Postado por

O Renascer com a Ciência Lilarial

O Renascer com a Ciência Lilarial
Print Friendly, PDF & Email

Os mundos paralelos deixarão para os dimensionais 09 revelações, sendo que as primeiras irão quebrar todos os paradigmas e mistificações, mas procurando não abalar o que nas pessoas está ainda como crendice. A 1ª revelação é a da Terra Convexa, agora já posta na mídia. A 2ª é a da Origem da Humanidade, que está relacionada de onde veio o homem e para onde ele vai.  A 3ª é sobre Jesus de Nazaré – O Cristo. A 4ª é sobre Deus.


Ilustrações da Terra Convexa – Imagens de Dakila Pesquisas

Um Novo Renascimento

A humanidade está no limiar de um Novo Renascimento carregado de novas revelações, estudos e pesquisas. A primeira dessas revelações foi realizada através da mídia sobre a pesquisa Terra Convexa elaborada pelos pesquisadores de Dakila Pesquisas. Outras revelações acontecerão, provavelmente produzindo um “balanço assustador” nos meios científicos.

E uma outra delas diz respeito à natureza do Sol. De acordo com a astronomia o Sol é uma estrela de quinta grandeza classificada como amarela que transformará numa estrela laranja e finalmente em vermelha quando explodirá talvez numa supernova. Também a ciência oficial considera as estrelas como um reator atômico emitindo energia em forma de raios alfas, betas, gamas.

Acredita-se que existe uma força de coesão muito grande dentro da estrela denominada gravidade, capaz de esmagar os átomos, cada um penetrando dentro de outro. Essa intromissão atômica provoca a desintegração dos átomos cujas partículas são emitidas em forma de energia. Essa ideia está prestes a ser modificada.

Tudo começou com Aristarco/Hiparco quando foi medida distância da Terra à Lua e em seguida da Terra ao Sol. Hoje a distância do Sol a Terra é conhecida como sendo 150 milhões de quilômetros. Pelo tamanho do Sol que se vê e, considerando essa distância, leva-se a conclusão de que ele é muito grande, ou seja, 1.300.000 vezes maior que a Terra.

A falha dessa medição está no fato de ter sido considerada a Terra Esférica, cujo raio entrou no cálculo da distância entre a Terra e a Lua e depois serviu também para medir a distância da Terra ao Sol. Com a concepção da Terra Convexa esse raio não pode ser considerado, pois estando nesse valor o causador de todo o equívoco, que nele se sustenta a ciência atual. Veja as figuras seguintes:


Nas ilustrações acima uma comparação entre duas situações. Na primeira figura (Terra Esférica) mostra os raios R1 e R2 paralelos, porque o Sol está considerado muito longe (150 milhões de Km) e na segunda figura (Perfil da Terra Convexa) mostra que os raios do Sol são divergentes demonstrando que o Sol é menor e mais perto da Terra, girando sobre a superfície dos oceanos a 5.000 Km de altitude aproximadamente.

Por outro lado, o movimento da Terra denominado Eclítica (de 23 graus, 27 minutos e 30 segundos), com certeza não é um movimento próprio da Terra, mas uma variação sistêmica no trajeto do Sol sobre a superfície terrestre causando os chamados solstícios e equinócios e as variações das estações climáticas.

Na verdade, o Sol é um vórtice e não uma estrela como pensam os astrônomos. Ele funciona como um portal entre dimensões, fluindo dele toda a energia oriunda de dimensões mais elevadas para abastecer a Terceira Dimensão. Em outras palavras, o Sol é um vórtice que é o inverso de um buraco negro. Este é um sistema conversor de energia entre as diversas dimensões, ou seja, enquanto que o Sol emite energia para a Terceira Dimensão, o buraco negro suga energia da Terceira Dimensão.


A foto acima tirada na sede da Fazenda Hotel Projeto Portal, no mês de fevereiro de 2001, mostra um instante singular de interação de seu autor com a energia que irradiava do Sol, quando “aparentemente” esse girava de maneira vertiginosa como um vórtice. Interessante observar, pela decomposição da luz solar (em um prisma) a faixa mais visível de luz é a cor vermelha junto à cor amarela mais largas, mais presentes e “mais compatibilizadas” à frequência da terceira dimensão.
Entretanto, na foto acima aconteceu o inverso, mostrando-se mais visíveis as faixas de cor azul e verde e, as faixas de cor vermelha e amarela com auxílio do clique mental de seu autor entrelaçam-se, como “tivessem sido torcidas e giradas uma sobre a outra, formando nesse entrelaçamento uma só cor amarronzada. Mais informações no texto: Mundo Mental, além do mundo físico visível, nesse Site – Foto de Antônio Carlos Tanure]

Dentro do raciocínio do Sol como um vórtice, deve haver outros vórtices semelhantes ao Sol que juntos de outros buracos negros permitem uma circulação energética entre as dimensões. Assim sendo, pode haver também um oposto do Sol que seria o Sol Negro cuja posição ainda não foi determinada.

Comparando as ideias e conceitos de épocas passadas com os novos conceitos de hoje, pode-se notar sinais de informações falsas com o propósito de provocar confusão e manter a população submetida a um controle, que pudesse impedi-la de alcançar a verdade.

Sabe-se, que o conhecimento é libertador e se ele for deformado vai causar o contrário, aprisionando as mentes das pessoas. Este pode ter sido o grande engodo camuflado nas divulgações científicas durante o “Renascimento” (entre meados do século XIV e o fim do século XVI) e que ainda existe nos tempos atuais.

