Postado por

Transmutação/Plano Mental

Transmutação/Plano Mental
Print Friendly

A evolução mental só acontece acompanhada da auto-iluminação, quando o individuo/dimensional ao decodificar no seu dia a dia as suas experiências da realidade menor, fazendo a sua alquimia do pensamento, se percebe como parte da Realidade Maior.

A energia do mental é a energia do frontal. A interação do indivíduo/dimensional com o plano mental se faz através da energia do seu chacra frontal.

O trabalho desenvolvido no Projeto Portal é em nível mental e utiliza a energia mental/vibracional ativa do individuo (energia sexual/emocional). Portanto, se ele interagir em uma outra freqüência usando o seu chacra frontal, que foi trabalhado para vibrar normalmente com a energia vibracional ativa/kundalini, ele poderá sofrer uma interferência energética. O indivíduo que já está interagindo no plano mental, se volta a interagir no “plano astral” através de rituais religiosos, por exemplo, que deixem os seus padrões de energia baixos, podem lhe trazer repercussão negativa para a sua vida material e até mesmo para a saúde do seu corpo, o que é sinalizado e visto ao nível da sua terceira camada da aura.

Os trabalhos vibracionais com o plano mental exigem o ato de pensar positivamente e o ato de desejar profundamente, que são verdadeiras e imensas fontes geradoras de energia e, para manipular esta fonte de energia mental/vibracional, é necessário apenas, que o indivíduo/dimensional seja sincero consigo, acredite realmente que pode e que interaja com a sua Luz Interior.

Quanto mais rápido o dimensional pensar e raciocinar, quanto mais rápida for a sua freqüência mental, com as suas ondas cerebrais pulsando mais rapidamente, maior será a sua energia vibracional e mais controle sobre si mesmo ele terá. Os níveis vibracionais de alta freqüência são conhecidos como níveis do plano mental e nele os resultados são praticamente instantâneos, com a mente do indivíduo funcionando em ritmo acelerado.

No plano mental o indivíduo/dimensional pode exteriorizar conscientemente a sua energia mental/vibracional, desejando que ela se manifeste e realize efeitos físicos e, neste caso, a energia vai além do seu campo energético. O dimensional ao manipular a sua energia mental/vibracional conscientemente à distância, faz que ela atue na matéria ou na mente de uma outra pessoa. No plano mental o indivíduo deve ver em um estado de total consciência e sem relaxamento, o objeto ou a circunstância que ele deseja, já fazendo fisicamente parte de sua vida como algo já conquistado e definitivo.

Portanto, na linguagem mental o desejar profundo significa que o indivíduo/dimensional não deve jamais duvidar que o seu desejo se realize, ele deve trazer mentalmente a fonte do seu desejo para dentro de si ou usá-la mentalmente, se for o caso. Em um estado constante de concentração alterada, qualquer alteração no corpo energético do individuo refletirá no seu corpo físico.

Os níveis vibracionais de alta freqüência podem ser divididos em mental superior, mental físico e mental dimensional. Neles, o individuo/dimensional, mesmo na terceira dimensão é muito menos emocional, é mais dono de si, mais consciente da sua Realidade, mais se expressa com o seu Poder Criador através da sua energia da criação ativa/kundalini, que é levada para o seu frontal e com ela, como um Co-criador, pode potencializar/direcionar a Energia (Neutra) do seu Pensamento para materialização e para a sua Transmutação.

No mental superior o subconsciente do individuo/dimensional emite energia apenas para dentro do seu campo energético, para dentro de um raio de ação de seis a sete metros de circunferência a partir do seu corpo físico e o seu cérebro está na rotação de quinze a vinte ciclos/segundo. O mental físico é a segunda freqüência deste nível, onde o indivíduo/dimensional pode realizar fenômenos físicos, influenciar outros indivíduos e o seu cérebro está na rotação de vinte e um a vinte seis ciclos/segundo. O mental dimensional é a última freqüência deste nível, onde o indivíduo/dimensional já interage com outras dimensões, podendo transitar por elas já com o seu corpo físico e nele o dimensional pode materializar e desmaterializar objetos e, inclusive, pode desmaterializar até o seu corpo. Nesta freqüência vibracional o seu cérebro está na rotação de vinte e sete a trinta e dois ciclos por segundo.

A projeção mental é mais física, interage mais com a terceira dimensão, pois através dela o indivíduo/dimensional pode tocar, pode mudar e alterar as coisas, não importando onde ele esteja ou a que distância se encontra dos objetos. Quando o desdobramento ocorre no plano mental, o indivíduo traz para o plano físico, além de suas percepções, toda a sua capacidade de transmutar, de materializar e de desmaterializar com maior ou menor intensidade, dependendo do seu treinamento mental.

Quando o individuo/dimensional move um objeto pela sua força mental, ele está unindo instantaneamente as três pontas do Triangulo de Energia através da sua vontade, do seu desejo e do seu pensamento, transferindo automaticamente para o seu corpo o que já está codificado em seu subconsciente e que mentalmente ele quer que aconteça ou materialize na terceira dimensão.

Cada dimensional está em um degrau diferente na escada evolutiva, porque cada um tem um determinado nível de consciência, com um padrão mental diferente, que o sintoniza com o seu degrau nesta escada. O “ser espiritual” já está normalmente interiorizado no individuo, que já nasceu para normalmente expressa-lo. Agora, ele precisa se transformar em um ser mais mental e fazer como Jesus Cristo, quando realizava os Seus milagres através do Seu desejo profundo, utilizando da Sua energia criadora/kundalini, para alcançar o “Pai” através da Energia do Seu Pensamento.

