Postado por

Momentos dos Seres no cotidiano dos dimensionais

Momentos dos Seres no cotidiano dos dimensionais
Print Friendly, PDF & Email

Quando o individuo como observador “alcança” no plano mental a “visão holográfica”, interagindo neste nível de freqüência com uma manifestação de contato e que com ela pode se comunicar conscientemente e vice-versa, ele está “administrando” ao mesmo tempo informações inerentes a dois planos de vibração ou de realidade. O dimensional neste instante decodifica em dois níveis de consciência as informações da terceira dimensão em derredor e as informações vindas através da quarta dimensão desta manifestação de contato e, apesar destas freqüências na forma de informações/imagens se sobreporem, ele as identifica independentemente uma da outra em relação às suas fontes de origem ou aos seus planos vibratórios. Portanto, neste momento de interação apesar dele estar sintonizado em um outro momento de realidade com as suas próprias informações, ele as decodifica mesmo assim como “normal-comuns” – sem emoção. Tanto as informações provenientes do mundo físico são identificáveis pelos seus cinco sentidos e continuam presentes, quanto as informações originadas da quarta dimensão através da sua visão pela percepção do frontal. O quê ele vê nesta sua momentânea “sintonia mental” com a outra dimensão, é tão real dentro da noção que ele tem de realidade, que ele julga estar enxergando-o realmente com os seus olhos físicos e as informações que muitas vezes ele as decodifica – em relação o quê só ele “vê” em sua tela mental – ele as traz para a terceira dimensão na forma de imagens fotografadas/filmadas, que também só ele consegue fazê-las. Apenas quando ele deixa de ser o “Portal Vivo”, desfazendo a “Ponte” alimentada pela sua freqüência mental que gera o campo vibratório necessário entre a terceira dimensão e este outro plano mais sutil de vibração, é que ele “fecha” a sua terceira visão ou a sua visão pela percepção do frontal e se “desperta e volta” plenamente direcionado, para o que ele conhece mentalmente como o mundo denso da matéria. Na física quântica tanto a “Consciência Divina” como o observador (individuo/consciente) são necessários, porque é o observador que converte as ondas de possibilidades/objetos quânticos em eventos e objetos reais. Deus através de “Sua Consciência” identificada na Causalidade Descendente como “Algo” que está alem da matéria, interage com o que Ele próprio criou, através da escolha de possibilidades quânticas do indivíduo observador que converte as ondas de possibilidades em eventos reais.

As imagens desta página foram fornecidas pelo Projeto Portal.

1 – Energia da kundalini é na terceira dimensão a energia da vida, vibrando em ressonância com a Energia Divina da Manifestação/Criação. Ela vibra na freqüência da luz de cor vermelha e, como energia vibracional ativa ou energia sexual/emocional – duas denominações que caracterizam uma mesma energia de vibração sincronizada – está presente em todos os seres vivos, regendo/manipulando ao mesmo tempo a freqüência de suas células, ativando-as ou acelerando-as ao nível dos seus prótons/elétrons. A energia vibracional ativa irradiada do chacra frontal é energia mental e quanto mais rápida for a sua freqüência, com as ondas cerebrais do individuo pulsando mais rapidamente, maior será a sua energia vibracional ativa, possibilitando-o através de sua mente, que a Energia (Neutra) do seu Pensamento vibre em ressonância com a Energia (Neutra) do Amor Puro Uno da Manifestação e, através Dela, ele interaja com a vida que vibra em todo o Cosmo e também com a “Vida” que vibra em outros Planos de Realidade com as suas múltiplas manifestações no plano físico. Portanto, a “sintonia quântica” pode ser percebida no seu sentido vibratório de maior amplitude em determinadas experiências no Projeto Portal, proporcionando ao dimensional em outro nível de consciência ou de Luz/informação a sua ligação efetiva com a Consciência Cósmica, quando ele interage com Ela através da Ressonância Criativa.