Assim, como está se descobrindo agora ser falso aquele renascimento (da mesma forma que a criança acaba descobrindo que Papai Noel é uma fantasia), os seres humanos mais conscientes (dimensionais despertos) estão também depois de vários séculos, descobrindo que foram enganados por um “pacote” de falsidades para os deter, evitando sua libertação mental de um sistema manipulador de poder.

O grande equívoco da ciência está na interpretação dos fenômenos e na sua explicação. Neste particular esses manipuladores foram engenhosos e ardilosos. Normalmente os fenômenos são percebidos e registrados de uma forma inevitável pela população, mas o ardil está nas interpretações desses fenômenos e nas suas explicações. A concepção da Terra Esférica foi engendrada de uma forma até espetacular, para poder explicar diversos fenômenos e, isso foi o principal motivo de tal crença se estabelecer por tanto tempo.

Em resumo, o erro na medição de distância entre a Lua e a Terra propagou uma sequência de outros erros. Esse texto pode parecer um absurdo para uma pessoa acostumada com os conceitos científicos que ainda vigoram, mas ele já é uma preparação às mentes propícias à uma mudança, que não demorará muito a ser realizada.

Essas informações já começam a fazer com que as pessoas ao pensarem diferentemente, despertem dentro delas “uma índole científica” que muitas vezes fica adormecida por falta de exercício mental. Uma mente prevenida pode lidar melhor com a realidade de fatos, que possivelmente venham acontecer.

Por isso busquem conhecimento, mas com a mente aberta, sem preconceito.

 

——————————————

No Reino de Dakila já presente a percepção de um Novo Renascer

O dimensional no Reino de Dakila está em intenso preparativo físico, mental e emocional com a aproximação da “Janela”, que por ela “passando”, permitirá que ele já em corpo sutilizado ou transmutado, alcance outros planos ou outras dimensões de existência.

Assim, o que ele está de fato fazendo, é preparando-se para quando realmente adentrar em seu “universo mental”, possuir o verdadeiro conhecimento sem mais os limites de sua condição físico-humana, que utiliza apenas de cinco sentidos próprios para um universo também físico.

O dimensional que procura se despertar é questionador, buscando respostas para o que ele não acha satisfatoriamente explicado. Uma busca motivada pela necessidade do verdadeiro entendimento, que vai além do comum, “encaixado” apenas dentro de uma lógica de seu cotidiano humano.


O dimensional que procura se despertar é questionador, buscando mentalmente um especial entendimento ou, indo além do comum que se encaixa apenas dentro da lógica de seu cotidiano humano – Foto de Antônio Carlos Tanure

Ele é um pesquisador com sua atenção e percepção voltadas para outras frequências de realidades, que o estimulam à necessidade de “conhecimentos incomuns”. Ele é às vezes por isso ridicularizado por aqueles que satisfazem “com o comum” e ainda o têm como perigoso, por pensar e agir por si mesmo impulsionado pelas suas próprias ideias, como a que ele chama agora de “Janela”.

A “Janela” é “uma oportunidade” à renovação, que como uma fenda no tempo se mostra de fato à realidade física. Antes dessa de agora – do ano de 2018, já aconteceram outras e ainda acontecerão outras mais, portanto elas são cíclicas no mundo das experiências humanas. Assim, aquele dimensional que já a percebe nesse ciclo final de 25.625 anos, ele em sua condição (e natureza) físico-humana, deve aproveita-la.

A “Janela” é no fundo uma reprogramação de tudo o que o dimensional em sua condição humana ainda conserva em si erroneamente e que agora deve procurar refazê-lo. Resgatando-se, harmonizando-se com o cosmos como um ser universal, que “se candidata” à multidimensionalidade.

Para isso, todo o direcionamento mental-vibratório que ele agora se submete, “irá ativar” ainda mais suas habilidades (mentais) que já estavam anteriormente sendo trabalhadas – não só aquelas específicas/matriciais, mas também várias outras.

A presença da “Janela” e a necessidade de transpô-la é antes tudo sair da escuridão mental, que o dimensional em sua condição humana (e também os planetários) há milhares de anos a ela se submete. É ele saber se harmonizar, trilhando a Linha B ou do Meio das suas Três Linhas da vida, sem se deixar balançar emocionalmente por informações que verdadeiramente não acrescentam, não esclarecem.

O dimensional mesmo desperto sempre “se esbarra” em sua incapacidade de trazer para o aqui agora, o que já está nele milhares de anos “guardado” como sua memória (cósmica), que ele apenas consegue trazê-la para o presente como “retalhos”, na forma de algumas esparsas lembranças.

O início da chegada das ondas moduladoras associada à presença da “Janela”, aconteceu entre o dia 28 e 29 de abril de 2018, sendo percebido por alguns dimensionais que estavam no Recanto de Havalon, quando ouviram a partir das 04h00 até às 13h00 um suave zunido (como ronronar de um gato). Eles com essa percepção, já começaram seu processo de sintonia mental à frequência transmutativa.

E já na madrugada do dia 30 de abril de 2018, com uma suave luz quase que invisível pairando sobre a superfície da Terra, as ondas moduladoras já estavam se propagando em consequência ao zumbido do dia anterior.


A chegada das ondas moduladoras aconteceu através de um zumbido característico constante, que se repetiu em espaços intercalados, marcando com sua presença o início de sincronização à “Janela”. Imagem de Dakila Pesquisas.

Essas ondas irão se mostrar no céu em diversas situações e manifestações, relacionadas à coloração das nuvens, à presença do Sol e ao clima, entre outras. E elas podem ser positivas ou negativas. Se forem relacionadas aos abalos junto à natureza, serão naturalmente negativas. Quando positivas serão associadas às presenças de partículas fotônicas. Mas, em qualquer uma dessas situações ainda não é a abertura da “Janela”, mas apenas sinais que a precedem.

