Postado por

Momento de interação com a Energia do Cristo Cósmico

Momento de interação com a Energia do Cristo Cósmico
Print Friendly, PDF & Email

No dia 5 de janeiro de 2007 junto com cerca de cinqüenta dimensionais que anteriormente já tinham mantido contato verbal com os “Seres”, fomos para um ponto da estrada que vai para o Milharal, na Fazenda Boa Sorte em Corguinho/MS-BR. E, neste local da estrada que é caracterizado por um declive bastante acentuado nós reunimos, para que na medida em que redigíamos um texto onde deveriam constar os temas Luz, trevas, meu contato e minha intenção, os “Seres” pudessem fazer a leitura de cada um de nós.

Neste ponto da estrada em sua parte mais acima ficaram reunidos cerca de trinta e cinco dimensionais de polaridade negativa/mulheres e um pouco mais em baixo distantes uns dez metros dos primeiros ficaram os dimensionais de polaridade positiva/homens, que eram naquele momento em torno de quinze participantes.

Este trabalho na parte da tarde que se iniciou às 15h30min e que terminou às 18h20min, foi a continuação de um outro que já tinha acontecido neste mesmo local na parte da manhã deste mesmo dia, quando tínhamos reunidos em grupos de sete dimensionais separados também pelas suas polaridades (homens e mulheres) e quando tínhamos nos expressado verbalmente com temas livres, apenas movidos pela nossa intuição.

Já por volta da 18h00min com o nosso texto terminado, onde os quatros textos/temas foram colocados dentro de um só contexto porque possuíam estreita relação, começamos a perceber – no nosso caso em particular – a presença de uma maneira mais consistente de Freqüências Energéticas Conscientes que nos observam muito de perto, nos dando a sensação que estávamos sendo analisado por uma invisível, porém potente lupa. Então, neste instante avisamos aos dimensionais que estavam mais perto de nós sobre esta nossa percepção em relação a este “escaneamento cósmico” pelo qual estávamos passando, vindo destas Freqüências Conscientes que vibravam como Corpos/Símbolos diferentes e, portanto, com Vibrações Luminosas distintas umas das outras. E, foi neste momento também que induzido pela intuição falamos para os dimensionais ali reunidos da presença das Quarenta e Nove Raças que estavam interagindo conosco e que cada dimensional sintonizasse com a sua Raça de acordo com a sua Freqüência de Origem.

Até o momento mencionado acima permanecíamos sentado em nossa cadeira que sempre levamos conosco em nossos trabalhos vibratórios. E, foi também nesta ocasião que começamos a sentir por todo o nosso corpo um torpor/dormência semelhante ao efeito final da anestesia odontológica em nosso lábio, quando sabemos que o lábio está presente em nossa face, mas, não o sentimos totalmente. Portanto, tínhamos a noção que sentávamos em nossa cadeira, mas, não sentíamos fisicamente o nosso corpo nesta posição, que estava estranhamente leve, nos dando a sensação de levitação.

Nesta ocasião ainda sobre o efeito desta sensação estranha, mas, ao mesmo tempo agradável e que nos proporcionava um estado de graça/harmonia, começamos perceber a Presença de uma “Energia Diferente” que em sua leveza indescritível envolvia todas as outras Freqüências Presentes e que chegava até à terceira dimensão envolvendo também o nosso corpo físico, o que nos fez levantar imediatamente, para que em pé pudéssemos ainda mais interagir/sintonizar com Ela em toda a extensão do nosso corpo, que foi transformado naquele momento em “uma antena de captação”.

Portanto, neste dia, nesta hora e neste local comungamos literalmente com o Divino em um momento no espaço-tempo que superou até o presente momento todos os outros momentos que já tivemos de sintonia e de interação com outras dimensões e de contatos com “Seres” de outros Planos de Vibração.

