Postado por

Quarto contato com Seres de Titus

Quarto contato com Seres de Titus
Print Friendly, PDF & Email

Os acontecimentos aqui narrados como o Vigésimo Primeiro Relato aconteceram no mesmo local, onde tempo atrás também ocorreu um outro contato, que dele participamos e que “puxamos” os contatos verbais (Décimo Sexto Relato).

Portanto, este contato também aconteceu no bambuzal, uns poucos metros à esquerda de onde aconteceu aquele outro.

Era uma noite de lua crescente no dia 05 de janeiro de 2009, em torno das 01h30min, quando caminhando juntamente com mais seis companheiros por uma trilha anteriormente aberta por dentro do bambuzal, escutamos de imediato sem mais a necessidade de praxe da sonoplastia de pedras sendo jogadas, sons de vozes aparentemente ainda distantes articulando palavras também ainda não entendíveis.

Portanto, depois que alguns companheiros pediram aos “Seres” duas vezes que nos estabilizassem e que nos sintonizassem em relação à freqüência deles, escutamos primeiramente de maneira mais fraca e depois de forma mais intensa o silvo mesclado entre o som de uma panela de pressão em uso e o de uma flauta, quando pudemos então, escutar que as vozes se faziam mais próximas de nós e que já entendíamos algumas palavras. Este som que escutamos e que foi manipulado pelos “Seres”, ele decompõe em harmônicos e vibrando em hertz/s servem para ajustar uma das nossas camadas da aura, nos possibilitando uma melhor sintonia com outras dimensões.

Então, todos nós que estávamos antes caminhando em fila indiana, já tínhamos parado e já virados para o local na semi-escuridão de onde partiam as vozes, iniciamos o nosso dialogo com “Seres”.

Todos os sete dimensionais presentes neste contato já tinham o seu contato compromisso, portanto este foi nesta condição o segundo, quando os “Seres” acrescentaram outras tarefas para alguns e redirecionaram em seus compromissos alguns outros.

E, este foi em nosso caso particular, o quarto com conversação direta com os “Seres” e o primeiro com um numero maior de companheiros, o que nos proporcionou algumas observações em relação a esta nova situação.

Quando nos contatos estiver um numero maior de companheiros, devemos nos manter calmos, mas sem nos deixarmos “anestesiar” pela emoção do momento, para que não fiquemos inertes. Por outro lado, devemos proceder de maneira harmônica uns com os outros, para não “atropelar” os companheiros, quando procuramos extrair o máximo de informações dos “Seres”.

Portanto, este nosso contato que durou praticamente uma hora, nos proporcionou momentos responsavelmente especiais, nos ensinado a ter “disciplina mental”, quando nos minutos iniciais do contato não soubemos nos conduzir como um todo.

O que será aqui relatado, bem provável não estará em ordem cronológica dos acontecimentos, mesmo porque será uma narração parcial, já que nele não constarão as informações dos demais companheiros, originadas de perguntas que também fizeram aos “Seres” tanto em relação aos seus compromissos quanto de um modo geral e, portanto elas foram muitas e não as memorizamos.

No inicio do contato os “Seres” nos pediu que sentássemos no chão um ao lado do outro e que déssemos as mãos, deixando apenas uma lanterna acessa com o seu foco de luz direcionado lateralmente.

Neste contato estiveram presentes vários “Seres”, que nos cercaram, mas os que comunicaram conosco foram dois casais em torno de dois metros de altura, que se posicionaram à nossa frente.

Um dos companheiros perguntou de onde eles eram, e um deles respondeu que era de Titus (as três vezes anteriores tínhamos também conversado com os “Seres” originados deste ponto do universo). Então, para completar a resposta dada anteriormente ao nosso companheiro, pedimos ao “Ser” que dissesse onde ficava Titus, o que ele prontamente respondeu, nos dizendo que Titus ficava atrás de Aldebarã – [Do ar,al – dabaran, ‘(as) que seguem as cinco estrelas da Constelação de Touro (as Plêiades)’ .] Dicionário Aurélio.

