Postado por

MÁXIMA – XXII

MÁXIMA – XXII
Print Friendly, PDF & Email

O texto desta Página como os das Páginas anteriores foi feito com informações tiradas de algumas partes dos últimos textos das Paginas Interações. Se nele as informações foram resumidas para uma só frase, foi com o intuito de melhor facilitar a assimilação de seu conteúdo e, com isto, facilitar também uma melhor fixação mental do mesmo, no sentido de despertar (em outro nível de consciência e razão) a percepção para as realidades paralelas – para uma nova visão da Realidade.

A teoria holográfica da física moderna nos fornece a idéia de que cada partícula contém O Todo e esta teoria nos permite compreender que se o homem foi feito à imagem e semelhança do “Pai”, ele herda as características do mesmo e ele seria então uma partícula ou centelha desta Fonte Geradora, mas com os potenciais da Fonte – o conjunto de partículas forma uma rede gigante de energia e como tudo está ligado, cada partícula influencia todas as outras.

Nossas ações individuais influenciam tudo que está ao nosso redor e da mesma forma as ações do outro nos influenciam de alguma maneira, portanto, a alteração da energia ou freqüência de vibração de uma pessoa interfere na nossa freqüência – é o que acontece durante uma energização entre aquele que direciona a energia e aquele que a recebe.

O individuo tem o poder de concretizar suas criações mentais, já seus pensamentos são sementes que gerarão novos acontecimentos em sua vida e a vibração dos seus pensamentos influencia a vibração dos acontecimentos, portanto, é dessa forma que ele pode dirigir seu poder mental em direção aos seus objetivos, precisando apenas que ele coordene os seus pensamentos e os seus desejos como praticante de energização, que polariza a energia através de seus pensamentos e permite que ela flua até ao seu semelhante de maneira a lhe retirar seus bloqueios e equilibrar sua energia.

Quando trabalhamos com a energia, pouco importa se o problema é físico, emocional, psicológico, etc., porque estamos tratando o todo e tudo está interligado e uma coisa afeta a outra.

Cada indivíduo pode ser comparado a um rádio que envia e recebe ondas e na medida em que ele desenvolve seu campo energético, através dos trabalhos energéticos e de mudanças de consciência, ele altera também a faixa de freqüências que capta e envia e, ele pode então, sintonizar outras Realidades, entretanto, o indivíduo deve antes definir a “realidade das coisas” a partir daquilo que ele interpreta do mundo e utilizando/ampliando seus sentidos, ele estará também ampliando sua visão de mundo e a sua noção de Realidade – do Todo.

Para que possamos chegar próximos a entender o que é Deus e suas criações, primeiramente devemos fazer um esforço para termos uma mínima idéia do que é o Universo que pensamos conhecer – este é um caminho em busca do despertar da consciência cósmica.

Sendo o Universo Mental, e nós existindo na mente do “Todo”, como tais, somos seres mentais e criamos com a nossa mente, à imagem e semelhança do “Todo” – e esta ressonância talvez, explique um pouco a nossa criação conforme a imagem e semelhança de Deus.

Tudo no Universo está conectado e em constante evolução, portanto, o “Sacerdote Adormecido” deve compreender o quão fantástico é pertencer a este “Cenário Cósmico” criado por Deus, no qual todos têm a oportunidade de evoluir e, voltar para Ele muito mais perfeito quando Dele partiu.

A evolução é gradativa e possui infinitas fases, portanto o despertar não é imediato, mas, permanente e constante e, como no desabrochar de uma rosa, cabe ao “Sacerdote Adormecido” a responsabilidade de nutrir este processo e apesar dele na condição de ser humano estar “viciado pelo sistema”, ainda assim pode acessar a Consciência Una com o auxilio de sua “Intuição”.

Com o desenvolvimento da intuição, o “Sacerdote Adormecido” estará acessando uma via ilimitada de informações, portanto, no exercício de sua intuição ele poderá conectar com a Mente Superior, dando o seu primeiro passo para iniciar o seu processo de despertar.

Nutrindo dia após dia a sua intuição, o “Sacerdote Adormecido” observará que necessitará manipular também as suas emoções, ou seja, terá que exercer o autocontrole emocional e este autocontrole somente será exercido plenamente, quando ele conhecer cada uma de suas emoções e conseguir manipulá-las com sua mente.

O autocontrole das emoções é pré-requisito fundamental para o sucesso do processo de despertar, é com ele que o “Sacerdote Adormecido” poderá presenciar conscientemente os reflexos de cada emoção, seja no próprio corpo físico, seja no meio em que vive – enquanto estiver neste plano, terá, através da manipulação consciente das emoções, uma fonte inesgotável de energia vibracional e munido desta energia, poderá tanto experenciar outras realidades, quanto atuar na matéria.

Com o seu autocontrole, com a sua intuição e com a manipulação de sua energia sua vibracional, o “Sacerdote Adormecido” perceberá as inúmeras informações que receberá no seu dia a dia e passando a sua vida a ter outro sentido, ele perceberá que com estas suas atitudes, passará a controlar o seu destino, seu presente e futuro, já consciente da lei da ação e reação, e de causa e efeito.

Toda a causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, tudo acontece de acordo com a lei e o acaso é simplesmente um nome dado a uma lei não reconhecida – há muitos planos de causalidade, porém nada escapa à lei.

Nada no mundo acontece por acaso, tudo tem sua causa, e essa causa é o efeito de outra causa, e assim por diante, é uma cadeia circular infinita de causas e conseqüências.

Caso existisse o acaso, ele destruiria o Universo – nada acontece sem uma razão, mesmo se nós a desconhecemos, pois tudo é dominado pela Lei.

As massas humanas são levadas para frente, “são tangidas” seguindo os desejos e vontades dos outros, do coletivo onde as causas exteriores se tornam mais importantes do que a vontade própria – entretanto, o verdadeiro “Sacerdote Adormecido” deve elevar-se acima da massa, exercitando a sua vontade.

