Postado por

OVNI e OSNI

OVNI e OSNI
Print Friendly, PDF & Email

Os OVNIS e OSNIs que possuem uma tecnologia muito superior à humana, o material de que são compostos é produzido desde eras mais remotas por uma antiga civilização alienígena escondida em águas profundas ou é produzido por seres extraterrestres que chegaram mais recentemente neste planeta?

O Mahabharata que foi escrito em sânscrito na forma de versos contam “a grande história da humanidade” e talvez seja o texto conhecido mais antigo. Ele conta a história da disputa dinástica entre dois povos, culminando em uma guerra de proporções apocalípticas. A palavra vimana que consta no primeiro verso, significa literalmente “nave” ou “aeronave” e para muitos estudiosos os relatos deste verso só puderam ser realmente compreendidos, após as tragédias atômicas que devastaram as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, no final da Segunda Guerra Mundial.

No Ramayana, a epopéia de Rama que foi outro grande épico da literatura védica também muitíssima antiga, são descritos os vimanas que segundo seus versos podiam voar, deslocar debaixo d’água e planar no espaço externo.


Ilustração de um tipo de Vimana como descrito nas escrituras hindus.

Voltando-se aos dias de hoje, só agora alguns oficiais da Marinha norte-americana resolveram relatar os inúmeros avistamentos testemunhados por eles, quando estavam trabalhando em missões militares. Aparentemente tanto os objetos voadores não identificados (OVNIs), quanto os objetos submarinos não identificados (OSNIs) são atraídos por porta-aviões ou navios com algum tipo de carga bélica, principalmente aqueles que utilizam de energia nuclear. Segundo muitas dessas testemunhas sentiam em suas belonaves “observadas” de perto por esses objetos misteriosos.

Um dos primeiros navios americanos com armas nucleares o USS Franklin D. Roosevelt atraiu eventos de OVNIs e de OSNIs por mais de 30 anos.


Uma ilustração de OVNIs – mais de cinqüenta por cento deles são avistamentos associados à água (OSNIs).

O pesquisador Ivan T. Sanderson que foi cientista, escritor naturalista e que fez parte do Serviço Secreto Britânico, ele identificou e mapeou locais no planeta que possuem estranhas anomalias magnéticas e que são considerados “traiçoeiros”. Este levantamento consta em seu livro intitulado “Invisible Residents” ou “Residentes Invisíveis.

Para alguns ufólogos os aparecimentos de OSNIs estão ligados a estes misteriosos locais da Terra, como acontece no famoso Triângulo das Bermudas. Para estes pesquisadores estes locais podem ser bases ou alguma espécie de “portal”, utilizado pelos OSNIs. Para estes locais são também creditados os misteriosos e inexplicáveis desaparecimentos de embarcações e de aviões.

Em relação a estes objetos não identificados (voadores e submarinos) alguns pesquisadores ficam sem saber, se eles são veículos de seres de origem extraterrestres que estão já muito mais tempo na Terra antes mesmo do surgimento da atual civilização ou, se são de seres extraterrestres que se estabeleceram nesse planeta mais recentemente com os seres humanos já presentes ou ainda, se a presença destes objetos não identificados se encaixa tanto na primeira quando na segunda suposição.


Imagem ilustrativa de um OSNI que tem capacidade de movimentar,
em grande velocidades tanto debaixo d’água quanto na atmosfera.

Os relatos que agora foram também liberados por alguns militares russos, eles remontam ao período em que um grupo especial da Marinha Russa vivenciou incidentes inexplicáveis, quando estava em seus submarinos ou em seus navios de guerra. O grupo foi liderado pelo almirante Nikolay Smirnov e muitos documentos revelam casos de possíveis encontros com OVNIs.

Outro ex-oficial da Marinha Russa Vladimir Azhazha que é também ufólogo, ele afirma que este material divulgado é de grande valor e que “cerca de cinquenta por cento dos encontros com OVNIs relacionam-se aos oceanos e quinze por cento aos lagos, portanto que os OVNIs preferem a água.

Ele menciona que em uma ocasião um submarino nuclear que estava em missão de combate no Pacífico, avistou mais de seis objetos desconhecidos submersos, que deles a tripulação não conseguiu se livrar mesmo fazendo manobras para isto. E quando o comandante ordenou por fim que o submarino emergisse, estes objetos fizeram o mesmo para depois elevarem no ar e deslocarem para longe.

Muitos eventos misteriosos ocorrem no Triângulo das Bermudas como a avaria de instrumentos sem qualquer razão aparente ou detecção de forte interferência, recorda o comandante reformado de submarino almirante Yury Beketov. Para ele estes eventos misteriosos causadores de avarias podem ter sido uma interrupção deliberada causada por OVNIs.


Foto de um objeto discóide que pode ser de um OSNI no fundo do mar.

Este oficial reformado da Marinha Russa disse ainda que “em diversas ocasiões, estes objetos não identificados revelaram como desafiassem as leis da física.

Para o primeiro capitão Igor Barklay, veterano do Serviço de Inteligência da Marinha Russa, “os OSNIs oceânicos aparecem onde existem concentrações de frotas, portanto próximos das Bahamas, Bermudas e Porto Rico. E eles são mais freqüentemente vistos na parte mais profunda do Oceano Atlântico, na parte sul do Triângulo das Bermudas e no mar do Caribe”.