As ondas moduladoras apresentam no firmamento em linha reta constituída por traços luminosos, que dissipam rapidamente entre 15 e 20 minutos no máximo. E se entrelaçam como no DNA diferentemente das nuvens, que na aparência de fumaças comumente parecem no céu.

Naquela ocasião foram quatro traços/ondas luminosos que ali cortaram todo o céu. Mais à frente o céu poderá estar todo traçado por essas ondas. Entre 10 a 15 desses traços/ondas a cada meia hora, tanto de dia como de noite. Será o momento que tudo se agitará, já sinalizando a eminente presença da “grande marola”, quando toda a Terra poderá senti-la como “um forte sacolejo”.


Presença de traços das ondas moduladoras já apregoando a aproximação do “forte sacolejo” – Imagem de Dakila Pesquisas

Esse zumbido que alguns dimensionais no Recanto de Avalon escutaram, relacionou-se à luminosidade e essa às presenças dos traços/ondas. Essa luminosidade não é visível normalmente, apenas 04% dela é perceptível e mesmo assim, pôde por eles ser registrada com sua visão periférica ou, mental (3ª visão).

Os dimensionais que estão buscando transpor a “Janela”, preparam tanto seu corpo físico quando seu corpo mental. No primeiro caso diminuindo o seu peso corpóreo com ingestão de alimentos saudáveis e em menor quantidade. No segundo caso trilhando a Linha B ou do Meio de suas Três Linhas da Vida e assim, com equilíbrio emocional em outro estado de consciência, geram pensamentos e procedimentos com mais entendimento, com mais compreensão.

Eles vieram “para fazer a história”, para fazer a diferença por possuírem especial capacidade mental e intelectual. E à medida da aproximação da “Janela”, eles vão se se mostrando ainda mais receptivos a novos conhecimentos, que com eles preparam-se para construírem um novo futuro como um novo tempo, quando poderão se identificar na frequência de seres universais – o que no fundo sempre foram.

Existe um poder gerador e manipulador da atual situação de caos global, que não é fisicamente identificável, porque não se mostra assim. Mas, agora com avanços tecnológicos da mídia, os dimensionais possuem um eficiente recurso para contrapô-lo, despertando de maneira mais fácil e ágil maior quantidade de pessoas (tanto dimensionais ainda não despertos, quanto planetários).

Essa é a ocasião ainda mais propícia pela presença das ondas moduladoras, quando acontecem a diminuição do campo eletromagnético da Terra e a aproximação da “Janela”, que deixam as pessoas (não preparadas para elas) mais desorientadas e assim, mais propicias a escutar e serem orientadas. Uma ocasião quando cada uma procura mais intensamente à sua maneira respostas, levada por essa “síndrome de escassez magnética”.

Se ainda existe algum dimensional, que não acredita na importância desse momento como o final desse grande ciclo de 25.625 e início de um outro voltado à uma nova consciência, é porque ele continua a pensar e a agir sem foco, sem objetivo. Age sem energia, levado pela indecisão no “acredito e não acredito”, apesar de muitos acontecimentos relacionados a esse momento já estão presentes e, contra eles como fatos não existem argumentos.

O dimensional que se julga desperto, ele está realmente procedendo dessa maneira? Ele ainda se deixa levar por pensamentos negativos, impulsionado pelos seus instintos primitivos de sua condição humana? Suas intenções e decisões estão o ajudando a se manter em equilíbrio emocional ou, desequilibrando-o? Suas ações positivo-cotidianas para com todos e para com tudo estão lhe gerando prosperidade como sua verdadeira riqueza ou, está gerando sua verdadeira pobreza?

Essa ocasião é decisiva para a humanidade e, especialmente para os dimensionais já despertos – e ainda mais especial para os dimensionais no Reino de Dakila, quando cada um deve se reconstruir por dentro e se mostrar um com o outro unido, almejando transformações e com elas objetivos tanto na realidade física quanto até mesmo em outras realidades, aproveitando a abertura dessa “Janela” de 2018. As 49 raças podem orientá-los, desde que não fiquem “em cima do muro”, deixando de fazer nesse sentido o que podem e devem.


Os dimensionais de fato despertos já são possuidores de uma nova programação mental – Foto de Antônio Carlos Tanure

Vibração (mental) está associada à criação através do Pensamento e da Emoção. Portanto, o “Triple” Emoção/Pensamento/Criação deve ser utilizado por esses dimensional já desperto, porque está associado à sua capacidade mental, que deve ser a de um cocriador ou, daquele que cria e realiza através de seu pensamento em ação. E, ele quando assim “se transborda” para o universo, fica com mais certeza ainda que que tudo é Energia, Vibração e Frequência para Criação e Realização.

Através de seu Pensamento esse dimensional com sua intenção voltada à realização –  vibrando mental e consciente, se eleva e “se glorifica”. Ele alcança pela “Linguagem da Holoinformação” à Frequência da Luz Viva com o seu Sentido de Unidade, que com ele está em sintonia seu Corpo de Luz.

Ele não deve ter receio em relação à “implantação do novo”, porque já tem entendimento de seu verdadeiro sentido. Ele com dinamismo e determinação à realização, deve-se voltar à grandiosidade de sua reponsabilidade na implantação da verdadeira prosperidade – ou, da riqueza mais da alma, porque é com o auxílio dela como “seu veículo”, que se deslocará já transmutado pelas dimensões mais sutis ou de mais vibração/luz.