Nada nesse mundo está em repouso, tudo está em constante movimento, tudo tem a sua infinita vibração, embora algumas coisas pareçam estar em repouso, mas, na verdade estão dentro de um Universo que não para de vibrar – tudo, em nosso Universo está em constante movimento, isto é, em constante evolução.

Desde “O Todo”, que é Incognoscível, até a forma mais grosseira de matéria, tudo está em vibração, portanto, quanto mais elevada for a vibração, tanto mais elevada será a posição na escada evolutiva.

Nas extremidades inferiores da escada evolutiva estão as vibrações mais grosseiras da matéria, que parecem estar paradas e ao subirmos alguns degraus desta escada nos campos de vibração mais sutis, entramos em sintonia com “O Todo”, com a Mente Superior, recebendo assim os benefícios emanados.

Da mesma forma como o “Sacerdote Adormecido” busca evoluir dia a dia para tornar-se o verdadeiro Sacerdote, o Universo e a Terra também evoluem no mesmo compasso e no que tange ao Planeta Terra, para que a sua graduação ocorra, é necessário que ele passe pelo Cinturão de Fótons.

Nós pertencemos à Família da Luz, somos multidimensionais, só perceberemos esta verdade, à medida, que formos desenvolvendo nosso trabalho missionario, porque muitas informações manifestar-se-ão de acordo com nossa própria aceleração vibratória, portanto, precisamos evoluir e mudar completamente a visão que temos de nós próprios, para conseguirmos romper as barreiras e nos ligarmos definitivamente à Luz Cósmica.

De acordo com o conceito evolutivo se aceita o parentesco de pessoas por laços energéticos, cósmicos, eternos, que não se desatam nem por disputas, nem por distâncias, nem por esquecimentos ou decepções – é uma união assim tão forte, acima do bem e do mal, do tempo e do espaço, só pode ter uma origem mágica, cósmica, quase mística.

Uma Explosão de Luzes – Tudo começa com o Verbo e a vontade divina explodiu em infinitas centelhas de consciências iluminadas – puras luzes de Deus e essas frações divinas reproduziam todas as qualidades e poderes divinos, trazendo em si as potencialidades da essência feminina e masculina e, ainda cumprindo a vontade divina, o impulso cósmico, cada uma das frações também se desdobrou e se ramificou por todos os Universos e se fracionaram e se dividiram, até gerarem essências masculinas separadas das essências femininas.

Numa dança mágica em que todos se expandem ao máximo e depois se reúnem, refazendo o caminho que leva à origem e neste retorno vão encontrando seus pares, da forma como foi previamente definido pela vontade maior – assim nos perdemos e assim nos reencontramos e, independente dos laços sangüíneos, nos unimos a pessoas de forma irresistível, como se obedecêssemos a um plano superior.

Na medida em que vão evoluindo, os membros de uma mesma família cósmica vão se encontrando e fazem junto o caminho de volta em direção às suas essências originais e, em frações cada vez maiores de sua origem divina, reencontram as unidades bipolares de consciência (Eus Superiores) e cada Eu Superior traz tanto as potencialidades feminina/yin/negativa como as masculina/yang/positiva.

Cada polaridade se desprende e se desdobra em múltiplas faíscas de consciência, que vão se localizar em diferentes pontos do Cosmo, seus Pontos de Origem para o início da caminhada evolutiva e não importa para onde foram seus desdobramentos – o Eu Superior jamais perde a ligação com suas partículas e fragmentos, ele tem o registro de todas as suas existências, de todos os pensamentos e de todas as ações de cada um deles.

Somos puros quando nos desprendemos do Eu Superior, pura essência luminosa, mas, a partir do momento em que nos individualizamos na matéria vamos perdendo a memória e a pureza da experiência divina, e isto também faz parte do Plano – nosso desafio é nos purificarmos para que ressurja a essência original e para isto é preciso uma conexão cada vez mais perfeita com as emissões enviadas pelo Eu Superior.

São muitos os obstáculos para nos sintonizarmos com o Eu Superior, já que temos sete camadas da aura que precisam estar harmonizadas, alinhadas com esta luz. Vencer, superar cada um desses obstáculos é tarefa de vidas e vidas, trabalho árduo diário de aprender e evoluir a partir de cada experiência que a matéria nos proporciona.

A evolução mental pode ser resumida como este processo de diariamente se iluminar interagindo com a matéria, transformando a matéria em luz, sutilizando cada porção bruta que carregamos ao longo de tantas existências.

Enquanto não nos sintonizarmos com o Eu Superior é como se viajássemos sozinhos, sem ter com que conversar, sem ter quem orientar ou aconselhar na viagem ao desconhecido.

Após nos conectarmos com o Eu Superior, ganhamos um mapa, um guia e os recursos necessários para esta viagem cósmica em direção à família original e, mais que isso, não estamos mais sozinhos, a cada dia encontramos mais e mais companheiros de viagem que nos atraem e são atraídos para nossa companhia – se antes estávamos num vôo cego, sem saber para onde o destino nos levava, repentinamente intuímos, descobrimos, temos certeza do destino e confiamos numa chegada segura.

O contato com o Eu Superior nos devolve a verdadeira identidade, a exata freqüência que caracteriza nossa individualidade, nossa marca no Universo.

É muito difícil vislumbrarmos luz, verdade e amor em pessoas a que pautaram suas vidas com práticas criminosas, com cenas de violência e formas variadas de degradação moral, porém elas estão no mesmo caminho evolutivo que todas as outras, com menor ou maior consciência em etapas diferentes da caminhada, mas caminhando e este é o destino de todos: voltar para a luz, expressar plenamente sua essência luminosa.

Tanto a dificuldade de expressar a luz quanto a dificuldade de vislumbrar a luz do outro fazem parte do processo evolutivo e felizmente a cada dia são oferecidas oportunidades para este treinamento e assim vamos nos aperfeiçoando – os primeiros passos são os mais difíceis, mas quando nos determinamos a fazer a caminhada, cada dia fica mais fácil descobrir as soluções para tantos desafios.

