Postado por

Pensamento, Desejo e Vontade

Pensamento, Desejo e Vontade
Print Friendly, PDF & Email

– Poder da criação ou Realização consciente –

De Noeli Lanes Moraes (noelanes@hotmail.com) – em setembro de 2009

Possuímos o poder da criação para a reprodução da espécie, e também para realizações que desejamos manifestar fisicamente, através da sábia sintonia que deve existir entre pensamento, desejo e vontade. O poder criador está na perfeita sincronia entre estes três elementos, que representam a manifestação da santíssima trindade no homem. Este poder normalmente manifesta se de forma instintiva, mas também pode manifestar se através de programações direcionadas, que resultarão em realizações conscientes.

O pensamento cria formas mentais em 5ª dimensão e representa a força do pai-mãe. O desejo põe em ação a energia, plasmando a criação da mente em 4ª dimensão e representa a força do filho. A vontade torna física a criação em 3ª dimensão e representa a força do espírito santo.

Tudo é criado através destas três forças, está presente tanto no macrocosmo (universo) como no microcosmo (homem), neste último representa o nosso poder individual de criar. A mente é responsável pelas idéias, que é o início da criação, na mente tudo é possível, principalmente quando não temos nenhum controle sobre os pensamentos. Porém nem tudo o que pensamos torna se realidade, porque a mente sozinha não consegue realizar nada, ela precisa da energia do desejo, que é a emoção, acrescida da vontade.

Quando realizamos algo, agimos instintivamente, não percebermos que existe sincronia entre os três elementos e uma seqüência de fatos. Para que haja sucesso em nossas realizações programadas, necessitamos de atenção e muito empenho, obedecendo a ordem dos fatos, é preciso ter consciência sobre esta realidade.

Como fazer a programação consciente:

1º passo – Criar uma realidade em 5ªD, ou seja, formar na tela da mente a imagem daquilo que desejamos realizar. Não importa o que seja, pode ser bens materiais, emprego, dinheiro ou um namorado é válido para qualquer coisa. Se o objetivo for adquirir uma casa, devemos imaginar como queremos esta casa, podemos formar várias imagens e optar pela a que mais nos agrada. A mente serve para isso, é como rabiscar em um papel.

2º passo – Após feito a escolha, devemos criar uma realidade em 4ªD, que é dar vida à imagem formada na tela mental, isto só é possível quando utilizamos a energia do emocional sob a forma de desejo profundo, uma emoção forte que unida à energia da mente faz com que o poder criador entre em ação, porque a mente sozinha tem poder limitado. Para que haja a plasmação em 4ªD é necessária a ação conjunta das duas forças (mental e emocional) atuando ao mesmo tempo.

3º passo – Tendo posto o poder criador em ação ( sintonia perfeita entre mente e emoção) é a vez de cristalizar o que se quer em 3ªD. Para isso precisamos da vontade. O que é a vontade? É a fé, a certeza que devemos ter, que se concretizará no mundo físico aquilo que criamos na tela da mente e desejamos profundamente.

Resumindo, precisamos criar na tela da mente o que se quer, durante a visualização sentir um desejo profundo de que isso aconteça e ter a convicção de que tudo deu certo, como se já houvesse acontecido.

Temos aqui a técnica de como concretizar algo em 3ªD, só não podemos esquecer que nem tudo que desejamos é possível realizar, porque estamos sob a influência de leis que impedem algumas de nossas realizações. Quando nascemos já trazemos uma espécie de programação que alguns chamam de destino, que está sob a influência da lei do carma (causa e efeito). Esta lei nos obriga muitas vezes a passar por determinadas situações que não desejamos e nem escolhemos nesta vida, é pendência que ficou de vidas passadas, que temos que resgatar ou anular. Na 3ªD o nosso poder criador é limitado, nem tudo o que se mentaliza e deseja é realizado porque passa pelo filtro das leis desta dimensão.