A Ressurreição/Transmutação é conhecida como a transformação do corpo físico/humano em Luz, mas, o dimensional deve percebê-La mais claramente como a conseqüência da transmutação do seu corpo físico através da manipulação de sua energia mental, alterando a sua Onda de Freqüência Vibratória. Com a sua Transmutação o indivíduo/dimensional passa direto para a quarta dimensão, como ele já fez há milhares de anos atrás e, portanto, o que ele energeticamente tem que fazer, ele já sabe fazer.

Os dimensionais/Projeto Portal estão sendo filtrados pela qualidade e não mais pela quantidade, ficando apenas aqueles que já possuem níveis de consciência para interagir com os “seres”. Entretanto, existem ainda alguns indivíduos/dimensionais que estão de braços cruzados, esperando que as coisas aconteçam por elas mesmas, acreditando que só por estarem fisicamente presentes, já estão satisfatoriamente contribuindo. Todos os dimensionais devem se ajudar mutuamente, para que formem um grupo bastante coeso, para que possam manipular a energia mental com muita responsabilidade e possam também vibrar em outro nível, em um nível necessário de “fé”, que os capacitem sintonizar com o Eu Superior e se iluminar.

Lagoa Santa/MG-BR, 11 de março de 2005.

___________________________


Outros Textos

Responsabilidade

– Despertar –
(Primeira Parte)

 

O dimensional deve aprender a trabalhar a si mesmo sem ansiedade e sem esperar pelos outros. Ele deve ter uma vontade férrea, fazendo que tudo harmonize em sua volta, resolvendo por etapas tudo aquilo que o aflige, sem se angustiar por antecipação. Ele deve aprender a buscar o que é harmônico e aquilo que ele não mais interessa deve ser deixado para trás, para que ele possa ter crescimento mental/vibracional, despertando-se para outros níveis de consciência.

O indivíduo/dimensional deve acreditar em si, no seu potencial mental e ter certeza do que quer e do que pretende, desejando-o positivamente. Ele deve ter sempre em mente que é o momento do “negativo” atrair o “negativo”, como também do “positivo” atrair o “positivo”, porque é o momento de definir freqüências. Já começou a seleção vibratória tanto individual quanto coletiva, já chegou o momento daqueles que estão em uma mesma sintonia agruparem e vibrarem em uma mesma freqüência, para que possam estabelecer a sua identidade vibracional.

Controlando-se emocionalmente, o dimensional pode estabelecer o tempo e a intensidade da sua energia mental emanada e direcioná-la para um determinado fim. Através dos seus pensamentos e das suas ações ele deve transformar em uma freqüência positiva, toda a negatividade que nele é jogada, porque ele deve vibracionalmente transformar em harmonia toda desarmonia que recebe.

Não é fácil para seres conscientes, quando se exercitam em mundos da terceira dimensão como a Terra, alcançarem normalmente um elevado grau de vibração, devido à densidade energética deste plano. Entretanto, não tem mais tempo para conflitos e dúvidas, assim, o individuo/dimensional inseguro e sem um nível de consciência mínimo necessário poderá colocar a perder todo o trabalho mental/vibracional que já fez até hoje. Tudo é uma questão de ter paciência, de treinar, de pensar e de reciclar.

Precisa existir entre os indivíduos/dimensionais uma convivência pautada em uma maior união, sem ciúme e com mais amor incondicional, para que possam formar um só corpo de energia e consigam o que há tanto tempo almejam. A experiência dual da bondade está codificada no amor incondicional e aquele que vibra nele quase sempre tem uma forte interação mental com os seus semelhantes, está em sintonia com eles.

Ninguém é juiz de ninguém. O indivíduo deve aceitar o fato que o seu semelhante está aprendendo e que está evoluindo. Todos têm defeitos, mas, também têm qualidades. Aquele que é chato para um, não é chato para o outro. Ele deve aceitar o outro como é, deixando que a própria Lei da Vida se encarregue de redirecionar aqueles que irradiam maledicência, que irradiam a energia da desarmonia.

O dimensional não deve ficar criticando o trabalho do outro, mas, dentro do possível, deve ajudá-lo. Se no momento ele está mais iluminado, já teve a experiência da escuridão que o outro ainda vive. É muito mais fácil julgar do que ajudar, mas, toda vez que ele julga ou aponta erro do outro, ele está se direcionando para baixo.

O pecado está no julgamento de cada um, está dentro de cada um. O individuo tem o direito de pensar e de fazer o que quiser desde que respeite o próximo, que fique satisfeito com ele mesmo e que a sua consciência não o acuse. O que nele deve realmente ficar é o seu sentimento de amor para com os seus semelhantes.

O dimensional deve ser alegre e deve ser unido, sem inveja e sem briga.

Quando alguém tem desejos reprimidos e não consegue realiza-los, adquire bloqueios, ficando mal humorado, rancoroso, magoado e vingativo. Nesta situação a sua energia mental não direciona, não flui e, portanto, ele deve trabalhar os seus bloqueios de fundo emocional.

O “plano astral” e mesmo o plano mental podem desarmonizar o dimensional, se ele não souber se direcionar através dos seus pensamentos. O “plano astral” é emocional, nele o individuo pode sentir mais constantemente medo e insegurança, entre outros desequilíbrios emocionais.

O resultado é certo quando a energia mental é direcionada, não importando a distancia do objetivo. O individuo/dimensional nasceu pré-programado para realizar algo em prol não só de si mesmo, mas, também de outros indivíduos, porque todos são partes da mesma Essência.

O dimensional que acessou a sua “placa”, já deveria se perceber com uma outra freqüência mental, com um outro nível de consciência. Ele veio para quebrar as regras vigentes que impõem e que manipulam e, por isto, além de não ser compreendido, ele é ridicularizado. Ele, consciente da sua missão e deste seu momento, deve se potencializar na Luz do seu Cristo Interno.