As facilidades que vamos encontrando ao longo do caminho evolutivo são geradas pela inspiração enviada pelo Eu Superior e pelos encontros com nossos familiares cósmicos, que intuitivamente nos ajudam com informações, recursos, companhia, conselhos, muitas vezes sem saber que fazem parte do mesmo pedacinho iluminado de onde viemos.

A cada estágio evolutivo encontramos mais integrantes de nossa Família Cósmica, simplesmente porque os atraímos e os reconhecemos e esse reconhecimento não se dá sinais externos, porque eles se dão por sinais internos, quando internamente/intuitivamente sentimos que estamos na presença de um igual, mesmo que externamente ele seja muito diferente – e, não importam fatores como sexo, idade, nacionalidade, condição sócio-econômica, etc, porque simplesmente sentimos, intuitivamente sabemos.

Os laços cósmicos de parentesco não são como os consangüíneos, onde nos sabemos pais, filhos, avôs, netos, primos e tios, porque os parentescos cósmicos falam em Partículas, Fragmentos, Almas Gêmeas e de outros pedacinhos iluminados nascidos da mesma essência ou do mesmo Eu Superior.

Caso não tenhamos acesso à tecnologia específica que possa ajudar na identificação desses parentes cósmicos, uma boa opção é passar a ouvir melhor, prestar mais atenção, priorizar mais as pessoas que entram na nossa vida no cotidiano – devemos ouvi-las com toda a calma, olhando nos olhos, sejam elas os idosos e as crianças muito pequenas, os pedintes e também os adultos que falam alto demais e os adolescentes que não querem nos ouvir.

Enquanto observamos com a mente, devemos procurar sentir com o coração, porque dessa forma vamos refinando a intuição e ao longo de um tempo nos especializamos não só em saber quem tem energia compatível com a nossa, mas começamos a fazer combinações de algumas pessoas com outras das quais guardamos na memória as impressões energéticas que nos causaram – e, esta identidade energética é a freqüência vibracional de cada um.

Cada um tem a sua individualidade e ao mesmo tempo sua identidade com um grupo de consciências que trazem desde sempre uma mesma marca sutil e que quando conseguimos encontrá-las formamos com elas uma luz única, que nos ilumina, aquece, conforta e ensina o caminho de volta para a Plenitude Divina.

Os trabalhos do Projeto Portal com a energia vibracional ativa/kundalini do dimensional estão sendo no momento direcionados de maneira mais intensa às suas habilidades paranormais, para que ele possa através delas realizar o seu compromisso missionário e alcançar por merecimento a sua Elevação Vibratória e chegar posteriormente pela sua Transmutação ao seu Corpo de Luz.

No Caminho da Luz o indivíduo/dimensional deve inicialmente substituir a sua consciência dual/emocional/insegura para a de um Ser como o Ultradimensional que ”tudo vê e sabe” da terceira dimensão, portanto, mesmo limitado em sua condição humana, ele deve desenvolver a sua percepção/intuição, própria daquele “que tudo já sabe” em relação o que faz e neste sentido há muito os “seres” vêm ajudando o dimensional/Projeto Portal através de “leituras” do seu campo energético/aura, visando despertá-lo para um outro nível de consciência e, inclusive, despertá-lo para as suas habilidades paranormais.

Entretanto, o individuo/dimensional que ainda está com a sua “roupagem” humana, ainda tem dúvidas e vacilações quando vivencia na densidade energética da terceira dimensão e teimosamente está tentando dela se “despir” caminhando para a sua Transmutação, ao tentar decodificar o quê ele ainda não “vê” ou que não “alcança” com os seus cinco sentidos e, esta sua teimosia corajosa em busca de auto-iluminação que o impulsiona para frente, é que o faz ter toda a cobertura dos “seres”, que estão ajudando-o no Seu Despertar – no seu Caminhar para a Luz.

O dimensional que atualmente está “acordando” para sua Realidade, está saindo de uma fase preparatória ou transitória para uma fase definitiva em direção à sua Transmutação, quando ao mesmo tempo em que transmite as informações que adquiriu em todo este seu tempo de Projeto Portal, ele as vivencia, portanto, ele que cerca de nove anos passou e ainda passa pelo seu processo de “Despertar”, está saindo da “sombra”/ilusão e caminhando para a Luz, quando ao propagar a sua missão em uma “linguagem energética”/não emocional, ele se ilumina, despertando-se para uma outro nível de consciência – que já interage com a quarta dimensão.

Em outro nível de consciência menos emocional e mais sintonizada com a sua percepção de Unicidade, portanto, menos voltada para o “jogo da dualidade”, o dimensional começa a perceber, que a sua “Realidade Energética e Divina” só Se mostra pelo exercício da “Neutralidade” com a Energia Neutra de seus Pensamentos e com Ela se manifestando/agindo através da Energia Neutra do Amor.

Portanto o “Caminho da Luz” é “construído”/irradiado pela Energia Neutra do Amor Puro Uno da Manifestação, que o dimensional deve aprender vibrá-Lo com a Energia Neutra do Pensamento, na medida que vai desenvolvendo as suas habilidades paranormais em sintonia com as Leis Universais, para que ele possa se transmutar auxiliado pelos Seres Energéticos e alcançar o Plano de Vibração Deles – o Plano de Pura Luz.

O dimensional iniciado ao Caminhar pela Trilha da Luz, já sabe então, que não deve se voltar para o sentido de sua individualidade/”ego”, mas, que deve se sintonizar com os Seres de Pura Luz – Seres Energéticos – que já possuem uma Consciência Expansiva/Coletiva em seus Corpos Radiantes e, portanto, são os seus Referenciais de Luz neste seu “Caminhar”.