Continuou dizendo Barklay “que outro local onde pessoas vêem OVNIs, é perto do Lago Baikal, na Rússia. Ele é o mais profundo lago de água doce no mundo. Marinheiros têm constantemente visto nas profundezas luzes, que como holofotes “piscam” como flashes de solda elétrica. Foram vistos também cilindros e discos com luz prateada, que emanava raios de luz na água.

Em uma ocasião (ano de 1982), mergulhadores da marinha russa viram na profundidade do lago Baikal um grupo de criaturas humanóides, vestidas com trajes prateados. Este encontro ocorreu em uma profundidade de cerca de 50 metros e estes mergulhadores tentaram capturar estes estranhos seres. Nesta tentativa “três dos sete mergulhadores morreram, enquanto os quatro outros ficaram gravemente feridos”.

Triângulo das Bermudas

Existe uma região no Atlântico Ocidental, perto da costa sudeste dos Estados Unidos, que forma o que se convencionou chamar de triangulo, formado ao norte pelas Bermudas, ao sul pela Florida e a oeste por um ponto que passa pelas Bahamas e Porto Rico até quarenta graus de latitude oeste, para depois voltar novamente em direção às Bermudas.

Esta região ocupa um lugar estranho e quase inacreditável no catalogo mundial dos mistérios inexplicáveis. Ela é conhecida geralmente pelo nome de Triângulo das Bermudas.

Mais de cem aviões e navios já desapareceram totalmente ali. A maioria deles depois do ano de 1945. Também mais de mil vidas se perderam naquele local nos últimos vinte e seis anos, sem que um único corpo ou mesmo uma simples marca dos destroços de aviões ou navios fossem encontrados. Os desaparecimentos continuam ocorrer nesta área com uma freqüência aparentemente crescente, não obstante os marinheiros e os pilotos de hoje possuírem mais experiências e as buscas serem mais acuradas através de dados que são conduzidos cuidadosamente de forma mais estudada.

Muitos desses aviões sumiram, enquanto os pilotos mantinham contato normal pelo rádio com suas bases ou destinos até o momento exato do desaparecimento. Outros enviaram mensagens estranhas, explicando que não conseguiam fazer seus instrumentos funcionarem, que as bússolas giravam sem parar, que o céu se tornara em um amarelo nublado (num dia claro e límpido) e que o mar até então muito calmo nas redondezas naquele momento “não parecia normal”, mas sem darem maiores detalhes sobre o que de fato estaria acontecendo de errado.

Estes desaparecimentos inexplicáveis no Triângulo das Bermudas têm continuado até os dias de hoje e nenhum avião ou navio é assinalado como “desaparecido”, mas colocado no arquivo de “buscas suspensas” pelo Sétimo Corpo da Guarda Costeira americana.

Existe atualmente interesse cada vez maior do público, para o fato de que ocorre algo de muito estranho naquela região. Inúmeros e recentes relatórios de aviões e de barcos que sofreram (e sobreviveram) experiências incríveis dentro dos limites do Triângulo das Bermudas, têm contribuído para isto.


Limites do Triângulo das Bermudas.

Explicações variadas, inclusive, as mais imaginosas foram formuladas e levadas seriamente em consideração, numa tentativa de esclarecer os contínuos desaparecimentos e as prováveis conseqüências fatais mesmo sem nenhum corpo ter sido encontrado.

Estas explicações de todo o tipo incluem como causa vagas repentinas de marés provenientes de terremotos, bolas de fogo que explodem sobre os aviões, uma distorção de tempo-espaço que leva à outra dimensão, turbilhões eletromagnéticos ou gravitacionais que causam a queda dos aviões e a perda dos navios em pleno mar, captura e seqüestro por OVNIs (voadores ou submarinos) que são manipulados por entidades de culturas sobreviventes da antiguidade, do espaço sideral ou do futuro à procura de espécimes da vida atual da Terra.

De qualquer forma, a explicação ou a solução para este mistério parece estar intimamente ligada ao mar e ainda hoje, ele talvez seja o maior de todos os mistérios com os quais deparam os habitantes deste planeta. Apesar da humanidade com a sua ciência já ter chegado ao limiar do espaço sideral olhando ansiosamente para o Cosmo e acreditando que este mundo já está totalmente explorado sem mais guardar nenhum segredo, a verdade é que pelo menos três quintos da Terra cobertos pela água (com profundidades abissais nos oceanos e nos mares), são igualmente ou ainda menos conhecidos do que as crateras da Lua.

Existe ainda muito para se descobrir nesta parte do planeta, apesar de já existirem mapas dos contornos gerais do fundo do mar feitos primeiro por sondas mecânicas e mais recentemente por sonar com explorações produzidas através de submarinos, por batisferas e por câmaras para grandes profundidades usadas na prospecção de petróleo, que diagramaram estas superfícies abissais e as correntes submarinas.

Ê verdade que inúmeros aviões voam sobre o Triangulo da Bermudas todos os dias, que barcos grandes e pequenos navegam em suas águas e que incontáveis passageiros e viajantes visitam aquela área todos os anos sem qualquer incidente. Além disso, quase todos os dias aviões caem e navios naufragam por diversas razões em todo o mundo. Contudo em relação ao Triangulo das Bermudas, em nenhuma outra área os desaparecimentos inexplicáveis (e sem deixar destroços) têm sido tão numerosos, tão súbitos e cercados de circunstâncias tão estranhas, que ali eles ultrapassam os limites da coincidência.

Fontes (Google):
inconscientecoletivo.net/ovnis-no-fundo-do-mar/
www.viafanzine.jor.br/site _vf/ufovia/osnis.htm
Invisible Residents de Sanderson, Ivan T

 

Translate »