No seu caminho evolutivo o individuo/dimensional descobre que a dor é um aprendizado, o sofrimento proveniente dela lhe ensina a evoluir e que a fé (desejo profundo) é uma atitude mental, codificada além dos seus cinco sentidos. A fé está mais ao nível da sua percepção do que do seu entendimento e ela estará mais presente nele, à medida que ele começa a perceber a Graça da Manifestação Divina.

São os sentimentos que realmente unem ou separam os indivíduos, dependendo da escolha de cada um.

Os sentimentos geram atitudes altruísticas ou mesquinhas, que iluminam ou que ajudam a aumentar os débitos do individuo. De um modo geral, tudo aquilo que ele faz de coração é “positivo”, é de vibração superior e tudo aquilo que ele faz em sintonia com o que é chamado de maldade é “negativo”, é de vibração inferior.

O dimensional deve acreditar que ele pode realizar e à medida que ele acredita em si mesmo, ele se motiva e obriga o seu subconsciente trabalhar para ele. Mas, é necessário que ele faça antes autocrítica, para que enxergue os seus defeitos e perceba que ele também não é perfeito e, portanto, deve ser mais compreensivo com o seu semelhante e ter a exata noção de que o sucesso de um é o sucesso de todos.

Lagoa Santa/MG-BR, 07 de janeiro de 2005.

 

  Responsabilidade
– Desempenhar Missão –
(Segunda Parte)

Os Seres dos Planos Superiores sempre oferecem ao dimensional a medida certa, para que se ilumine e desempenhe a sua missão.

O dimensional que acessou a sua “placa”, mais do que aquele que ainda não a acessou, não deve esquecer que a missão de todos os dimensionais é a divulgação e a propagação, no sentido de despertar o maior numero de indivíduos para um estado de consciência sintonizado com as dimensões superiores e especificamente com a quarta dimensão. Ele deve ter a sua mente aberta para receber as informações que emanam dos Planos mais Sutis e neste seu processo evolutivo o seu pensar e o seu agir devem ser sempre sinalizados pela Harmonia, para evitar estados depressivos ou pensamentos obsessivos que demonstram desequilíbrio emocional, com uma conseqüente e intensa perda de energia.

Propagar a Consciência da Nova Era é o grande desafio missionário do dimensional. Ele não deve envergonhar de falar sobre os “seres”, sobre o extra-físico e, principalmente, não deve envergonhar de estar sempre consciente em Cristo. Entretanto, o dimensional deve passar com muito jeito as suas informações, para não desequilibrar aqueles que ainda estão mergulhados em um moralismo já enraizado, alimentado por valores e conceitos milenares errôneos.

O dimensional em missão deve se observar constantemente, para que as suas ações do dia a dia sejam sempre corretas, irradiando equilíbrio. Aqueles que mais desarmonizaram a humanidade foram os indivíduos/dimensionais não vigilantes, que como líderes de todos os matizes utilizaram dos seus dons de persuasão de uma maneira negativa, para manipular e explorar outros indivíduos.

O individuo/dimensional deve aprender, através da manipulação da sua energia mental/vibracional, a não entrar em um processo de dissociação, que fica esperando auxilio de fora e não o busca dentro de si. Ele há muito assumiu um compromisso com a Hierarquia Cósmica e ainda não o cumpriu. Agora chegou o momento de cumpri-lo.

Para resgatar o seu débito o ser dimensional adquiriu o compromisso de ajudar no despertar de outros indivíduos/dimensionais que estão presos na Terra há milhares de anos e de um modo geral, também ajudar os indivíduos/planetários. Entretanto, já na Terra, o individuo/dimensional além de não cumprir com o seu compromisso cósmico, manipulou e ainda manipula até hoje os seus irmãos menos conscientes. Neste momento especial da Transição Planetária ele está tendo mais uma oportunidade para que possa resgatar os seus débitos, elevar a sua freqüência vibracional, elevar a vibração do planeta e retornar à quarta dimensão.

O ano de 1998 foi o ano do despertar do dimensional através de sua ativação. O ano de 1999 foi um ano decisivo, foi um ano de definir freqüências e de caminhar sempre para frente, um caminhar para o qual não existe retorno, porque o campo vibracional do dimensional que está nele caminhando foi ativado. No ano 2.000 se mostrou o indivíduo que na linha de frente estava com o intuito de se despertar e de despertar outros indivíduos. Aquele dimensional que não se despertou até o ano 2000 ou aquele que apenas começou a se despertar, não tinha certeza do que queria ou não tinha certeza da sua Verdade Cósmica/Divina ou ainda não tinha condições de liderar. Só ficou na linha de frente o indivíduo responsavelmente especial.

De 1971 em diante o ideal vibracional é a sintonia acelerada com a freqüência da Nave do GNA. O dimensional nesta freqüência vibracional e já se despertando para um Novo Estado de Consciência, deve aprender como manipular esta sua nova Fonte de Energia. Também, a partir do final de 2001 o individuo/dimensional está sendo de uma maneira mais incisiva o seu próprio juiz e o seu pensar e o seu agir de uma maneira “positiva” ou “negativa”, estão potencializados.

O poder de discernir é um dos atributos da mente do indivíduo/dimensional, adquirido pela sua concentração e pelo seu autocontrole e aquele que sabe se controlar tem o poder de conseguir, de realizar e de modificar as coisas. Ele deve programar a sua vida da maneira que achar melhor, mas, deve programá-la sem dúvidas e sempre no sentido de ajudar os seus semelhantes. Se o individuo tiver a consciência do momento presente, se ele estiver centrado na verdadeiramente na Vida, a maior parte de suas dificuldades se tornarão obstáculos imaginários e desaparecerão.