O individuo/dimensional desperto já percebe que na “Consciência de Deus” não existe o bem e nem o mal, que só existem na limitada consciência humana que exercita a dualidade, ele já sente que para extrapolar os limites de suas experiências tridimensionais com a energia do dualismo, ele deve por começar a decodificar “O Quê realmente É”, exercitando-se com o seu pensar/agir a “Neutralidade”, para que ele possa se perceber irradiando a Energia Neutra do Amor e se “veja” inserido no “Grande Corpo” como extensão de seus semelhantes e vice-versa – portanto, ele já sabe que “Vibrar na Neutralidade” é não mais vibrar em sintonia com o mundo da forma/da ilusão/das diferenças, que é visto/codificado apenas pelo emocional ao nível do individuo/”ego”.

As crenças religiosas quase sempre alimentadas pelo medo do “julgamento divino” e da “não salvação” são intensas fontes geradoras de conflito/emoção e, como já mencionamos em outra ocasião, cada segmento religioso na sua tentativa de religar ao “divino”, buscando-o intensamente, mas, de uma forma ritualística exterior, sempre buscou a “sua verdade”, mas, não a encontra, porque a Verdade ao nível da Hierarquia Cósmico-Divina Se mostra pela percepção da Unicidade e não no exercício da dualidade, que ainda procura o “positivo”, exercitando o “negativo” ao nível de “criaturas-deuses” criadoras – a história da humanidade é rica em atrocidades cometidas em nome do ódio e do orgulho religiosos, tipicamente humano-duais e não Transcendente-Divinos.

No Plano de vibração onde o individuo/dimensional ainda vivencia, a sua grande dificuldade ao buscar a auto-iluminação ou em desenvolver níveis mais amplos de consciência/razão, é organizar/polarizar os seus sentimentos nos seus centros emocionais/chacras, que são responsáveis pela concentração destes sentimentos em sua mente, quando ele os vivenciando em suas experiências cotidianas, tem a sensação de agrado ou de desagrado – estes sentimentos negativos por ser de baixa freqüência deixam o individuo apático e esgotando-o de sua energia vital.

Estes sentimentos que estão associados aos seus chacras inferiores – básico, umbilical e plexo – quando não são controlados, não permitem que o individuo/dimensional alcance níveis mais amplos de consciência/razão ou de Luz/informação e para controlar as energias que vibram nestes sentimentos e que estão em ressonância com estes chacras, ele deve antes identificá-las em suas experiências cotidianas, para que possa depois de “sublimá-las”, ter condições de sintonizar com os outros Planos mais Sutis de Vibração.

O dimensional que já é um iniciado de Verdades Cósmico-Divinas, deve ativar os seus três centros emocional-inferiores através da Energia Neutra do Amor, quando perceber que os seus sentimentos/desejos estão vibrando em ressonância com os seus três principais chacras inferiores, para que possa direcioná-los no sentido da Harmonia para si e para os outros através do seu frontal, ele deve se “vê” neste momento como um Ser Transcendente não mais sintonizado com os seus “sentimentos negativos”, para que possa irradiar um estado mental mais Harmônico em sintonia com o Todo/Uno.

Nesta atual fase dos trabalhos mental-vibratórios com a Energia Crística o dimensional/Projeto Portal já deve ter a total noção de sua responsabilidade para cada vez mais gerar pensamentos puro-harmônicos, porque a Energia Crística potencializa tanto o que ele chama de “positivo” quanto o quê ele chama de “negativo”, portanto, ele já deve estar em um nível de consciência, que o possibilite comumente gerar pensamentos sintonizados na Freqüência da Energia Neutra do Amor, onde os seus sentimentos do instinto primitivo e “negativo” da sua condição humana gerado pelo seu emocional/”ego” estejam cada vez mais ausentes, não mais sobrepondo a um estado mais iluminado de percepção/intuição que deve agora prevalecer inerente à sua Consciência Divina.

Em setembro de 2002 em diante foi que o dimensional/Projeto Portal começou trabalhar com a Energia Crística, de acordo com os exercícios vibracionais que os “seres” passaram para ele e esta Freqüência Energética Se manifesta através da energia emocional/sexual/kundalini do dimensional, que depois de transformada tem o poder de criação físico-eletromagnética, portanto, foi a partir daquela data que o dimensional começou o seu aprendizado para que a sua energia da kundalini fixasse em seu frontal e já transformada em energia vibracional ativa, não mais vibrasse ao nível dos seus outros chacras.

E, foi a partir de setembro de 2005, que cada dimensional/Projeto Portal foi trabalhado/direcionado para uma determinada freqüência mental, sendo ativado em alguns pontos do seu corpo, para que todas as energias oriundas especificamente de suas emoções, fossem transformadas/fundidas em uma só freqüência – como energia vibracional ativa.

O dimensional/Projeto Portal foi sendo gradualmente trabalhado dentro de um processo que dependia da sua energia da kundalini armazenada em seu frontal e do seu nível de evolução/iluminação, para o quê ele energeticamente tocasse, transformasse em energia alquímica de transmutação e o quê ele passasse a expressar como “religioso”, transformasse em sagrado.

Já com a sua energia da Kundalini fixada em seu frontal ele começou a se transmutar interiormente, para que nele manifestasse a Energia do Triangulo e pudesse manipular as Linhas do Tempo de acordo com as Leis Universais, já sabendo que o Pai é o Pensamento, é a Consciência, age no ectoplasma, organiza, planeja, discerne e está relacionada com a quinta dimensão e as dimensões superiores; que o Filho é o Desejo, está ligado à quarta dimensão e age no plasma que transforma, dá forma e impulsiona; que o Espírito Santo é a Vontade, age no físico/terceira dimensão, está relacionada diretamente com a atuação/realização na matéria através da kundalini – corpo físico/sete camadas da aura.

O dimensional/Projeto Portal agora sabe que Pai/Filho/Espírito Santo ou Pensamento/Desejo/Vontade, são palavras chaves e que cada uma delas tem determinada Freqüência Vibracional que ele deve aprender como direcioná-La, utilizando-se das Linhas do Tempo ou da Malha Cósmica.