Os dimensionais de fato despertos já são possuidores de uma nova programação mental, estão livres como pesquisadores de comportarem apenas como meros repetidores do que está nos livros (às vezes como invenções ou suposições), portanto procedem diferentemente daqueles que por excessiva cautela ou lerdeza mental, não se dispõem descobrir verdadeiramente o novo – ou pior ainda, sem ele não se renovarem e não se redescobrirem.

Os dimensionais que já alcançaram esse nível de independência mental em outro padrão evolutivo, pensam e agem como pesquisadores com a sabedoria de não se conduzirem só pela racionalidade, mas também com a percepção, intuição, que os permitam ir além da realidade física e alcançarem a sutileza de outras realidades através de seu pensamento, “viajando” com seu Eu do Futuro.

Daí o entendimento também, da frase que algumas vezes os dimensionais no Reino de Dakila escutam dos mundos paralelos: “vocês somos nós” – frase que se mostra gramaticalmente incorreta, mas vibracional e energeticamente correta.

Um pesquisador já nesse nível de percepção e de interação com as realidades paralelas deve se comportar sem arrogância para com os outros. Deve proceder sem vaidade, sem se dar a importância por ser portador de informações e de conhecimento ainda desconhecidos da maioria.

Principalmente para os dimensionais já despertos no Reino de Dakila essas observações devem ser seguidas, porque são pesquisadores em níveis diferenciados, mas todos estão procurando à sua maneira ter um mesmo nivelamento de conhecimento e de consciência.

Alguns dimensionais que conseguem através de fotos por eles tiradas, que nelas se mostram “fenômenos” por não apresentarem explicação aplausível por leis físicas ou, sem a sua constatação físico-visual, esses dimensionais já estão “inseridos” na influência das ondas moduladoras. Eles já dão através desses seus “cliques mentais e fotograficos” saltos quânticos no futuro.

Também, algumas dessas fotos são ainda projeções de seu pensamento, que registradas em sua câmera fotográfica, significa que ele já manipula a frequência da criação e também das realidades paralelas, muito além da capacidade mental humana normal.

Esse dimensional já vivencia ainda o início da frequência transmutativa, já dando nesse sentido o início de seu salto quântico. E com a presença das ondas moduladoras (e da “Janela”) ele as perceberá cada vez mais intensificadas, principalmente se potencializar pelo MDPL!

Ele nessas suas interações “singulares” está em sintonia à frequência do mental sutil ou da 5ª camada do seu campo biomagnetico – aura, portanto além da frequência do mental concreto ou da 3ª camada desse campo, que interage com o mundo físico de seus cinco sentidos normais.


As fotos mostram um mesmo local, que foi fotografado praticamente em um mesmo instante. A primeira foto já com o processo de interação de seu autor com o meio ambiente, mostra-se um túnel na configuração de uma espiral/vórtice, que acompanha o leito de pedra de um córrego, enquanto a segunda foto, sem esse processo de interação, mostra a paisagem como normalmente ela é. Com a primeira foto da espiral mais do que se supõe/intui, vê-se que existe um outro plano de realidade ainda mais sutil (já na frequência do plano mental – sutil), que “vai além” do plano físico, com esse parecendo “diluir-se” no outro através de um vórtice. Mais informações no texto: Fotos Analisadas, no Portal Pegasus (www.pegasus.portal.nom.br) – Fotos de Antônio Carlos Tanure

——————————————

No Recanto de Havalon preparação ao Renascimento

Será que em relação ao seu acesso à “Janela”, os dimensionais que dizem despertos, têm consciência da necessidade de possuírem o correto peso corpóreo e não ingestão de toxinas? Será que nesse sentido eles honestamente refletem e agem, para ter dos mundos paralelos auxílio e serem orientados de diversas maneiras?

Já estão de fato “antenados” em relação ao que realmente representa essa “Janela”? Já estão em outro padrão evolutivo, por já terem trabalhado sua ansiedade e compulsão, não só as vencendo, como também outras barreiras emocionais em seu cotidiano que devem transpô-las?

Os mundos paralelos estão lhes passando diversas tecnologias, como néctares, manás, essências, entre outras, mas será que estão dando a devida importância para elas? A percepção dessa importância faz parte de seu entendimento, mas que só será alcançado, se estiverem em outro nível de consciência.

Nesse seu caminhar rumo à sua transmutação através da “Janela”, para poderem “ir mais longe”, eles precisam antes colocar na “balança de sua consciência”, tudo o que fizeram desde quando nasceram até hoje. Tanto o que fizeram de positivo, que os permite ficarem tranquilos e satisfeitos, quanto o que fizeram de negativo, prejudicando a si mesmos e outros. E, se analisarem realmente qual lado da balança pesa mais, verão que existem muitos aspectos em suas vidas ainda a corrigir.

Com um estado físico saudável e um estado emocional harmonizado, eles ficam mais propícios a desenvolver muito mais frequências relacionadas às suas habilidades mentais, para que no final elas funcionem como uma somatória à passagem pela “Janela”. Os mundos paralelos não podem e não têm como fazer isso em seu lugar. Apenas podem ajuda-los como no fornecimento do néctar, que ultimamente foi lhes oferecido para estabilização de seu metabolismo.

O ser humano vive sob a influência de seu Relógio Biológico. A partir do momento que nasce, ele já começa a morrer, quando ainda bebê come papa de legumes com agrotóxico ou toma leite em uma mamadeira de plástico aquecida há mais de 30º/40º, liberando dioxina e outras substâncias tóxicas.

E, já adolescente ou adulto participa em constantes feriados, comemorações e confraternizações, quando se sente mais à vontade para consumir excessivamente alimentos e bebidas (e outras substancias não legais), que acabam por consumir alguns anos de sua vida. Hoje 30% da população morrerá do coração, principalmente os homens.

