueios, obstáculos para a Luz – se a Luz se manifesta, não há padrões kármicos que possam permanecer. Tudo é um processo de idas e voltas entre a Luz e a Sombra, e a cada encontro com a Luz há mais informação, mais consciência, mais Amor/Prática da Verdade, menos bloqueios à manifestação da Luz.

        Há quem considere a Sombra de Deus como Não-Deus, mas se admito que haja algo além de Deus, mesmo assim este algo é Deus, pois criou Deus e o Não Deus. Logo Tudo é Deus. Deus é a possibilidade do Tudo e do Nada, a consciência absoluta e que precisou criar o Mundo, os Mundos para que pudesse se ver, como um reflexo da Luz de Deus e da Sombra de Deus. “Se o Criador montou o “Grande Palco” da Criação, foi para que as Suas criaturas pudessem finalmente manifestar conscientes e Ele através delas, pudesse ver a Sua obra” (www.pegasus.portal.nom.br).

        Assim desde o Nada (possibilidade de Deus, Deus em potencial) até o Tudo (consciência absoluta de Deus) encontramos o Divino e a manifestação da Luz.

        Tudo no Mundo está sujeito à dinâmica Luz/Sombra. No caso do Homem, quanto maior o grau de consciência (informação/ desdobramento da Verdade) e geração de Amor (prática da verdade), maior o percentual de Luz. Quanto mais alta a frequência do homem, mais refinada será sua matéria ou energia.

        Muita informação sem Amor é como a semente de uma árvore frutífera guardada numa gaveta – plena de vida, cheia de potencial de realização, mas que não serve para ninguém enquanto estiver guardada – fica mais na Sombra que na Luz de Deus. A semente guardada gera apego e o apego gera o medo de perder. Isto gera a necessidade de acumular mais sementes (mais informação). Os que assim agem são insaciáveis na busca do conhecimento. Buscam algo que sabem existir – a Verdade Absoluta, mas só encontram o desdobramento da verdade. Sabem que estão perto de alcançá-la, e eles estão certos, pois se já dominam o desdobramento da Verdade só lhes falta o Amor/Prática da Verdade.

        Também pode acontecer a prática da Verdade sem a Informação /Desdobramento da Verdade. Neste caso não há consciência, há gestos que se repetem porque foram aprendidos como gestos de amor, mas que nem sempre são manifestações do Amor – são fórmulas decoradas, ações imitadas. Como gestos vazios não satisfazem seus autores, que os repetem em busca de algo que os preencha, que os recompense, que os faça parecer reais, como o reconhecimento público, a gratidão do semelhante, o prêmio do ano, a medalha de ouro ou o paraíso.

        Em relação a isto, vale lembrar a carta de Paulo aos Coríntios, 1 – capítulo 13:
1 – Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
2 – E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
3 – E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada seria.
4 – O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
5 – Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 – Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
7 – Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 – O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá.
9 – Porque em parte conhecemos e em parte profetizamos;
10 – Mas quando vier o que é perfeito, o que é em parte será aniquilado.
11 – Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 – Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 – Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

        É preciso ressaltar que o conceito de luz aqui apresentado não é apenas em sentido figurado, mas também a manifestação física da luz, que é possível quando se tem um grau altíssimo de consciência e um máximo de manifestação do amor (prática da verdade). Esta condição tem sobre a matéria um efeito de sutilização, a partir de processos físicos.

        A sutilização da matéria permite inclusive a realização de fenômenos como a interação com paredes sólidas, permitindo que a mesma seja atravessada pelo corpo físico do ser consciente. Também pode ser provocando a bilocação, o teletransporte e outros fenômenos que consideramos milagres por não saber explicá-los.

        Assim a sutilização da matéria, no ambiente da Neutralidade, atua num processo em que cada vez mais o ser consciente vai acessando dimensões acima da matéria/terceira dimensão. Ele se ilumina – na Consciência e na Verdade, através da Informação e do Amor.

        Por outro lado, é possível a “iluminação” através do contato com um ser de Luz. Neste caso todo o processo se dá por choque energético, com efeitos sobre o corpo emocional, o corpo físico, a mente e a consciência. Para os dimensionais do Projeto Portal este contato não traz efeitos negativos, já que recebem treinamento específico e preparação energética, através de exercícios de aceleração mental e orientações específicas quanto à alimentação e outras. Há outros centros de estudo ou mesmo centros religiosos que se preocupam com esta preparação para o contato com a luz, mas são experiências raras.

        Para pessoas não preparadas energeticamente, sem informação (desdobramento da verdade) e sem treinamento (prática da verdade), um contato com a Luz pode ter efeitos desastrosos sobre sua saúde mental, física e emocional. Daí casos de pessoas contatadas que acabam passando por tratamentos médicos, psicológicos e mesmo psiquiátricos como se fossem doentes, pois a falta de informação sobre os efeitos do contato pode gerar tratamentos inadequados.

        Expansão da Consciência

        “Quero conhecer os pensamentos de Deus, o resto é detalhe”… Albert Einstein

        Há sempre um momento na vida dos seres humanos em que uma grande percepção invade o seu Ser, como se estivesse chamando para um propósito superior.

        Para a grande maioria esta percepção praticamente não é notada e a vida segue através dos tempos sem grandes mudanças, sem criação ativa, sem vivência real, sem um grande significado. .

        Temos que nos esforçar para romper as amarras que nos prendem à matéria, às negatividades, à dualidade e às ilusões que trazem determinado prazer físico, mas, nunca alimenta o ser superior de cada um.

        Num constante reavaliar do mundo físico, as expectativas se perdem e torna-se necessário uma reformulação geral para receber este novo Ser que está surgindo.

        Há necessidade do ser dimensional criar um mundo mais equilibrado tanto interna quanto externamente, tendo a certeza de que nenhum esforço será perdido na senda da auto-realização. Este novo Ser deve anular os sentimentos menos nobres e ser a diferença positiva neste planeta em transição.

        Muitos estarão contra aqueles que procuram a verdade, por isso a necessidade do amor incondicional, da energia neutra que não julga, que não culpa e que permanece num constante respeitar do processo evolucional da humanidade.

        Devemos ser firmes em nossos propósitos de formar um corpo energético coeso em ressonância com as novas energias do planeta.

        É grande a responsabilidade do dimensional que por não possuir livre arbítrio deve transformar-se num sustentáculo para que a humanidade entre na freqüência do Amor “Puro e Uno”.

        Quando atingimos um alto grau de vibração, temos a capacidade de um “portal vivo” que nos conecta com a consciência cósmica, possibilitando o desempenho da missão diariamente, executando tarefas que causam grandes mudanças ao nosso redor, provando que somos importantes peças no jogo da vida. Somos Deuses.

        O sucesso da missão do ser dimensional depende intimamente deste processo de “despertar interior”, pois o seu exemplo irá interferir na vida de todos ao seu redor, alcançando por ressonância centenas e centenas de pessoas.

        Apenas o fato dos planetários conseguirem enxergar o mundo de outra forma será uma grande vitória.

        O equilíbrio e a felicidade de viver criam um ambiente puro, uma energia de paz e vibrações positivas na freqüência da Nova Era.

        Quanto mais nos sutilizarmos, mais nós aproximaremos da nossa Verdade, mais aproximaremos do que chamamos do nosso Eu Superior.

        O processo de acreditar que é capaz de transformar realidades deve ser um exercício diário na vida do dimensional. Quando acreditamos em algo, todas as portas se abrem e podemos assim conhecer outras dimensões, podemos conhecer a nossa verdadeira realidade. Este processo é totalmente interior e cada um tem o seu próprio guia, basta saber ouvi-lo.

        Da “Mente Divina” origina-se toda criação. Todas as leis físicas do universo estão em ressonância com o processo da Divindade em movimento, pois elas estão codificadas em Sua consciência em movimento. Todo aquele que percebe estas verdades e que interage com elas, aplicando-as no seu dia-a-dia, pode criar tudo o que desejar. Estas leis são as mesmas que a Divindade utiliza para, através da natureza, criar uma flor ou uma estrela.

        Neste processo de tornar-se um Ser cósmico, o dimensional começa a sentir lampejos de seus poderes adormecidos e aquilo que parecia um milagre, torna-se parte ativa deste buscador das dimensões superiores.

        O desenvolvimento destes poderes potencializará ainda mais o processo de mudança do dimensional e o tornará cada vez mais apto a conhecer realidades paralelas.

        Como estamos envolvidos num processo constante de expansão consciencial, devemos seguir alguns passos que facilitarão a nossa caminhada evolutiva:

         1º passo – AUTO-ILUMINAÇÃO : O ser dimensional deve buscar a cada dia a sua própria auto-iluminação no intuito de tornar-se uma referência para as outras pessoas, deve ter plena consciência de que é parte ressonante da Luz Divina e que a centelha de luz que brota do mais profundo do seu coração irá interferir em todo o Universo porque a grande verdade é que Somos Todos Um.

         2º passo – AUTO–REALIZAÇÃO : A grande meta dos seres humanos é alcançar a auto-realização, mas a realidade é que poucos sabem que estão procurando por ela. O processo de despertar envolve um grande esforço para desvendar a nossa própria realidade antes de entrar na Mente Divina. A partir do momento que começamos a descobrir quem somos realmente, o que é a nossa verdade, começamos a perceber que temos um grande papel na construção da nossa realidade e que criamos nossa vida a cada dia. Somos responsáveis diretos pelo nosso destino.

         3º passo – BONDADE : Na medida em que assumimos total responsabilidade pelo nosso destino, a tarefa de “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” começa a ser parte integrante do nosso cotidiano, porque deixamos de projetar no outro as nossas angústias e acordamos para o fato de que só podemos ser vítimas dos nossos próprios pensamentos. O mal do outro passa a ser sem significado em nossa vida e não teremos mais nada para perdoar. O mundo passa a ser sem culpa.

         4º passo – AMOR INCONDICIONAL : É o AMOR sem medidas, sem condições, sem julgamentos. Neste ponto o ser dimensional vivencia totalmente a NEUTRALIDADE quanto não necessita mais taxar o semelhante de bom ou mau. Ele já compreende que estamos todos em processo de evolução e que tudo acontece no seu devido tempo, que tudo faz parte de um grande e perfeito processo de criação.

         5º passo – RESPEITO ÀS LEIS CÓSMICAS : A palavra Kosmos em grego significa ORDEM, sendo assim devemos atentar para o fato de que somos livres para escolher o nosso destino, mas somos regidos por leis superiores que devem ser observadas, afim de que continuemos sempre em ascensão em nosso caminho evolutivo.

         6º passo – LEI DA ATRAÇÃO : Esta lei merece um tratamento especial pelo seu potencial de construção de realidades. Devemos observar que estamos constantemente atraindo para nossa vida experiências, pessoas e fatos de acordo com o que mantemos em nossa mente. O ser dimensional que objetiva cumprir a missão com sucesso deve observar constantemente se os seus pensamentos estão em coerência com a busca, com o crescimento e com a atração das situações que possibilitarão o cumprimento de seu compromisso missionário.

         7º passo – EVOLUÇÃO CONSCIENCIAL CONSTANTE : A dinâmica do universo exige que todos aqueles que almejam o crescimento, estejam constantemente aprimorando os seus conhecimentos e a própria vida afim de estar sempre em ressonância com as novas energias do planeta.

        Precisamos lembrar que Deus se expandiu, se desdobrou em infinitas partículas e fragmentos e para conseguimos acessar a experiência da Consciência Divina é preciso abandonar a perspectiva individual e assumir a consciência da coletividade humana. Não é esquecer-se de si, mas é sentir-se como algo muito maior que a simples individualidade humana. Este processo implica em neutralizar a influência do Ego, pois a neutralidade acontece quando conseguimos deixar a personalidade/Ego de lado e nos diluímos na Essência Divina.

        Neste momento do despertar, quando o ser humano começa a acordar para a sua realidade cósmica, atravessando portais dimensionais, sintonizando com outras dimensões, interagindo com seres energéticos, dimensionais ou planetários nas suas expressões de luz, nos seus veículos plasmados ou físicos, deve ele, também, aprender, cada vez mais, como Nave Divina que é, a iluminar-se com o Combustível Divino do Cristo, para a sua longa jornada de regresso ao local de onde surgiu, o centro da imensidão do seu universo interior.

        Podemos assim, parir o Ser da Nova Era, o ser compassivo que saindo do mundo da ILUSÃO, reencontra os seus valores essenciais, a harmonia, a paz, a luz, a vitória sobre o ego e a sutilização do espírito.

        Nasce o Ser apto a colocar os pés no caminho da neutralidade, andando de mãos dadas com os outros irmãos, em busca do sentido maior da existência rumo às dimensões cada vez mais superiores.

        Um caminho alquímico

        Som e Luz são nessa ordem os primeiros fenômenos da Metáfora da Criação Divina. “No princípio era o Verbo, e o Verbo era Deus”… (João1, 1). Ou como está nos Vedas: “No princípio havia Brahman, com quem havia o verbo”. Deus era Uno com seu Verbo. E, o Verbo Divino soou: “Haja luz e a luz se fez”. Do mesmo modo, o deus egípcio Toth pronunciava o nome de um objeto e assim lhe dava existência. Podemos dizer então que em essência e primordialmente todos somos som e luz. Todos somos filhos e filhas do Verbo Divino, filhos e filhas das Freqüências Vibracionais (Som) da Voz de Deus.

        Experimentemos fechar nossos olhos e ouvir todos os sons que permeiam agora o nosso ambiente. Nós veremos que estamos imersos num oceano sonoro. Há toda espécie de sons em nossa volta. Escolhemos ouvir os que mais nos agradam. Dentre esses, escolhemos um, o que acharmos o mais bonito. Aprofundemos nossa escuta e vejamos porque o escolhemos. Tentemos dá-lo atributos e qualidades. Parece-nos “doce” ou “brilhante”? Ele é “liso” ou algo que nos lembra uma superfície áspera? Dá a impressão de ser “magrinho”, “gordo” ou mais “redondo”? Parece-nos afinado ou desafinado? Todas estas características são dadas ao som pelos harmônicos que o compõem.

        Os harmônicos ou hipertons são os componentes ou freqüências internas de qualquer som que ouvimos ou produzimos. A nossa voz, os sons dos instrumentos musicais e os sons da natureza, dos animais e, tudo enfim, que ouvimos possui harmônicos. Assim como a luz natural é composta pelas cores do que chamamos de Arco Íris, toda vez que um som é produzido, se deflagra uma Série Harmônica que não é comumente percebida, mas, que existe. São os “sons dentro dos sons”. Cada som possui uma freqüência própria e isso define a sua altura.

        Assim, por exemplo, dependendo do sistema de afinação, a nota Dó 3 que se encontra no meio do teclado de um piano, tem a freqüência de 252 hertz (hz) por segundo. Seu primeiro harmônico (Dó 4) tem a freqüência de 512 hz/s, o seu segundo (Sol 4) vibra a 756 hz/s e assim, por diante. Isto quer dizer que cada harmônico da série tem uma freqüência proporcional ao som gerador e que cada vez é mais alta a sua vibração.

        Na terceira dimensão um som é tão mais bonito quanto mais harmônicos ele tiver. Por isso, dizemos que o som da voz de alguém ou o timbre de tal instrumento é doce, angelical, encantador, ou ao contrário, podemos perceber sons que são “opacos” e “descoloridos”. No nível material a quantidade e a qualidade dos harmônicos conferem qualidades como beleza, colorido, opulência e brilho aos sons, que produzimos e ouvimos.

        Hoje em dia pesquisadores, cientistas, terapeutas e músicos têm se dedicado ao estudo do som e da música como ferramenta de cura. Descobriu-se que formas geométricas perfeitas (mandalas) são criadas quando materiais flexíveis e moldáveis como farinhas, areia, limalha de ferro e água são submetidos ao som. Descobriu-se pela ressonância magnética, que o cérebro e as freqüências das ondas cerebrais podem também ser alterados pelos hipertons.

        Mas, quando se trata de energia, evolução, cura e transmutação, é que os sons harmônicos manifestam sua real importância. Povos antigos como os Maias, os xamãs de várias culturas ancestrais, os monges tibetanos, os sacerdotes do antigo Egito e, até os gregos, mais precisamente Pitágoras e toda sua escola, sabiam do poder do som, principalmente dos seus harmônicos. Eles os usavam para harmonizar lugares, gerar luz em lugares absolutamente escuros, curar pessoas, fazer ascender e transmutar energias e abrir portais dimensionais, dentre outras coisas.

        Esses conhecimentos foram trazidos ao planeta Terra pelas Amazonas, que encantavam todos com o som de sua voz. Elas detinham esse conhecimento e o praticavam na alquimia e na transmutação energética. A palavra encantar vem do latim incantare, que quer dizer cantar ou entoar palavras ou sons mágicos.

        Com o fim da Era das Sacerdotisas, esses conhecimentos ficaram confinados em algumas linhas de conhecimento esotérico, que os mantiveram ocultos e preservados até agora, quando, nesse momento da Transição Planetária, começaram de novo a aflorar.

        A voz humana é um instrumento maravilhoso. É possível explicar através dela os sons harmônicos, isto é, tornar audíveis essas outras freqüências que “vibram dentro” do som, que cantamos. Cantar harmônicos (hipertonar) cria uma ponte entre os sons ahata (o som físico, manifestado), e os sons anahata (som divino, angelical, não físico). Ao hipertonarmos, conseguimos abrir portais entre as dimensões e interagir com os seres destes planos de realidade.

        Edgard Cayce, o profeta adormecido, previu que a medicina do futuro seria vibracional e que o som seria uma de suas principais ferramentas. Parece que tal profecia está se concretizando, porque pela ressonância dos harmônicos, torna-se possível reconhecer, ajustar ou mesmo alterar a freqüência sonora (nota musical) de qualquer ser senciente, de uma planta, de um animal, de um órgão do nosso corpo e mesmo da nossa própria freqüência pessoal. Isto nos permite rastrear prováveis disfunções ou doenças do nosso corpo físico, alinhar as energias dos nossos chacras, restaurar a nossa aura e ativar a nossa Energia da Kundalini.

        Podemos também harmonizar ou ajustar as nossas freqüências em relação ao ambiente em que estamos, para que possamos interagir com as energias presentes ou criar uma vibração mais elevada e assim nos protegermos de influências nocivas.

        Os cristais de quartzo (dependendo de sua lapidação) interagem com os hipertons amplificando seu som e potencializando suas (dos cristais) características energéticas.

        Quando ressoamos em grupo a experiência com os harmônicos é expandida ao infinito. Interações entre os milhares de harmônicos produzidos pelas vozes do grupo vão se fazendo e novos sons resultantes são criados no espaço, dando ensejo às melodias celestiais nunca antes ouvidas. Formam-se verdadeiras “mandalas sonoras”, que aceleram nossa energia e que nos permitem contatar outros planos de realidade muito mais elevados. Na verdade esta experiência é impar, é indescritível.

        Qualquer pessoa pode aprender a hipertonar, desde que tenha vontade e determinação. Não são necessários talento e conhecimentos musicais ou uma voz maviosa. Os harmônicos habitam/vibram nos sons que produzimos vocalmente; já fazem parte de nós. Fazê-los soar, é uma questão de aprendizado, técnica, exercício e perseverança.

        O legado das Sacerdotisas está aflorando novamente. Não é por acaso, que esse saber milenar recluso no seio das mais antigas tradições ressurge nesse momento, após éons de esquecimento. Somos todos autoconvocados e estamos vivendo num tempo especialíssimo. Portanto, temos que vivenciá-lo ao máximo.

        Hoje já sabemos que a energia sonora como toda Energia Divina é autoconsciente e, portanto, podemos interagir com Ela, intencionando, visualizando e direcionando o nosso desejo, de modo que a vontade do nosso Eu Superior se cumpra.

        Alinhados com nosso Cristo Interno, cabe-nos a tarefa de trabalharmos a nossa energia e dinamizarmos os nossos potenciais. Juntos, irmanados, cantaremos as canções do Amor Divino, Aquele que é Incondicional para todos e por todos.

         Freqüência Cerebral

        Hoje, com a alteração vibracional do Planeta, as freqüências cerebrais também devem ser alteradas, não devemos baixá-las, mas sim, potencializá-las, acelerar nossas ondas cerebrais.

        Acelerando-as, as pessoas terão mais proteção, ampliarão seus campos energéticos, a capacidade de raciocínio; a percepção telepática, expandirão todos os seus sentidos e terão adquirido outras faculdades mentais adormecidas em seus subconscientes.

        Para potencializar essas ondas cerebrais, você precisa ter um autocontrole de pensamentos e desejos, conseguindo equilibrar, acelerar e manipular de maneira eficiente e rápida as suas ondas cerebrais.

        Nunca é demais ressaltar que devemos sempre manter as freqüências aceleradas e que, chorar por mais do que sete minutos, meditar, e dormir, diminuem a freqüência das ondas cerebrais e portanto restringem o campo energético/freqüência vibratória e a pessoa fica mais susceptível às energias mais densas. Para que isso não aconteça existem exercícios de aceleração. Assim, a pessoa tem suas glândulas trabalhadas, seu metabolismo sendo adaptado, e irá passando a ser mais energia do que matéria.

        A presença do Cinturão de Fótons irá facilitar a ampliação e a potencialização da nossa capacidade mental, porque multiplica a nossa energia.