O Cristo Jesus quando realizava os seus “milagres”, não utilizava técnicas mágicas para fazer surtir os seus efeitos extraordinários e o quê Ele realmente passou para a humanidade foi o seu exemplo de vida, a sua fé, a sua concentração e a segurança em Si mesmo, quando manipulava a Freqüência Multivibracional para fazer os seus milagres, utilizando-se das Linhas do Tempo/Malha Cósmica.

Como já mencionamos em outra ocasião, se o Cristo Jesus tornou o Referencial para uma parte da humanidade como a “Luz” que iluminou e que ilumina o “Caminho”, foi porque Ele como “Verdade Viva” conseguiu extrapolar os limites energéticos da matéria, não Se deixando dominar por ela e ele a decodificou e a dominou, “trilhando” nela os caminhos da luz eletromagnética e, portanto, conseguiu manipulá-la em sua Freqüência Multivibracional, fazendo os Seus “milagres” através da Malha Cósmica, quando Se utilizou da Sua Energia Neutra do Pensamento em ressonância com a Energia Neutra do Amor Puro Uno da Manifestação.

Como a Energia Cristica que é de Altíssima Vibração era facilmente manipulada por Jesus de Nazaré, ela passou a ser conhecida pela humanidade associada à pessoa dele, que na sua condição de Referencial Divino “já veio codificado”, para com Ela Se expressar e, para que Ela Se manifeste no individuo/dimensional através da sua energia vibracional ativa/kundalini, ele deve também se tornar um outro Cristo, exteriorizando cada vez mais a Energia Divina do seu Cristo Interior através da Energia Crística.

A Malha Cósmica/Linhas do Tempo é o Caminho de Luz, que com a sua Geometria Sagrada passam também as “Naves Merkabah – GNA e Gemus” e que só agora o indivíduo/dimensional começa a se capacitar para trilhá-La com o seu Corpo de Luz, na medida em que vai se despindo de sua individualidade/”ego” e vai se percebendo como parte do “Grande Corpo de Energia “.

Se os Portais/Vórtices de Energia estão cada vez mais abrindo, dando passagem às estas Manifestações Cósmico-Divinas, é porque o individuo/dimensional está cada vez mais como um co-criador interagindo com a Malha Cósmica/Linhas do Tempo através da sua própria malha eletromagnética/kundalini, que também está lhe proporcionando um profundo estado de intuição e de percepção de outros Planos de Realidade através de sua “visão” pelo frontal ou de sua terceira visão.

As “Naves GNA ou de Gemus”, Corpos Vivos ou Seres Divinos em suas “Merkabah” quando se mostram pulsando literalmente iluminados pela Energia Neutra do Amor Puro e Uno da Manifestação, estão através da Energia Crística ou da Criação em interação com o dimensional/Projeto Portal, utilizando-Se da sua energia vibracional ativa/kundalini.

Sempre na história da humanidade as “Luzes” Se fizeram presentes na vida dos iluminados, daqueles que se “abriram” para Elas. Sempre os “deuses” estiveram presentes na vida destes semi-deuses, se mostrando na forma de Carruagens de Fogo, Brumas Flamejantes, Estrelas Condutoras e atualmente como “Naves GNA e de Gemus” em uma interação energeticamente direcionada com o dimensional/Projeto Portal através da sua energia mental/vibracional.

Estas Manifestações Vivas até da Nona Dimensão em seus Veículos de Luz ou “Naves Merkabah” geram um campo energético-vibratório, que age no campo energético do individuo/dimensional, expandindo a sua aura para que ele possa vibrar e irradiar um nível de consciência mais iluminado – de um semi-deus – e perceber no momento em que As vivencia, que é realmente parte do Todo/Uno.

Como já sabemos, brotam de todos os lados vindo dos “Mensageiros” dos Planos Superiores da Luz as informações para um Novo Tempo, para um “Novo Estado de Ser” em ressonância com a Energia Viva e Consciente que quer através de Sua criação consciente e observadora (o indivíduo) desvendar o seu próprio “Corpo Divino”, através de “mecanismos” da Manifestação e, portanto, o “Corpo Divino” como Manifestação está Se mostrando além do espaço-tempo.

Deus através de Sua Consciência (Divina) identificada na Causalidade Descendente como “Algo” que está alem da matéria, está interagindo com o que Ele próprio criou por intermédio do dimensional/Projeto Portal – o observador/consciente.

E, o dimensional/Projeto Portal nestes seus momentos literalmente de Luz/informação está ao nível de seus pensamentos, se tornando realmente o seu próprio juiz, porque como já mencionamos, a energia mental gerada pelo o quê ele pensa, está sendo potencializada e pode refletir nele e nos outros tanto de maneira harmônica quanto desarmônica e, portanto, a Única Via que ele deve agora trilhar através de seus pensamentos e de suas ações é a Via da Energia Neutra do Amor, que é também a Via da Energia Pura da Manifestação, por onde se expressa a Energia Crística com o auxilio das “Naves GNA e de Gemus” e da energia vibracional/kundalini do dimensional – um semi-deus em seu Caminho de volta à Luz.

O dimensional/Projeto Portal já sabe que até o início do ano 2008 – dia 27/03/2008 – ele estará passando por uma seleção através de experiências especificas/marcantes, que já as vivencia e que ainda as vivenciará no seu cotidiano com outros Planos de Realidade e quando também será avaliado de acordo com o desempenho de sua missão, portanto, ele deve se tornar resistente e impenetrável às freqüências densas regidas pelas leis arcaicas e físicas da terceira dimensão, para que não mais ficando limitado por informações vindas de uma civilização que já se perdeu nela mesma, possa mais facilmente interagir com as Dimensões mais Sutis de Vibração.

A Ressurreição é conhecida como a transformação do corpo físico do individuo em seu Corpo de Luz – Merkabah, mas, para o dimensional/Projeto Portal que é um iniciado e, portanto, que já tem outras informações, Ela deve ser a conseqüência da Transmutação do seu corpo físico através da manipulação de sua energia mental, alterando a sua Onda de Freqüência Vibratória, para que possa passar direto para a quarta dimensão, como ele já fez há milhares de anos atrás.