Os mundos paralelos não dão “um jeitinho” à letargia mental do dimensional, quando pela sua condição humana pratica atitudes errôneas. O que fazem é mudar a etapa do que já estava para ele programado para ser por ele alcançado ou, ao que era para ele desejado/esperado. Por isso, ele precisa ter foco, atitude, entendimento, discernimento e se equivocar menos.

Ele precisa ser mais ponderado, ser mais consciente, para que alcançando maior capacidade mental, desenvolva melhor suas habilidades mentais e resgate sua memória (cósmica). São condições necessárias que ele deve possui-las com a aproximação da “Janela” e que deve desenvolve-las em atividades intensivo-direcionadas.

Quando os mundos paralelos salientam para ele a importância do MDPL – de se exercitar fisicamente nessa frequência, é que sob a sua influência partículas fotônicas o beneficiam.  Assim quanto mais nesses momentos ele movimenta/exercita, acrescentando-as em si, ele mais vai retornando ao seu “Padrão Original! ”, além de também o ajudar a aflorar suas habilidades e com elas sua memória cósmica.


No MDPL com a pratica do esporte e com o auxílio do biosatélite, o dimensional é ajudado pelos mundos paralelos alcançar condições física, mental e emocional à passagem pela “Janela e assim, à sua transmutação – Foto de Antônio Carlos Tanure

O MDPL com a atuação do biosatélite é muito importante para o dimensional em sua condição humana, quando se exercita com específicos movimentos (esportes) ou outros esforços físicos dentro de sua possibilidade. Ele na realidade física é o “instrumento” mais rápido para queimar calorias e eliminar toxinas.

Entretanto, alguns dimensionais mesmo que se dizem despertos, não acreditam muito na importância de se preparar para esse momento da “transposição” ou, de “passagem” identificado como “Janela”, diferentemente de outros que já a percebem necessária e nessa ocasião, mesmo que para ela deem uma outra denominação.

Esses se esforçam para se sutilizar em todos os sentidos e “não ficarem para trás”, deixando de adquirirem uma nova e melhor postura de vida – física, mental e emocional.  É uma questão de maior ou de menor percepção, nessa fase agora também de maior ou menor entendimento.

Certos dimensionais pela sua condição humana às vezes toma atitudes, que com elas parecem não gostar de si, criando justificativas ou desculpas para não fazerem o que os equilibre tanto fisicamente quanto os harmonize mental e emocionalmente. Esses dimensionais até acreditam para essa ocasião a presença da “Janela”, no fundo sabem de sua existência, de sua importância. O que fazem é descuidarem de si mesmos, criando desculpas.

Na Terra em sua realidade física e visível, existe/vibra paralela outra realidade de existência invisível aos olhos dos seres humanos, que com esses coexiste com necessidades e interesses próprios. É a realidade de seres que aqui fizeram sua moradia e que “induziram” em tempos remotos as presenças de Reinos ou, como civilizações evoluírem distintamente. Os dimensionais com a aproximação da “Janela” e de sua “transposição” estão sendo ajudados por esses seres, para que passem para “o outro lado”.

Esse mundo invisível está cooperando para que nenhum dimensional fique fora dessa frequência de realidade, a não ser que ele queira, porque aí não podem fazer nada, por ele já estar na frequência do 4º caminho. Portanto, fazendo a sua própria exclusão e não esse mundo, que continuará indiretamente ajuda-lo, na medida que está ajudando todos os outros dimensionais até o último momento da “Janela”.

Esse ser mostra com energia de campos eletromagnéticos, com o auxílio do bioplasma da natureza local e agora “se soma” ainda com campo de energia (biomagnético) dos dimensionais.

As quatro primeiras fotos mais abaixo são quatro instantes que antecederam a manifestação de um vórtice energético (“portal”) e que através dele pôde mostrar bioplasmado na realidade física um ser desse mundo ainda em interação inicial com os dimensionais (entre os anos de 2007 e 2008).

Esse ser extraterrestre e intraterreno naquela ocasião ainda mais “inserido” à natureza que com ela habitualmente interage, lembra o que se convencionou chamar de seres da natureza – “duendes, gnomos” do mundo celta como mostram também as quatro últimas fotos abaixo, que nelas como “dissolvido” pelo bioplasma no meio ambiente, ele se apresenta em sua “maleabilidade bioplasmática” com quatro “expressões faciais”.

Ele não interage com os dimensionais através dos olhos, como os seres humanos fazem, usando sua visão como um dos seus sentidos normais à realidade física, o que não é o caso dele. Os dois pontos brancos que como olhos aparecem nas fotos, funcionam talvez mais como “fontes/frequências” de vibrações opostas, geradoras de força e captadora de energia e talvez ainda, para objetivos que na realidade física almejam.

 
As quatro primeiras fotos são instantes para a formação de um “portal” e as quatro ultimas são de um ser extraterrestre (intraterreno), que se bioplasmou junto à natureza. Naquela ocasião desses registros fotográficos, ele não interagia o suficiente com o campo biomagnetico dos dimensionais, para que já “mais humanizado” aparentasse mais à feição humana e, não se mostrasse mais semelhante aos seres da natureza do mundo celta, “duendes, gnomos” – Fotos de Antônio Carlos Tanure.

O Reino de Dakila está fisicamente sendo construído, como se constrói agora a Grande Pirâmide. Portanto, recursos materiais e valores financeiros são necessários e estão sendo buscados entre seus próprios dimensionais. Mas, mesmo a busca desses recursos está no momento sendo por eles posta em segundo plano.