Cada um está sendo observado pelas suas ações, portanto, sendo observado pelo que pensa, diz e faz ao outro. Portanto, o dimensional deve ter o equilíbrio para distinguir o que ele na terceira dimensão codifica como “positivo/negativo”, a fim de que tenha o controle destas duas freqüências de energia que estão presentes em tudo, inclusive dentro dele como certo/errado, para que ao manipulá-las, possa em missão, provocar uma terceira freqüência energética (Consciência/”Neutralidade”), que juntas atuarão em todos os estados da matéria.

A humildade e a seriedade são importantes não só para os trabalhos vibracionais, como também para uma vida missionária, porque elas sinalizam um caminhar mais harmônico, onde estão ausentes a inveja e o ciúme. O individuo com o seu livre arbítrio é que constrói o seu destino, porque quando ele nasce traz apenas uma pré-programação. No decorrer da sua vida, que ele vai definindo e traçando o seu destino.

Cada um tem o seu próprio talento e com ele é que se expressará.

O individuo/dimensional em missão passa por muitas aflições, mas, experimenta também uma grande vantagem apesar de estar ainda na terceira dimensão, porque paralelamente às suas aflições vive uma outra realidade. Como ele já possui determinados conhecimentos e os pratica, ele programa o seu próprio tempo e vivencia situações além daquelas típicas de uma realidade tridimensional, que o proporciona experimentar momentos nunca antes imaginados.

Lagoa Santa/MG-BR, 21 de janeiro de 2005.

 

  Responsabilidade
– Auto-iluminar –
(Terceira Parte)

Aquele que irradia a Luz do Eu Superior, não mais necessita exercer o poder temporal, não controla e não é controlado e também não mais necessita de aprovação. O individuo sintonizado com o Eu Superior irradia a “Neutralidade” de não julgar, de não se importar com críticas, de não se sentir superior ou inferior e não teme desafios, porque percebe que todos fazem parte do Todo, apenas vivendo experiências diferentes.

O individuo quando desperta e começa a interagir com os Planos Superiores, deve se manter o máximo possível em Harmonia, em função de sua nova freqüência mental, que está associada também à sua nova responsabilidade. Ele deve estar constantemente alerta à sua linguagem intuitiva, ouvindo a voz do seu coração, para que sejam evitadas situações de conflito, de desarmonia para si e para os outros.

Ele deve ter a humildade de reconhecer o seu desequilíbrio naquilo que errou, sem se julgar e de compreender a desarmonia na atitude do seu semelhante, sem também julga-lo. A evolução mental só acontece acompanhada da auto-iluminação, quando o individuo percebendo as suas limitações tridimensionais, começa a transcendê-las.

As técnicas envolvendo conhecimentos das Leis Universais permitem o iniciado à manipulação vibracional de todas as coisas segundo as suas freqüências vibratórias e para os seus trabalhos vibracionais ele precisa estar apenas com uma vibração acelerada, alimentada por um estado mental especial. Nesta sua condição mental/vibracional especial, o dimensional deve se preparar, para que possa orientado pelos “Seres” interagir com os Planos Superiores. Os fenômenos eletromagnéticos que se mostram nesta ocasião são apenas instrumentos energéticos para que esta interação aconteça.

À medida que o dimensional evolui, subindo os degraus da escada evolutiva, exercitando-se com os trabalhos vibracionais, ele vai adquirindo uma responsabilidade cada vez maior perante o Eu Superior e os “Seres” no sentido de se orientar e de orientar os seus semelhantes, para que alcancem um grau de percepção e de ação, que os possibilite libertar das amarras energéticas da terceira dimensão.

O individuo/dimensional está no momento prisioneiro da dualidade, mas, ele deve sempre manter acesa a percepção de sua origem Cósmica e Divina, aprender a manipular a energia vibracional ativa (kundalini) e a exercitar a Energia Multivibracional através do seu Pensamento, construindo a sua Ponte para as Dimensões Superiores da Realidade. Ele deve desejar profunda e sinceramente o seu despertar, polarizar o seu campo energético e irradiar a sua Luz. E, por ser um campo vibracional, ele está tanto transmitindo a sua vibração para as pessoas que o cercam, como delas recebendo, porque todos estão interagindo simultaneamente.

À medida que o dimensional aumenta a sua freqüência vibracional, amplia o seu nível de consciência e à medida que ele desperta, ilumina-se e sintoniza com a sua Verdadeira Realidade. Na freqüência da energia vibracional ativa ele não tem pensamentos negativos e sabe se harmonizar.

Na linguagem mental o desejar profundo significa que o indivíduo não deve jamais duvidar de que o seu desejo se realize, ele deve trazer mentalmente a fonte do seu desejo para dentro de si e usá-la mentalmente, se for o caso. Nesta freqüência mental ele fica em um estado constante de concentração alterada e esta alteração no seu corpo energético, reflete no seu corpo físico.

Quanto mais rápida for a freqüência mental do individuo, com as suas ondas cerebrais pulsando mais rapidamente, maior será a sua energia vibracional e, portanto, mais responsavelmente ele deve ser, mais controle sobre si mesmo ele deve ter.

O individuo não desperto resume nele mesmo o significado do universo físico, porque o que ele acha que é real é uma imagem teórica construída através dos seus cinco sentidos e sobre a qual ele formou um consenso. Entretanto, aquele que já possui simbologia e que já irradia uma freqüência mental acelerada, contatos mais diretos com outros Planos da Criação podem lhe acontecer conscientemente, ampliando-lhe o seu conceito da Realidade, muito alem da realidade física e tridimensional.

O poder de discernir é um dos atributos da mente, adquirido pela concentração e pelo autocontrole.

Não adianta o dimensional procurar o que está fora dele, porque o que procura está dentro dele e transcende a lógica do seu entendimento e da sua razão. Quanto mais ele vibrar conscientemente ao nível da sua Essência, melhor será para ele, porque a sua capacidade extra-sensorial ficará mais aflorada, ele obterá mais respostas e se tornará mais iluminado.