        Atualmente não dominamos nem 10% do que pensamos ou desejamos. Os pensamentos e desejos devem ser acompanhados de vontade e segurança. Medo e insegurança geram negatividade que deve ser eliminada do nosso pensamento, para que a positividade impere. Devemos pensar: “eu quero, eu faço, eu realizo” num pensamento e desejo profundos, projetando no astral e passando para o mental.

        Por isso é que dizemos que se a pessoa tiver pensamentos negativos, previsões ou sonhos ruins deverá comentá-los o mais possível para que queimem/desapareçam no astral e não se realizem. Se a pessoa não comentar e guardar para si, vai tomando forma e se intensificando, acaba passando para o mental e acontecendo. Ao contrário, pensamentos ou sonhos bons não devem ser comentados para que aconteçam.

        Existem dois exercícios fundamentais para ativar a mente, que passaremos a seguir:

         EXERCíCIO 1

        Você pega um garfo e o amarra com uma linha bem fina, na base dos dentes dele. Pendure-o em um local onde não haja corrente de ar para que fique totalmente parado.

        Coloque-se de frente para ele, feche as mãos e comece a mentalizar, jogar energia do seu frontal para que ele gire. Você deve ordenar para onde quer que ele gire: para a direita ou para a esquerda. Especifique o movimento que quer que ele faça.

        Se acontecer de o garfo virar ao contrário do que você pediu, significa que sua polaridade está invertida e você verifica isso no seu dia-a-dia: sua vida oscila seu humor também, em todos os sentidos você tem altos e baixos (financeiro, sentimental, físico).

        Neste caso, você deve mudar a polaridade girando 13 vezes em todos os chakras no anti-horário, invertendo a polaridade. Fazer isso com as mãos molhadas.

        No mesmo instante você pode verificar se inverteu a polaridade, testando novamente com o garfo. Se ele girar para o lado que você pediu, está tudo certo, se não provocou nenhum movimento, você neutralizou seu campo. Neste caso, você deve fazer mais duas vezes (girando 13 vezes em cada chakra). Isso é instantâneo, na hora você verifica se estava ou não com a polaridade invertida.

        Nesse exercício é fácil perceber sua mente atuando. Qualquer movimento de giro do garfo é suficiente para ter certeza de sua polaridade.

        Depois que conseguir, continue exercitando, pedindo para que ele balance, gire e assim você vai aprendendo a coordenar pensamentos e desejos.

        Este exercício é bom para desenvolver a mente, para ficar com todos os canais na mesma sintonia, fazer com que sua energia atue no mundo exterior.

         EXERCíCIO 2

        O exercício das moedas ativa a sensibilidade. Desperta a sensibilidade e mostra se você está livre ou não do Cinturão de Fótons.

        Pegue 5 ou 6 moedas, toque uma a uma e coloque-as em cima de uma mesa.

        Em seguida vire de costas e peça que alguém toque em uma delas, colocando-a na palma das mãos e devolvendo-a ao mesmo local onde estava.

        Enquanto a pessoa toca, você vai dando uma ordem ao seu subconsciente: “Quero sentir uma energia diferente ao tocar essa moeda!” Você pode pedir para sentir os dedos tremerem, ou pesados ou que esquentem ao tocá-la.

        Você se volta e passa a tocar as moedas. Quando tocar naquela que foi tocada por outra pessoa, você vai sentir uma energia diferente da sua.

        Esse exercício pode ser feito com outros materiais (por exemplo: palitos de fósforo), não precisa ser necessariamente com moedas. Ele ativa a Terceira Visão, a parte extra-sensorial, premonição, vidência, intuição…

        São exercícios que despertam a sensibilidade da parte extra-sensorial, ativam a mente, protegem contra os efeitos nocivos do Cinturão de Fótons e expandem a consciência em todos os sentidos.

        Todas as vezes que nos reunimos e aceleramos nosso campo eletromagnético, surgem os Ultradimensionais

         Níveis Mentais

        A mente humana é uma faculdade sensorial da inteligência. Sua função é captar informações que são armazenadas nos neurônios cerebrais pelos outros sentidos normais do ser humano. Nossa mente tem condições de captar e imprimir qualquer tipo de informação em uma célula viva. Através de nossa vontade, temos condições de entrar em sintonia com qualquer centro cerebral e levar à consciência a informação que se encontra ali armazenada.

        De acordo com as freqüências das ondas cerebrais, os níveis mentais estão dentro de dois grandes grupos: Nível Astral (Consciente Interior) e Nível Mental (Consciente Exterior).

        Na freqüência BETA ou estado de vigília, estão associados os cinco sentidos físicos: tato, paladar, olfato, visão e audição. Nela realizamos as ações comuns de nossa vida como falar e pensar, enfim, passamos o dia em BETA. Ela é o ponto intermediário de nossas interações com os planos Astral e Mental. Neste nível, a rotação cerebral varia de 9 a 14 ciclos por segundo.

        O nível ALFA é o nível da criação, é quando você relaxa, faz projeções. Podemos usufruir dele tanto consciente como inconscientemente. Podemos alcançar um relaxamento maior e é onde criamos, pensamos, desejamos, programamos sonhos. É um estado de sono não profundo, no qual não sonhamos. A freqüência de rotação do cérebro varia de 5 a 8 ciclos por segundo.

        Atingir o nível TETA exige um relaxamento profundo. É quando a pessoa dorme profundamente e sonha. Nesta freqüência, através da sugestão hipnótica, podem-se realizar cirurgias num paciente, sem anestesia e sem dor. Neste nível de relaxamento, a rotação cerebral atinge de 2 a 4 ciclos por segundo.

        O nível DELTA é o nível da inconsciência. Nele somente o subconsciente está agindo. Seria semelhante a um estado de coma, ou o nível no qual nos encontramos no mundo espiritual. Em DELTA, a freqüência de rotação cerebral permanece na faixa de 0,1 a 1 ciclo por segundo.

        Podemos treinar nossa mente a usar qualquer campo sensorial, ou seja, atuar em qualquer uma dessas freqüências com a mesma facilidade com que atua nos sentidos de sensações biológicas. Tudo é apenas questão de treinamento e dedicação. Esses são níveis que exigem concentração em estado de relaxamento profundo para se atingir resultados satisfatórios, a curto ou longo prazo.

        São todos níveis em que o cérebro funciona em freqüências muito lentas. Pela própria condição atual do planeta, isto agora não nos interessa mais, porque nossa mente está permanente em estado de concentração alternada. Percebemos que em nossa vida diária, em função das horas, realizamos várias tarefas simultaneamente, e para isto, intuitivamente aceleramos nossa freqüência mental. No nível astral, nós imaginamos, criamos, mas não nos realizamos com bastante intensidade ou rapidez. A auto-cura, por exemplo, ocorre, mas com lentidão. Você tem proteção, mas pode diminuí-la, se não souber mentalizar direito.

        Na nossa vida normal já estamos por bastante tempo no nível astral enquanto dormimos, pensamos, desejamos ou sonhamos. Este nível atua no consciente interior e é desenvolvido por nós automaticamente. Precisamos desenvolver, portanto, os níveis superiores a beta.

        Algumas faculdades mentais podem ser realizadas tanto no astral como no mental, por exemplo: telepatia, clarividência, premonição e energização. Algumas delas, inclusive, nos permitem a comunicação com entidades e seres de outras dimensões.

        Tanto no astral como no mental, os fenômenos e seus efeitos são ilimitados. A diferença que existe entre eles é muito simples de ser identificada. No astral ocorre a realização dos fenômenos de maneira invisível, quando não podemos ver materialmente a energia atuando no processo, pois ela não sai do nosso campo energético.

        No nível mental é que conseguimos atuar no consciente exterior, o que permite a realização de efeitos físicos. Por ser aliada a um nível raramente estudado, é que existem poucos paranormais de efeitos físicos em todo o mundo – que são aqueles capazes de fazer sua mente atuar em estado de concentração alterada e realizar fenômenos físicos.

        Atuar no consciente exterior significa emitir energia além do seu raio energético, fazer com que ela atue na matéria ou na mente de outra pessoa à distância. O único paranormal que conseguiu atingir cem por cento da sua capacidade mental foi Cristo Jesus. E o exemplo que nos deixou foi o de usar os níveis mentais de efeitos físicos, onde a cura é rápida, os resultados são instantâneos e nossa mente funciona em ritmo acelerado.

        Os níveis acima de beta são caracterizados pelas altas freqüências cerebrais, para elevação de vibrações e são esses níveis que iremos trabalhar, no seu desenvolvimento.

        Para se entender melhor essa divisão de níveis, temos o esquema:

        No nível MENTAL SUPERIOR (logo acima de beta) ainda acontecem algumas realizações do astral como o desejo, a projeção e a telepatia. As ações permanecem a nível do consciente interior, ou seja, nosso subconsciente não emite energia para além do campo energético do nosso corpo.

        O campo energético interno tem um raio de ação de seis a sete metros de circunferência, tomando nosso corpo como centro. Este é o raio de ação que se vai alcançar no mental superior. Até mesmo a telepatia, a uma distância maior, não deverá funcionar satisfatoriamente. Preparamos nossa mente neste nível para programar sonhos, interpretá-los, ativar a percepção e os poderes extrasensoriais. Também para alcançar uma preparação para o início da realização de fenômenos paranormais. No mental superior a rotação cerebral varia de 15 a 20 ciclos por segundo.

        O desejar profundo, em nível mental, significa desejar alguma coisa sem duvidar de sua realização. Trazer esta coisa para perto de você, imaginar-se dentro dela usando-a, conforme o caso. Ver materialmente o objeto ou circunstância fazendo parte de sua vida, sendo algo já conquistado e definitivo. Isso deve ser feito em estado de total consciência, sem relaxamento, o que significa que sua mente estará em estado de concentração alterada.

        No nível MENTAL FÍSICO realizamos fenômenos físicos como entortar metais, levitar objetos, influenciar pessoas, transmitir mensagens telepáticas com grande eficiência, causar sensações em outras pessoas ou mudar o sentimento e o pensamento delas de forma benéfica. O cérebro apresenta uma rotação de 21 a 26 ciclos por segundo.

        O nível MENTAL DIMENSIONAL é aquele no qual se trabalha com dimensões diferentes das que vivemos normalmente. Neste nível podemos realizar transmutações, materializações ou desmaterializações de objetos e até mesmo de nosso corpo. É um nível ainda bem pouco explorado. Nele podemos realizar viagens por outras dimensões com nosso corpo físico. Nesse nível, o cérebro estará com rotação de 27 a 32 ciclos por segundo.

        Portanto nós vamos sempre falar em mentalização e não em meditação, pois acima de 17 ciclos por segundo, os resultados só são positivos. A energia cósmica, a este nível só pode ser usada positivamente ou, no máximo, pode ficar neutra, nunca negativa. O campo energético aumenta, nossas defesas ficam mais resistentes, nossa aura amplia.

        Quando estamos no astral, podemos ficar vulneráveis, a vibração baixa, a energia deste nível, pode ser usada negativamente. O campo energético pode baixar, não só na meditação, mas também quando a pessoa chora ou dorme, pois a aceleração de suas freqüências cerebrais diminui, assim com a energia e, logicamente, a sua proteção. Assim, pensamentos negativos, vibrações negativas não só de pessoas, como também do ambiente, influenciam a aura dessa pessoa, podendo absorvê-los.

        Temos então de trabalhar a energia vibracional. Quanto mais a pessoa se desenvolve, faz exercícios e utiliza adequadamente sua energia, mais a vibração vai se acelerando. Os estímulos emocionais e sexuais, quando utilizados de forma apropriada, facilitam muito na ampliação do nosso campo energético. Durante o ato sexual, nosso metabolismo sofre alterações e passa a funcionar em ritmos acelerados; todas as nossas células se agitam, podendo assim transmitir ou receber qualquer tipo de informação.

        Mas a aceleração das freqüências cerebrais não pode se feita aleatoriamente, deve ser da forma adequada para cada um, com orientações e técnicas corretas. Podemos subir a aceleração, mas dentro de uma escala evolutiva, dentro de determinadas regras, com exercícios apropriados para que a pessoa não se prejudique.

        Também é importante ressaltar que se uma pessoa está com sua vibração acelerada, seu campo ampliado, as pessoas à sua volta entrarão em sintonia e, em conseqüência, serão também equilibradas.


V – AS AMAZONAS/SACERDOTISAS

        As Amazonas

        As Amazonas ou as “Mulheres Deusas” – sacerdotisas extraterrestres pertenciam a uma raça de um mundo distante na Constelação de Ophiúchus dentro de uma galáxia em espiral, provavelmente a mais conhecida do universo e, a sua distância da Terra é de dois milhões de anos luz. Ela tem um núcleo oval com o formato de uma serpente com a sua cauda enrolada na forma circular espiralada e, por isso, que a energia da kundalini é representada por uma serpente. É uma galáxia que tem um ciclo de cento e quarenta e quatro mil anos em forma espiral (enrolada) e outro mesmo período de tempo na forma esticada. Estica e encolhe conforme o pulsar das ondas eletromagnéticas tal como nosso Sol (tormentas solares), muda do formato esticado para depois ter novamente uma forma mais serpentina.

        É a única constelação próxima do nosso sistema que realmente recebe uma influência muito parecida com a da Terra.

        Quando ela está no formato de serpente, todas as pessoas, principalmente as mulheres que vieram de lá têm sua capacidade mental talvez milhões de vezes mais elevada que o parâmetro normal.

        As amazonas reinaram na região da Capadócia, situada na Ásia Menor. No séc. III a.C. já teriam atingido a Grécia, antes apenas eram conhecidas na Ásia Menor. Elas viveram também no sul da Rússia, Mongólia e Egito. Durante séculos as suas histórias povoaram os imaginários de Gregos e Romanos e mais tarde com Colombo o mito foi transposto para o Novo Mundo. As amazonas também viveram no Brasil e existem vários relatos escritos de portugueses e espanhóis que depararam com elas, por isso o Rio Amazonas tem esse nome baseado na história dessas mulheres. A presença das famosas guerreiras na guerra de Tróia ficou como elemento importante do mito (temos alguns desenhos, algumas inscrições, de uma guerra dos Deuses, de uma batalha travada nos céus, com discos, anjos, homens com asas, roda dentro de roda, barcos voadores, tudo simbolizado em várias pirâmides de diferentes partes do mundo, e em muitos pergaminhos também, de quando tiraram aqueles que queriam se apoderar de uma maneira abusiva da população). Também na Ilíada, Príamo recorda os tempos em que ele e os seus homens as combateram. O herói da Ilíada Aquiles travará um combate com Pentesiléa, rainha das Amazonas. Na Eneida de Virgílio (70-19- a.C.) poema épico fala-se da Guerra de Tróia e das Amazonas. Segundo os especialistas o mito das Amazonas encontra-se em todos os continentes, exceto na Oceania. Elas são dadas como certas na China, nas “ilhas misteriosas”, em relatos de navegadores árabes do séc. XI a XIII. Através do folclore da Escandinávia, da Rússia, da Boêmia, da África e das Índias.

        A maior concentração das Amazonas – de sua civilização – que foi destruída pelo dilúvio bíblico está no Brasil. A bíblia diz que o Rei David foi buscar leite e mel (prata e ouro) nas terras de baixo. “O leite e o mel jorram com facilidade nos morros encontrados na região de um grande mar de água doce”. Este mar é o Rio Amazonas.

        Podemos seguir o rastro de relatos da sua existência e concluir que as Amazonas impressionaram vivamente homens e mulheres de todos os tempos.

        Encontramos indícios dessas sacerdotisas em várias civilizações antigas, porém as provas mais autênticas de sua existência foram excluídas, porque as lideranças da época queriam eliminar da face da terra o poder mágico que as mulheres possuem, e de tudo que foi ensinado.

        Eram três linhagens, três tribos de mulheres, cada uma com suas características:

        – as morenas que tinham como símbolo a espada;
– as loiras cujo símbolo era o arco e flecha;
– as ruivas com os símbolos da armadura/escudo.

        As amazonas utilizavam essas ferramentas, não para batalha, pois tinham um controle de energia muito superior, faziam tudo pelo mental, sem a necessidade de utilizar armas, mas como queriam passar por mulheres comuns, deveriam ter uma identidade falsa para disfarçar, assim como outros mensageiros fizeram. Para representar a condição humana utilizavam essas ferramentas, pois teriam que passar por mãos comuns. Somente em casos extremos, utilizavam poderes e tecnologias trazidas de seu mundo.

        Existem relatos de que todas as três linhagens vieram para as “terras de baixo”. Todas eram da mesma constelação, só que de planetas diferentes. Todas eram evolutivamente iguais, porém a missão era diferente para cada uma das linhagens. Com isso se fez a miscigenação total da terra juntamente com as outras raças.

        Essas “terras debaixo”, ficam dentro da faixa de 19o de latitude N/S, ou seja, abrange toda a faixa da Amazônia. Quando o texto bíblico refere-se às “terras de baixo”, esta referência corresponde ao Brasil, exatamente na região Amazônica.

        A energia das amazonas era pura (energia de virgem), mesmo tendo relações sexuais, seu campo energético neutralizava instantaneamente a energia do homem, ou seja, as amazonas tinham eternamente a vibração de uma virgem, ou seja, sem impurezas vibratórias.

        O campo vibracional delas não tinha nenhuma mistura, não era mesclado como o campo vibracional normal de um homem ou de uma mulher. Elas conseguiam neutralizar suas energias, sua aura, conseguiam neutralizar qualquer energia negativa que aderisse ao seu campo vibratório.

        As Amazonas possuíam várias faculdades que as possibilitavam manipular as Leis Universais, elas resplandeciam um magnetismo pessoal de tamanha natureza que através de um simples sorriso encantavam os indivíduos à sua volta. E, quando beijavam, não o beijo lascivo como é feito hoje entre homem/mulher, faziam que a energia vibracional do seu parceiro (sacerdote) direcionasse para o seu frontal e fixasse por um período de sete meses. Entretanto, eram raros os homens distinguidos por elas com este “ritual energético”, porque tinham que ser sacerdotes possuidores de habilidades extra-sensoriais.

        Os homens sacerdotes também tinham a vibração de um homem virgem, sem impurezas vibratórias, o campo vibracional não tinha mistura.

        Havia a necessidade física e biológica de uma atividade sexual, só que a Amazonas trabalhavam muito bem esta energia, não no sentido de sexo por sexo ou só mesmo por atração como hoje. Elas conseguiam neutralizar qualquer energia externa, cercando sua aura, protegendo-as de inveja, trabalhos de magia, forças ambientais que entravam no campo magnético, ou seja, elas neutralizavam tudo que pudesse impedir o correto direcionamento das energias.

        Como a Energia das Amazonas era pura, mesmo tendo relações sexuais o seu campo energético neutralizava instantaneamente a energia do homem. Elas conservavam-se sem impurezas vibratórias, com o seu campo vibracional continuando sem misturas. Elas não faziam sexo pelo sexo, já que o sexo era apenas direcionado para o sentido sagrado da procriação, o que facilitava ainda mais a neutralização de qualquer energia negativa exterior com acréscimos energéticos em suas auras. Elas sabiam potencializar e direcionar a sua energia vibracional.

        Elas tiveram a incumbência de reciclar a energia sexual, neutralizando para uma vibração mais pura, estabilizaram a Freqüência de Ressonância Schumann através de vibrações sonoras provenientes de suas cordas vocais na forma de canções e mantras ultra-sônicos. A entonação que criavam, vibrava na freqüência da harpa e gerava uma sincronia com tudo e com todos.

        A energia vibracional das Amazonas e dos Sacerdotes é a soma de todas as energias, do medo, da insegurança, da inveja, do ódio, ciúme, carinho, amor, de tudo. É o conjunto de emoções direcionado em apenas um ponto, a coluna, representada pela serpente, a kundalini, que direciona a energia para o frontal.

        Elas sublimavam tudo. A energia delas era muito além da nossa realidade porque elas tinham uma cabeça totalmente direcionada e tudo era feito de uma maneira sublime. São essas habilidades que faziam um diferencial gigantesco.

        Precisamos aprender a neutralizar também a energia de outras pessoas (que agregam no nosso campo). E é essa reciclagem para a vibração do nascimento. A vibração angelical é a vibração de virgem. A nossa vibração é impura porque tem uma mesclagem de energia, que não é a vibração que tínhamos no nosso nascimento.

        A vibração do nascimento ou de virgem (de uma sacerdotisa), cada um de nós terá que criar.

        A vibração que deve ser criada no momento atual, é a mesma vibração que elas criaram antes para a vinda de Cristo. Segundo a bíblia, o calendário maia, e os seres extraterrestres, Cristo deve voltar de novo na Terra neste final dos tempos. As mulheres têm a incumbência junto com os homens (vibração de sacerdotes) de preparar vibratoriamente a humanidade para a vinda Dele. Para isto a energia precisa ser pura (de uma virgem), porque é a energia do nascimento, é uma energia que, se a pessoa tiver que usar as suas ondas mentais para atrair alguma coisa, não irá mesclar com outras vibrações que podem interferir no resultado. A vibração tem que ser uma, tem que ser da pessoa, vibração própria. Quando Cristo voltar, elas podem voltar juntas.

        Nos dias atuais temos uma Santa Inquisição meio disfarçada. Podemos perceber que qualquer pessoa que se destaque com habilidades paranormais ou extra-sensoriais é difamada pela mídia. Os governantes também usam o método de elogiar e, logo depois atacam, para que a população não dê ouvidos a estas pessoas porque são elas que podem mudar a maneira de ver da coletividade, mudar a consciência delas em relação a sociedade atual, assim, continuam ditando as regras que vêm dominando a humanidade.