O dimensional desperto já sabe que para fazer a sua passagem para a quarta dimensão com a energia do seu ectoplasma, ele deve evoluir/iluminar extraordinariamente, trabalhando a sua freqüência mental – o quê ele tem que fazer, é o quê ele já sabe fazer.

Portanto, o individuo/dimensional vibrando em uma nova freqüência mental, deve alcançar o nível de consciência necessário para que ao trilhar o Caminho da Luz, possa dialogar por intermédio do seu Cristo Interno com a “Mente Divina”, decodificando a Luz de Sua Vontade através da Energia Neutra do Amor – a Energia Viva que “expande” constantemente à medida que também a sua intuição e sua percepção vão se expandindo.

A auto-iluminação é dinâmica, ela só acontece mediante novas informações através de Luz/informação, que permite ao individuo/dimensional se perceber cada vez mais como parte da Criação, ao irradiar como um co-criador em suas experiências cotidianas a Energia do Amor, a Energia Neutra que constrói o universo, que lhe dá a vida e que Ilumina e “dá Vida” o seu Corpo de Luz.

Pertencer a grupos é da natureza do ser humano, nos grupos desenvolvemos nossa socialização, adquirimos conhecimentos, nos divertimos, trabalhamos e é em grupo que temos nossos maiores desafios evolutivos.

Existem grupos que são transitórios, têm uma função específica e são extintos após a realização da mesma e outros são mais duradouros, ou por que representam instituições duradouras, como famílias, religiões e associações, entre outras, ou por que são movidos por profundos laços emocionais, seja a amizade, a caridade e a fraternidade, entre outros – e aos grupos são inerentes conceitos como membros, funções, dinâmica prevista ou pré-estabelecida, normas de comportamento aprovadas pelo grupo, etc.

Pertencer a um grupo é um ato voluntário, pois o indivíduo pode se afastar caso discorde de seus membros, das funções, das normas ou de outros aspectos que caracterizem aquele determinado grupo.

Entretanto, o “chamado” é um desígnio divino, cósmico, superior, dependendo da crença do indivíduo e aceitá-lo não implica em anular a vontade, mas em colocar a própria vontade a serviço de uma vontade superior – e, quando vários indivíduos entram num grupo atendendo a um “chamado” eles formam um corpo de energia, pois os membros do grupo, suas funções, sua dinâmica e suas normas são definidos a priori pela Inteligência Superior e se manifestam na dimensão física através da vontade, do pensamento, das palavras e do comportamento daqueles indivíduos.

Estar no corpo de energia é pensar, sentir e agir em uníssono com todas as demais partes.

Como num corpo físico, cada parte tem sua individualidade na forma, na função e na expressão na matéria, mas sua conexão com as outras partes é tão perfeita, o que acontece com cada uma repercute nas demais – atender a esta programação não é um ato voluntário, mas uma constatação de que independente da vontade você já faz parte daquele corpo.

Os dimensionais/Projeto Portal quando atendem ao “chamado” e se integram fisicamente a este corpo de energia, estabelecendo uma forma dinâmica de movimentação constante, com pessoas entrando e saindo do núcleo energético central, mas interligadas por ondas de pensamentos e sentimentos que mantêm conectados mesmo aqueles que se afastam fisicamente e mesmo aqueles que ainda nem tomaram conhecimento do “chamado” – portanto, a programação já existe, falta que a vontade individual se alinhe à Vontade Superior.

Dentro de um corpo maior podemos ter pequenos órgãos, grupos de células, conexões e outros agrupamentos com objetivos e funções específicas e são pequenos corpos de energia do corpo maior e partes desses organismos menores podem participar de outros organismos, onde estarão desempenhando funções diversas.

A dinâmica própria de um corpo de energia enriquece a experiência de cada um decorrente da troca de informações e contribui para o crescimento pessoal de todos os participantes do corpo maior.

A diferença fundamental entre grupos e corpos de energia é que o grupo se esgota em si mesmo e as informações adquiridas nele não passam necessariamente para outros grupos pertencentes à mesma organização, enquanto no corpo de energia as informações relevantes são assimiladas e arquivadas nos corpos energéticos de cada indivíduo e, por ressonância, são passadas para os demais com quem tem contato.

No corpo de energia as formas de contato podem ser contatos físicos a curta ou longa distância como em todos os grupos (reuniões, encontros, telefonemas, e-mails), contatos astrais como em muitos grupos (sonhos, pensamentos, sentimentos) ou contatos energéticos, que acontecem em dimensões mais sutis – e, em função desses contatos mais sutis é que constatamos saber de informações que jamais nos foram passadas conscientemente, porque nós as acessamos do próprio corpo de energia.

Nos grupos é necessário um tempo para que as pessoas se conheçam e consigam produzir algo com eficácia, enquanto no corpo de energia o fator mais importante para que os objetivos sejam atingidos não é o tempo ou o conhecimento mútuo, o fator mais importante é a entrega, quando cada um entrega sua vontade à Vontade Superior a produção se inicia, quando cada um passa a formar uma Unidade com os demais, sem individualidades, sem diferenças, sem identificações.

Na freqüência da neutralidade/amor, a interação com a energia da Luz nos leva a descobrir que a informação está disponível para todos, mas cada um tem o seu papel, seu tema e sua tarefa específica e estes temas, tarefas, papéis são oriundos da história individual, das experiências e memórias que cada um traz para o corpo maior.

Na freqüência da neutralidade não há dúvida nem quanto á capacidade de realizar a tarefa nem quanto à melhor forma de fazê-lo: simplesmente se faz, porque na Energia Neutra do Pensamento não somos afetados pelo medo, orgulho, inveja ou qualquer emoção que possa interferir num processo de criação.

Quando usamos a Energia Neutra do Pensamento agimos como essência, e não como indivíduo.