O processo criativo é o meio pelo qual o Eu Superior, através do individuo, expressa a Sua divindade e o universo físico é o meio pelo qual Ele o vivencia e o experimenta. O individuo/dimensional está trabalhando com a energia vibracional ativa (energia física da criação/kundalini), de acordo com os exercícios vibracionais, que os “Seres” passaram e, tudo o que for “tocado energeticamente” por ele, será uma energia alquímica de transmutação e o que ele expressar como religioso será transformado em sagrado.

De acordo com os Seres de Luz, Jesus Cristo veio para ensinar ao homem a ter sincronia novamente com a Energia Cósmica, com a Energia Suprema, com Deus. Ele veio em condição e missão especiais, para dar um basta no caos mental e na desarmonia persistente vividos pelos indivíduos, esquecidos totalmente da sua Realidade Divina.

A Divindade ouve e responde o individuo, quando ele está em comunhão de Amor com tudo e com todos. A Energia do Raio Divino neste momento da transição da Terra é muito forte e traz muita abundância, mas, se o dimensional não souber aproveitá-Lo, se ele O desperdiça, Ele será cortado, fazendo com que o dimensional esqueça a sua missão e interaja mais densamente com a terceira dimensão.

O individuo à medida que auto-ilumina, deve se observar cada vez mais, porque ao exercitar a dualidade, pode sem perceber, se expressar na “sombra” através da inveja, que disfarçadamente é o seu instrumento mais constante.

Aquele que constrói o seu Corpo de Luz fica cada vez mais resistente e impenetrável às freqüências densas regidas pelas leis arcaicas e físicas da terceira dimensão. Ele deve manter o seu equilíbrio emocional, controlando tanto os seus sentimentos “negativos” como os “positivos”, para que a sua aura não expanda demais. Quanto mais ele for interagindo com as Dimensões mais Sutis, mais manifestará nele o seu Aspecto Divino.

Lagoa Santa/MG-BR, 03 de fevereiro de 2005.

 

  Terceira Dimensão
(O Duelo)

O Criador montou o Grande Palco para que a Sua criação pudesse finalmente se manifestar consciente e Ele, através dela, pudesse ver a Sua obra.

No palco terreno, neste Seu ato para a vida, o Divino alcançou com o ser humano o Seu objetivo.

Portanto, de um modo especial, o indivíduo/dimensional como um Ser Divino/Consciente e Co-criador deve começar a decodificar e a vivenciar a Manifestação/Criação além do plano tridimensional, que é regido pela Lei da Bi-Polaridade no seu aspecto físico/matéria e pela Dualidade no seu aspecto ressonante/emocional.

O indivíduo comum inserido no palco da vida montado para que a sua consciência da terceira dimensão pudesse nele exercitar, está constantemente duelando. Sobretudo, ele está cotidianamente brigando consigo mesmo, por não conseguir se ver dentro da sua Verdade mais Profunda, por não conseguir irradiar o que realmente “É” e por se sentir prisioneiro dentro da sua atual limitação energética tridimensional.

Com a sua limitada percepção o ser humano de um modo geral só consegue decodificar as informações, que recebe da terceira dimensão, ao nível dos seus cinco sentidos. Como um ser “apenas” inteligente/racional é incapaz de se perceber além deste pequeno palco que foi montado para ele, para que exercitasse a sua individualidade e para que depois o transcendesse. Na sua limitada e densa lógica tridimensional ele não se percebe transcendente, porque não se percebe inserido no Uno.

Uma consciência tipicamente tridimensional consegue decodificar apenas ao nível da matéria, porque apenas nela procura as respostas/”verdades” de todas as suas perguntas e, naturalmente, como ele não as encontra, começa a viver intensamente o seu buraco negro constantemente faminto. Ele procura ter cada vez mais em todos os sentidos e pela sua incapacidade de “Ser”, está quase sempre estressado, está quase sempre emocionalmente abalado.

Uma consciência da terceira dimensão é construída na dualidade, no que ela energeticamente decodifica como bom (“positivo”) ou como ruim (“negativo”) e, vagueando entre estes dois extremos, o indivíduo/consciência em suas reencarnações vai construindo com o seu pensar e o seu agir o seu personagem dentro deste plano do duelo, gerando a energia da emoção de acordo com as suas conveniências momentâneas de aprendizado, que o direcionam na sua trilha evolutiva e que o sinalizam para a auto-iluminação.

O individuo como um ser físico quando busca a sua sobrevivência, procurando um trabalho, fazendo um concurso ou uma prova, entre várias outras situações em que compete durante quase toda a sua vida, ele está de uma maneira “positiva” duelando com outros indivíduos.

O ser vivente de um modo geral está sempre irradiando a energia da emoção, que é a sua característica tridimensional e o ser humano a irradia tanto nas coisas que ele decodifica como sérias, como naquelas que o divertem na vida. Portanto, o individuo em todos os aspectos do seu aprendizado na terceira dimensão, mesmo naqueles que ele os tem como lazer, está duelando e gerando energia emocional.

No esporte o individuo literalmente pensa e age para duelar, gerando energia emocional quase sempre “positiva” e, competir no futebol, praticado em quase todas as partes do planeta, é talvez o melhor exemplo que ilustra este tipo de energia gerada no plano da dualidade, que se torna cada vez mais intensa, na medida em que o individuo ao praticar este esporte, vai também o tornando cada vez mais competitivo.