        As Sacerdotisas Amazonas tinham uma energia especial, uma energia vibracional muito acima dos homens, mas como as lideranças da época não queriam colocar as mulheres como algo que complementasse, ajudasse na evolução humana, as informações sobre elas foram distorcidas. Elas eram difamadas como prostitutas quando se destacavam como alguém totalmente oposto ao que realmente era. Assim, a verdade sobre elas sempre ficou oculta.

        A bíblia menciona apenas as 12 tribos (de 144 mil pessoas), enquanto a 13ª tribo ficou oculta em vários trechos e designadas como mulheres guerreiras, as mulheres habilidosas ou Deusas e Semi-deusas, porém não são citadas como uma raça, como uma civilização ou tribo.

        As amazonas eram extremamente poderosas mentalmente, não havia nem a necessidade de armas para se defenderem. Elas nunca guerrearam como diz a história, mas tinham um limite de uso do seu poder para passarem despercebidas.

        Todas as Amazonas Matriciais eram sacerdotisas, pois possuíam dons extra-sensoriais diversos que as permitiam manipular com facilidade as Leis Universais que vibram na 3a dimensão.

        A freqüência das Amazonas também provocava mudanças na energia feminina. Elas manipulavam com perfeição a energia vibracional (energia sexual), a Kundalini.

        Elas tinham um poder extraordinário de alquimia, de transmutação, magia e magnetismo pessoal, uma vibração muito especial. O ouro que possuíam nunca foi extraído da natureza, ele foi conseguido através dos seus trabalhos vibratórios com a alquimia de transmutação. A magia propagava uma energia de afinidade, de carinho em todas as pessoas, e o magnetismo atraia, sintonizava. Tinham a magia do sorriso, do olhar, da voz e do beijo.

        Os olhos das amazonas traziam magia, uma força extraordinária, conseguiam “falar” milhões de palavras só com o olhar, se faziam entendidas, como um tipo de carisma, que conseguia atrair a atenção das pessoas, de multidões encantando-as. Conseguiam fixar, direcionar, conquistar ou mudar um pensamento para positivo das pessoas através da magia do olhar. Tinham o dom da visão, o dom de induzir as pessoas, influenciar tudo aquilo que deveria ser de uma maneira sempre positiva. Através do olhar induziam, mexiam, comoviam.

        A boca das amazonas resplandecia um magnetismo pessoal de tamanho poder que através do seu sorriso encantavam as massas, era justamente o momento ideal de pacificar, amenizar as guerras, e promover união. Liberavam um magnetismo pessoal gigantesco para a humanidade, através da conversação, quando utilizavam a magia dos olhos e do sorriso, não havia ninguém no mundo que diria não a elas, não existia nada que pudesse impedir, mesmo que fosse uma decisão complicada, elas conseguiam encantar, atrair, mexer no campo eletromagnético das pessoas.

        O beijo das amazonas, quando direcionado, fazia subir a energia vibracional do homem, que fixava totalmente na região frontal delas e mantinha-se assim por um período de 7 meses. Eram raros os homens que tinham esse privilégio (os homens-sacerdotes). O beijo é um dos meios em que se fecha todo o circuito, tendo uma sincronicidade, com isto todos os meridianos potencializam o magnetismo pessoal no frontal, é uma maneira da pessoa fechar todo o campo. Através do beijo elas produziam uma energia gigantesca, extraordinária, que todos os homens ficavam com o seu corpo resplandecente (luzes). Da mesma forma que Moisés quando conversou com Deus, o seu rosto resplandecia. São divindades e elas utilizavam isso como algo muito sagrado.

        Muitos mensageiros de Deus realizavam milagres e curas fantásticas porque já sabiam e treinaram como mexer na vibração própria dos objetos, da água, da matéria e tudo mais. Se podemos alterar a vibração de uma matéria inanimada, mais fácil ainda é mexer com a mente humana, porque é a mesma sincronicidade, ou seja, a freqüência é semelhante. Quando Cristo Jesus transformou água em vinho, para ele seria muito mais fácil mudar a consciência das pessoas, mas ele precisava dar vários exemplos de como a mente atuava sobre a matéria.

        As amazonas tinham dons semelhantes, as mesmas habilidades desses sábios e até hoje determinadas mulheres são detentoras de algumas potencialidades especiais. Quando as mulheres abandonam a razão em favor da intuição, dificilmente falham e jamais elas cometerão erros. Elas têm a capacidade extraordinária de perceber o emocional das pessoas, as preocupações, os momentos difíceis ou fáceis. Se alguém estiver mentindo elas até fingem, fazem vista grossa em relação à mentira para não criar uma situação ruim para a pessoa que está mentindo. Já os homens não, eles não têm essa habilidade de uma maneira ativa, precisam ativar e desenvolver. As mulheres têm essas habilidades gigantescas já de uma maneira automática, desde quando nascem, umas mais e outras menos. Umas desenvolvem pela vidência, pela intuição, tarô, cartas, búzios, dentre outros. Cada mulher tem uma modalidade de direcionar a sua faculdade mental.

        As mulheres têm 37 canais mentais ativos enquanto os homens têm apenas 18. É por isto que o homem tem mais facilidade de sair da faixa de tolerância e tem mais necessidade de ficar concentrado.

        Por isto também, elas só criavam meninas e apenas se relacionavam com os homens para fins de procriação, mas, só com aqueles que possuíam a freqüência de sacerdote para manter a pureza energética.

        As Amazonas tinham o seguinte lema: “O filho do homem é a consciência humana”, porque se torna Deus. Jesus Cristo era o exemplo da consciência humana, da manipulação de energia, dos desejos e tudo mais, mas tudo foi distorcido, não divulgaram a verdade sobre Cristo, porque não queriam passar para a população o verdadeiro método de se conseguir ser deuses, semideuses, livres de fazer o que quiser, dentro de um respeito com outro ser humano.

        A História e as lendas distorcem muito do que fizeram realmente. Elas tiveram como missão trazer Harmonia a Terra. O tempo em que habitaram este planeta deriva de um acordo, um compromisso assumido por elas.

        Como conseqüência do ocorrido em Sodoma e Gomorra, houve o aumento da “densidade” de algumas partes do mundo, devido à má utilização da energia sexual pelos próprios “mensageiros” que vinham a Terra para dificultar, fazendo com que as pessoas não desenvolvessem suas habilidades.

        As amazonas tiveram então a incumbência de reciclar essa energia (neutralizar) e produzir para o mundo uma vibração mais pura estabilizando a Freqüência de Ressonância Schumann no planeta através de suas vibrações sonoras derivadas de suas cordas vocais, com canções e mantras sonoros. A entonação de suas vozes nas canções, fazia vibrar na freqüência da harpa essa sincronicidade. As matriciais manipulavam essa energia com a maior facilidade e para que a mudança acontecesse, era preciso que o ser humano acompanhasse essa vibração, que era feita através da junção da voz e da melodia que sincronizavam com a freqüência das moléculas de água, e tudo que possuía água, como os humanos, as plantas e os animais, todos influenciados por esta vibração, equilibrando todas as suas partículas.

        As moléculas de água possuem o formato tetraédrico, cujo formato gera energia eletrostática, que é a energia da vida. Essas mulheres vieram então para dar um equilíbrio, tanto que conseguiram modificar a vibração não só da água da terra, mas de toda a água do universo.

        Alguns estudos indicam que a freqüência de vibração universal para todas as moléculas em sincronia com o cosmo é o formato tetraédrico, tanto que os cristais que revestem interna e externamente as pirâmides do Egito têm este formato, para sincronizarem com o Cosmo.

        A vinda das Amazonas – em função de uma missão especial – foi mudar a vibração das pessoas, preparando-as para a vinda de Cristo.

        A Bíblia relata que Abraão, independente de Sara, tinha um relacionamento com uma outra mulher e cita o nome dela vagamente (Agar – nome relacionado a Ashtar Sheran), essa mulher deu origem a uma nova nação. Esta nação tinha um número razoável de pessoas, filhos, filhas e descendentes. Dali saiu uma nova geração de Avatares.”

        Todas as mulheres citadas na Bíblia (rainha de Sabá, Esther, Sara) são da linhagem das Sacerdotisas-Amazonas, propagaram a mensagem de Cristo, deixaram sua marca registrada na história, depois se foram, mas não morreram.

        Como elas tiveram relações com os homens-sacerdotes, geraram filhos com eles. Esses filhos tinham uma genética pura, mas já não era diretamente cósmica, era da Terra. Esses filhos se relacionaram com outras, com índias, européias, dentre outras, desvirtuando, perdendo as características físicas e também as habilidades. A freqüência das Amazonas passou de geração a geração.

        Maria Madalena foi uma sacerdotisa que dentre os apóstolos mais se desenvolveu vibratoriamente conseguindo alcançar níveis elevados de vibração. Ela despertou inveja, ciúme até entre os apóstolos. Seus ensinamentos fizeram com que muitos iniciantes chegassem ao grau mais elevado de evolução, até mesmo os apóstolos conseguiram desenvolver parte dos conhecimentos. Maria Madalena também tinha o poder vibratório da entonação de sua voz. Sua linhagem está ligada à sublimação, a transmutação, transformar o corpo em luz, a matéria em luz.

        Maria (mãe de Jesus) também foi uma mulher especial, com uma genética totalmente diferenciada. Ela veio para gerar um filho que também tinha uma genética e condição especial.

        Joana D´Arc foi uma descendentes direta das amazonas , da 3ª geração genética das amazonas, por isso tinha o poder das visões e da manipulação vibracional que interagia até mesmo na matéria, com efeitos físicos. Como era época medieval e ela oferecia perigo aos reis e imperadores, ela foi queimada na fogueira.

        Outras mulheres também tinham a sua genética, como Cleópatra, Medusa, Ísis, Vênus (da mitologia – toda lenda tem um fundo de verdade) são mulheres que fizeram diferença. A última que fez essa diferença foi Joana D’Arc. Estas mulheres possuíam faculdades diversas.

        Algumas mulheres herdaram sua genética pela miscigenação. Hoje em dia as mulheres que herdaram a sua genética, são as caucasianas. Muitas mulheres de hoje viveram na época de Avalon, encarnaram e reencarnaram, eram sacerdotisas, Amazonas, eram deusas e semideusas.

        Existem outras descendentes no Brasil. Temos muitas pessoas com estas habilidades extra-sensoriais. Deixaram uma herança genética ou vibratória, conforme o grau de evolução ou linhagem da pessoa, através de certas habilidades, só que o condicionamento da 3ª dimensão não deixa que essas habilidades sejam afloradas.

        Desde a época da povoação da Terra, a energia criadora, a energia feminina já tinha uma incidência muito forte, e agora na Era de Aquário – da energia feminina – é o momento das mulheres potencializarem em 150 vezes mais o seu campo mental. As mulheres têm 37 canais mentais ativos enquanto os homens têm apenas 18. Elas devem aprender a vibrar esta energia, desenvolvendo a capacidade de potencializar o seu poder de direcionar a sua energia vibracional, ao mesmo tempo em que desenvolve níveis mais iluminados de consciência.

        As técnicas que as sacerdotisas utilizavam para fazer com que os homens fossem Deuses ou semi-Deuses, super-homens em nível de energia foram se perdendo com o tempo.

        As lideranças religiosas e outras eliminaram todos os livros e pergaminhos que continham as “receitas milagrosas”, todas as técnicas poderosas que pudessem tornar o homem um Ser mais superior, garantindo um mundo sem guerras e competição como o que existe hoje.

        Na história do Egito, as sacerdotisas treinavam os sacerdotes, pois são as mulheres que sempre deram a vida, que sempre geraram esse campo de energia e assim detinham o poder de preparar os sacerdotes para manipularem suas energias, motivo pelo qual foram discriminadas.

        Vieram para dar estabilidade, mas muitos detalhes foram excluídos da bíblia, conforme o interesse dos governantes de algumas épocas, justamente para dar uma interpretação duvidosa e não deixar que a população tivesse uma consciência mais ampla.

        As amazonas vieram antes das doze tribos para explorar o planeta e para imantá-lo com a energia do Amor/Harmonia. A serpente representa a supremacia da energia, simboliza a energia da kundalini, devido ao seu tamanho e a sua freqüência. Na bíblia, simbolicamente, foi a serpente que tentou Adão e Eva, por isso foi “amaldiçoada” devido a sua persistência em fazer com que cometessem o pecado. Será que realmente cometeram o pecado? A serpente representa a galáxia de origem das amazonas (energia feminina). A serpente citada na bíblia não é o réptil em si, e sim a energia feminina que veio para despertar e não para significar pecado.

        A serpente é simbolizada como um réptil perigoso, mas de maneira alguma é negativa. A serpente é o símbolo de como as mulheres fariam a diferença aqui na terra, vieram para dar equilíbrio. A bíblia sofreu a retirada de muitas informações conforme os interesses dos poderosos de várias épocas, justamente para dar uma interpretação duvidosa e não deixar que a população tivesse uma consciência mais ampla. A serpente citada na bíblia não é um réptil simbolizando o “pecado cometido por Eva”, mas, o símbolo da Energia Feminina do Despertar. E, a pirâmide de Ku Kul Kan na Península de Yukatan no México projeta nos equinócios e solstícios a sombra de uma serpente. Esta pirâmide foi construída pela décima terceira tribo como também os templos que ainda estão escondidos na floresta amazônica e no Egito, que foram construídos pelos representantes de Sírius e também de Plêiades. A maioria dos Atlantes também venerava simbolicamente a serpente, porque a Constelação de Ophiuchus era um dos seus pontos de origem.

        Algumas civilizações utilizavam a serpente como símbolo (dessa galáxia) da mesma forma que o símbolo de Leão, Peixes, dentre outros. No Egito, o leão representa não só a constelação (galáxia regida por leão) de onde vieram aqueles seres, mas também a Era de Leão – da Estrela Polar. Cada civilização tinha uma simbologia esculpida em pedras ou em outros materiais representando a galáxia de onde vieram e indicando as eras.

        A Era de Leão foi a que mais marcou entre as outras. Foi nesta era, que construíram o templo-pirâmide de KuKulKan, no México. Foi na Era de Leão que vieram para preparar a vinda de Cristo. Cristo surgiu nessa época, com a influência da estrela polar. Foi uma parceria entre as 13 tribos. Os Atlantes também “adoravam” a serpente porque também era um dos seus pontos de origem (pelo menos a maioria).

        No Brasil há um maior índice de descendentes dessas mulheres e desses sacerdotes, por isso que a incidência maior de aparições de UFOS está sobre o Brasil, de espiritualidade, de paranormalidade, porque essa mistura de deuses e semideuses, essa miscigenação favoreceu para que hoje tivessem pessoas com habilidades mais ativas, mais perceptivas. Só que o sistema imposto pelas lideranças religiosas, lideranças mundiais limitam ,fizeram com que as nossas capacidades fossem bloqueadas.

        Muitos, de nós, têm esta freqüência vibratória, a freqüência genética das amazonas e dos sacerdotes. Todas as mulheres de hoje que são descendentes genéticas das Amazonas, que possuem pelo menos um grau da genética delas e todos os homens descendentes genéticos dos sacerdotes, têm a condição de realmente neutralizar e reciclar sua energia potencializando o seu campo.

        As mulheres que tiverem uma fragmentação genética (descendência genética) do DNA das Amazonas poderão ser identificadas mediante comprovação científica através de mapeamento genético (laboratórios de genética no Brasil e fora do Brasil), que elas realmente pertencem a esta linhagem.

        Os filhos das Amazonas com os Sacerdotes tinham uma genética pura, mas como eles foram gerados na Terra, esta genética/descendência já não era diretamente cósmica. E, como os seus descendentes sucessivamente foram procriando entre si, foram perdendo as suas características físicas e as suas habilidades paranormais, ficando apenas algumas habilidades extrasensoriais, que a densidade da terceira dimensão não lhes deixa que normalmente se aflorem.

        Os homens herdaram em termos de habilidade mágica ou magnética, apenas a interação através da entonação da voz, no cardíaco das mulheres e na pituitária dos homens, que mexe com o ser humano através da oratória, da comunicação. Possuem facilidade de conquistar, de fazer com que as pessoas aceitem uma idéia, através de palestras, da comunicação geral, da persuasão, do convencimento, direcionamento, expressões de sentimentos, de fazer com que as pessoas consigam raciocinar unindo emoção. A comunicação, a capacidade de persuasão, de conversar, como se passassem certa emoção na voz, de convencer através da entonação da voz, é algo específico, faz parte da missão destes homens, de propagar, de direcionar, de passar um ideal para o restante do mundo.

        São os homens que falam, que conquistam e conseguem persuadir, porque tem essa magia, só que não sabem que essa habilidade é herdada dessas linhagens. Sabem que conseguem persuadir, sabem falar com facilidade, mas mal sabem que tem essa freqüência ativa, de conquistar pessoas através da comunicação. Podemos perceber que grande parte pastores são homens, porque eles já têm o dom da palavra, a vibração sonora do homem é a única que mexe com o ser humano, assim como na política em sua maioria são homens. É raro ver alguma mulher na política, só agora estamos vendo alguma coisa aqui no Brasil. Na TV, atores, apresentadores e palestrantes, na maioria são homens que de uma maneira consciente ou inconsciente, na entonação de suas vozes, conseguem esta magia.

        São faculdades que interagem na matéria, como Jesus Cristo, Moisés e outros que fizeram fenômenos, “milagres”, que são conseqüência das leis universais e modificações das vibrações dos elementos. Conhecendo os elementos, e interagindo com eles, se conhece tudo e se manipula muita coisa.

        Os sacerdotes, os profetas e os avatares são as pessoas que tinham uma vibração muito próxima à delas e também se destacaram. Podemos verificar também a linhagem genética desses homens para ver quem ainda herdou algo desses povos, dessas civilizações.

        Se o homem não tem nenhuma habilidade, nenhuma herança dessa civilização, não terá nenhuma conquista através da entonação de voz para grupo algum de pessoas, mas se no passado teve essa participação, desenvolveu essas habilidades, com certeza na vida atual terá muito sucesso através da comunicação, falando, através de fita de áudio, de vídeo, de televisão e de palestras. Foi o que aconteceu com as muralhas de Jericó que foram derrubadas através do som das trombetas, foi uma freqüência sonora. Outro exemplo: soldados que durante a guerra foram passar por uma ponte metálica e o compasso da marcha acabou entortando a ponte. Outras alterações de vibrações sonoras que contam a bíblia e outros experimentos da física (estourar copos, cristais, espelho). Tudo isso diz respeito à entonação de voz ou vibração sonora. Muitos são inconscientes, já nasceram com essa tendência.

        As mulheres herdaram 3 habilidades: Magia do olhar, Magia do sorriso, Magia da canção. As que conseguirem desenvolver esses dons ou que já tenham desenvolvido conseguirão sucesso em tudo que elas quiserem (emocional, profissional, financeiro), em todos os setores, exceto na saúde. Essas habilidades são desenvolvidas através da energia da kundalini, da alquimia transmutativa.

        Magia do Olhar : Existe uma técnica, um jeito da pessoa olhar para a outra, que faz com que as mulheres realmente consigam influenciar mentalmente uma outra pessoa, os animais e até mesmo interagir na matéria. Um dos pontos principais é não piscar antes da outra pessoa. Ao desenvolver essa técnica, as mulheres devem direcionar não somente para o sentimental, mas também para as informações, para ajudar as pessoas na ativação da memória, é o momento quando se diz mil palavras apenas através de um olhar.

        A combinação do olhar com o sorriso resultam no sucesso, que garante o complemento da missão nos 2 sentidos: ajudar as pessoas, e revelar as verdades ocultas de uma maneira que venha beneficiar a humanidade.

        Magia do sorriso e da canção: São mulheres que conseguem através de técnicas, polarizar o magnetismo pessoal em relação às outras pessoas encantando multidões. Algumas mulheres têm essa habilidade como missão e tem também uma facilidade de compor, de cantar, de encantar, mesmo que ela não tenha treinado uma entonação de voz, mas existem diversas maneiras de tirar benefício disso, independente de ser cantora ou não. As mulheres que tem a magia da canção, se conseguirem ajustar a sua entonação de voz para interagir na freqüência de vibração da água, sentir-se-ão sincronizadas com o universo, e a mudança será tão radical, que resultará na transmutação. Essas mulheres precisam aprender essa entonação de voz.

        Estas mulheres têm uma ligação com as fontes universais, que juntamente com suas habilidades extra-sensoriais, indicam com certeza algum resquício, mesmo que distante, de uma fragmentação das Amazonas.

        As mulheres se superam milhões de vezes, através da canção, do sorriso e do olhar, valores que precisam ser trabalhados, e algumas já estão manifestando suas habilidades e às vezes nem percebem.

        Para aprender as habilidades das Amazonas, que precisa ser despertada, precisamos reciclar a energia vibracional, energia sexual. Não devemos encarar a energia sexual como uma simples atração carnal, de homem para mulher, mas sim como uma energia sublime, que potencializa e libera todos os canais.

        Os homens precisam ter vibração de sacerdote ou de deuses e semi-deuses para ressonar essas habilidades. Os homens eram apenas de uma linhagem, enquanto as mulheres de três, por isso vamos encontrar maior número de mulheres com tais habilidades, porque a descendência e a miscigenação, após as matriciais terem partido, foi muito maior.