O indivíduo é limitado, mas a essência é eterna, ilimitada, existe desde sempre e sempre existirá, alimentando-se de informações diretamente do Eu Superior e, essas informações não são influenciadas por julgamentos, preferências ou ideologias.

Para entrar na Freqüência da Neutralidade – dimensão do Amor – é preciso total entrega da mente ao Eu Superior por um ato de vontade e com a única intenção de registrar as informações a serem compartilhadas com os demais – a meta deve estar bem definida, a mente alerta e pronta para o processo de criação.

O processo de criação no corpo de energia nos ensina a neutralizar a influência do Ego, a melhorar a sintonia com as Esferas Superiores e a desenvolver o desapego, pois descobrimos que nada é nosso e que tudo que criamos é fruto da Manifestação e, a partir da criação, tudo é incorporado a este corpo e aos demais corpos interligados pela Luz.

Em qualquer atividade desenvolvida num corpo de energia o processo é semelhante: cada parte/indivíduo tem uma função específica, programada pela Mente Superior e todas as partes juntas abrem mão de suas individualidades e se sintonizam para realização do Objetivo da Luz.

Se nós considerarmos que a energia é a matéria acelerada, acabaremos percebendo que a matéria é uma forma de energia e então, poderemos admitir que o indivíduo seria constituído de energia e, portanto, a organização molecular de seu corpo seria na verdade uma rede complexa de campos de energia entrelaçados – e seguindo esta lógica, seria possível trata-lo apenas utilizando de energia.

As energizações mudam o funcionamento da energia permitindo ao individuo uma nova tomada de consciência, ao mesmo tempo em que as suas reflexões alteram a sua energia e o permitem acessar novos padrões energéticos dentro de um processo que leva o nome de efeito espelho ou de reflexividade – portanto, neste processo existe uma relação reflexiva entre a energia e a consciência.

Para melhor compreendermos o papel da energia em nossas vidas é importante ressaltarmos que o “reino físico” é somente uma pequena parte de nossa Realidade Multidimensional.

A energia pode influenciar diretamente todas as Dimensões de Realidade e no Projeto Portal todos os trabalhos vibratórios nos processos de energização passam diretamente pela energia – de fato, nossas ações, sentimentos, pensamentos e igualmente todos os acontecimentos passam igualmente pela energia, porque efetivamente dentro do universo e suas diferentes expressões tudo passa pela energia.

Ultimamente, a ciência estuda também as interações entre os estados químicos e os campos eletromagnéticos e apesar da seqüência abaixo não incluir a complexidade que por ela os campos eletromagnéticos afetam o metabolismo celular, pode-se levá-la em consideração para descrever o “funcionamento” dos seres vivos: Função Estrutural Química, Campos Eletromagnéticos e Campos de Energia Sutil e, nesta equação qualquer desequilíbrio não importando em qual nível (parâmetro), desenvolve também um desequilíbrio no nível vizinho, em uma reação em cadeia.

Não tem como se separar as ações dos sentimentos e dos pensamentos, tudo é uma coisa só, um só conjunto e a energia é um espelho deste conjunto, ela reflete a ação, o sentimento e o pensamento do individuo – então, pela reflexividade a alteração de qualquer um destes aspectos alteraria os demais e dessa forma, a energia teria um papel fundamental em nossas vidas, porque ela reflete todo o funcionamento do nosso corpo, bem como suas ações, seus pensamentos e seus sentimentos, da mesma forma que a consciência, o autoconhecimento e os trabalhos energéticos são um todo e caminham em conjunto, com o desenvolvimento de um destes três aspectos interferindo diretamente no desenvolvimento dos outros.

Na visão holística do Projeto Portal não se pode separar a razão, as ações, a energia e as emoções, já que cada ação é portadora de uma energia, de um pensamento e de um sentimento e não existindo separações, estão todos interligados, tudo fazendo parte de um todo – uma concepção que antes a ciência não aceitava, porque considerava que as emoções e a razão eram coisas que não se misturavam.

Normalmente o individuo não ama as coisas simples, porque o simples tem para ele uma significação de monótono, de obtuso ou de banal, mas, ele se esquece de que a simplicidade é uma necessidade da vida humana, porque nela está a arte de ver sentido e de ter a felicidade dentro das pequenas coisas, coisas naturais e quotidianas – e, dessa forma na simplicidade é que a consciência encontra a realidade essencial da vida, que atravessa todos os problemas e todas as confusões que o individuo inventa, que o “ego” cria.

O “ego” é um mecanismo padrão instalado dentro do individuo, que tem tendência a lhe impedir desenvolver a sua consciência, ele tenta bloquear a autoreflexividade, criando também traumas e bloqueios energéticos e como todo padrão o “ego” tenta fazer o possível para se preservar enquanto tal – então, para evoluir dentro dos trabalhos energéticos e do desenvolvimento da consciência, é muito importante transmutar o “ego” e a melhor ferramenta para isso é o conhecimento de si mesmo através da autoreflexividade.

Devemos saber realmente o que é consciência, já que se fala muito dela nos grupos de trabalhos energéticos no Projeto Portal e, neste sentido, queremos propor algumas pistas de reflexões – considerando que o autoconhecimento de um indivíduo tem efeito em todas as suas ações, podemos dizer que o seu lado subjetivo é sempre objetivo quando existe autoreflexão, que é então uma ferramenta para se acessar novos níveis de consciência.

Mesmo a física moderna leva em consideração a consciência para certas formulações.

A física quântica não é uma física exata, ela é, sobretudo, uma física de possibilidades, ela interpreta o Universo como sendo uma rede de energia dentro da qual tudo está ligado, ela é um modelo holístico da Realidade – e, segundo alguns físicos modernos a presença da autoreflexão e da consciência é considerada como fundamental dentro do processo de criação do sentido e toda tentativa de compreensão passa por este caminho.

A consciência no individuo o faz ter conhecimento de si mesmo, também do outro e ao mesmo tempo do mundo em sua volta, ela permite que se consiga perceber as coisas sem que haja necessidade de se esforçar para percebê-las – portanto, a consciência ou a tomada de consciência está presente quando quebramos barreiras energéticas que são criadas na terceira dimensão.