Este “Contato Divino” que Se Manifestou foi ao nível da nossa Essência Divina e, portanto, foi diferente de todos os outros contatos que já tivemos até o momento, porque não foi exteriorizada tanto a sonoplastia que normalmente escutamos quanto a forma dos “Seres” que identificamos como intraterrenos ou extraterrestres e mesmo daqueles que com as suas formas/cores diferentes identificamos como Seres da Hierarquia da Luz – Seres Energéticos, Seres Ultradimensionais e Seres da Natureza.

Este foi o “Contato mais Invisível e Silencioso” e ao mesmo tempo o mais “Visível”/Presente – O Mais Consistente – que todos os outros que já tivemos, quando a Energia Viva e Divina do “Mestre” literalmente chegou até ao nosso corpo físico, penetrando por todos os nossos poros.

Portanto, a Freqüência Divina do Cristo Cósmico ou do “Mestre” envolveu não apenas este “aluno”, mas, todos os demais “alunos” ali presentes. A Energia do Cristo que Se mostrou Viva através da Energia do Amor Puro Uno da Manifestação não era mais apenas meras palavras que comumente sobre Ela escrevemos e, todos que estavam ali com Ela sintonizaram – uns mais outros menos – de acordo com a sua sensibilidade e o seu nível de evolução.

Este momento de êxtase que o “aluno” conscientemente sintonizou com a Consciência Cósmica do Cristo, o fez ter a sensação de um envolvente e inexplicável aconchego e ao mesmo tempo de uma intensa nostalgia por percebê-Lo tão perto e ao mesmo tempo pela densidade da matéria senti-Lo tão distante. E, foi neste momento de “choque” na dualidade que o “aluno” chegou às lagrimas, mas, que foram logo a seguir contidas.

Decodificar o que percebíamos desta Energia Divina que irradiava do Todo/Uno era praticamente impossível, mesmo usando algumas palavras para tentar caracteriza-La como Invisível, Envolvimento, Unicidade e Amor, entre outras. Ela Se mostrava alem dos Símbolos, portanto, não Se definia como Corpo. E, como envolvia todos e tudo, Ela era no Tudo “apenas” a Luz/Energia da Unicidade.

Naquele momento o Amor tinha adquirido Identidade, não estava apenas teorizado por palavras, Ele estava Vivo na “Nossa Consciência” pela Energia Divina do Cristo Presente.

Entretanto, no momento em que aconteciam estas interações ao nível do nosso Eu mais Profundo, como éramos parte viva deste Processo de Interação, percebíamos a presença destas Energias Conscientes que conosco mentalmente comunicavam e que Uma delas não só conosco Se comunicava como também nos envolvia, mas, não conseguíamos decodificar/definir naquele instante o que estava ocorrendo conosco. E, como estávamos com a nossa percepção “imantada” pelo sentido de Unicidade, não conseguíamos também nos direcionar, o que pudemos em parte fazer só depois que acabou este trabalho vibratório – só depois que acabou este “Encantamento Divino”.

A auto-iluminação é dinâmica, ela só acontece mediante novas informações – Luz/informação. Ela que nos permite percebermos cada vez mais como parte da Criação, ao irradiarmos como co-criadores em nossas experiências cotidianas a Energia do Amor – a Energia Neutra da Manifestação que constrói o Universo, que nos dá a vida e que Ilumina e “dá Vida” ao nosso Corpo de Luz. E, naquele momento a Verdade desta “Luz/Informação” que já A tínhamos decodificado anteriormente, mas, que até então estava mais circunscrita às palavras e limitada às definições, literalmente adquiriu Vida na presença da Luz Viva do Cristo Cósmico, que sempre nos inspirou e que continua nos intuindo através do nosso Cristo Interno na decodificação do que percebemos dos Planos mais Sutis de Vibração – do que percebemos dos Planos Superiores da Luz.

Esta Interação Divina aconteceu dentro de um período de trabalhos vibratórios na Fazenda Boa Sorte – do dia 04/01/2007 ao dia 07/01/2007.

Translate »