        Hoje temos pessoas atormentadas por obsessores, cheias de vibrações negativas de inveja e ciúme, propagando essa energia para amigos e familiares, transformando a vida num caos.

        A partir do momento que reciclamos esta energia e trabalhamos a nossa vibração, acontece uma sublimação, causada pela elevação vibracional conseguindo até mesmo fazer uma interação com Terra e com outras mentes. São técnicas que provocam uma vibração superior de semi-deuses.

        Nas habilidades de efeitos físicos, entortar, quebrar, movimentar objetos, que uma pessoa faz, aproveita-se a energia sexual que se tinha armazenado naquele momento.

        O fenômeno de entortar ou quebrar duas ou mais moedas chega a um ponto de esgotamento da energia. Somente a renovação da energia sexual será capaz de direcionar outra vez o fenômeno, porque ela é a soma de todas as energias, portanto capaz de produzir a energia taquiônica própria do pensamento (27 vezes mais rápido que a velocidade da luz).

        A pessoa que deseja operar com energia da Kundalini, através da atividade sexual, terá necessidade de uma orientação e freqüência vibratória compatível com a dela. Em outras palavras, tem que haver afinidade química entre elas, sendo inútil buscar o mesmo resultado através de aventuras provocadas apenas por atração sexual.

        Na realidade, trata-se da manipulação da energia vibracional, portanto mais magia do que efeito físico, e neste particular, comparando com os homens, as mulheres têm muito mais capacidade mágica. Os homens que despertarem para este trabalho, são os que tiveram extrema importância em etapas de vidas passadas e que trazem hoje uma grande bagagem de experiência. Mas muitos deles carregam uma impaciência, que só pode ser superada degrau por degrau. Principalmente o homem precisa trabalhar o lado da compreensão, não em relação à humanidade, mas sim a ele mesmo, cuidando da evolução própria, das energias, dos acontecimentos, dos contatos, etc..

        A manipulação da energia vermelha – da energia de Cristo, da kundalini, da criação, é a energia pura da 3a dimensão. É um trabalho da energia vibracional e seguirá somente com as Amazonas. Os homens que fazem parte desse grupo são: os magos (poderes exotéricos), sacerdotes com energia de semideuses.

        Nem todas as mulheres (sacerdotisas) serão fragmentos das amazonas, só que todas poderão fazer o uso de suas técnicas (Cristo passou pela mesma coisa para a reciclagem da energia). Tudo condiz com a nossa realidade de hoje, o que nós sentimos, aquela sensação de angústia, de saudade de alguém ou de alguma coisa que sentimos de vez em quando, está ligada a essas energias, a essas vibrações, a alguns segredos do corpo humano que elas manipulavam, que Cristo manipulava.

 

        As Amazonas sacerdotisas e os mundos paralelos

        A Era de Aquário que já estamos vivenciando é regida pela Energia Feminina e, portanto, é a Polaridade Negativa de Deus (a outra é o Masculino/Positivo) já Se manifestando em todo o Seu esplendor, com o objetivo de ampliar o nível consciencial da humanidade. As Amazonas, notadamente as suas Sacerdotisas, conheciam profundamente a manipulação das Leis Universais para a terceira dimensão, vibrando no Amor Puro com o intuito de moldar a consciência/razão e o corpo/espírito dos homens, deixando-os hábeis em suas faculdades mentais.

        Para realizar a tarefa, estas poderosas alquimistas da kundalini precursoras da vinda de Cristo, tinham total controle e acesso aos Mundos Paralelos, de onde recebiam instruções e apoio, alterando o padrão vibracional do Planeta Terra. Elas possuíam facilidade de acesso às outras dimensões, seja através de portais ou pela própria inter-relação dimensional.

        Por terem o necessário conhecimento cósmico para atuar na matéria, alterando seu padrão de redondo (a forma da terceira dimensão) para o padrão octaédrico ou o da sexta dimensão, as Sacerdotisas Amazonas possuíam padrão e vibração mental acelerada, que as permitia interagir não só com os Elementais, mas, de interagir também com os Guardiões de Portais e com seres de outras dimensões, que poderiam ter semelhança ou não com elas.

        Entre estes Seres estão os Ultradimensionais de quinta dimensão, porém que interagem em todas as demais dimensões, alterando apenas seu formato, dependendo onde estão atuando. Na quarta dimensão possuem a forma oval, na quinta dimensão têm a forma discóide e na sexta dimensão apesar da forma compatível para ela ser octaédrica eles se apresentam na forma de trapézio. Eles são seres de elevada consciência, que voltaram a se manifestar fisicamente na Terra há cerca de sete a dez anos.

        E, neste novo cenário que já descortina, receberemos também a ajuda dos dimensionais de polaridade negativa (mulheres) que conseguirem desenvolver os seus dons de sacerdotisas em sintonia com a Freqüência das Amazonas. Elas terão um papel fundamental neste novo contexto, porque aprendendo a decodificar/despertar as suas habilidades paranormais de sacerdotisas, que estão nelas latentes, mudarão no Planeta “Vivo” Terra a vibração molecular da água, estabilizando a Freqüência da Ressonância Schumann e, portanto, modificarão também os seres humanos, que possuem em seus corpos físicos, aproximadamente setenta por cento de água.

        A mudança vibratória que será feita por estas sacerdotisas sintonizadas com a Freqüência das Amazonas, ativará/potencializará em nossos corpos físicos o GNA Divino, para que aumentando o nosso nível de consciência, nos percebamos como Unidade e possamos cortar as amarras energéticas do dualismo, que alimentando o “ego” através de nossas emoções, nos prende à terceira dimensão.

 

        A entonação da voz das Amazonas

        Conseguiam encantar, atrair multidões. A junção da voz e da melodia; ressonavam vibrações celestiais. Através da música, da melodia ou da variação da freqüência de voz (da entonação), conseguiam até hipnotizar as pessoas tanto homens como mulheres e animais. Conseguiam mexer com o campo eletromagnético de tal maneira que refletia na consciência e razão das pessoas, fazendo vibrar as células de uma maneira diferente.

        Elas sublimavam tudo! Tudo delas era muito além da nossa realidade porque elas tinham uma cabeça totalmente direcionada, a humanidade deveria ser assim… tudo era de uma maneira sublime.

        A criação das sereias foi baseada nas vibrações sonoras emitidas pela entonação das vozes das Amazonas. As sereias realmente existiram, foi uma criação dos Atlantes que não deu certo, pois o som emitido por elas causava a morte de quem ouvisse, inclusive delas próprias.

        Esses controles vibracionais são semelhantes com aquilo que Jesus Cristo ensinou.

 

        Os Sons Harmônicos no cotidiano das Sacerdotisas contemporâneas

        A ondas sonoras têm um valor que via de regra não percebemos, ou não estamos de alguma forma atentos à essa questão, não importa se na forma de fala, canto, música ou dos vários sons que compõem o nosso cotidiano. Isso quer dizer que tudo o que falamos, o que cantamos ou os sons e a música que ouvimos, têm em si, uma dimensão energética.

        Essa energia pode ser bem ou mal qualificada. Palavras são os sons dos pensamentos, todas elas têm sua identidade, sua própria egrégora.

        Experimentemos ver em nós os diferentes sentimentos que nos causam as palavras: Dor. Corrupção. Injustiça. Ou então, Alegria, compaixão, Amor.

        São sentimentos diferentes, têm qualidades diversas, nos impactam de variadas formas. A egrégora de cada uma se manifesta quando as pensamos e mais ainda quando as falamos.

        Da mesma forma, a música e os vários sons aos quais nos submetemos diariamente produzem efeitos diversos. O que dizer de ouvirmos uma música cujos sons são produzidos por instrumentos ou vozes com timbres que não ferem nossos ouvidos, ao contrário, os acaricia com seu “calor”, “brilho” ou “textura sedosa”? Ou então, experimentarmos a estridência, ou a excessiva intensidade dos sons que estão presentes em muitas das músicas ou dos sons que ouvimos durante o dia? São experiências diferentes e qualificadas pelas diferentes egrégoras que mobilizam.

        Experimentemos agora nos imaginar num show de Heavy Metal ou de Funk, ou ainda, presos num congestionamento de trânsito e mergulhados nos sons de buzinas, e depois, num concerto de música clássica, ou mesmo na natureza, ao lado de um riacho ouvindo o som da água e dos pássaros.

        Geralmente não nos damos conta disso, mas sem dúvidas sentimos seus efeitos – excitação exacerbada, cansaço, irritação, nos primeiros; prazer, elevação e sentimento de inclusão e pertencimento ao Todo nos segundos.

        Já dissemos, o som, muito mais do que pensamos ou sabemos, pode nos afetar, (des)organizando ou mesmo adoecendo ou sanando.

        O nosso planeta é chamado “Azul” porque “lá de cima” dá para se ver toda a água que existe “aqui embaixo”. Se nos dermos conta de que também somos formados de 75% de água, poderemos aquilatar a importância da experiência do Dr Emoto.

        Segundo Wayne Dyer, “Nós não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual. Nós somos seres espirituais vivendo uma experiência humana”.

        Se o nosso corpo físico é praticamente constituído de água – o veículo da emoção – isso nos leva a pensar que se o mantivermos limpo, com a mente e as emoções equilibradas, ou seja, o mais próximo do que era em sua origem, poderemos vivenciar essa experiência espiritual/humana de uma forma muito mais proveitosa.

        Se o som pode determinar a qualidade das moléculas da água, pode também ser uma ferramenta valiosa para nos levar ao reencontro da nossa harmonia de origem, se assim os desejarmos. Tal como a molécula da foto acima, podemos retornar à nossa nascente límpida e divina.

        Se agirmos com amor, verdade, retidão, paz e benevolência, conseguiremos reestruturar nossas vidas, dando-lhes felicidade, saúde e beleza interior!

 

        Conquistando a Freqüência da Neutralidade

        A consciência da Unidade está na base da missão das Amazonas, que vieram ao Planeta pra trazer harmonia para a Humanidade. Utilizando diferentes recursos, como a magia do sorriso e do olhar e a vibração sonora de sua voz, preparavam os indivíduos para receberem a Energia Crística (chegada do Cristo). Assim, apesar de serem aptas a enfrentar qualquer guerra em função de seus poderes, elas vieram em missão de paz.

        Ao longo da história da humanidade a energia das Amazonas se expressou através de inúmeras mulheres, que se destacaram pela liderança, pioneirismo, poder de realização e pureza de propósitos. Para conquistar esta pureza elas eliminavam todos os bloqueios emocionais, de forma que o contato com qualquer tipo de emoção não poderia tirá-las do equilíbrio.

        Graças aos seus dons paranormais e sua capacidade de manipular as leis universais as Amazonas geravam a freqüência da Neutralidade, conseguindo com isto harmonizar seu próprio campo energético e equilibrar a freqüência vibratória de outras pessoas. Também com sua capacidade mental/vibracional as Amazonas/sacerdotisas preparavam energeticamente os Sacerdotes.

        Os indivíduos/dimensionais que sejam fragmentos das Amazonas (polaridade negativa/mulheres) e dos Sacerdotes (polaridade positiva/homens) precisam desenvolver a freqüência da Neutralidade, pois alcançando essa condição poderão realizar o que se classifica como milagres. Milagre é, simplesmente, a correta manipulação das leis universais utilizando a freqüência da Neutralidade.

        Estar na freqüência da Neutralidade é não se identificar com nada, é abandonar as exigências do Ego que necessita ser alguma coisa. O Ego precisa ser algo que possa ser comparado: muito ou pouco, acima ou abaixo, positivo ou negativo, forte ou fraco, bom ou mau, etc. As exigências do Ego são próprias da terceira dimensão. São decorrentes da dualidade, porém a Neutralidade elimina a dualidade. Assim é necessário não se identificar com nada. Para isto é importante a aceleração mental, que permite o “afastamento” parcial da terceira dimensão. É estar na terceira dimensão, ter consciência da mesma, mas expandir a mente de forma a acessar também outras dimensões superiores.

        O estado de Neutralidade é um estado sem influências das emoções, pois emoção implica em se identificar com algo ou alguém e Neutralidade exclui toda e qualquer identificação. Sem identificação não há referências morais, estéticas, culturais, etc. Não há julgamento, há uma aceitação total a toda percepção do outro. Se você não se identifica você também não identifica o outro com nenhum padrão pré-aprendido.

        Na freqüência da Neutralidade, com a consciência expandida, o dimensional fragmento de Amazona ou Sacerdote pode acessar outras dimensões e outros campos conscienciais, e assim harmonizar um grande número de pessoas ao mesmo tempo.

        Devemos nos preparar para expressar a freqüência da Neutralidade e dessa forma acessar o Uno, a experiência da essência divina da Unicidade – Deus.

        Para o treinamento da nova freqüência é preciso o exercício permanente de alguns aspectos:

        Equilíbrio Emocional – Manter-se na faixa de tolerância do equilíbrio emocional;

        Aceleração Mental – Estar alerta todas as horas do dia e cuidar para que sua freqüência cerebral não baixe;

        Trabalho com o ego – Não se identificar, sair da individualidade e entrar na Unicidade.

        Expansão da Consciência – Expandir a mente para aumentar a capacidade de percepção em todos os aspectos, sejam internos ou externos.

 

        Equilíbrio Emocional

        O fator mais importante para o equilíbrio emocional está na coerência entre o pensar, falar, sentir e agir. Esta coerência evita muitos sobressaltos que acontecem quando a pessoa não age de acordo com o que pensa, ou com o que sente ou fala. Da mesma forma gera sérios problemas emocionais a pessoa se obrigar a falar em desacordo com o que pensa ou sente. O exercício desta coerência vai se refletir em harmonia em todas as áreas da vida do indivíduo/dimensional.

        Outro aspecto interessante do equilíbrio emocional é o distanciamento. Com o distanciamento é possível desenvolver a tranqüilidade necessária para avaliação da situação presente e escolha da melhor opção para a ação. Sem este distanciamento a pessoa sai da faixa de tolerância, sentindo revolta, medo, desespero ou depressão.

 

        Aceleração Mental

        A aceleração mental é conquistada com a realização das ativações e exercícios energéticos entre esses exercícios, os mais importantes são os que ajudam a direcionar/potencializar a energia vibracional ativa/kundalini para o chakra frontal.

        Também é fundamental o estado de alerta, com constante atenção ao que acontece, tanto em torno da pessoa como interiormente. Isto implica na vigilância permanente dos pensamentos, das palavras e das ações. É bom enfatizar que esta vigilância precisa se estender também ao que é visto e ouvido, pois precisamos ser seletivos em relação ao que lemos e assistimos.

 

        Trabalho com o Ego

        O exercício permanente dos aspectos anteriores é básico para o trabalho com o Ego, porém os trabalhos mais eficientes são aqueles que realizamos nos nossos relacionamentos interpessoais. Nessas situações é que o Ego se torna mais exigente, preocupado com imagem, forma, competição, comparação, traição, apegos, ciúme, inveja, etc.

        Esse trabalho leva-nos ao cuidado com o Eu Sou – eu sou isso, eu sou aquilo. Sempre que completamos esta expressão estamos nos identificando: eu sou bom, eu sou dimensional, eu sou Psicólogo, eu sou Moisés, eu sou um Gladiador, eu sou carente, eu sou ótimo, eu sou péssimo, etc. Melhor seria a pergunta/reflexão: Quem Sou Eu? Eu sou o que penso? O que sinto? O que falo? O que faço? Ou eu sou algo além de tudo isto, que ainda não se define?

        A conquista na Neutralidade é acelerada com o aumento da consciência do quanto somos comandados pelo Ego, pois na medida em que tomamos consciência podemos reduzir ou eliminar esta influência.

        Quando necessário, deveremos procurar ajuda profissional, de forma que este aspecto não prejudique sua evolução.

 

        Expansão da consciência

        Quando a consciência se expande, o indivíduo pode acessar outras dimensões de si mesmo, pois consegue perceber além dos limites de tempo e espaço com que geralmente convivemos. Quando atinge a Neutralidade é possível mergulhar no inconsciente coletivo e mesmo no planetário, obtendo informações que ajudam no crescimento individual e coletivo.

        Para expandir a consciência é preciso antes de tudo conhecer-se bem; só o autoconhecimento resguarda o indivíduo de confundir seus próprios conteúdos com os da coletividade.

        A partir dos ensinamentos, exercícios e exemplos apresentados pelos Dimensionais mais experientes, podemos nos inspirar para acionar esta freqüência e outros dons que herdamos das Amazonas e Sacerdotes. Esses dons estão guardados em nosso código genético e neste processo de evolução pessoal que atravessamos cada um deles vai sendo despertado na hora e no momento certo

        em que nos mostramos prontos para utiliza-los.

 

        O Despertar do Sacerdote

        Antes de mais nada, devemos compreender que “Sacerdotes” eram os indivíduos que ao lado das Sacerdotisas Amazonas tiveram, além de outras, a missão de preparar a vinda de Jesus Cristo para nosso planeta. Para tanto, desenvolveram plenamente suas capacidades extrasensoriais.

        Analisando o parágrafo anterior, podemos dispor algumas perguntas bem interessantes, que quando respondidas, mudarão o curso da nossa história, e o melhor, das nossas vidas… Vejamos:

        1. O que são capacidades extrasensoriais?
2. Como estas capacidades foram e são desenvolvidas?
3. Quem é realmente Jesus Cristo?
4. Somos capazes de possuir tais habilidades extrasensoriais?
5. A história da humanidade realmente é esta que conhecemos?

        Não iremos nos ater especificamente a cada uma das questões, contudo, será possível encontrar o caminho para responder uma a uma.

        Por “despertar”, devemos compreender que é o momento em que alguém acorda para algo. Apesar de sua definição ser singela, seu significado pode estar cercado de mistérios.

        Tratando do “Despertar do Sacerdote”, devemos compreender que se trata da caminhada evolutiva do mesmo onde, dia após dia, o “Sacerdote Adormecido” retoma sua verdadeira personalidade, estado vibracional e consciencial.

        Neste momento, torna-se oportuno questionar o leitor: Você sabe quem você é? Você sabe o que você é? Qual seu verdadeiro papel neste planeta? Você conhece todas as potencialidades do seu corpo?

        Os seres humanos vivem em sociedade. Nela trabalham, estudam, geram uma família, uma história. Mas será que conseguem ter espaço nesta sociedade para desenvolver o seu verdadeiro “Eu Interior”, a sua Essência? A resposta é óbvia. É claro que NÃO!

        Neste mundo globalizado, estamos mais preocupados em abastecer nossos armários com alimentos, pagar as contas de telefone, luz, água, colégio, seguro do carro, etc, etc. Isto sem falar na preocupação de manter a saúde e o equilíbrio emocional. Acabamos ficando literalmente “viciados pelo sistema”. Trabalhamos como formigas em um grande formigueiro.

        No entanto, ainda há uma esperança. Mesmo vivendo em um sistema caótico, o ser humano percorre inúmeras linhas de pensamento em busca da “verdade absoluta”, ou seja, aquela que realmente o direcionará para o Criador. Aquele caminho que possui as pedras firmes e seguras. No entanto, independente da filosofia a seguir, não podemos esquecer de princípios básicos aqui dispostos.

        Tudo e todos que existem de visível ou oculto funcionam porque fazem parte de um “Todo”. Tudo faz parte da criação de uma mente onipresente, onisciente e onipotente.

        Segundo Hermes Trismegistrus, este é sem dúvida o mais importante de todos os princípios, já que nele estão contidos todos os outros. O “Todo” é Incognoscível e Indefinível em si mesmo, mas pode ser considerado como uma Mente Vivente Infinita Universal.

        Como conclusão, sendo o Universo Mental, e nós existindo na mente do “Todo”, como tais, somos seres mentais e criamos com a nossa mente, à imagem e semelhança do “Todo”. Talvez isto explique um pouco a nossa criação conforme a imagem e semelhança de Deus.

        Tudo no Universo está conectado e em constante evolução. O “Sacerdote Adormecido” deve compreender o quão fantástico é pertencer a este “Cenário Cósmico” criado por Deus, no qual todos têm a oportunidade de evoluírem, voltando a Ele muito mais perfeitos do que quando partiram Dele.

        A evolução é gradativa e possui infinitas fases. O despertar não é imediato, mas sim permanente e constante, como o desabrochar de uma rosa. Cabe ao “Sacerdote Adormecido” a responsabilidade de nutrir este processo. Apesar do ser humano estar “hipnotizado ou viciado pelo sistema”, ainda pode acessar a Consciência Una através de si mesmo, ou seja, através da “Intuição”.

        Com o desenvolvimento da intuição, o “Sacerdote Adormecido” estará acessando uma via ilimitada de informações. Trata-se de uma conexão que poderá ser estabelecida com a Mente Superior. Não precisará pagar para isso, talvez nem sair de casa, mas apenas escutar seu “Eu Interior”. O exercício da intuição é o primeiro passo para iniciar o processo de despertar do Sacerdote.

        Contudo, assim como um aluno precisa aprender diversas disciplinas no colégio, o “Sacerdote Adormecido” precisa estar ciente de que a intuição por si só não o levará a subir muitos degraus na escada evolutiva.

        Nutrindo dia após dia a intuição, o “Sacerdote Adormecido” observará que necessitará manipular também as suas emoções, ou seja, terá que exercer o autocontrole emocional. Este autocontrole somente será exercido plenamente, quando o “Sacerdote Adormecido” conhecer cada uma das emoções e conseguir manipulá-las com sua mente.

