Postado por

Discos Voadores

Discos Voadores
Print Friendly

Caso Kenneth Arnold

“O que eu observei sobre as montanhas Cascade, tão impossível quanto possa parecer, é verdade absoluta. Eu nunca pedi e nem nuca quis alguma notoriedade. O que avistei foi apenas acidentalmente, por estar no lugar certo e na hora certa para observar o que observei. O meu relato seria o mesmo que qualquer outro piloto relataria. Eu não acho o que aconteceu foi por causa de algum “problema” de visão, mas o que pode ser analisado como normal por qualquer piloto” – Kenneth Arnold


Kenneth Arnold.

Kenneth Arnold, um piloto privado pilotava o seu avião voltando para casa, em Wyoming/USA, quando no dia em 24 de junho de 1947, em torno das 15h00min, voando a 9000 pés, um flash de luz brilhante chamou a sua atenção. Olhando da janela de seu avião, ficou surpreso ao ver nove objetos em forma de disco voando em formação.

Pensando que fosse algum tipo de aeronave militar, ele os observava atentamente enquanto estes objetos faziam movimentos com cortadas, descidas e disparadas com incrível velocidade. Mas, o que mais fascinou Arnold, foi o fato de que estes objetos voadores não tinham extremidades, porque eram redondos em forma de pires, metálicos e polidos.


Nove objetos em forma de disco voando em formação.

Depois que Arnold com o seu avião aterrissou em Yakima – Washington/USA e disse para o administrador do aeroporto e para várias outras pessoas que ali estavam sobre este seu avistamento, uma delas ponderou (por até então não existirem informações de conhecimento publico sobre estes objetos voadores) que estes objetos poderiam ser testes com mísseis comandados da cidade de Moses Lake/USA. Logo depois Arnold já em Pendleton – Oregon/USA com muitas pessoas já sabendo deste seu avistamento, o esperavam no aeródromo para que novamente passasse informações sobre ele.

O editor do jornal The Oregonian Leste foi quem publicou primeiro o relato sobre estes “pires voadores”, como eram conhecidos inicialmente. Nesta reportagem tanto Arnold Kenneth quanto o editor concordaram salientar que o governo americano estava começando introduzir no mundo um novo meio de transporte, portanto ainda não davam para ele o enfoque alienígena.

Depois desta reportagem que focalizou estes objetos desta maneira, em pouco tempo Kenneth Arnold era conhecido por todo o país e o tema “disco voador” (a partir do ano de 1947) já era do conhecimento do povo, que acompanhava as informações sobre este assunto com grande interesse.

Tudo o que ele dizia dobre estes “pires voadores” era explorado pelos jornais e emissoras de rádio não só no USA como também em todo o mundo. Para ele não demoraria muito cada cidadão norte-americano ter um destes objetos voadores.

Kenneth Arnold em uma de suas conversas ao descrever o movimento destes objetos “como um disco que pulava sobre a água”, Bill Bequette repórter do jornal The Oregonian Leste recordando mais tarde desta sua descrição, foi quem pela primeira vez deu para este fenômeno o nome de “disco voador”.

A reação inicial dos militares a estes objetos voadores foi o silencio, apesar de que os relatórios que os identificavam como “discos voadores” continuassem fluir. Mas, era evidente que alguma ação eles precisavam tomar. Então, foi realizada uma reunião no Pentágono, no escritório do General Schulgen.

Decidiu-se, que os relatos de observadores mais qualificados destes “objetos voadores” deveriam ser selecionados para serem investigados, quando então Kenneth Arnold foi um dos primeiros a ser solicitado para uma entrevista na Sede da Força Aérea, em Hamilton – Califórnia/USA.

Cerca de cento e cinqüenta relatórios fizeram o seu caminho para os arquivos de Técnica de Inteligência, T-2, em Wright Field – Ohio/USA. Hoje, esses relatórios são parte do projeto Blue Book da USAF localizados no Arquivo Nacional, em College Park – Maryland/USA.

Fontes (Google):
teoriaalien.blogspot.com/…/caso-kenneth-arnold-o-surgimento-da.ht

Translate »