Eles estão preocupando-se mais com a ampliação de seu campo de energia, necessária à aquisição de novas tecnologias direcionadas para um comportamento, que deles exige (mentalmente) ainda mais foco, mais entendimento e mais consciência pela aproximação da “Janela”.


O Recanto de Havalon, no Reino de Dakila, já recebe dimensionais de várias partes do mundo – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Os dimensionais em uma época remota de sua história eram divididos em vários Reinos, que neles tinham seus deveres, afazeres e com esses seus direitos. Não contabilizava e não fiscalizava o que cada um pegava para suas necessidades, porque se tinha o correto entendimento de levar o que apenas se necessitava e também, corretamente pagando pelo o que se levava.

De seu passado esse comportamento foi deixado como herança. Agora é hora de reconstruir esse sentimento de honestidade, de nobreza, através de uma “fase mental” que deve ser motivada pelo sentido do entendimento ou, do porque assim proceder.

Naquela ocasião como parte de sua história, o que fez os Reinos caírem foi a ganância, impulsionando-os gradativamente à vaidade e à competitividade por territórios. Competição pelo poder de governança, que gerou ações bélicas entre esses vários povos.

Hoje os dimensionais estão aqui por opção. Sabem-se, que podem continuar como dimensionais, mas sempre em condição humana, sem jamais alcançarem à quinta dimensão. Ou, podem trabalhar suas emoções, passar informações adquiridas dos mundos paralelos e, terem em troca a sua transmutação rumo à multidimensionalidade.

Eles devem em introspecção perguntarem, se sentem em seu dia a dia “ricos” ou “pobres”. Se sentem “ricos” de pensamentos e ações positivos/bons ou se sentem “”pobres/ indefesos” por carregarem em si pessimismo/negatividade, expressando-os em constantes lamurias.

Como seus próprios juízes devem se perguntar, se estão dentro da primeira condição, sendo capazes de gradativamente ir acumulando seu “mini tesouro”, para que no final esse se mostre como sua grande e verdadeira riqueza.

Durante anos os mundos paralelos e os dimensionais do Reino de Dakila estão em preparação para que os primeiros possam aprender com últimos sobre frequências emocionais. Para que esses últimos possam senti-las, na medida em que os primeiros as forem gerando com o desenvolvimento de suas habilidades mentais (paranormais), independentemente de elas serem ou não constituídas por pensamentos positivos ou negativos.

Para os mundos paralelos não importa se os dimensionais em sua condição humana estão interagindo com emoções em frequências negativas, porque as reciclarão para frequências positivas. O que eles querem, é aprender o máximo de frequências emotivas, assimilando suas vibrações. Assim os dimensionais no Reino de Dakila precisam em suas tarefas nas atividades de campo, mostrarem fisicamente tranquilos/relaxados, mas mentalmente acelerados, participativos, voltados para esse objetivo.

Nessa troca que se dá entre o emocional e o racional ou, entre o sentimento (sensibilidade) humana e a inteligência (conhecimento) de mundos paralelos, busca-se nesse “entrelaçamento” a transmutação a partir respectivamente da terceira dimensão e da quarta dimensão, para alcançar a sutileza da quinta dimensão.


O dimensional tanto na realidade física quanto já em realidade paralela (ascensionado) deve readquirir a sutileza de seu corpo de luz, mas antes precisa dar seu salto quântico, um auxiliando o outro – Imagem da Internet

É a primeira vez na história da humanidade que seres humanos (como dimensionais já despertos) estão dando esse retorno aos mundos paralelos, pelo que deles recebem. Um compromisso já firmado entre ambos como “toma lá dá cá”, para que os dois alcancem à frequência da 5ª dimensão, dando seu salto quântico.

Os dois estão preparando-se para esse momento de “transbordamento”. Preparando-se para extrapolarem da 4ª dimensão ou, do mundo do bioplasma nesse momento propício da passagem pela “Janela”. Um momento que será ainda mais especial para o dimensional ainda em condição humana, se conseguir “transbordar” ou sair da 3ª para a 5ª dimensão, dando “duplo salto quântico”.

É o paráclito que faz a avaliação desse “transbordar” para cada um, tanto na realidade física quanto em realidades paralelas. Ele que avalia o quanto cada um acumulou como seu “mini tesouro”, ao observa-lo e avalia-lo pelas suas emoções, pensamentos e ações – se já os têm sublimados ou não.

O Paráclito vibra em sintonia à frequência das deidades. Manifesta na Terra desde do tempo dos Anunnaki, interage em todas as dimensões e quando se mostra fisicamente é através de “algo” semelhante a um pássaro precedido pela sensação/ruído de ventania de origem indefinida. E, como é uma frequência que “avalia” os sentimentos/emoções, ele é especialmente importante nessa ocasião de abertura da “Janela”, possibilitando a partir do plano físico o aceso às outras dimensões ou outras realidades de mais amplitude vibratória.

Apesar dos mundos paralelos reciclarem para  frequências positivas frequências emotivas negativas dos dimensionais, esses devem sempre olhar para dentro de si, para que tenham o cuidado de não transmitirem pensamentos gerados por emoções na frequência da inveja, fortalecida ainda pelas frequências do orgulho, da vaidade e da cobiça, porque foi principalmente com esse “quarteto vibracional” com essa densidade mental-energética em tempos remotos de sua história, que foram “barrados” em seu salto quântico. Foram “expulsos” da possibilidade e da condição de transmutados e, readquirissem a sutileza de seu corpo de luz – ou, de mostrassem no que são em essência.