        Exercendo o autocontrole, o “Sacerdote Adormecido” poderá presenciar conscientemente os reflexos de cada emoção, seja no próprio corpo físico, seja no meio em que vive. Enquanto estiver neste plano terá, através da manipulação consciente das emoções, uma fonte inesgotável de energia vibracional. Munido desta energia, poderá experenciar outras realidades, como a atuação na matéria.

        Como conseqüência deste autocontrole, do constante uso da intuição e da manipulação de energia vibracional, o “Sacerdote Adormecido” perceberá as inúmeras informações que receberá no seu dia a dia. Sua vida passará a ter outro sentido. Perceberá que com estas simples atitudes, passará a controlar o seu destino, seu presente e futuro. Terá consciência da lei da ação e reação, causa e efeito.

        Toda a causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa. Tudo acontece de acordo com a lei. O acaso é simplesmente um nome dado a uma lei não reconhecida. Há muitos planos de causalidade, porém nada escapa à lei.

        Nada no mundo acontece por acaso, tudo tem sua causa, e essa causa é o efeito de outra causa, e assim por diante, é uma cadeia circular infinita de causas e conseqüências. Caso existisse o acaso, ele destruiria o Universo. Nada acontece sem uma razão, mesmo se nós a desconhecemos, pois tudo é dominado pela Lei.

        As massas, o povo, são levados para frente, seguindo os desejos e vontades dos outros, do coletivo onde as causas exteriores se tornam mais importantes do que a vontade própria. O verdadeiro “Sacerdote Adormecido” deve elevar-se acima da massa, exercitando a sua vontade.

        Há milhares de anos atrás os Sacerdotes prepararam a vinda de Jesus Cristo. Sendo assim, poderíamos questionar que o atual “Despertar do Sacerdote” possui relação direta com o retorno de Jesus Cristo?

        Com a resposta desta pergunta, poderemos trazer à tona as grandes verdades absolutas, que acabaram se tornando um dos mais fantásticos mistérios da humanidade.

        Nada está parado, tudo se move tudo vibra. Nada nesse mundo está em repouso, tudo tem a sua infinita vibração. Embora algumas coisas pareçam estar em repouso, na verdade estão dentro de um Universo que não para de vibrar. A característica de um corresponde de certa forma, à característica de outro, e vice-versa.

        Da mesma forma que Jesus Cristo esteve há milhares de anos atrás nos passando inúmeros conhecimentos evolutivos, estará novamente neste plano. Contudo, não será como antes.

        Quanto mais elevada for a vibração, tanto mais elevada será a posição na escada evolutiva. Nas extremidades inferiores da escada estão as vibrações mais grosseiras da matéria, que parecem estar paradas. Ao subirmos alguns degraus da escada evolutiva, nos campos de vibração mais sutis, entramos em sintonia com “O Todo”, com a Mente Superior, recebendo assim os benefícios emanados.

        Da mesma forma como o “Sacerdote Adormecido” busca evoluir dia a dia para tornar-se o verdadeiro Sacerdote, o Universo e a Terra também evoluem no mesmo compasso. No que tange ao Planeta Terra, para que a graduação ocorra, é necessário que a mesma passe pelo Cinturão de Fótons.

        O Cinturão de Fótons nada mais é que um processo cíclico que permitirá a ascensão do Planeta Terra em termos dimensionais. Se o planeta vai ascender, o que estiver nele deverá ascender também, assim como o “Sacerdote”. É um processo lógico, mas não tão simples. Para que os habitantes evoluam nesse processo, faz-se necessário que haja uma evolução de consciência para que essa entrada na luz seja repleta de plenitude.

        O Cinturão de Fótons é um dos veículos de transformação. O Cinturão de Fótons é o lar de Cristo. Fótons quer dizer luzes. O Cinturão de Fótons é composto de micro partículas de luzes e atua como se fosse uma hélice. É também conhecido como Nuvem de Fótons, são nuvens de micro partículas de cargas positivas.

        Do ponto de vista científico, é o movimento do Sistema Solar ao redor do Sol Central (Alcyone). Ele vem da constelação de Plêiades (mesma constelação que vieram os Sacerdotes). Esse movimento cíclico, em sentido anti-horário ao redor de Alcyone, dura 25.860 anos para completar sua órbita. Durante esse tempo, nosso Sistema passa duas vezes pelo Cinturão de Fótons – uma vez para o norte e outra para o sul. A cada 12.560 anos uma parte dessa hélice passa em nosso Sistema e em outros também.

        Presidindo tudo isso, está o Cristo e suas energias Crísticas. Se estivermos em harmonia com essas energias, à medida que o Cinturão de Fótons se aproxima, poderemos escapar de suas influências e da negatividade do Planeta.

        O Planeta Terra faz parte de um grande Jardim Cósmico. Sem sombra de dúvidas não estamos sós, e a história que conhecemos está repleta de desencontros…

        Aquele que sente no seu âmago proximidade com este assunto, provavelmente está atravessando o processo de despertar do Sacerdote.

        Como mencionado anteriormente, a evolução é gradativa, o despertar não é imediato, deve ser nutrido pelo “Sacerdote Adormecido”. Tudo no Universo está interligado. Não somos formigas que trabalham sem pensar. Pelo contrário! Fomos feitos a imagem e semelhança do Criador, logo, também somos co-criadores.

        Não fique parado esperando o mundo dar mais uma volta! Aproveite cada momento, cada emoção, cada intuição, para direcionar a sua caminhada rumo ao despertar pleno. Semeie seu futuro e o futuro da humanidade a partir de agora! Desperte o Sacerdote que está adormecido! Interaja com este Cenário Cósmico


VI – OS CICLOS DO SISTEMA SOLAR

        O Pulsar da Galáxia

        O universo é um imenso organismo vivo, orgânico (assim como a Terra – fato este que só há pouco tempo foi introduzido na nossa cultura), e como tal todos os organismos vivos emitem uma pulsação constante (como o pulsar de um coração).

        A cada período de 5.125 anos, um pulsar é emitido do Centro da Galáxia, fazendo com que o núcleo de todos os sóis reaja e emita reações energéticas sem precedentes. Ele causa transformações colossais em todos os planetas, sóis e seres vivos do universo, reordenando todas as suas energias, aumentando periodicamente seu nível de vibração, harmonizando todos e tudo o que existir nas diversas dimensões, conduzindo a uma maior evolução.

        Este pulso vai do Centro do Universo para o Centro da Galáxia, passa por Alcione, e segue dali para todos os sistemas que o circundam, inclusive o nosso, cujos planetas passam a refletir para a Terra essa energia, que por sua vez é emitida para todos os seres vivos. Alcione e nosso Sistema Solar se sincronizam periodicamente com o organismo universal, recebendo esta descarga de luz do centro da galáxia. Este raio de luz é denominado de Raio Sincronizador.

        Num giro completo, nosso Sistema Solar passa por cinco ciclos de 5.125 anos. No final deste tempo, a estrutura formada desaparece dando oportunidade para um novo desenvolvimento, para uma nova organização, permitindo novas maneiras de compreender o universo. O início de cada grande ciclo é denominado de uma Nova Era, ou Era Dourada, onde uma nova civilização emerge na luz sem guerras nem doenças e nem fome.

        O 1° ciclo – Manhã Galáctica – o Sistema Solar acaba de entrar na luz, é o início de uma nova civilização. A profunda noite volta a dar lugar a um novo amanhecer (Era Dourada).

        O 2° ciclo – Meio dia Galáctico – é onde a influência do Centro da Galáxia é muito forte. É o período em que o Sistema Solar recebe maior luminosidade (desenvolvimento da nova civilização).

        O 3° ciclo – Tarde Galáctica – é onde se começa a sentir uma diminuição da luminosidade, o Sistema Solar começa a se afastar do Centro da Galáxia.

        O 4° ciclo – Entardecer Galáctico – é onde se está mais distante do Centro da Galáxia.

        O 5° ciclo – Noite Galáctica – é o final de uma civilização, ciclo que estará se encerrando em 2012.

        São ciclos regulados pela Lei da Harmonia para sincronizar os períodos de atividade e repouso; de dia e noite.

        Desde o início da formação do universo, estes fenômenos ocorrem. Nesse processo são provocadas várias mudanças na estrutura geológica e comportamental de todos os mundos.

        Em dezembro de 1997, a NASA detectou que, do Centro da Galáxia, estavam sendo emitidas imensas quantidades de energia para todo o universo. A partir daí, o campo eletromagnético da Terra se moveu e diminuiu a sua potência. O satélite Beeper foi destruído em conseqüência das explosões energéticas. Acreditam os estudiosos que a explosão foi tão intensa que seria necessária toda matéria visível no universo para liberar tanta energia. A partir de então, ocorreram mais de duas mil explosões desse tipo.

        Em dezembro de 2004, foi detectado outro flash de luz muito brilhante. Segundo cientistas, é uma fonte desconhecida cujo pulsar de luz equivale a 30.000 km/segundo, possui a maior velocidade de rotação sobre si mesma e cuja energia gira, aproximadamente, 600 vezes por segundo.

        De acordo com pesquisas realizadas, por Kevin Huley, da Universidade da Califórnia, a energia produzida pelo gigantesco raio em dois centésimos de segundo teria sido superior à energia que o Sol produziu em 250 mil anos!

        O Cinturão de Fótons acarreta um bombardeamento de raios gama no átomo, alterando elétrons e prótons, transformando-os em um só, que a Ciência chama de prósiton. Esse bombardeamento altera toda a estrutura atômica de todos os seres vivos.

        Como nossas células têm elétrons e nêutrons (carga negativa e positiva) a carga negativa sofre um choque com a carga fortemente positiva do Cinturão de Fótons, que atua diretamente no metabolismo de qualquer ser vivo.

        Nosso Sistema Solar desde 1999 entrou na influência destes fótons novamente.

        Como conseqüência, houve um aumento significativo em casos de ataques cardíacos fulminantes, doenças do coração em geral, hemorragias, tumores cancerosos que se desenvolvem rapidamente e matam em questão de meses, morte súbita de causa desconhecida e outros casos de igual gravidade.

        Se prestarmos atenção e conversarmos com pessoas ligadas à área médica, constataremos que, desde que essa energia começou a interagir no Planeta, casos de mortes repentinas, de câncer e de doenças do coração aumentaram consideravelmente.

        O físico alemão W. O. Schumann constatou em 1952 que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que existe entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100 km acima, relacionada com a atividade elétrica da atmosfera; não derivadas do nosso planeta, influenciadas por ondas eletromagnéticas que existem no espaço. Esse campo possui uma ressonância que funciona como uma espécie de marca-passo (freqüência de base da Terra), responsável pelo equilíbrio da biosfera, condição comum de todas as formas de vida, chamada de Ressonância Schumann.

        Dentro da Biologia, estudos revelaram que o cérebro, o coração e as células utilizam sinais eletromagnéticos: íons carregados ou não que, se influenciados por campos magnéticos, podem causar transtornos ao cérebro e prejudicar a saúde.

        Empiricamente fez-se a constatação de que não podemos ser saudáveis fora desta freqüência biológica natural.

        Segundo pesquisas, esta radiação eletromagnética interage com o nosso cérebro coordenando os pulsos elétricos, que nivelam a quantidade de serotonina e melatonina (substâncias reguladoras do ciclo diurno e noturno dos seres) do nosso organismo.

        A Ressonância Schumann está sintonizada com os estados Alfa e Teta do cérebro humano que, por sua vez, possui uma estrutura de neurônios com capacidade inimaginável, ainda desconhecida pela ciência. Suas conexões com as ondas eletromagnéticas físicas (da Terra) interagem com todo o universo extra-físico.

        Sempre que os astronautas, em razão das viagens espaciais, ficavam fora da Ressonância Schumann, adoeciam.

        Mas, submetidos à ação de um “Simulador Schumann” recuperavam o equilíbrio e a saúde.

        O pulsar da galáxia ou a freqüência de Ressonância Schumann, é a respiração da Terra. Pulsa a cada instante emanando uma freqüência de vibração que interage nas moléculas de água de todos os seres vivos. Quando se está em sincronia com o Centro da Galáxia, faz com que as moléculas de água assumam o formato tetraédrico (potencialização dos prótons e elétrons).

        Esse formato provoca uma harmonização completa conforme a vibração do planeta. Isso só ocorre quando os seres vivos estão com o seu biorritmo, consciência e principalmente o sono conectados às 13 estações lunares. As 13 luas de 28 dias nos conectam com a energia espiral do centro da galáxia, que nos permite um relacionamento harmonioso com todos os seres vivos.

        As Freqüências do Tempo

        Poucas pessoas até hoje se perguntaram para que serve o calendário que utilizamos em nosso dia-a-dia: a sua origem, o modo como foi feito, e no que ele pode afetar nossas vidas.

        O calendário é um sistema de contagem do tempo, e sua verdadeira natureza é um sistema mental que ordena nosso tempo e nossa realidade. A relação entre o calendário e a astronomia é direta. Os primeiros povos tinham dois sistemas básicos para contagem de longos períodos de tempo que eram baseados nos movimentos do Sol e da Lua. Por algum tempo utilizou-se exclusivamente o calendário lunar.

        A origem do nosso calendário atual data de mais de 5.000 anos. Foram os egípcios, os babilônios e os sumérios que conceberam o calendário de 12 meses do qual o calendário gregoriano é a última versão.

        Os sumérios dividiram o céu em 12 quadrantes de 30º cada. Cada quadrante simbolizando uma Era; a esta divisão de 360º acrescentaram 5 e com isso obtiveram o equivalente aos 365 dias, que é a duração de um ano solar em nosso planeta, agregando o tempo celeste com o tempo terrestre, originando os 12 meses do ano.

        Em 1582 o Papa Gregório XIII efetuou a última reforma no calendário, quando já havia um atraso de 10 dias da data do equinócio. Dividiram o total em períodos com 28, 29, 30 e 31 dias e assim foi feito o calendário que utilizamos até hoje, de 12 meses irregulares.

        O uso prolongado deste tipo de contagem de tempo desconectou a população da sincronicidade das estações lunares. Isto gerou em nossa mente uma percepção desordenada e fragmentada da realidade. De significado incerto, este calendário não contém a sincronicidade com o universo.

        Esta nova freqüência causou uma diminuição de memória (cósmica) e debilitou a percepção sensorial. Fora da freqüência, logicamente não estamos sincronizando com o Centro da Galáxia, nos tirando 100% desta sincronicidade.

        Aceleração Planetária

        Por milhares de anos as “batidas do coração da Terra” tinham uma mesma freqüência de pulsação e a vida se desenrolava em relativo equilíbrio ecológico.

        Ocorreu que, a partir dos anos 80 e de forma mais acentuada a partir dos anos 90; começou uma aceleração; a freqüência que era de 7,83 hoje está em 13 hertz por segundo.

        Infelizmente não acompanhamos essa aceleração, pois saímos da freqüência do 13 para 12 pulsares, não acompanhamos a aceleração da freqüência de Ressonância Schumann.

        Hoje o coração da Terra disparou e desequilíbrios ecológicos já se fazem sentir (perturbações climáticas, maior atividade dos vulcões, crescimento de tensões, conflitos no mundo e aumento geral de desvios de comportamento nas pessoas, entre outros).

        Essas transformações começaram a ser sentidas mais fortemente desde 1992 (20 anos antes da sincronização), período denominado de Transição Planetária ou O Tempo do Não Tempo, que marca o final de um ciclo e o início de outro, onde ocorrem mudanças muito rápidas que levam a uma nova etapa de evolução.

        Em 11 de agosto de 1999 (7 anos depois), os planetas do sistema solar se alinharam e refletiram sua energia para a Terra acelerando ainda mais o processo de transformações.

        Desde 1999 começamos a sair deste último dos 5 ciclos. A noite solar está terminando, estamos saindo da escuridão e entrando em um novo “Dia Galáctico”.

        O período dos 13 últimos anos; é chamado de o “Salão dos Espelhos”, onde cada um de nós poderá se ver como se comporta sozinho, diante dos outros, diante da natureza e com o planeta em que vive – época em que cada um é o seu próprio juiz.

        Mudanças Solares

        Esta sincronização provoca mudança nas atividades do Sol, afetando diretamente a Terra.

        Constantemente, cometas e asteróides se chocavam com o Sol, que permanecia inerte. Dos últimos anos para cá, porém, a sua reação está sendo espantosa. Houve um aumento das atividades do Sol, isto implica em modificações das manchas solares e de mais ventos solares. O número, tamanho e localização destas manchas constantemente se modificam, promovendo efeitos no Campo Magnético da Terra. Cálculos atuais demonstram que o ciclo das manchas solares é de 68.302 dias e que após 20 destes ciclos; o campo magnético da lâmina solar se inclina. A Terra tenta alinhar seu eixo magnético com o do Sol e também se inclina o que pode causar catástrofes de dimensões gigantescas no nosso planeta (movimento de precessão da Terra).

        Com o objetivo de medir o campo energético do Sol, foi lançada a nave espacial Ulisses, em 1994. Os cientistas já confirmam que o campo magnético do Sol se inverteu e se fundiu, compondo um único núcleo. O campo magnético terrestre também se inverterá tão logo a freqüência de RS atingir o “ponto zero”.

        Em janeiro de 1997, uma extraordinária tormenta eletromagnética ocasionou uma enorme radiação solar que destruiu o satélite TA-STAR 401. Nos meses de setembro, outubro e novembro de 1996 foi registrada uma anomalia muito maior e mais longa, deslocando o pólo sul magnético, movendo-o a 17° em apenas um dia. Depois ele voltou à sua localização quase original. Isso obrigou todos os aeroportos do mundo a reformularem os mapas aeronáuticos.

        A incidência de radiação sobre a Terra está sendo imensa. O PUI (unidade de medida) do fluxo dos prótons solares, que era de 2.500 até o ano de 1980, se elevou para 42.000. Vários satélites evaporaram; muitos se tornaram inoperantes.

        Detectou-se também recentemente uma “nuvem de poeira interestrelar” entrando em nosso sistema solar, vindo do centro da galáxia.

        O fato de as defesas planetárias diminuírem, como a rarefação da camada de ozônio e a menor intensidade do campo magnético terrestre, nos deixa mais vulneráveis às rajadas dos ventos solares e cósmicos.

        A ciência já está de posse de resultados de estudos efetuados sobre esses acontecimentos e sabe suas conseqüências para a espécie humana.

        Mudanças no Planeta

        Enquanto a taxa de “pulsação” está crescendo, seu campo de força geomagnético está declinando (de 4 gauss para 0.34 gauss – unidade de medida de força por cm² na superfície).

        A Terra é um giroscópio com três movimentos de rotação: o “spin” (rodopio, movimento diurno), a precessão e a nutação. O “spin” tem eixo de rotação Sul-Norte.

        Em relação à esfera celeste o eixo Sul-Norte move-se lentamente levando consigo o plano do equador, que lhe é normal.

        A intersecção AA’ do plano do equador (em precessão) com o plano da eclíptica (fixo); gira lentamente em torno do eixo da eclíptica (Pólos Austral e Boreal).

        A nutação é um floreio da precessão; presentemente não interessa.

        O Movimento de Precessão da Terra é o que mais nos interessa no momento. É o movimento circular do eixo da Terra que é influenciado por forças externas principalmente do Sol e da Lua (como um pião que gira em torno do seu próprio eixo, descrevendo um movimento cônico em torno de um ponto central).

        Devido ao movimento, os equinócios se deslocam ao longo da eclíptica, em direção ao Sol. Este movimento, muito lento, se completa a cada 26.000 anos aproximadamente.

        A freqüência de pulsação da Terra está aumentando, enquanto seu campo magnético está declinando, reduzindo sua intensidade à metade nos últimos quatro mil anos. Esta diminuição fez com que pássaros que migram entre países utilizando a “bússola” interna (guiada pelo magnetismo terrestre) perdessem o rumo, o mesmo fenômeno faz com que muitas baleias e outros animais marinhos encalhem perdidos nas praias.

        A redução do campo de energia é um fenômeno que precede a inversão magnética dos pólos, ou seja, outra inversão está acontecendo. Quando a freqüência de RS atingir o “ponto zero”, o planeta fará uma “parada” de 72 horas (3 dias), voltando, então, a girar no sentido anti-horário, como os demais planetas. Será no momento da “parada” que acontecerá a inversão dos pólos magnéticos da Terra.

        Nos tempos atuais, isso pode ocorrer rapidamente, do dia para a noite. Isso provocará deslocamentos do manto, achatamento da Terra em seus pólos.

        Por não ser a Terra perfeitamente redonda, mas achatada nos pólos, fará com que se forme um abaulamento ainda maior na região do equador (hoje é cerca de 40 km maior que o diâmetro polar). As forças gravitacionais agirão com maior intensidade, tendendo a achatá-la ainda mais e forçá-la a endireitar o seu eixo, alinhando-o com o eixo da eclíptica, tomando uma forma mais oval. Deformações do núcleo e a variabilidade dos oceanos e da atmosfera, e o decrescimento da inclinação do eixo da Terra (obliqüidade) em relação ao eixo da eclíptica que chegará à 29°.

        Segundo previsões, presume-se que tudo isso aconteça até o ano de 2012, ao retornar, a inclinação do eixo será muito maior do que a atual. Hoje a inclinação está em 23° 5’ (depois do Tsunami).

        Quando ocorrer a inclinação do eixo de rotação, resultará em dois dilúvios: um no início da inversão; outro no seu final, isso é o dilúvio universal (Os cientistas atuais confirmam que o nível das águas do mar do mundo todo subiu 130 metros; aproximadamente há 12.960 anos atrás).