Ao disputar um corpo esférico (a forma mais perfeita para a terceira dimensão), para levá-lo ao gol adversário, dois grupos de indivíduos como que hipnotizados duelam pela bola, gerando intensa energia emocional dentro de um pequeno espaço definido (campo) e dele para mais indivíduos em um espaço imediatamente maior (estádio/arquibancadas) e, ainda dentro deste processo energético e constante de ressonância (ondas), para muito mais outros indivíduos em espaços ainda mais distantes e cada vez mais amplos (telespectadores/ouvintes). Entretanto, em qualquer momento nesta cadeia energética se o individuo (jogador ou torcedor), em um “transbordamento” energético agora “negativo”, por não saber direcionar esta intensa carga de energia emocional que recebe/irradia, ele pode agir irracionalmente, agredindo o seu oponente com palavras, ferindo-o, ou mesmo matando-o.

O ser humano comum na sua caminhada do despertar é uma criança ainda a brincar, que briga pela bola, buscando exteriormente através dela que simboliza a forma perfeita, o que ele deve interiormente buscar.

Entretanto, não existe uma fonte mais rica de energia emocional, na que jorra das crenças religiosas. Na sua tentativa de religar ao Divino, buscando-O intensamente, mas, de uma forma ritualística e exterior, segmentos religiosos buscaram e buscam até hoje a sua verdade e, não a encontrando porque Ela é Uma e não construída na dualidade que procura o “positivo”, exercitando o “negativo”, a história da humanidade é rica em atrocidades cometidas em nome do ódio e do orgulho religiosos, tipicamente humanos/duais/tridimensionais e não Transcendentes/Divinos. É o momento de todas as mentes se abrirem e, iluminadas, irradiarem a Verdadeira Luz.

Todavia, é na guerra que se percebe a dualidade “nua e crua”, que ela se mostra no seu sentido mais “negativo”. As consciências que dela se alimentam energeticamente, estão profundamente presas à terceira dimensão. As bandeiras levantadas em nome da guerra são construídas por idéias/sentimentos gerados na dualidade através do ódio, do orgulho, da cobiça e principalmente da ignorância daqueles que a fomentam, por não se perceberem como parte de um mesmo Corpo.

Finalmente, o ser humano por se alimentar normalmente de outros seres viventes (animais/vegetais) ou de outras formas latentes de vida (frutas/grãos), está neste caso, independentemente de sua vontade, programado na dualidade para matar, para que possa viver. E, a sua necessidade de procriar que o impele também a disputar, é uma outra programação, para que ele se sinta, através dos seus descendentes, continuando na vida após a sua morte.

Até algum tempo atrás um cavalheiro quando se julgava ofendido, tirava as luvas de suas mãos e as batia no rosto do seu desafeto (onde localiza quatro dos cinco sentidos humanos), mostrando-o com este seu gesto/linguagem tipicamente tridimensional a sua pretensa superioridade e convidando-o a se retratar ou a enfrentá-lo no trágico/cômico duelo de morte, para lavar a sua honra e restabelecer o seu orgulho. Hoje, o individuo/dimensional ao duelar na arena da vida, deve se observar constantemente, para que não bata em seu semelhante com a energia “negativa” de suas palavras cheias de desarmonia, que o fere imensamente mais que uma agressão com luvas, que porventura ele possa ter em seu rosto.

Situações do dia a dia que o individuo vive no mundo físico e dual o confronto, já são tão comuns para ele, já lhe tornaram tão corriqueiras, que ele não percebe nelas o óbvio e vai deixando se prender cada vez mais à terceira dimensão. E, o indivíduo/dimensional que não se harmoniza, porque não consegue “neutralizar” as suas emoções, tem esquecido a sua missão.

Entretanto, o individuo/dimensional já tem condições de exercitar com outras informações muito além daquelas fornecidas pela dualidade, que o limita e que vem o aprisionando energeticamente neste plano, há seis mil anos.

O dimensional deve aprender a não sair da faixa energética de tolerância, a se exercitar harmonicamente e a transitar pelo Caminho do Meio, para que possa adquirir um outro nível de consciência, que o possibilite a sintonizar e a interagir com as Dimensões Superiores.

Como já mencionamos em outra ocasião, a consciência humana é dual e a Consciência Divina não é. Deus/Uno está inserido em tudo, manifestado como Amor Puro, como o Amor que não se dissocia, que não referencia e não julga.

Portanto, especialmente o individuo/dimensional deve ter o seu pensamento sempre sintonizado no “Somos” e procurar cada vez mais decodifica-Lo, para que adquira mais Luz/informação e não duele tanto em suas ações cotidianas. Ele deve começar a irradiar menos a energia dual da emoção e mais a Energia (Neutra) do Amor Uno, que está igualmente presente em tudo e em todos e, portanto, não fomenta a dualidade.

A Energia deste Amor que antecede todas as outras formas de energia é a Ponte, que leva o individuo/dimensional a transpor a terceira dimensão através de um novo corpo, gerado por uma nova freqüência mental compatível com os Planos mais Sutis de Vibração.

Lagoa Santa/MG-BR, 11 de fevereiro de 2005.

 

  Emoção/Plano Astral
(Primeira Parte)

O que caracteriza a terceira dimensão, para a consciência que nela exercita, é a emoção.

Entretanto, quando o ser humano perde o seu corpo físico (morre) e se ainda continua ao nível da sua consciência prisioneiro na dualidade, alimentando-se energeticamente de emoções, ele fica interagindo no “plano astral superior” ou no “plano astral inferior”. Como um ser do “plano astral” é também conhecido como espírito de luz/superior ou como espírito sem luz/inferior. Ele se tornou um ser que apenas perdeu o seu corpo físico, mas, que continua ainda ligado energeticamente ao plano físico através do plano intermediário ou zona neutra. O espírito inferior/sem luz muito próximo à terceira dimensão a partir de 1971 não mais reencarna, mas, pode sugar a energia vibracional (emocional/sexual) dos vivos.

O espírito sem luz interage com o indivíduo principalmente em momentos quando ele vibra no medo, na angústia, na insegurança, na depressão e em tudo mais que nele for um manancial de energia emocional, dominando a sua mente e a sua vontade em seus momentos de “negatividade”/fragilidade emocional.