O dimensional em sua condição humana é um ser emocional, portanto nele vibra a Luz Viva impulsionada pela Emoção, através da Energia do Pensamento conduzida pela Consciência. E, como a Luz Viva é oriunda de Emoções, sua Fonte Sutil mais intensa é o Sentimento de Amor, com o seu Sentido de Somar/Unir ou, de Unidade/Deus. E, não a de efeito físico e visível como efeito eletromagnético no mundo denso da matéria, que dela utiliza as realidades paralelas (à partir da quarta dimensão) para fisicamente se mostrarem.

Jesus de Nazaré – O Cristo, mesmo com sua maneira de comunicar através de parábolas para ser mais facilmente compreendido há dois anos atrás, não alcançou como queria o seu objetivo. Hoje, com uma nova linguagem voltada ao sentido cosmo-divino ou, ao eterno sentido/essência de O Cristo, os dimensionais em compromisso devem no início da construção desse novo tempo, distanciarem-se de informações que verdadeiramente não clareiam, que não iluminam.

Ao contrário, muitas delas levam o ser humano através de um fundamentalismo primitivo ou de um dogmatismo inconsistente às trevas – ou, à escuridão mental que por ignorar, por desconhecer, é manipulado. Não poder por si mesmo escolher a Linha B ou do Meio de suas Três Linhas da Vida e caminhar pela vida ausente de solidão, ao se iluminar pela Luz do Conhecimento mais harmonizado com o mundo, com o universo e com o cosmos.

Na “Linguagem da Luz Viva – pela Holoinformação, é com o Sentimento de Amor no mundo das experiências humanas, estimulando a se somar/unir-se e, assim “entrelaçar-se” com todos e com tundo, que o ser humano intuído pode perceber a Presença de Deus através de uma mesma Lei ou Princípio, também na dupla hélice entrelaçada em seu DNA que lhe dá o surgimento físico e ainda, na Ciência Lilarial que está voltada à convergência das ondas eletromagnéticas moduladoras do cosmos ou, simplesmente às ondas moduladoras entrelaçadas.


É através da Holoinformação no mundo das experiencias humanas, que também se percebe com a Ciência Lilarial a presença de Deus através dos fundamentos da natureza – Imagens da Internet

E, envolva-se por sentimentos (memorizados) de saudade mesclados pela percepção do sentido de magia, que estão relacionados a um tempo remoto de sua história – agora começando a ser revivido como Reino de Dakila, Recanto de Havalon e com as presenças de deidades e divindades da natureza.

Existem muita diferença entre lembranças e memorias apesar de parecerem palavras sinônimas. As lembranças são passageiras, são apenas frias e mortas recordações, enquanto as memórias são mais do que lembranças, são sentimentos que no coração nunca se dissipam, estão vivos conduzidos pelo pensamento – ou, estão em sua memória como reais e vivas emoções. Lembranças são apenas imagens, enquanto memorias são constituídas por vivos sentimentos, que com eles ao se conduzir na frequência do amor, se ausenta das sensações de tempo e de espaço e, se torna eterno.

Hoje, os dimensionais despertos e ainda mais conscientes interagem no Reino de Dakila com a energia cristica (frequência de realização no mundo físico), com a neblina, com as naves bioplasmadas e com outras manifestações que se sincronizam, somam-se e trazem de um passado distante para o presente, momentos que “mexem” mentalmente não só com eles, mas também com todos os dimensionais espalhados pelo mundo.

A Grande Pirâmide que está sendo construída em Zigurats, ela depois de pronta dará condições mais permanentes para que aquele tempo distante de sua história, eles o revivam. Por isso o interesse “mais de perto” das 49 raças, para que ela seja o quanto antes concluída. A sua construção iniciou-se em 07/01/2018 e tem um prazo de quatro anos para ser concluída.


Início da construção da base de concreto da Grande Pirâmide em Zigurats, que funcionará como uma máquina quântica, tendo todas suas dimensões múltiplos de 09. Ela estará ligada à frequência transmutativa, portanto será fundamental para o salto quântico dos dimensionais. Também, estará voltada às frequências de materializações e de desmaterializações e às outras frequências. Ainda, estará em ressonância vibratória com a abertura de “portais” – Fotos de Antônio Carlos Tanure.

Mesmo quando os dimensionais estão com seus esforços agindo para construírem fisicamente o Reino de Dakila e não só “o envolvendo” com sua energia mental, esses esforços fazem parte também de sua escalada evolutiva, quando nesse “entrelaçamento” de energia para sua realização (entre o plano físico e o mental), eles vão emocionalmente se fortalecendo.

Eles se fortalecem, ao enfrentarem de maneira consciente e destemida, em um plano denso de existência e de experiências, conflitos e antagonismos que são gerados por interesses diversos, mas que procuram harmoniza-los.

As 49 raças não podem se manifestar e agir na realidade física como se mostram e agem os dimensionais em sua condição humana, portanto elas não podem realizar plenamente ao nível físico, o que esses últimos podem e devem realizar. O que elas fazem é através da geração e da manipulação de bioplasma e também de campos eletromagnéticos, que dessa maneira com os dimensionais se somam e os auxiliam.

É o momento para cada dimensional possuir um outro entendimento e procedimento, onde a confiança, honestidade e o sentido de justiça devem prevalecer e não o do oportunismo, com o interesse de um ou de alguns prevalecendo sobre os demais.

É momento para que ele autoanalise, tornando-se juiz de si mesmo e remova seus entraves mentais e emocionais e assim, possa ir acumulando seu “mini tesouro”, que só com ele pode verdadeiramente se enriquecer e ajudar construir esse novo tempo, já tendo resgatado de sua memória pensamentos e atitudes superiores pelo seu senso de justiça.