        Veja o exemplo num copo d’água: quando você o inclina para o lado, verá que o que está submerso ficará descoberto e vice-versa. Depois de inclinar-se, tudo voltará ao normal.

        Cada vulcão que entra em atividade é uma movimentação da Terra em seu eixo e velocidade. Qualquer aceleração ou desaceleração desliza as placas tectônicas. Não são os terremotos que mudam o campo eletromagnético da Terra, a Terra é que está provocando esses sintomas.

        Teremos mudanças climáticas, geológicas e sociais, numa escala e velocidade sem precedentes. Fatores internos e externos concorrerão para tal fato. O aumento de atividade solar provocará maior irradiação, aumentando ainda mais a temperatura. O aumento de temperatura trará mais furacões, tufões, terremotos, vulcões e fenômenos análogos e a estes ligados.

        Abaixo, seis mudanças de grandes proporções causadas pelo aquecimento global. Todas estão ocorrendo agora, afetam não apenas o clima, mas perturbam toda a vida do planeta.

        • Com o aumento da temperatura há um grande degelo nas calotas polares. Alguns picos nevados já degelaram completamente. Dos 27 que existiam na Espanha, hoje só existem 13. Os que ainda sobraram no mundo todo perderam enormes poções de massa, como as montanhas do Cáucaso, que perderam 50% de seu gelo. Na Antártida há vegetação crescendo onde antes só tinha gelo. O Ártico está derretendo. A cobertura de gelo da região no verão diminui ao ritmo constante de 8% ao ano há três décadas. Em 2005, a camada de gelo foi 20% menor em relação à de 1979, uma redução de 1,3 milhões de quilômetros quadrados, o equivalente à soma dos territórios da França, da Alemanha e do Reino Unido.

        • Os furacões estão mais fortes devido ao aquecimento das águas; a ocorrência de furacões das categorias 4 e 5 – os mais intensos da escala – dobrou nos últimos 35 anos. O furacão Katrina, que destruiu Nova Orleans, é uma amostra dessa nova realidade.

        • O Brasil na rota dos ciclones. Até então a salvo desse tipo de tormenta, o litoral sul do Brasil foi varrido por um forte ciclone em 2004. De lá para cá, a chegada à costa de outras tempestades similares, ainda que de menor intensidade, mostra que o problema veio para ficar.

        • O nível do mar subiu. A elevação desde o início do século passado está entre 8 e 20 centímetros. Em certas áreas litorâneas, como algumas ilhas do Pacífico, isso significou um avanço de 100 metros na maré alta. Um estudo da ONU estima que o nível das águas subirá 1 metro até o fim deste século. Em Rio das Ostras – RJ muitas pessoas perderam suas casas porque as águas subiram 10 metros em 3 anos. Em 2002 tivemos também a maior enchente de todos os tempos no Pantanal, e um ciclone em Santos – SP. Cidades à beira-mar, como Recife, precisarão ser protegidas por diques.

        • Aumento de secas, desertos, diminuição das vegetações e colheitas, morte dos animais e conseqüente perda de alimentação trará fome, doenças e morte. O total de áreas atingidas por secas dobrou em trinta anos. Um quarto da superfície do planeta é agora de desertos. Só na China, as áreas desérticas avançam 10.000 quilômetros quadrados por ano, o equivalente ao território do Líbano.

        • Já se contam os mortos. A Organização das Nações Unidas estima que 150.000 pessoas morram anualmente por causa de secas, inundações e outros fatores relacionados diretamente ao aquecimento global.

        Sinais no Céu

        Corpos celestes se aproximarão da Terra, colocando em risco a própria existência da humanidade. Asteróides e cometas são visitantes um tanto quanto perigosos, uma vez que podem se chocar com os planetas e satélites do sistema solar. Hoje é bastante difundida a teoria de que os dinossauros foram extintos devido à colisão de um asteróide com a Terra, no oceano Atlântico, na região de Chucxube. O alerta é no sentido do perigo de desconhecermos as trajetórias desses corpos celestes.

        A possibilidade de um choque como o que extinguiu os dinossauros é uma situação ímpar. Há mais de 1 milhão de resíduos cósmicos entre 50 e 500 metros de tamanho, capazes de se aproximar da Terra. O nosso Sistema Solar hoje se encontra em uma localização em que as trajetórias destes grandes resíduos, se cruzam com a trajetória da Terra, podendo causar impactos na terra e no mar.

        Em 1982 a NASA reconheceu oficialmente um corpo celeste se aproximando do Sistema Solar. Um ano mais tarde em 1983 o recém lançado IRAS (Infrared Astronomical Satellite – Satélite Astronômico Infravermelho) rapidamente o achou: um enorme corpo (cerca de 4 vezes maior que a Terra e densidade 20 vezes mais) na direção da constelação de Órion, parecendo uma lenta e pequena estrela marrom. Esse corpo celeste comprime o campo magnético dos planetas conforme vai passando por eles. Já perturbou a órbita dos três últimos planetas: Urano Netuno e Plutão.

        Os sumérios o chamaram de 12° planeta ou Nibirú (traduzido como planeta de passagem). Os Babilônios e Mesopotâmios o chamaram Marduk (O Rei dos Céus e O Grande Corpo Celeste). Os antigos Hebreus referem-se a ele como o Globo Alado, por causa da sua longa órbita. Os Gregos o chamaram de Nêmesis (seu mais conhecido nome). Profetas nomearam-no como: A Estrela Azul, A Estrela Vermelha, O Mensageiro Flamejante, O Cometa Condenado, Planeta X, Hercólobus, entre outros.

        A órbita deste corpo celeste se aproxima da Terra a cada 3.600 anos. Quando passar entre o Sol e a Terra, esta sofrerá um enorme acréscimo de magnetismo em relação ao do Sol. Temporariamente ele exercerá uma enorme influência magnética sobre a Terra. Planetas são objetos magnéticos com uma força de repulsão que cria o equilíbrio entre eles e os mantêm em movimento.

        Quando um campo eletromagnético se choca com outro, esta variação é gigantesca, talvez jogue a Terra para uma outra direção, há uma repulsa se forem da mesma polaridade, dando uma sacudida causando muita destruição, caso contrário atrairá e se chocará com a Terra.

        A Terra tem agora duas enormes influências magnéticas na vizinhança (nosso Sol e este corpo celeste). O Sol está empurrando e puxando a Terra de uma maneira e este Planeta está sobrepondo este equilíbrio com seu próprio conjunto de influências.

        Aceleração do Tempo

        O tempo, neste fim de século, está realmente andando mais rápido, porque a Terra está girando em torno de seu eixo imaginário com maior velocidade. As partículas subatômicas estão vibrando numa freqüência maior.

        Como a freqüência está subindo (Ressonância Schumann), o tempo está diminuindo. Quando o tempo diminui a aceleração aumenta e vice-versa. O tempo mantém uma relação inversa com a freqüência (f = 1/T “f” em hertz e “T” em segundos); também chamado de período, quando um deles aumenta o outro diminui.

        Com isso a rotação da Terra começou a acelerar, processo que se intensificou muito nos últimos anos. O que isso significa? O movimento de rotação, no sentido horário, consiste no rodopio da Terra em torno de si mesma e atua como um giroscópio, dando-nos as 24 horas. A redução do tempo deu-se devido à grande aceleração cósmica que está ocorrendo, significa que o dia, hoje, não tem a mesma duração de um dia de 24 horas. Portanto, a percepção de que tudo está passando rápido demais não é ilusória, mas tem base real no transtorno da Ressonância Schumann. Hoje temos provavelmente no máximo umas 15 horas.

        Os diversos tipos de relógios foram feitos para medir o tempo. Existem relógios mecânicos, eletrônicos e atômicos. Os relógios mecânicos são os mais antigos e ainda são usados até hoje. Eles possuem um mecanismo de escape que dá a marcha certa do tempo. Este dispositivo é formado essencialmente por um balanço regulável. Nos relógios de pulso, este balanço tem uma forma de um volante de carro, preso num eixo e numa mola delicada chamada pelos relojoeiros de cabelo. O balanço gira para um lado e para outro emitindo o famoso ruído de tic-tac. Existe uma pequena alavanca para apertar ou afrouxar o cabelo, regulando a marcha do relógio. Também os relógios de parede possuem um pêndulo que pode ser regulado através de uma porca, alterando seu comprimento, assim permitindo modificar sua marcha. Estes relógios mecânicos, geralmente fabricados na Suíça, quando eram trazidos para as regiões tropicais precisavam ser regulados. Tudo isto tem relação com a velocidade de rotação da Terra. Nas proximidades do Equador a gravidade é menor, devido à velocidade linear ser maior, alterando a marcha dos relógios mecânicos. Pelo que foi exposto, podemos tirar a conclusão de que se a Terra tiver sua velocidade de rotação alterada para mais, a gravidade diminuirá, reduzindo também o peso do referido balanço, acelerando sua marcha. Então uma coisa vai compensar a outra. Deste modo, os relógios mecânicos não podem denunciar a alteração da velocidade da Terra.

        Por outro lado, tanto os relógios eletrônicos como os atômicos, são constituídos de materiais susceptíveis de alteração com a aceleração das partículas subatômicas. Os relógios eletrônicos possuem um cristal de quartzo (SiO2 – dióxido de silício); que pulsa numa freqüência exata dando-lhes a marcha adequada. Já os relógios atômicos têm uma pedra de césio que emite radioatividade constante. O fluxo regular desta radiação é que controla a marcha do relógio. Esta pedra de césio também sofre efeitos da aceleração das partículas subatômicas.

        Conclusão, os relógios estão nos dando uma informação que é relativamente correta, porém absolutamente falsa. O motivo que faz as pessoas perceberem a mudança de tempo é o descompasso entre o tempo disponível e a velocidade de nossas atividades.

        Mudança dos Sistemas Econômicos e Sociais

        Haverá um colapso generalizado de nossos sistemas. Isso nos obrigará a repensar nossa organização e nossos atos, levando ao entendimento da criação.

        O já citado aumento de atividade solar agravará ainda mais toda essa crise, uma vez que afeta a comunicação global, via satélite, e a espinha dorsal de nossas atividades modernas, as redes elétricas.

        Os fortes ventos solares irão confundir, gerar erros, danificar e destruir vários dos componentes desses sistemas.

        Mudanças nas Pessoas

        A Terra e a humanidade formam uma única entidade, possuímos a mesma natureza bioelétrica e estamos envolvidos nas mesmas ondas ressonantes schumannianas.

        Dados provam que as atividades solares e geomagnéticas trazem distúrbios em suas funções vitais para os seres que não acompanham esta sintonia.

        A diminuição do Campo Eletromagnético da Terra afeta a consciência e razão das pessoas, levando á insanidade sem retorno. Através de testes, cientistas russos verificaram que diferentes pessoas, quando colocadas em lugares com magnetismo em “ponto zero”, perderam a razão completamente pela desconexão de seus neurônios cerebrais. O fato é de tamanha gravidade que cientistas alemães confeccionaram um “cinto eletrônico” para ser usado por “pessoas-chave”, na eventualidade de o magnetismo alcançar o “ponto zero”, para não perderem a noção da realidade e manterem o controle sobre a população.

        É fato que o comportamento da humanidade já mudou radicalmente. O homem deu vazão a suas emoções, causando inúmeras guerras, e os conflitos e loucuras coletivas estão mais acirrados.

        O aumento de energia proveniente do centro da galáxia traz mudanças para o Sol, para a Terra e para o homem. Hoje, com a alteração vibracional do Planeta, as freqüências cerebrais também devem ser alteradas, não devemos baixá-las, mas sim, potencializá-las, acelerar nossas ondas cerebrais. As pessoas sentem-se enlouquecidas com a agitação. Alguns sintomas, de menor gravidade, são temporários; outros, mais graves, são constantes. Surgem devido às mudanças que estão acontecendo no planeta e em nosso corpo físico. Quanto menos energia interna, mais depressão e escuridão. Quanto mais energia interna, mais paz e harmonia. Por isso devemos nos harmonizar com o novo ritmo de aceleração do planeta (Ressonância Schumann).

        Para que avancemos nesse processo, faz-se necessário que haja uma evolução da consciência, para que essa “entrada na luz” seja plena. Por resistência ou por desconhecimento, nem todos conseguirão evoluir, devendo voltar a repetir o mesmo processo uma vez mais.

        O Novo Ritmo de Aceleração

        Hoje, pensamos em várias coisas ao mesmo tempo, mas não conseguimos realizá-las, o ritmo do corpo é mais lento. Com o campo da Terra mais fraco, os efeitos das radiações provenientes do cosmo ficam mais intensos e por isso surge a necessidade de aumentar nossas freqüências mentais.

        Para passar por estas transformações e livrar-se dos efeitos negativos, a pessoa tem de estar com a freqüência cerebral acima de 27 ciclos por segundo, tendo assim vibrações adequadas, energia apropriada.

        Acelerando a freeqüência cerebral, as pessoas terão mais proteção, ampliarão seus campos energéticos, a capacidade de raciocínio; as percepções telepáticas, expandirão todos os seus sentidos e despertarão outras faculdades mentais adormecidas em seus subconscientes. Tudo isto fará com que nossas ondas cerebrais funcionem de uma só maneira, uniforme. Essa alteração provocará uma ampliação da nossa aura, do nosso campo energético: isso é a potencialização.

        A interação acontecerá também no nosso metabolismo, assim como nos campos energético e físico, causando uma mudança geral. Também provocará uma aceleração do pensamento, num ritmo mais rápido. Deveremos transformar nossos corpos físicos em menos matéria, menos densidade e mais energia.

        Nossos corpos devem ser rearranjados e realinhados. Um realinhamento de nossos chacras, um aumento das hélices de DNA (das atuais 2 para 13); um equilíbrio das energias femininas e masculinas – uma aceleração de nossos átomos. Além disso, a glândula pineal, agora do tamanho aproximado de uma ervilha, voltará a seu tamanho original, o de uma moeda de 25 centavos, aproximadamente.

        A pessoa que atua acima de 27 ciclos por segundo irá conseguir tirar resultados favoráveis dessa energia; a que atua abaixo, sofrerá os efeitos negativos.

        Para se corrigir isto é importante fazer alguns exercícios mentais como: Pendure um objeto com um barbante de modo que ele fique na altura de seus olhos e empurre-o, fazendo oscilar para esquerda e para direita. Enquanto ele oscila siga o movimento do objeto com os olhos por 30 segundos sem movimentar a cabeça. O objeto tem que estar próximo a seu rosto. Fazer o exercício durante 7 minutos. Fazer Caça-palavras. Alimentação saudável (rica em vitamina C, E) e exercícios físicos de no mínimo 30 minutos diários.

        Através de um dispositivo simples também podemos criar um campo eletromagnético que equilibra a consciência e razão e ao mesmo tempo acelera as freqüências mentais sincronizando a vibração de nossas células com a freqüência universal, onde são potencializados nossos prótons e elétrons.

        A pessoa deve dar 210 voltas (ou múltiplas de 7 durante o dia) no sentido anti-horário em torno de um triângulo feito de metal e de madeira, colocado sobre uma cadeira de madeira ou piso de madeira Este triângulo tem as seguintes medidas:

        A cada volta é trabalhada uma camada da aura. Fazer este exercício 3 vezes por semana. Nas voltas também você pode ter “flashes” de memória, intuição, criatividade, podendo aproveitar esse momento para pensar em projetos futuros e para expansão de consciência.

        Estes exercícios já ajudam a alterar o metabolismo, reforçando a imunização contra doenças e, a vibração de cada um irá alterar o campo energético dos que estão à sua volta também (família, amigos), pois essa vibração irá despertá-los, preparando-os para uma nova vibração.

        Para que tenhamos vibrações adequadas, energia apropriada, o nosso DNA está sendo alterado. No GNA a carga positiva é mais forte, assim, pessoas que possuem GNA ativo, estão com a freqüência cerebral acima de Beta, vibram no Mental Superior ou acima; livres das conseqüências negativas.


VII – (DNA/GNA)

        Estamos num planeta carente de Luz/informação, e isto porque alguns seres dimensionais que não vibram na Freqüência Divina, resolveram tomar posse do planeta Terra. São seres que também possuem a habilidade de ostentar a forma física quando desejam, embora na maior parte do tempo interajam em outra dimensão mais sutil. Há muitos milênios, mantêm o planeta em que vivemos numa determinada freqüência vibracional, criando traumas emocionais nas pessoas para manterem o seu próprio nível vibracional. Resolveram então nos aprisionar na freqüência vibracional do medo, de onde não somos capazes de sair por causa da força eletromagnética exercida pela própria dinâmica do dualismo emocional. Para reforçar e manter este aprisionamento surgiu o implante dito “negativo” que além de tudo, também é uma forma de manter uma conexão entre os humanos e estes referidos seres.

        Em época mais recente, quando os primeiros casos de abduções começaram a surgir na mídia, os ufólogos verificaram que normalmente os supostos contatados relatavam um procedimento comum a quase todos os contatos: a introdução, pelos raptores, de um objeto minúsculo em alguma parte do corpo desses contatados. Por via cirúrgica, através da narina; ou subcutânea, na região da nuca ou do abdômen. A literatura ufológica relata centenas de casos onde o implante foi observado, através de raios X ou exames mais sofisticados, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Esta mesma literatura, no entanto, não é definitivamente esclarecedora quanto à origem desses objetos, se efetivamente têm alguma função e, principalmente, não expõe laudos técnicos de profissionais da área médica sobre esse tipo de ocorrência.

        Nos últimos anos, foi registrada uma “evolução tecnológica” do artefato: no princípio, os implantes supostamente encontrados eram constituídos de ligas metálicas. Hoje, a maioria não pode ser detectada por exames de raios X por serem, aparentemente, constituídos de material orgânico. Por muitas eras, estes seres conseguiram seu intento, abduzindo humanos e impondo-lhes estes tipos de implantes, mantendo-os sob seu domínio.

        Em contrapartida, na época atual, com a proximidade da Transição Planetária, sabemos que Seres de Hierarquias que vibram no Amor Puro, estão bloqueando a ação destes seres mal intencionados, desde a década de 40. Estes Seres de Luz com o auxílio de seres de quarenta e nove raças vêm modificando através da Nave GNA nossos genes energéticos, que nos foram colocados por seres extraterrestres de outros mundos, para que pudéssemos ser manipulados em suas pesquisas, tornando-nos seus receptores vivos de ondas. Os flashes da Nave GNA estão potencializando nossos corpos energéticos e ao nível do nosso corpo físico atuam especificamente no DNA de suas células e não exclusivamente em uma de suas células.

        O GNA é uma célula de energia implantada no lado direito da nuca dos dimensionais, é como um DNA transformado através do contato com o flash da nave do GNA. Existem 49 naves do GNA realizando este trabalho em torno da Terra, cada uma representante das raças extraterrestres que estão auxiliando a humanidade neste momento de transição. A nave do GNA emite flashes de luzes semelhantes aos de uma câmera fotográfica, porém muito potentes e visíveis a olho nu.

        Quando o DNA se transformar completamente em energia, ele terá doze hélices e não apenas duas como o ser humano possui atualmente. Os doze filamentos representarão os seis estágios evolutivos da alma. Os seres humanos têm 23 pares de cromossomos, 46 no total, porém pessoas normais desenvolvem apenas 20 pares de cromossomos.

        Análises clínicas constataram que várias pessoas, principalmente as crianças, estão conseguindo mover, dobrar, quebrar objetos com o poder da mente, tornando-se são bons telepatas. Estas crianças conseguem obter conhecimento sobre o conteúdo de livros ao colocar suas mãos sobre eles ou falam vários idiomas sem nunca os terem estudado anteriormente.

        De acordo com pesquisas, o Japão possui o maior número de superdotados, porque desenvolveram 23 pares de cromossomos.

        Quando a pessoa atinge 23 ciclos por segundo de freqüência mental, e não apenas 20; isso é desenvolvimento. Quanto mais cromossomos desenvolvidos, mais energia vibracional ativa, mais GNA projetado, mais expansão e maior número de camadas da aura.

        O ideal seria que cada um tivesse no mínimo 40 ciclos por segundo, ou 40 hertz da freqüência mental, equivalente a aproximadamente 23 pares de cromossomos desenvolvidos e oito ou dez camadas de aura.

        Quando assumimos nosso compromisso, como dimensionais, os Seres de Pura Energia juntamente com os seres da sua raça assumem também o compromisso de assistir-nos, proteger-nos e imunizar-nos para que tenhamos sempre saúde. Portanto, com a ajuda dos “Seres” em nossa caminhada podemos ser implantados, para que fiquemos especialmente favorecidos em vida. É o chamado implante “positivo”. Entretanto, devemos ser cautelosos com as nossas atitudes porque sempre estaremos colhendo aquilo que plantamos, independentemente da atuação do implante.

        Quando no ambiente em que nos encontramos, percebemos em nossa volta um flash de luz muito rápido (cuidado com reflexos luminosos e a imaginação), é bem provável que uma das células do nosso corpo comece a ser modificada para se tornar um implante. Neste momento podemos sentir uma pressão na cabeça ou na nuca e o primeiro flash mais rápido pode vir seguido de mais seis outros, como reforço desta ativação.

        Abordaremos a partir de agora, mais especificamente, este tipo de implante “positivo”, que denominamos de GNA por serem emitidos a partir da nave com o mesmo nome.