Portanto, o individuo quando morre, ele perde apenas o seu corpo físico, porque a sua consciência continua ainda viva e se ela estiver cheia de culpa, irradiando mais energia emocional/”negativa”, este ser ficará vibrando no “plano astral inferior”, sintonizando-se com as freqüências mais densas do plano físico. Entretanto, se ele permanece irradiando excessivamente energia emocional/”positiva”, com as suas formas-pensamento imaginando-se no céu, ficará vibrando no “plano astral superior” distante das freqüências mais densas do planeta, contudo, ainda ligado energeticamente à terceira dimensão.

O individuo quando está vivo, quando está com o seu corpo físico, possui a energia vibracional ativa/kundalini (energia sexual/emocional), que o morto não a possui. Ele, um ser vivo está com todos os seus corpos, está inteiro e irradiando energia vibracional ativa, enquanto o morto vibrando no “plano astral” sem o seu corpo físico, não está energeticamente completo. Portanto, este vivo mesmo aquele considerado perverso, está em uma situação energética e vibracional melhor do que o morto considerado bom. O ser perverso tem também ao seu favor, que ele pode ainda na terceira dimensão, com o seu pensar e o seu agir, tentar se harmonizar e se resgatar.

A única chance que o indivíduo tem para evoluir e se transmutar é quando ele ainda está com o seu corpo físico, porque quando ele morre, está apenas esperando o dia do seu julgamento final ou mais uma nova oportunidade evolutiva de reencarnar, porque sem o seu corpo físico e, portanto, por estar energeticamente incompleto, não tem como resgatar a sua alma, mesmo estando no “plano astral superior”. Assim, o individuo/dimensional não deve se enxergar como o ser vivo apenas quando está presente em seu corpo físico, mas, deve se perceber mais amplamente como o Ser Vivo em ressonância com todos os seus Corpos Energéticos.

A energia da kundalini é a fusão das energias vibracionais transmutadas (sexual/emocional), que o individuo/dimensional deve aprender a manipulá-la, permitindo-o, que tenha um maior controle sobre tudo que o desequilibra fisicamente e emocionalmente. E, ele obterá resultados mais rápidos com esta energia, quanto maior for a carga elétrica em suas células, porque ela circulará com mais facilidade por todas as células do seu corpo, através dos seus meridianos e, se o dimensional souber, poderá leva-la para o seu frontal e já neste chacra poderá potencializar/direcionar a sua Energia (Neutra) do Pensamento e fazer milagres como fazia Jesus Cristo. O individuo/dimensional deve ter absoluto controle sobre as suas emoções, dominar as Leis Universais, organizar a sua mente e direcionar a sua energia mental para que ele, como um Co-criador possa manipular a matéria, inclusive o seu corpo físico e ter o poder da Transmutação/Ressurreição.

A freqüência beta, que vibra na freqüência de nove a quatorze ciclos por segundo, está associada ao estado de vigília e aos cinco sentidos do individuo e vibrar abaixo dela é viver no “plano astral”. O individuo tido como normal com uma freqüência mental em quatorze ciclos por segundo ou vibrando na freqüência beta, é muito realista, muito pé no chão, muito racional e, portanto, diferente do individuo/dimensional consciente, que é um paranormal com uma freqüência mental com pelo menos 27 ciclos por segundo e com um acentuado nível de intuição/percepção, que não mais precisa ter motivações ou estímulos exteriores, porque já possui uma freqüência mental bastante acelerada.

Os níveis vibracionais nas freqüências alfa, teta e delta de baixa freqüência que o individuo os irradia normalmente em sua vida, são chamados de níveis do “plano astral”. A freqüência alfa é o nível da criação, que se faz pelo desejo e pelo pensamento do indivíduo, onde se expressam tanto o seu consciente como o seu inconsciente, está ao nível da programação dos seus sonhos e com a freqüência de rotação do seu cérebro entre cinco a oito ciclos por segundo. A freqüência no nível teta é a do sono profundo, quando acontece aquele relaxamento que satisfaz o corpo e a mente do indivíduo e nela a freqüência de rotação do seu cérebro está entre dois a quatro ciclos por segundo. A freqüência delta é o nível da inconsciência do individuo, onde movimenta o seu subconsciente e onde se expressa o que é chamado de mundo espiritual e nela a freqüência de rotação do seu cérebro está entre um décimo a um ciclo por segundo.

O individuo quanto mais decodifica as suas experiências tridimensionais, procurando as suas respostas mais além, mais ele auto-ilumina, mais adquire Luz/informação e mais percebe que a Consciência Divina por irradiar a Unicidade, não é como a consciência humana dual que muito teoriza e muito conflita.

Seres humanos, Seres Extraterrestres, Seres Astrais, Seres Dimensionais e Seres de Luz fazem parte de uma mesma Pirâmide, estão Nela distintamente localizados buscando o Seu Ápice, mas, são igualmente importantes para que Ela Se faça e Se mostre. Mais perto do Ápice da Pirâmide estão os Seres Energéticos, que não têm mais emoção e sim uma consciência expansiva. Eles têm a noção da dualidade, do que gera a emoção, mas, não a sentem.

Os Seres Energéticos vibram com uma consciência coletiva, eles percebem tudo o que acontece, até o menor pensamento e o menor desejo do indivíduo. Eles são Seres Cósmicos e Divinos que na “Pirâmide” são Referenciais de Luz para os indivíduos/dimensionais. Estão além do Plano Dimensional, são também conhecidos como Seres Angelicais, comandam toda a Hierarquia Cósmica e Eles estão fazendo com os indivíduos/dimensionais um trabalho de seleção ao nível de sua consciência, para que recebam mais Luz/informação e transcendam-se mais rapidamente.