2 – O mundo físico que o individuo julga existir está em ressonância com a sua experiência de observador, com os objetos existindo com a sua contribuição/escolha, que não são nada além de possíveis movimentos da sua consciência, escolhidos como momentos para manifestar uma atual e determinada experiência. No mundo da matéria ou “da ilusão” acontecem varias formas/momentos de realidade em potencial, até o observador escolher a que ele quer e, portanto, elas podem estar vibrando em muitos lugares ao mesmo tempo – ou em mundos paralelos – experimentando varias possibilidades, até elas convergirem para apenas uma, para aquela que ele, por exemplo, pode vivenciar em um momento de interação/manifestação. As imagens seqüenciais abaixo mostram em seu inicio um “Ser” como se estivesse surgindo do “nada”, que só existe na limitação dos cinco sentidos humanos.




3 – O mundo da forma na linguagem da física tradicional é o mundo da matéria – estático e previsível – feito por partículas fundamentais que ocupam um espaço relativamente insignificante e conhecido/medido dentro dos átomos/moléculas, porque o resto é vácuo. Mas, mesmo o mundo atômico ao nível de suas partículas não está sempre presente, porque ele se ausenta do observador o tempo todo com o seu aspecto de ondas. A Manifestação como Expressão do “Corpo de Deus” está na quarta dimensão como fóton/plasma e, como está também além dela, está então muitíssimo além da terceira dimensão/matéria como elétron/partícula ou como o quê pode se visto/medido. O “Ser” como Manifestação de um Plano de Altíssima Freqüência, portanto, de um Plano Vibratório muito mais Sutil do que o da terceira dimensão, é capaz de interagir com ela, interpenetrando em sua densidade energética – ou na matéria – conforme mostram as imagens abaixo.



4 – A consciência humana já percebe que a Manifestação não é apenas aquilo que pode ser visto ou analisado com os outros sentidos humanos. Os cientistas não mais estão circunscritos apenas às informações oriundas da matéria, ou como eles dizem, não estão analisando apenas as transições continuas com o movimento continuo do elétron dentro do átomo, com transferência local de informações. A luz que não emite raios e, portanto, que não propaga é luz de uma Manifestação de contato, diferentemente da luz gerada pela energia elétrica que propaga através de raios luminosos. No primeiro caso a Manifestação como Energia Consciente e Pulsante não exterioriza/propaga a sua energia como luz, como acontece no segundo caso com a energia elétrica – da terceira dimensão – que é irradiada através dos raios luminosos de uma lâmpada.



5 – Na Consciência Cósmica – “Um Ser Quântico” – existe criatividade e com Ela (Mente Divina) a consciência do indivíduo/observador deve estar também em ressonância criativa. Ele não deve se deixar condicionar/robotizar pela mesmice do seu cotidiano através de suas experiências de dualidade limitadas pelos seus cinco sentidos. O condicionamento faz que o indivíduo esqueça a divindade que existe dentro dele com o seu poder criador. A holografia é o “passaporte” para que o dimensional interaja em uma segunda fase com outras dimensões, realizando o seu contato físico/verbal com os “Seres”. O dimensional pode em certas ocasiões, ter com a sua visão pela percepção frontal – além dos seus cinco sentidos e já no plano mental – a “visão holográfica” que ele não deve confundir com forma-pensamento projetada pela sua mente, que não tem consciência e não pode agir com vontade e atitude próprias e, portanto, não se mostra com movimentos próprios e também não se metamorfoseia em uma silhueta humana luminosa, para se comunicar com ele através de um diálogo mental (telepático).