        O que é:

        É uma célula potencializada pela luz/GNA, luz essa emitida por 49 naves extraterrestres localizadas na estratosfera terrestre, que potencializa os prótons e elétrons de nossas células através destes flashes de luz. Com isto nossa célula é programada com uma freqüência diferente. Essa potencialização se reflete em outras células que também vão se densificando.

        Finalidade:

        Os implantes nos dão condição vibratória para muitas coisas, são colocados próximos aos meridianos que vibratoriamente demandam uma descarga que estimula, ativa, estabiliza e acelera os meridianos, fazendo com que a pessoa entre numa sintonia mais rápida. Ajuda a estabilizar o emocional, a saúde e o financeiro. Está relacionado com a evolução do indivíduo, porque vai ajudando-o a despertar, a ficar mais intuitivo e, ainda, a ter mais vidência, percepção e energia vital. Isso não significa que você será um robô no futuro. Eles são necessários para que o indivíduo/dimensional tenha condições energéticas de mostrar quem realmente ele é, notadamente para expressar toda a sua paranormalidade. O implante deixa a percepção e a sensibilidade à flor da pele. Todos os implantes devem ser ativados e desenvolvidos.

        Implantes Negativos:

        Já foi dito que até a década de 40, os implantes eram somente físicos e colocados por Seres cientistas/extraterrestres e provocavam dores, loucura, e desequilíbrio. Eles faziam um monitoramento dessas pessoas. Só que desta época para cá, Ashtar Sheran assumiu o comando de todos os mundos densos (não só da Terra) e alterou a freqüência desses implantes, de negativo para positivo, então aqueles Seres não tem mais controle sobre aquelas pessoas implantadas.

        Implantes Positivos:

        As crianças nascidas a partir de 1971 já vieram com seus implantes/GNA ativados. Por outro lado, a pessoas nascidas antes desta data, para não ficarem desfavorecidas, passaram a receber flashes de luz enviados por naves que circundam a Terra.

        Estas naves mantêm-se na estratosfera terrestre e podem ser vistas a olho nu, filmadas e fotografadas. Emitem flashes de luz prata que atingem o lado direito do pescoço e interagem no metabolismo, potencializando os prótons e os elétrons dos átomos, o que torna possível ao ser humano a transmutação, ou seja, transformar-se num ser composto de mais energia do que matéria física, não adoecendo, desacelerando o envelhecimento, regenerando células.

        Os seres de Luz implantam essas células de energia para acelerar o processo de evolução, para despertar a consciência, pois todos estão aquém de suas reais capacidades paranormais.

        Quanto mais as pessoas mantiverem em suas células, menos densidade e mais energia, mais desenvolverão vidência, percepção, premonição, telepatia, clarividência e, por conseqüência, acesso ao conhecimento cósmico, aos arquivos cósmicos.

        Retirada de Implantes:

        Se um implante é retirado por cirurgia espiritual ou pela medicina convencional, para que ele seja considerado verdadeiro, tem que ser visto ou tocado, ser sólido. Na 3a dimensão qualquer implante que for retirado mesmo que ele seja energético ou plasmado ele se torna físico, pois quando ele sai do nosso corpo, torna-se físico. Ele materializa-se por estarmos na 3 ª dimensão, pois tudo que é do mundo físico é matéria, podendo ser analisado pelos cinco sentidos humanos. Quem irá alterar a freqüência ou mudá-los de lugar, se necessário for, serão os próprios seres extraterrestres de Vênus ou de Plêiades.

        Os seres não deram autorização para nenhum ser humano retirar os implantes, pois isso alteraria a freqüência do ser humano e eles não passaram como alterar a freqüência do implante para não causar mal quando da sua retirada. Eles ensinaram a ativá-los, mas não desativa-los. Se eles forem retirados, irá causar um desequilíbrio nas glândulas, nos meridianos, na percepção, na imunidade. As pessoas até relatam que se sentiram melhora após a retirada do implante, mas depois de uns 3 meses tudo piora. De 1971 para cá todos os seres implantados nunca tiveram cortes no corpo e sim colocados através de técnicas que se utiliza de feixes luminosos.

        Tipos de Implantes/GNA:

        Os Implantes/GNA são inicialmente Energéticos e à medida que a sua freqüência mental se eleva, eles se tornam Plasmados e depois Físicos (metálicos, provavelmente ouro porque é um metal de freqüência universal).

        Implante energético: permite que nossa capacidade extra-sensorial seja ativada/aumentada e também que nos estabilizemos energeticamente, acelerando-nos quando que estamos lentos e desacelerando-nos quando estamos muito acelerados.

        Com o implante energético o indivíduo pode interagir tanto com o astral superior como o inferior, pode então, interagir tanto com as energias “positivas” como as energias “negativas”. E, se a pessoa estiver em um local onde vibra a harmonia, com as pessoas também vibrando “positivamente”, a sua interação neste momento será também positiva, mas se for o contrário, se a energia do local ou das pessoas estiverem “negativas”, o indivíduo poderá ficar mentalmente desequilibrado. Isto ocorre até que o implante esteja totalmente ativo.

        Implante plasmado: auxilia na mudança do estado de consciência, refletindo na sua maneira de pensar e de agir. Conseguimos sintonizar com a sua consciência dimensional e nos expressarmos intuitivamente através dela. Já vibramos mais no mental do que no astral.

        Os seres do “plano astral inferior”, que vibram em uma baixa freqüência de Luz, sabem quando nos foi colocado um implante/GNA, porque este tipo de implante acaba com a sua fonte de alimento gerada por todos os tipos de medo, que anteriormente tínhamos. Quem já tem o seu implante adquire mais equilíbrio emocional, portanto, fica mais protegido.

        Quando o implante está 100% plasmado, ele “anda” por todo o corpo da pessoa, sinalizando-se por manchas em sua pele. E, à medida que ele se desloca pelo corpo, ele vai potencializando todas as nossas células, para que o campo energético fique também totalmente potencializado e já neste estágio devemos nos cuidar ainda mais, evitando freqüentar locais de vibração inferior. Se formos a um local onde não vibra a harmonia e não nos observarmos, poderemos nos desequilibrar mais facilmente.

        Depois de certo período em que o implante está plasmado, ele se fixa em um ponto do corpo do indivíduo. E, quando o implante começa a ficar com a aparência de um pequeno caroço ou de um “carne esponjosa” que dói e irrita, ele está começando a ficar físico, se transformando em um metal, com a sua estrutura metálica de acordo com a freqüência mental de cada um.

        Implantes físicos: pode ser visto através de radiografia, coordena nossos pensamentos, nossos desejos e nossa energia mental, protegendo-nos, mas, sem interferir no livre-arbítrio.

        Geralmente os implantes físicos originam-se de treze células potencializadas através do GNA potencializado. À medida que o dimensional for elevando o seu padrão mental, chega um dado momento em que estas treze células ficarão densificadas, mas quase todas serão reabsorvidas pelo organismo. Destas células densificadas apenas ficarão três na forma de três implantes energéticos, que passarão para implantes plasmados e posteriormente para implantes físicos. Até 2012 o indivíduo poderá ter três implantes físicos, que poderão ser radiografados.

        Localização em geral

        Na mulher: estão localizados no Pescoço, no Quadril, na Perna e na Face.
No homem: estão localizados nas costas, Perna, Braços, Pescoço e Pé.
Na foto da Aura: o implante físico aparece como um ponto brilhante/ luz, acima da cabeça. Quando está fora da aura, é hora de desenvolver, fazendo regressão de memória. Senão pode provocar excessos e bloqueios. Também pode surgir zumbido no ouvido, se não for um caso médico, pode ser um implante ativo não desenvolvido.

        Considerações gerais

        Este acréscimo energético (flash), implantado em nós pelos “seres”, pode direcionar-nos tanto de uma maneira “positiva” como “negativa”, dependendo do nível de consciência. Devemos lembrar aqui que nenhuma energia é malévola ou benigna, ela simplesmente existe, nós é que a direcionamos através dos nossos pensamentos e de acordo com o grau de nossa Consciência. Portanto, devemos ter muito cuidado em relação aos nossos desejos, pensamentos e ações.

        Os minerais ingeridos através da nossa alimentação vão se aglutinando numa célula, formando um implante físico. Somente um terço da população terá condições de receber implantes, são os dimensionais conscientes ou inconscientes. O implante ajuda-nos no despertar tanto na manipulação energética quanto na auto-cura.

        Devemos ter bastante atenção e cuidado com o corpo físico, ingerindo diariamente a quantidade adequada de aminoácidos essenciais e vitaminas, praticando exercícios físicos sem exagerar no consumo de alimentos, pois só assim conseguiremos manter uma carga elétrica compatível com o implante.

        Quanto melhor estivermos fisicamente, mais atuante estará o implante no nosso metabolismo e assim teremos mais clareza mental e interação cósmica para desempenhar o nosso compromisso missionário.

        O nosso esforço deve estar também concentrado na polarização das emoções no desempenho diário da nossa missão cósmica, para que nos tornemos merecedores de um contato verbal com os seres das hierarquias superiores e a possibilidade de acontecer uma ativação com acréscimo energético destes implantes que muito contribuirá para o despertar de nossas habilidades mentais, paranormalidade, percepções, intuição e todo nosso potencial “adormecido”.

        A partir de então, tornaremos verdadeiros emissários destes seres e partiremos para uma nova fase de interação com uma realidade energética plena de grandes possibilidades, muito além de tudo que conseguimos vislumbrar até os dias de hoje.

        Consegue-se um desenvolvimento mental mais intenso através da ativação com implante, porque ele atua ao nível do subconsciente trabalhando o campo energético (aura) e, com isto, potencializa também a capacidade mental e amplia as aptidões, permitindo, que desenvolvamos nossas habilidades até então adormecidas. Portanto, as habilidades do dimensional estão sendo particularmente trabalhadas pelos “seres”, para que ele tenha cada vez mais facilidade de desempenhar o seu compromisso cósmico.

        Os Seres de Luz estão precisando de voluntário, de indivíduo com a mente e o coração puros, rico de compreensão, que já irradia luz e cor específicas através de sua aura, para prepará-lo para um compromisso também específico. Eles estão procurando um individuo que torne o seu porta-voz, passando-lhe informações compatíveis com o Novo Ser Humano que já está surgindo, indivíduos realmente conscientes que possam ser treinados para serem intermediários entre o fim de uma época e o despertar de outra totalmente nova.

        No futuro, o implante será feito em um numero maior de pessoas, para que muitas mais vibrem em uma mesma freqüência e tenham uma mesma linguagem (freqüência) vibracional.

        Nunca devemos esquecer que existe uma Hierarquia Cósmica e Divina, que acima da freqüência dos seres das quarenta e nove raças vibra a Freqüência dos Seres de Pura Energia que auxiliam o Eu Superior trabalhando nosso corpo energético, para que possamos mais facilmente nos iluminar e transmutar.

        Portanto, a interação “Seres”/indivíduo via implante visa antes de tudo a sua iluminação, quando aflora e potencializa todos os seus sentimentos “positivos”, que nos permitem sintonizar com o Eu Superior.

        Os Dimensionais que estão hoje no planeta Terra, utilizam destes corpos que contem o DNA modificado e, a principal missão deles aqui neste planeta, é através de sua própria vivência cotidiana, modificar o DNA humano que está alterado/codificado para vibrar apenas como uma consciência humana, com seus filamentos desconectados. Devem transformá-lo em DNA Divino, através de pensamentos/atitudes regenerando o corpo e possibilitando a mudança para o amor incondicional.

        Esta é uma tarefa difícil, entretanto, estamos na atualidade, vivendo/vivenciando momentos ímpares, quando Seres de Hierarquias que seguem o Caminho da Luz e, que vibram no Amor Puro, estão nos auxiliando nesta campanha.

        – DNA é codificado para experiências da consciência humana.
– GNA é codificado para experienciar a expansão da consciência humana a níveis de vibração menos densos.

VIII – AS PIRÂMIDES

        As Pirâmides do Mundo

        Existe uma matriz formada por linhas espaciais regulares e simétricas ao redor da Terra que produz uma rede de forma geometricamente pura e eqüidistante do seu centro. Essas linhas são conhecidas como “lee-lines”.

        Essa rede tem pontos nevrálgicos onde são produzidos naturalmente Vórtices Energéticos; vários redemoinhos em forma espiral ascendente.

        Esses pontos geográficos nevrálgicos estão distanciados harmonicamente entre si ao redor do planeta, e neles não existe magnetismo. Usando a tecnologia adequada pode-se anular a gravidade de qualquer objeto em seu campo de ação.

        A raça de Gêmus foi responsável por estudar e traçar esta malha magnética na Terra, identificando os portais, ou seja, os pontos ou vórtices de energia.

        As civilizações antigas sabiam da existência dessa rede e conheciam a localização exata dos pontos neutros. Construíram nestes pontos suas pirâmides, permitindo utilizar a inesgotável energia desta rede.

        O conhecimento dessa rede energética permite captar, organizar e distribuir as diferentes energias necessárias.

        Conhecendo a localização dos pontos nevrálgicos da rede planetária pode-se usá-la para transformar essas energias inesgotáveis por exemplo, em força mecânica.

        Para entender a razão física que produz as anomalias magnéticas e gravitacionais sobre a rede energética da terra; vejamos como funciona um ímã de ferro: ele tem uma área com carga negativa e outra positiva, e no centro dos dois pólos magnéticos uma zona neutra, onde existe um fluxo magnético. O campo magnético negativo flui no sentido contrário do ponteiro do relógio e o campo magnético positivo, flui à favor do ponteiro do relógio. Entre os dois campos de polaridade oposta, a zona neutra é chamada de Muro de Bloch ou ponto do vórtice diamagnético; um ponto de transição neutra, onde não existe nenhum tipo de magnetismo, nem negativo; nem positivo. Na zona neutra a força se manifesta onde os pólos ficam em contato.


Pontos magnéticos como do ímã, existem no planeta sobre as regiões próximas aos Trópicos de Câncer e Capricórnio.

        Sobre esses Muros de Bloch, localizam-se os pontos nevrálgicos da rede energética do planeta. São pontos onde acontecem anomalias magnético-gravitatórias onde são provocadas anomalias físicas, como a flutuação espontânea e misteriosos desaparecimentos como o do Triângulo das Bermudas (o local exato onde existiu a Atlântida), o Triângulo do Diabo e o Triângulo do Dragão entre outros.

        É lógico que os aviões que passam pelos locais onde não existe força de gravidade perdem seu peso e desaparecem. São expulsos ao espaço ou as forças condensam sua matéria; se desequilibram e são desintegrados no ar.

        Os pontos geográficos que mostram anomalias magnéticas; estão sobre os paralelos 30o Norte e 30o Sul, que se localizam as distâncias harmônicas entre si. A 18.190 anos; a 30º de latitude e 30o de longitude localizava-se a Pirâmide de Quéops. Hoje seu vértice está a 30o exatos de latitude paralela ao equador e sobre 29o58’51” de longitude à leste de Greenwich devido ao movimento das placas tectônicas continentais. A maioria dos locais que tem uma relação harmoniosa com esta rede, tem pirâmides construída exatamente nestes pontos.


Sobre esses pontos, passa a rede energética do planeta, em diferentes níveis de freqüência de vibração desde a mais simples; a vibracional; até a mais complexa; a Energia Taquiônica. A rede básica está formada por um Icosaedro; 20 triângulos eqüiláteros que se dividem sucessivamente em seu interior em matrizes cada vez de menor escala.

        A rede é o padrão, o plano, a idéia que ordena a forma que se caracteriza a matéria, é a semente que contém no seu interior um código, uma maneira de organizar o desenvolvimento de todo o Ser vivo.

        Tudo que existe tem uma rede, uma semente e assim a vontade e o pensamento são a semente das criações mentais.

        A palavra pirâmide vem do grego PYRA que significa luz ou fogo, e de MYDOS que significa medição. Por sua vez, baseada nas palavras URRIM e MIDEEN que significa medidores de luz.

        Os sumérios chamavam de ESH que significa fonte de calor. Os maias no outro lado do Atlântico as chamavam PIRHUAMANCO que é foneticamente similar, o que significa o mesmo; revelador de luz. A posição exata das pirâmides em relação ao Sol faz com que suas diferentes façanhas sirvam para indicar o local em que o observador se encontra e suas sombras indicam a direção leste.

        A lenda atribui a construção a um personagem incrível: THOTH – o atlante; Chiquitet Arelich Vomatites, também chamado de Khufu ou Hermes; os sumérios o chamavam Nannar-sin; os romanos Mercúrio; os maias Quetzacoatl e os gauleses Theutates (nas placas esmeraldas; hoje desaparecidas; escritas por Hermes Trimegisto ou Thot; afirma ser o construtor das pirâmides).

        A pirâmide é uma antiga máquina que através de sons produz freqüências que aceleram as ondas mentais e conduzem à transmutação.

        A origem da alquimia se perde no tempo, sendo mais antiga do que a história da humanidade. Seu verdadeiro início é desconhecido e envolto em obscuridade e mistério. Assim, seu surgimento confunde-se com a origem e evolução do homem sobre a Terra. É a arte de trabalhar e aperfeiçoar os corpos com a ajuda da natureza. Diz que o alquimista é a pessoa que quer converter chumbo em ouro, entretanto realmente a alquimia é a busca para se conseguir a transmutação. O verdadeiro alquimista é uma pessoa que compreende a simplicidade do nada absoluto. É capaz de realizar coisas que a ciência e tecnologias atuais jamais conseguirão, pois ela está pautada na energia e não somente no materialismo que a ciência há muito tempo perdeu.

        A transmutação dos metais é só um subproduto; para transformar a matéria em energia é preciso ter essa intensidade de consciência que só permite estar presente no momento presente, usando energia interna e não divagando em outros tempos. Para dar o passo final nessa transformação, os iniciados usavam as pirâmides (que faziam a sincronicidade com o cosmo).

        O último dilúvio universal (12.960 anos) mudou o campo eletromagnético da Terra, o movimento das placas tectônicas tirou a incidência da energia da galáxia do ápice das pirâmides do mundo todo.

        A partir desse dilúvio a Freqüência de Ressonância Schumann (energia da galáxia) não incide mais no ápice. Houve um deslocamento de 1.600 km do pólo norte/sul para o ponto original. A influência magnética que as pirâmides recebiam até o dilúvio universal, está fora; por isso as pirâmides do mundo, hoje estão inativas, talvez só 2% do que deveriam da sua capacidade.

        Com o último Tsunami da Ásia, o eixo da terra mudou mais 0,26o e houve uma aceleração de 0.8 minutos da rotação da Terra. Isso mudou ainda mais o campo eletromagnético da Terra; as pirâmides ao invés de receber a incidência da energia cósmica, no vórtice de energia, hoje está do lado, a espiral não tem mais a possibilidade de ter uma hiper atividade energética como antes.

        Por isso, hoje elas não produzem a mesma energia que antes, de levitação, de cura instantânea, de transmutação, etc. Foram abandonadas porque não geram mais energia taquiônica.

        A única maneira de reativá-las seria trazer a pirâmide mais para o eixo (realinhar), mas isso é impossível, ou voltar os pólos magnéticos da Terra ao original que também é impossível porque o planeta continua inclinando (hoje está em 23° 26′ 21,418″) e só em 22/12/2012, com o raio sincronizador, é que volta a verticalização, com um outro “dilúvio”.

        Na época do último dilúvio universal, o campo eletromagnético da Terra era de 11 gauss, hoje está em 3,4 gauss, baixou muito; e até 2012 o campo eletromagnético vai zerar, e quando isso ocorrer, há uma inversão de polaridade, o planeta Vênus é o único que ainda está com os seus pólos invertidos no Sistema Solar. É por isso que Jesus e outros seres, outros mensageiros de Deus, utilizam Vênus como “entrada” no Sistema Solar porque a inversão de seus pólos facilita a utilização dos vórtices de energia, produzindo assim um portal dimensional para todas as esferas. A Terra irá se tornar um desses portais a partir da inversão de seus pólos.

       

 

        A Pirâmide do Projeto Portal

        Já que as pirâmides não podem mais ser ativadas, pois não geram mais energia estacionária, nada mais correto do que construir outra pirâmide. Por isso construiremos a nossa própria pirâmide que não terá as medidas do Egito ou do México. Serão medidas totalmente diferentes, já programadas para a inversão das polaridades da Terra em 2012, com ângulos não mais de 51º graus, para que receba a sincronicidade do cosmo e essa pirâmide será construída no vórtice de energia, nos pontos diamagnéticos que incidem sobre a Terra.

        Cada vórtice de energia do Planeta funciona para nós como um supercondutor de energia.

        Cada pessoa pode ter mais de mil vórtices de energia na Terra que a influenciam pelo resto da vida.

        Há a necessidade de sincronicidade do nascimento com hora, local, como se fosse um portal para a pessoa. Através disso se consegue manipular as leis universais.

        Como os Maias desapareceram? Calcularam o vórtice de energia e os pontos nevrálgicos na hora que precisaram passaram para planos superiores (tele transporte).