Além das leis de 3ªD a dúvida é o fator que mais impede a realização das programações. Qualquer questionamento por insignificante que seja já é o suficiente para romper o elo necessário entre pensamento, desejo e vontade, no caso de incertezas o poder criador deixa de atuar, a fé é determinante.

A lei que realiza é a lei da atração, nem sempre a programação é automaticamente realizada, a lei precisa de tempo para organizar o que programamos, primeiro passa pelo filtro da lei do carma, e esta determina se é possível realizar imediatamente, se necessita de um tempo ou se não será definitivamente realizada.

Observações:

No 1º passo devemos ter muito cuidado, a imagem mental escolhida, é a responsável pelo que se manifestará posteriormente, isto se o que programamos for algo físico. Se for algo abstrato como uma situação, devemos estabelecer todos os critérios desejados nesta fase. Verificar se é exatamente o que se quer, se vai ser bom, se não vai criar problemas de modo geral, se realmente vale a pena, se está dentro do nosso orçamento, etc. Nunca devemos agir por impulso, ou desejar algo que esteja fora do nosso controle, para não se ter arrependimento futuro. É preferível optar por algo simples que de satisfação, do que por coisas sofisticadas que só servirão para criar problemas. Muita atenção, devemos sempre nos conscientizar do que estamos querendo, verificar se é realmente necessário, e se não estamos querendo algo que servirá apenas para satisfazer o ego, momentaneamente.

No 2º passo precisamos apenas gerar a emoção compatível com o que se quer realizar, é o

desejo profundo, emoção forte. Neste momento, não é hora de questionar ou duvidar, tudo já deve ter sido estabelecido no 1º passo, apenas sentir a coisa escolhida tomando forma, tendo vida.

No 3º passo devemos imaginar e sentir a realização pronta, como se fosse algo do passado,

cabe aqui agradecer pela conquista realizada. Isto é um dado importante é para que a lei da

atração atue neste momento e proporcione a manifestação física. Se pensamos em algo que vai ainda acontecer, a lei reconhece como algo do futuro e não atua em nosso favor.

Esclarecimento sobre a lei da atração:

Tudo que desejamos tende manifestar se em nossas vidas, não esquecendo que a lei do carma filtra os nossos desejos, gerando certas restrições. Durante a programação consciente, devemos vibrar emocionalmente numa freqüência boa, porque o desejo é como um ímã, ele atrai coisas compatíveis com a sua vibração.

Se estamos em paz na vibração do amor, atrairemos coisas, pessoas, ou situações com estas freqüências. Se estamos stressados ou irados vibrando negativamente, da mesma forma, vamos atrair coisas, pessoas ou situações que estejam nesta sintonia. Atraímos exatamente a vibração que geramos constantemente, se vibramos na paz é paz que vem ao nosso encontro, se vibramos na desarmonia será isso que vamos atrair. Todos os pensamentos e sentimentos gerados, tomam um rumo, e voltam sempre ao ponto de origem. Se fomos nós que geramos, sempre voltarão para nós, por causa da freqüência que é a mesma e funciona como imã. Atenção sobre o que pensamos e desejamos aos outros.

Todo o pensamento e desejo do emitente, primeiro atua sobre ele e depois vai ao encontro daquele para o qual foi direcionado a intenção. Se a vibração do receptor for compatível com o que lhes foi direcionado, surte efeito, age e volta ao emitente reforçado da vibração do receptor, atuando mais uma vez sobre quem emitiu o pensamento e desejo inicial. Se a vibração do receptor não for compatível não surte efeito algum, mas da mesma forma volta ao ponto inicial, e atua pela segunda vez.

Em outras palavras, tudo o que desejamos somente a nós a lei nos presenteia uma vez. E tudo o que desejamos aos outros a lei nos presenteia duas vezes, porque o desejo atua sobre nós na sua emissão, e atua novamente quando retorna, pelo fato de que atraímos tudo o que for compatível com nossa vibração, e como fomos nós que geramos é inevitável que isto aconteça.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pensamento, Desejo e Vontade | - […] Postado por Antônio Carlos Tanure […]
Translate »