6 – O individuo em sua vida interna lida com o seu pensamento de uma forma diferente em relação à sua vida externa que lida com a matéria. Entretanto, com o advento da Nova Consciência haverá nele uma verdadeira transmutação mental em relação à sua vida externa, quando ele passará a captar pensamentos mais profundo-iluminados de acordo com novas concepções de universos paralelos ou de outras dimensões alcançáveis através de portais energéticos. Até então na historia da humanidade os indivíduos de um modo geral procuravam em sua vida externa, as respostas de suas perguntas através do seu pensar/agir. Mas, agora no limiar de uma Nova Era aqueles que se despertam, estão se voltando para a sua vida interna e através dela com a sua Alquimia do Pensamento, estão descortinando a Realidade além do espaço-tempo. Portanto, aqueles que neste Novo Tempo estão em ressonância com a Consciência Cósmica, não estão mais tentando se ligar ao Divino através da forma (imagens) em cultos e rituais religiosos ou da “veneração tecnológica”. Eles já possuem níveis de percepção/intuição para se transformarem/iluminarem sem mais necessidade de “pastores”, que os guiem como rebanhos em templos físicos, para que possam “comungar” com Deus. A partir do dia 10 de outubro de 1999, em torno das 4h45min estava assegurada a permanência no plano físico dos Guardiões dos Planos mais Sutis. Agentes Condutores das Mudanças a nível individual e planetário os “Seres” a partir daquela data já podiam se expressar/mostrar na terceira dimensão junto ao dimensional/Projeto Portal, auxiliando-o em sua missão e preparando-o para a Transição Planetária. Os “Seres” podem aparecer em qualquer local e não é por acaso. Eles sempre surgem por um motivo maior, mesmo que o dimensional no momento o desconheça.



7 – Brotam de todos os lados vindo dos Mensageiros literalmente da “Luz” informações para um Novo Tempo, para uma Nova Consciência em ressonância com a Energia Viva e Consciente que quer através de Sua criação consciente e observadora (o indivíduo), desvendar o seu próprio “Corpo Divino”, através de “mecanismos” da Manifestação. E, um destes atuais e mais eficientes “mecanismos de iluminação” é a física quântica, que como a Fênix moderna que levanta vôo, está levando/erguendo o conhecimento humano a níveis superiores de percepção/intuição e, com eles, o da consciência. Em relação aos “Seres” as informações são:
a) O Ser Energético normalmente é brilhante com uma cor perolada como a lua. A sua forma é circular na terceira dimensão irradiando uma luz intensa e contínua que não propaga, como se ela estivesse sempre jorrando. E, quando ele se move, é semelhante a um foguete luminoso, podendo fazer evolução na atmosfera quando desenha figuras geométricas através de fios grossos luminosos sempre arredondados e compridos;
b) O Ser Ultradimensional tem também a forma (corpo) redonda na terceira dimensão similar a de uma teia de aranha e aparentemente com uma textura semelhante a da meia de seda, com hastes que se cruzam. Seu núcleo é composto por uma ou duas esferas de luz que espocam na forma de flashes grandes ou pequenos. Pode também emitir luz em forma de fios finos que se movem, fazendo desenhos geométricos, que muitas vezes podem ser confundidos com pequenas caneplas. A sua luz, embora brilhante não cintila e não é tão intensa como a do Ser Energético. Este “Ser” e o Ser Energético apresentam-se como se flutuassem no espaço ou então, acompanhando os indivíduos acoplados em sua aura;
c) O Ser Elemental emite uma energia disforme, algo como um borrão bonito e colorido. A sua forma na terceira dimensão não é tão redonda como a do Ser Energético ou a do Ser Ultradimensional. A sua luz é mais suave, não propaga e não apresenta a grandiosidade luminosa do Ser Energético que é inconfundível ou o efeito luminoso que aumenta e que diminui do Ser Ultradimensional;
d) O ser Enteal tem também a forma redonda na terceira dimensão, porém, a sua luz não propaga e a sua cor é opaca e muito bonita;
e) O ser com a forma de cinco pontas/extremidades – humana ou humanóide – é um ser da terceira dimensão – humano ou extraterrestre ou ainda intraterreno – com o corpo denso/físico.




Translate »