   

 

        A Pirâmide do Projeto/MS-BR será:

        • Um ponto de energia.
• De divulgação sobre ufologia.
• De cura.
• Será a ligação com as passagens intraterrenas.
Ela irá gerar um campo eletromagnético estacionário (energia taquiônica) que ativará todas as outras pirâmides inativas do mundo (ressonará), terá uma vibração direcionada em nível mundial.
• Produzirá muita energia, de transmutação, alquimia, cura rápida, etc.
• Sua função mais importante será a transmutação. Na época da transição (2012), a pirâmide estará sincronizada de tal maneira que a regeneração das células será quase que instantânea, para que não se perca o corpo físico.
Será uma réplica das comunicações com os Deuses; com os universos. Comparado-a com outras pirâmides, será pequena, mas será a única do planeta que ativará todas as outras, isto terá um diferencial gigantesco, além do que está por trás dela, a presença de “pessoas” que virão para nos ajudar.
• Terá um museu onde será contada a história da Terra até os dias de hoje.

        Sua capacidade total será a partir de 2012, na inversão dos pólos é que a incidência do vórtice de energia em espiral será muito mais intensa.

        A sincronicidade com as pirâmides incide em uma certa força nas nossas células, onde tudo que contém água, que esteja no campo energético das pirâmides, tomará uma forma tetraédrica, forma que sincroniza nosso corpo com o raio sincronizador do cosmo.

        A forma da água não é tetraédrica, mas quando se está dentro da sincronicidade universal; todas as moléculas de água; viram piramidal.

        Foi com esse formato tetraédrico que Jesus conseguiu produzir fenômenos de transformar água em vinho, e outras coisas mais.

        Existem mais 6 pirâmides submersas na areia do deserto, algumas na água e pelo menos umas 15 pirâmides nas geleiras do pólo norte, e até 2012, elas terão a possibilidade de serem reativadas ainda com o campo mental.

        As Mulheres e as Pirâmides

        Na história do Egito, quem treinava os sacerdotes, os homens que passavam pela iniciação; eram as sacerdotisas, pois são as mulheres que dão a vida, que geram um campo de energia e preparam os sacerdotes para manipularem suas energias e por isso foram descriminadas.

        Em épocas bíblicas, as pirâmides já existiam. Moisés estudou e fez sua iniciação nelas, Jesus e outros mais também. Essa iniciação das mulheres guerreiras, das amazonas, das sacerdotisas, era justamente para preparar a vinda de Cristo, e promover uma mudança geral em nível de freqüência de vibração.

        Se as mulheres é que faziam os homens super deuses, elas têm muito mais poder, equilíbrio e controle do que os homens. As sacerdotisas ou as “mulheres deusas” vinham de mundos distantes. Desde a época da povoação da Terra a energia das mulheres já tinha uma incidência muito forte, e agora, na era de aquário – da energia feminina – é o momento das mulheres potencializarem em 150 vezes mais o seu campo mental.

        Este conhecimento das técnicas das sacerdotisas que utilizavam para fazer com que os homens fossem “deuses” ou “semideuses”, super homens em nível de energia se perdeu no tempo, principalmente quando foi queimada a biblioteca de Alexandria. As lideranças religiosas e outras eliminaram todos os livros e pergaminhos que continham as “receitas milagrosas”, todas as técnicas poderosas que pudessem tornar o homem um ser mais superior a tudo e sem as guerras e competição que existe hoje por poder e riqueza.

        As pirâmides produzem uma energia estacionária e certas mulheres têm a capacidade de fazer com que a energia estacionária da pirâmide tenha a mesma freqüência do campo mental (energia Taquiônica), provocando assim uma propagação universal, com isso todas as outras pirâmides hoje inativas recebem uma “carga” de energia taquiônica e irão vibrar de uma maneira positiva para o restante do mundo.

        Os Cristais de Quartzo e sua relação com as Pirâmides

        Nosso planeta está constituído por matérias cristalinas como o quartzo que vibra ou pulsa a um certo ritmo de ciclos ou batimentos por segundo. A ionosfera reflete estes batimentos e é afetada pelo aumento da radiação do Sol. Essas mudanças afetam o comportamento da matéria em geral ao aumentar a vibração da Terra. Os cristais da pirâmide estarão em sintonia com o pulsar da galáxia e conseqüentemente nossas células que também vibram permanentemente procuram sincronizar harmonicamente com o novo ritmo de vibração e procuram um equilíbrio com o planeta produzindo enormes mudanças em nosso comportamento. Aceleram o Ser Humano e produzem estados cada vez mais acelerados alterando suas percepções e seus pensamentos. Com isso o corpo está sendo sincronizado com as vibrações mais rápidas da Terra.

        Os cristais acompanham o pulsar da Terra. A vibração da Terra é a vibração do próprio cristal.

IX – NOVAS PERSPECTIVAS

        O Poder Oculto

        Aqueles que já viveram em granjas ou fazendas, que já as visitaram ou que ainda têm conhecimento do seu funcionamento pelos veículos de comunicação, já sabem “como é a vida” nestes locais de produção horti-fruti-granjeiro ou de produção agro-pecuária. Os investimentos que os seus donos – granjeiros e fazendeiros – fazem em suas plantações e em suas criações visando o lucro, “aprimorando-as”, para obter uma maior e uma melhor produção, são bastante visíveis neste sentido.

        Desde milhões de anos atrás a Terra comparativamente se tornou em escala cósmica “uma grande fazenda-laboratório”, quando vem sendo explorada por aqueles que dela tomaram posse, “investindo” nela até os dias de hoje, visando aperfeiçoar por meios técnico-científicos os seres vivos que nela vivem, para deles obterem “lucros”.

        Na história da Terra sempre estiveram presentes os “cientistas do espaço” de várias raças vindos também de várias partes do universo. Mas, foram principalmente os greys de uma parte de Órion, que são também conhecidos como “seres negativos”, que vêm acompanhando há mais de quatrocentos milhões de anos atrás a evolução da vida na Terra, direcionando-a para os seus interesses. Estes seres inicialmente interferiram no DNA de um ser primitivo simiesco já existente no planeta, para que ele pudesse sair da forma horizontal em que caminhava e começasse a caminhar na forma ereta e, começasse também, a desenvolver uma maior caixa craniana que o possibilitasse paralelamente a ter um cérebro maior, que o capacitasse posteriormente desenvolver incipientes atitudes inteligentes.

        Portanto, estes seres extraterrestres ao longo do tempo foram cada vez mais aperfeiçoando este ser primitivo originado da Terra. O objetivo era para que ele pudesse há mais ou menos há trezentos mil anos ser transformado pelos Nefilin no homo sapiens – o Adão ou o primeiro ser humano – um ser já inteligente que carregava em seu organismo os genes extraterrestres dos seus criadores e que já possuía também uma consciência, que o possibilitava ter a noção “do bem e do mal”.

        Portanto, este ser humano já não produzia apenas a energia de “emoções densas” originadas do instinto primitivo de um ser irracional. Ele já começava também a construir o inconsciente coletivo com a energia de emoções mais refinadas/elaboradas, que já criavam formas-pensamento. Ele foi se tornando um ser mais interessante para pesquisas e manipulação.

        No livro “Janela Visionária” de Amit Goswami ele escreve: “Embora existam abundantes indícios fósseis de evolução por gradualismo dentro de uma espécie, não existe, na verdade, nenhum registro fóssil convincente de evolução gradual de uma espécie para a outra. Nós não encontramos, por exemplo, uma serie gradativa de fósseis que revele traços de peixes sendo gradativamente substituídos por traços de anfíbios. Os registros fósseis, ao contrário, revelam manifestas lacunas na especialização. Com isso, uma concepção alternativa ganhou proeminência nos últimos anos. O biólogo Gaylord Simpson cunhou a expressão evolução quântica – saltos quânticos – para explicar porque são escassos, ou inexistentes, os registros das origens de vários grupos de organismo para os quais, por outro lado, os indícios fósseis ilustram períodos de evolução gradativa normal. Nessa mesma linha, os notórios “elos perdidos” entre grupos, na arvore evolutiva, podem ser explicados pela evolução quântica”. E, ele continua: “……existem dois ritmos diferentes, duas escalas de tempo diferentes, na evolução biológica. Um dos ritmos é continuo e gradual, e acomoda mudanças evolutivas adaptativas durante uma longa escala de tempo – talvez milhões de anos, como se vê dentro de uma espécie. O outro ritmo é rápido e abrupto, como um sinal de pontuação – como um salto quântico”.

        A nosso ver, os saltos quânticos dentro da história biológica do planeta Terra que não são poucos, podem perfeitamente ser decodificados como a interferência destes “cientistas do espaço” na natureza – “deuses” conscientes e eternos com altíssima capacidade criativo-seletiva. Portanto, sempre estiveram presentes na história da Terra poderes ocultos e manipuladores extraterrestres de alta capacidade tecnológica – entre outros, os Nefilin mais recentemente em relação à criação dos seres humanos.

        Estes seres que podem interagir com a quarta dimensão são normalmente humanóides e eles já não “vivem” atrelados à noção de “tempo limitado”, que apenas existe para os seres humanos, que o percebem assim, por senti-lo ainda associado ao espaço – ou à terceira dimensão onde vivem.

        Estes seres extraterrestres que são eternos para o ser humano, se “ocultam” na quarta dimensão e continuam manipulando geneticamente até hoje “a sua criação” de acordo com os seus interesses “nesta sua imensa fazenda-laboratório” – o planeta Terra. Os relatos de indivíduos sobre estes seres que “aparecem em seus quartos”, quando estão dormindo, vindos de portais que abrem na terceira dimensão e os levam para a suas naves removendo deles partes de seus corpos ou neles implantando suas tecnologias, e muitas vezes deixando neles marcas físicas ou a presença de “substancias estranhas” durante “esta visita”. Retratam uma interferência que é narrada depois por estes indivíduos como se fosse um sonho muito real, mas, que o indivíduo/dimensional desperto já sabe que este “sonho realidade”, é uma interação com a quarta dimensão. Ultimamente o interesse destes seres é por indivíduos do grupo sanguíneo O, mais fácil de serem geneticamente manipulados/transformados por eles.

        Estes “seres negativos” utilizam atualmente seres humanos como seus “veículos conscientes” nas esferas política/militar/científica/religiosa/mídia para manipular a humanidade em direção aos seus interesses. A nanotecnologia e o micro chips são as suas ultimas invenções de manipulação/seleção neste sentido.

        O ser humano atual e comum – planetário – e mesmo o dimensional não desperto são uma potente usina geradora de energia emocional e, portanto, são antes de tudo “uma rica fonte de pesquisa” para estes seres que se ocultam na quarta dimensão.

        Quando já temos nossa energia vibracional ativa fixada em nosso frontal, interagindo consciente através do plano mental, já estamos de certa forma protegidos destes “seres negativos”, porque já não irradiamos um estado emocional de sintonia com o que chamamos de “astral” e, principalmente, porque o nosso campo energético já está sendo guardado/defendido pelos Seres Energéticos e pelos Seres Ultradimensionais, que têm ascendência vibratória sobre estes seres nocivos, por vibrarem/”viverem” além da quarta dimensão.

        Entretanto, apenas ficaremos livres definitivamente do “assédio energético” destes “seres negativos”, quando transmutarmos nosso corpo físico para nosso Corpo de Luz, porque estaremos com Ele vibrando além da quarta dimensão, além da influência deles. Portanto, mesmo que ascensionemos e fiquemos no plano intermediário entre a terceira e a quarta dimensão – tanto no que é chamado de astral inferior quanto no que é chamado de astral superior – sempre ficaremos a mercê destas criaturas humanóides, porque teremos que reencarnar.

        Estas “criaturas negativas” como não estão na freqüência necessária, que sintoniza com a sutileza vibratória de um Ser Cósmico/Divino – como a dos Seres Energéticos, Seres Ultradimensionais e Seres da Natureza, apenas codificam como “Clarões” a presença destes últimos quando “passam” pela quarta dimensão, portanto, não Os identificando satisfatoriamente em seus Corpos de Luz.

        Os Seres Intraterrenos apesar de serem humanóides que também interagem com a quarta dimensão e ainda os extraterrestres de um modo geral, são de sensibilidade e de comportamento diferentes destas criaturas chamadas de “cientistas do espaço”. Os primeiros percebem a presença da Hierarquia Cósmico-Divina e com Ela sintonizam, enquanto os segundos vêm a Manifestação apenas ao nível do plasma/matéria com o fim de pesquisas.

        Foi na região próxima do Iraque – no Oriente Médio – há mais ou menos trezentos mil anos atrás, através do Grande Portal por onde “passaram” os Nefilin, que surgiram as condições necessárias para que a atual civilização surgisse e se desenvolvesse. Mas, é também daquela região, que ao mesmo tempo está vindo atualmente o motivo, que está colocando a humanidade na ante-sala de viver o seu Momento Zero. Nesta região de intenso conflito bélico estão de um lado indivíduos com uma maneira de pensar/agir mais racional e mais sintonizada ao uso de tecnologias e, do outro lado, estão indivíduos com uma postura religiosa/fundamentalista muito emocional. Estes tipos de confrontos bastante radicais que se originam de mentalidades diferentes ao nível do comportamento humano, vêm milhares de anos, construindo/vivificando de um modo geral por todo o planeta o inconsciente coletivo.

        As crenças religiosas quase sempre alimentadas pelo medo do “julgamento divino” e da “não salvação” são intensas fontes geradoras de conflito/emoção. E, cada segmento religioso, na sua tentativa de religar ao “divino”, buscando-o intensamente, mas de uma forma ritualística exterior, sempre buscou a “sua verdade”, mas, não a encontra, porque a Verdade ao nível da Hierarquia Cósmico-Divina Se mostra pela percepção da Unicidade e não no exercício da dualidade, que ainda procura o “positivo”, exercitando o “negativo” ao nível destas criaturas-deuses criadoras. A história da humanidade é rica em atrocidades cometidas em nome do ódio e do orgulho religiosos, tipicamente humano-duais e não Transcendente-Divinos.

        A energia do medo é a fonte que alimenta as “forças ocultas da sombra” e o instrumento que elas utilizam para controlar o ser humano há milhares de anos. Entretanto, o medo pode nos incomodar emocionalmente mas, nunca interferirá em nossa mente e, o Eu superior nunca será abalado. Portanto, o medo em última análise é não sabermos dialogar com o Eu Superior, é não saber decodificar a sua Verdade, é não saber interagir com a sua Transcendência Divina, que não está a mercê destes “seres negativos”.

        Por detrás de muitas narrações contidas no Velho Testamento está a presença de seres extraterrestres como “deuses” antes e depois do tempo de Abrão – explicando o porquê de “deuses” quase humanos, que tomam partido daqueles que têm a sua genética – dos nefilin. Esclarece também o porquê de “deuses” que ordenam e auxiliam na matança daqueles que afrontam e agridem os seus “protegidos” e que fazem tanta questão que a sua genética através da linhagem direta e mais pura dos patriarcas bíblicos e dos seus descendentes fosse preservada, para que pudessem construir depois do dilúvio universal a “Nação/Israel” através de doze tribos, punindo naquele tempo com a morte – como uma “imposição divina” – qualquer transgressão neste sentido.

        Estes “deuses” também gostavam de sentir o odor da carne sendo assada, quando partes do corpo de um animal imolado eram oferecidas em sua honra no alto das montanhas em altar de pedra. E, também das ruínas maias e astecas vêm informações arqueológicas da presença de “deuses negativos” ou extraterrestres negativos de fisionomia felina, para os quais lhes era oferecido em taças pelos sacerdotes o sangue humano ainda quente de vitimas sacrificadas, para ser talvez absorvido como alimento na forma de plasma.

        A história da humanidade é repleta da presença e da atuação dos “seres negativos” de várias raças em todos os quadrantes da Terra, manipulando/utilizando de várias maneiras os seres humanos, inclusive, para trabalhos braçais. Entretanto, a presença destes seres é rotulada como crendice, portanto, encoberta como mito pelo “véu da conveniência”.

        O indivíduo/dimensional está apenas temporariamente em corpo humano, porque anteriormente como ser/dimensional foi incauto e se deixou aprisionar pela densidade da terceira dimensão no planeta Terra, caindo no “alçapão das sete horas” – sintonizado com energias de freqüência emocional. A sua Essência é de Origem Cósmico-Divina, apenas o seu corpo físico momentâneo é grosseiro igual ao do ser planetário e, portanto, em princípio não deveria estar à mercê destes “seres negativos”.

        O dimensional consciente está com a responsabilidade de despertar para a sua Verdadeira Realidade todos os outros dimensionais que estão aprisionados na “Fazenda–laboratório Terra”. Nesta sua missão iluminada ele está sendo auxiliado/protegido pelos seus “Irmãos” Seres Ultradimensionais, que em seus Corpos de Luz estão sendo supervisionados pelos Seres Energéticos – Seres da Hierarquia da Luz em uma Freqüência Vibratória ainda mais Sutil.

        E, como já foi mencionado em outra ocasião, o dimensional/Projeto Portal que estava na Fazenda Boa Sorte/MS-BR em outubro de 1999 participando do momento da entrega da primeira “placa”, viveu a grandiosidade daquele momento, que começou a alterar a freqüência mental de todos os dimensionais conscientes e inconscientes. E, a partir daquela data estava também assegurada a permanência no plano físico dos Guardiões dos Planos Mais Sutis de Vibração e Agentes Condutores das Mudanças a nível individual e planetário, quando começaram aparecer comumente em fotografias e filmagens.

        Portanto, a partir do dia 10 de outubro de 1999, em torno das 4h45min, os Seres da Hierarquia da Luz – Seres Energéticos, Seres Ultradimensionais e Seres da Natureza – já podiam se expressar na terceira dimensão junto aos dimensionais. Eles auxiliam o dimensional em seu compromisso, para que vibrando em uma nova freqüência mental, a irradie para todo o planeta, ajudando-o a construir uma Nova Consciência, e a trilhar o Caminho da Luz em ressonância com o seu Principio Divino, readquirindo o seu Corpo de Luz – via Transmutação.

        O Dimensional deve seguir o mesmo Caminho da Luz de Jesus de Nazaré – o Cristo – que conseguiu transmutar/ressuscitar em seu Corpo Radiante. O Cristo Jesus, para transmutar o seu corpo físico em Corpo de Luz, ele aprendeu antes a decodificar/dominar a matéria, “trilhando” o caminho de sua luz eletromagnética. Esse aprendizado era para que ele pudesse manipulá-la em sua Freqüência Multivibracional, utilizando-Se das Linhas do Tempo/Malha Cósmica através da Energia Neutra do seu Pensamento em ressonância com a Energia Neutra do Amor Puro Uno da Manifestação.

        Portanto, o “Caminho da Luz” é construído na “Neutralidade” pela Energia Neutra do Amor Puro Uno da Manifestação, que o dimensional deve aprender irradiá-La com a sua Energia Neutra do Pensamento. Assim, ao caminhar pela Trilha da Luz, o dimensional não deve se voltar para o sentido de sua individualidade/ “ego” – como um ser dual/emocional, mas, perceber o sentido de Unicidade e Nele se inserir – como um Ser Transcendente/Divino, tornando-se um outro Cristo.

        Preparando-se para a “Civilização Dourada”

        No ano de 2012 – o início do “tempo de atribulação” – a Terra alcançará o clímax de sua passagem pelo Cinturão de Fótons, que com o seu Raio Sincronizador a colocará na Era da Luz ou na Era Dourada para o inicio da “Civilização Dourada” ou da Sexta Raça que durará dois mil anos. Portanto, a humanidade naquele momento de sua história começará a viver a sua fase dourada com a Era da Energia Crística, que devemos com ela aprender desde agora a nos lapidar, para que comecemos a ter consciência da verdade desse momento em que já vivemos.

        Mas, antes precisamos nos dispor a vivenciar uma tremenda transformação interior, eliminando a “negatividade” do nosso instinto primitivo, para que possamos nos harmonizar com as energias entrantes da Radiação Manásica, que acompanha o Cinturão de Fótons e comecemos a incorporar nosso Verdadeiro Corpo – nosso Corpo de Luz. Assim, devemos lançar fora as energias que nos entorpecem e nos escravizam da terceira dimensão, sintonizando com as Freqüências Energéticas Superiores do Cinturão de Fótons. E, este salto quântico que está em vias de acontecer com a humanidade não é comum e ele proporcionará também o momento de transição da Terra.

        A palavra manásica é derivada de manas, que significa mente. É através da Mente Abstrata, conhecida como Corpo Mental Superior ou Corpo Causal, que podemos nos ligar à Fonte Suprema e captar diretamente o Conhecimento Universal, de onde vêm as novas revelações ou aspectos da Verdade Universal à Humanidade.

        Na Nova Era ou na Era Dourada a ênfase será para a Harmonização Divina das polaridades e será pela interação destas duas energias de polaridade, que se originará uma Nova Consciência mais harmônica de naturezas feminina e masculina concomitantemente com a Energia Crística entrante – corporificando um “novo” ser humano, tanto nas mulheres como nos homens a sua condição de “Homem-Anjo”. Portanto, ao nível de uma nova consciência humana tudo que for discordante e arcaico será transformado para que a Energia Crística possa se equilibrar na Nova Terra. Será a era do intuitivo e do subjetivo que virá à tona. Será a era de trabalhar mais conscientemente a dualidade/emoção, com uma maior percepção de “estar na ilusão tridimensional”, para poder transcendê-la. Será a era do Raio Transformador, que oferecerá aceitação para todas as “Coisas Divinas” e quando também as energias arcaicas e antigas que até então se manifestavam em tudo e em todos serão removidas, para que um Mundo Novo possa surgir, juntamente com um ser humano novo e pacífico.

        No ano de 2012 iniciará também o Tempo do “não tempo”, quando a Terra em seu momento de transição apesar de continuar se mostrando no espaço-tempo ou no tridimensional, já interage na quarta dimensão, o que provocará “um