Em um dado momento um dos “Seres” espontaneamente nos alertou e nos passou uma mensagem, que momentos de destruição já estão próximos e que o Projeto Portal é a ultima esperança para a transformação da humanidade, no sentido de ajudá-la reerguer e construir uma “Nova Era” – portanto, o dimensional/Projeto Portal realmente despertado, tem a responsabilidade como agente propagador/divulgador, construir na Terra este tempo de uma “Nova Consciência”.

Este “Ser” também nos disse que o “Consolador” é um “Pedaço de Cristo” e o Representante das quarenta e nove raças na Terra. Em relação ao anunciado de que o “Consolador” é um “Pedaço de Cristo”, já sabíamos disto, já que o “Consolador/Ajudador” de agora veio para completar o trabalho do outro “Consolador” de dois mil anos atrás, quando este também utiliza da “Energia do Espírito Santo” ou de sua Vontade (Energia Vibracional/Kundalini) de acordo com as Leis Universais, para orientar e ajudar (ajuda ultimamente em treze por cento de utilização da sua Energia Vibracional).

Naquela ocasião o “Primeiro Consolador” chegou até mencionar a presença do “Segundo Consolador” como um acontecimento futuro. Um vibra na Freqüência do outro – ou – um é a Ressonância (Vibratória) do outro.

Em um outro momento deste contato quando todos perguntavam sobre os seus compromissos, perguntamos também em relação ao que escrevemos, quando transmitimos (na Ressonância do trabalho de propagação e divulgação de um dos apóstolos) os ensinamentos que o “Consolador” nos transmite. Um dos “Seres” nos disse que continuássemos do jeito que estávamos informando àqueles que já têm conhecimento (mas, não o conhecimento passado pelo Projeto Portal) e, que estendêssemos também este conhecimento para o “povo”, informando-o em uma linguagem própria.

Novamente todos de pé e de mãos dadas atendendo a solicitação dos “Seres” à nossa frente, um deles nos disse que iriam ficar pesados, que tornariam densos e aproximariam mais de nós para que pudéssemos vê-los. Entretanto, como um dos companheiros continuava não vê-los, eles se tornaram ainda mais densos (uma situação “dolorosa” para eles) e todos então, puderam enxergá-los.

Nos momentos seguintes já estando mais próximos, já se mostrando em uma distancia em torno de um metro e meio a dois metros de nós, eles deslocavam ora para direita, ora para esquerda e também, ora baixando ora erguendo os seus corpos para que os víssemos. Portanto, eles nos avisavam antes em relação ao deslocamento que faziam, para que acompanhássemos os seus movimentos e pudéssemos na penumbra identificá-los em seus corpos humanóides contornados por uma “suave” luminosidade claro-esverdeada.

Dois instantes nesta demonstração de suas presenças chamaram especialmente a nossa atenção. O primeiro instante foi quando um dos “Seres” mais próximo mostrou em seu corpo semitransparente uma luz fosca mais densa e na cor vermelho-dourada (o que seria em nós o nosso coração), que pulsou/vibrou e destacou do seu corpo humanóide.

O segundo instante foi quando um deles nos avisou que iriam levitar e realmente vimos quando aqueles que estavam à nossa frente, os seus corpos suspenderem talvez dois metros e meio do chão. Então, deslocando em nossa direção já naquela altura, induziram os galhos das arvores e alguns bambus ao nosso derredor, para que eles fechassem sobre as nossas cabeças e nos cobrissem como se fosse um guarda-chuva constituído de folhas.

Um outro nosso momento de observação e de aprendizado foi quando pedimos ao “Ser” que novamente nos ativassem, porque não tínhamos visto plenamente a primeira ativação luminosa, já que tínhamos desviado naquele instante o nosso olhar para o chão, consertando o nosso corpo sobre um pequeno declive barrento e escorregadio em que estávamos.