O Ato Criador Se faz por Saltos Quânticos e em ressonância com Ele o Manifesto – o “Corpo de Deus” através do Universo Consciente – está codificado em nível de cada átomo com a Energia/Luz do Amor Divino.

Nesta Espiral Divina e Criadora o individuo – como observador – é também outro universo constituído de DNA e de células e, já ao nível do seu cérebro/mente “iluminado” por explosões aleatórias através de reações químicas onde cintilam pequeninas centelhas de eletricidade, lhe são criadas condições, para que surjam os seus pensamentos, que “alimentam”/vivificam/exteriorizam a sua Consciência Divina.

Portanto, através do seu cérebro onde são criados impulsos eletros-químicos, é que o individuo também vivencia os seus sentimentos/emoções no ”mundo da ilusão”, construído de imagens exteriores que geram os seus conflitos, assim, ele deve com a sua consciência individual/ascendente de observador – em relação à Consciência Universal que pulsa no Eterno Agora – “inspirar-se” em sua Realidade Interior, para que harmonizado com a sua Vida Interior não mais se conflite ou se inquiete no mundo exterior.

Quantum em latim quer dizer quantidade – uma quantidade discreta e continua.

O Universo Consciente Se exterioriza por ondas de luz em vibração ou por quantum de energia.

O Ato Criador – com os Seus Saltos Quânticos – só pode ser compreendido/percebido por aquele que já decodifica/percebe/”vê” o Todo/Uno tanto no denso/matéria quanto no sutil/plasma e, portanto, que já O “vê” nestes níveis de realidade através da dinâmica quântica como uma só “Substância Divina”.

O realismo materialista/físico/cientifico na ciência tradicional é sustentado por seis dogmas metafísicos:
a) objetividade;
b) monismo materialista e reducionismo;
c) determinismo;
d) continuidade;
e) localidade;
f) epifenomenalismo.

De acordo com o dogma da objetividade o mundo material é independente da consciência do observador – e, pelo monismo materialista e reducionista tudo é material, constituído por átomos, por suas partículas elementares, pelos seus campos de energia e de força, que são fenômenos de origem apenas material e que podem ser definidos em escalas cada vez mais reduzidas.

No determinismo causal o mundo é como se fosse uma grande máquina com o seu mecanismo funcionando dentro de uma determinada forma, de modo que toda mudança e que todo movimento de um objeto que nele acontece são determinados pelas condições do objeto em relação à sua posição, à sua velocidade e às forças que agem sobre ele – e, a continuidade como conseqüência do determinismo causal é a hipótese de que toda mudança e de que todo movimento são contínuos.

De acordo com o dogma da localidade é impossível uma ação simultânea a distancia, porque todas as causas e seus efeitos são locais, propagando no espaço com uma velocidade finita, durante uma extensão finita de tempo ou em um determinado período.

Finalmente, pelo epifenomalismo todos os fenômenos são subjetivos ou secundários, são epifenômenos da matéria com os seus campos de energia/força como realidade/objetividade e, neste caso, os fenômenos subjetivos como o a Consciência e o Eu são fenômenos secundários da matéria sem eficácia causal própria.

Entretanto, com a nova ciência – a do quantum – a matéria é descrita apenas como ondas de possibilidade, onde se calcula momentos/eventos possíveis para os elétrons, que no seu aspecto de nuvem/plasma estão em todos os locais ao mesmo tempo e não em um local em particular e, portanto, com a probabilidade de cada um destes momentos possíveis ocorrerem, mas, sem prever o evento único/real que uma determinada observação pode ocasionar.

O elétron pode se mostrar tanto como uma partícula quanto como uma onda, dependendo do aparato escolhido para observá-lo – é a consciência do observador que escolhe aonde e como o elétron vai se manifestar.

“Quem ou O Quê” ocasiona realmente a única efetivação destas múltiplas possibilidades, “Quem ou O Quê” provoca o colapso da onda de possibilidade do elétron real/partícula inserido no espaço-tempo reais quando ele é visto na terceira dimensão em uma observação real/física?

Na ciência do quantum a matéria possui eficácia causal, mas, apenas para determinar possibilidades e probabilidades e de acordo com esta nova ciência – e como já mencionamos anteriormente – é a Consciência (Divina) identificada na Causalidade Descendente como “Algo” que está alem da matéria, que interage com o que Ela própria criou, na escolha de possibilidades quânticas através do individuo/observador que converte as ondas de possibilidades em eventos reais.

É esta Consciência (Divina) que gera a realidade, o quê é escolhido/convertido em ato – evento por evento – construindo por saltos quânticos a realidade com a sua finalidade criadora tanto no plano da objetividade/matéria quanto no plano da subjetividade/”espírito”, é ela que através da Energia Neutra do Amor Puro e Uno da Manifestação gera/pulsa através das “Diástoles e Sístoles Divinas” toda a Criação.

De acordo com o realismo materialista cientifico todas as causas fluem de baixo para cima, portanto, no sentido ascendente a vida flui das partículas elementares para os átomos, dos átomos para as moléculas e das moléculas para as células vivas/neurônios que formam o cérebro do individuo e, assim, de acordo com o realismo materialista a vida manifesta/surge ao nível celular e a consciência ao nível do cérebro.

Entretanto, pela nova ciência a consciência do individuo observador transcende à sua condição de cérebro/mente, ela está vinculada com “Algo Além” – com a Consciência Descendente – através de quantum (pedaços) de energia, que através de ondas de possibilidades transcendem o espaço-tempo e, portanto, eles são uma influência transcendental e não local em relação à realidade manifesta – à matéria.

O quantum de energia ou pedaço de energia sem envolver sinais no espaço-tempo ele contradiz o pressuposto do realismo materialista de um mundo material único.

 

___________________________

Compilação de Antônio Carlos Tanure

Translate »