O dimensional que procura se transmutar, não deve se inserir no “jogo do paradoxo” ou, daquele que desejando conquistar algo de outrem fala e age para esse de modo contrário às suas verdadeiras intenções e assim confundindo-o, o leva a fazer exatamente aquilo, que deseja através dessa sua “persuasão”.

Esse pensamento e atitude (psicologia reversa) não devem ser daquele dimensional, que procurando retornar à sua verdadeira condição de um ser universal, agora se volta sua percepção ao Verdadeiro Sentido de Unidade já em outro superior padrão mental e de vibração em sintonia à “Linguagem da Luz” ou da holoinformação, que o estimula se reencontrar dentro de sua real condição de cocriador.

Nessa sua caminhada, o dimensional em seu processo mental de se despertar, deve apurar (nas atividades de campo) sua percepção do labirinto sensorial, aproveitando as presenças de vales, grotas, árvores e de modo geral todo o relevo (topografia) do local, para percebe-los através de sua sensibilidade sons que emitem. “Senti-los” quando ainda mais longe algum galho quebre ou caia e outros sons, que deve ir devagar deles “aproximando/ouvindo” ou, ir gradativamente “sentindo-os/percebendo-os” com mais nitidez.

Dessa maneira ele deve ir treinando, desenvolvendo essa sua percepção do labirinto sensorial. Deve ir se ajustando a ele ou, entrando em sintonia à sua frequência. Depois de maneira mais ampliada ir sintonizando e canalizando para si a vibração sonora proveniente das montanhas, dos vales e de outras topografias, para “senti-la/escutá-la”, quando então começara a escutar sua própria voz quando fala com efeito de eco, impessoal ou de forma diferentemente vibrátil, metálica.

O dimensional se em seu compromisso de propagação precisar falar para muitas pessoas dentro de certa distância e não tiver tecnologia no local para ampliar sua voz, necessitará utilizar das diferentes frequências sonoras da natureza ou, das ondas desse labirinto.

Por isso ele deve aprender a encontra-las (sintoniza-las) para usa-las, como fazia Jesus de Nazaré – O Cristo, quando ensinava quase sempre ao ar livre, junto à natureza. Um desses momentos aconteceu no Monte das Bem-Aventuranças, quando ele se expressou através do que é hoje conhecido como o Sermão da Montanha, para centenas de pessoas.


Registros fotográficos no Monte das Bem-Aventuranças, na margem noroeste do Mar da Galileia, entre Cafarnaum e Genesaré, em Israel, é um dos vários locais onde esteve cerca de dois mil anos atrás Jesus de Nazaré – O cristo, passando informações e com elas ensinamentos muitas vezes na forma de parábolas ou de mensagens necessárias a uma nova programação mental, para que na realidade física as pessoas pudessem viver com mais equilíbrio emocional a condição “de ter” na vida, mas sem interferir no sentido “de ser” voltado à Verdadeira Vida. Naquele Monte, hoje das Bem-Aventuranças, aquele que é “paranormal” ou possuidor de habilidade mental própria, pode ainda hoje escutar como um eco vindo do passado a voz firme e sem vacilo desse que foi um líder, mas possuidor também dos sentimentos da compreensão, da compaixão e do amor. Mais informações no texto: Voltando ao passado buscando o futuro, no Portal Pegasus (www.pegasus.portal.nom.br) – Fotos de Antônio Carlos Tanure

A manipulação e o uso do labirinto sensorial, não importando a distância entre os comunicantes, estão associados à uma “tecnologia natural”, independente de posições “trigonométricas”, que não são fáceis de serem confirmadas pela ciência oficial.

Os dimensionais despertos estimulados por novos conhecimentos e agindo como pesquisadores da Ciência Lilarial, devem com mais acuidade voltar sua percepção não só para a natureza em sua volta, mas também para aquela mais distante no céu – para Lua, o Sol e as Estrelas e não só como presenças físicas que se mostrem em seu cotidiano, porque “escondem” informações, que a ciência tradicional as desconhece.

O dimensional que alcançou um nível de sensibilidade e de responsabilidade consigo mesmo e com o cosmos, o que menciona ou escreve, ele se dispõe com seu conteúdo propagador sintonia agora à Ciência Lilarial em sua Linguagem Quântica da Holoinformação, preservando o sentido atemporal (eterno) de O Cristo.

Jesus de Nazaré quando aqui esteve fisicamente como O Cristo, ele “esteve inserido” em seu Próprio Eu Superior – e assim, manifestando-se com Consciência Plena, possuía também em sua Divindade a junção das polaridades (positiva e negativa) necessária ao seu equilíbrio emocional. A união dessas duas polaridades opostas o facilitavam no plano mental alcançar à frequência da Harmonia e com ela à Vibração da Verdadeira Sabedoria, tornando-se Ponte Viva às realidades paralelas de vibração mais sutis e ainda, Fonte de poderes sobre a matéria – o de criação e o de realização.

Os dimensionais em propagação devem conservar nessa sintonia mental e com ela se movimentar, se direcionar, porque muito do que foi naquele tempo dito, foi ignorado ou distorcido por conveniência durante séculos.

Esses propagadores possuem o compromisso de hoje reviver essa sintonia e pô-la em pratica com determinação, com claro objetivo como a Boa Nova de Cristo, por já perceberem o final desse grande ciclo de 25.625 anos, para o início de outro, que nele uma nova humanidade em nova programação mental se mostrará, sem mais os atuais limites e os vícios mentais que já terão sido definitivamente removidos.

Fontes de pesquisa:

Apostila de Dakila Pesquisas, mês de maio de 2018

Texto: O Segundo Renascimento, de Mauro Dias, geografo e especialista em cartografia/aerofotogrametria pela Cartographic School

Translate »