É necessário mencionar que nas três ocasiões que nos aconteceram os três contatos anteriores com conversação com os “Seres”, tivemos ativações físico-diretas deles e não através de um processo luminoso – daí, a nossa curiosidade naquele momento em relação a esta forma de ativação.

Então, passados alguns segundo após esta nossa solicitação e agora com a nossa visão física (e a “terceira visão”) bastante direcionada para o local na semi-escuridão de onde tinha antes partido o primeiro clarão, vimos acontecer a segunda ativação luminosa. E, com ela não só pudemos nos beneficiar em relação à nossa saúde/proteção, como também aprender um pouco mais.

Esta ativação aconteceu através de um “foco luminoso”, que se mostrou um pouco mais alto que o primeiro. No centro deste “corpo de energia” que se mostrou de forma luminoso-opaca, continha um ponto luminoso mais compacto rodeado por um halo dourado, que também nos envolveu instantaneamente nesta luminosidade opaca.

Então, com esta nossa visualização pudemos realmente certificar e não só teorizar o que é luz de contato. Que ela realmente não propaga como a luz irradiada de uma lâmpada comum acesa, que apenas segue o seu curso normal “sendo direcionada para fora”, portanto propagando a sua luminosidade gerada pela corrente elétrica de acordo com as leis da física para a terceira dimensão. Por sua vez a luz de contato que não propaga, utiliza da energia do campo eletromagnético, mas “direcionando-a para dentro”. Portanto, ela é absorvida para que o “fenômeno” possa ser visto de acordo com as leis para o mundo físico, mas também de acordo com outras leis que o extrapolam.

Perguntamos também aos “Seres” – em função de um texto que ainda pretendemos escrever – se o “deus” no Velho Testamento que guiava o Povo de Israel eram seres extraterrestres. O “Ser” que dialogava conosco confirmou (o que já imaginávamos), nos dizendo que era um “ser”, mas quando novamente o perguntamos neste sentido, qual era o nome dele (s) ou da raça (s) que pertencia (m), ele mencionou que por enquanto não poderia nos dizer.

Perguntamos ainda para ele, tendo em vista o momento vivenciado pelo Projeto Portal físico já no Plano B e com dificuldade organizacional, se agora para organizá-lo como cartada decisiva, seriam necessárias as presenças mais atuantes das mulheres. Ele respondeu de maneira afirmativa, dizendo-nos que o momento (de comando) é da Energia Feminina.

Então, para finalizar as perguntas que fazíamos, indagamos para ele se poderia enviar uma mensagem para os dimensionais do Projeto Portal. Ele disse apenas duas palavras UNIÃO e AÇÃO.

E, terminando este contato o “Ser” despediu de nós sete, nos dizendo: “vibração”.

No final deste relato queremos deixar como registro, que todos nós que compomos o “Corpo Vivo Projeto Portal”, estamos vivenciando no aqui agora uma nova realidade de sintonia e de interação.

Estamos vivenciando experiências além daquelas apregoadas pela ufologia tradicional, porque não só interagimos com Seres Extraterrestres da terceira dimensão, que possuem tecnologia para interagir na quarta dimensão e atravessar portais energéticos como os Seres de Gêmus, como também já estamos interagindo com Seres ao nível de Divindades.

Portanto, já estamos também interagindo com Seres da Nona Dimensão, que se tornam densos, é para que possam conosco dialogar. Se também nos dão nomes, é para que dentro da nossa limitada concepção de realidade possamos identificá-los. Ainda, se mencionam o seu ponto de origem é para que possamos identificar em nosso universo físico-visível os seus portais de entrada, quando aqui se aportam como Energias Conscientes quase instantaneamente, se deslocando na velocidade do Pensamento, ao utilizar e manipular a Energia Mental-Vibracional do dimensional.

Realmente, no Projeto Portal não só já “germina”, como também já é vivenciada uma Nova Visão da Realidade.

Translate »