Como já escrevemos em outra ocasião, estes “Seres” estão ajudando o dimensional/Projeto Portal fazer a sua alquimia de transposição do plano mais denso/eletromagnético da matéria (terceira dimensão/kundalini), para o Plano mais Sutil/Magnético do Amor (quinta dimensão/ectoplasma), através do plano intermediário/plasma (quarta dimensão).

O indivíduo/dimensional deve ter sempre em mente que o seu Verdadeiro e Único Mestre é o Eu Superior, que a sua Essência está constantemente irradiando a Luz do seu Cristo Interior e que o Céu pertence à Dimensão Superior e Angelical, que irradia alta Vibração de Amor Puro – o Amor da Criação/Manifestação.

Lagoa Santa/MG-BR, 21 de fevereiro de 2005.

 

  Emoção/Plano Astral
(Segunda Parte)

O individuo tem dificuldade de evoluir e de auto-iluminar, porque está preso e perdido no plano da ilusão, na densidade energética da terceira dimensão com o seu limitado padrão dual/emocional de experiência.

Para que o indivíduo alcance o seu objetivo de interação com a quarta ou com a quinta dimensão, ele precisa, a todo instante, se exercitar na Freqüência do Cristo, percebendo-se como Unidade e não como individualidade que conflita. A densidade da terceira dimensão limita a expansão do seu pensamento, bloqueando a sua mente para as suas realizações em direção aos Planos mais Sutis de Vibração.

O dimensional deve se esforçar para adquirir o seu Passaporte Divino, procurando auto-iluminar, para que saia definitivamente da freqüência energética que atualmente vibra e não reencarne mais, porque reencarnação é uma reprovação, que só acontece nos mundos físicos da terceira dimensão.

Para que o individuo auto-ilumine ele deve se libertar da emoção do medo, a emoção/mãe que gera todas as outras freqüências “negativas” de interação, que o prendem à terceira dimensão. No medo o individuo, com a sua consciência/dual, não consegue dialogar com o Eu Superior através da sua percepção/intuição.

A sintonia indivíduo/Deus vai se fazendo cada vez mais, à medida que a consciência dual/humana do individuo/dimensional vai percebendo-O mais plenamente em todos os Seus níveis de manifestação. Portanto, o dimensional que agora tem parceria com os “seres”, já deveria ter decodificado o que são realmente os contatos com OVNIs, que já não deveriam ser o motivo de maior relevância para ele, deixando-os em segundo plano para pesquisadores da ufologia tradicional.

Entretanto, o individuo deve-se observar criteriosamente, porque ao interagir com o “plano astral” e, tendo uma intensa vontade de ver algum fenômeno e se o que ele anseia não acontece, a força do seu pensamento pode lhe mostrar o que foi criado pela sua imaginação, o que ele queria ver (forma-pensamento). Assim, ligações com o “plano astral” não são tão confiáveis e estas interações mesmo que se apresentem em uma linguagem cósmica aparentemente correta, devem se mostrar inseridas na realidade tridimensional. Os contatos devem ser preferencialmente aceitos como verdadeiros, quando fotografados ou filmados.

Seres de baixa freqüência vibracional ou de pouca luz aproveitando o momento de instabilidade emocional do indivíduo e, em uma simbiose emocional com ele, podem lhe criar situações propensas às discussões/brigas, para que possam sugá-lo com mais abundância a energia de suas emoções. Seres de alta freqüência vibracional ou de muita Luz podem utilizar a sensibilidade do individuo, que tem uma percepção mais desenvolvida e lhe passar mensagens sempre no sentido da união, sempre no sentido do Amor e muitas vezes não Se identificam em suas mensagens, que são verdades esclarecedoras e pautadas no sentido da Harmonia.

Não existe diferença entre a energia emanada dos Seres Dimensionais e a dos Mestres Iluminados que já ascenderam, porque todos estão sintonizados com a mesma Freqüência do Amor Puro que irradiam. Eles estão apenas vibrando em escalas evolutivas próprias e, portanto, apenas as Dimensões onde vibram os Seres Dimensionais, que já transmutaram os seus corpos físicos, são energeticamente diferentes dos Planos de Luz, onde vibram os Mestres Iluminados.

Quando o indivíduo está com dúvidas e inseguro é quando ele mais se liga ao “plano astral”, porque sintoniza com formas astrais que vão lhe saciar o “ego”, agindo de acordo com o que ele quer saber e com o que ele quer ouvir. O dimensional na sua condição humana nunca irá se livrar totalmente do “plano astral”, por estar na condição de uma criatura tridimensional/emocional, mas, ele pode e deve aprender a desenvolver o seu lado mental/vibracional, para trabalhar as suas dificuldades cotidianas e transcende-las.

O extra-físico está além do físico, está além da matéria ou da terceira dimensão, portanto, o “plano astral” pode ser considerado extra-físico. A energia extra-física é utilizada para determinados trabalhos e ela esta sendo manipulada por enquanto apenas por alguns indivíduos/dimensionais, que já atingiram outro nível mental e que podem fazer trabalhos direcionados, energeticamente mais profundos, mais próximos dos “seres”.

O individuo/dimensional que já conseguiu levar para o seu frontal a sua energia da criação física (energia sexual/emocional), direcionando-a através da Energia do seu Pensamento, está vibrando mentalmente pelo menos em 27 ciclos por segundo. O dimensional que já teve o seu banho de plasma individual e que já recebeu a sua Freqüência de Onda Pura, vibra nesta freqüência e não está mais sujeito às interferências do “plano astral”.

Quanto mais Luz/informação menos dualidade/emoção, menos o indivíduo fica à mercê do “plano astral” e menos fica ligado ao campo eletromagnético da matéria.

Lagoa Santa/MG-BR, 03 de março de 2005.

 

___________________________

 Texto de Antônio Carlos Tanure

Translate »